Jornal Domingo em Casa 30 edio

Download Jornal Domingo em Casa 30 edio

Post on 14-Mar-2016

247 views

Category:

Documents

31 download

DESCRIPTION

Jornal Domingo em Casa 30 edio

TRANSCRIPT

  • ParTiciPao FeMininaEmpresrias, educadoras e donas de casa, enfi m, mulheres fundaram um grupo para participar da poltica. Pg. 4 8.000diSTriBuio graTuiTa naS reSidnciaS. naS BancaS r$ 0,50

    doMingo eM caSaFO

    TOS

    AD

    E PE

    REiR

    A D

    E O

    LivE

    iRA

    , CiD

    A C

    Ou

    TO E

    Lu

    CiA

    NO

    RiB

    EiRO

    /ARQ

    uiv

    O P

    ESSO

    AL

    ANO 1 | EDiO 30 | SEtE LAGOAS | 11 A 18 DE FEVEREiRO DE 2012 ANO 1 | EDiO 30 | SEtE LAGOAS | 12 A 18 DE FEVEREiRO DE 2012

    Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores. Pgs. 5 e 15Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar

    a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.Pgs. 5 e 15Pgs. 5 e 15Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar

    a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores. Pgs. 5 e 15

    CAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiA

    TIRAGEM AUDITADA

  • 2 oPinio Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    Prazer em publicar

    Almerindo Camiloalmerindo@domingoemcasa.com.br

    duke

    A Arena do Jacar e outros bichosCom o retorno dos jogos do

    galo, do Coelho e da Raposa para Belo Horizonte, a Arena do Jacar est perto de se trans-formar em um elefante branco. Mas, o que poderia se tornar um grande desperdcio, pode ser uma oportunidade para Sete Lagoas ter um mega-espao multiuso. H tempos a cidade pleiteia um centro de eventos. Por que no adaptar a Arena do Jacar neste empreendimento?

    Em 1997, o BNDES emitiu um estudo (disponvel na inter-net) chamando a ateno para a indstria do entretenimento. O documento enfatiza que, alm de propiciar alternativas de di-verso para a populao e de ser responsvel pelo incremento do fluxo turstico, este setor tem se caracterizado como grande ab-sorvedor de mo-de-obra. No relatrio, o BNDES conclui que a transformao de estdios de esportes em arenas multiuso a principal estratgia para ala-vancar o crescente mercado de lazer, como j acontece nos EuA e na Europa.

    Muitas cidades j tiveram que lidar com questo de seus estdios de esportes se transfor-

    marem em elefante branco. A frica do Sul, anfitri da ltima Copa, adaptou os estdios para eventos variados, desde semi-nrios, workshops, at grandes shows. Os estdios foram adap-tados para receber tambm pequenos eventos, tipo festa de casamento e treinamentos empresariais. O importante otimizar ao mximo a ocupao das infraestruturas.

    Depois de no ser esco-lhido para jogos da Copa de 2014, o Estdio Morumbi vai ser adaptado para se tornar uma arena multiuso com centro de conveno, shopping, hotel, galerias e museu, restaurantes e estacionamentos. O que seria um mico transformou-se num empreendimento capaz de ge-rar lucros, principalmente, de-vido a sua localizao.

    Para resolver a situao da Arena do Jacar, so necess-rias algumas aes prticas. Primeiramente, o Estado pode remanejar a administrao, da ADEMg para a CODEMig que j explora vrios centros de even-tos e tem viso mais empreen-dedora. Pode ser proposto que a Justia aceite a formao de um

    condomnio de credores para resolver a questo do passivo do Democrata. Pode-se fazer uma licitao de mbito internacio-nal para atrao de investidores na transformao e explorao da Arena em espao multiuso.

    A localizao geogrfica da cidade favorvel a esse in-vestimento. Perto do aeroporto internacional, o tempo de des-colamento de BH relativamen-te pequeno, e a regio possui contingente populacional para abrigar diversos eventos. Den-tre eles: espetculos culturais como concertos, shows, peas de teatro, circo, apresentaes esportivas, tanto individuais quanto coletivas, exposies co-merciais, seminrios, congres-sos, convenes partidrias, cultos e pregaes religiosas, rodeios, shows de MotoCross, de luta livre, etc, etc...

    A situao da Arena do Jacar interessa a todos minei-ros. Afinal, tem muito dinheiro pblico investido. Mas, o im-portante que no se transfor-me na arena do mico, arena do cabea de burro enterrada, e outros bichos sinnimos de desperdcios e insucesso.

    Jos Luiz Almeida CostaConsultor em inovaes

    Publicao da AC&S Mdia Ltda CNPJ - 05.373.616/0001-21Rua Luiz do Carmo, 39Bairro Jardim Arizona - Sete Lagoas-Mg - CEP 35700-374 - (31) 3775-0629Diretor geral e editor responsvel - Almerindo Camilo (2709/Mg)Coordenador comercial - Sidney Duarte (comercial@domingoemcasa.com.br)Coordenador de eventos - Herivelton Moreira da CostaCoordenador de distribuio - Rafael MelgaoEditora - Marina AlvesReportagem - Jos vtor Camilo e Cris DuarteDiagramao - Antonio Dias e wanderson Fernando Diastiragem - 8.000 exemplaresimpresso - O Tempo Servios grficos (Contagem-Mg)Contato comercial em BH - AC&S Mdia Ltda (31) 2551-7797Representante comercial SP, Rio e Braslia - Screanmedia (11) 3451-0012 e (11) 9141-2938

    OS ARtiGOS ASSiNADOS NO EXPRESSAM NECESSARiAMENtEA OPiNiO DEStE JORNAL.

    doMingo eM caSa

    A filosofia editorial adotada pelo DOMiNgO EM CASA proporcionar aos leitores o prazer da leitura, um desafio permanente para a nossa equipe de jornalismo. Preocupamos em proporcionar aos leitores a abor-dagem melhor elaborada possvel dos temas debatidos em cada edio. Procuramos tambm adicionar sem-pre como ingrediente para melhor atender o leitor um cunho de servio em nossas publicaes.

    Os jornais tradicionais tm como objetivo noticiar os principais

    acontecimentos. isso, porm, um ciclo enfadonho sem fim. Os fatos so repetitivos, a notcia de hoje repe-te o mesmo enredo publicado h um ano. S mudam os personagens, local e data. E isto se agrava com a compe-tio desigual que a mdia eletrnica impe, tornando o fazer mdia im-pressa um desafio ainda maior para quem se aventura nessa rea.

    Com a massificao da circu-lao da informao, o jornalismo narrativo dos fatos acontecidos vem dando lugar ao jornalismo mo-derno que publica matrias contex-tualizadas que analisam (ao invs de simplesmente narrar) os as-pectos mais relevantes da notcia, buscando oferecer ao consumidor desta informao o leitor um dado mais digerido e contextuali-zado, facilitando sua compreenso e apreenso.

    com orgulho que a filosofia edi-

    torial do DOMiNgO EM CASA reco-nhecida, no s pelos leitores de Sete Lagoas, mas tambm, por leitores localizados em outras cidades minei-ras, e at de outros estados. O retorno que obtemos dos leitores atesta que adotamos a filosofia certa. Aps sete meses de circulao, o leitor sete--lagoano j incorporou o hbito da leitura semanal do jornal, dando-nos retornos que confirmam o acerto da orientao editorial que adotamos.

    Recentemente tivemos a oportu-nidade de comprovar para agncias e assessorias de imprensa, tanto do go-verno federal, quanto estadual e mu-nicipal, que o nmero de exemplares distribudos na cidade corresponde exatamente quantidade expressa em nosso expediente, contrariando uma prtica de omitir a tiragem que durante anos a fio norteou o setor.

    um dos diferenciais do DO-MiNgO EM CASA a sua capaci-dade logstica operacional em fa-zer com que todos os exemplares impressos sejam efetivamente distribudos, de casa em casa e em pontos estratgicos da cida-de, semana a semana, faa chuva ou faa sol. Este trabalho asse-gura a capilaridade das informa-es e das inseres publicitrias aqui veiculadas.

    por isto que publicar o DO-MiNgO EM CASA um prazer que se renova cada semana.

    Tenha uma boa leitura!

  • 3cidade e regio Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    Mais seguranaPrefeitura publica edital que regulamenta mais 180 mototaxistas na cidade

    A prefeitura publicou, na ltima sexta-feira, um edital da licitao que regulamenta mais 180 vagas de mototaxistas na cidade. No total, sero habilitados 535 profissionais sendo que 155 j haviam sido defini-dos anteriormente.

    A medida s foi possvel devido a regulamentao do municpio da lei Federal n 12.009, de 29 de julho de 2009. Para o presidente do Sin-dicato dos Mototaxistas e Motoboys de Sete Lagoas (Sindimoto), Evaldo da Silva Cruz, o mais importante a tranquilidade com o que os profis-sionais do setor podero trabalhar de agora em diante. Ele explica que a profisso proporciona uma renda mensal de at trs salrios mni-mos. O governo federal, atravs do Conselho Nacional de Trnsito (Contran), est profissionalizando o setor. O curso que cada mototaxista ter que fazer para abraar a profis-so, para se ter uma ideia, mostra que at a higiene pessoal uma das coisas mais importantes para ns, explica Evaldo da Silva.

    Com a regulamentao da

    demanda dos taxistasOs taxistas de Sete Lagoas

    reclamam de vrios problemas enfrentados pela categoria, entre eles, o transporte feito at a cida-de de Belo Horizonte. Buscando uma soluo, o prefeito Mrio Mrcio Maroca deve se encontrar com representantes do Departa-mento de Estradas de Rodagem (DER) ainda nesta semana.

    Na ltima tera-feira, dia 7, o prefeito se encontrou com taxis-tas. Muitos carros so presos quando chegam a Belo Horizonte

    por fiscais do DER, esperamos um convnio, ou algo parecido para que possamos trabalhar com tran-quilidade, explica Dalmo Machado representante dos taxistas.

    Maroca est se empenhando para resolver esse problema. To-dos precisam trabalhar e vamos buscar uma soluo para mais essa demanda dos taxistas. J est pre-vista uma reunio com representan-tes do departamento para debater-mos o assunto, que ser resolvido, tenho certeza, afirmou o prefeito.

    QuiN DRuMMOND/COMuNiCAO

    FeSTeJar Mototaxistas comemoraram a regulamentao da profisso

    reunio Taxistas apresentaram os problemas para o prefeito

    Os investimentos supe-riores a 32% do oramento municipal em sade quan-do a lei determina 15% - fei-tos pela Prefeitura de Sete Lagoas foram elogiados pelo deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB). Em visita cidade para participar de um workshop sobre a instalao de uma plataforma logstica intermodal, Azeredo lembrou que dedica uma ateno es-pecial a Sete Lagoas tam-bm por ser a terra de seu pai, Renato Azeredo, tradi-cional poltico sete-lagoano e primo do ex-prefeito Afr-nio Avelar e fez questo de ressaltar que acompanha de perto a administrao do prefeito. Maroca, apesar de engenheiro de formao, pratica uma administrao extremamente eficiente, principalmente na sade,

    avanos na rea de sade so elogiadosadMiniSTrao

    onde houve um salto gran-de na ampliao dos postos de sade com mdicos, por exemplo, fora a construo do hospital municipal.

    Eduardo disse os investi-

    mentos j foram ressaltados no Congresso. inclusive j comentei sobre a administra-o de Maroca com colegas, em Braslia, frisou.

    Eduardo Azeredo aprovei-

    tou para reforar a disposi-o do PSDB e do governador de Minas, Antonio Anastasia, e do senador Acio Neves em elegerem prefeitos das 50 maiores e principais cidades

    do Estado, dentre elas est Sete Lagoas, que aponta-da como integrante do grupo tido como cidades-lderes.

