Processo civil aula 4

Download Processo civil aula 4

Post on 28-May-2015

1.686 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. CURSOS ON-LINE DIR. PROCESSUAL CIVIL P/ TCU E CGU PROFESSORA MIRI NUNES AULA 04QUADROS SINTICOS RELACIONADOS MATRIA ERESOLUO DAS QUESTES PROPOSTAS COMGABARITOS COMENTADOSAULA 01QUADRO 01(JURISDIO) Substitutividade PrincipaisSecundariedade Caractersticas Inrcia Unidade Definitividade Imparcialidade Princpio da Investidura PrincpiosPrincpio da Improrrogabilidade Princpio da Indelegabilidade Princpio do Juiz Natural Princpio da Inevitabilidade Princpio da InafastabilidadeQUADRO 02 (COMPARATIVO)Jurisdio ContenciosaJurisdio VoluntriaExerccio da atividade Administrao Pblica dejurisdicional propriamente ditainteresses privados para torn-los vlidosPresena de lideQUADRO 03 (AO) Condies da Ao Possibilidade jurdica do pedido Interesse de Agir Legitimidade para a causa Elementos Partes Identificadores Causa de Pedir Pedido Classificao das De Conhecimento Aes De Execuo Cautelares www.pontodosconcursos.com.br 1</li></ul><p> 2. CURSOS ON-LINE DIR. PROCESSUAL CIVIL P/ TCU E CGUPROFESSORA MIRI NUNESAULA 02QUADRO 04 (PROCESSO)Pressupostos Subjetivos: Processuais Competncia do Juzo Capacidade das Partes Representao por advogado Objetivos: Forma Procedimental Adequada Citao Vlida Inexistncia de Litispendncia Coisa Julgada e Perempo Petio AptaEspcies deDe conhecimento ProcessoDe execuo CautelarQUADRO 05 (COMPARATIVO)ProcessoProcedimentoInstrumento para o exerccioMaterializao exterior doda jurisdio processo constitudo poruma seqncia preordenadade atosQUADRO 06 (ESPCIES DE PROCEDIMENTO)ComumOrdinrio Sumrio SumarssimoEspecial De jurisdio contenciosa De jurisdio voluntria Das Execues Das medidas Cautelareswww.pontodosconcursos.com.br 2 3. CURSOS ON-LINE DIR. PROCESSUAL CIVIL P/ TCU E CGU PROFESSORA MIRI NUNESQUADRO 07 (ATOS JUDICIAIS E RECURSOS) EspciesConceito RecursoDespachos Meras determinaes para So Irrecorrveis,o andamento do processopois no podem(desprovidos de cunhoprejudicar asdecisrio) partes.DecisesPossuem cunho decisrio, So passveis deInterlocutriasmas no extinguem o Agravo processo.Sentenas Ato do juiz que pe fim ao So passveisde processoApelaoQUADRO 08 (SENTENA) Requisitos Essenciais Relatrio Fundamentao Dispositivo (concluso)Classificao das sentenasDeclaratria Constitutiva Condenatria Mandamental Executiva Possibilidades de incongruncia Sentena citra petita entre a Sentena e o Pedido Sentena ultra petita Sentena extra petitaQUADRO 09 (COISA JULGADA) Espcies Formal (extino do processo sem julgamento do mrito) Material (extino do processo com julgamento do mrito) Limites Objetivos: A coisa julgada alcana apenas aquilo que estiver contido no dispositivo da sentena, no alcana o relatrio ou a fundamentao. Subjetivos (relativo aos sujeitos que sofrem seus efeitos): Efeitos Inter Partes ( a regra geral, atinge apenas s partes no processo). Efeitos erga omnes (exceo prevista em lei, alcana pessoas que no figuraram na lide). www.pontodosconcursos.com.br3 4. CURSOS ON-LINE DIR. PROCESSUAL CIVIL P/ TCU E CGUPROFESSORA MIRI NUNESQUADRO 10 (APELAO)Cabimento Contra sentena, com ou sem julgamento domrito (sentena=deciso que pe fim aoprocesso).Efeitos Em regra, possui o duplo efeito (suspensivo edevolutivo). Excees: art. 520 do CPCPrazo 15 diasPreparo Deve ser comprovadoQUADRO 11 (AGRAVO)Cabimento Contra deciso interlocutria (decises com cunhodecisrio, proferidas durante o processo, que nope fim ao processo).EspciesRetido nos autosDe InstrumentoPrazo 10 diasPreparo O agravo de instrumento exige preparo, o retido,no.AULA 03QUADRO 12: MANDADO DE SEGURANABase legal Art. 5, incisos LXIX e LXX, da Constituio Federal e Lei 1533/51.Espcies Individual ou ColetivoLegitimado M S Individual: Particular