Jornal Domingo em Casa 44ª edição

Download Jornal Domingo em Casa 44ª edição

Post on 07-Mar-2016

228 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Domingo em Casa 44 edio

TRANSCRIPT

<ul><li><p>duas Praas a todo vaPoralm da obra no Jardim dos Pequis, cidade receber outra praa de esportes e cultura. Pg. 3</p><p>Rafaela Mandelli fala de sua personagem na srie "Fora de Controle", da Record. Pg. 9</p><p>DISTrIbUIO GrATUITA</p><p>gER</p><p>ALDO</p><p> MAg</p><p>ELA </p><p>S/D</p><p>IvU</p><p>LgA</p><p>O</p><p>domingo em Casa</p><p> ANO 1 | EDIO 44 | SETE lAGOAS 20 A 26 DE MAIO DE 2012</p><p>um ano de desCasoEm protesto inusitado, moradores do JK e do Planalto "cantam parabns" para buracos nas ruas dos bairros. Pgs. 4 e 5</p></li><li><p>2 oPinio Domingo em Casa 20 a 26 De maio De 2012</p><p>duke</p><p>Divulgar preciso ignorncia demais do poder </p><p>pblico, e tambm da iniciativa privada, subestimar o potencial de alcance de um veculo de co-municao. Alis, quase sempre, a populao toma cincia do que se passa atrs da mesa de um funcionrio pblico de alto esca-lo, ou sobre grandes empresas, exatamente por meio da impren-sa. Digo da imprensa crtica e sria, que realmente cumpre seu papel de divulgar. Muitas vezes isso acontece por denncia, j que muitos rgos pblicos no cumprem a legislao de tornar pblico o que fazem. </p><p>Tambm por meio da im-prensa que problemas sociais so escancarados para o conhe-cimento at de quem est no poder e, coincidncia ou no, a soluo em alguns casos s apa-rece aps a divulgao. Quando falo da imprensa sria, refiro-me a veculos de comunicao como o DOMINGO EM CASA, isentos e apartidrios, cujo compromisso maior com a verdade. No so-mos nem de oposio e nem de situao. Se h coisas boas, es-tamos abertos a divulgar, como podem ver em nossas pginas, mas no vamos fechar os olhos para o que h de ruim.</p><p>Por aqui, no reproduzimos material que vem pronto de r-gos pblicos. Por aqui, queremos saber o que est por trs daquele material, seja bom ou ruim. Esse nosso papel e tambm o que nos </p><p>diferencia. Poder levar informao de qualidade no para qualquer um. Apurar realmente, ir atrs do fato, correr atrs da informao verdadeira, doa a quem doer, em muitos casos, muito trabalhoso e, s vezes, perigoso. Mas vale a pena. Podemos dormir tranquilos e conscientes de que estamos fa-zendo nosso trabalho da melhor forma, com tica.</p><p>Tambm nosso trabalho va-lorizar nossa gente, nossa terra. E, acreditem: encontramos obs-tculos at para isso. Pensar que o povo no percebe esta relao existente entre rgos pblicos e alguns veculos de comunicao subestimar a capacidade de en-tendimento da populao, sendo esse o maior equvoco de muitos polticos e suas equipes. Se no fosse isso, a situao poltica atual seria bem diferente. </p><p>Sete Lagoas uma cidade que cresceu muito nos ltimos anos. A imprensa local tambm evoluiu, inclusive com o surgi-mento deste veculo de comuni-cao, que possui uma proposta totalmente diferente de todos os outros da cidade. Mas mui-to difcil trabalhar em busca da divulgao da verdade, quando se tem pouco, ou quase nenhum apoio dos rgos pblicos e da iniciativa privada. Para finalizar este desabafo, volto a dizer o que meu saudoso pai, Almerin-do Camilo, sempre disse: divul-gar preciso, doa a quem doer!</p><p>Jos Vtor Camilojosecamilo@domingoemcasa.com.br</p><p>Publicao da AC&amp;S Mdia Ltda </p><p>CNPJ - 05.373.616/0001-21Rua Luiz do Carmo, 39</p><p>Bairro Jardim Arizona - Sete Lagoas-Mg - CEP 35700-374 - (31) 3775-0629Diretor geral - Jos vtor CamiloEditora e Jornalista responsvel - Sandra Carvalho - Mg - 14.854Diretor comercial - Rafael Melgaoreprter Aline DinizDiagramao - Antonio Dias e Wanderson Fernando DiasDistribuio - AC&amp;S MdiaImpresso - O Tempo Servios grficos (Contagem-Mg)representante comercial SP, rio e braslia - Screanmedia (11) 3451-0012 e (11) 9141-2938</p><p>fale conosco: redacao@domingoemcasa.com.br e comercial@domingoemcasa.com.br</p><p>OS ArTIGOS ASSINADOS NO EXPrESSAM NECESSArIAMENTEA OPINIO DESTE JOrNAl.