Jornal Domingo em Casa 33ª edição

Download Jornal Domingo em Casa 33ª edição

Post on 13-Mar-2016

222 views

Category:

Documents

5 download

DESCRIPTION

Jornal Domingo em Casa 33 edio

TRANSCRIPT

DEZ NIBUS APREENDIDOS MAIS UM PR-CANDIDATOFiscalizao da prefeitura tira de circulao veculos com mais de oito anos de uso. Pg. 3PMDB confi rma nome de Mcio Reis na corrida pela Prefeitura de Sete Lagoas, em outrubro. Pg. 7DISTRIBUIO GRATUITA TIRAGEM AUDITADA: 8.000 EXEMPLARESDOMINGO EM CASADIVULGAO ANO 1 | EDIO 33 | SETE LAGOAS 4 A 10 DE MARO DE 2012Mulheres essenciaisMulheres essenciaisCapazes de transformar uma sociedade, elas marcam a histria em Sete Lagoas. Pg. 52 opinio Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012dukeJuventude e violncia, o desa o do sculoOs dados de uma estatstica recentemente divulgada no dei-xam margem para dvidas quanto urgncia de se tomar providn-cias no sentido de estabelecer polticas pblicas que permitam ao Brasil legar melhor futuro para sua juventude. Segundo a ONG Observatrio de Favelas, em nosso pas, 100 mil jovens com idade entre 12 e 18 anos tero morrido de forma violenta quan-do chegar 2014, o ano da Copa em que o mundo inteiro estar com seus olhos voltados para ns.No dantesco cenrio apontado pela pesquisa, capitais como Ma-cei, Recife, Vitria e Salvador se destacam como as mais perigosas para se viver na adolescncia. Mas cidades at recentemente pacatas tambm apresentam nmeros as-sustadores, como Serra (ES), com um ndice de 7,31 mortos antes de completar 19 anos para cada mil nessa faixa etria. Na sequncia, aparecem Ma-rab (PA), Foz do iguau (PR), Olinda (PE), Cariacica (ES) e as paranaenses So Jos dos Pi-nhais e Colombo com iHA (ndice de Homicdios na Adolescncia) acima de 6, quando o tolervel abaixo de 1. Minas ostenta vergonhosamente lugar de des-taque no ranking, em especial com Betim, Contagem e Ribeiro das Neves, trs cidades da regio metropolitana da capital, entre as 20 mais violentas do Brasil. E na lista das 20 cidades mi-neiras onde mais se matam jo-vens, Sete Lagoas aparece numa preocupante dcima-quarta posi-o, frente de municpios bem maiores, como ipatinga, Uberaba, Juiz de Fora e Varginha. Aqui, a se confirmarem os prognsticos, 22 adolescentes dentre 12 e 18 anos perdero a vida violentamente pro-ximamente se no forem tomadas providncias.A coordenadora do estudo, a psicloga Raquel Willadino, im-placvel ao apontar a causa deste quadro: faltam polticas pblicas para evitar, entre outros fatores, a cada vez mais precoce entrada dos jovens no mundo do crime, parti-cularmente, no trfico de drogas. Ela explica as razes disso, confor-me entrevista concedida na sema-na passada ao jornalista Joelmir Tavares, do dirio belo-horizontino O Tempo: Alm dos benefcios materiais obtidos em atividades ilcitas, tambm h dimenses subjetivas e simblicas, como a busca de pertencimento, prestgio, poder, visibilidade social.Ou seja: o jovem cai nos bra-os do crime porque falta-lhe a oportunidade, a perspectiva que, numa primeira anlise, cabe famlia dar-lhe. Mas cabe socie-dade como um todo ao Estado em particular assegurar-lhe esta perspectiva de futuro.O desafio, portanto, de to-dos ns.Almerindo Camiloalmerindo@domingoemcasa.com.brFunilndia no mapa da FoxconnExecutivos da Foxconn re-alizaram, recentemente, sobre-voo em Funilndia, que pode ser escolhida para receber uma mega fbrica de componentes eletrnicos. Por possuir grandes extenses de terras vazias, e lo-calizar-se prxima ao aeroporto de Confins, a cidade pode entrar no mapa internacional de fabri-cao de eletrnicos.A Foxconn a maior fabrican-te mundial de componentes para computadores, TVs, celulares e tablets. De origem taiwanesa, os nmeros da empresa impressio-nam. O faturamento anual beira os 100 bilhes de dlares e em-prega mais de um milho de pes-soas. Embora no seja conhecida pelo pblico, a Foxconn fabrica aparelhos para grandes marcas, tais como, Sony, Dell, HP, Nokia, Apple, Motorolla, etc.O mega empreendimento no Brasil ter como scios o empre-srio Eike Batista e o BNDES. O governo federal j concedeu os incentivos fiscais e reduo de impostos. A localizao da fbri-ca disputada por Minas e So Paulo, mas Eike deu declaraes adiantando a escolha de Minas, sem citar qual cidade. A Foxconn j possui fbricas em Jundia (SP) e Manaus (AM). A vantagem de Funilndia es-tar localizada numa regio onde a mo de obra mais barata. O que deve agradar a poltica de recursos humanos da Foxconn, conhecida, tambm, por exigir alta produtividade dos emprega-dos, at mesmo para os padres asiticos. Porm, no Brasil, a cul-tura trabalhista difere dos pases da sia. As leis trabalhistas bra-sileiras favorecem o empregado, no o patro. Sobre isso, o presidente mun-dial da Foxconn j polemizou. Em entrevista ao Wall Stret Journal, ele comparou o Brasil com os pases asiticos: O salrio dos trabalhadores brasileiros muito alto. Os brasileiros, assim que es-cutam a palavra futebol, param de trabalhar. E tem ainda as dan-as. uma loucura... O Brasil bom como um lugar para fabricar para o mercado local. Mas se voc quiser enviar produtos aos EUA, leva mais tempo e mais dinheiro enviar do Brasil do que da China.Embora o que disse retrate a realidade nacional, ele ter que adaptar-se cultura brasileira. No passado, Henry Ford perdeu milhes de dlares com a cons-truo, no Par, do que seria a maior fbrica de borracha do mundo, a Fordlndia. No deu certo por tentar impor o estilo de vida norte-americano ao povo da floresta amaznica.Outras cidades da regio tambm so opes. Seja qual for a cidade escolhida, Sete La-goas deve aproveitar as opor-tunidades. Como cidade polo, caber a ela ofertar servios de apoio ao empreendimento. A lista de oportunidades em-presariais extensa e incluem recrutamento capacitao e qualificao de mo de obra, engenharia e construes, me-dicina do trabalho, uniformes e equipamentos de proteo indi-vidual, alimentao industrial, logstica, etc, etc. Os sete-lago-anos levam vantagem porque so vizinhos de Funilndia. Mas uma vantagem temporria at que empresrios de outros luga-res a localizem no mapa.Jos Luiz Almeida CostaConsultor em inovaesPublicao da AC&S Mdia Ltda CNPJ - 05.373.616/0001-21Rua Luiz do Carmo, 39Bairro Jardim Arizona - Sete Lagoas-MG - CEP 35700-374 - (31) 3775-0629Diretor geral - Almerindo Camilo (2709/MG)Coordenador comercial - Sidney Duarte (comercial@domingoemcasa.com.br)Coordenador de distribuio - Rafael MelgaoEditora - Sandra CarvalhoReportagem - Jos Vtor Camilo e Cris DuarteDiagramao - Antonio Dias e Wanderson Fernando DiasTiragem - 8.000 exemplaresImpresso - O Tempo Servios Grficos (Contagem-MG)Contato comercial em BH - AC&S Mdia Ltda (31) 2551-7797Representante comercial SP, Rio e Braslia - Screanmedia (11) 3451-0012 e (11) 9141-2938OS ARTIGOS ASSINADOS NO EXPRESSAM NECESSARIAMENTEA OPINIO DESTE JORNAL.(31) 3775-0629redacao@domingoemcasa.com.brcomercial@domingoemcasa.com.brdomingo em caSaFale conoSco3cidade e regio Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012em nome da seguranaPrefeitura tira de circulao nibus do transporte alternativo com mais de oito anos de usoOs usurios do transporte co-letivo de Sete Lagoas foram sur-preendidos na manh da ltima quinta-feira quando a Secretaria Municipal de Trnsito e Trans-portes Urbanos ps em execu-o a apreenso de veculos do transporte alternativo com mais de oito anos de uso. Segundo a prefeitura 12 veculos tero que ser substitudos. At sexta-feira, 10 j haviam sido recolhidos garagem da Cooperseltta (Coope-rativa Sete-lagoana de Turismo e Transporte Alternativo). Outros dois estariam em manuteno. A expectativa que outros quatro veculos da frota estejam prestes a ter a vida til legal vencida.A medida foi tomada em cumprimento Lei Municipal 6595, de 28/12/2001. que re-gula o tempo de vida til dos veculos do transporte alterna-tivo, estipulando em oito anos o tempo limite de uso dos nibus. Vencido esse perodo o veculo deve ser substitudo, o que pre-valece tambm para os nibus da rede concessionria conven-cional (Empresa Turi). O secretrio de Trnsito, Caio Valace, garante que a populao no ficar prejudicada