jornal domingo em casa 30ª edição

Download Jornal Domingo em Casa 30ª edição

Post on 14-Mar-2016

258 views

Category:

Documents

31 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Domingo em Casa 30ª edição

TRANSCRIPT

  • ParTiciPao FeMininaEmpresrias, educadoras e donas de casa, enfi m, mulheres fundaram um grupo para participar da poltica. Pg. 4 8.000diSTriBuio graTuiTa naS reSidnciaS. naS BancaS r$ 0,50

    doMingo eM caSaFO

    TOS

    AD

    E PE

    REiR

    A D

    E O

    LivE

    iRA

    , CiD

    A C

    Ou

    TO E

    Lu

    CiA

    NO

    RiB

    EiRO

    /ARQ

    uiv

    O P

    ESSO

    AL

    ANO 1 | EDiO 30 | SEtE LAGOAS | 11 A 18 DE FEVEREiRO DE 2012 ANO 1 | EDiO 30 | SEtE LAGOAS | 12 A 18 DE FEVEREiRO DE 2012

    Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores. Pgs. 5 e 15Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar

    a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.Pgs. 5 e 15Pgs. 5 e 15Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar

    a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores. Pgs. 5 e 15

    CAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiA

    TIRAGEM AUDITADA

  • 2 oPinio Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012

    Prazer em publicar

    Almerindo Camiloalmerindo@domingoemcasa.com.br

    duke

    A Arena do Jacar e outros bichosCom o retorno dos jogos do

    galo, do Coelho e da Raposa para Belo Horizonte, a Arena do Jacar est perto de se trans-formar em um elefante branco. Mas, o que poderia se tornar um grande desperdcio, pode ser uma oportunidade para Sete Lagoas ter um mega-espao multiuso. H tempos a cidade pleiteia um centro de eventos. Por que no adaptar a Arena do Jacar neste empreendimento?

    Em 1997, o BNDES emitiu um estudo (disponvel na inter-net) chamando a ateno para a indstria do entretenimento. O documento enfatiza que, alm de propiciar alternativas de di-verso para a populao e de ser responsvel pelo incremento do fluxo turstico, este setor tem se caracterizado como grande ab-sorvedor de mo-de-obra. No relatrio, o BNDES conclui que a transformao de estdios de esportes em arenas multiuso a principal estratgia para ala-vancar o crescente mercado de lazer, como j acontece nos EuA e na Europa.

    Muitas cidades j tiveram que lidar com questo de seus estdios de esportes se transfor-

    marem em elefante branco. A frica do Sul, anfitri da ltima Copa, adaptou os estdios para eventos variados, desde semi-nrios, workshops, at grandes shows. Os estdios foram adap-tados para receber tambm pequenos eventos, tipo festa de casamento e treinamentos empresariais. O importante otimizar ao mximo a ocupao das infraestruturas.

    Depois de no ser esco-lhido para jogos da Copa de 2014, o Estdio Morumbi vai ser adaptado para se tornar uma arena multiuso com centro de conveno, shopping, hotel, galerias e museu, restaurantes e estacionamentos. O que seria um mico transformou-se num empreendimento capaz de ge-rar lucros, principalmente, de-vido a sua localizao.

    Para resolver a situao da Arena do Jacar, so necess-rias algumas aes prticas. Primeiramente, o Estado pode remanejar a administrao, da ADEMg para a CODEMig que j explora vrios centros de even-tos e tem viso mais empreen-dedora. Pode ser proposto que a Justia aceite a formao de um

    condomnio de credores para resolver a questo do passivo do Democrata. Pode-se fazer uma licitao de mbito internacio-nal para atrao de investidores na transformao e explorao da Arena em espao multiuso.

