Jornal Domingo em Casa 30ª edição

Download Jornal Domingo em Casa 30ª edição

Post on 14-Mar-2016

257 views

Category:

Documents

31 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Domingo em Casa 30 edio

TRANSCRIPT

<ul><li><p>ParTiciPao FeMininaEmpresrias, educadoras e donas de casa, enfi m, mulheres fundaram um grupo para participar da poltica. Pg. 4 8.000diSTriBuio graTuiTa naS reSidnciaS. naS BancaS r$ 0,50</p><p>doMingo eM caSaFO</p><p>TOS </p><p>AD</p><p>E PE</p><p>REiR</p><p>A D</p><p>E O</p><p>LivE</p><p>iRA</p><p>, CiD</p><p>A C</p><p>Ou</p><p>TO E</p><p> Lu</p><p>CiA</p><p>NO</p><p> RiB</p><p>EiRO</p><p>/ARQ</p><p>uiv</p><p>O P</p><p>ESSO</p><p>AL</p><p> ANO 1 | EDiO 30 | SEtE LAGOAS | 11 A 18 DE FEVEREiRO DE 2012 ANO 1 | EDiO 30 | SEtE LAGOAS | 12 A 18 DE FEVEREiRO DE 2012</p><p>Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores. Pgs. 5 e 15Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar </p><p>a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores.Pgs. 5 e 15Pgs. 5 e 15Escolas de samba e blocos caricatos, que invadiram Sete Lagoas nos anos 80, do lugar </p><p>a novos ritmos. Confira programao para o Carnaval na cidade e arredores. Pgs. 5 e 15</p><p>CAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiACAiA NA FOLiA</p><p>TIRAGEM AUDITADA</p></li><li><p>2 oPinio Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012</p><p>Prazer em publicar</p><p>Almerindo Camiloalmerindo@domingoemcasa.com.br</p><p>duke</p><p>A Arena do Jacar e outros bichosCom o retorno dos jogos do </p><p>galo, do Coelho e da Raposa para Belo Horizonte, a Arena do Jacar est perto de se trans-formar em um elefante branco. Mas, o que poderia se tornar um grande desperdcio, pode ser uma oportunidade para Sete Lagoas ter um mega-espao multiuso. H tempos a cidade pleiteia um centro de eventos. Por que no adaptar a Arena do Jacar neste empreendimento?</p><p>Em 1997, o BNDES emitiu um estudo (disponvel na inter-net) chamando a ateno para a indstria do entretenimento. O documento enfatiza que, alm de propiciar alternativas de di-verso para a populao e de ser responsvel pelo incremento do fluxo turstico, este setor tem se caracterizado como grande ab-sorvedor de mo-de-obra. No relatrio, o BNDES conclui que a transformao de estdios de esportes em arenas multiuso a principal estratgia para ala-vancar o crescente mercado de lazer, como j acontece nos EuA e na Europa.</p><p>Muitas cidades j tiveram que lidar com questo de seus estdios de esportes se transfor-</p><p>marem em elefante branco. A frica do Sul, anfitri da ltima Copa, adaptou os estdios para eventos variados, desde semi-nrios, workshops, at grandes shows. Os estdios foram adap-tados para receber tambm pequenos eventos, tipo festa de casamento e treinamentos empresariais. O importante otimizar ao mximo a ocupao das infraestruturas.</p><p>Depois de no ser esco-lhido para jogos da Copa de 2014, o Estdio Morumbi vai ser adaptado para se tornar uma arena multiuso com centro de conveno, shopping, hotel, galerias e museu, restaurantes e estacionamentos. O que seria um mico transformou-se num empreendimento capaz de ge-rar lucros, principalmente, de-vido a sua localizao.</p><p>Para resolver a situao da Arena do Jacar, so necess-rias algumas aes prticas. Primeiramente, o Estado pode remanejar a administrao, da ADEMg para a CODEMig que j explora vrios centros de even-tos e tem viso mais empreen-dedora. Pode ser proposto que a Justia aceite a formao de um </p><p>condomnio de credores para resolver a questo do passivo do Democrata. Pode-se fazer uma licitao de mbito internacio-nal para atrao de investidores na transformao e explorao da Arena em espao multiuso.</p><p>A localizao geogrfica da cidade favorvel a esse in-vestimento. Perto do aeroporto internacional, o tempo de des-colamento de BH relativamen-te pequeno, e a regio possui contingente populacional para abrigar diversos eventos. Den-tre eles: espetculos culturais como concertos, shows, peas de teatro, circo, apresentaes esportivas, tanto individuais quanto coletivas, exposies co-merciais, seminrios, congres-sos, convenes partidrias, cultos e pregaes religiosas, rodeios, shows de MotoCross, de luta livre, etc, etc...