pela reti-rada dos veculos do transporte alternativo. A Turi est estudan-do uma forma de suprir a ausn-cia dos veculos do transporte alternativo, de forma a que a po-pulao no fique prejudicada.Valace explica que des-de setembro do ano passado, quando tomou posse como secretrio, foram realizadas vrias reunies com a Cooper-seltta para que providencias-se a substituio dos veculos com vida til vencida. Demos prazo at 31 de dezembro para que fosse feita a renovao da frota porque se estes veculos velhos continuassem circulan-do ameaariam a segurana dos usurios, salientou o se-cretrio. Embora vrias notifi-caes tenham sido feitas pela prefeitura aos permissionrios da Cooperseltta, a maioria dos veculos no foi substituda. De acordo com a Secretaria de Trnsito foram registradas inmeras reclamaes de usu-rios quanto falta de segurana dos micro-nibus, razo pela qual o Poder Pblico Municipal, valendo-se de sua condio de poder concedente, decidiu emi-tir notificaes determinando novo prazo at 29 de fevereiro de 2012 para que os permis-sionrios que ainda no haviam trocado seus veculos o fizessem. Findo o prazo, a Secretaria pas-sou a retirar de circulao todos os veculos fabricados nos anos 2002/2003 e que, em funo de sua antiguidade, no atendem as exigncias legais, pondo em ris-co a segurana dos usurios do transporte coletivo municipal. Segundo Srgio Meireles Moutinho, secretrio-adjunto de Trnsito, essa apreenso defi-nitiva e os permissionrios atin-gidos s podero retomar suas atividades aps a substituio do micro-nibus. A medida foi tomada por questes de segu-rana dos usurios do transpor-te, uma vez que muitos esto em pssimas condies de uso, sa-lienta Moutinho. Os veculos apreendidos foram recolhidos garagem da Cooperseltta e tero que ser substitudos por nibus mais novosTaxistas "invadem" a assembliapolmicaTaxistas de Sete Lagoas re-clamaram, durante audincia pblica na Assembleia de Minas (ALMG), do que classificaram como abuso de fiscalizao realizada pela BHTrans, PMMG e DER sobre motoristas sete--lagoanos que prestam servios no trajeto Sete Lagoas-BH-Sete Lagoas. Apreenso e reboque de veculos, multas que consi-deram extorsivas, perseguies e constrangimento de passagei-ros, que muitas vezes so obri-gados a descer do txi antes da chegada em seu destino, alm de caracterizao do transporte como clandestino foram os principais problemas aponta-dos pelos taxistas que atuam na Regio Metropolitana de Belo Horizonte.A reunio foi promovida pela Comisso de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da ALMG, na ltima tera-feira (28/2), no auditrio da Casa, a pedido do deputado sete-lago-ano Dulio de Castro (PMN). A fiscalizao rgida con-sequncia da aplicao da Lei Estadual 19.445, de 2011, que estabelece normas para coibir o transporte metropolitano e intermunicipal clandestino de passageiros. Porm, conforme Dulio de Castro, a regulamen-tao de txi competncia do municpio e os taxistas que fa-zem parte da Cooperativa dos Transportes de Passageiros de Txi de Sete Lagoas (Coo-perlagos) so regulares, pois possuem alvar da prefeitura para atuar na prestao do ser-vio. Portanto, na avaliao do deputado, alguns artigos da lei invadem a competncia do mu-nicpio.Os taxistas de Sete Lago-as atuam h anos no transpor-te de passageiros para Belo Horizonte e outras cidades da Regio Metropolitana. Em mui-tos casos, no momento da fis-calizao os passageiros so humilhados e o txi multado. A reunio ocorreu exatamente para ouvirmos todos os lados. Houve declaraes fortes acu-sando abuso de poder, como o relato de que a PM teria apontado arma de fogo para passageiros do carro, deta-lhou o deputado. Na tentativa de solucio-nar o problema, Dulio de Castro apresentou requeri-mento no decorrer da audi-ncia, solicitando ao depar-tamento jurdico da ALMG para aperfeioar a lei esta-dual existente, com a finali-dade de proporcionar tran-quilidade aos trabalhadores e o direito ao consumidor de contratar o servio que con-siderar conveniente.Participaram da reunio representantes dos rgos fiscalizadores; o presidente da Cooperlagos, Dalmo Ma-chado; o presidente do Sin-dicato dos Taxistas de Sete Lagoas, Anastcio Tavares; o coordenador do Procon da Assembleia, Marcelo Barbo-sa; o secretrio de Transporte de Sete Lagoas, Caio Valace; e vrios taxistas.CRiS DUARTEGABiNETE DULiO DE CASTRO/DiVULGAOAudincia pblica na Assembleia, realizada a pedido do deputado DuliorpidaSACI A Associao Comercial e in-dustrial de Sete Lagoas (ACi) recebeu na ltima quarta (29) a gerente regional de Construo Civil da Caixa Econmica Fede-ral, Ana Maria Gallimare, que apresentou o projeto Minha Casa Minha Vida 2 a represen-tantes das cidades de Fortuna de Minas, Prudente de Morais e Funilndia. Segundo o presi-dente da Associao, Eduardo Rochole, preciso valorizar o desenvolvimento e investir na qualidade de vida das pessoas.Milho transgnicoA Embrapa realiza de 7 a 9 de maro, em Sete Lagoas, o workshop Milho Transgni-co: Realidade e Perspectivas para o Brasil, para avaliar o cenrio da produo de milho geneticamente modificado no Pas. Durante o evento, espe-cialistas vo avaliar cientifi-camente o processo de intro-duo e de adoo do milho geneticamente modificado no Pas, identificando os atuais e potenciais impactos ambien-tais e socioeconmicos dessa tecnologia. informaes no www.embrapa.br.4 cinoTerapia Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012Por Cris Duarte O co muito mais que o melhor amigo do homem. O animal pode ajudar tambm no tratamento fsico, psquico e emocional de pessoas portado-ras de necessidades especiais. A cinoterapia, tambm chama-da terapia facilitada com ces, vem sendo desenvolvida com sucesso h cinco anos pela As-sociao de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Sete Lagoas. O trabalho feito em parceria com o 25 Batalho da Polcia Militar e tem tido exce-lentes resultados, garantem as entidades.Todo o trabalho com os pa-cientes desenvolvido por uma equipe multidisciplinar forma-da por uma fisioterapeuta, uma terapeuta ocupacional, uma fo-noaudiloga e uma psicloga. O trabalho do soldado da PM que treina os ces para que eles participem corretamente da te-rapia tambm essencial.Atravs do contato com os ces e do comportamento dos animais, os pacientes so motivados e estimulados. Tal aproximao possibilita que o vnculo entre o animal e o pa-ciente se torne mais estreito. Os profissionais abordam as dificuldades apresentadas pelo paciente. Dessa forma, traba-lhado o equilbrio fsico, mental e social das pessoas portadoras de necessidades especiais.Hoje, o projeto atende a 13 pacientes com diferentes diag-nsticos e faixas etrias e j uma referncia em cinoterapia. Os pacientes so encaminha-dos pela prpria instituio pelo setor pedaggico ou ain-da por clnicas de atendimento individualizado. Em princpio, feito um contato inicial do paciente com os animais para verificar a possibilidade do tratamento. Caso o paciente demonstre resistncia ou mes-mo muito medo nesse contato, o tratamento pode se tornar invivel, ressalta a terapeuta Renata Figueiredo.Durante a sesso, que dura em torno de 30 minutos, as espe-cialistas trabalham a socializa-o do paciente, focando vrias reas como coordenao motora e fala. Para a fisioterapeuta Jnia Cunha, o mnimo de evoluo do paciente um ganho enorme. Muitos pacientes, que no res-pondem bem aos outros tipos de tratamento tm um resultado surpreendente, comenta. O soldado Eduardo Almeida Souza participa ativamente de todo o processo, conduzindo os animais durante as solicitaes da equipe. Alm de conduzir os ces s solicitaes das es-pecialistas, meu papel estar atento s reaes do animal. Os ganhos so enormes tanto para os pacientes quanto para ns, profissionais, quando per-cebemos a evoluo com o tra-tamento, afirma.Um dos casos de sucesso na Apae de Sete Lagoas, segundo a equipe, um paciente porta-dor de sndrome de Down que, antes de fazer a cinoterapia, ficou um perodo de cerca de 9 anos com grande dificuldade de socializao e autonomia. Mas, dois anos depois, apresentou melhora na fala, passou a rela-cionar-se melhor com todos, e ainda foi observada pela equi-pe