 -Populismo e “Redemocratização” (1945-1964) Governo Dutra (1945-1950) Governo Vargas (1950-1954) Governos Café Filho (1954-1955), Carlos Luz (dois dias

Download  -Populismo e “Redemocratização” (1945-1964) Governo Dutra (1945-1950) Governo Vargas (1950-1954) Governos Café Filho (1954-1955), Carlos Luz (dois dias

Post on 21-Apr-2015

129 views

Category:

Documents

13 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> Slide 1 </li> <li> Slide 2 </li> <li> -Populismo e Redemocratizao (1945-1964) Governo Dutra (1945-1950) Governo Vargas (1950-1954) Governos Caf Filho (1954-1955), Carlos Luz (dois dias em novembro de 1955) e Nereu Ramos (1955-1956) Governo Juscelino Kubitschek (1956- 1961) Governo Jnio Quadros (de janeiro a agosto de 1961) Governo Joo Goulart (1961-1964) </li> <li> Slide 3 </li> <li> Eurico Gaspar Dutra (PSD): militar apoiado por Getlio e PTB. Getlio eleito senador em 1945. Prestes eleito senador pelo PCB, cassado em 1947, Jorge Amado como deputado paulista tambm cassado. 1946: Constituio promulgada, recuperou alguns pontos da de 1934. Destaca-se: liberdade de expresso, sem censura, liberdade de associao... 1947: Incio da Guerra Fria (conflito ideolgico Capitalismo X Socialismo), o Brasil se posicionou ao lado dos EUA e por isso houve um rompimento diplomtico com a URSS e o fechamento do PC no Brasil. Resistncia reprimida. Criao da Escola Superior de Guerra: propaganda anticomunista em defesa da segurana nacional. Facilidade para a entrada de produtos estrangeiros, lgica do capitalismo, endividamento externo. Plano SALTE (Sade, Alimentao, Transporte e Educao, investimento. Governo Dutra (1945-1950) </li> <li> Slide 4 </li> <li> Slide 5 </li> <li> Amrica Latina no contexto da Guerra Fria (1947-1991) Diviso do mundo em dois blocos ideolgicos, aps a II GM, os EUA trataram de garantir a manuteno dos pases latino-americanos no bloco capitalista. 1948: criao da Organizao dos Estados Americanos (OEA): consolidao da hegemonia norte-americana sobre todo o continente. As foras armadas da OEA, sob o comando do exrcito norte- americano, foram convocadas vrias vezes para intervir em pases que tentavam estabelecer governos autnomos em relao aos Estados Unidos. </li> <li> Slide 6 </li> <li> O objetivo dos EUA: isolar a Amrica Latina da influncia socialista, uma vez que este iderio sempre teve muitos defensores. Ideias de igualdade social, pelo fim da propriedade privada, diviso do trabalho e do lucro entre todos certamente convenciam muita gente a lutar pela transformao poltica em pases latino-americanos. A propaganda do american way of life, ou seja, da vida baseada no conforto e no consumo, dizia a propaganda, somente o capitalismo pode oferecer. Os soviticos auxiliavam a formao de grupos que tinham a inteno de promover revolues socialistas na Amrica Latina. Amrica Latina no contexto da Guerra Fria (1947-1991) </li> <li> Slide 7 </li> <li> Eleito pelo voto direto, com apoio do PTB, PSD, PSP (de Ademar de Barros) e dos comunistas que militavam clandestinamente. Criao da Petrobrs, em 1953, estabelece monoplio sobre pesquisa, prospeco e refino do petrleo (contrrio aos interesses estrangeiros Esso, Shell, Texaco). Discurso e decises de cunho nacionalista, criando dificuldades aos investidores estrangeiros e estimulando aplicaes de empresrios nacionais e do Estado. Confrontos radicalizados com a oposio (polticos da UDN, capital estrangeiro e militares da ESG). Tentativa de assassinato de Carlos Lacerda (Atentado da Rua Toneleros) e o inqurito da Repblica do Galeo, culminando com o suicdio de Vargas (24 de agosto de 1954), o recuo dos golpistas e a posse do vice-presidente Caf Filho. Carta testamento centro de Pelotas, conhecida nacionalmente. Governo Vargas (1950-1954), o retorno nos braos do povo </li> <li> Slide 8 </li> <li> Carlos Lacerda levou um tiro