    Maroca, durante a parti-cipao no workshop, alm de agradecer o apoio do de-putado reforou seu compro-misso. Fico feliz com as pa-lavras do deputado e isso nos d motivao para seguirmos com o trabalho que feito pela cidade de Sete Lagoas. Alm dos postos de sade, temos tambm hoje uma alta resolutividade nos atendi-mentos do hospital municipal e vamos inaugurar em breve a unidade de Pronto-Atendi-mento (uPA), na Norte Sul. A projeo de nossas aes a certeza de que estamos sempre na busca por melho-rias em todos os pontos para a populao da cidade, con-cluiu o prefeito.

    aprovao Eduardo Azeredo afirma que acompanha de perto a administrao do colega de partido, o prefeito Maroca

    www.PSDBMiNAS.wORDPRESS.COM/DivuLgAO

    profisso, os usurios tambm so beneficiados, j que uma das condies para legalizao dos mototaxistas a correta identi-ficao das motos e dos condu-tores. uniformizados, os profis-sionais tero o reconhecimento facilitado por parte dos usurios, alm de uma maior higienizao com a adoo de toucas descar-tveis para o uso dos capacetes e o pagamento de seguro para usurios e condutores.

    Conforme o presidente do Sin-dimoto, quem ser interessar em

    exercer o ofcio de mototaxista deve preencher alguns requisitos bsi-cos, como ser maior de 21 anos, ter mais de dois anos de habilitao, apresentar uma srie de documen-tos - incluindo a certido negativa criminal e histrico da carteira de habilitao do Detran.

    O curso oferecido pelo Contran obrigatrio, assim como o registro como microempreendedor indivi-dual, o MEi, pelo qual se garante a contribuio fiscal e, consequente-mente, o pagamento de impostos e os benefcios previdencirios.

  • 4 cidade Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    Saia e batom nas urnasO suprapartidrio Mulheres na Poltica quer chamar a ateno das mulheres para a poltica

    Despertar o interesse do eleitorado feminino pela pol-tica. Esse o principal objetivo de um grupo de mulheres sete--lagoanas que vem se reunindo regularmente h alguns meses para debater o tema. O grupo foi fundado pela militante do Partido verde de Sete Lagoas, Maria das graas Mendes de Almeida, que faz questo de destacar o carter suprapar-tidrio do movimento Mu-lheres na Poltica. De acordo com graa, as participantes do movimento so mulheres de todos os matizes ideolgicos. O grupo suprapartidrio e tem como presidente Rosani Aparecida Lopes, detalhou a militante verde.

    Na ltima quinta-feira (9/2), elas promoveram nova reunio. O encontro aconteceu na Cmara Municipal e o pla-

    lestrante foi o professor Paulo Frana, presidente do diret-rio municipal do Partido So-cialismo e Liberdade (PSOL), que falou sobre a importncia do voto consciente para conso-lidao da democracia, apro-fundando ainda sobre a funo do vereador, o funcionamento e funo de uma casa legisla-tiva e o processo de uma elei-o para conquista da vaga de vereador.

    De acordo com graa Al-meida, os encontros do gru-po tm reunido em mdia 25 mulheres, muitas das quais vm de cidades vizinhas. So empresrias, funcionrias p-blicas municipais e estaduais, educadoras, donas de casa... Pessoas de vrios segmentos que tm em comum o interes-se pela poltica, explica a fundadora do movimento.

    DivuLgAO

    Na reunio da semana passada, um dos destaques foi a vereadora Marilza Apa-recida de Paula (PP) da ci-dade de Cachoeira da Prata, que na oportunidade relatou sua experincia legislativa na cidade vizinha. O grupo de mulheres na polcia tem conscincia de que deve ser

    feito um trabalho de infor-mao e cidadania, buscando esclarecer a populao da im-portncia do voto consciente e que a mulher, nessas elei-es, pode ser o diferencial, afirma graa, segundo quem o encontro reuniu militantes do Pv, PT, PP, PSOL e PMN. Outras legendas tambm so

    convidadas, mas nem todos atendem ao convite dimi-nuindo o carter supraparti-drio do movimento.

    O Mulheres na Poltica tambm est na internet. Quem quiser conhecer melhor o movimento pode acessar o blog mulheresnapolticasl-blogspot.com.

    O Programa de Regularizao Fundiria imvel Legal chegou ao bairro Belo vale na ltima quinta-feira. O projeto vai cus-tear despesas de documentao e registro para quem no tem outro imvel em seu nome e tem renda de no mximo cinco salrios mnimos. Alm disso, o titular da moradia tem obrigato-riamente que residir no local. A estimativa que 7 mil famlias de Sete Lagoas sero beneficia-das com o programa que j est em andamento no bairro Santa Luzia. Na ltima quinta-feira os moradores do bairro Belo vale participaram de reunio na igreja So Joo Batista, quando receberam informaes sobre o processo de regularizao de seus imveis.

    Na avaliao do prefeito Mrio Mrcio Maroca esta a oportunidade para resgatar um compromisso que o municpio tem com aqueles mais carentes. Segundo ele, a soluo deste an-tigo problema permitir um me-lhor ordenamento urbano, facili-

    tando o planejamento da cidade.Ontem pela manh a equipe

    do projeto imvel Legal este-ve na Praa da Arara, no bairro Orozimbo Macedo, recebendo documentos e esclarecendo d-vidas sobre o programa. Pela lei s dono quem registra a propriedade, o que confirma a importncia do programa de re-gularizao fundiria levado a efeito pela administrao pbli-ca municipal.

    Maroca ressalta o carter so-cial do projeto imvel Legal, lembrando o quo importante para a segurana das famlias terem seu imvel devidamen-te registrado, alm do aspecto pblico da medida, j que uma vez regularizados, os imveis facilitam o embasamento das polticas pblicas a serem tra-adas para a regio onde se encontram. O prefeito destaca que a organizao destas re-as e propriedades permitir Prefeitura Municipal definir o traado urbanstico e o mapea-mento da cidade.

    regularizao Fundiria chega ao Belo vale

  • 5CarnavaL Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    antigos carnavaisDcada de 80 foi marcada pelos desfiles das escolas de samba e dos blocos caricatos

    Por Por Cris Duarte

    O bairro Santa Luzia, conhe-cido como garimpo, j foi o ber-o do Carnaval sete-lagoano. L nasceu, a partir do Bloco Batuque Dez pra Dez, a escola de samba Dez pra Dez que, durante muitos anos, uniu a comunidade em prol do Carnaval. Depois, nasceram outras escolas como a Bandeira Branca e a imperatriz Catarinense, tornando os desfiles cada vez mais exuberantes e competitivos.

    Cida Couto, uma das fundado-ras da Dez pra Dez, conta que, na-quela poca, as famlias se reuniam durante todo o ano preparando a escola para o desfile. Alm disso, havia todo um trabalho de pes-quisa para a criao dos sambas enredos, o que de certa forma nos trazia um enriquecimento cultural enorme, afirma Cida.

    Para Leandro Lupiano, atual diretor do Centro Cultural Nh Quim Drumond, o Casaro, du-rante muito tempo, o Carnaval de Sete Lagoas foi um dos me-lhores da regio. Leandro parti-cipou ativamente como carna-valesco e figurinista e foi um dos fundadores da escola de samba imperatriz Catarinense. Barra-ces lotados e ensaios dirios eram comuns naquela poca do ano. J fiquei trs meses fora de casa envolvido com os preparati-vos do Carnaval, afirma.

    Alm das escolas, havia o des-file de vrios blocos caricatos. Lu-ciano Ribeiro, figurinista e um dos fundadores do bloco Mistura Fina, um dos principais daquela poca, conta que naquela poca existiu o verdadeiro Carnaval. Hoje saio da cidade para curtir a folia no Rio de Janeiro desfilando em escolas ou em blocos. uma pena que Sete Lagoas tenha perdido um Carnaval to maravilhoso como o que tnhamos, comenta.

    Maura Lcia Lopes Mascare-nhas, uma das fundadoras e pri-meira porta-bandeira da escola Bandeira Branca, relembra sau-dosamente o tempo em que Sete Lagoas podia prestigiar os desfiles das escolas de samba e dos blo-cos caricatos. Alm dos blocos, as escolas de samba Dez Pra Dez, imperatriz Catarinense, vasco da

    gama e Bandeira Branca, a minha do corao, apresentavam belos desfiles. Era um verdadeiro espet-culo de luzes, cores, samba, alegria, beleza, piers, colombinas. Cada um vivia quatro dias de muita folia e de brincadeiras, comenta. Para Maura, a volta desse Carnaval um sonho intangvel, porm ela acredita que so os blocos atravs de seus fo-lies natos que no deixam o samba morrer. No que eu seja pessimista, mas acredito que o Carnaval baiano tornou-se absoluto, acrescenta Maura.

    A falta de apoio poltico e proble-mas financeiros foram os principais responsveis pelo fim do evento, o que por outro lado abriu espao para a entrada do Carnaval baiano com seus trios eltricos e muito ax. De acordo com Fred Antoniazzi, secret-rio de Comunicao e Cultura, desde 2009, a prefeitura tenta resgatar as razes do antigo Carnaval. Desde o incio de nossa gesto, a cada ano, a prefeitura tem conseguido aumen-tar a ajuda financeira aos blocos, afirma o secretrio.

    Antoniazzi acredita que a pre-feitura apenas um copatrocinador dos blocos e que os principais res-ponsveis pelo resgate de antiga fo-lia a prpria populao. Tradio a gente no cria, ela existe na prpria comunidade. Nosso papel apoiar da melhor forma possvel, mas a polpulao que vai traz-la tona.

    DEZ PRA DEZA Comunidade Dez pra Dez ini-

    ciou, em outubro do ano passado, um trabalho social no bairro Santa Luzia. Mrcio wagner Teixeira, pre-sidente da nova diretoria, contando com o apoio da velha guarda da Es-cola Dez pra Dez, pretende desen-volver aes sociais e culturais com a sociedade. Alcione Pereira da Costa, segunda secretria da comu-nidade, explica que a ideia a cria-o de oficinas com aulas de jud, artes cnicas e percusso. A partir da, queremos preparar as crianas para que, quem sabe, consigamos retomar os desfiles, afirma. Alcio-ne acredita que em 2013 j ser possvel montar uma miniescola de samba. vamos contar com antigos integrantes para passar seus conhe-cimentos aos que esto chegando agora, afirma Alcione.

    17/2 (sexta)CiRCUitO CENtRO(Praa Dom Carlos Carmelo Mota)20h - Show com Ns Trs22h - Show com 100 Destino

    18/2 (sbado) CiRCUitO CENtRO(Pa. Dom Carlos Carmelo Mota)18h - Desfile de blocos21h - Show com Mestre Sava CiRCUitO NOVA CiDADE(Av. Pref. Alberto Moura, s/n)20h - Show com Samba gol22h - Show com T Q T CiRCUitO SANtA LUZiA(Pa. geni Raposo)19h - Chegada dos blocos21h - Show com Ns Trs CiRCUitO BARREiRO(Pa. do Milito)21h - Show com MPB Samba

    19/2 (Domingo )CiRCUitO CENtRO(Pa. Dom Carlos Carmelo Mota)18h - Desfile de Blocos

    21h - Show com T Q T

    CiRCUitO NOVA CiDADE(Av. Pref. Alberto Moura, s/n)20h - Show com grupo Xor22h - Show com Marcos & Castan Eltrico

    CiRCUitO SANtA LUZiA(Pa. geni Raposo)19h - Chegada dos Blocos21h - Show com grupo Razes CiRCUitO BARREiRO(Pa. do Milito)21h - Show com Samba gol

    20/2 (segunda)CiRCUitO CENtRO(Pa. Dom Carlos Carmelo Mota)18h - Desfile de Blocos20h - Show com grupo Xor eMPB Samba CiRCUitO NOVA CiDADE(Av. Pref. Alberto Moura, s/n)20h - Show com grupo Razes22h - Show com T Q T

    CiRCUitO SANtA LUZiA(Pa. geni Raposo)

    19h - Chegada dos Blocos21h - Show com Mestre Sava

    CiRCUitO BARREiRO(Pa. do Milito)21h - Show com Marcos & Castan Eltrico

    21/2 (tera) CiRCUitO CENtRO(Pa. Dom Carlos Carmelo Mota)18h - Desfile de Blocos21h - Show com Marcos & Castan Eltrico

    CiRCUitO NOVA CiDADE(Av. Pref. Alberto Moura, s/n)20h - Show com unio do Samba22h - Show com 100 Destino CiRCUitO SANtA LUZiA(Pa. geni Raposo)19h - Chegada dos blocos21h - Show com Samba gol CiRCUitO BARREiRO(Pa. do Milito)21h - Show com T Q T

    BonS TeMPoS Escolas de samba envolviam os apaixonados pela folia durante vrios meses

    LuCiANO RiBEiRO/ARQuivO PESSOAL

    foLia peLa CiDaDeShows com as bandas Ns Trs e 100 Destino abrem oficialmente, na prxima sexta-feira, dia 17, o Carnaval 2012 de Sete Lagoas, na praa Dom Carlos Carmelo Mota, a Feirinha, a partir das 20h.