uma reduo da ansiedade, maior autonomia e iniciativa, o que possibilitou a sua alta.muito mais que o melhor amigoCinoterapia: abordagem teraputica envolvendo ces tem resultados de sucesso na ApaeContato com o co estimula o desenvolvimento de crianas portadoras de necessidades especiais, garante grupo multidisciplinar que executa o trabalhoapadrinhe o afeto de uma crianaSete Lagoas possui um centro especializado em equoterapia que utiliza a equitao no tratamen-to teraputico e educacional que utiliza o cavalo como agente pro-motor de ganhos fsicos, psicol-gicos e educacionais, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficincia ou ne-cessidades especiais.Devido falta de recursos fi-nanceiros, vrias crianas esto na fila para receber este tipo de tratamento. O empresrio e a pes-soa fsica que estiverem interes-sados em apadrinh-las podem entrar em contato com Carlos e Ju-liana, pelos telefones: 3026-4668 ou 8613-6100. O Centro de Equitao e Equo-terapia fica no Stio Sap, nas ime-diaes do Bairro iporanga ii.CRiS DUARTECRiS DUARTE5homenagem Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012mulheres da nossa terraSeis personalidades que contribuem para transformar Sete Lagoas em uma cidade cada vez melhorPor Cris DuarteNo se nasce mulher, torna-se. A frase da francesa Simone de Beauvoir, me do feminismo, mostra como a mulher sinnimo de amor, pro ssionalismo, beleza e solidariedade. Com essas caractersticas, muitas mulheres se destacam no dia a dia, com aes que mudam a histria da cidade para melhor. Por aqui, um retrato muito parecido com o resto do pas, elas j representam 52% da populao. Para homenagear as 109.720 sete-lagoanas (dados do iBGE), nesta semana dedicada exclusivamente a elas (um mimo, j que todos os 365 dias so das mulheres), o DOMINGO EM CASA vai contar a histria de seis grandes personalidades do municpio, cujos trabalhos resultaram em melhorias sociais nas reas de sade, educao, cultura, poltica e segurana pblica. uma professora que no se contenta em apenas ensi-nar, mas que se preocupa tambm com os problemas da comunidade escolar. graa rajo se destacou no ambiente educacional pelos vrios projetos que desenvolveu, envolvendo a comunidade como Economia Informal, Am-pliando Horizontes e Para o sonho no h limites, sendo que este ltimo a fez receber o ttulo Educadora Destaque de 2008, concedido pela prefeitura. Graa tambm autora de dois livros voltados para a sade: Como parar de fumar, fruto de uma campanha contra o tabagismo desenvolvida entre seus alunos, e Cncer de Mama Preveno pela Informao, edi-tado aps ela ter recebido diagnstico da doena. Ao longo da minha existncia, aprendi fazer dos limes que a vida me d uma gostosa limonada, ressalta.dedicao e trabalho rduo tambm foram os mo-tivos pelos quais ivone andrade foi a vereadora mais votada na histria da cidade e a primeira mulher a ocupar a funo de presidente da Cmara Municipal de Sete Lagoas. Em 1987, fundou a Facomsel Centro Integrado da Mulher e da Famlia, com o objetivo de desenvolver trabalho de assistncia social, voltado principalmente para as mulheres. A Facomsel atualmen-te mantida com recursos prprios oriundos de parce-rias com profissionais liberais e empresas sete-lagoa-nas, no recebendo qualquer recurso do poder pblico. Sa da poltca, mas no sa do trabalho social. Hoje fao isso com muito mais dedicao, diz.alexandrina Dayrell, conhecida como dona dochinha, a fundadora do Grupo de Convivncia Dona Dochi-nha. Sete-lagoana de corao, ela chegou cidade em 1951 e foi pioneira na divulgao de comportamentos no muito comuns poca, como sustentabilidade, respeito ao meio ambiente e culto vida saudvel. Dona Dochinha ficou viva cedo e conseguiu criar os filhos sozinha, com muito trabalho e dedicao. Ela sempre desenvolveu aes sociais, com ateno especial s senhoras de terceira ida-de. Seus projetos so um marco na histria da cidade. Aos 94 anos, Dona Dochinha acumula prmios como Talentos da Maturidade e Gente que Faz. Tive uma inspirao de Deus para fazer meu trabalho, afirma.em abril de 2011 nasceu em Sete Lagoas o grupo Mu-lheres na Poltica, idealizado por graa almeida. O projeto visa despertar o interesse da mulher pela poltica, visando uma participao mais ativa do eleito-rado feminino. O grupo composto por mulheres de par-tidos diversificados e presidido por Rosani Lopes. Alm de mulheres da cidade, as reunies que acontecem uma vez por ms, tm contado com a presena de mulheres de cidades vizinhas. Graa espera que o grupo tenha pelo menos duas vereadoras eleitas nas prximas eleies. A iniciativa do projeto, por si s, j um grande indicador do aumento da atuao feminina na sociedade sete-lago-ana. Temos tudo mudar a histria da cidade.Terezinha de Jesus Ferreira Soares, de 38 anos, ocupa o cargo de segundo sargento no 25 Bata-lho da Polcia Militar, em Sete Lagoas. uma im-portante, at ento annima cidad, que faz diferena na vida de muitos sete-lagoanos. Ela est na PM h 18 anos. J foi patrulheira, comandante de viatura e esteve em muitas frentes de trabalho pela segurana da cidade. Atualmente, trabalha na seo de planejamento opera-cional. Mesmo em uma instituio onde a grande maio-ria dos membros formada por homens, seu trabalho destacado. A mulher tem prestado, toda populao mineira, servios de qualidade e competncia sem, con-tudo, perder a feminilidade. dona de uma voz marcante e de um carisma nico, paula Fernandes, levou o nome de nossa cidade aos quatro cantos do pas. A cantora nasceu em Sete Lagoas e viveu sua infncia em um stio s margens da serra do cip. Ainda adolescente apresentou um pro-grama de rdio na cidade chamado Criana Esperan-a, alm de se apresentar em festas e casas de shows. Hoje Paula Fernandes conquistou milhares de fs em todo o Brasil. A menina da Terra dos Lagos Encantados segue cantando e encantando multides por onde passa e enchendo de orgulho sua terra natal. importante preservar a essncia pura do amor. Esse um dos meus objetivos enquanto mulher.FOTOS DiVULGAO6 cidade e regio Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012Aprimoramento do ensino estadualO Governo de Minas lanou re-centemente a segunda fase do Pro-grama de Interveno Pedaggica. Gostaria que o senhor explicasse como funciona este programa e qual o objetivo principal. Antonio Anastasia: O Programa de interveno Pedaggica revo-lucionrio, muito importante. Ns comeamos em 2007, nos primeiros quatro anos do ensino fundamental. Atravs desse programa, com a ida de professores especialistas a todas as escolas que tinham essas sries de aulas, ns conseguimos melhorar e melhorar muito o grau de leitu-ra dos alunos, de compreenso dos textos e tambm de proficincia em matemtica. Ento, houve um avan-o expressivo dos alunos at o quarto ano do ensino fundamental em razo deste programa que, repito, trata-se de visitas de professores especialis-tas s salas de aulas, identificando as necessidades de aprimoramento, identificando necessidades de quali-ficao dos professores, dando mais suporte aos professores, vendo com os alunos onde estavam, ali, as difi-culdades maiores. Ento, feito um acompanhamento muito firme ao lado dessas escolas, dos professores e da direo. E percebemos que foi to bem sucedida esta primeira fase do chamado PiP, que ns estamos lanando, agora, a segunda etapa: o Programa de interveno Pedaggi-ca ii, destinado aos ltimos anos do ensino fundamental, os cinco ltimos anos. Ento, neste caso, ns teremos 500 professores especialistas que vo percorrer o Estado todo.Qual a abrangncia deste pro-grama?Antonio Anastasia: Exatamente, so 500 professores, como eu men-cionava, que correm as quase trs mil escolas que tm ensino fundamen-tal, mais de duas mil e oitocentas, investimentos de cerca de R$ 80 milhes, mas, mais importante, um programa que est universalizado. Aonde houver ensino fundamental, do primeiro ao 9 ano, ns teremos ao, tanto do Programa de inter-veno Pedaggica fase i ou fase ii, melhorando muito a qualidade dos resultados dos alunos, no s em ma-temtica e lngua portuguesa, mas tambm em histria, geografia e nas cincias. O objetivo, agora, esten-der, portanto, este