Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Analista ... ?· Ministério do Planejamento, Orçamento…

Download Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Analista ... ?· Ministério do Planejamento, Orçamento…

Post on 09-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto </p><p>Analista em Tecnologia da Informao </p><p>Prova objetiva e Prova discursiva Pgina: 1 </p><p>LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUES NESTA PGINA E NO VERSO DESTA </p><p>1. Voc recebeu do fiscal o seguinte material: a) Este Caderno de Questes com o enunciado das 80 (oitenta) questes da prova objetiva, o enunciado da questo da prova discursiva e espao reservado para desenvolvimento da resposta (rascunho) desta questo. b) Uma (1) Folha de Respostas, destinada s respostas das questes da prova objetiva. c) Um (1) Caderno de Texto Definitivo da Prova Discursiva, onde voc dever transcrever a resposta da questo da prova discursiva. </p><p> 2. Somente aps autorizado o incio da prova, verifique se este Caderno de Questes est completo e em ordem. </p><p>Notifique ao fiscal qualquer irregularidade IMEDIATAMENTE. Folhear o Caderno de Questes antes do incio da prova implica na eliminao do candidato. </p><p> 3. Verifique se as informaes contidas na Folha de Respostas e no Caderno de Texto Definitivo da Prova </p><p>Discursiva esto corretas. Caso contrrio, notifique o fiscal. 4. Aps a conferncia, o candidato dever assinar no espao prprio da Folha de Respostas e no espao prprio </p><p>do Caderno de Texto Definitivo da Prova Discursiva, caneta esferogrfica de tinta na cor preta ou azul. 5. Tenha muito cuidado com a Folha de Respostas e o Caderno de Texto Definitivo da Prova Discursiva para </p><p>no DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR. A Folha de Respostas e o Caderno de Texto Definitivo da Prova Discursiva somente podero ser substitudos caso estejam danificados em suas margens superior ou inferior BARRA DE RECONHECIMENTO PARA LEITURA TICA. </p><p> 6. Para cada uma das questes da prova objetiva so apresentadas 5 (cinco) alternativas classificadas com as letras </p><p>(A), (B), (C), (D) e (E); s uma responde adequadamente ao quesito proposto. Voc s deve assinalar UMA RESPOSTA. A marcao de nenhuma ou de mais de uma alternativa anula a questo, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS SEJA A CORRETA. </p><p> 7. Na Folha de Respostas, a marcao das letras correspondentes s respostas certas deve ser feita cobrindo </p><p>TODO O ESPAO compreendido pelo retngulo pertinente alternativa, usando caneta esferogrfica de tinta preta ou azul, de forma contnua e densa. A leitora tica sensvel a marcas escuras, portanto, preencha os campos de marcao completamente, procurando deixar menos espaos em branco possvel dentro do retngulo, sem invadir os limites dos retngulos ao lado. </p><p> 8. Ateno para o item 9.14.2 do edital: O caderno de texto definitivo da prova discursiva no poder ser </p><p>assinado, rubricado e/ou conter qualquer palavra e/ou marca que o identifique em outro local que no seja o indicado, sob pena de ser anulado. Assim, a deteco de qualquer marca identificadora no espao destinado transcrio dos textos definitivos acarretar nota ZERO na respectiva prova discursiva.. </p><p> 9. No deixe de transcrever a resposta das questes da prova discursiva para o Caderno de Texto Definitivo da </p><p>Prova Discursiva, nico documento vlido para a correo das questes (o rascunho no ser considerado). Utilize no mximo a quantidade de linhas disponveis no Caderno de Texto Definitivo da Prova Discursiva. </p></li><li><p>Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto </p><p>Analista em Tecnologia da Informao </p><p>Prova objetiva e Prova discursiva Pgina: 2 </p><p>10. Ao candidato somente ser permitido levar o caderno de questes da prova objetiva 30 (trinta) minutos antes do horrio previsto para o trmino da prova. Item 9.15, alnea c do edital. 