ilmari book

Download Ilmari book

Post on 29-Jul-2015

55 views

Category:

Entertainment & Humor

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1. A crnica de Ilmari 2. Prefcio Os acontecimentos narrados nessas pginas, so relatos que contam a crnica do heri Ilmari e como ele se sacrificou para cumprir a sua promessa de derrotar Perkele, o drago da tempestade. Os captulos so divididos em runas, assim como foram em tempos passados. Tive como inspirao para a criao de meu conto, a cultura finlandesa, em especial o pico Kalevala, e o conto de J.R.R. Tolkien, Os Filhos de Hrin, que por sua vez tambm tiveram grande influncia da mitologia finlandesa, assim como de aspectos do jogo Dungeons and Dragons, no que diz respeito a caracterizao do cenrio e do personagem. O heri Ilmari, traz traos de personagens da cultura potica finlandesa, inclusive traos aproveitados por Tolkien na criao de sua histria, que a trgica vida amorosa e a sua existncia amaldioada, fadada a um terrvel desfecho. A ligao da msica do personagem com a magia tambm foi algo explorado dos finlandeses, que acreditavam que alguns tinham o dom de usar o som para manipular a realidade. O nome do personagem, significa em finlands ar, e o diminutivo de Ilmarinen, um dos heris do Kalevala, seu ttulo, Laullu-Synkk (lau-lu Sun-ka), pode tanto significar som da tristeza, e se referir a dor que o acompanhou por ter perdido a sua noiva, quanto som da escurido, referente ao eclipse que ele invocou durante sua ultima batalha. Referncia 1 Bardo (D&D) Heri que usa do seu carisma para controlar a realidade a sua volta; Referncia 2 Druida (D&D) Heri com forte ligao com a natureza, podendo influenciar plantas e animais a seu favor; Referncia 3 Lirista Folchulcano (D&D) Aventureiros que combinam os poderes de bardo com os poderes da natureza; Referncia 1 Vainamoinen (Kalevala) Heri shamanista com poder mgico provindo do som e da msica; Referncia 2 Ilmarinen (Kalevala) Artfice mgico; Referncia 3 Trin (Os Filhos de Hrin) Vida amaldioada; Runas I. De Ilmari e Helminen(ou Henkianen/Valtamerinen/Meri?) II. Do drago da tempestade e da destruio de Valtamerianr III. Da ltima cano de Ilmari IV. Da Floresta do Lamento e da descoberta da biblioteca V. Da viagem para o reino dos mortos VI. Do Gigante enterrado e das sinfonias de poder VII. Da caada por Perkele e da batalha final 3. De Ilmari e Helminen Runa I Ilmarieraumjovemmenestrel,amadoeconhecidoportodoreinodeValtamerianr. No s dotado nas artes lricas e dono de uma sublime voz, que diziam ter o poder de encantar todos a sua volta, tambm era considerado um habilidoso espadachim. No havia em sua vida espao para tristeza, e diz-se que seu esprito era to nobre que quando se apresentava fazia qualquer um esquecer-se dos prprios problemas por um instante. Tambm Imari estava apaixonado, a princesa Helminen, conhecida pela sua bondade e beleza, era sua noiva, e esperavam o solstcio de vero para proferir suas preces na presena dos deuses. Para o rei Usko foi grande a felicidade quando Ilmari pediu a mo de sua filha, pois o amava como a um filho. Do drago da tempestade e da destruio de Valtamerianr Runa II Prximo ao solstcio de vero, um terrvel clima caiu sobre Valtamerianr, intempries que no podiam ser oriundas dos deuses. Alguns acreditavam que a serpente alada da tempestade havia novamente acordado, mas mensagem de lugar algum acerca deste terror surgira. At que por final, um dia, de longe do oceano, a criatura veio cortando o vento com toda sua ira e atacou os portes da cidade. Essa besta colossal trazia consigo a fria selvagem da natureza, envolta em troves e ventos uivantes. Foram chamados todos os guerreiros para defender a cidade do ataque, e todos velhos, crianas e mulheres foram instrudos a evacuar a cidade com urgncia. Porm, nem todos conseguiram evacuar o reino, Helminen aflita pelo perigo que seu amado corria, fugiu do grupo que deixava o lugar para procura-lo e pedir que abandonasse a misso j perdida de defender a cidade contra a tirania da natureza. As muralhas j estavam em chamas e muitos guerreiros j haviam cado quando Ilmariviupormeiodafumaaasuanoiva,correndopelocampodebatalhaaseuencontro. Foi nesse exato momento que a horrenda criatura se interps entre os dois amantes e em sua campanha de devastao acertou Helminen com a sua cauda, jogando-a longe contra os escombros. Aos olhos de Ilmari a cena parecia no ter fim, era como se o tempo tivesse desacelerado para aumentar a sua dor. Quando finalmente chegou ao corpo de sua princesa, ela j no estava mais viva, em fria Ilmari se jogou contra o drago que roubara sua amada e lhe perfurou o olho com seu sabre, mas foi a que a dor tomou o corpo do guerreiro, como se sua alma estivesse sendo atacada por milhares de relmpagos e a luz deixou os seus olhos. 