</p><p>domingo em Casa</p><p>do LeitorlADO HUMANO</p><p>Achei muito interessante a forma como foi abordada a matria sobre a entrega das escrituras, mostrando um lado mais humano, contando a histria de algumas pessoas. Principalmente por ter um grande amigo entre as pessoas que ainda vo ter a situao regularizada.</p><p>Pedro da SilveiraBairro Santa Luzia</p><p>AJUDA AO AbrIGO</p><p>Senti muita vontade de ajudar tambm no abrigo de menores depois de ler a reportagem de dia das mes na ltima edio. Infelizmente meu horrio de trabalho ainda no permite ajudar muito, mas tentarei doar alguns livros.</p><p>fernanda DiasBairro Cana</p><p>ESPOrTE AMADOr</p><p>Adorei ver a cobertura da Taa Jos Belarmino no jornal. Acho muito importante ver o futebol amador sendo divulgado com destaque nos meios de imprensa, j que isso estimula bastante a prtica desse esporte, que auxilia no s na sade, mas tambm tirando jovens do mundo do trfico.</p><p>Jos ramon HortaBairro Esperana </p><p>fonte : clima www.climatempo.com.br</p></li><li><p>3Cidade e regio Domingo em Casa 20 a 26 De maio De 2012</p><p>Alm da obra no bairro Jardim dos Pequis, Sete Lagoas receber recursos para uma outra praa do mesmo tipo</p><p>Por Sandra Carvalho</p><p>Sete Lagoas j foi seleciona-da para receber mais uma praa de Esporte e Cultura (PEC) do governo federal. A cidade, que na semana passada anunciou a construo de uma praa nos mesmos moldes no bairro Jardim dos Pequis, ser contemplada mais uma vez pelo Programa de Acelerao do Crescimento (PAC 2). A informao est disponvel no site de transparncia e pres-tao de contas das obras do governo federal e foi confirmada pelo secretrio adjunto de Plane-jamento, Elto Svio.</p><p>O bairro que receber a nova praa anunciada ainda no foi definido pela Prefeitura de Sete Lagoas, que ficar responsvel pela execuo das obras. Sabe--se que, assim como no bairro </p><p>duas praas de esporte</p><p>Jardim dos Pequis, a segunda praa ter 3.000 metros qua-drados com: rea verde, quadra coberta, pista de skate, biciclet-rio, mesas de jogos, academia ao ar livre, playground, biblioteca, um Centro de Referncia em As-sistncia Social (Cras), alm de rea de exposio, telecentro, sanitrios, salas multiuso e um auditrio com 60 cadeiras. O custo de cada uma das praas de mais de R$ 2 milhes.</p><p>A construo da praa do bair-ro Jardim dos Pequis, anunciada na semana passada, j est em processo de concorrncia pbli-ca e, to logo seja conhecida a empresa vencedora, a prefeitura emitir ordem de servio para o incio das obras, considerando que os recursos j esto garan-</p><p>Renata CaldeiRa/tJMG</p><p>tidos pelo Ministrio da Cultura. A expectativa de que em no mximo um ano a estrutura j es-teja disponvel populao, caso tudo transcorra bem no processo de concorrncia e na execuo, afirmou.</p><p>Svio lembrou que, no caso da praa do bairro Jardim dos Pe-quis, Sete Lagoas foi uma das 401 cidades em todo o pas - e uma das 29 cidades mineiras - contem-pladas pelo Ministrio da Cultura para receber a praa. Um dos cri-trios para a escolha da cidade foi ter obras do PAC 1 em andamento, o que o nosso caso, concluiu.</p><p>A Coordenadora da Secretaria de Planejamento, Ktia Noguei-ra, explica que j foram feitos os estudos de impacto na folha do municpio para manuteno do </p><p>espao, em parceria com a Fun-dao Municipal de Ensino Profis-sionalizante (Fumep). Os custos de manuteno, incluindo pes-soal, sero de R$ 1,6 milho por ano. Parte desses custos j so </p><p>absorvidos pela administrao municipal, j que alguns funcio-nrios das secretarias parceiras sero realocados para a Praa de Esportes e Cultura, alm de parce-rias Pblico/ Privada.