Orçamento Público Análises do Orçamento Kilmer Távora Teixeira

Download Orçamento Público Análises do Orçamento Kilmer Távora Teixeira

Post on 21-Apr-2015

104 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> Slide 1 </li> <li> Oramento Pblico Anlises do Oramento Kilmer Tvora Teixeira </li> <li> Slide 2 </li> <li> Lembrando os Romanos... O Oramento Nacional deve ser equilibrado. As Dvidas Pblicas devem ser reduzidas, a arrogncia das autoridades deve ser moderada e controlada. Os pagamentos a governos estrangeiros devem ser reduzidos, se a Nao no quiser ir falncia. As pessoas devem novamente aprender a trabalhar, em vez de viver por conta pblica. Marcus Tullius Ccero - Roma, 55 a.C. </li> <li> Slide 3 </li> <li> PPA Piau (2008 2011) Problemas na definio das metas fsicas; participativo; No h um estudo quanto efetividade desta participao popular; No h um acompanhamento efetivo das metas fsicas, e sim somente do financeiro- oramentrio </li> <li> Slide 4 </li> <li> PPA - Piau um instrumento de planejamento de mdio prazo, mas no parece indicar um norte para o desenvolvimento econmico Quais as estratgias? Que setores priorizar? Que benefcios as regies do Piau tero ao fim de 4 anos? As metas fsicas contemplam esses benefcios? </li> <li> Slide 5 </li> <li> LDO - Piau No h priorizao dos investimentos ano a ano; No h previses precisas das alteraes nas leis tributrias e sim genricas; No h previses precisas tambm nos aumentos dos gastos de pessoal; H autorizaes genricas para o executivo dispor desses gastos; As orientaes para a confeco do oramento so basicamente cpia da LRF </li> <li> Slide 6 </li> <li> Relembrando os princpios oramentrios PRINCPIODESCRIO LegalidadeO Oramento objeto de uma lei especfica, e como tal, deve cumprir a formalidade prevista para o seu processo de elaborao legislativa. Equilbrio oramentrioEm cada exerccio financeiro o montante da despesa no deve ultrapassar a receita prevista para o perodo. PublicidadeO Oramento de um pas quando aprovado deve sempre ser divulgado atravs dos veculos oficiais de comunicao para conhecimento e fiscalizao do povo. No-vinculao (ou no-afetao)Decorre da previso constitucional contida no art. 167, IV que probe a vinculao de receita de impostos a rgo, fundo ou despesa </li> <li> Slide 7 </li> <li> Equilbrio Oramentrio </li> <li> Slide 8 </li> <li> Atendimento Constitucional Gastos mnimos com Educao (CF) Art. 212. A Unio aplicar, anualmente, nunca menos de dezoito, e os Estados, o Distrito Federal e os Municpios vinte e cinco por cento, no mnimo, da receita resultante de impostos, compreendida a proveniente de transferncias, na manuteno e desenvolvimento do ensino. Gastos mnimos com Sade (CF, ADCT art. 77) II no caso dos Estados e do Distrito Federal, doze por cento do produto da arrecadao dos impostos a que se refere o art. 155 e dos recursos de que tratam os arts. 157 e 159, inciso I, alnea a, e inciso II, deduzidas as parcelas que forem transferidas aos respectivos Municpios; e (Includo pela Emenda Constitucional n 29, de 2000) (Includo pela Emenda Constitucional n 29, de 2000) III no caso dos Municpios e do Distrito Federal, quinze por cento do produto da arrecadao dos impostos a que se refere o art. 156 e dos recursos de que tratam os arts. 158 e 159, inciso I, alnea b e 3. (Includo pela Emenda Constitucional n 29, de 2000)(Includo pela Emenda Constitucional n 29, de 2000) </li> <li> Slide 9 </li> <li> No Piau, oramento de 2011 </li> <li> Slide 10 </li> <li> Na sade... </li> <li> Slide 11 </li> <li> Gastos com Pessoal (CF) Art. 169. A despesa com pessoal ativo e inativo da Unio, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municpios no poder exceder os limites estabelecidos em lei complementar. A Lei complementar elaborada foi a LC 101/00 (Lei de