jornal a voz espírita nº 22

Download Jornal A Voz Espírita nº 22

Post on 20-Jul-2015

45 views

Category:

Spiritual

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Alguns anos depois que nasci, meu pai conheceu um estranho, recm-chegado nossa pequena cidade.

    Desde o princpio, meu pai ficou fascinado com este encantador personagem, e em seguida o convidou a viver

    com nossa famlia.

    O estranho aceitou e desde ento tem estado conosco. Enquanto eu crescia, nunca perguntei sobre seu

    lugar em minha famlia; na minha mente jovem j tinha um lugar muito especial.

    Meus pais eram instrutores complementares: minha me me ensinou o que era bom e o que era mau e meu

    pai me ensinou a obedecer. Mas o estranho era nosso narrador. Mantinha-nos enfeitiados por horas com

    aventuras, mistrios e comdias. Ele sempre tinha respostas para qualquer coisa que quisssemos saber de

    poltica, histria ou cincia. Conhecia tudo do passado, do presente e at podia predizer o futuro!

    Levou minha famlia ao primeiro jogo de futebol. Fazia-me rir, e me fazia chorar. O estranho nunca parava

    de falar, mas o meu pai no se importava.

    s vezes, minha me se levantava cedo e calada, enquanto o resto de ns ficava escutando o que ele tinha

    que dizer, mas s ela ia cozinha para ter paz e tranqilidade. (Agora me pergunto se ela teria rezado alguma

    vez, para que o estranho fosse embora).

    Meu pai dirigia nosso lar com certas convices morais, mas o estranho nunca se sentia obrigado a honr-

    las.

    As blasfmias, os palavres, por exemplo, no eram permitidos em nossa casa? Nem por parte nossa, nem

    de nossos amigos ou de qualquer um que nos visitasse. Entretanto, nosso visitante de longo prazo, usava sem

    problemas sua linguagem inapropriada que, s vezes, queimava meus ouvidos e que fazia meu pai se retorcer

    e minha me se ruborizar.

    Meu pai nunca nos deu permisso para tomar lcool. Mas o estranho nos animou a tent-lo e a faz-lo

    regularmente. Fez com que o cigarro parecesse fresco e inofensivo, e que os charutos e os cachimbos fossem

    distinguidos.

    Falava livremente (talvez demasiado) sobre sexo. Seus comentrios eram, s vezes, evidentes, outros

    sugestivos, e geralmente vergonhosos. Agora sei que meus conceitos sobre relaes foram influenciados

    fortemente durante minha adolescncia pelo estranho.

    Repetidas vezes o criticaram, mas ele nunca fez caso aos valores de meus pais, mesmo assim, permaneceu

    em nosso lar. Passaram-se mais de cinquenta anos desde que o estranho veio para nossa famlia. Desde ento

    mudou muito; j no to fascinante como era ao princpio.

    Informativo do 6 Conselho Esprita de Unificao Ano IV N 22 Julho/Agosto de 2013 Circulao Interna

    R E F L E T I N D ODestaques

    [ Quem o estranho que invadiu nossas casas?

    [ O jovem e suas expectativas para o futuro

    [ Prximos eventos do movimento esprita

    [ Registros do XI Ms Esprita de Mag

    [ Esprito, perisprito e o mundo espiritual

    [ Endereos das Casas Espritas de Mag

    Leia na pg. 1

    Leia na pg. 2

    Leia na pg. 3

    Leia na pg. 3

    Leia na pg. 4

    Leia na pg. 4

    Oua a programao da

    PARTICIPE! COLABORE!

    (2 1 ) 3386- 1400

    Nasceu em 12/08/1912 (Delfinpolis - MG)

    Desencarnou em 10/02/1980 (Sacramento - RJ)

    Corina Novelino

    UM ESTRANHO EM NOSSO LAR

    No obstante, se hoje voc pudesse entrar na guarida de

    meus pais, ainda o encontraria sentado em seu canto,

    esperando que algum quisesse escutar suas conversas ou

    dedicar seu tempo livre a fazer-lhe companhia. Seu nome?

    Ns o chamamos Televiso.

    Agora ele tem uma esposa que se chama Computador e

    um filho que se chama Celular!

    Pede-se que este artigo seja lido em cada lar.

    Autor desconhecido

  • EX PED I EN TE

    rgo de divulgao do Movimento Esprita do municpio de Mag e

    regio. Editado pelo Departamento de Divulgao do 6 Conselho

    Esprita de Unificao, filiado ao Conselho Esprita do Estado do

    Rio de Janeiro (CEERJ).

    Endereo para correspondncia: Av. Simo da Motta, 315 - Centro -

    Mag - RJ - CEP 25900-000.

    Endereo eletrnico: vozespirita6@hotmail.com

    Tiragem: 1.000 exemplares

    Redao e diagramao: Equipe de Divulgao do 6 CEU

    Pg. 2 - A Voz Esprita Julho/Agosto de 2013

    Coluna do Leitor

    Ol, leitor amigo!

    Lembre-se: Voc tambm tem espao aqui no A

    Voz Esprita. Mande suas crticas, sugestes, d-

    vidas, artigos e poesias. Esse espao todo seu.

    Participe! Fale conosco atravs do nosso e-mail:

    vozespirita6@hotmail.com

    T ligado?

    JOVENS E O FUTURO: EXPECTATIVAS E ASPIRAES

    J pensaste no que queres para o futuro? J ponderaste sobre como o que fazes neste momento ir se refletir no

    que estars a fazer daqui a uns anos? J alguma vez disseste a ti prprio que vais seguir o teu sonho? Pois se ainda

    no, ns aqui vamos te dar uma mozinha. Juntos vamos pr as cartas na mesa e pensar no futuro.