lesado no seu direito ativo lquido e certo por ato ou omisso de autoridade ligada administrao pblica ou no exerccio de funo delegada. MSColetivo:partidospolticoscom representao noCongressoNacional, organizao sindical, entidade de classe ou associao nacional.Legitimado A autoridade coatora que agiu ilegalmente oupassivocom abuso de poderPrazo para Prazo decadencial de120 dias a contar doimpetrao conhecimento do ato ou omisso.liminarSimObjetivo Reparar a leso ao direito lquido e certoSentena Mandamental, contm uma ordem destinada a reparar o ato ou omisso lesiva ao direito lquido e certo.www.pontodosconcursos.com.br 4 5. CURSOS ON-LINE DIR. PROCESSUAL CIVIL P/ TCU E CGUPROFESSORA MIRI NUNESQUADRO 13: AO POPULARBase legal Art. 5, inciso LXXIII e lei 4717/65.Legitimado Qualquer cidado (deve ser comprovada a qualidadeativode eleitor para figurar a cidadania)Legitimado O ente responsvel pela prtica do ato lesivo, ospassivoservidores e funcionrios que contriburam para a sua prtica e terceiros eventualmente beneficiados pelo ato lesivo.Objetivo Desconstituio do ato da administrao lesivo ao patrimnio pblico, moralidade administrativa e ao meio ambiente.Sentena Desconstituio do ato lesivo e, eventualmente, condenao do responsvel nas perdas e danos.Efeitos da Em regra, erga omnes, salvo no caso em que o juizSentena decidir pela improcedncia do pedido com base na insuficincia das provas apresentadas pelo prprio autor, quando o efeito ser inter partes.QUADRO 14: AO CIVIL PBLICABase legal Art. 129, III, da Constituio Federal e 7347/85.Legitimado Ministrio Pblico pessoas jurdicas de direito pblicoativo(autarquias, fundaes autrquicas), pessoas da administraoindireta (empresaspblicas, fundaes, sociedades de economia mista) e associaes civis em geral.Legitimado Quaisquer pessoas, naturais ou jurdicas, pblicas ouPassivoprivadas, que tenham praticado ato lesivo aos bens tutelados pela via da A C P.Objetivo Proteger (de forma preventiva ou repressiva) o patrimnio pblico e social, meio ambiente e outros interesses difusos e coletivos (direitos do consumidor, bens de valor esttico, artstico, histrico, paisagsticos, proteo contra infraes ordem econmica) e, eventualmente, buscar a reparao do dano causado.LiminarSimSentena Condenao o ru a fazer ou deixar de fazer (obrigao de fazer ou no fazer) e, eventualmente, condena ao pagamento de valores.Efeitos da Em regra, erga omnes, salvo no caso em que o juizSentena decidir pela improcedncia do pedido com base na insuficincia das provas apresentadas pelo prprio autor, quando o efeito ser inter partes. Mas, mesmo quando o efeito atribudo for erga omnes, sua extenso estar restrita delimitao da competncia territorial do rgo prolator. www.pontodosconcursos.com.br5 6. CURSOS ON-LINE DIR. PROCESSUAL CIVIL P/ TCU E CGUPROFESSORA MIRI NUNESRESOLUO DAS QUESTES PROPOSTAS COM GABARITOS COMENTADOS1) (AGU 98) Indique a opo incorreta.Nenhum juiz prestar a tutela jurisdicional seno quando a parte ou ointeressado a requerer, nos casos e forma legais (CPC, art. 2o).Assim, a inrcia uma das caractersticas da jurisdio, mas existemmatrias que o juiz pode apreciar de ofcio, tais como:a) inpcia da petio inicialO item A se apresenta de modo CORRETO relativamente acomplementar a afirmao do examinador. A petio inicialinepta pode ser prontamente reconhecida pelo juiz.b)prescrioItem B complementa de modo INCORRETO a afirmaoacima. A prescrio s pode ser reconhecida pelo juizmediante a alegao da parte, nunca de ofcio pelo juiz.c)incapacidade processual ou irregularidade de representao daspartesO item C se apresenta de modo CORRETO relativamente acomplementar a afirmao do examinador. O reconhecimentoda ausncia dessesdoisrequisitosqueconstituempressupostos processuaispode ser feito pelojuizindependentemente de