Responsabilidade Fiscal) </li> <li> Slide 12 </li> <li> Limites com Pessoal (LRF) Art. 19. Para os fins do disposto no caput do art. 169 da Constituio, a despesa total com pessoal, em cada perodo de apurao e em cada ente da Federao, no poder exceder os percentuais da receita corrente lquida, a seguir discriminados: I - Unio: 50% (cinqenta por cento); II - Estados: 60% (sessenta por cento); III - Municpios: 60% (sessenta por cento). </li> <li> Slide 13 </li> <li> Ainda LRF... Art. 20. A repartio dos limites globais do art. 19 no poder exceder os seguintes percentuais: I - na esfera federal: a) 2,5% (dois inteiros e cinco dcimos por cento) para o Legislativo, includo o Tribunal de Contas da Unio; b) 6% (seis por cento) para o Judicirio; c) 40,9% (quarenta inteiros e nove dcimos por cento) para o Executivo, destacando-se 3% (trs por cento) para as despesas com pessoal decorrentes do que dispem os incisos XIII e XIV do art. 21 da Constituio e o art. 31 da Emenda Constitucional n o 19, repartidos de forma proporcional mdia das despesas relativas a cada um destes dispositivos, em percentual da receita corrente lquida, verificadas nos trs exerccios financeiros imediatamente anteriores ao da publicao desta Lei Complementar; d) 0,6% (seis dcimos por cento) para o Ministrio Pblico da Unio; </li> <li> Slide 14 </li> <li> LRF Gastos com Pessoal nos Estados II - na esfera estadual: a) 3% (trs por cento) para o Legislativo, includo o Tribunal de Contas do Estado; b) 6% (seis por cento) para o Judicirio; c) 49% (quarenta e nove por cento) para o Executivo; d) 2% (dois por cento) para o Ministrio Pblico dos Estados; </li> <li> Slide 15 </li> <li> LRF Gastos com pessoal nos municpios III - na esfera municipal: a) 6% (seis por cento) para o Legislativo, includo o Tribunal de Contas do Municpio, quando houver; b) 54% (cinqenta e quatro por cento) para o Executivo. </li> <li> Slide 16 </li> <li> Gastos com Pessoal Estado do Piau </li> <li> Slide 17 </li> <li> Receita Corrente Lquida </li> <li> Slide 18 </li> <li> Vinculaes de Despesas Fundos de modo geral Constituio do Piau Fundo de Cultura Art. 229 (...) 4 facultado ao Estado vincular fundo estadual de fomento cultura at cinco dcimos por cento de sua receita tributria lquida, para o financiamento de programas e projetos culturais, vedada a aplicao desses recursos no pagamento de: (Redao dada pela Emenda Constitucional n 27 de 17.12.08) I - despesas com pessoal e encargos sociais; (Redao dada pela Emenda Constitucional n 27 de 17.12.08) II - servios da dvida; (Redao dada pela Emenda Constitucional n 27 de 17.12.08) III - qualquer outra despesa corrente no vinculada diretamente aos investimentos e aes apoiadas. (Redao dada pela Emenda Constitucional n 27 de 17.12.08) </li> <li> Slide 19 </li> <li> Fundo de Combate a Pobreza Lei Especfica 5.622/2006 A Emenda Constitucional Federal n. 31, de 14.12.00, altera o Ato das Disposies Constitucionais Transitrias,Introduzindo artigos que criam o Fundo de Combate e Erradicao da Pobreza Ver, sobre a matria, os artigos 79 a 83, do Ato das Disposies Constitucionais Transitrias, Constituio Federal, acrescentadas pela Emenda Constitucional n 31, de 14.12.00. </li> <li> Slide 20 </li> <li> Fundo de Produo ADCT (PI) Art. 5 O Estado manter o fundo especial de produo, consignando-lhe trs por cento do total de investimentos constantes do oramento, para aplicao em atividades produtivas, destinado, especificadamente, ao pequeno produtor rural e ao microempresrio, nos termos da lei. </li> <li> Slide 21 </li> <li> Fundo de Cincia e Tecnologia Art. 235 O Estado destinar o mnimo de um por cento de sua receita oramentria ao desenvolvimento da pesquisa cientfica e tecnolgica, atravs de fundao pblica a ser criada. </li> <li> Slide 22 </li> <li> OBRIGADO! </li> </ul>