11. Ser terminantemente vedado ao candidato copiar seus assinalamentos feitos na folha de respostas da prova objetiva ou no caderno de texto definitivo da prova discursiva. Item 9.15, alnea d do edital. 12. Ser ELIMINADO do Concurso o candidato que: </p><p>a) for surpreendido durante o perodo de realizao de suas provas portando (carregando consigo, levando ou conduzindo) armas ou aparelhos eletrnicos (bip, telefone celular, qualquer tipo de relgio com mostrador digital, walkman, agenda eletrnica, notebook, palmtop, receptor, gravador, etc). Item 9.18, alnea c do edital. b) ausentar-se da sala de provas, durante o perodo de realizao de suas provas, portando a folha de respostas da prova objetiva, o caderno de questes, o caderno de texto definitivo da prova discursiva, celulares ou quaisquer equipamentos eletrnicos. Item 9.18, alnea h do edital. c) fizer anotao de informaes relativas s suas respostas da prova objetiva e da prova discursiva, em qualquer meio. Item 9.18, alnea f do edital. d) no permitir a coleta da digital caso seja utilizado o procedimento descrito no subitem 9.16 deste Edital ou no efetuar a transcrio do texto apresentado caso seja utilizado o procedimento descrito no subitem 9.17 deste Edital (9.17. Por motivo de segurana, a FUNRIO poder solicitar que o candidato transcreva, no ato da aplicao das provas, em letra cursiva, de prprio punho, um texto apresentado, sendo que, no ato de sua apresentao para posse, o mesmo texto dever ser reproduzido para confrontao com o texto transcrito durante a prova). Item 9.18, alnea k do edital. </p><p>13. O tempo de durao da prova ser de 5 (cinco) horas. Este tempo inclui o tempo para preenchimento do Caderno de Texto Definitivo da Prova Discursiva. Reserve 30 (trinta) minutos para marcar sua Folha de Respostas. Os rascunhos e as marcaes assinaladas no Caderno de Questes NO SERO LEVADOS EM CONTA. </p><p> 14. Quando terminar, entregue obrigatoriamente ao fiscal a Folha de Respostas e o Caderno de Texto Definitivo </p><p>da Prova Discursiva. A entrega do Caderno de Questes obrigatria se o candidato terminar as provas antes de faltar 30 (trinta) minutos para o trmino destas. ASSINE OBRIGATORIAMENTE A LISTA DE PRESENA. </p><p> 15. Por motivo de segurana a FUNRIO solicita que o candidato transcreva em letra cursiva, no espao prprio na </p><p>Folha de Respostas, a frase abaixo apresentada. </p><p>As obras humanas alteram-se, corrompem-se, modificam-se, transformam-se. (Machado de Assis) </p></li><li><p>Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto </p><p>Analista em Tecnologia da Informao </p><p>Prova objetiva e Prova discursiva Pgina: 3 </p><p>PROVA OBJETIVA </p><p> LNGUA PORTUGUESA As questes 01 a 04 tomaro por base o seguinte texto: </p><p>Uma negociao bem-sucedida se concretiza quando duas partes com interesses distintos cedem um pouco em favor da conquista de um objetivo comum maior. Sob essa tica, democratas e republicanos no tm muito a comemorar no acordo da semana passada que tentou pr em ordem as contas do governo. verdade que o presidente eleito Barack Obama conseguiu afastar o risco imediato do abismo fiscal cavado por anos a fio de gastos acima das receitas. Os dois lados conseguiram evitar que aumentos abrangentes de impostos entrassem em vigor imediatamente, o que poria em perigo a retomada ainda titubeante da economia americana. Obama e a oposio concordaram em no punir mais a classe mdia, por enquanto. O imposto de renda ser reajustado apenas para o 1% mais rico da populao. </p><p>(Revista Veja, edio 2.303, ano 46, n 4, 09 de janeiro de 2013.) </p><p>Questo 01 </p><p>Sobre a identificao de encontros consonantais, encontros voclicos e dgrafos CORRETO afirmar que </p><p>A) h dgrafo nas seguintes palavras: distintos, presidente e imposto. B) h ditongo nas seguintes palavras: quando, duas e