alegao das partes.d)incompetncia absolutaO item D se apresenta de modo CORRETO relativamente acomplementar a afirmao do examinador.Veja que h duas hipteses de incompetncia do Juzo, arelativa e a absoluta.A incompetncia relativa no pode ser reconhecida de ofciopelo juiz, deve ser alegada pela parte, mas tal no se d com aincompetncia absoluta, que pode ser reconhecida de offiopelo juiz.e)perempo.O item E se apresenta de modo CORRETO relativamente acomplementar a afirmao do examinador a perempo podeser reconhecida de ofcio pelo juizGABARITO: LETRA B www.pontodosconcursos.com.br 6 7. CURSOS ON-LINE DIR. PROCESSUAL CIVIL P/ TCU E CGUPROFESSORA MIRI NUNES2)(AFRF-2002) O processo pode ser extinto:a) sem julgamento de mrito, com homologao de transaocelebrada entre as partes.O item A FALSO, pois a sentena que homologa o acordocelebrado entre as partes no processo resulta em extinocom julgamento do mrito e faz coisa julgada material (art.269, III, do CPC).b) com julgamento de mrito, quando o juiz indeferir a petio inicialfundado em decadncia, ainda que o ru no tenha sido citado.O item B VERDADEIRO, pois o reconhecimento dadecadncia causa de extino com julgamento do mrito(art. 269, IV).c) com julgamento de mrito, quando o juiz acolher a argio deperempo.O item C FALSO, pois o art. 267 do CPC, em seu inciso V,enumera a perempo entre as hipteses de extino SEM OJULGAMENTO DO MRITO.d) com julgamento de mrito, quando o juiz acolher, de oficio, aprescrio relativa a direitos patrimoniais.O item D FALSO, pois a prescrio no pode serreconhecida de ofcio pelo juiz, mas apenas mediante alegaoda parte.e) com julgamento de mrito, quando o juiz acolher a argio daexistncia de coisa julgada.O item E FALSO, pois o art. 267 do CPC, em seu inciso V,dispe que na presena da coisa julgada haver a extino doprocesso sem o julgamento do mrito.GABARITO: LETRA B5) (BACEN 2001)A sentena pe fim ao processo, sem julgamento demrito:a) far coisa julgada material quando a extino resultar daconstatao da existncia da perempo.O item A FALSO. O reconhecimento da perempo importana formao da coisa julgada formal pois caso de extinosem julgamento do mrito.b) no transitar em julgado, uma vez que no resolveu o conflito deinteresses.www.pontodosconcursos.com.br7 8. CURSOS ON-LINE DIR. PROCESSUAL CIVIL P/ TCU E CGUPROFESSORA MIRI NUNESO item B FALSO.O trnsito em julgado ocorre peloesgotamento das vias ou o decurso do prazo recursal in albis(isto , sem que a parte se utilize do recurso).A sentena de extino sem julgamento do mrito transita emjulgado, apenas constituir coisa julgada formal (que noobsta a propositura de nova ao) e no material.c) resulta sempre da ausncia de um pressuposto de constituioe/ou desenvolvimento da relao processual.O item C FALSO. A ausncia de uma das condies da aotambm resulta na extino do processo sem o julgamento domrito.d) no autoriza a interposio de recurso, uma vez que fica aberta avia da repropositura.O item D falso. A deciso que pe fim ao processo sem ojulgamento do mrito, sentena e, como tal, pode ser objetode Apelao.Tomemos um exemplo em que o juiz extinguiu o processo semjulgamento do mrito por entender que o autor no possualegitimidade para a causa. O autor discorda do juiz, entendeque est, sim, legitimado sua propositura e recorre aotribunal. Se o tribunal acolher o recurso, anular a deciso dojuiz de primeiro grau e o processo retornar vara de origempara que o juiz prossiga no seu julgamento e profira novasentena.e) quando o faa pela existncia de litispendncia, ser obstculo aque seja intentada de novo a ao, na permanncia do motivo queserviu primeira extino.O item E est correto. O Art. 268 do CPC estabelece que nashipteses do art. 267, inciso V (perempo litispendncia ecoisa julgada) a extino sem julgamento do mrito obsta