</p><p>IMAgENS PAC 2/DIvULgAO</p><p>Perspectivas de como sero as praas de esporte e cultura</p><p>Para agilizar causas de famlia</p><p>Justia</p><p>O Tribunal de Justia de Minas gerais (TJMg) inaugurou nesta semana a 2 vara de Famlia e Su-cesses em Sete Lagoas. Atendendo a uma deman-da do municpio, o rgo Judicirio instalou servio com o objetivo de agilizar o julgamento das causas, uma vez que as demandas de famlia representam uma parcela considervel nos processos que trami-tam na comarca. A insta-lao da 2 vara beneficia tambm as populaes dos municpios de Baldim, Santana de Pirapama, Inhama, Cachoeira da Prata, Jequitib e Fortuna </p><p>de Minas municpios que tm suas causas julgadas no foro de Sete Lagoas.</p><p>Em seu discurso durante a solenidade de instalao da 2 vara de Famlia e Su-cesses, o desembargador Tibrcio Marques, que re-presentou o presidente do TJMg, falou que o objetivo da iniciativa tornar a Jus-tia mais gil para aqueles que querem resolver seus problemas. patente o esforo da instituio para aperfeioar-se, mesmo dian-te de todas as dificuldades, inclusive as de cunho ora-mentrio, afirmou.</p><p>Para o diretor do Foro da comarca, juiz Artur Ber-</p><p>nardes Lopes, a iniciativa constitui, antes de mais nada, mais uma vitria dos cidados na busca incessan-te pela excelncia na pres-tao da tutela jurisdicio-nal, um direito fundamental </p><p>por excelncia.O diretor do Foro disse </p><p>que os caminhos percorri-dos para a que a instalao dessa nova vara fosse poss-vel no se revelaram ridos nem espinhosos, porque a </p><p>agilidade na tramitao de processos judiciais um dos objetivos do pla-nejamento estratgico do TJ. Segundo ele, os esfor-os do presidente do TJMg contriburam de forma re-levante para o sucesso da iniciativa.</p><p>Acredito ser essa a t-nica que dar cor nova vara ora instalada: a coo-perao multidimensional em prol da construo de um futuro no qual o ci-dado seja o epicentro dos esforos comuns dos poderes da Repblica na busca por uma socieda-de mais justa e ecltica, concluiu o juiz.</p><p> O juiz diretor do Foro, artur Bernardes lopes, e o desembargador tibrcio</p><p>Renata CaldeiRa/tJMG</p></li><li><p>4 Cidade e regio Domingo em Casa 20 a 26 De maio De 2012</p><p>Moradores dos bairros JK e Planalto comemoram 1 ano de descaso e cobram soluo definitiva para buracosPor Aline Diniz</p><p>Embora a Prefeitura de Sete Lagoas divulgue que a operao tapa-buracos na ci-dade est a todo vapor, com mais e mais balanos de con-sertos realizados, algumas crateras conhecidas da popu-lao e j denunciadas aqui no DOMINGO EM CASA fazem aniversrio. Revoltados e can-sados de pedir ao poder p-blico uma soluo para o pro-blema, alguns moradores dos bairros Planalto e JK fizeram protestos inusitados: com um bolo de aniversrio em mos, eles celebraram mais de um ano dos referidos buracos.</p><p>A reportagem do DOMIN-GO EM CASA acompanhou de perto o drama dessas pes-soas. Na avenida Professor Abeylard, altura do bairro Planalto, os carros precisam usar a contramo para trafe-gar no sentido centro, j que o outro lado da via est com-pletamente esburacado. Um dos buracos to grande que quase atravessa por completo a avenida. </p><p>Dona Maria do Carmo Silva, que tem um comrcio no local, conta que os moradores j pro-testaram e o que obtiveram foi apenas um paliativo. H dois meses fizemos um grande pro-testo e o que conseguimos foi </p><p>com que eles colocassem casca-lho nos buracos, mas as chuvas j levaram tudo embora. Aqui na rua at policias e polticos usam a contramo. um ab-surdo e um desrespeito com o povo, relata. </p><p>No bairro JK, a situao no diferente. Renata Lucia-na da Silva que tem uma loja de roupas na avenida Dalton revelou que s chover para surgir mais um buraco. J liguei vrias vezes para a prefeitura e recebo sempre a mesma desculpa de que eles esto tapando os buracos e que a nossa vez vai chegar. Porm, enquanto esperamos, acidentes ocorrem. Outro dia </p><p>um motoqueiro caiu da pon-te porque no viu um buraco que estava escondido debai-xo de uma poa de gua. </p><p>vincius Santos, tambm morador e empresrio no bairro JK, afirma que o bura-co em frente a sua loja j fez aniversrio. Esse buraco co-meou a se abrir h um ano e nada foi feito, j presenciei trs carros caindo l dentro. O ltimo quebrou todo.