programa a outras reas do conhecimento, melhorando a qualidade dos nossos alunos que vo ingressar no ensino mdio e dando, inclusive agora, com a ajuda da Magistra, que a nova escola que lanamos para aperfeioamento dos professores, cursos de qualificao e de aperfeioamento e melhorias dos nossos profissionais que, claro, me-recem uma reciclagem permanente, porque todos ns temos cada vez mais a necessidade de evoluirmos na nossa carreira e nos nossos esforos. Ento, um programa que est muito bem casado dentro das prioridades do governo a favor da educao. Uma das maneiras de se ates-tar estes resultados em relao ao rendimento dos alunos. Pela quinta vez os alunos da rede estadual de Minas conquistaram a Olimpadas Brasileiras de Matemtica, que um reconhecimento nacional. Esse dado atesta que a educao pblica estadu-al de Minas continua sendo referncia para todo o pas?Antonio Anastasia: No h dvi-da e ficamos muito orgulhosos com os estudantes mineiros, graas ao seu esforo, graas aos seus profes-sores, comunidade escolar como um todo e tambm s famlias, terem apresentado resultados excelentes. No s a conquista continuada dos melhores lugares nas Olimpadas de Matemtica, o que muito nos honra, mas, tambm, indicadores muito bons no ideb (ndice de Desenvol-vimento da Educao Bsica), que feito pelo governo federal: o primeiro lugar, entre todos os Estados, nos pri-meiros quatro anos, o terceiro lugar no ensino mdio e, nos ltimos anos, no ensino fundamental. Queremos aprimorar ainda mais e, para isso, temos outras formas de avaliao, como o Proalfa (Programa de Ava-liao da Alfabetizao), feito em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora, que mede o grau da capacidade de leitura dos alunos e que vem melhorando muito ao longo dos ltimos anos. Portanto, todos os resultados so extremamente positi-vos e vamos continuar nessa mesma luta, aprimorando cada vez mais.Antonio AnastasiaGovernador de Minas GeraisrpidaSSaaeDesde a meia-noite deste domingo (04/3), ser iniciado o quarto teste de longa durao para o Estudo Hidrogeolgico do Saae. Para isso, ser interrompido o abastecimento de gua por aproximadamente 60 horas nos seguintes bairros: Alto Co-queiral, Flrida, iporanga i e ii, Maria Amlia, Mata Grande, Novo Horizon-te, Padre Teodoro i e ii, Recanto do Cedro, Santa Rosa, So Cristvo ii, Vale das Palmeiras ii e Vrzea. Para a realizao do trabalho, o trnsito pre-cisar ser impedido na manh deste sbado, dia 03, na rua Doutor Avelar, 276 (ligao de gua), com previso de impedimento entre 13h e 17h. Imvel Legal chega ao ItapoOs moradores do bairro itapa receberam na ltima tera-fei-ra (28/2) os tcnicos do Pro-grama Municipal de Regulari-zao Fundiria imvel Legal, que orientaram sobre os do-cumentos necessrios para se inscreverem e regularizarem seus imveis. As despesas de registro dos que no tiverem como arcar com as custas so bancadas pela Prefeitura Mu-nicipal. O Programa imvel Le-gal j esteve nos bairros Santa Luzia, Luxemburgo e Orozimbo Macedo. Depois do itapo ser a vez dos moradores dos bair-ros Aeroporto, Funcionrios e Belo Vale. A expectativa de que cerca de 7 mil famlias se-jam beneficiadas e tenham re-solvidas todas as pendncias antigas em relao ao registro dos seus imveis. Sai minizoolgico, entra orquidrioCom o fim das atividades como minizoolgico da Boa Vista, o local que abrigava animais de diversas espcies ser transformado em breve num centro ambiental para a produo de mudas, reali-zao de palestras e visitas guiadas de escolas da rede municipal. No local dever se instalado ainda um orqui-drio. Operrios trabalham para descaracterizao do local como zoolgico para que se iniciem as adequa-es para a nova atividade.O secretrio de Meio Am-biente, Cludio Figueiredo, explica que os alambrados e os viveiros esto sendo reti-rados para que sejam adap-tados para aproveitamento pelo centro de educao am-biental. uma exigncia do ibama. Concluda essa pri-meira etapa, o ibama aprova a obra para a Prefeitura con-tinuar a nova adequao. O minizoolgico teve suas atividades encerradas no final de 2011 aps entendi-mentos entre ibama e Se-cretaria Municipal de Meio Ambiente. A concluso, aps anli-ses de especialistas, que local sujeito a movimentao de veculos e excesso de ru-dos, alm da iluminao arti-ficial predominante no local, no era adequado para as es-pcies ali instaladas. QUiN DRUMMOND/ASCOMAs obras no bairro Boa Vista so coordenadas pela Secretaria de Meio AmbienteTrem 1Aps a publicao, pela imprensa de Belo Horizonte, da informao sobre o servio de trem metropolitano que beneficiaria Sete Lagoas, o secretrio municipal de Trnsito e Transportes Urbanos, Caio Valace, confirmou que a Seltrans est trabalhando em conjunto com a Agncia de Desen-volvimento da Regio Metropolitana de Belo Horizonte para possibilitar o transporte de passageiros por meio ferrovirio entre Sete Lagoas e BH. O servio utilizaria a malha ferroviria j existente e permitiria transbordos rodovirios de rpido acesso para acesso ao Aeroporto internacional de Confins e Cidade Administrativa. Turismo Sete Lagoas a segunda cidade do pas a primeira foi Goinia a elaborar e apresentar seu Plano de Desenvolvimento Eco-nmico e Turismo (PDtur), de-senvolvido com a participao de vrios segmentos do setor. A empresa contratada para im-plementar o plano a Memria Arquitetura para implementar o plano. O PDtur foi elaborado a partir de pesquisas e entre-vistas de campo com a comuni-dade e nortear as aes do tu-rismo na cidade at 2020. So 200 pginas com 81 aes que visam posicionar Sete Lagoas como plo turstico. O plano vai absorver, nos prximos oito anos, recursos da ordem de R$ 45 milhes, dos quais cerca de R$ 38 milhes sero destina-dos construo de um centro de convenes. Trem 2 De acordo com Caio Valace o transporte ferrovirio de passa-geiros s ser vivel se o tempo de viagem, conforto e tarifa fo-rem competitivos com os meios atualmente disponveis para os sete-lagoanos. Ainda que o pro-jeto seja viabilizado, o sistema serviria como reforo em oferta e opo de transporte. A Seltrans tambm sugere com algumas in-dstrias para que as locomotivas e vages de passageiros sejam fa-bricados em Sete Lagoas, consoli-dando o plo ferrovirio iniciado com a instalao da fbrica de locomotivas da Caterpillar. Cadastro nico 1Pesquisas do instituto de Pes-quisa Econmica Aplicada (ipea) indicam que aproximadamente 3.000 famlias sete-lagoanas preenchem os requisitos do Ca-dastro nico (Cadnico) que identifica e caracteriza as fam-lias com renda mensal de at meio salrio mnimo por pessoa ou de trs salrios mnimos no total mas no esto cadastra-das no programa. O banco de dados do Cadnico subsidia os programas sociais, inclusive o Bolsa Famlia. Em Sete Lagoas mais de 15 mil famlias j esto inscritas. A Secretaria de Assis-tncia Social, esclarece que as famlias que se enquadram no perfil devem procurar o Centro de Atendimento a Assistncia Social (CAAS) (rua Floriano Pei-xoto, 240, centro) e fazer o seu cadastro. 