    Leia mais na pg. 15

  • 6 cidade e regio Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    Combate as drogas e apoio ao dependenteGovernador, o tema das drogas,

    especialmente o crack, tem gerado uma grande discusso hoje no Brasil. Como o Governo de Minas est lidan-do com essa questo?

    Antonio Anastasia: O tema das drogas e do crack em especial, de fato, hoje um dos temas mais preocupantes no s de Minas e do Brasil, mas do mundo como um todo. Lamentavelmente, sabemos que alm de ser um gravssimo problema de sade pblica, o uso das drogas e o trfico de drogas e do crack em especial, tem levado tambm a um aumento da crimi-nalidade e, ainda pior, desagre-gao das famlias, um problema social muito grave. E, por isso, deve ser enfrentado em todos os seus aspectos. O governo de Minas, l atrs, ainda em 2003, lanou pela

    primeira vez no Brasil a Subsecre-taria Antidrogas, exatamente com o objetivo de coordenar as aes de educao, sade e segurana que visem exatamente ao acolhi-mento do dependente, daquela pessoa que necessita e, ao mesmo tempo coordenando junto com a Segurana Pblica, coibindo o trfi-co. A partir de ento, ns fomos s intensificando essas aes e perce-bendo a necessidade de criao de um projeto ainda maior, coordena-do por essa subsecretaria, que se denomina Aliana pela vida e que tenha vrias aes dentro dela com o objetivo ao mesmo tempo de re-duzir o trfico, mas, mais importan-te, de dar acolhimento s famlias e s pessoas dependentes qumicas que necessitam desse tratamento em parceria com a sociedade civil.

    O carto Aliana pela Vida, que tem garantido a internao e a recu-perao de usurios?

    Antonio Anastasia: O problema das drogas afeta o dependente, sua famlia, muitas vezes a sua vizinhan-a, a comunidade onde est inserido. Por isso mesmo ele deve ser sempre abordado com muita cautela. O car-to Aliana pela vida tem por objeti-vo exatamente permitir que a famlia escolha livremente aquela comuni-dade teraputica aonde o dependen-te, que integra essa famlia, poder ser internado para um tratamento. Depende da escolha da famlia. Ns estamos valorizando e prestigiando a famlia em relao a cada depen-dente qumico que porventura exista naquele seio familiar.

    Vamos falar especificamente do

    Programa Rua Livre de Drogas e do SOS Drogas, o 155. uma forma de lidar com a questo das drogas e dos dependentes qumicos de forma mais humanizada, governador?

    Antonio Anastasia: verdade. Ambos so projetos dentro do gran-de programa Aliana pela vida. O SOS Drogas tem por objetivo dar uma orientao queles que telefo-nam, orientaes especficas, tcni-cas, mas tambm de acolhimento e com sentido humano do tema e do problema. Ns observamos pela pr-tica que o nmero maior de telefone-mas vem das famlias, dos familiares, das mes, pais, irmos, maridos, esposas, ou seja, aquela pessoa que est prxima do dependente e sofre com ele tambm do problema. Ento o SOS tem essa funo de orientar, de dar um encaminhamento, inclu-

    sive mandando, se for o caso, onde houver a necessidade, uma equipe, a sim, do Rua Livre de Drogas, uma equipe teraputica para perceber a situao em cada casa e dar aquele acompanhamento e o encaminha-mento necessrio, inclusive, se for o caso, para a internao.

    No caso da Rua Livre de Drogas exatamente esse propsito: abordar aquelas regies onde h a presena maior de dependentes, especialmen-te do crack, abord-los, mostr-los a situao e dizer a eles que o Estado quer acolhe-los atravs das comuni-dades teraputicas para uma tenta-tiva de melhoria e que ele, de fato, evolua e saia daquela dependncia e faa esse tratamento. Os dados de adeso so muito positivos, o que demonstra que essas pessoas esto carentes de aes coordenadas.

    Antonio Anastasiagovernador de Minas gerais

    As crianas de Sete La-goas ganharam mais um espao para se divertirem. O parquinho da Boa vista, na orla da lagoa, foi reinau-gurado no ltimo sbado, dia 4, pela prefeitura.

    O evento contou com a presena da presidente honorfica do Centro Re-gional de Artes (Cramam), Maria dos Anjos Macedo. Segundo uma das entu-siastas da recuperao do espao, Mrcia Filizzola, h a possibilidade de os alunos do Cramam, aps visitarem o local, fabri-carem os brinquedos no centro de artes.

    Jnia Ribeiro, colabora-dora de eventos e projetos, acompanhou toda a refor-ma. Sem a participao de grandes parceiros como as secretarias de Meio Am-biente e a de Obras, no seria possvel essa entrega hoje. Agradecemos todos os envolvidos nesse proje-to, frisou.

    diverso no parquinho do Boa vista

    SELTuR/DivuLgAO

    a volta do conhecer sete LagoasProjeto que oferece passeios gratuitos mensais para a populao e turistas retomado a partir deste domingo

    Retorna hoje o projeto Conhe-cer Sete Lagoas, que disponibiliza nibus para que a populao e tu-ristas passeiem gratuitamente pe-los principais pontos tursticos da cidade. O programa acontece sem-pre no terceiro domingo de cada ms. Hoje os passeio oferece um atrativo a mais para quem gosta de registrar as paisagens: fotgrafos amadores e profissionais da cidade vo dar dicas para boas fotografias durante o passeio, alm de divulga-rem seus trabalhos profissionais. Em fevereiro o projeto foi antecipa-do por conta do carnaval.

    O ponto de partida para Co-nhecer Sete Lagoas o CAT, Cen-tro de Apoio ao Turista, de onde os nibus saem as 9:00 e as 10:00 horas. um dos roteiros encerra o passeio no Parque da Cascata e o outro finaliza o tour no Monumento Natural Estadual gruta Rei do Mato, onde o participante pode pagar R$ 2,00 para conhecer a caverna.

    No so permitidas crianas desacompanhadas nos passeios e as visitas so guiadas por bacharis em turismo, que atuam na Seltur S/A, autarquia municipal que ge-rencia o servio turstico sete-lagoa-no, Durante o trajeto, os condutores relatam fatos relacionados hist-

    ria de Sete Lagoas assinalando mar-cos do seu crescimento e desenvol-vimento econmico, a chegada da Ferrovia Central do Brasil em Sete Lagoas, seus pontos tursticos, pa-trimnio histrico-cultural e imate-rial, entre outros dados de interesse geral de quem passeia pela cidade.

    Realizado pela Seltur, o Projeto Conhecer Sete Lagoas conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Sete Lagoas e visa a valorizao da atividade turstica como elemento importante de incluso e para a vida social dos sete-lagoanos e co-munidade do entorno.

    de graa Guia d informaes a passageiros durante tour pela cidade

    Maro Dia 18Abril Dia 15Maio Dia 20Junho Dia 17Julho 15Agosto 19Setembro 16Outubro 21Novembro dias 18 e 24

    O nmero de vagas limitado. Por isto quem quiser participar dos prximos passeios deve se programar. Confira a agenda do Conhecer Sete Lagoas para este ano de 2012:

  • 7cidade e regio Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    Conversa com a PresidentaComo o Brasil quer explorar o

    pr-sal se investe to pouco em pes-quisas tecnolgicas? (Carlos Ferreira, 45 anos, representante comercial em Caxias do Sul-RS)

    Presidenta Dilma Das empre-sas brasileiras, Carlos, a Petrobras j a que mais investe em pesquisas. Foram, inclusive, estes investimen-tos que resultaram na descoberta do pr-sal. De 2006 a 2011, a em-presa investiu em Pesquisa & De-senvolvimento nada menos que R$ 9,5 bilhes, o que a coloca entre as cinco companhias de petrleo e gs que mais investem em pesquisas no mundo. Atualmente, cerca de 70% desses investimentos tm sido dire-cionados a atividades de Explorao e Produo, com nfase no desenvol-vimento de tecnologias para o pr-

    -sal. Esto em andamento diversos projetos de pesquisas, a maior parte desenvolvida em parceria com uni-versidades brasileiras e empresas fornecedoras de bens e servios para a indstria de leo e gs. Praticamen-te todos os grandes fornecedores internacionais da indstria de leo e gs esto abrindo centros de tecno-logia no Brasil. Destaco tambm que o Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), na ilha do Fundo, no Rio de Janeiro, foi duplicado em 2010, tornando-se o maior centro de pes-quisas aplicadas do hemisfrio sul e um dos maiores do mundo.

    Um dos piores problemas para os mais pobres a falta de sade dentria. Sem dentes, o cidado no consegue nem disputar uma vaga

    de emprego. O que o governo pode fazer? (Carolina Junqueira, 28 anos, vendedora em Londrina-PR)

    Presidenta Dilma - Carolina, foi para mudar essa realidade e melho-rar o atendimento pblico sade bucal que criamos o Brasil Sorriden-te, em 2003, e continuamos aperfei-oando o programa. No ano passado, ns inclumos as especialidades de ortodontia e implantodontia e cria-mos 970 novas equipes do progra-ma em 53 municpios. Tambm cria-mos 29 Centros de Especialidades Odontolgicas (CEOs), que realizam atendimento especializado. Ao todo, j temos 21.394 equipes, presentes em 87% das cidades brasileiras. Tambm credenciamos, no ano pas-sado, 185 novos laboratrios regio-nais de prtese dentria, que foram

    essenciais para atingirmos o recorde de 290 mil prteses distribudas. Estamos ainda realizando doaes de unidades Odontolgicas Mveis, visando ampliar a cobertura de sa-de bucal em localidades de difcil acesso e para populaes menos fa-vorecidas. So 100 unidades doadas at agora, com capacidade para 350 atendimentos por ms, cada uma.

    No est na hora de valorizar os professores, criar universidades nas periferias das grandes cidades e no interior do pas e oferecer educao de qualidade? (Ricardo victor gon-alves, 41 anos, tecnlogo em So Paulo-SP)

    Presidenta Dilma O Ministrio da Educao (MEC) j est trabalhan-do em todas essas frentes. vamos

    construir, entre 2011 e 2014, 201 novas escolas tcnicas, quatro novas universidades e 47 novos campus, especialmente no interior do Brasil. De 2003 a 2014, Ricardo, estamos ampliando de 120 para 515 os muni-cpios atendidos pela educao pro-fissional e tecnolgica e de 114 para 275 os municpios atendidos pelo en-sino superior federal. Temos tambm o Prouni e o FiES, que continuaro democratizando o acesso ao ensino superior. Quanto valorizao dos professores, criamos o piso salarial nacional do magistrio, que era uma reivindicao antiga dos docentes da educao bsica. E no projeto de lei que cria o Plano Nacional da Educa-o, em tramitao no Congresso, est prevista a elaborao de planos de carreira para o magistrio.

    Dilma Rousse Presidenta

    Mande sua pegunta para Dilma Rousseff pelo e-mail perguntapradilma@domingoemcasa.com.br

    rPidaSDetran

    O Detran de Minas o nico no pas a utilizar um simulador para avaliar a ca-pacidade de portadores de deficincia de dirigir automveis, motos e cami-nhes. O equipamento, doado pela Fiat Automveis, capaz de aferir a fora de pernas, braos, mos, avaliar a veloci-dade dos movimentos, agilidade para pisar nos pedais, alm de medir os re-flexos e capacidade de viso perifrica dos portadores de deficincia.