no p. Eu levei dois tiros nas costas ! " Saio da vida para entrar na histria " No final da vida, o velho e cansado Getlio concede poderes excessivos ao chefe de sua guarda pessoal, tenente Gregrio Fortunato, o Anjo Negro. Gregrio, extrapolando suas obrigaes, contrata o atentado da Rua Toneleros contra Carlos Lacerda (apelidado de O corvo). Morte do major da Aeronutica (Rubem Vaz)O incidente precipita toda a crise final. </li> <li> Slide 9 </li> <li> Slide 10 </li> <li> Caf Filho no conseguiu governar porque foi envolvido e dominado por interesses da UDN. Eleies em outubro de 1955: Juscelino Kubitschek (PSD) e Joo Goulart (PTB). Grupos conservadores no aceitaram o resultado eleitoral e pressionam Caf Filho, que se afastou alegando motivos de sade. Carlos Luz (presidente da Cmara de Deputados) assume a presidncia e tenta anular as eleies de outubro. Reao do Ministro da Guerra (General Teixeira Lott) legalista impede a deciso de tentativa de impedir a posse de JK e Jango, e causa afastamento de Carlos Luz. Nereu Ramos (presidente do Senado) assume at a posse dos eleitos. Governos Caf Filho (1954-1955), Carlos Luz (dois dias em novembro de 1955) e Nereu Ramos (1955-1956) </li> <li> Slide 11 </li> <li> Programa de metas (50 anos em 5), investimentos do Estado em infraestrutura, desenvolvimentismo, indstria de base; Internacionalizao da economia: facilidades para a entrada do capital estrangeiro (ex.:montadoras de veculos), com reservas de mercado para o setor nacional associado (ex.: setor de autopeas); Criao da SUDENE (Superintendncia de Desenvolvimento do Nordeste) para estimular a economia regional; Construo e inaugurao de Braslia, arquitetos Lcio Costa e Oscar Niemeyer, trabalhadores nordestinos. 21 de abril de 1960 inaugurao. Apesar do crescimento industrial a educao e a produo de alimentos no contemplou todos. Aumento da dvida externa e negociaes conflituosas com o FMI. Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961), o presidente Bossa Nova </li> <li> Slide 12 </li> <li> O presidente bossa nova lembrado pela sua msica preferida nos anos em que esteve exilado e portanto longe do Brasil e de Braslia: Como pode um peixe vivo/ Viver fora da gua fria?/ Como poderei viver/ Como poderei viver/ Sem a tua, sem a tua/ Sem a tua companhia?/ </li> <li> Slide 13 </li> <li> Campanha eleitoral smbolo: Vassoura; Eleito com o apoio da UDN; Recebeu a economia com inflao e dficit pblico alto; Poltica externa independente; Prticas contraditrias: controle dos lucros que as grandes empresas mandavam para fora do pas e falava em reforma agrria. Reestabeleceu relaes diplomticas com a Unio Sovitica. Conservador: proibiu brigas de galo, uso de biqunis, desfile de misses com mai cavado, uso de lana perfume em bailes carnavalescos, etc. Governo inviabilizado por entraves administrativos; conflitos com a maioria dos congressistas levaram renncia em 25 de agosto; Condecorao de Che Guevara - Revoluo Cubana em 1959. (contexto de Guerra Fria) Desagrado dos antigetulistas. Governo Jnio Quadros (de janeiro a agosto de 1961) </li> <li> Slide 14 </li> <li> Jnio condecorou, no dia 19 de agosto de 1961, com a Gr Cruz da ordem Nacional do Cruzeiro do Sul Ernesto Che Guevara, o guerrilheiro argentino que fora um dos lderes da revoluo cubana - e era ministro daquele pas - em agradecimento por Guevara ter atendido a seu apelo e libertado mais de vinte sacerdotes presos em Cuba, que estavam condenados ao fuzilamento, exilando-os na Espanha. </li> <li> Slide 15 </li> <li> Campanha ou Rede da Legalidade 1961: Crise poltica resistncia liderada pelo PTB (Leonel Brizola) pela posse do vice-presidente Jango. </li> <li> Slide 16 </li> <li> Rede da Legalidade Aps a renncia de Jnio: Jango o vice deveria assumir, estava em visita China comunista. Trs ministros militares se pronunciaram contra a sua