7cidade e regio Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012Conversa com a PresidentaO seu governo pensa em fazer campanhas educativas para reduzir as mortes em acidentes de trnsito? (Adalberto Luz, 48 anos, bilogo em Florianpolis (SC) Presidenta Dilma Ns temos desenvolvido campanhas e intensi-ficado a fiscalizao, e os resultados esto aparecendo. No Carnaval deste ano, por exemplo, o nmero de mor-tos foi 18,5% menor que no do ano passado e o de acidentes caiu 22,5%, apesar do aumento da frota em circu-lao. Esses nmeros so resultantes da operao Rodovida. Estamos tam-bm implementando o Parada Pac-to Nacional pela Reduo de Aciden-tes, com aes de conscientizao e campanhas educativas. Depois do incio do Parada, em maio de 2011, os feriados apresentaram reduo do nmero de bitos em relao aos de 2010: Corpus Christi, reduo de 35%; Proclamao da Repblica, 27%; Natal, 20%; e Ano Novo, 44%. O Parada a resposta brasileira iniciativa da ONU, de proclamar 2011 a 2020 como a Dcada de Aes de Segurana no Trnsito. Mas o nme-ro de acidentes e vtimas ainda alto. Temos, governos e sociedade, que manter um esforo permanente, com campanhas, fiscalizao e mudanas de atitude, para reduzir o nmero de acidentes e de vtimas.Pira (RJ) teve incentivo para ins-talar uma Cidade Digital e beneficiar alunos e professores. O projeto che-gar a outras cidades? (Benedito A. dos Santos, 18 anos, estudante em Volta Redonda (RJ)Presidenta Dilma Sim, Bene-dito, visando ampliar os programas de incluso digital, vamos lanar, por exemplo, no ms de maro, o Projeto Piloto de Cidades Digitais em 80 municpios. O objetivo permitir que a populao possa se conectar internet de forma gratuita em locais pblicos, como praas e rodovi-rias. As prefeituras podero oferecer acesso aos seus servios pela rede mundial, incluindo a marcao de consultas. At 2011, 58.754 escolas j estavam conectadas por banda larga internet. Em Pira e em 4 ou-tras cidades foi implementado em 2008 o programa Um Computador por Aluno (UCA), que comeou como experincia. Na segunda fase, foram adquiridos 150 mil computadores para professores e estudantes de 380 escolas. Em 2010, o projeto evoluiu para o Programa Um Compu-tador por Aluno (Prouca), em que os municpios podem adquirir compu-tadores para suas escolas de empre-sa selecionada por prego eletrnico realizado pelo Fundo Nacional de De-senvolvimento da Educao (FNDE). O governo coloca disposio dos municpios linha especial de crdito do BNDES. Qualquer estado ou mu-nicpio pode se habilitar. O crack est se alastrando como erva daninha. D para derrotar essa praga? (isadora M. Bueno, 42 anos, professora em So Paulo (SP)Presidenta Dilma Sim, isadora, d para derrotar essa praga, como voc bem disse, que ameaa sobre-tudo o futuro dos nossos jovens. Tanto que lanamos, em dezembro, o plano Crack, possvel vencer. Es-tados e municpios j podem apre-sentar projetos para terem acesso aos R$ 2,1 bilhes destinados ao plano at 2014. Para tratamento de usurios de crack e de outras dro-gas, inclusive lcool, sero abertos pelo SUS 13.614 leitos. Teremos ainda 308 consultrios de rua, com mdicos, enfermeiros e tcnicos de enfermagem nos locais de maior concentrao de usurios. Vamos investir tambm fortemente na pre-veno. Planejamos capacitar, em 42 mil escolas pblicas, 210 mil edu-cadores e 3.300 policiais militares que atuam no Programa Educacio-nal de Resistncia s Drogas (Pro-erd). Contrataremos 2 mil policiais. Repassaremos recursos a Estados e municpios para que faam policia-mento ostensivo. Para mais informa-es, basta acessar www.brasil.gov.br/enfrentandoocrack ou ligar para o VivaVoz (nmero 132 ou 0800-510 0015), servio sigiloso e gratuito.Dilma Rousse PresidentaMande sua pegunta para Dilma Rousseff pelo e-mail perguntapradilma@domingoemcasa.com.brPresidente da legenda diz que pr-candidato j pode negociar coligaes para eleio de 2012O ex-prefeito Mcio Reis pr-candidato do PMDB elei-o de outubro. A deciso foi tomada em reunio do diret-rio municipal peemedebista ocorrida na ltima quinta-feira (1/3). O presidente do PMDB sete-lagoano, Edson Paredo, destacou a tradio poltica do partido, que elegeu o maior nmero de prefeitos da cidade ao longo da histria, lembran-do que apenas nos pleitos em que saram vitoriosos o atual prefeito Mrio Mrcio Maroca, Alberto Moura e Marcelo Cec (primeiro mandato) o partido no participou do processo eleitoral no municpio.Num tom claramente elei-toral, o presidente da legenda enalteceu as atuaes peeme-debistas e exortou os correli-gionrios a apresentarem um nome para o pleito de outubro prximo. Segundo Paredo, que chegou a ser lanado como pretenso candidato a prefeito h algum tempo, seu nome foi apresentado como estratgia poltica para manter o partido na mdia e viabilizar uma even-tual futura candidatura, o que agora se concretiza. Paredo lanou, ento, M-cio Reis, a quem atribuiu ha-bilidade de aglutinao de par-tidos, pessoas e ideias, como o melhor candidato capaz de conduzir o PMDB a uma aliana com reais chances de vitria. Mcio Reis advertiu para o risco de campanha extempo-rnea o lanamento agora de seu nome, mas, confirmando o carter poltico-eleitoral do encontro, acabou cedendo e aceitando a indicao como pr-candidato diante do aval do PMDB, acrescentando que a partir dali comearia a pro-curar os dirigentes partidrios para conversaes visando o estabelecimento de alianas para a eleio de 2012. Reis se prontificou a procurar, inclusi-ve, outros pr-candidatos j co-locados, antes mesmo de con-versar com os dirigentes dos partidos aos quais pertencem. O pr-candidato peemede-bista lembrou tambm da ne-cessidade de iniciar a discus-so de um plano de governo, pois, segundo ele, os planeja-mentos tem que levar em con-siderao as ideias e no ser feitos de forma personalista. indagando sobre possveis impedimentos legais sua can-pmdB confi rma mcio didatura, Reis afirmou que uma pessoa prudente e que no se aventuraria a disputar um pleito se tivesse qualquer ame-aa a um possvel futuro man-dato. O pr-candidato no se esquivou de responder tambm sobre a situao atual de sua Empresa Marialva Construtora, acusada de irregularidades que poderiam impedir sua candida-tura. Mcio Reis informou que no concordava com a condu-o dada ao processo pelo Ad-ministrador Judicial, muito me-nos a do juiz que atua no caso. Assegurou que o montante em demanda judicial no utrapas-sa R$ 3 milhes, ao passo que o crdito da empresa, de acordo com ele, supera a casa dos R$ 80 milhes.Em relao ao leilo dos bens imobilirios na cidade pertencentes ao Grupo Ma-rialva Construtora, incluindo o Shopping Lagoa ainda no inaugurado, Mcio Reis de-clarou estar indignado com a situao. Temos um crdito lquido, certo e exigvel junto NBS Shopping, que atua em Blumenal (SC). Seria melhor que eles buscassem esse re-curso para pagar os credores e no outros. Tudo demonstra ser (o empreendimento) alvo de perseguio poltica. Alis, comportamento judicial que impediu o funcionamento de um empreendimento que gera-ria 600 empregos diretos e que seria responsvel pelo reaque-cimento da economia da rea central da cidade, afirmou ele. Mcio Reis (ao centro) foi anunciado como pr-candidato durante reunio do partido em Sete LagoasDiRiO BOCA DO POVO8 curioSidade Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012a origem do Jeca TatuProblemas sociais e sanitrios in uenciaram a criao do personagem de Monteiro LobatoPor Ana PalmaAgncia invivo/Fundao Osvaldo CruzProlongamento das campanhas sa-nitrias, as expedies cientficas do ins-tituto Oswaldo Cruz, no incio do sculo 20, permitiram um maior conhecimento das molstias que assolavam o pas e possibilitaram a ocupao e a integra-o do interior brasileiro. O Brasil um pas doente, diziam os pesquisadores de Manguinhos. E provavam. O retrato sem retoques da misria, da desnutri-o e das molstias de nosso povo vinha jogar por terra o idealismo romntico de nossos intelectuais, influenciando o mo-vimento realista que surgia.Essa influncia se fez sentir em maior grau em Monteiro Lobato. Seu contato com as pesquisas de Mangui-nhos, principalmente os trabalhos de Belisrio Pena e Arthur Neiva, levaram o criador de Emlia a alterar completamen-te a concepo de um de seus famosos personagens, o Jeca Tatu, e engajar-se numa campanha pelo saneamento do pas: O Jeca no assim: est assim.Jovem promotor mal remune-rado, Monteiro Lobato resolveu torna-se fazendeiro ao herdar ter-ras de seu av. Em fins de 1941, uma seca terrvel assolava a regio. O problema era agravado pelas queimadas. Lobato, indignado, descobriu que no podia punir os incendirios, pois eleitor da roa, naqueles tempos, em paga da fide-lidade partidria, gozava do direi-to de queimar o mato prprio e o alheio. indignou-se contra os je-cas tatus e escreveu vrios artigos para o jornal O Estado de S. Paulo. Mas a convivncia com Arthur Neiva, Belisrio Pena e outros pesqui-sadores e a leitura do livro de Pena, "O saneamento do Brasil," j haviam levado Lobato a rever totalmente sua concepo de caboclo. E no prefcio quarta edio de Urups, ainda em 1918, penitenciou-se:Eu ignorava que eras assim, meu caro Jeca, por motivo de doen-as tremendas. Est provado que tens no sangue e nas tripas todo um jardim zoolgico da pior espcie. essa bicharia cruel que te faz