</p><p> A situao da Arena do Jacar interessa a todos minei-ros. Afinal, tem muito dinheiro pblico investido. Mas, o im-portante que no se transfor-me na arena do mico, arena do cabea de burro enterrada, e outros bichos sinnimos de desperdcios e insucesso.</p><p>Jos Luiz Almeida CostaConsultor em inovaes</p><p>Publicao da AC&amp;S Mdia Ltda CNPJ - 05.373.616/0001-21Rua Luiz do Carmo, 39Bairro Jardim Arizona - Sete Lagoas-Mg - CEP 35700-374 - (31) 3775-0629Diretor geral e editor responsvel - Almerindo Camilo (2709/Mg)Coordenador comercial - Sidney Duarte (comercial@domingoemcasa.com.br)Coordenador de eventos - Herivelton Moreira da CostaCoordenador de distribuio - Rafael MelgaoEditora - Marina AlvesReportagem - Jos vtor Camilo e Cris DuarteDiagramao - Antonio Dias e wanderson Fernando Diastiragem - 8.000 exemplaresimpresso - O Tempo Servios grficos (Contagem-Mg)Contato comercial em BH - AC&amp;S Mdia Ltda (31) 2551-7797Representante comercial SP, Rio e Braslia - Screanmedia (11) 3451-0012 e (11) 9141-2938</p><p>OS ARtiGOS ASSiNADOS NO EXPRESSAM NECESSARiAMENtEA OPiNiO DEStE JORNAL.</p><p>doMingo eM caSa</p><p>A filosofia editorial adotada pelo DOMiNgO EM CASA proporcionar aos leitores o prazer da leitura, um desafio permanente para a nossa equipe de jornalismo. Preocupamos em proporcionar aos leitores a abor-dagem melhor elaborada possvel dos temas debatidos em cada edio. Procuramos tambm adicionar sem-pre como ingrediente para melhor atender o leitor um cunho de servio em nossas publicaes.</p><p>Os jornais tradicionais tm como objetivo noticiar os principais</p><p>acontecimentos. isso, porm, um ciclo enfadonho sem fim. Os fatos so repetitivos, a notcia de hoje repe-te o mesmo enredo publicado h um ano. S mudam os personagens, local e data. E isto se agrava com a compe-tio desigual que a mdia eletrnica impe, tornando o fazer mdia im-pressa um desafio ainda maior para quem se aventura nessa rea.</p><p>Com a massificao da circu-lao da informao, o jornalismo narrativo dos fatos acontecidos vem dando lugar ao jornalismo mo-derno que publica matrias contex-tualizadas que analisam (ao invs de simplesmente narrar) os as-pectos mais relevantes da notcia, buscando oferecer ao consumidor desta informao o leitor um dado mais digerido e contextuali-zado, facilitando sua compreenso e apreenso.</p><p> com orgulho que a filosofia edi-</p><p>torial do DOMiNgO EM CASA reco-nhecida, no s pelos leitores de Sete Lagoas, mas tambm, por leitores localizados em outras cidades minei-ras, e at de outros estados. O retorno que obtemos dos leitores atesta que adotamos a filosofia certa. Aps sete meses de circulao, o leitor sete--lagoano j incorporou o hbito da leitura semanal do jornal, dando-nos retornos que confirmam o acerto da orientao editorial que adotamos.</p><p>Recentemente tivemos a oportu-nidade de comprovar para agncias e assessorias de imprensa, tanto do go-verno federal, quanto estadual e mu-nicipal, que o nmero de exemplares distribudos na cidade corresponde exatamente quantidade expressa em nosso expediente, contrariando uma prtica de omitir a tiragem que durante anos a fio norteou o setor. </p><p>um dos diferenciais do DO-MiNgO EM CASA a sua capaci-dade logstica operacional em fa-zer com que todos os exemplares impressos sejam efetivamente distribudos, de casa em casa e em pontos estratgicos da cida-de, semana a semana, faa chuva ou faa sol. Este trabalho asse-gura a capilaridade das informa-es e das inseres publicitrias aqui veiculadas.</p><p> por isto que publicar o DO-MiNgO EM CASA um prazer que se renova cada semana.</p><p>Tenha uma boa leitura!</p></li><li><p>3cidade e regio Domingo em Casa 12 a 18 De fevereiro De 2012</p><p>Mais seguranaPrefeitura publica edital que regulamenta mais 180 mototaxistas na cidade</p><p>A prefeitura publicou, na ltima sexta-feira, um edital da licitao que regulamenta mais 180 vagas de mototaxistas na cidade. No total, sero habilitados 535 profissionais sendo que 155 j haviam sido defini-dos anteriormente.</p><p>A medida s foi possvel devido a regulamentao do municpio da lei Federal n 12.009, de 29 de julho de 2009. Para o presidente do Sin-dicato dos Mototaxistas e Motoboys de Sete Lagoas (Sindimoto), Evaldo da Silva Cruz, o mais importante a tranquilidade com o que os profis-sionais do setor podero trabalhar de agora em diante. Ele explica que a profisso proporciona uma renda mensal de at trs salrios mni-mos. O governo federal, atravs do Conselho Nacional de Trnsito (Contran), est profissionalizando o setor. O curso que cada mototaxista ter que fazer para abraar a profis-so, para se ter uma ideia, mostra que at a higiene pessoal uma das coisas mais importantes para ns, explica Evaldo da Silva.