    RegionalizaoO governo de Minas deu posse na ltima quinta (9) aos comits regionais da zona da Mata, Sul de Minas, Tringulo e Jequi-tinhonha/Mucuri. Formados por agentes de diversas secretarias e rgos esta-duais, que possuem unidades nessas regies, a criao dos comits intensifica a regionalizao da gesto governamen-tal. A iniciativa integra o projeto Estado em Rede, idealizado para viabilizar o modelo de gesto para a Cidadania.

    Cncer de mamauma das principais causas de morte entre as mulheres no mundo, o cncer de mama tambm a doena que mais mata as brasileiras. O tratamento s eficaz se o cncer for descoberto no incio, por meio da mamografia. Para conscientizar a populao feminina so-bre a importncia do exame, foi criado o Dia Nacional da Mamografia, come-morado em 5 de fevereiro. Em Minas, a Secretaria de Estado de Sade possui um conjunto de aes que visam esti-mular a mamografia por rastreamento objetivando reduzir a mortalidade em mulheres de 45 a 69 anos

    Volta s aulasO retorno do perodo letivo obrigou a guarda Municipal a reforar as atividades de fisca-lizao no trnsito da cidade, em especial nas imediaes das principais escolas, onde cresce muito o fluxo de veculos. O tra-balho principal de orientao e patrulhamento nos horrios de incio e fim das aulas, tanto da rede pblica quanto da rede particular de ensino. Para que o trnsito no seja prejudicado com retenes e filas duplas nos horrios de entrada e sada dos alunos, os agentes da guar-da pedem que os motoristas procurem parar mais distante das portas das escolas.

    inundaesMinas est construindo seu pri-meiro Mapa de inundaes para identificar os locais que mais correm risco de enchen-tes no Estado e buscar dados que auxiliem no planejamento de aes de preveno, con-trole e mitigao de cheias. iniciado em setembro de 2011 o trabalho dever estar conlu-do no final deste ms. Esto sendo coletadas informaes sobre os trechos inundveis dos principais rios do Estado, a frequncia das inundaes e os danos causados pelas cheias. O lanamento do Atlas est pre-visto para o segundo semestre de 2012, e ser disponibilizado no site www.ana.gov.br.

    turismo 1A Secretaria de Desenvolvimento Econmico e Turismo recebeu em janeiro o repasse da primeira par-cela referente ao iCMS turstico. Sete Lagoas se habilitou para rece-ber o recurso ao fortalecer o Comtur (Conselho Municipal de Turismo), em 2009, transformando-o em con-selho deliberativo, e aps instituir a poltica municipal de turismo, com a criao do Fundo Municipal de Turismo (Fumtur), requisitos para pleitear o recurso.

    Turismo 2O fato de ser sede e destino indutor do circuito das grutas foi preponde-rante para que Sete Lagoas se habi-litasse a receber os recursos. Para o prefeito Mrio Mrcio Maroca isso configura um avano no s no que se refere a recursos para aplicao no desenvolvimento da atividade turstica no municpio, mas princi-palmente demonstra a seriedade com que o tema tratado, como po-ltica pblica que orienta o proces-so de planejamento necessrio.

    turismo 3Segundo o secretrio municipal de Desenvolvimento Econmico e Turismo, der Bolson, no dia 01 de maro ser apresentado socie-dade o Plano Municipal de Desen-volvimento Turstico (PDTuR), que tem como parmetro a orientao planificada da atividade turstica em Sete Lagoas no perodo entre 2012 e 2020, definindo estratgias, aes e projetos para o setor.

    Continuam abertas as inscries para o vestibu-lar agendado da faculdade Avance, com vagas de gra-duao e ps-graduao.

    De acordo com o dire-tor da faculdade, Assiz Cla-rindo Jnior, na graduao os cursos oferecidos so Pedagogia, Marketing, Ad-ministrao (Processos ge-renciais), Logstica, gesto da Produo industrial, Ad-

    ministrao com nfase em Comrcio Exterior, gesto Pblica, Secretariado e ges-to Financeira.

    Se optar por um curso de ps-graduao as reas dis-ponveis so Educacional, Empresarial, Contbil e de Sade.

    Para mais informaes os interessados podem ligar para os telefones (31) 3771-5554 e 3774-6666.

    vestibular agendado

    eQuiPe Estudantes e diretores da Faculdade Avance

    DivuLgAO

  • 8 cidade e regio Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    canTeiro de oBraS O prefeito (de azul) foi ao local da construo do hospital regional de Sete Lagoas

    Hr comea a virar realidadePrefeito diz que hospital regional ser marco de sua administrao; primeira laje sai em breve

    A primeira etapa da constru-o do Hospital Regional aconte-cer nas prximas semanas, con-forme prometeu na quinta-feira (9/2) o prefeito Mrio Mrcio Maroca (PSDB), aps visitar as obras do futuro equipamento de sade. Engenheiro por formao, Maroca definiu junto aos respon-sveis tcnicos pelo projeto que o concreto de laje dever aconte-cer dentro em breve, pondo fim ao primeiro ciclo de construo do hospital.

    A previso de um inves-timento de cerca de R$ 48 milhes na obra. O Hospital Regional, de acordo com a pro-messa das autoridades do setor de sade, ter capacidade para atender toda a populao de Sete Lagoas e da regio que o municpio polariza, num total de 600 mil pessoas. A expec-tativa do governo municipal que o novo hospital resolver definitivamente o problema de pronto atendimento e demanda de cirurgias de emergncia.

    O prefeito diz considerar que o Hospital Regional, por sua magnitude e pelo carter huma-no que encerra, ser a principal obra de sua gesto. Nossa preo-cupao no apenas prestar um servio de sade com alta resolu-

    QuiN DRuMMOND/COMuNiCAO

    tividade, mas tambm estruturar a cidade para ser, de fato, uma cidade em pleno desenvolvimen-to mediante um plo industrial consolidado, afirma Maroca.

    O Hospital Regional abran-ger um raio de mais de 35 municpios, incluindo parte da Regio Metropolitana de Belo Horizonte, alm de cidades do Centro Oeste e at do Norte de Minas. O projeto contempla o

    consumo reduzido de gua e energia, alm da reutilizao da gua e o descarte de res-duos da obra por empresa es-pecializada. So 230 leitos de internao, 50 uTis (adulto e infantil), nove salas de cirurgia e um pronto socorro.

    Certamente de olho na pro-ximidade do processo eleitoral de outubro, e valendo-se de uma expresso muito utilizada pelo

    governador do Estado e seu cor-religionrio, Antonio Anastasia, o prefeito procurou destacar a construo do hospital municipal como uma das obras estruturan-tes de seu governo. Para arre-matar, Maroca afirmou que obras como esta iro coroar Sete Lago-as como a cidade inserida em um novo tempo, disse ele, usando a expresso que sintetiza o slogan de seu governo.

    Prefeito destaca projetos

    Reforando o tom po-ltico de seu discurso, o prefeito destacou ainda outras aes de seu go-verno, classificando como projetos de vanguarda a implementao do primei-ro estudo hidrogeolgico do pas e a completa re-definio do plano diretor do municpio tambm em curso.

    Maroca salientou tam-bm como obra estrutu-rante o trabalho de cap-tao de gua do Rio das velhas, projeto com inves-timentos j contratados junto ao BNDES. Ele citou ainda a construo do Centro Administrativo, em local recentemente cedi-do pelo governo Federal/Rede Ferroviria como ou-tro exemplo de ao que pretende formatar a cida-de para esta nova era.

    rPidaSFiscalizao 1

    O DER realiza desde anteontem 199 aes diretas de fiscalizao de trn-sito em rodovias estaduais. voltadas para o perodo de Carnaval, as blitze contam com participao das Pol-cias Rodovirias Estadual e Federal e buscam inibir causas de acidentes, interferindo ativa e diretamente an-tes que ele efetivamente ocorra. As aes, alm dos condutores de ve-culos, fiscalizaro os transportadores regulares e clandestinos.

    Fiscalizao 2Antes de realizar a ao preventiva, os rgos envolvidos mapearam as regies mais procuradas peleos fo-lies nesse perodo - Serra do Cip, Diamantina, Pirapora, Ouro Preto, Mariana, So Joo del-Rei, Regio Metropolitana de Belo Horizonte, entre outros. Haver, tambm, a ve-rificao preventiva da situao das vias. Para isso, o DER vai trabalhar com 256 fiscais e 103 viaturas nas rodovias sob sua responsabilidade.

    Numa clara demonstra-o de reao poltica com vistas ao pleito sucessrio que se avizinha, o prefei-to Mrio Mrcio Maroca (PSDB) participou, na ter-a (7/2) do programa O Povo no Rdio da Rdio Musirama. Durante mais de uma hora o prefeito foi sabatinado ao vivo por mo-radores de vrias regies da cidade, respondendo questes sobre diferentes setores da administrao municipal, alm de colher sugestes, rebater crticas e apresentar um relatrio de obras em andamento e apresentando projetos pretende implantar.

    O prefeito dedicou tem-po em especial para enal-tecer sua atuao na rea de sade, ressaltando a humanizao do servio que teria absorvido, se-

    gundo o prefeito, 32% do oramento municipal du-rante sua gesto.

    No setor de infraestru-tura o prefeito destacou o fim das enchentes na ci-dade com as obras na rede pluvial, apesar das fortes chuvas que castigaram a ci-dade nos ltimos meses. Os investimentos neste setor, de acordo com Maroca, ul-trapassaram a casa dos R$ 3 milhes. O prefeito deixou o estdio da emissora com vrias questes no respon-didas por conta do tempo do programa, mas prometeu tentar responder uma a uma as pendncias.

    Por determinao do prefeito, a Assessoria de Comunicao da prefeitura encaminhou as questes, conversando diretamente com os autores das deman-das apresentadas.

    no rdio, Maroca rebate crticas e ouve sugestes

    no eSTdio Maroca respondeu populares durante mais de uma hora

    QuiN DRuMMOND/COMuNiCO

  • 9BeM-eSTar Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    eSTudo Adolescentes paulistas comem menos nutrientes do que o recomendado

    esto faltando nutrientesJovens consomem menos frutas, verduras e legumes do que deveriam, segundo pesquisa

    Por Herivelton Moreira

    Mais da metade dos adolescen-tes paulistanos consome menos nutrientes do que recomendado pela Organizao Mundial de Sa-de (OMS). A concluso de uma pesquisa feita pela Faculdade de Sade Pblica da universidade de So Paulo (uSP), mapeando hbi-tos alimentares de 512 jovens, com idade entre 14 e 18 anos, de fam-lias de diferentes classes sociais e nveis de escolaridade.

    O nutricionista Eliseu verly Ju-nior, que apresentou a pesquisa em sua tese de mestrado, informa que a deficincia no consumo de nutrientes est divida basicamen-te em dois tipos. Primeiro, no consumo de vitaminas A, C e E, encontradas em alimentos como brcolis, frutas ctricas e leos ve-getais. O segundo tipo, no consu-mo de magnsio, fsforo e clcio. Nutrientes encontrados na carne, leite e vegetais verde-escuros, explica verly.

    www.BLOg.JASMiNEALiMENTOS.COM/DivuLgAODe acordo o nutricionista, essa

    deficincia pode facilitar a ocorrn-cia de doenas cardiovasculares e de alguns tipos de cncer e doenas sseas como a osteoporose.

    De forma geral, a deficincia na ingesto desses nutrientes causa-da por maus hbitos alimentares disse verly Junior, em entrevista Agncia Brasil. Os jovens comem menos frutas, verduras e legumes do que deveriam, completou.

    BiSCOitOSNa avaliao do especialista,

    alm de comerem menos alimentos saudveis, os adolescentes tam-bm consomem mais biscoitos e sanduches hoje em dia. Por isso, acabam ingerindo mais sdio do que deveriam.

    A OMS recomenda o consu-mo de no mximo 2,3 gramas de sdio por dia. Essa quantidade est contida em 6 gramas de sal de cozinha. Entretanto, 85% dos adolescentes de So Paulo conso-mem mais do que isso.

    Por Clara PazosAgncia invivo/Fundao

    Osvaldo Cruz

    Sua vida est tima! voc popular, tem vrios ami-gos, suas notas esto boas. At mesmo o cara de quem voc gosta quer levar voc ao baile da escola. De repente, a bomba! voc tem que usar aparelho.