papudo, feio, molenga, inerte.Lobato no parou por a. indignado com a situao do pas, lanou-se numa vigorosa campanha jornalstica em favor do saneamento. Denunciou, sem medir as palavras, a realidade nacional: O Brasil o pas mais rico do mundo, diz com entono o Pangloss indgena. Em parasitos hematfogos transmissores de molstias letais - conclue Manguinhos. E apresentava as estatsticas: 17 milhes com ancilostomose, trs milhes com Chagas, dez milhes com malria. O vu foi levantado. O microscpio falou.investiu contra os falsos patrio-tas que o criticaram por expor nossa misria. Associou a questo sanitria economia do pas. S a alta cres-cente do ndice de sade coletiva tra-r a soluo do problema econmi-co... No fazer isto morrer na lenta asfixia da absoro estrangeira.Criticou os bacharis e polticos, a quem denominou com ironia de Triatoma bacalaureatus, atribuindo--lhes a situao catica do Brasil. Censurou o descaso de nossas eli-tes: Legies de criancinhas morrem como bichos de fome e verminose. Ns abrimos subscries para restau-rar bibliotecas belgas. impressionante a atualidade de algumas de suas crticas. Lobato denun-ciou fraudes nos produtos consumidos pela populao. E ironizou os poucos recursos concedidos sade pblica, lembrando que enquanto se gastava 123 mil contos no Teatro Municipal e 13 mil na exposio Pena ("100 anos da Abertura dos Portos"), oferecia-se apenas mil a Belisrio Pena.Sempre cabem 50 ris para cada duodeno afetado. Esta quantia, reduzida a timol, d para matar pelo menos uma dzia de ancilstomos dos trs milheiros que, em mdia, cada doente traz con-sigo. Os 2.988 ancilstomos restantes ficaro aguardando verba.E elogiava Manguinhos: S de l que tem vindo e s de l h de vir a ver-dade que salva e vence...A campanha de Lobato acabou for-ando o governo a dar ateno ao pro-blema sanitrio. Criou-se uma campa-nha de saneamento em So Paulo, sob o comando de Arthur Neiva. O cdigo sanitrio foi remodelado, transformado em lei. E o escritor reuniu seus artigos so-bre a questo no livro "O problema vital".Mas Lobato achava necessrio no mobilizar apenas as elites, mas alertar e educar o povo, principal vti-ma da falta de saneamento. Escreveu ento "Jeca Tatu - a ressurreio". O conto, mais conhecido como "Jeca Tatuzinho", serviu de inspirao para uma histria em quadrinhos bastan-te popular, que foi divulgada em todo pas atravs do Almanaque do Biot-nico Fontoura: Jeca, considerado pre-guioso, bbado e idiota por todos, descobria que sofria de amarelo. Tratava-se. E transformava-se em um fazendeiro rico. Quero mostrar a essa paulama quanto vale um homem que tomou remdio de Nh Cincia, que usa botina cantadeira e no bebe um s mar-telinho de aguardente.RECORD/DiVULGAO REPRODUO ALMANAQUE BiOTNiCO FONTOURArpidaSExrcito se defendePara assegurar a defesa de sites institu-cionais contra grupos como Anonymous e LulzSec, o Exrcito brasileiro anunciou a compra de antivrus e um software de simulao de ataques cibernticos. O simulador servir para o treinamento de oficiais para possveis ataques de hackers. Os dois programas sero de-senvolvidos pelas brasileiras Decatron e BluePex. O simulador custar R$ 5,1 milhes e o antivrus, R$ 800 mil. Galaxy TabA Samsung promete lanar a segunda verso do Galaxy Tab, em maro, no Rei-no Unido. O novo tablet vem mais poten-te, com sistema Android 4.0 (a primeira verso vinha com Android 2.2), funo Face Unlock, que permite desbloqueio por reconhecimento facial. Alm de per-mitir a leitura de livros e revistas, ele ain-da vem com processador Dual-Core de 1GHz, 1 GB de memria RAM, cmera tra-seira de 3 megapixels e cmera frontal .Knect para WindowsA Microsoft lanou o Kinect, ago-ra, para Windows. O dispositi-vo, que estreou no game Xbox, possibilita que o usurio jogue qualquer game sem usar con-troles manuais. Como vrios de-senvolvedores tentaram copiar o sensor do Kinect para outros fins, como na medicina e robti-ca, a empresa est correndo para recuperar o mercado. REPRODUO 9TeleViSo Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012Alexandre Barillari compara guerreiro que vive em Rei Davi com a carreiraPor Mariana TrigoTV Press Arquiteto por formao e um leitor vido, este carioca Alexandre Barillari assegura que sempre seguiu risca um conselho de sua me: Saber no ocupa espao. Assim, o ator carioca nunca restrin-giu-se apenas atuao. E foi dessa forma que o ator con-seguiu driblar os pais, que queriam que ele fosse gene-ral do Exrcito. Por isso Ba-rillari chegou a manter uma vida dupla e estudar Teatro escondido. E, dessa forma, conseguiu seguir a profisso at estrear na tev como o Antnio, de Salsa e Meren-gue, em 1996. De l para c, seus personagens quase sempre valorizaram seu bio-tipo atltico. Principalmen-te Urias, seu papel de maior destaque na Record. Para vi-ver o guerreiro e general do exrcito do rei de israel, na minissrie Rei Davi, o ator experimentou uma imerso histrica por meses. Alm dos workshops proporciona-dos pela emissora e de todo o preparo pessoal, Barillari fez questo de analisar os conflitos de Urias sob o pon-Em 1995, o ator cursou a O cina de Atores da TV Globo; no ano seguinte, se formou em arquitetura pela UFRJLUiZA DANTAS/CARTA Z NOTCiAS Alexandre Barillari j participou de dois programas danantes na tev. J concorreu no quadro Dana dos Famosos, no Domingo do Fausto, e no Bailando por um Sonho, no SBT. Barillari escreveu o romance Um Mar Sem Norte, inspirado na perda da av materna. O livro ainda no foi publicado. Em 1994, Barillari passou oito meses na inglaterra trabalhando como professor de ingls.instantneasBravura indmitato de vista de quem vivia no Sculo 10 a. C. O mais difcil o distanciamento da nossa realidade. As certezas sobre aquela poca so poucas e as fontes nem sempre so con-fiveis. A palavra desse tra-balho tem sido a contextuali-dade. No d para confundir esse guerreiro com um corno banal, alerta.Na verdade, o personagem de Barillari vai ser trado pelo seu chefe e mestre, o Rei Davi, de Leonardo Brcio. Enquanto Urias se desloca em frequen-tes batalhas para ocupar o territrio de israel, acaba dei-xando sua mulher Bate-Seba, interpretada por Renata Do-minguez, sozinha por meses a fio. Com isso, aps um en-contro casual, Davi se apai-xona por ela e faz um filho na mulher de Urias. Desleal, Davi ainda pede que Urias passe um tempo em casa e com sua mulher como merecimento de seu trabalho. Na verdade, s pretende no levar a culpa por ser o pai do filho bastardo. Mas Urias no aceita. Furioso, Davi ordena que Urias v para a frente da batalha. O impulso do Rei causa a morte de seu fiel general: Urias morre com uma flechada e uma espada fincada no peito. Como casti-go divino, o filho de Davi e de Bate-Seba nasce morto. isso tudo causa o declnio do rei-nado de Davi. Era normal os homens passarem muito tem-po distantes. A espada era mais importante que a mulher naquela poca. Mas Bate-Seba era frente de seu tempo e quis o amor romntico, do S-culo 19, que Urias no poderia dar a ela, analisa.Para se acostumar aos pensamentos e hbitos de mais de 1000 anos a.C., Ba-rillari recorreu muita lei-tura, pesquisou a Histria do povo hebreu e, principal-mente, se dedicou s aulas de luta. Por ser um forte com-batente do exrcito de Davi, Urias sempre aparece em lu-tas, que so coreografadas por semanas pela equipe de preparao do elenco. No poderia vacilar na espada. Alm disso, o Urias era um homem de poucas palavras, lacnico e muito srio. Tive de me concentrar no olhar dessa poca, explica o ator.Mesmo com tanto preparo histrico para Urias, o pa-pel que Alexandre considera como o mais emblemtico de sua carreira foi o temido vi-lo Guto, de Alma Gmea, da Globo. O personagem ma-tava a protagonista Luna, de Liliana Castro, no primeiro captulo da histria de Walcyr Carrasco. Depois, terminava a trama sendo recebido no cu pelos braos de Nossa Se-nhora. Tem papis que no nos levam a lugar nenhum, mas o Guto foi o que teve o maior arco de transformao, o mais difcil at hoje. Com ele, o Mrio Lcio Vaz (en-to diretor geral artstico da Globo), pediu que eu ficasse irreconhecvel neste papel, orgulha-se.gaSTronomiao prato mais badalado da TV brasileirarocambole de goiabaMassa:4 claras4 gemas2 xcaras de acar2 xcaras de farinha1 xcara de leite fervendo 3 xcaras de goiabada1 xcara de gua3 goiabas fatiadasingredientesmodo de preparoReceita divulgada pelo programa Hoje em Dia, da Record RECORD/DiVULGAONuma panela, colocar a goiabada e a gua. Aquecer em fogo baixo at que a goiabada dissolver. Reservar a massa numa batedeira, bater as claras em neve. Acrescentar as gemas e depois o acar. Desligar a batedeira e batendo na mo, adicionar a farinha e depois o leite. Colocar numa forma grande forrada com papel manteiga. Assar por 15 minutos em forno baixo pr aquecido. Assim que tirar a massa do forno, colocar sobre um pano mido e salpicado de acar. Passar o recheio morno e enrolar. Deixar esfriar e depois cortar em anis.10 enTreTenimenTo/horScopo Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012 O bbado entrou na contramo e imediatamente foi parado pelo guarda.