oposio. C) h hiato nas seguintes palavras: negociao, muito e imediato. D) h encontro consonantal nas seguintes palavras: conquista, objetivo e aumentos. E) h tritongo nas seguintes palavras: imediatamente, titubeante e populao. </p><p>Questo 02 </p><p>Observando-se os morfemas que estruturam as formas verbais CONSEGUIU e CONSEGUIRAM, pode-se afirmar que </p><p>A) ambas esto no pretrito mais-que-perfeito e tm vogal temtica I. B) ambas esto no pretrito perfeito e tm o radical CONSEG. C) ambas esto no pretrito perfeito e tm vogal temtica I. D) apenas a primeira est no pretrito perfeito, mas ambas tm o radical CONSEG. E) apenas a segunda est no pretrito mais-que-perfeito, mas ambas tm o radical CONSEG. </p><p>Questo 03 </p><p>O texto da revista Veja predominantemente informativo, mas os dois primeiros perodos so </p><p>A) narrativo-expositivos. B) narrativo-dissertativos. C) descritivo-argumentativos. D) dissertativo-argumentativos. E) descritivo-expositivos. </p><p>Questo 04 </p><p>Qual o papel textual da expresso por enquanto no trecho que informa que Obama e a oposio concordaram em no punir mais a classe mdia, por enquanto? </p><p>A) Evitar que o advrbio MAIS fosse entendido como um intensificador do verbo PUNIR. B) Evitar que o advrbio MAIS fosse entendido como um indicador temporal do verbo PUNIR. C) Enfatizar a ideia de intensificao do advrbio MAIS em relao ao verbo CONCORDAR. D) Enfatizar a ideia de identificao temporal do advrbio MAIS em relao ao verbo CONCORDAR. E) Reforar a ideia de intensificao temporal do advrbio MAIS em relao aos verbos PUNIR e CONCORDAR. </p></li><li><p>Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto </p><p>Analista em Tecnologia da Informao </p><p>Prova objetiva e Prova discursiva Pgina: 4 </p><p>As questes 05 a 08 tomaro por base o seguinte pargrafo, extrado da crnica Percebes?, de Caetano Veloso: </p><p>Diante da TV, assistindo a um filme portugus no Canal Brasil, me deparei com uma experincia que j conhecia de antes mas que pensei que tivesse esquecido. O filme era falado em portugus europeu e estava legendado em portugus brasileiro. Foi vendo uma obra de Manuel de Oliveira no cinema que eu tinha passado pela mesma situao. Revivendo-a ao assistir televiso, pensei com mais convencimento que, dado o fato de os brasileiros em geral terem dificuldade de entender a fala lusitana, deve ser aceitvel que filmes portugueses passem com legendas no Brasil. </p><p> (O Globo, 05 de maio de 2013.) Questo 05 O autor empregou o verbo ASSISTIR duas vezes. Na primeira vez, com a preposio A; na segunda vez, sem preposio. Essa mudana de regncia tem como motivo A) a diferena de significado desse verbo nos dois trechos. B) a influncia da lngua oral, que costuma omitir a preposio pedida por esse verbo. C) a expressividade que o escritor pretendeu atribuir a esse verbo. D) a inteno de no repetir uma preposio que j havia sido empregada anteriormente. E) a necessidade de utilizar uma linguagem simples e direta para o leitor. Questo 06 </p><p>O trecho O filme era falado em portugus europeu e estava legendado em portugus brasileiro est redigido A) em ordem direta nas duas oraes. B) em ordem direta apenas na primeira orao. C) em ordem direta apenas na segunda orao. D) em ordem inversa nas duas oraes. E) em ordem mista nas duas oraes. Questo 07 </p><p>A partir dos dados oferecidos pelo texto, possvel concluir que Caetano admite que filmes portugueses sejam legendados no Brasil, j que na opinio dele os brasileiros A) no temos o hbito de ver filmes portugueses no cinema ou na televiso. B) desconhecemos o significado de muitas palavras da linguagem lusitana. C) estranhamos a sintaxe e a ortografia praticadas em Portugal. D) no estamos acostumados com a pronncia dos portugueses. E) precisamos assumir nossa lngua como diferente da portuguesa. Questo 08 No trecho Revivendo-a ao assistir televiso, observa-se o