posse, ameaa a Jango de ser preso caso desembarcasse no Brasil. Em defesa da constituio mobilizao de sindicalistas, estudantes e outros setores da populao. No RS Leonel Brizola, governador, liderou a Campanha da Legalidade com o APOIO do III Exrcito do RS. Utilizao das estaes de rdio para incitar o povo a resistir tentativa de golpe. Jango desembarcou no Uruguai e seguiu para o RS para encontrar Brizola. Diante do apoio popular unido ao III exrcito o golpe militar foi novamente adiado. Soluo: parlamentarismo. Ato adicional Constituio de 1946. poder ao primeiro-ministro eleito pelo congresso. (Tancredo Neves) </li> <li> Slide 17 </li> <li> Objetivo cumprido: Jango assumiu, mas de forma limitada sob o parlamentarismo </li> <li> Slide 18 </li> <li> Assume como presidente na forma PARLAMENTAR de governo (resultado do arranjo poltico pela posse). Plano Trienal com nfase nos investimentos de infraestrutura, retomada do desenvolvimento, controle da inflao e reformas de base. 6 de janeiro de 1963: PLEBISCITO nacional nega a permanncia do parlamentarismo e retorna o regime presidencialista. Greves operrias e confrontos com a oposio (UDN) inviabilizaram o Plano Trienal e induziram decises de governo mais radicais pelas reformas de base (agrria, urbana). Oposio (UDN e militares) organiza o golpe de Estado atravs do IPES e Instituto Brasileiro de Ao Democrtica. 13 de maro de 1964: anunciados os decretos de congelamento de aluguis e de reforma agrria, durante comcio de Jango na Central do Brasil (RJ). Comcio das Reformas de Base. 31 de maro de 1964: golpe de Estado coordenado e realizado pelos militares (altos comandos), com apoio de civis de oposio. Governo Joo Goulart (1961-1964) </li> <li> Slide 19 </li> <li> Apoio ao golpe, anticomunistas, contra as reformas de base. um, dois, trs, Brizola no xadrez! E se tiver lugar, pe tambm Joo Goulart! Apoio de civis conservadores ao golpe </li> <li> Slide 20 </li> <li> Ditadura civil-militar (1964-1985) Reta Final - Alto Comando Revolucionrio (1 a 15 de abril de 1964) - General Castelo Branco (1964- 1967) - General Costa e Silva (1967-1969) - Governo da Junta Militar (31 de agosto a 30 de outubro de 1969) - General Emlio Mdici (1969- 1974) - General Ernesto Geisel (1974- 1979) - General Joo Figueiredo (1979- 1985) </li> <li> Slide 21 </li> <li> 31 de maro: governador de MG divulgou manifesto contra Jango, tropas de Juiz de Fora comandadas pelo general Olmpio Mouro Filho (ex-AIB) foram para o RJ. Noite de 31 de maro Jango retirou-se para o RS, onde Brizola (j deputado federal) tentava organizar a resistncia. Alegando no querer derramamento de sangue Jango partiu para o exlio no Uruguai. Interveno militar: revoluo para garantir a democracia e a segurana nacional. Contra a ameaa comunista. Alto Comando Revolucionrio (1 a 15 de abril de 1964) no poder. Baixou o Ato Institucional (AI-1) que legitimou o golpe, regulamentou eleies indiretas para o novo presidente (apresentando o general Castelo Branco como candidato nico) e cassou mandatos e direitos polticos de opositores. Cassou os direitos polticos de 378 pessoas entre estas JK, Jnio e Jango, 6 governadores e 55 congressistas. Golpe civil-militar de 1964 </li> <li> Slide 22 </li> <li> Slide 23 </li> <li> AI-2 terminou com o pluripartidarismo, e ato complementar regulou formao de novos partidos (somente Aliana Renovadora Nacional (ARENA) e Movimento Democrtico Brasileiro (MDB) puderam ser criados) e cassou mandatos e direitos polticos de opositores. AI-3 determinou eleies INDIRETAS para governadores estaduais pelo prazo de dez anos e cassou mandatos e direitos polticos de opositores. AI-4 fechou o Congresso Nacional, transformado, por ato complementar, em Assembleia Constituinte que discutiu e aprovou projeto constitucional enviado pelo Executivo. Poltica econmica recessiva para