inconfidência nº 228‏

Download Inconfidência nº 228‏

Post on 23-Jan-2018

334 views

Category:

News & Politics

49 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • BELO HORIZONTE, 30 DE JUNHO DE 2016 - ANO XXII - N 228

    AS FORAS ARMADAS TM O DEVER SAGRADO DE IMPEDIR,A QUALQUER CUSTO, A IMPLANTAO DO COMUNISMO NO BRASIL.

    Site: www.jornalinconfidencia.com.brE-mail: jornal@jornalinconfidencia.com.br

    E O SALRIO, OH!PGINA 4

    IDIOTICE NEOESQUERDISTA

    PGINA 24DIREITOSHUMANOS

    PGINA 5

    PGINA 11

    SESSENTA E SETE!

    A situao social do Rio de Janeiro h muito fugiu ao efetivo controle das instituiescivis. Assaltos dirios luz do dia nas principais vias, cruis assassinatos de civisinocentes, caos na administrao pblica, mortes de policiais militares que j se encami-nham rapidamente para uma centena, trfico de drogas dominando morros, favelas e atvias pblicas sob mira de armas modernas, quadrilhas de menores livremente assaltandotranseuntes no centro da cidade, alm de toda sorte de descasos cometidos em nome desupostos direitos humanos. O que mais falta para tambm jogarem no lixo a dignidade dopovo carioca nas vsperas das Olimpadas, um evento global? Bem sabidas so as ina-creditveis falncias motivadas por poderes corrompidos, falidos, mais interessados embenefcios pessoais do que na segurana e bem-estar dos que os elegeram. Imensa adiferena entre o povo sofrido, ameaado, e as elites polticas e judicirias muito bem pro-tegidas fsica e economicamente nos bunkers de suas reles burocracias cometidas comose democrticas fossem. Urgentssimas solues tm que ser postas nas ruas, antes quese imponha como absolutamente necessria a convocao militar para solucionar asincrias dos poderes civis. (27/06)

    CONVOCAOMILITAR ?Coronel Rodolpho Heggendorn Donner

    NR: Concordamos plenamente com o autor e lembramos que o mesmo ocorrequase em todos os estados da Federao. Julgamos que os culpados por essas tragdiasso os prprios eleitores que, no caso do Rio de Janeiro, votaram em Pezo, SrgioCabral, Benedita, Garotinhos, Brizola e outros...

    Na manh do dia 23 de junho, o Vice-Presidente do Conselho Deliberativo, coronelFlvio da Cunha Vianna, acompanhado do Conselheiro Nilton Celente Bermudez,proferiu uma palestra para o quadro social do GBOEX, em Belo Horizonte - Pg.14Pg.14Pg.14Pg.14Pg.14

    Toffoli solta Paulo Bernardo.V roubar galinha para ver aonde voc vai parar.

    S TF SOLTA EX-MINISTRO E DIZ QUE PRISO FOI ILEGAL

    VI ENCONTRO DOJORNAL INCONFIDNCIA

    Ser realizado a 13 de julho, 4. feira, s 13h30, no Salo Cristal doClube Militar/Sede Lagoa, o VI Encontro dos articulistas ecolaboradores do Jornal Inconfidncia - Leia na pgina 3Leia na pgina 3Leia na pgina 3Leia na pgina 3Leia na pgina 3

    - Lindbergh - Romrio

    - Jandira - Pedro Paulo

    P

    Internet

  • 8N 228 - Junho/2016 2

    * A. C. PortinariGreggio

    * Economista

    Entre 1951 e 1973, oPIB italiano cresceu mdia de 5,8% ao ano 350%em22anos!Nomes-mo perodo a Itlia trocou