    Essa a histria de Sharon, a protagonista do desenho animado Sorriso Metlico, e de muitos outros jovens. Adolescncia, apelidos, goza-o, vontade de se esconder ningum merece... Mas pelo menos o seu aparelho no tem poderes mgicos bastante atrapalhados, como os da Sha-ron. E lembre-se: ao final, seu sorriso vai estar lindo!

    O que leva uma pessoa a usar aparelho odontolgico? H diversos fatores que tor-

    Sorriso metlico faz bem sade e autoestimacurioSidade

    nam necessrio o incio do tratamento. Pode ser por falta ou deficincia do desenvolvi-mento das arcadas dentrias, influenciada principalmente pela alimentao pobre em fibras. Respirar pela boca,

    por exemplo, pode causar deslocamento da arcada den-tria, provocando problemas na mordida. Hbitos inade-quados, como chupar dedos e chupetas, causam a mesma deformao. A gentica tam-

    bm influencia, perpetuando problemas odontolgicos nas arcadas e bases sseas atravs de geraes.

    Os dentes desalinhados prejudicam a autoestima de jovens e crianas, que mui-

    tas vezes procuram o dentista apenas por motivos estticos. Porm, importante lembrar que o objetivo do tratamento a sade do paciente; a melho-ra da esttica facial apenas uma consequncia.

    No fundo, no existe uma idade certa para o comeo do tratamento. O recomendado que seja iniciado enquanto a criana est em fase de cres-cimento, entre os sete e os catorze anos. Em alguns casos mais severos, necessrio que o tratamento comece aos cinco ou seis anos de idade.

    Hoje em dia, no apenas os jovens, mas tambm os adul-tos esto usando aparelho. Quem, quando criana, teve vergonha ou no tinha condi-es financeiras para cuidar dos dentes, depois de adulto resolveu recuperar o tempo perdido, alm dos tratamentos estarem mais baratos.

    Crianas e aDuLtos Uso do aparelho odontolgico para alinhar os dentes recomendado em qualquer idade

    MORguEFiLE/DivuLgAO

  • 10 granDes personaLiDaDes Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    meu padim padre CceroFama de milagreiro comeou aps hstia entregue por ele virar sangue

    Por Herivelton Moreira

    Ele virou lenda no serto, reverenciado durante anos por nada menos que Renato Ara-go, que, em muitas das brin-cadeiras do personagem Didi, falava: ai, meu padim, padre Ccero. Ccero Romo Batista nasceu em Crato, no Cear, em 24 de Maro de 1844 (morreu em 20/071934).

    Ele foi ordenado padre, s que bem antes fez voto de cas-tidades aos 12 anos, inspirado na vida de So Francisco de Sales. Floro Bartolomeu, seu mdico, foi tambm seu grande mentor intelectual.

    miLagreEm 1889, durante uma

    missa, a hstia ministrada por Padre Ccero a Maria de Ara-jo teria se transformado em sangue. O fenmeno teria se repetido por dois anos. A seu pedido, a diocese formou uma

    comisso de padres e profis-sionais da rea da sade para investigar o ocorrido. Em 13 de outubro de 1891, chegou-se concluso de que no havia ex-plicao natural para os fatos ocorridos, sendo portanto um milagre.

    insatisfeito, o bispo Dom Joaquim Jos vieira nomeou nova comisso para o caso, tendo como presidente o pa-dre Alexandrino de Alencar e o secretrio o padre Manoel Cn-dido, que concluram que tudo no passava de um embuste. Tal parecer d incio a uma perseguio a Padre Ccero, uma vez que a populao no aceita o resultado da comisso e ele tido como provocador desta desobedincia popular.

    Condenado, Padre Ccero vai a Roma em 1898 e conse-gue a sua absolvio. Ao re-tornar ao Brasil, a deciso foi revista e ele chegou a ser exco-mungado. Hoje se estuda a sua

    veCuLos

    HiSTria Esttua de padre Ccero em Crato, no Cear; no detalhe, Lampio

    www.BLOgDOJuAzEiRO.BLOgSPOT.COM/DivuLgAO

    MarcH O pequeno da Nissan agradou o consumidor brasileiro

    aumento de 154%A Nissan anunciou um cresci-

    mento de 154% nas vendas no ms de janeiro deste ano, em compara-o com o mesmo ms em 2011. A empresa, que pretende atingir 5% de participao de mercado at 2014, teve como destaques as ven-das de March e versa, com 2.554 e 1.581 unidades emplacadas, res-pectivamente.

    Outro destaque anunciado pela marca foi a famlia Tiida, que em-

    placou 1.224 unidades, o que repre-senta um crescimento de 40% em relao a janeiro de 2011. O Sentra registrou 859 unidades, crescendo 37% no comparativo com o mesmo perodo de 2011.

    Atualmente, com 130 lojas em todo o Brasil, a marca tem planos de aumentar esse nmero para mais de 239 at 2016. Alm disso, a Nis-san tambm anunciou a construo de uma nova fbrica no pas, em

    Resende, Estado do Rio de Janeiro, prevista para entrar em operao em 2014 e com capacidade de pro-duzir 200 mil carros por ano.

    Lanado em setembro de 2011, o Nissan March cumpriu o principal propsito da montadora japonesa, que era alavancar as vendas no Brasil. Com o March passamos da segunda para a primeira diviso, declarou o presidente da Nissan no Brasil, Christian Meunier.

    www.NiSSAN.COM.BR/DivuLgAO

    posio dentro da igreja Cat-lica. Em 1977, ele foi canoniza-do pela igreja Catlica Apost-lica Brasileira, uma dissidncia da igreja Catolica Apostolica Romana.

    poLtiCaFiliado ao extinto Parti-

    do Republicano Conservador

    (PRC), Padre Ccero foi o pri-meiro prefeito de Juazeiro do Norte, em 1911, quando o po-voado foi elevado a cidade. Em 1926, eleito deputado federal, mas assume o cargo. Foi ainda, vice-governador do Cear. No final da dcada de 1920, o Padre Ccero perde a sua fora poltica, que acaba

    com a Revoluo de 1930. Mas, o seu prestgio como milagrei-ro s aumentou.

    cangaovigulino Ferreira da Silva, o

    Lampio, e Padre Ccero se en-contraram uma nica vez, em Ju-azeiro do Norte, no ano de 1926. O cangaceiro recebeu a beno do padre para combater a re-volta comunista liderada por Luis Carlos Prestes. Lampio e os quarenta e nove cangaceiros que o acompanhavam ouviram conselhos para abandonar o cangao.

    O Rei do Cangao exigiu receber a patente que lhe fora prometida, Pedro de Albuquer-que uchoa, nico funcionrio pblico federal no municpio, escreveu em uma folha de pa-pel que Lampio seria, a partir daquele momento, capito e receberia anistia por seus cri-mes. O bando deixou Juazeiro sem enfrentar a Coluna Prestes.

    A general Motors anun-ciou que a brasileira isela Cos-tantini ser a primeira mulher a assumir a presidncia da marca na Argentina, uruguai e Paraguai. A executiva era a diretora de ps-venda da gM Amrica do Sul. Ela ocupa-r o novo cargo partir de 1

    de maro no lugar de Sergio Rocha, que ir comandar as operaes da montadora na Coreia do Sul.

    Nascida em So Paulo e filha de argentinos, isela se formou em marketing no Para-n e comeou na gM em 1998. Em 2002, foi transferida para

    a fbrica de picapes em Ar-lington (Texas), nos Estados unidos, onde foi gerente de chassis. Ela voltou ao Brasil como gerente de programas e, em 2004, entrou para a rea de pesquisa de mercado de Amrica Latina, frica e Orien-te Mdio.

    Brasileira na gM argentinawww.www.CHEvROLET.COM.BR/DivuLgAO

    MarKeTing Formao de Isela ajudou a subir na empresa

  • 11CuLinria Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    o prato mais badalado da tv brasileira

    modo de preparoCarne de panelaTempere com alho, tempero baiano, tempero para carne e colorau. Deixe descansar por 15 minutos. Coloque a carne na panela com leo e deixe dourar. Em seguida, coloque gua, caldo de bacon e deixe cozinhar por 20 minutos na presso. Depois que a gua secar e a carne estiver macia, deixe dar uma leve fritada e coloque o tomate, cebola e cheiro verde. Deixe cozinhar mais um pouco, sempre mexendo para que a gua da cebola e tomate no deixem a carne muito molhada. Depois que a carne estiver um pouco frita, est pronto. PolentaHidratar a polenta com gua. Numa panela, colocar a polenta hidratada e o caldo e a gua. Cozinhar em fogo baixo. No fim, quando estiver j cozido, colocar os queijos e mexer at incorporar. Para dar cremosidade, coloque a manteiga no fim.

    Carne de panela

    2 colheres de sopa de leo1 Kg de miolo de acm em pedaos grandes2 dentes de alho amassados1 colher (caf) de tempero baiano1 envelope de tempero para carne1 copo de gua1 cubo de caldo de bacon2 cebolas em rodelas2 tomates picados xcara (ch) de cheiro verde picadoSal a gosto2 colheres (sopa) de leo1 colher (caf) de colorau Polenta cremosa2 xcaras de fub pr-cozido4 xcaras de gua1 caldo de frango2 colheres de sopa de manteiga1 pitada de sal3 xcaras de queijo minas padro3 xcaras de queijo gruyere1 xcara de requeijo1 xcara de parmesoSal a gosto

    ingredientesReceita divulgada no programa Hoje em Dia, da Rede Record

    Tv RECORD/DivuLgAO

    Destaque facebook da semana

    amigos do faCeBooK Domingo em Casa... participe voc tambm

    Helvcio de Oliveira JniorPorteiro

    Helvcio de Oliveira JniorCristina OliveiraDona de casa

    Cristina Oliveira Heleno Marques SilvaAgente penitencirioHeleno Marques SilvaJuliana Curi

    PublicitriaJuliana Curi Dani tefilo

    Tcnica em administraoDani tefilo

    Fcil perdoar ...difcil pedir perdo.

    FOTOS ARQuivO PESSOAL

    CRiS MAtOS

    PROFESSORA

  • 12 enTreTeniMenTo Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    resumo de novelas

    cora

    es

    Fer

    idos

    (s

    Bt

    20

    h30)

    vitor se levanta no meio da cerim-nia de casamento de Amanda e Eduardo e sai da igreja. O padre segue com a cerim-nia. Amanda e Eduardo se casam. Aline diz a vitor que ele pode contar sempre com ela. vitor vai ao quarto de Amanda e volta a di-zer que a ama. vitor pergunta a Amanda o que Eduardo tem que ele no tem. Amanda o expulsa de seu quarto. Olavo acha estra-nho o fato de Amanda e Eduardo no irem para a lua de mel.

    Eduardo apresenta Amanda aos empregados da fazenda. Depois de trocar de roupa, Amanda diz a Eduardo que quer ir conhecer a fazenda. Eduardo a trata com indiferena. vera comenta com Aline que a casa est mais calma sem a presena de Amanda. Amanda abre os armrios do quarto e estranha o fato de no ver as roupas de Eduardo. Num tom frio, Eduardo comunica Amanda que eles iro dormir em quartos separados.

    Amanda no entende o que Eduardo diz e pergunta por que eles iro dormir em quartos separados. glido, Eduardo fala que precisa de sua privacidade e tambm que sabe o que melhor para os dois. Amanda fica aos prantos no quarto, pois ela no sabe o que fez para Eduardo trat--la mal. Lucy e Olavo esto aflitos, pois no conseguem fazer contato com Amanda. No restaurante, Aline diz a vitor que est dis-posta a faz-lo esquecer Amanda.

    Amanda pergunta a glauco como ele conheceu Olavo. glauco conta que foi amigo de Aloisio. Amanda revela que Aloisio era seu pai. Eduardo fica perplexo com a coincidncia. Ao ver Amanda triste, Maria lhe d conselhos e diz para ela no desistir do casamento. Eduardo ouve. Deprimida, Amanda conta a Maria que as atitudes de Eduardo mudam de uma hora para outra. Maria revela a Amanda que Rodrigo se suicidou.