    A localizao geogrfica da cidade favorvel a esse in-vestimento. Perto do aeroporto internacional, o tempo de des-colamento de BH relativamen-te pequeno, e a regio possui contingente populacional para abrigar diversos eventos. Den-tre eles: espetculos culturais como concertos, shows, peas de teatro, circo, apresentaes esportivas, tanto individuais quanto coletivas, exposies co-merciais, seminrios, congres-sos, convenes partidrias, cultos e pregaes religiosas, rodeios, shows de MotoCross, de luta livre, etc, etc...

    A situao da Arena do Jacar interessa a todos minei-ros. Afinal, tem muito dinheiro pblico investido. Mas, o im-portante que no se transfor-me na arena do mico, arena do cabea de burro enterrada, e outros bichos sinnimos de desperdcios e insucesso.

    Jos Luiz Almeida CostaConsultor em inovaes

    Publicao da AC&S Mdia Ltda CNPJ - 05.373.616/0001-21Rua Luiz do Carmo, 39Bairro Jardim Arizona - Sete Lagoas-Mg - CEP 35700-374 - (31) 3775-0629Diretor geral e editor responsvel - Almerindo Camilo (2709/Mg)Coordenador comercial - Sidney Duarte (comercial@domingoemcasa.com.br)Coordenador de eventos - Herivelton Moreira da CostaCoordenador de distribuio - Rafael MelgaoEditora - Marina AlvesReportagem - Jos vtor Camilo e Cris DuarteDiagramao - Antonio Dias e wanderson Fernando Diastiragem - 8.000 exemplaresimpresso - O Tempo Servios grficos (Contagem-Mg)Contato comercial em BH - AC&S Mdia Ltda (31) 2551-7797Representante comercial SP, Rio e Braslia - Screanmedia (11) 3451-0012 e (11) 9141-2938

    OS ARtiGOS ASSiNADOS NO EXPRESSAM NECESSARiAMENtEA OPiNiO DEStE JORNAL.

    doMingo eM caSa

    A filosofia editorial adotada pelo DOMiNgO EM CASA proporcionar aos leitores o prazer da leitura, um desafio permanente para a nossa equipe de jornalismo. Preocupamos em proporcionar aos leitores a abor-dagem melhor elaborada possvel dos temas debatidos em cada edio. Procuramos tambm adicionar sem-pre como ingrediente para melhor atender o leitor um cunho de servio em nossas publicaes.

    Os jornais tradicionais tm como objetivo noticiar os principais

    acontecimentos. isso, porm, um ciclo enfadonho sem fim. Os fatos so repetitivos, a notcia de hoje repe-te o mesmo enredo publicado h um ano. S mudam os personagens, local e data. E isto se agrava com a compe-tio desigual que a mdia eletrnica impe, tornando o fazer mdia im-pressa um desafio ainda maior para quem se aventura nessa rea.

    Com a massificao da circu-lao da informao, o jornalismo narrativo dos fatos acontecidos vem dando lugar ao jornalismo mo-derno que publica matrias contex-tualizadas que analisam (ao invs de simplesmente narrar) os as-pectos mais relevantes da notcia, buscando oferecer ao consumidor desta informao o leitor um dado mais digerido e contextuali-zado, facilitando sua compreenso e apreenso.

    com orgulho que a filosofia edi-

    torial do DOMiNgO EM CASA reco-nhecida, no s pelos leitores de Sete Lagoas, mas tambm, por leitores localizados em outras cidades minei-ras, e at de outros estados. O retorno que obtemos dos leitores atesta que adotamos a filosofia certa. Aps sete meses de circulao, o leitor sete--lagoano j incorporou o hbito da leitura semanal do jornal, dando-nos retornos que confirmam o acerto da orientao editorial que adotamos.

    Recentemente tivemos a oportu-nidade de comprovar para agncias e assessorias de imprensa, tanto do go-verno federal, quanto estadual e mu-nicipal, que o nmero de exemplares distribudos na cidade corresponde exatamente quantidade expressa em nosso expediente, contrariando uma prtica de omitir a tiragem que durante anos a fio norteou o setor.

    um dos diferenciais do DO