-Onde e que o senhor pensa que vai? - pergunta o policial-Bem. . . eu tava indo pra uma festa, mas parece que ela j acabou... Ta todo mundo voltando!!!horscopoBriS por dukecruzadas diretasSentir necessidade de novidades, deixando-o muito agitado. Procure se concentrar nos ob-jetivos atuais e confiar, que o que deseja ainda vai acontecer. Tambm tente dar espao ao seu parceiro e no pense que cada amizade pode ser uma ameaa sua relao.gmeos21/5 a 20/6Os cancerianos tero uma semana positiva, sendo que, aps muita dedicao, o que so-nhava vai acontecer. Deve comear a fazer no-vos planos para o seu futuro. Disponha mais tempo para ouvir e receber os conselhos do seu parceiro. Acredite e invista mais no amor.cner21/6 a 217Boa fase para pensar e tratar de si. Os tempos de lazer podem ser bem aproveitados e, so-bretudo, busque recuperar energias gastas em situaes anteriores. O equilbrio no seu relacionamento ser o suficiente e esta sema-na no haver espao para conflitos.ries21/3 a 20/4Semana mais descontrada, mas no confunda descontrao com esquecimentos, de forma a no sair prejudicado em nada. Tente estar mais na companhia dos seus amigos. Estar muito unido ao seu parceiro neste perodo, e caso esteja sozinho poder iniciar um novo relacionamento.Touro21/4 a 20/5No uma boa semana para fazer inovaes, mas sim para planejar com segurana os passos seguintes. No setor sentimental vai encontrar uma boa soluo para resolver em definitivo al-gumas divergncias que prejudicavam a sua re-lao. Aproveite os tempos de paz que se viro.leo22/7 a 22/8Perodo em que ter de fazer alteraes sua rotina, mas no encare isso de forma negativa, pois ser melhor para voc. Sua relao pode ser afetada pelas mudanas, mas chegar conclu-so de que existem situaes e comportamen-tos que no devem continuar.Virgem23/8 a 23/9Poder se deparar com situaes novas e que vo pedir decises imediatas. Procure confiar no seu instinto e mostre atitude, as mudanas sero positivas. Poder tambm passar por momentos fortes e emocionantes, que serviro para aumentar a segurana da sua relao.libra23/9 a 23/10Os escorpianos podero encontrar novos rumos para suas vidas, podendo acontecer mudanas importantes e h muito esperadas. Um pouco de insegurana durante a semana, mas apenas temporariamente. Disponibilize algum tempo para os seus familiares.escorpio23/10 a 21/11Energias fortes e vigorosas, o que permiti-r uma vida com mais alegria. A sua auto--confiana tende a aumentar com base nos resultados positivos do seu trabalho. Seu re-lacionamento dever ficar ainda mais forte aps esta semana.Sagitrio22/11 a 21/12Haver muita disposio para tomar de-cises e melhorar a sua vida, mas os ca-pricornianos devero saber dividir o seu tempo para no se esquecer das pessoas ao seu redor. Poder passar por um pe-rodo de reflexo sobre a vida particular.capricrnio22/12 a 20/1Fase bastante favorvel, principalmente para os que vo se lanar em situaes novas. Acredite em voc e d o seu melhor, pois tudo tende a correr como deseja. Pessoas deste signo estaro meigas e a estabilidade ser uma constante. Tente manter esta energias.aqurio21/1 a 19/2Semana com energias fortes e vigorosas. Po-der ter muitas incertezas quando se fala do campo sentimental, sendo que voc poder ter que tomar algumas atitudes com relao ao relacionamento. A no ser que esteja sol-teiro, a tudo correr bem.peixes20/2 a 20/3Fonte: www.portalangels.comSe dirigir, no beba15enTreTenimenTo Domingo em Casa 7 a 13 De agosto De 2011 11agiTo culTural Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012Anjos da Noite 4Classificao 16 anos Aps acordar de um coma de mais de 10 anos, Selene v que o mundo mudou muito desde que "apagou". Os humanos descobriram a existncia dos vampiros e lobisomens e passaram a caar essas raas. No meio da eterna disputa, descobre que possui uma filha adolescente que metade vampira e metade lobisomem, que precisar de sua ajuda.Cineplex 1 14h45 16h45 18h45 20h45 (LEG)A Inveno de Hugo CabretClassificao Livre - Paris, anos 30. Hugo Cabret um rfo que vive escondido nas paredes da estao de trem. Ele guarda consigo um rob quebrado, deixado por seu pai. Um dia, ao fugir do inspetor, ele conhece isabelle, uma jovem com quem faz amizade. Logo Hugo descobre que ela tem uma chave com o fecho em forma de corao, exatamente do mesmo tamanho da fechadura existente no rob. O rob volta ento a funcionar, levando a dupla a tentar resolver um mistrio mgico.Cineplex 4 20h50 (DUB)A Mulher de PretoClassificao 14 anos - Arthur um jovem advogado contratado para cuidar dos negcios de um cliente e, para isso, teve que se dirigir para um pequeno vilarejo com o intuito de regularizar documentos. Hospedado em uma casa isolada, ele passa a ter vises sinistras e acaba se envolvendo numa trama de vingana.Cineplex 4 14h50 - 16h50 - 18h50 (LEG) Cada um tem a gmea que mereceClassificao 12 anosCineplex 2 15h 17h 19h 21h (LEG)Motoqueiro Fatasma 2 Classificao 12 anosCineplex 3D 15h10 17h10 (DUB) - 19h10 21h10 (LEG)cinemaPreosCineplex Shopping Sete LagoasRua Otvio Campelo Ribeiro, 2801,EldoradoPreos: Segunda a quinta R$ 8(inteira) R$ 4 (meia)Tera maluca - R$ 5 (inteira) R$ 2,50 (meia)Sexta a Domingo/Feriado R$12 (inteira)R$ 6 (meia)ingresso 3D Segunda a Quinta R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia)Sexta a Doming/Feriado R$16 (inteira)R$ 8 (meia)humberto gessinger se apresenta sexta-feirapouca Vogal J esto venda os ingressos do show do Pouca Vogal, grupo formado pelos gachos Huberto Gessinger (Engenheiros do Hawa) e Duca Leindecker (Cidado Quem). O evento acontece na prxima sexta, dia 9, no Estao Brasil, que fica na rua Pedra Grande, 2.543, no bairro Universitrio. As entradas custam R$ 30 para quem quer ir de pista, enquanto na rea Vip o 1 lote do ingresso sai por R$ 50 e o 2 por R$ 60. A casa tambm contar com um camarote open bar, no valor de R$ 90 (1 lote), R$ 100 (2 lote) e R$ 120 (3 lote). Quem estiver interessado em mais informaes pode entrar em contato pelo telefone (31) 3773-4223.Bingo beneficente exposio "mulheres"Acontece no prximo dia 11, domingo, o bingo beneficente em prol do Moambique Nossa Senhora da Conceio, na igreja Santa Luzia. O objetivo do evento arrecadar fundos para as atividades do grupo no decorrer do ano de 2012. Para quem no conhece e est interessado nas aes do grupo, elas acontecem na Parquia Santa Luzia, que fica na rua Nestor Foscolo, 579, no bairro Santa Luzia. O bingo comear a partir das 14h e a entrada tem o valor de R$ 10 e ser vlida por cinco rodadas do jogo. Em cada rodada, o prmio oferecido ser de R$ 500. Mais informaes pelos telefone (31) 3772-9888 e (31) 3771-9859.capoeiraO Centro Cultural Nh Quim Drummond, o Casaro, buscando valorizar o ser humano e a arte, disponibiliza agora o seu espao para a arte da Capoeira. As aulas acontecero s quintas-feiras, de 18h30 s 20h, e sero dadas pelo mestre Adney Pereira, o Marinheiro. Ele trabalha com a capoeira desde 1990, tendo passado tambm pelas cidades de Curvelo e BH. Foram disponibilizadas 30 vagas, sendo que os interessados devem ter mais de 12 anos. Os interessados devem ir no Casaro, que fica na praa Tiradentes, ou com Mestre Marinheiro pelo telefone 9919-2242.Em