    Amanda fica aterrorizada com o que ouve de Maria. Janaina se recusa a receber ordens de Amanda e diz que s obedece Eduardo. Durante discusso com Eduardo, Amanda diz que est se sentindo em crcere privado. Amanda pergunta a Eduardo se ele quer que ela v embora. Decidida, Amanda fala a Eduardo que graas ao recado que recebeu, ela vai arrumar suas malas para ir embora.

    No h exibio.

    Segunda Tera Quarta Quinta Sexta Sbado

    aque

    le B

    eijo

    (g

    lobo

    1

    9h15

    ) Maruschka diz a Mirta que vai procu-rar Regina. Felizardo pergunta a iara se ele est sendo trado por Locanda. Joselito v um esprito ao lado de Felizardo e diz que Damiana. Maruschka procura Regina e Claudia conta que Alberto e Sarita vo se casar. Rubinho sai com grace Kelly. Berna-dete fica com cime ao ver Camila, Ricardo e Flavinho juntos. Agenor se assusta quan-do Brigitte diz que quer ter um filho. vicen-te procura Claudia.

    Claudia fica mexida com a visita de vicente. Rassa diz a Sebastio que vai contratar um detetive para investigar Damiana. Maruschka pede a grace Kelly para esconder Marisol no desfile. Alberto convida Rubinho para o seu casamento. vera diz a vicente que Lucena pode ter se unido a Henrique para prejudic-lo. Maruschka recebe uma ilustre convida-da para o desfile e Ticiano arma a maior confuso com ela.

    Regina confirma que conheceu o filho de Maruschka e elas marcam um encontro. Marisol faz os ltimos ajustes no vestido de noiva de Sarita. Rubinho convida grace Kelly para acompanh-lo ao casamento de seu pai no Covil do Bagre, mas ela recusa. Rassa confirma que est disposta a investir na coleo da Shunel e Marisol se anima. Maruschka descobre que a herana de Deusa no ser liberada na Frana e ameaa grace Kelly.

    At o fechamento desta edio, a emissora no divulgou o resumo deste captulo.

    At o fechamento desta edio, a emissora no divulgou o resumo deste captulo.

    At o fechamento desta edio, a emissora no divulgou o resumo deste captulo.

    Segunda Tera Quarta Quinta Sexta Sbado

    rebe

    lde

    (rec

    ord

    20

    h30)

    Jonas exige que Pilar explique o bei-jo em Binho. Binho diz a Jonas que gosta de Pilar e que est disposto a mudar por ela. O diretor fica desconfiado, mas Leila fala para Jonas dar uma chance aos dois. Alice e Pedro decidem sair sozinhos para conhecer a cidade. Pilar garante que Diego no ficar com Roberta por muito tempo. Franco e os rebeldes procuram Eva sem sucesso. O empresrio decide chamar a polcia.

    Os rebeldes convencem Franco a no chamar a polcia. Eles encontram Eva apreciando um prdio projetado por Oscar Niemeyer e Franco fica pas-mo. Binho tenta beijar Pilar, mas ela se afasta. Marcelo aconselha Artur a fazer uma massagem para liberar a tenso. Artur faz com que Marcelo e vicente deixem o loft para receber a massagem de Becky. De volta, Maria comemora o sucesso de mais uma armao.

    Oflia confronta Mayara, que ad-mite estar com medo da gravidez. Os rebeldes comentam sobre o nervosismo que antecede o dia do show. Franco se oferece para lev-los ao local de ensaio. Diego conta para os rebeldes que Mrcia lhe falou sobre as cartas annimas no colgio. Binho beija Pilar na frente de Maria, que garante saber que eles esto fingindo. Eva aparece sem voz momen-tos antes do show.

    Pilar pergunta a Maria como ela sabe que seu namoro com Binho uma mentira. Os rebeldes consideram a possi-bilidade de serem a atrao principal do show. Os alunos colocam Maria contra a parede e a questionam sobre as cartas annimas. Franco diz aos rebeldes que Eva no est bem. Pilar fala para Binho que est com ele por convenincia. Os rebeldes ficam ansiosos ao saber que se apresentaro sozinhos.

    Pilar sai do beijo com Binho e diz a ele que no ser seu passatem-po. Binho a assegura de que nunca se apaixonar por ela, deixando Pilar sentida. Os rebeldes comemoram o sucesso do show. Lupi comunica a Alceu e Bia que ele e Luli decidiram adotar uma criana. Aps fazerem compras, Roberta, Alice e Carla so abordadas por um rapaz que as man-da entregar suas sacolas.

    No h exibio.

    Segunda Tera Quarta Quinta Sexta Sbado

    a vi

    da d

    a ge

    nte

    (glo

    bo

    18

    h15) Ana tenta tranquilizar Sofia antes

    de sua partida de tnis. Ceclia vence o primeiro set do jogo. in e Moema torcem por Sofia. Sofia ganha o jogo, e Ceclia sai da quadra vaiada por sua atitude contra a rival. Eva provoca vitria. Nanda se sur-preende com o cuidado que Francisco tem com ela. Renato pede para conversar com Suzana sobre a relao dos dois. Francisco cuida de Nanda. Alice ouve a conversa de Renato e Suzana.

    Jlia fala para Ana que Manuela no ir a seu casamento. Olvia fica enciuma-da com a ateno de todos a Sofia. Lcio aconselha Ana a procurar Manuela. Lou-reno chama Rodrigo para visitar Tiago. Alice questiona Suzana sobre sua conversa com Renato. Olvia pega o anel que Sofia ganhou de Miguel para ir a uma festa. Lou-reno se emociona ao se despedir de Tiago. Sofia descobre que seu anel sumiu, e Mar-cos e Dora ficam chocados.

    Nanda conversa com Manuela. Eva se preocupa com a demora de Ana em voltar para casa. Suzana avisa a Re-nato que tentar salvar seu casamento com Ccero. Nanda conta para Rodrigo sobre a discusso entre Manuela e Ana. Manuela afirma a in que Ana a odeia. Renato pede para falar com Alice. Olvia conta para Dora que pegou o anel de So-fia e o perdeu. Rodrigo implora que Ana desista de se casar com Lcio.

    Ana pede para Rodrigo ir embora de sua casa e passeia pela rua, lembrando da discusso que teve com a irm. Ana obser-va Lcio em um caf com Celina e no aten-de o celular quando ele liga. Sofia flagra Olvia devolvendo o seu anel, e Marcos e Dora acabam entrando em uma grande dis-cusso. Eva fica impactada ao ver o vestido de noiva da filha jogado no cho. Dora tenta discutir sua relao com Marcos, mas ele se recusa a ouvi-la. Ana procura Lcio.

    At o fechamento desta edio, a emissora no divulgou o resumo deste captulo.

    At o fechamento desta edio, a emissora no divulgou o resumo deste captulo.

    Segunda Tera Quarta Quinta Sexta Sbado

    vida

    s em

    Jogo

    (r

    ecor

    d

    22h1

    5)

    Sbado

    Raimundo entra em choque ao se deparar com Augusta morta. Ao v--lo junto ao corpo, Adalberto acusa Raimundo de ter assassinado a prpria me. Raimundo afirma que se trata de uma armadilha, mas Adalberto liga para a polcia. Raimundo foge descontrolado . guilherme diz que pode ter sido qualquer um que sabia do encontro entre Raimundo e Augusta. Raimundo aparece no enterro e zizi o acusa de ser assassino.

    Todos se voltam contra Raimundo, mas ele insiste que no matou Augusta. Carlos sugere que ele deixe o enterro. Marialice tenta expulsar Raimundo e lhe d um tapa. Desesperado, Raimundo diz que ama a me e precisa se despedir dela. Lucas pressiona Elton para admitir que matou Andrea. Regina telefona para Elton e Lucas o obriga a atender. Elton co-mea a chorar e Regina fica horrorizada ao ouvir a voz de Lucas.

    Regina percebe que Lucas segura uma arma. Ela olha no porta-luvas de seu carro e pega sua pistola. Protegida atrs da porta do veculo, a empresria grita para Lucas que s vai se aproximar quando ele largar a arma. O ex-motoris-ta de van joga sua pistola para Regina. A empresria se levanta e aponta a arma para Lucas. Antes que ela consiga atirar, o ex-motorista de van saca outra arma e os dois trocam tiros.

    O olheiro fica impressionado com o talento de Daniel e wellington, porm, pode levar apenas um deles. Francisco explica que foi at a casa de Nelize no dia do assassinato e o investigador decide averiguar e pede que um ajudante levante informaes. Pa-trcia chama a polcia para procurar Regina. O investigador garante que Elton no o assassino porque, atravs das placas, seu carro e o de Regina foram localizados no estacionamento de um restaurante.

    valdisnei questiona Margarida sobre os enchimentos sob a roupa. Ela admite estar fingindo continuar gorda para que no tentem mat-la ao descobrirem que cumpriu sua misso. valdisnei a acusa de ter feito lipoaspirao durante a viagem a Bolvia e Margarida pede que ele no revele a ningum. Lucas diz a Elton, Regina e Cleber que deseja que eles sofram antes de morrer. Lucas e os refns so surpreendidos por batidas na porta. Juliana procura por Lucas.

    No h exibio.

    Segunda Tera Quarta Quinta Sexta Sbado

    Mal

    ha

    o (g

    lobo

    1

    7h50

    )

    gabriel confronta Toms para de-fender Cristal e Babi leva a amiga para a enfermaria, preocupada com o beb. To-ms preso por sua atitude com Cristal. O reitor da universidade coloca Cristal como monitora de todos os programas da rdio. Charlene avisa a Dbora que vincius foi atropelado e que est indo com ele para o hospital. guido diz a Laura que no pode ficar com ela. Cristal fala para gabriel que o filho que ela est esperando no dele.

    guido diz para Laura que, at que se torne o homem que ela merece, eles devem ficar separados. Babi fala a gabriel que ele o pai do filho que Cristal est esperando e ele d a notcia a Alexia. Nelson aproveita a viagem de Helena para marcar uma festa em seu apartamento e lanar o bloco de Carnaval de Beto. Moiss pergunta a Car-car se ele se livrou da moto que usou para atropelar vincius. Dbora e Laura veem vincius beijar Charlene.

    Alexia sofre pensando em gabriel. Beto decide colocar seu bloco de Car-naval na rua, mesmo sem as devidas autorizaes. Moiss faz ameaas a Na-tlia depois de ouvir insinuaes sobre o atropelamento de vincius. guido procura Laura e pede para esclarecer a conversa que tiveram. gabriel reage a um assalto com um golpe de kung fu. Alexia afirma para Cristal que ela no conseguir afast--la de gabriel.

    Alexia e Cristal se encaram. Laura no consegue se entender com guido. gabriel chama Tiziu, o menino que tentou o assaltar, para participar de sua aula de kung fu. Beto repreende ziggy por comen-tar sobre a festa de pr-Carnaval na casa de Babi. Cristal finge passar mal e deixa todo trabalho da rdio nas mos de Alexia. Ale-xia flagra Cristal e gabriel na lanchonete e questiona o mal estar que a menina disse estar sentindo.

    Cristal dissimulada ao falar com gabriel e ele a defende com Alexia. Moi-ss conta para Carcar sua ideia para con-seguir dinheiro no Carnaval. Alexia avisa a Laura que viajar com gabriel. Cristal vai para o bloco de Beto e Babi a recrimina. Cristal liga para gabriel na hora em que a polcia chega para impedir o bloco de Beto de desfilar. Alexia afirma a Beatriz que provar que Cristal est mentindo para gabriel.

    No h exibio.

    Segunda Tera Quarta Quinta Sexta Sbado

    Teodora obrigada a andar com os seguranas contratados por griselda. Celina garante que Beatriz ficar com vitria. Esther pede caseira de itaipa-va que no conte a ningum sobre sua presena. Paulo recebe os croquis da prxima coleo enviados por Esther. revelado que Anjo, Joe Maluco, Juan, victor, Reinaldo e outros jogadores de vlei possuem uma tatuagem de escor-pio no tornozelo.

    griselda mostra para guaracy as notcias sobre Esther. Celina tenta convencer Beatriz a prestar queixa contra Esther. vanessa recontra-tada por Ren. Tereza Cristina nega a Patrcia que esteja envolvida com os atentados contra a famlia de gri-selda. Paulo procura Esther. Joana revela para o delegado Paredes que a loura misteriosa e Tereza Cristina so a mesma pessoa.