controle da inflao e conteno de gastos pblicos, afinada s determinaes do FMI. Criado o Banco Central, o IBRA reforma agrria (depois transformado em INCRA), a Embratur e o INPS. Lderes de oposio poltica e sindicalistas afastados (cassados ou perseguidos pela censura e represso). General Castelo Branco (1964-1967) </li> <li> Slide 24 </li> <li> Movimento estudantil assume liderana de protestos de rua. Frente ampla reunindo civis depostos em 1964 (Jango) e aqueles que apoiara o golpe de Estado (Lacerda, JK) Represso culmina com a edio do AI-5 (dezembro de 1968), iniciando-se os anos de chumbo. Trombose cerebral inviabiliza exerccio da Presidncia e, em seu lugar, junta militar formada pelos ministros das trs armas d novo golpe de Estado e impede que o vice (o civil Pedro Aleixo) assuma. MORTE DE CHE GUEVARA NA BOLVIA General Costa e Silva (1967-1969) </li> <li> Slide 25 </li> <li> Slide 26 </li> <li> Fechamento do Congresso Nacional no mesmo perodo. Edio da emenda constitucional nmero 1 (aumentando poderes do executivo e a represso poltica). eleio nos quartis indicou o nome do novo ditador, que para manter aparncias, foi eleito pelo congresso nacional, reaberto para esse fim. GUERRA VIETN, VIETCONGS X EUA Governo da Junta Militar (31 de agosto a 30 de outubro de 1969) </li> <li> Slide 27 </li> <li> Perodo caracterizado pelo auge da represso poltica e censura. Esquerda (reduzida a alguns estudantes) age na clandestinidade, com atentados terroristas (sequestro de polticos e empresrios), e na luta armada com o movimento guerrilheiro rural e urbano (ALN, MR-8, VPR, etc.) milagre econmico: internacionalizao da economia intensificada com gastos pblicos e inverses de capital externo no processo produtivo. Crise do Petrleo, em setembro de 1973, inverteu situao internacional e criou dificuldades imediatas para a balana de pagamentos, mas foi o prximo governo que arcou com o nus maior. General Emlio Mdici (1969-1974) </li> <li> Slide 28 </li> <li> Slide 29 </li> <li> Crise econmica (juros altos, inflao e desemprego) impopularidade do governo. Eleies de 1974, com aumento de candidatos do MDB eleitos. Pressionado, governo inicia a distenso lenta, gradual e segura que tende a reduzir ganhos para a oposio nas eleies subsequentes (lei Falco, pacote de abril, etc.) Greves de operrios do ABC iniciam onda de movimentos grevistas. Eleio indireta do sucessor e revogao do AI-5 (dezembro de 1978). General Ernesto Geisel (1974-1979) </li> <li> Slide 30 </li> <li> Slide 31 </li> <li> Crise econmica: inflao alta e forte recesso (falncias de empresas e desemprego). Junho de 1979: anistia poltica (restrita, limitada, parcial e recproca), reforma partidria (dividiu a oposio), retorno do pluripartidarismo. Atentados terroristas de extrema direita (Riocentro, OAB e bancas de revista) 1984: comcios da campanha das diretas j e derrota da emenda Dante de Oliveira. Crescimento e vitria da candidatura de Tancredo Neves (apoiado pela Aliana Democrtica=PMDB + Frente Liberal, depois PFL) sobre o candidato Paulo Maluf, em eleio indireta no Congresso Nacional (colgio eleitoral). General Joo Figueiredo (1979-1985) </li> <li> Slide 32 </li> <li> Slide 33 </li> <li> Slide 34 </li> <li> Jos Sarney (antes ARENA), eleito vice-presidente assumiu no lugar de Tancredo que morreu antes de tomar posse. Sarney (1985-1990): apoiado pelo PMDB, PFL; inflao cresce mais de 200% ao ano; Fevereiro de 1986: plano cruzado congela preos e salrios; inflao retorna depois das eleies de 1986 e novos planos para control-la so criados (Bresser, Vero). Constituinte eleita em 1986 elabora a Constituio Cidad de 1988. Campanha eleitoral de 1989: segundo turno vitria de Collor (PRN+PFL+PMDB+ outros) sobre Lula (PT+PDT+ partidos de esquerda). A Nova Repblica (1985 at hoje) </li> <li> Slide 35 </li> <li> Planos econmicos (plan...</li></ul>