    de governo 22 vezes. Em 1961 o EmbaixadorRoberto Campos, em misso oficial Itlia,surpreendeu-se com o contraste entre a fir-meza da economia e a fragilidade do governo.Como era possvel crescer tanto em cenrioto incerto? O Primeiro-Ministro AmintoreFanfani esclareceu: O governo italiano omais estvel da Europa, apesar do constanterodzio dos gabinetes. Em nenhum outro paseuropeu um mesmo partido governa inin-terruptamente desde a II Guerra Mundial.Na Itlia, o Partido Cristo Democrticoest no poder desde 1945. A verdade quemudam os gabinetes, mas os ministros sosubstancialmente os mesmos. O senhor mev aqui hoje como Primeiro-Ministro. Ama-nh serei Ministro do Exterior e tenho cer-teza de que, se voltar Itlia daqui a dezanos, encontrar-me- em algum posto. So-mos, na verdade, um pas de grande estabi-lidade poltica.

    Apesar disso, o sistema poltico itali-ano era frgil. Surgira como consequncia daderrota e da ocupao da Itlia pelos aliadosem 1945. A queda deMussolini causara enor-me vcuo poltico. Os comunistas aproveita-ram os tumultuados meses da transio paraperseguir, assassinar e expulsar seus adver-srios, com especial ateno aos intelectuais,jornalistas, educadores, artistas e militantessindicais. S no tomaram o poder porque aIgrejaCatlica se ops e improvisou a coalisopartidria descrita por Fanfani.

    A Itlia emergiu da Guerra alienada edesmoralizada. O contraste entre as fanfarras ebravatasdeMussolini e o vergonhoso desem-penho em combate destrura os ltimos tra-os de autoestima. Para agravar, o cenrio cul-tural do ps-Guerra foi invadido e ocupadopelas esquerdas, as quais incluam desde fa-nticos das Brigadas Vermelhas at a piorescria do bas fond artstico-literrio. O sen-timento geral era de humilhao, desiluso ecinismo.Que fazer?Anica opo decente erabaixar a cabea e trabalhar. Assim fizeram, edeu certo. Em 1963, em visita a Roma, o Pre-sidente John Kennedy comemorou os resul-tados: O crescimento da economia, da in-dstria e do padro de vida da Itlia aps aGuerra foi fenomenal. Uma nao arruina-da, atormentada por desemprego e inflao,expandiu sua produo, investiu, estabilizouos custos e a moeda e criou novos empregosnum ritmo jamais igualado noOcidente. Denao agrria e atrasada em 1950, a Itlia setornou, em 1980, a quintamaior potncia eco-nmica do mundo (PIB pelo critrio PPP purchasing power parity).

    A virada econmica teve tremendo im-pacto na sociedade italiana.Emcondiesnor-mais,qualquernao teria recuperadoseuorgu-lhonacional.Masnocasoda Itlia e da Alema-nha essa reafirmao teria custado enormepreo poltico. Eram naes em quarentena,vigiadas e tuteladas. Seu retorno ao convviointernacional s foi aceito aps humilhante

    ITLIA E MOS LIMPAS: BOAS INTENES, CAMINHO DO INFERNOSem querer a Operao Mos Limpas destruiu o governo italiano sem deixar nada no lugar.

    contrio. Proibidos de reassumir sua identi-dade nacional, o nico campo que restava aitalianosealemeseraaeconomia.Assim, con-centraram-se nela e no materialismo consu-mista, comtodasasmazelasmoraisdecorrentes.

    A ideologia de alienao e abandono daidentidade nacional no foi imposta apenas aosvencidos. Os povos vencedores tambm foramsubmetidos mesma doutrinao. Nos anos daGuerra os governos dosEstadosUnidos e da In-glaterra haviam sido ocupados por nova eliteglobalista cuja ideologia vinha sendo formadadesdeocomeodosculo20.Anovaclasse, sobopretexto de combater o nazi-fascismo, afas-toudocenrio todososquediscordassemdesuaagenda.Foiassimqueas ideologiasdaEscoladeFrankfurt, transplantadas da Europa na dcadade1930, rapidamente predominaramnosmeiosacadmicoseenfimimpregnaramtodaaculturaocidental do ps-Guerra. As novas ge-raes aprenderam que o conceito deNaonopassade invenoburguesado sculo 17, fadada a desaparecer nosculo 21.Que as tradies nacionaiss servem para esconder vergonhosopassado de injustias e opresso. Quea cultura ocidental, baseada na razoe na cincia, deve de ser abandonadaporque conduz a guerras e campos deextermnio. Que o grande defeito dacivilizao ocidental o autoritaris-mo. Que o autoritarismo o pilar dafamlia patriarcal. Concluso: a fa-mliaaorigemdetodososmales.Paramudar o mundo, portanto, deve-se co-mear por abolir a famlia.