propositura de nova ao idntica.6)(AFC/CGU - 2003/2005) Em relao aos Princpios Constitucionaisdo Processo Civil, assinale a opo correta.a) A Constituio Federal assegura o devido processo legal no mbitocriminal; no mbito cvel sua aplicao feita por analogia, j queno expressamente previsto.O item A FALSO, pois a previso constitucional daaplicao do devido processo legal ampla, dirigida a todos oslitigantes, seja na instncia judicial ou administrativa. www.pontodosconcursos.com.br8 9. CURSOS ON-LINE DIR. PROCESSUAL CIVIL P/ TCU E CGUPROFESSORA MIRI NUNESb) Nos processos administrativos no punitivos, porque no hacusados, desnecessria a aplicao dos princpios do contraditrioe da ampla defesa. FO item B FALSO, j que a previso constitucional daaplicao do contraditrio e da ampla defesa, corolrios queso do princpio do devido processo legal tambm ampla,dirigida a todos os litigantes, seja na instncia judicial ouadministrativa.c) Como o ru exerce a garantia da ampla defesa na contestao,esse princpio no possui aplicao na fase probatria. FO item C FALSO, uma vez que Contraditrio e ampla defesaesto assegurados aos litigantes em qualquer fase doprocesso ou grau de jurisdio. Veja que at mesmo em setratando de prova pericial, o juiz permitira a nomeao deassistente pela parte.A prova pericial aquela que depende de uma rea doconhecimento (engenharia, medicina, arquitetura etc) que ojuiz no domina. Diante da necessidade de produo de provatcnica, o juiz nomeia um perito de sua confiana, que deveatuar de modo imparcial.Faculta-se a ambas as partes, em tal caso nomear assistente,que um profissional com expertise naquela rea doconhecimento, justamente para viabilizar o contraditrio (jque a parte e seu advogado no possuem tal conhecimento).Veja ento que a aplicao do contraditrio e da ampla defesano pode ser suprimida em nenhum momento do processo.d) O princpio do contraditrio implica assegurar que as contradiessuscitadas pelas partes sejam devidamente esclarecidas pelo juiz nasentena.O item D est correto, pois todas as questes apontadaspelas partes e consideradas para a prolao da deciso final,todos os pontos significativos abordados por ambas as partes,devem ser mencionadas e esclarecidas na motivao, nafundamentao da sentena.e) O princpio do juiz natural abrange a vedao de julgamentos porjuzo ou tribunal de exceo e as regras sobre competncia dosjuzos.O item E FALSO O princpio do juiz natural possui contedomuito mais amplo que o proposto no enunciado. Abrange nos a vedao aos tribunais de exceo com tambm anecessidade de um juzo previamente determinado econhecido. uma garantia de imparcialidade. www.pontodosconcursos.com.br 9 10. CURSOS ON-LINE DIR. PROCESSUAL CIVIL P/ TCU E CGUPROFESSORA MIRI NUNESAs regras de competncia ajudam a conhecer previamente ojuzo responsvel, o juzo natural, mas constituem merocritrio de distribuio de trabalho. Muitas normas decompetncia so estabelecidas nasnormasinfraconstitucionais, o CPC, os cdigos de organizaojudiciria etc, no esto elevadas categoria de princpioconstitucional como a garantia do juzo natural.GABARITO: LETRA D7)(AFC/CGU - 2003/2005) Em relao atividade jurisdicional, sespcies de processo e tutela jurisdicional, assinale a opo correta.a) Para que a sentena de um processo de conhecimento produzaefeitos, necessrio um processo autnomo de execuo.O item A VERDADEIRO. Em regra, as sentenas proferidasnas aes de conhecimento devem ser executadas.Aqui cabe um comentrio: voc sabe que o processo deconhecimentopodegerar sentenas declaratrias,constitutivas e condenatrias.Uma sentena que condena algum a pagar um valor, porexemplo, ter que ser executada, essa a regra, mas h umaespcie de sentena proferida na ao de conhecimento, adeclaratria, que peculiar.Se a ao de conhecimento de cunho exclusivament...</p>