uso de um pronome pessoal que tem um papel referencial no texto, pois para entend-lo preciso retomar a ideia do substantivo A) situao. B) televiso. C) obra. D) cinema. E) experincia. </p></li><li><p>Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto </p><p>Analista em Tecnologia da Informao </p><p>Prova objetiva e Prova discursiva Pgina: 5 </p><p>As questes 09 a 12 tomaro por base o poema Tema e Variaes, de Manuel Bandeira: Sonhei ter sonhado Que havia sonhado. Em sonho lembrei-me De um sonho passado: O de ter sonhado Que estava sonhando. Sonhei ter sonhado... Ter sonhado o qu? Que havia sonhado Estar com voc. Estar? Ter estado, Que tempo passado. Um sonho presente Um dia sonhei. Chorei de repente, Pois vi, despertado, Que tinha sonhado. </p><p>(Poesia Completa, Rio de Janeiro: Aguilar, 1968.) Questo 09 Na superposio das camadas de sonhos de que fala a primeira estrofe do texto, pode-se identificar A) um sonho principal e dois sonhos subordinados simultaneamente ao principal. B) um sonho principal, um sonho secundrio e um sonho tercirio. C) trs sonhos interdependentes desprovidos de hierarquia. D) dois sonhos secundrios e um sonho imaginrio. E) dois sonhos principais e um sonho secundrio. Questo 10 Sobre a estrutura sinttica dos dois perodos da ltima estrofe, correto afirmar: A) O primeiro perodo iniciado pelo objeto direto. B) O segundo perodo tem duas oraes. C) A ltima orao iniciada por um pronome relativo. D) O adjetivo que est entre vrgulas um adjunto adverbial de modo. E) Todos os verbos dessa estrofe so impessoais. </p></li><li><p>Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto </p><p>Analista em Tecnologia da Informao </p><p>Prova objetiva e Prova discursiva Pgina: 6 </p><p>Questo 11 </p><p>No terceiro verso, o poeta empregou corretamente um pronome oblquo em posio encltica. Identifique nas frases abaixo a nica alternativa que caracteriza um desvio na colocao do pronome oblquo segundo as normas da lngua padro. </p><p>A) De modo algum me deixarei enganar por suas palavras. B) Voc sabe que sempre me dediquei ao estudo das figuras de linguagem. C) Pensei que eles convidariam-me para a festa de formatura. D) A funcionria saiu do posto de atendimento deixando-me sem saber a resposta. E) S depois de muito tempo entendi o que as pessoas me queriam dizer. Questo 12 </p><p>Assinale a nica substituio feita com a expresso estar com voc que contm erro no emprego do acento de crase. </p><p>A) Estar sua volta. B) Estar s vezes com voc. C) Estar disposio de voc. D) Estar p com voc. E) Estar s boas com voc </p><p> DIREITO ADMINISTRATIVO </p><p>Questo 13 </p><p>Com relao definio de autarquia correto afirmar: </p><p>A) As Autarquias so entidades da Administrao Direta criadas por decreto, sem personalidade jurdica, patrimnio e receita prprios, para executar atividades tpicas da Administrao Pblica que requeiram, para seu melhor funcionamento, gesto administrativa e financeira descentralizada. </p><p>B) As Autarquias so entidades da Administrao Indireta criadas por lei especfica, sem personalidade jurdica, patrimnio e receita prprios, para executar atividades tpicas da Administrao Pblica que requeiram, para seu melhor funcionamento, gesto administrativa e financeira descentralizada. </p><p>C) As Autarquias so entidades da Administrao Indireta criadas por lei especfica, com personalidade jurdica, patrimnio e receita prprios, para executar atividades tpicas da Administrao Pblica que requeiram, para seu melhor funcionamento, gesto administrativa e financeira descentralizada. </p><p>D) As Autarquias so entidades da Administrao Direta criadas por lei especfica, com personalidade jurdica, patrimnio e receita prprios, para executar atividades tpicas da Administrao Pblica que requeiram, para seu melhor funcionamento, gesto administrativa e financeira descentralizada. </p><p>E)...</p></li></ul>

Recommended

View more >