4. Da ltima cano de Ilmari Runa III Era o dia do solstcio de vero, enfim, quando Ilmari recobrou a conscincia. Junto dele estava o rei, e ambos no estavam mais em Valtamerianr, pois essa havia sido tomada pelo drago, estavam na fortaleza do irmo de Usko, junto com todos os sobreviventes, algum dos homens o tinham encontrado desmaiado e o trouxeram para c ao abandonarem Valtamerianr. Foi grande a dor quando Ilmari se lembrou do ocorrido, e triste a ironia ao lembrar-se que era esse o dia em que se casaria com Helminen, no o dia que a veria ser enterrada. Quando rei e Ilmari foram visitar o tmulo da donzela, estavam vrios presentes para oferecerem suas preces, mas Ilmari no parecia mais ligar e ao ver sua amada, cantou por ela uma msica triste de despedida, mas ningum soube dizer de quem era a despedida, de Helminen ou de Ilmari, jurou junto letra que a morte dela seria vingada, e que ele iria encontrar uma forma de provar que nem mesmo deuses so imortais. Essa foi a ultima vez que Ilmari cantou. Ilmari tornou-se recluso, e nem mesmo o rei conseguia faz-lo falar. No seu tempo de solido se dedicou a criar um novo instrumento, que chamou de Kntele, algo prximo da Lira, que uma vez havia sido um de seus instrumentos favoritos, s que com notas mais melanclicas. Da mesma forma que antes, suas composies ainda tinham efeito sobre os que as ouviam, assim como na natureza a sua volta, mas j no traziam paz e felicidade como outrora. Da Floresta do Lamento e da descoberta da biblioteca Runa IV Logo que se recuperou dos ferimentos adquiridos na batalha, decidiu partir. Partir para a floresta, pois acreditava que somente com controle sobre a natureza iria poder enfrentar a criatura, que era uma deformao demonaca da mesma. Ilmari aprendeu a se comunicar com as rvores e com os animais, assim como comand-los e modific-los, ele descobriu como fazer a natureza responder ao som de seu kantele. Uma vez Ilmari caminhava pela floresta em busca de compreenso, quando viu, no centro de uma clareira, um lobo maior do que qualquer um que j havia visto antes, estranhamente, ele sente nessa criatura o esprito de sua amada Helminen. O lobo parecia fazer meno de que ele deveria segui-lo, e foi o que ele fez, por horas e horas. Logo eles chegaram parte mais antiga da floresta, onde ele jamais havia ido. L o lobo o levou a um local marcado por runas usadas na criao de magias, chamadas luottaas. As luottaas acendem na presena do heri e revelam uma passagem para o subterrneo. Ilmari entra no local, acompanhado do lobo, e descobre que o local se trata de uma antiga biblioteca, usada por estudantes, tanto das artes da msica quanto da natureza, e l ele ficou e estudou. 5. Da viagem para o reino dos mortos Runa V Com conhecimento adquirido entre as estantes da biblioteca da floresta, muito Ilmari progrediu nas artes da magia. Mas nada que o permitisse acabar com o drago Perkele at ento. Porm, entre tomos e pergaminhos, Ilmari descobriu uma forma de chegar a Tuonela, o reino dos mortos, onde apenas os mais aptos xams eram capazes de ir, em busca dos conhecimentos mais ocultos e vises do futuro. Nesse perodo o seu lobo ganha o nome de Henki, que significa esprito, pois Ilmari acreditava que o esprito de Helminen podia ver atravs dos olhos dele, e a ligao existente entre eles to forte que eles aprenderam a partilhar ideias, sentimentos e inclusive as suas magias, sendo que um fica mais forte na presena do outro. Ilmari e o lobo partem para o submundo, atrs da magia capaz de cumprir a sua vingana. L, ilmari recepcionado por seus entes perdidos e pela sua falecida noiva e pela primeira vez em anos ele volta a falar, declarando o seu amor por ela e o quanto sente a sua falta. Ela responde que um dia estaro juntos novamente e que enquanto esse dia no chegasse, ela sempre cuidaria dele, pois Henki foi enviada por ela para ser o seu protetor mas que agora deveriam encontrar o gigante enterrado, protetor do conhecimento profundo e da magia. Somente assim o mundo estaria livre do temperamento doentio de Perkele. Do gigante enterrado e das sinfonias de poder Runa VI Ao encontrar o local de descanso do gigante, Ilmari o convoca pedindo auxlio em sua misso. O gigante, ento, l o corao do heri para ver se suas intenes so verdadeiramente nobres. Por fim Ilmari passa no seu teste e o gigante decide que Ilmari digno de partilhar dos seus segredos. -lhe revelado, ento, que o ponto fraco da criatura tambm o seu ponto mais forte, pois o seu nico momento de vulnerabilidade durante o eclipse, que tambm o momento em que a natureza est mais agressiva. O gigante tambm conta que segundo uma antiga profecia, algum seria capaz de domar a natureza mais formidavelmente que a prpria natureza e retornaria toda a sua ira contra ela prpria, tornando-a novamente pura. Ogiganteindicaduastbulasrepletasdeluottaas,quasetograndesquantoele,ediz que ali est o conhecimento necessrio para acabar com a criatura, mas que ele encontra- seincompleto,quefaltaalgumreagenteparatornarosencantamentospossveis.Seoheri fosse capaz de completar o encantamento, ele poderia enfrentar a ira da natureza e talvez dom-la. Ilmari senta-se no cho e comea a tocar o seu kantele enquanto l as tbulas. Quando o gigante ouve o som que sai daquele estranho instrumento, imediatamente descobre que o som do kantele serviria c