    Paradoxalmente o perodo de1951 a 1973, que os economistas con-sideramcomoa IdadedeOuroda Itliamoderna, foi tambmapoca emque apolticamaissecorrompeu.difcilde-terminar se e quanto a corrupo pre-judicou o progresso, emuitomais dif-cil calcular como seriam as coisas se omundo fosse perfeito, se todos fossemhonestssimosecompetentssimose tu-do funcionasse conforme sublimes ideais. Maspodemosafirmarcomcertezaque,comcorrupoe tudo, a Itlia se tornou uma das naes maisricas e desenvolvidas do mundo.

    Em 1992 uma investigao criminal pu-xou o fio de imensa trama de corrupo e deuincioManiPulite, ouOperaoMosLimpas.Entre1992e1994foramindiciadascercade5milpessoas importantes, das quais cerca de 1.300foram condenadas. Mais de 400 conselhos mu-nicipais foram extintos. Cinco dosmaiores par-tidospolticosdesapareceram.Verificou-seque,almdaganncia, haviaoutro fatormais impor-tante: a prpria poltica. Um dos acusados,Sergio Moroni, escreveu antes de suicidar-se:Cometioerrodeaceitarasregrasdojogo,masno admito ser chamado de ladro porque pes-soalmente nunca embolsei uma s lira... Portantos anos todos embarcaram no trem da hi-pocrisia que escondia a verdade sobre osnossos partidos e o nosso sistema poltico. Acorrupo est na natureza do sistema. onico meio de sobreviver na poltica.

    Vinte e dois anos depois, quais os efei-tos da Mos Limpas?

    No temos espao para descrever a atualsituaodaItlia,masvamosresumir:aItlianotemgoverno,nemrumo,nemfuturodefinido.Osantigos partidos desapareceram, e deixaram es-cabroso vazio.A corrupo do sistema poltico,longe de desaparecer, parece ter aumentado.E areaodopblico, emvez de revolta, de cnicaindiferena. A populao parece ter percebi-do o que a Mos Limpas nunca aceitou: quea corrupo (infelizmente) necessria de-mocracia globalista, tal como o lubrificante necessrio aomotor.De 1992 para c, o sistemaeleitoral e a organizao do governo passarampor trs ou quatro reformas.A economia deixoude crescer. A dvida pblica aumentou de 90%para130%doPIB.Tendoabandonadooconcei-to de Nao e de interesse nacional e adotado aideologia globalista, a Itlia se deixa invadir porfalsos refugiados. Amedrontados e desorienta-

    dos, os italianos temem assumir as rdeas doseu destino, preferindo reduzir-se amera pro-vncia sob a ilusria proteo da Unio Eu-ropeia, ela prpria em desintegrao.

    Perplexos, os juzes e procuradoresque conduziram aMani Pulite tentam encon-trar explicaes ou justificativas. Queixam-sede que o pblico italiano se tornou indiferente corrupo, e j no se entusiasma com de-vassas moralistas ou com prises de polti-cos.A sociloga italianaDonatella della Portadeclarou em recente entrevista revista Vejaque a ateno da opinio pblica normal-mente curta. Para mant-la, deve haver apercepo da esperana. As pessoas preci-sam acreditar que algo pode mudar. Casocontrrio, tendem a distanciar-se e tornar-semais cnicas. E diagnostica: O grande er-ro foi acredita