    Cr convence Celeste a deix-lo fa-zer sua maquiagem. Teodora sugere que Danielle enfrente os jornalistas. Pereirinha reclama dos seguranas de Quinzinho. Henrique marca um encontro com Danielle para que ela converse com Pedro Jorge. A mdica avisa aos jornalistas que far uma coletiva de imprensa. Joana fala para lva-ro que denunciou Tereza Cristina polcia. griselda vai at sua antiga casa. Paulo che-ga casa onde Esther est com vitria.

    Paulo aconselha Esther a voltar e lutar para ficar com vitria. Beatriz ouve Celina afirmar que seu maior interesse destruir Danielle. Patrcia procura Antenor na man-so de griselda. Tereza Cristina pede para Cr confirmar o libi que lvaro inventou para ela. Esther volta para o Rio enquanto Paulo dorme. zuleika estranha a proximida-de entre wallace e Dagmar. Paulo se deses-pera ao ler o bilhete de Esther avisando que deixou vitria aos seus cuidados.

    Pereirinha desconfia de que Enzo esteja realmente gostando de Danielle. A diretora do colgio de Pedro Jorge pede para conversar com Celina. lvaro, ris e Alice che-gam casa de Tereza Cristina. Letcia v Juan guilherme chegar com Chiara aps os exa-mes. Pedro Jorge pede para Danielle lev-lo para conhecer sua irm. Cr fica nervoso com a chegada do delegado Paredes. Paulo fica fascinado ao ver vitria mamando. Es-ther se assusta ao ver Danielle na televiso.

    O delegado Paredes garante a Joana que no descansar enquanto no provar que Tereza Cristina a assassina de Marcela. Patrcia se surpreende ao ver que Alexandre e Ellen esto namorando. Paulo fica orgulho-so por conseguir cuidar de vitria. Danielle conta sua verso para os jornalistas, mas constantemente interrompida por Celina. Beto Junior pergunta arquiteta se ela foi induzida por Danielle a doar seus vulos e Celina tenta manipular sua resposta.

    fina

    est

    ampa

    (glo

    bo

    21 h

    )

    Segunda Tera Quarta Quinta Sexta Sbado

    Os resumos dos captulos de todas as novelas so de responsabilidade de cada emissora Os captulos que vo ao ar esto sujeitos a eventuais reedies.

  • 15enTreTeniMenTo Domingo em Casa 7 a 13 De agosto De 2011 13teLeviso Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    eSTreia A primeira apario de Juliana na tev foi no programa educativo Escola Legal, apresentado por Regina Cas, no Canal Futura

    Juliana Knust completa 15 anos de televiso com a ambiciosa zuleika de Fina EstampaPor Geraldo Bessa

    Tv Press O teatro libertou Juliana

    Knust de seus medos. insegura e retrada na infncia, aos 12 anos, ela encontrou em um curso de ar-tes cnicas muito mais que a per-da de sua timidez. Descobriu uma profisso. Mudou minha vida e foi tudo inesperado. Por conta do meu jeito, jamais pensei em seguir a carreira de atriz. uma profisso onde voc est sempre tentando provar que capaz e tem de abrir sua vida, destaca a intrprete da determinada zuleika, de Fina Es-tampa. Natural de Niteri, em me-ados dos anos 90, Juliana se mu-dou para o Rio de Janeiro em busca de novos cursos e possibilidades. Depois de ganhar certa experin-cia profissional nos palcos, a atriz

    garantiu uma vaga na Oficina de Atores da globo. A passagem pelo celeiro da emissora foi fundamen-tal para sua estreia na tev, como a rechonchuda Laura, na temporada 1997/1998 de Malhao. No me importei em engordar oito qui-los para o meu primeiro papel na televiso. S pensava em trabalho e que aquela era uma oportunida-de de ouro!, relembra a atriz de 30 anos.

    Depois de participaes em sries e novelas de menor reper-cusso, Juliana j com o corpo em forma e mais ntima das engre-nagens da tev passou no teste para seu primeiro personagem de destaque em Celebridade, fo-lhetim das nove assinado por gil-berto Braga e exibido em 2003. A Sandrinha tornou meu nome co-nhecido. Acho que foi onde ama-

    dureci como atriz. A visibilidade de uma novela das nove enor-me. Tive de aprender a lidar com isso, conta. A partir da Sandri-nha, Juliana acumulou tipos sen-suais na carreira, como a fogosa inesita de Amrica e a alpinista social Dbora de Duas Caras, primeiro contato com o texto de Aguinaldo Silva e ltima novela da atriz antes da gravidez do peque-no Mateus, de 1 ano e meio. Foi um papel importante para mim e um momento de repensar a vida. Depois da maternidade comecei a ver minha carreira de forma muito mais sria, ressalta.

    Nos quatro anos em que ficou distante dos folhetins, Juliana mer-gulhou no teatro e , eventualmente, participava de seriados como Ca-sos e Acasos e A vida Alheia. At que comeou a sentir falta da

    rotina de gravaes de uma novela. J com planos de procurar uma per-sonagem, ela foi surpreendida com o convite de wolf Maya para voltar ao ar na atual novela das nove, tambm assinada por Aguinaldo. Minha volta teve um gostinho afetivo. Estava contando os dias para retornar. Sou uma apaixona-da pelo ofcio, garante. Dividida entre a vida de me e as gravaes de Fina Estampa, Juliana agora conta com o auxlio da preparadora Ktia Achcar para chegar ao ponto exato das cenas de zuleika, que ao contrrio do que estava na sinopse, acabou desenvolvendo ares de vil. Tudo pode mudar em uma novela! A zuleika foi por outro caminho e nada do que estava previsto com ela aconteceu. gosto desse ar de quem sabe o que quer que ela car-rega, entrega.

    Para as novas nuances de zu-leika, a atriz passou a observar mais a luta de pessoas de menor poder aquisitivo para crescerem na vida. E, sem julgamentos, Julia-na acredita que sua personagem quer apenas sobreviver. No me identifico com as atitudes da zuleika. Mas algo me diz que a ambio dela no gratuita. Acho a personagem bem naturalista, pois ningum cem por cento bonzinho, analisa a atriz, que ao completar 15 anos de televiso, j consegue controlar sua ansieda-de e autocrtica exacerbada em relao ao trabalho. Hoje em dia sou mais generosa comigo. Ator tem mania de achar que poderia ter feito melhor, mas optei por no sofrer mais. Temos o direito de errar. A soluo aprender com os erros e crescer, valoriza.

    Busca exigente

    Depois de retomar a carreira televisiva, Juliana Knust pretende voltar aos palcos assim que Fina Es-tampa chegar ao fim. No entanto, a atriz no escon-de que o retorno ao teatro independe de sua vonta-de, mas, sim, de um tex-to que segure o prazer de atuar uma temporada. Se eu no estiver muito feliz fazendo a pea, a coisa comea a ficar cansativa. No quero perder meus fi-nais de semana para qual-quer produo, brinca.

    Desde o comeo do ano, Juliana vem lendo textos para montar ou participar. No entanto, at agora, a atriz no viu nada que a instigasse ou lhe trouxesse as alegrias de vergonha dos Ps, de 2009, seu ltimo es-petculo teatral, assina-do por Fernanda Young. Eu e Danton Mello via-jamos o Brasil com essa pea. Era uma delcia contar uma histria cheia de questionamentos e in-teligncia, elogia.

    LuizA DANTAS/CARTA z NOTCiAS

    Na preparao para Malhao, durante trs meses, Juliana Knust comia de duas em duas horas e, antes de dormir, alimentava-se com massa ou banana.

    Em 2005, a atriz deu vida jovem prostituta Flor de Achados e Perdidos, longa de Jos Jofylli.

    Juliana no esconde a torcida para que a novela Celebridade seja reprisada no vale a Pena ver de Novo. Marcou muito a minha trajetria e sinto saudades daquela histria, assume.

    instantneas

    Descoberta da pro sso

  • 14 entretenimento/HorsCopo Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    O pai caipira fala para o filho caipira:- Fio, Pe a sela no cavalo vio pra eu!- Ah, pai Mas por que oc vai com o cavalo vio?- que eu acho que nis tem que gast as coisa via primeiro!- Ora, into por que o senhor no vai a p?

    Horscopo

    BriS POR DUKE

    cruzadas diretas

    Sentir que o tempo passa rapidamen-te e viver experincias muito estimu-lantes. identificao com novos gru-pos ou organizaes envolvidos com questes sociais.

    gmeos21/5 a 20/6

    Atrao por princpios ticos e em adquirir conhecimento que lhe traga aperfeioamento da alma. Pode ocor-rer modificao radical dos objetivos de vida e crena.

    cner21/6 a 217

    Em evidncia seu charme e sua beleza. Toda a sua elegncia ser notada. Est em um momento favorvel para se ar-rumar, comprar roupas novas e cuidar da aparncia.

    ries21/3 a 20/4

    Atravs de fatos inesperados poder descobrir coisas interessantes e sur-preendentes de si mesmo. Aproveite para confrontar seus medos e apren-der sobre eles.

    Touro21/4 a 20/5

    Necessidade de reavaliar sua forma de comunicao em seu meio fami-liar. Pensamentos e palavras negati-vas ou positivas podem influenciar o ambiente prximo.

    Leo22/7 a 22/8

    As mudanas ocorrero de maneira su-ave e sem que voc se esforce muito. Poder ter maior progresso pessoal de-vido a oportunidades dadas por pesso-as de seu crculo.

    virgem23/8 a 23/9

    voc quer mais espao e liberdade para fazer as mudanas necessrias em sua vida pessoal. Mas pode surgir um novo relacionamento que lhe des-pertar paixes.

    Libra23/9 a 23/10

    Lembranas no muito agradveis que aguam sua sensibilidade. A possibi-lidade que voc venha a ter reaes exageradas a respeito de determina-das coisas.

    escorpio23/10 a 21/11

    Liberte-se do passado. Esse o mo-mento de renovao pessoal e nos as-pectos ntimos de sua vida. Reforme, mude, abra caminho para o novo e no olhe para trs.

    Sagitrio22/11 a 21/12

    De agora em diante aprenda a de-senvolver os planos a,b e c. Seu pro-grama pode variar a cada situao nova. Seja flexvel, hora de rom-per com velhas estruturas.

    Capricrnio22/12 a 20/1

    Estar muito inspirado e podem surgir insights e revelaes nesta semana. interesse tambm por cincias e tec-nologias modernas. As viagens curtas estaro favorecidas.

    aqurio21/1 a 19/2

    As pessoas, os parceiros ou scios podem estar exigindo a sua presena, mas sem levar em conta as suas neces-sidades. No se ressinta. A sua presen-a faz a diferena.

    Peixes20/2 a 20/3

    Saturno cou retrgrado no signo de Libra em 07 de fevereiro e assim car at 25 de junho. hora rever o que viemos construindo ao longo dos tempos e de que maneira estamos estruturando nossas vidas. tempo de avaliar o terreno em que pisamos e vermos a realidade criando slidas estruturas.

