orÇamento - ?· o orçamento dentro da gestão empresarial é mais bem entendido quando analisado...

Download ORÇAMENTO - ?· O orçamento dentro da gestão empresarial é mais bem entendido quando analisado junto…

Post on 09-Nov-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Pontifcia Universidade Catlica de Gois

    Departamento de Engenharia Disciplina: Administrao e Finanas para Engenharia

    Cdigo: ENG1530 Prof.: Luis Guilherme Magalhes

    Alunos: Philipe Laperche dos Santos Michelli de Souza Silva Nakamura

    Jean Marcos de Araujo Jaqueline Elizabeth Marques Portela

    Murilo Cesar de Oliveira Diego Olimpio de Paula

    ORAMENTO

    Junho/2013

  • FUNDAMENTAO TERICA

    1 Administrao Financeira

    Tratando-se de administrao financeira, sero expostas aqui idias de diferentes autores que

    mencionam conceitos, caractersticas e suas funes dentro do departamento financeiro auxiliando na

    tomada de deciso da organizao.

    Para Braga (1989, p.23)

    A administrao financeira consiste na funo financeira,

    compreende um conjunto de atividades relacionadas com a gesto dos

    fundos movimentados por todas as reas da empresa. Essa funo

    responsvel pela obteno dos recursos necessrios e pela formulao de

    uma estratgia voltada para a otimizao do uso desses fundos. Encontrada

    em qualquer tipo de empresa.

    Gitman (2002) comenta que a administrao financeira pode ser contemplada como economia

    aplicada, por onde fundamentada por conceitos tericos econmicos. O autor ainda menciona que a

    administrao financeira diferencia-se da contabilidade pelo simples fato de que uma trata de fundos e a

    outra na tomada de decises.

    No tratamento de fundos a diferena que o contador fornece os dados para avaliar o desempenho da

    empresa e sua situao financeira, j o administrador financeiro analisa os fundos gerais da empresa.

    Na tomada de deciso, o executivo financeiro avalia as demonstraes fornecidas pelo contador e toma as

    decises em cima dos dados fornecidos, j o administrador financeiro utiliza as demonstraes como um

    importante insumo na hora da tomada de decises.

    A funo financeira compreende os esforos despendidos objetivando a formulao de um esquema

    que seja adequado maximizao dos retornos dos proprietrios das aes ordinrias da empresa e ao mesmo

    tempo em que possa propiciar a manuteno de em certo grau de liquidez (ARCHER e DAMBROSIO 1969,

    p. 367).

    2 Princpios da utilizao de oramentos

    Neste tpico ser exposto o que oramento e os princpios da utilizao de um plano de oramentos,

    que se pretender desenvolver em uma entidade sem fins lucrativos.

    Segundo Lunkes (2003, p.35) a origem da palavra oramento deve-se aos antigos romanos,

    que usavam uma bolsa de tecido chamada de Fiscus para coletar os impostos. Posteriormente, a palavra

    foi tambm utilizada para as bolsas da tesouraria e tambm para os funcionrios que as usavam.

    O autor contempla ainda que a prtica do oramento atual deve-se ao desenvolvimento da constituio

    inglesa em 1689. Existia ainda tambm uma lei onde dizia que somente o rei ou o primeiro ministro poderia

    cobrar certos impostos ou gastar certos recursos com o consentimento do parlamento.

    O oramento dentro da gesto empresarial mais bem entendido quando analisado junto as

    funes administrativas. Os diversos sentidos de administrao de uma empresa podem ser sintetizados

    em trs funes bsicas: planejamento, organizao e controle (OLIVEIRA et al., 2005).

    Para Tung (1994) o oramento considerado um ciclo de planejamento, execuo e controle e

    engloba: a organizao empresarial; os sistemas de registro; os sistemas de planejamento; os sistemas de

    relatrios; e os sistemas de controle. Com essa colocao de Tung o oramento pode ser definido de

    forma genrica, como sendo apresentao dos resultados anteriores de um plano, projeto ou estratgia.

    Tung (1994, p. 28) afirma que o oramento tem como finalidade a criao de uma base para a previso e o

    controle de eventos econmico-financeiros futuros que esto ao alcance das empresas.

  • Segundo Sanvicente e Santos (1995, p.26) tanto a introduo de um sistema oramentrio em

    uma empresa que at ento no utilizava quanto a sua utilizao regular durante anos seguidos requerem,

    para um aproveitamento adequado das vantagens existentes bem como para a superao das limitaes, a

    obedincia a alguns princpios ou condies fundamentais.

    indispensvel ressaltar que a alta administrao apie o uso do sistema em vrias reas da empresa,

    pois se trata da formalizao dos planejamentos e controles anuais das atividades da empresa; deve

    haver tambm um calendrio apropriado para que os administradores da empresa participem do

    planejamento, pois com a participao deles acaba-se minimizando o conflito negativo que possam existir na

    organizao e tendem a aumentar o empenho de cada administrador na rea que comanda (SANVICENTE E

    SANTOS, 1995).

