o populismo e governo democrático parte i

Download O populismo e governo democrático parte i

Post on 12-Apr-2017

421 views

Category:

Education

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

O POPULISMO E A SEGUNDA REPBLICA

O POPULISMO E O PERODO DEMOCRTICOPARTE I Natania A S Nogueiranogueira.natania@gmail.com

O termo populismo define um conjunto de aes polticas que tem como nico objetivo estabelecer um vnculo entre as massas e um lder carismtico sem que seja necessria a interveno de partidos polticos ou outras instituies. O povo passa a ser um grupo massificado que se torna o centro de todas as aes polticas que podem ou no ser realizadas atravs de meios estabelecidos pela democracia representativa. Governos populistas podem emergir em pases com grandes diferenas sociais e presena de pobreza e misria.No Brasil o populismo pode ser datado entre 1930 e 1964, embora alguns historiadores afirmem que s ascendeu aps 1945.O Populismo

Imagem disponvel em: http://zip.net/bttq3N

O chamado Perodo Democrtico da Repblica Brasileira vai de 1946 a 1964 e pode ser assim dividido:Promulgao da Constituio de 1946.Governo Dutra:O Governo do general Eurico Gaspar Dutra (1946-1951).Governo de Getlio Vargas.Governo de Juscelino Kubitschek.Governo de Jnio Quadros.Governo de Joo Goulart.

O Perodo democrtico

A Constituinte de 1946 iniciou seus trabalhos sob o impacto da derrota do totalitarismo na Europa e do fim do Estado Novo no Brasil e seus trabalhos foram marcados por um duro julgamento do Estado Novo, que se denominou a "autpsia da ditadura".Tambm foi marcada pela sua diversidade poltico-ideolgica: dela participaram deputados e senadores eleitos na legenda de nove partidos que representavam todas as tendncias polticas existentes at aquele momento. Unidas em torno de um projeto liberal-democrtico, as foras predominantes na Constituinte foram o Partido Social Democrtico (PSD) e a Unio Democrtica Nacional (UDN), que juntos ocupavam cerca de 80% das cadeiras.

A Constituio de 1946

Bancada. Joo Amazonas, Luiz Carlos Prestes, Maurcio Grabois, Jos Maria Crispim, Carlos Marighella, Gregrio Bezerra, Jorge Amado, que faziam parte do grupo de 15 comunistas que participaram da Assembleia Constituinte de 1946 Imagem disponvel em: http://zip.net/bbtqgr

Essa nova Constituio foi oficializada no mesmo ano, eDeclarava autonomia para os trs poderes, alm da realizao de eleies diretas para os cargos executivos e legislativos, estaduais, municipais e federais.Estabelecia o mandato para presidente da Repblica em 5 anos .Proibia o voto para militares e analfabetos;Voto feminino foi mantido, com idade mnima reduzida para 18 anos, mas apenas as mulheres que trabalhavam no funcionalismo pblico com algum cargo reNo plano social, foi conservadora.Reconhecia o direito mas deixava para o Congresso sua futura regulamentao, que no aconteceu.Manteve o imposto sindical e com ele a possibilidade de o Estado intervir na vida sindical.

Eurico Gaspar Dutravenceu a disputa presidencial graa ao apoio de Getlio Vargas, tendo conseguido mais de 50% dos votos.A disputa havia ocorrido entre trs candidatos: o brigadeiro Eduardo Gomes, candidato da Unio Democrtica Nacional; e o civil Yedo Fiza, filiado ao Partido Comunista Brasileiro. O GOVERNO DUTRA (1946-1951)

Durante seu governo houve uma maior aproximao com os Estados Unidos com a criao da Misso Abbink , que criava uma comisso para discutir os caminhos tomados pela economia brasileira , e da assinatura do TIAR (Tratado Interamericano de Assistncia Recproca), que ampliava a rede de combate expanso do comunismo nos continente americano. A formao da ESG (Escola Superior de Guerra) marcava a interferncia estadunidense em importantes questes nacionais, mediante a participao de militares norteamericanos em sua criao.O PCB(Partido Comunista Brasileiro) sofreu perseguies e foi posto na ilegalidade.