comemorao ao dia internacional da Mulher, o Sindicato dos Artistas Plsticos de Minas Gerais (SiAPEMG), e a Prefeitura de Sete Lagoas, disponibilizam a exposio Mulheres. A mostra traz o olhar de 16 artistas mineiras de renome, sendo que a sete-lagoana Adriana Drummond est entre elas. A exposio engloba 34 telas de diversos estilos, compndo um mosaico da produo das mulheres nas artes de Minas. A visitao estar aberta a partir de quinta-feira, dia 8, e vai at o prximo dia 30. O horrio de funcionamento de 8h s 18h no Centro Cultural Nh Quim Drumond, o Casaro. Alm disso, na quinta acontecer uma vernissage de abertura, s 20h, com a presena das artistasexposio 7 lagoas em 7 ngulosDa prxima segunda-feira, dia 5, at o prximo dia 30 de maro voc poder prestigiar a exposio 7 Lagoas em 7 ngulos, do Coletivo Sete Lagoas Fotografia. A mostra promete dar visibilidade a aspectos diferentes relacionados identidade de nossa cidade. O grupo fez fotografias com temas como a solido e os contrastes que registraram uma Sete Lagoas nostlgica e alegre. A iniciativa, apoiada pela Prefeitura Municipal, d continuidade ao processo de valorizao da fotografia local. A mostra estar aberta visitao na Galeria Myralda, que fica na Avenida Getlio Vargas 91, no centro. Ela funcionar de segunda sexta das 8h s 17h.churrasco VutusChopp, motocicletas e muito Rockn Roll. Essa a essncia do evento que acontecer neste domingo, dia 4, no pub Route 66. O Churrasco Vutus Sete Lagoas reunir um enorme nmero de motoqueiros do grupo, boa oportunidade para os amantes do veculo sobre duas rodas apreciarem as mquinas. O churrasco comea s 10h30, sendo que a banda Travelin Band (cover de Creedence Clearwater Revival) se apresentar a partir das 15h. O preo da entrada para o show de R$ 5. O pub fica na rua Paulo Frontin, 581, no centro da cidade. Mais informaes pelo telefone (31) 8880-1869.FOTOS DiVULGAO12 eSporTeS Domingo em Casa 4 a 10 De maro De 2012Se depender das cam-panhas de Amrica e de Atltico no Campeonato Mineiro, vamos ter hoje um grande clssico, na Arena do Jacar, em Sete Lagoas. As duas equipes tm 100% de aprovei-tamento com quatro vi-trias seguidas, o Galo lidera pelo saldo de gols. O time de Givanil-do Oliveira tem o melhor ataque, enquanto os al-vinegros tm a melhor defesa. O duelo vale a liderana isolada e co-loca em prova a invenci-bilidade dos dois times. Lembrando que em 2011, o Amrica venceu o Atl-tico por 2 a 1, no esta-dual, mas depois perdeu nas semifinais. J no Brasileiro, teve uma der-rota e um empate. COELHO CARRASCO DE CUCAO tcnico Cuca no tem boas recordaes quando o assunto en-frentar o Amrica. No Campeonato Brasileiro do ano passado, o trei-nador foi demitido do Cruzeiro aps o empate por 1 a 1, em Sete Lago-as. Em seguida, j no co-mando do Atltico, Cuca tambm no conseguiu vencer o Coelho, ape-nas empatou em 0 a 0. Desta vez para no ser surpreendido, o treina-dor enviou o seu irmo (Cuquinha) para obser-var os jogadores ame-ricanos no duelo com o Villa Nova, na ultima quarta-feira. CRUZEIRO X MINEIRODepois de ser surpre-endido pelo Atltico com o acordo para atuar no independncia, o Cru-zeiro j iniciou as nego-ciaes para mandar os seus jogos no Mineiro, a partir de 2013. Nesta semana, os dirigentes celestes se reuniram com a Minas Arena, ven-cedora da licitao para administrar o Mineiro, e ficaram satisfeitos com o primeiro encontro. De acordo com o presidente Gilvan de Pinho Tavares, foi s um contato inicial para firmar um possvel acordo. S que bem diferente do estabele-cido entre Galo e BWA. Enquanto isso, a direto-ria do Cruzeiro estuda a possibilidade de realizar alguns jogos em Nova Serrana. O clssico com o Amrica, por exemplo, pode ser disputado na Arena do Calado, alm de alguns jogos pela Copa do Brasil. DITADURA NA CBFContrariando a ex-pectativa de todos ns, Ricardo Teixeira segue no comando na CBF e no poder do futebol brasi-leiro. Durante a assem-bleia geral da entidade com os presidentes das federaes estaduais, Teixeira no renunciou e nem pediu afastamen-to. Vai, portanto, ficar no cargo que ocupa h 23 anos. Uma vergonha para um pas, que se diz ser democrtico. J pas-sou da hora de se criar uma CPi para investigar as denncias contra Ri-cardo Teixeira. VOC SBIA?O futebol hngaro encantou o mundo na dcada de 50. Mas por problemas polticos, o Honved, clube hnga-ro de maior prestgio na poca, foi coloca-do na ilegalidade pela Fifa e proibido de jo-gar em qualquer lugar do mundo. Mesmo as-sim, o Honved veio ao Brasil e fez aqui cinco jogos, um deles con-tra um combinado Fla-mengo e Botafogo. Do lado dos hngaros, es-tavam os famosos Koc-sis e Puskas. Entre os brasileiros, Garrincha, Moacir, Didi, Evaristo de Macedo e Paulinho Valentim. O combinado venceu por 6 a 2. Devido situao poltica no seu pas, a maioria dos jogadores no voltou para a Hungria. Alguns ficaram por aqui e ou-tros ficaram em clubes do exterior, como foi o de Puskas, que integrou o mais importante elen-co do Real Madrid.Clssico tira teimaEnio LimaNarrador esportivogrande fi nal da copa eldoradoFinalmente chegou o gran-de dia da final da Copa Eldora-do/Prefeitura de Sete Lagoas. Aps uma semi-final disputa-dssima, ficou definido que os finalistas seriam o Curitiba e o Cap, que disputaro a final entre no campo do Serrinha, no bairro do Carmo. A partida que definir a competio est marcada para as 10h30.Na ltima partida, o Curi-tiba terminou a primeira eta-pa da partida perdendo por 1 a 0 para o Pro-Minas, mas conseguiu uma virada espeta-cular no segundo tempo, fina-lizando jogo com uma vitria por 3 a 1. J o Cap, um dos fa-voritos da competio, chega pela segunda vez consecuti-va na final da Copa Eldorado com a chance de se tornar bi-campeo. Na semi-final, o time venceu o Unio So Jor-ge com um gol aos 40 minu-tos da etapa complementar.Copa 2001 Jeans apresenta novidades Aconteceu no sbado, dia 3, o sorteio da 19 Copa 2001 Jeans, que vem neste ano com algumas mudanas em seus pro-cedimentos. Esta edio da competio no ser aberta ao pblico e, ainda ter, paralelamente, um campeonato de sinuca. No dia 23 de maro acontece-r o desfile de lanamento dos uniformes das equi-pes, enquanto a competi-o s ter incio no dia 25 de maro. Mais infor-maes podem ser obti-das com a coordenao da Copa 2001 ou com Breno Capoeira por meio do te-lefone (31) 3771-5031.Jacar ameaa no disputar o mineiroConforme foi divulgado no site da Associao Amigos do Demo-crata, Sete Lagoas poder perder seu nico representante na 2 Diviso do Campeonato Mineiro profissional. Segundo o site, a di-retoria do Democrata Futebol Clu-be j est considerando a hiptese alegando falta de condies de inscrever a equipe na competio em funo das dvidas do clube, que j ultrapassam R$4 milhes.Para a associao, o principal problema a falta de apoio finan-ceiro. No site, os apoiadores do Ja-car afirmam: Sete Lagoas conta com uma das maiores receitas de Minas, gerada por grandes inds-trias como iveco, Ambev, Pepsico, Agrogen, itamb, Cedro, Bombril, Cimentos Brennand, indstrias siderrgicas, entre outras. Nenhu-ma delas apia do clube alvirru-bro, acusam. No bastasse, outro time est surgindo na cidade, (Mi-nas Brasil Futebol), aumentando a concorrncia por patrocnios.dulio libera recursos para o esporteUma verba de R$ 28 mil, re-ferente ao Convnio 365/2011, servir para contemplar o espor-te amador em nossa cidade. De acordo com informaes do gabi-nete do deputado Dulio de Castro (PMN), ele conseguiu a liberao da verba atravs de uma emen-da parlamentar que tinha como objetivo a aquisio de materiais esportivos para Sete Lagoas.Os recursos vo beneficiar as entidades que precisam de mate-riais esportivos para desenvolver as suas atividades, alm de ser de grande importncia na incluso so-cial de jovens utilizando o esporte. Ainda segundo informaes do seu gabinete, na ltima segunda feira, dia 27, chegou um ofcio anuncian-do que o governador Antnio Anas-tasia tinha autorizado o pagamen-to da emenda junto Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude.FUTEBOLMiNEiRO.COM/DiVULGAOA copa Eldorado mobilizou dezenas de clubes no maior evento do futebol amador de Sete Lagoas