    Outros dois aspectos que o autor trata a orientao da alta administrao com relao aos

    participantes de nveis inferiores, auxiliando-os para que no se sintam perdidos e para que tambm coloquem

    suas projees em um contexto mais firme. O outro aspecto com a participao desses nveis intermedirios

    a alta administrao visa conseguir o apoio dos administradores subalternos onde podero conseguir

    resgatar os objetivos que tenham sido transmitidos.

    Segundo os autores ainda indispensvel que o sistema, particularmente na sua fase de

    acompanhamento e controle, gere informaes que dem destaque apenas s diferenas significativas

    entre o desempenho planejado e o desempenho efetivo, como elemento para as decises posteriores pelos

    destinatrios das informaes.

    Conforme os autores Sanvicente e Santos (1995), se os administradores no fizerem o que foi citado

    acima, o essencial do oramento estar arruinado, pois os administradores que optem as informaes de controle

    no diminuiro o seu envolvimento dirio. O sistema oramentrio um instrumento de planejamento e

    controle de resultados econmicos e financeiros, tambm um plano de trabalho da organizao mais

    detalhada que expressa quantitativamente as polticas de compras, produo, vendas, recursos humanos,

    gastos gerais, qualidade e tecnologia da empresa. Segundo Zdanowicz (1998), a tcnica oramentria

    fundamenta-se nas diretrizes contidas no plano geral de ao, estabelecido de acordo com os objetivos, metas e

    polticas de curto e longo prazo da empresa, visando melhor utilizao dos recursos fsicos, materiais e

    monetrios disponveis no perodo projetado. um instrumento de tomada de deciso, que se relaciona com

    todas as reas e atividades da empresa, visa ao objetivo comum, suas metas s sero alcanadas quando todos os

    esforos convergirem para o mesmo fim. Est intimamente ligada ao planejamento e controle.

    3 Objetivos, caractersticas e definies do oramento

    A seguir ser exposto alguns objetivos e caractersticas que estudiosos como Cattelli (1972), Tung

    (1994) e Zdanowicz (1989) julgam importantes destacar. Catelli (1972, p.27) afirma que o oramento pode ser

    sumarizado como um plano de ao detalhado, desenvolvido e distribudo como um guia para operaes e como

    uma base parcial para subseqente avaliao de desempenho. J para Zdanowicz (1989, p.20) oramento

    um instrumento que descreve um plano geral de operaes e/ou de investimentos por um determinado

    perodo, orientado pelos objetivos e metas propostas pela alta administrao. E Tung (1994, p.30)

    menciona que o oramento consiste, essencialmente, em um plano de trabalho coordenado e no controle

    desse plano.

    O oramento um plano de ao feito para ser realizado a longo prazo. Dentro dos oramentos esto

    includos as receitas futuras, fluxo de caixa e posio financeira, j as demonstraes financeiras so

    feitas para perodos passados e podem ser tambm elaboradas para perodos futuros (HORNGREN, FOSTER e

    DATAR, 1997).

    Com base nos autores citados acima percebe-se que alm do oramento ser essencial para a avaliao

    dos futuros planos, tambm aceita a contagem dos resultados por cargos atuando no papel de controle

    atravs de um sistema de custos e contabilidade. O oramento esta focado dentro da administrao com

    aspectos de responsabilidades do planejamento, execuo e controle administrativo.

    Para Brookson (2000) menciona que os oramentos agem de forma ativa dentro das organizaes

    auxiliando no planejamento e controle empresarial. Apia tambm nas aes dos lderes de diversas reas,

  • cumprem com os objetivos da empresa, concede autoridade aos lderes de cada rea para realizar despesas e

    prover metas claras de receita, conforme quadro 1 abaixo:

    Segundo Zdanowicz (1989, p.21) salienta que o processo oramentrio deve apresentar as

    seguintes caractersticas: projeo do futuro, flexibilidade na aplicao e participao direta dos

    responsveis. Tung (1994, p.39) expondo as caractersticas do oramento de acordo com: um grau de

    acerto aceitvel, a adaptabilidade ao ciclo operacional da empresa e a capacidade de demonstrar com

    rapidez pontos problemticos e indicar decises corretas atravs de relatrios emitidos.

    Aps o estudo sobre os objetivos e caractersticas do oramento, ser abordado no prximo

    tema algumas definies de oramentos.

    Segundo Oliveira, et al.