Aproximao com os EUA

Charge de Theo imagem disponvel em: http://zip.net/bptqYm

No plano econmico, o presidente Dutra adotou uma poltica de no interveno do Estado na economia.Dutra distanciou-se de Getlio Vargas, conseguindo, assim, o apoio da UDN, com isso pretendia governar sem oposio.Dutra empreendeu grandes obras, como a construo da Chesf (Companhia Hidreltrica do So Francisco), criao de indstria petrolfera e a pavimentao da estrada que liga So Paulo ao Rio de Janeiro (Rodovia Presidente Dutra).Foi acusado de fazer mal uso das reservas pblicas, acumuladas durante aII Guerra Mundial. Dutra adotou uma poltica de arrocho salarial, o que agravou o descontentamento da populao.Numa tentativa de planejamento governamental, lanou oplano SALTE, que previa um forte investimento em quatro reas: Sade,ALimentao,Transporte eEnergia, que fracassou.Investimento e crise econmica

Dutra se aproximando da UDN Charge de Nassara. Imagem disponvel em: http://zip.net/bdtqRt

Em 1950 os partidos preparavam-se para a nova eleio presidencial. Apoiado por Dutra, o mineiro Cristiano Machado ergueu chapa com o PSD. Pela UDN, Eduardo Gomes disputava mais uma eleio. Getlio Vargas articulou sua volta presidncia pelo PTB.Getlio Vargas conseguiu a vitria.Uma das principais figuras a apoi-lo na poca foi o governador paulista Ademar de Barros, conhecido pelo slogan rouba, mas faz. Em uma poca marcada por personalidades polticas populistas, Vargas garantiu sua vitria para o seu ltimo mandato como presidente do Brasil.O RETORNO DE GETLIO VARGAS

Getlio Vargas Imagem disponvel em: http://zip.net/bqtrjV

Retomada da poltica nacionalistaVargas retomou a poltica dedesenvolvimento autnomonacionalista e com amplas concessess classes populares. Por conta disso gerou uma forte oposioao seu projeto de governo, dentro efora do pas. Suaprincipal medida foi a nacionalizaodo petrleo, com a criao daPetrobrs, em 1953. O governoVargas passou tambm a adotar umapoltica externa mais independente, oque acarretou em retaliaes dopresidente norte-americano,Eisenhower. Este rompeuunilateralmente o acordo dedesenvolvimento entre Brasil eEstados Unidos concedendo somente180 milhes de dlares dos cerca dequase 400 milhes acordadosanteriormente.

Getlio Vargas visita poo de petrleo na Bahia. Imagem disponvel em: http://zip.net/bqtrjY

Vargas pretendia reforara aliana populista com ostrabalhadores, buscando com isso,reaver o apoio popular para garantir ocumprimento do seu programaeconmico. No incio de 1953,nomeou para ministro do Trabalhopoltico gacho Joo Goulart, quereorganizou os sindicatos, buscandonovamente a aproximao destes como governo e chegou a criar um projetode aumento de 100% do salriomnimo, no aceito pelo Congresso.O populismo vargista

A oposio ao governo nacionalista de Vargas estava ligada a setores conservadores e ao capital internacional. As empresaspetrolferas norte-americanasestavam entre os grupos que maiscriavam dificuldades para o governoVargas. A principal figura dessaoposio no Brasil, era o jornalista(proprietrio do jornal Tribuna daImprensa), poltico e membro daUDN, Carlos Lacerda, no Rio deJaneiro. Este no hesitou em pregar,atravs do seu jornal, que o novogoverno Vargas traria de volta aditadura do Estado Novo.

A oposio a Vargas

Caricatura de Carlos Lacerda, representado como um corvo. Imagem disponvel em: http://zip.net/bjtqh2

O Suicdio de Getlio VargasEm meados do ano de1954, Carlos Lacerda sofreu umatentado prximo a sua casa no Riode Janeiro. Neste incidente, morreuum oficial da Aeronutica que oacompanhava, o major Rubens Vaz.Descobriu-se que o atentado haviasido forjado pelo chefe da seguranapessoal de Vargas. Isso acarretoucom o que o Exrcito e membros daalta cpula militar se posicionassemcontra Getlio, exigindo a suarenncia. Havia aindadenncias de corrupo envolvendo ogoverno. Getlio Vargas se suicidou na manh de 24 deagosto de 1954, aps ter escrito a suaCarta Testamento, causando umgrande alvoroo popular na cidade doRio de Janeiro. O jornal Tribuna daImprensa de Carlos Lacerda foiapedrejado pela populao revoltosa eo mesmo Lacerda foi obrigado a fugirda cidade temporariamente paraescapar da fria popular.

Charge de Hilde Weber, publicada na Tribuna da Imprensa. Imagem disponvel em: http://zip.net/bmtqkR