    Por Marilda Ferraresi

    Coisa via

  • 15agito CuLturaL Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    Cada um tem a gmea que mereceClassificao 12 anos Comdia focada em Jack Sadelstein, um publicitrio de sucesso em Los Angeles, que tem uma bela esposa e filhos. Ano aps ano ele teme um evento: a visita de sua irm gmea idntica Jill no feriado de Ao de graas. A carncia e a atitude passivo-agressiva de Jill enlouquece Jack, transformando sua vida normalmente tranqila de cabea para baixo.Cineplex 2 15h 17h 19h 21h (LEg)

    A Bela e a Fera 3DClassificao Livre O mais aclamado e adorado filme dos Estdios Disney est ainda melhor. Nesta Edio Especial, totalmente restaurada e remasterizada, voc curte esta bela histria com uma nova sequencia musical e uma animao indita, integrada com perfeio ao filme original. No incio desta fbula clssica uma feiticeira transforma um prncipe cruel em uma fera horrenda. Para quebrar o feitio a Fera precisa conquistar o amor da linda e inteligente Bela antes que caia a ltima ptala de uma rosa encantada.Cineplex 3D 14h30 16h30 (DuB)

    As Aventuras de tintimClassificao LivreCineplex 3D 18h40 20h50 (DuB)

    A beira do AbismoClassificao 14 anosCineplex 4 16h50 - 18h50 20h50 (LEg)

    Filhas do MalClassificao 12Cineplex 1 15h 17h - 19h (LEg)

    Alvim e os Esquilos 3Classificao LivreCineplex 2 15h (DuB)

    cinema

    PreosCineplex Shopping Sete LagoasRua Otvio Campelo Ribeiro, 2801,EldoradoPreos: Segunda a quinta R$ 8(inteira) R$ 4 (meia)tera maluca - R$ 5 (inteira) R$ 2,50 (meia)Sexta a Domingo/Feriado R$12 (inteira)R$ 6 (meia)ingresso 3D Segunda a Quinta R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia)Sexta a Doming/Feriado R$16 (inteira)R$ 8 (meia)

    folia carnavalesca agita arredores de sete Lagoas

    Proximidade

    carnaval da sade

    Kairs 2012

    H vrios opes para quem preferir pular Carnaval sem ir muito longe de casa. A apenas 30 km de Sete Lagoas, Cachoeira da Prata tambm possui uma folia de destaque. Haver apresentaes do grupo Swingo do ghetto, alm da Banda Mole e das bandas Caravelas, Farol da barra, Banda uai, Freaza, entre outras atraes. J em Matozinhos, tambm a 30 km de Sete Lagoas, o Carnaval ficou parado por 5 anos e agora volta em grande estilo. Os folies se reuniro na praa Bom Jesus, que receber uma arquibancada para as pessoas que quiserem acompanhar o desfile dos blocos caricatos e escolas de samba. O objetivo resgatar a tradio, que j foi forte na cidade. Alm de Cachoeira da Prata e Matozinhos, outra boa opo para se passar o feriado a cidade de Caetanpolis, la 35 km de Sete Lagoas. O 16 Carnaval de Rua da cidade, (18 a 21/2, ter o DJ Tiago de Diniz, banda vira & Mexe, San Remo e a banda sete-lagoana Toque de Classe, entre outras atraes.

    A Prefeitura de Sete Lagoas no ficou pra trs na folia e comeou a campanha Se rolar, use camisinha, que ser voltada para os jovens gays, de 15 a 24 anos. A programao do Carnaval da Secretaria de Sade comea na quarta-feira, dia 15, de 9 s 14h, em frente ao CAT/JK. Sero distribuidos preservativos, haver medio de presso arterial, teste de glicemia, clculo de ndice de massa corporal e orientaes sobre dengue e vacinas. Apresentaes do Bloco do Pirulito de BH e de Drag Queens sero algumas das atraes do pr-carnaval da Sade.

    Entre 18 e 21 de fevereiro, acontecer no Espao Reviver, no bairro Boa vista, o encontro de Carnaval Kairs 2012. O evento, que contar com muito louvor, adorao, cura e comunho, ter como base os ministrios de msica da Renovao Carismtica Catlica de Sete Lagoas. Quem j est com presena confirmada no encontro o padre Joo Evangelista, que reitor e prior local do Seminrio Nossa Senhora de Pentecostes. Outro detalhe importante que no local haver o Kairozinho, com atraes para a crianada.

    pompuOutro Carnaval bastante cobiado pela juventude atual o da cidade de Pompu, que fica a 100 km da nossa cidade. Em 2012, a folia no podia ser diferente e promete agitar os turistas com 120 horas de curtio em 5 dias, que o tema da festa. Para ocupar tantas horas de diverso, foram necessrias diversas atraes, sendo que entre elas esto os funkeiros Mr. Catra e DJ Malboro, o cantor Alexandre Peixe (ax) e os pagodeiros do Molejo e Jeito Moleque. O Carnaval de Pompu rene cerca de 40 mil folies no feriado prolongado, que, alm dos shows, contaro com uma boate e trios eltricos. Em Sete Lagoas, quem vende os ingressos para a folia Beth Reis. Para entrar em contato com a comissria basta ligar nos telefones (31) 3771-2116 e 8812-3116.

    instrumentos novosA banda unio dos Artistas, representada pelo maestro Sr. Hlio Costa, e que conta com mais de cem anos de histria em Sete Lagoas, foi contemplada pelo programa Bandas de Minas, do governo do Estado. Na ltima semana, em solenidade no palcio Tiradentes, o governador Antonio Anastasia fez a entrega dos seis novos instrumentos de sopro para a instituio. Com o novo equipamento, o maestro afirmou que a sonorizao da banda contar com uma qualidade maior, o que acaba sendo um incentivo a mais para os integrantes. Os instrumentos recebidos pela banda substituiro outros que serviro para novos alunos ensaiarem.

    Muita gente no sabe, mas se voc tambm f do hit Ai se eu te pego, do cantor Michel Tel, uma tima oportunidade para assistir a um show dele ser no Abaet Folia. A festa da cidade, que est a aproximadamente 160 km de Sete Lagoas, considerada uma das mais animadas do Estado e rene cerca de 25 mil pessoas nos cinco dias de Carnaval. Em 2012, sexta edio da folia, os organizadores prometem uma festa ainda maior, com atraes em cinco ambiente, rea de alimentao, espao lounge e boate Taj Mahal. Entre as atraes, alm do Michel Tel, esto a dupla sertaneja Joo Bosco & vincius, Comunidade do Batuque (samba, pagode e ax), Tca na Janela (samba/pop) e o cantor do ax mineiro Erick Pimenta. Para mais informaes basta entrar em contato pelos telefones (31) 3281-2737 ou (37) 9109-9297.

    michel tel em abaet

    QuiN DRuMMOND/COMuNiCAO

    DivuLgAO

    DivuLgAO

  • 16 eSPorTeS Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    Nesta semana, um garo-to do Amrica emocionou a todos com sua histria de vida. O meia Kaio entrou no 2 tempo contra a Calden-se e balanou as redes pela primeira vez como profis-sional. A vitria do Coe-lho por 2 a 0 pelo Mineiro foi especial para o garoto que, no ltimo domingo, completou 19 anos. Kaio goiano, mas chegou a Belo Horizonte com 14 anos, passou pelas categorias de base do Cruzeiro, onde foi dispensado, at ser ampa-rado pelo Amrica. Apesar do sucesso recente, com a conquista do Campeonato Brasileiro sub-20, a pro-moo ao profissional e as boas atuaes em suas pri-meiras aparies, o garoto contou que, por diversas vezes, pensou em abando-nar a carreira de futebol. No entanto, Kaio no desis-tiu do seu sonho e hoje j tratado como uma joia rara no Amrica, uma promessa de craque. um belo exem-plo de superao.

    tiME iDEAL A torcida do Cruzeiro

    est na bronca, tambm no por menos. A Ra-posa encerrou o ano com uma pssima campanha no Campeonato Brasilei-ro e estreou com derrota no Estadual. visando a reabilitao, hoje, diante do Tupi, o tcnico wag-ner Mancini promoveu vrias mudanas. O capi-to Fbio retorna ao gol e Roger ao meio-campo. O lateral Diego Renan, to contestado pela torcida, vai atuar na esquerda. Na direita, Marcos ganha mais uma chance. Ou-tra novidade pode ser a estreia do atacante wal-ter. Se as alteraes no derem certo, a situao ficar insustentvel para wagner Mancini, que j vive o fantasma de wan-derley Luxemburgo. Afinal de contas, o cruzeirense

    acostumado com ttulos e com times competitivos. Mas, ser se a culpa apenas do treinador? Fica a pergunta. A resposta so-mente o tempo dir.

    MALDiO DOS PNALtiSA sndrome dos p-

    naltis perdidos virou pe-sadelo no Atltico. Aps desperdiar trs penais nos trs jogos-treinos na pr-temporada, Richar-lysson perdeu mais uma cobrana, na vitria por 2 a 1 contra o Amrica de Te-filo Otoni. At Ronaldinho gacho tem perdido pnal-tis, no Flamengo, e vrios outros craques j come-teram essa proeza. Como no se esquecer de zico, no Mundial de 1986, con-tra a Frana. O pnalti no uma questo de sorte ou loteria, mas de competn-cia, disse o grande Ferenc Puskas, da clebre seleo hngara, na Copa de 1954. Errar humano, mas os jo-gadores profissionais so treinados para acertar.

    DO FUNDO DO BAS o amor constri

    para a eternidade. Essa era uma das frases favori-tas do pernambucano gen-til Cardoso, que treinou as maiores equipes do Rio de Janeiro e de So Paulo. Entre tantas prolas, ele soltou uma histrica quan-do recebeu um grupo de jogadores inexperientes para treinar. E era um tal de chuta pr cima, que gentil Cardoso reuniu os garotos, chamou um em particular e perguntou: meu filho, a bola feita de que? De couro, respondeu o garo-to. E o couro vem de onde? vem do Boi, s gentil. E o boi gosta de comer o que, menino? gosta de capim, de grama, seu gentil. En-to, meus garotos, bola na grama, no cho, rastei-rinha, rasteirinha. Da sur-giu expresso, tem que comer grama para vencer.

    Final feliz

    Enio LimaNarrador esportivo

    A Federao Mineira de Karat divulgou a lista do ranking das escolas da re-gio Central do Estado. A escola Shido Kan, de Sete Lagoas, foi a 1 classificada. Em segundo lugar, vem ou-tra escola da cidade, a Caic. Outra oportunidade para os atletas de Sete Lagoas mos-

    trarem sua fora no esporte ser entre os dias 10 e 11 de maro, quando aconte-cer o Campeonato Mineiro de Karat em uberlndia. L sero definidos os re-presentantes de Minas no Campeonato Brasileiro, que acontecer em vitria (ES), em julho.

    ranking das escolas

    SHiDO KAN-DivuLgAO

    REPRODuCAO gOOgLE STREET viEw

    na Luta Mestre e aluno da Escola Shido Kan praticam exerccio

    novo espao O campo do Eldorado, inutilizado h algum tempo, foi recuperado com apoio da comunidade

    rPidaSLeilo

    O 1 leilo da Arena do Ja-car (foto) no atraiu inte-ressados. O prximo leilo acontecer na quinta-feira, dia 16, s 14h30, quando haver mais chances do es-tdio ser arrematado. Para arrematar o lugar na 1 pra-a era necessrio pagar R$ 19 milhes, valor dado pelo judicirio. Porm, no pr-ximo dia 16, o interessado poder levar a Arena por um lance mnimo de R$ 9,5 mi-lhes, 50% de seu valor ini-cial. O Democrata Futebol Clube, comodotrio e pro-prietrio do estdio, jun-tamente com o governo do Estado, que investiu grande quantia no campo, esto se movimentando para evitar que o Jacar fique sem a arena. A deciso ser recor-rida no Tribunal de Justia, em Belo Horizonte.

    recuperado com ajuda popular

    Desde o ano passado, devido s fortes chuvas e falta de apoio, o campo de futebol do bairro Eldorado ficou inutilizado. Porm, na ltima semana, o De-mocrata Futebol Clube, em parceria com a comunidade do bairro, fez um trabalho de recuperao do campo. Os moradores ganharam

    seu principal ponto de la-zer de volta enquanto o Ja-car passar a fazer alguns treinamentos no local.

    De acordo com a asses-soria do Democrata, o piso do local estava muito alto, o que demandou cerca de 16 horas de trabalho de poda, utilizando um trator e uma roadeira. No total, foram 3

    dias de trabalho por parte do coordenador de servios gerais do clube, Edvaldo Mendes, o vav. O campo ser utilizado para realizar treinos, principalmente da equipe jnior, sendo que ontem foi a estria do Ja-carezinho no campo do El-dorado, com um jogo teste contra a equipe do Betim.

    QuiN DRuMMOND/COMuNiCAO