    Todos ns temos sonhos, perspectivas e idealizamos o nosso futuro atravs destas, mas nem todos os dias

    sentimos que tudo corre como queramos. Por que ser? Ser que no estamos a seguir o caminho certo, ou ser que

    no tenho controle sobre o que acontece. Talvez, ainda no tenhamos definido muito bem o nosso conceito de futuro,

    alis, o que queremos e como queremos estar no futuro. Terei o trabalho que sempre quis? Terei uma vida agradvel?

    Serei feliz com o que alcancei? No sabemos, ningum sabe! Mas uma coisa sabemos! Sabemos que se

    estabelecermos metas e lutarmos com tudo o que temos, iremos conseguir chegar ao que queramos, ao futuro que

    queremos para ns. Esquecemos a imprevisibilidade da vida e lutemos sem recuar. Comecemos por pensar que

    profisso queria seguir: Doutor? Bilogo? Enfermeiro? Engenheiro? Professor? Lembra-te que hoje em dia est

    difcil de arranjarmos trabalho seja em que rea for, mas isto no motivo para que deixemos de seguir o nosso

    sonho e de tirarmos um curso de que realmente gostamos. Depois daremos o nosso mximo na escola e faculdade

    para conseguir atingir essa meta. Que fazer depois? E se eu no arranjar trabalho? Por mais difcil que esteja a vida,

    Vinde a Mim

    DIANTE DO BEM

    Diante de cada dia que surge, reflitamos na edificao do bem a que somos chamados.

    Para isso, comecemos abenoando pessoas e acontecimentos, circunstncias e cousas, para que o

    melhor se realize.

    De princpio costumam repontar no cotidiano os problemas triviais do instituto domstico.

    Habitualmente aparece o assunto palpitante da hora, solicitando-nos ateno. Saibamos subtrair-

    lhe a sombra provvel projetando nele a rstia de luz que sejamos capazes de improvisar. Logo aps,

    de imediato, estamos quase sempre defrontados pelos contratempos de ordem familiar.

    Renteando com eles, usemos o verbo calmante e conciliador para que as engrenagens do lar

    funcionem lubrificadas em blsamo de harmonia.

    Mais adiante o grupo de trabalho com os pontos fracos mostra.

    Abracemos com pacincia e alegria as tarefas excedentes que se nos imponha, esquecendo essa

    ou aquela falha dos companheiros e trazendo a ns sem queixa ou censura a obrigao que ficou por

    fazer. Em seguida, o campo vasto das relaes, com as surpresas menos felizes que sobrevenham: o

    amigo modificado, a trama da incompreenso, a atitude mal interpretada, o irmo que se vai para

    longe de ns...

    A cada ocorrncia menos agradvel procuremos responder com os nossos mais altos recursos de

    entendimento, justificando o amigo que se transforma, desfazendo sem mgoa o emaranhado das

    trevas, removendo equvocos em pauta e apoiando o colega que se afasta, oferecendo-lhe a ntima

    certeza com referncia continuidade de nossa estima. Tudo o que existe pea da vida e se aqui ou

    alm, a deficincia aparece, isso significa que a obra do bem, nessa ou naquela pea da vida est

    pedindo a nossa colaborao a fim de que lhe doemos o pedao de bem, que porventura ainda lhe falte.

    Emmanuel

    (Do livro Mos Unidas, psicografado por Francisco Cndido Xavier.)

    por mais negro que nos parea o futuro, nunca vamos desistir. Lutaremos at no podermos mais, pois isso viver. No existe vida sem obstculos, e no vamos nos

    preocupar, porque nem todos os dias sero escuros. o futuro, pessoal! aquilo que construmos e queremos. Alm disso, iro sempre surgir oportunidades que

    podemos agarrar.

    O futuro pode ser brilhante! Imagina s! Termos uma casa agradvel, o trabalho que sempre quisemos, uma pessoa que amamos ao nosso lado, uma vida de luta

    mas feliz. emocionante pensar que o futuro no s coisas ms. Como se costuma dizer, os jovens so o futuro e o futuro o que ns construmos, por isso j sabes,

    segue os teus sonhos, as tuas aspiraes e nunca desistas.

    (Fonte: www.oteumundo.wordpress.com)

    EU O

    6 CEUwww.facebook.com/6ceu.mage

  • Pg. 3 - A Voz EspritaJulho/Agosto de 2013

    Informe-se

    ACONTECER

    No percam o delicioso rodzio de

    Data: 09 de julho - 20h - Valor: R$ 6,00

    Local: GRUPO ESPRITA ANDR LUIZ

    Endereo: Rua Maria Marques, 86

    Mundo Novo - Mag

    1 Noite de Caldosdo C. E. AMOR AO PRXIMO

    Dia 27.07.13

    Horrio: 20h

    Valor: R$ 10,00

    Local: Casa do Sr. Paulo

    Rua Mag, 590 - Piabet(Antes da entrada da Rua Paraba)

    JULHO - 89 anos do

    C. E. LUZ E CARIDADE

    JULHO - 89 anos do

    C. E. LUZ E CARIDADE

    Ciclo de Palestras

    Dia 01/07 - 20h - Expositor: Rafael Laucas

    Tema: Evoluo do Ser Integral

    Dia 08/07 - 20h - Expositor: Marcos Esteves

    Tema: Autoestima e Humildade

    Dia 15/07 - 20h - Expositora: Izaura Hart

    Tema: Educao dos Sentimentos

    Dia 22/07 - 20h - Expositor: Andr Cantareli

    Tema: Ref