</p><p>Alm de prejudicar os mo-radores, a pssima situao do asfalto atrapalha muito a vida de quem trabalha diri-gindo pela cidade. O moto-rista Antnio Marcos Almei-da faz entregas de mveis e </p><p>eletrodomsticos e , segun-do ele, em algumas regies, quando chove, o caminho no consegue entrar. </p><p>Aqui no tm buracos e, sim, crateras, o problema to grave que gasto R$ 500 por ms para recuperar os danos que os buracos causam ao meu caminho. No bairro CDI, quando chove, eu no consigo entregar a mercado-ria e isso causa indignao nos clientes. Alm disso, mui-tos produtos estragam duran-te o transporte, quando isso acontece eu preciso voltar no depsito e pedir outra merca-doria, o que atrasa a entre-ga, relata Antnio. </p><p>Crateras fazem aniversriono bairro JK, buracos causam acidentes; moradores querem soluo definitiva e protestam de forma inusitada Moradores tambm cantaram parabns no bairro alvorada</p></li><li><p>5Cidade e regio Domingo em Casa 20 a 26 De maio De 2012</p><p>Moradores dos bairros JK e Planalto comemoram 1 ano de descaso e cobram soluo definitiva para buracos</p><p>Crateras fazem aniversrio</p><p>Problema o sistemaEnquanto a populao </p><p>sofre com acidentes, pre-juzos materias, dentre outros, a prefeitura luta para resolver um proble-ma tcnico. Segundo o se-cretrio de obras de Sete Lagoas, Antnio garcia Maciel, o maior obstculo para a realizao de obras de tapa-buraco e recape-amento uma adequao pela qual o sistema de informtica da prefeitura est passando para aten-der a uma exigncia do Tribunal de Contas. </p><p>Ns j temos uma li-citao de R$ 2,2 milhes aguardando a liberao dos recursos, mas o que atrasou foi o processo de concorrncia entre as em-presas de informtica que iriam realizar a migrao do sistema da prefeitura. Agora tudo ser online. J estamos na fase de treina-mento de pessoal. Sem re-alizar a adequao exigida pelo Tribunal de Contas, no era possvel obter ver-bas, esse o nosso princi-pal problema, explica. </p><p>Antnio explica porque alguns bairros tm obras e outros esto h mais um ano aguardando. A secre-taria tem trabalhado com os recursos que restaram de 2011, isso significa que em vez de existir 20 equi-</p><p>pes de tapa-buracos tra-balhando nas ruas de Sete Lagoas, hoje apenas duas realizam o trabalho. O se-cretrio afirma que o novo contrato j foi assinado e que na prxima semana o trabalho de tapa-buracos ser intensificado. Na prxima semana vamos ini-ciar o trabalho com quatro equipes e vamos aumentar gradativamente.</p><p>PrOfESSOr AbEylArDCom relao a avenida </p><p>Professor Abeylard, o se-cretrio de obras esclare-ce que l est sendo feito um trabalho de recapea-mento. Em vez de tampar os buracos da avenida, ela ser toda drenada e depois asfaltada. De acordo com Antnio, as obras j come-aram e vo ficar prontas em, no mximo, quatro me-ses. As obras na avenida Professor Abeylard come-aram na semana passada. Ns vamos recapiar desde a ponte at o aterro sani-trio. Essa obra est sendo realizada pelo Ministrio do Turismo e est orada em R$ 2,6 milhes. Ele explica ainda que a via ser drenada antes de ser asfaltada, o que, segundo ele, vai amenizar bastante o aparecimento de novos buracos. </p><p>Quem paga os prejuzos?O mecnico Marcelo </p><p>Canabrava, que mora e trabalha em Santana do Pirapama, conhece bem os buracos de Sete La-goas. Ele explica que os buracos podem causar muitos prejuzos para os motoristas. Quando o carro cai no buraco mui-tas peas podem ser dani-ficadas como: amortece-dores, balanas, buchas, pneus, dentre outros. Dependendo do estrago e do modelo do veculo, o concerto pode ficar entre R$ 150 e R$ 700. Em al-gumas situaes, precisa-mos chamar um guincho. Os buracos podem ainda </p><p>causar acidentes graves. Ao desviar deles, fcil perder o controle da dire-o e colidir em pessoas, animais e em outros ve-culos, esclarece. </p><p>Marcelo...</p></li></ul>