</p><p>Com a regulamentao da </p><p>demanda dos taxistasOs taxistas de Sete Lagoas </p><p>reclamam de vrios problemas enfrentados pela categoria, entre eles, o transporte feito at a cida-de de Belo Horizonte. Buscando uma soluo, o prefeito Mrio Mrcio Maroca deve se encontrar com representantes do Departa-mento de Estradas de Rodagem (DER) ainda nesta semana.</p><p>Na ltima tera-feira, dia 7, o prefeito se encontrou com taxis-tas. Muitos carros so presos quando chegam a Belo Horizonte </p><p>por fiscais do DER, esperamos um convnio, ou algo parecido para que possamos trabalhar com tran-quilidade, explica Dalmo Machado representante dos taxistas.</p><p>Maroca est se empenhando para resolver esse problema. To-dos precisam trabalhar e vamos buscar uma soluo para mais essa demanda dos taxistas. J est pre-vista uma reunio com representan-tes do departamento para debater-mos o assunto, que ser resolvido, tenho certeza, afirmou o prefeito.</p><p>QuiN DRuMMOND/COMuNiCAO</p><p>FeSTeJar Mototaxistas comemoraram a regulamentao da profisso</p><p>reunio Taxistas apresentaram os problemas para o prefeito</p><p>Os investimentos supe-riores a 32% do oramento municipal em sade quan-do a lei determina 15% - fei-tos pela Prefeitura de Sete Lagoas foram elogiados pelo deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB). Em visita cidade para participar de um workshop sobre a instalao de uma plataforma logstica intermodal, Azeredo lembrou que dedica uma ateno es-pecial a Sete Lagoas tam-bm por ser a terra de seu pai, Renato Azeredo, tradi-cional poltico sete-lagoano e primo do ex-prefeito Afr-nio Avelar e fez questo de ressaltar que acompanha de perto a administrao do prefeito. Maroca, apesar de engenheiro de formao, pratica uma administrao extremamente eficiente, principalmente na sade, </p><p>avanos na rea de sade so elogiadosadMiniSTrao</p><p>onde houve um salto gran-de na ampliao dos postos de sade com mdicos, por exemplo, fora a construo do hospital municipal.</p><p>Eduardo disse os investi-</p><p>mentos j foram ressaltados no Congresso. inclusive j comentei sobre a administra-o de Maroca com colegas, em Braslia, frisou.</p><p>Eduardo Azeredo aprovei-</p><p>tou para reforar a disposi-o do PSDB e do governador de Minas, Antonio Anastasia, e do senador Acio Neves em elegerem prefeitos das 50 maiores e principais cidades </p><p>do Estado, dentre elas est Sete Lagoas, que aponta-da como integrante do grupo tido como cidades-lderes.</p><p>Maroca, durante a parti-cipao no workshop, alm de agradecer o apoio do de-putado reforou seu compro-misso. Fico feliz com as pa-lavras do deputado e isso nos d motivao para seguirmos com o trabalho que feito pela cidade de Sete Lagoas. Alm dos postos de sade, temos tambm hoje uma alta resolutividade nos atendi-mentos do hospital municipal e vamos inaugurar em breve a unidade de Pronto-Atendi-mento (uPA), na Norte Sul. A projeo de nossas aes a certeza de que estamos sempre na busca por melho-rias em todos os pontos para a populao da cidade, con-cluiu o prefeito.</p><p>aprovao Eduardo Azeredo afirma que acompanha de perto a administrao do colega de partido, o prefeito Maroca</p><p>www.PSDBMiNAS.wORDPRESS.COM/DivuLgAO</p><p>profisso, os usurios tambm so beneficiados, j que uma das condies para legalizao dos mototaxistas a correta identi-ficao das motos e dos condu-tores. uniformizados, os profis-sionais tero o reconhecimento facilitado por parte dos usurios, alm de uma maior higienizao com a adoo de toucas descar-tveis para o uso dos capacetes e o pagamento de seguro para usurios e condutores.</p><p>Conforme o presidente do Sin-dimoto, quem ser interessar em </p><p>exercer o ofcio de mototaxista deve preencher alguns requisitos bsi-cos, como ser maior de 21 anos, ter mais de dois anos de habilitao, apresentar uma srie de documen-tos - incluindo a certido negativa criminal e histrico da carteira de habilitao do Detran. </p><p>O curso oferecido pelo Contran obrigatrio, assim como o registro como microempreendedor indivi...</p></li></ul>