gabarito edição nº 341

Download Gabarito Edição nº 341

Post on 30-Mar-2016

222 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição nº 341, de 13 a 21 de fevereiro de 2011

TRANSCRIPT

  • JORNAL DA EDUCAO

    Ano VIII EdIo n 341 RIo BRAnco-Ac, 14 A 21 dE fEVEREIRo dE 2011 E-MAIL: gabarito_ac@terra.com.br

    Leia a verso online desta edio em www.portalgabarito.com.br

    Gabarito

    E S C O L A

    Pgina 8

    Colgio Meta inicia ano letivo com

    semana pedaggicaProfessores do Colgio Meta participam de atividades de planejamento antes do incio das aulas. A novidade

    foi o treinamento na lousa interativa, recurso pedaggico que ser utilizado este ano.

    PginaS 4 E 5

    APROVAO REALIZA FESTA PARA CALOUROS DA UFAC

    Uma festa foi realizada na manh da sexta-feira, 4, pelo Curso Aprovao

    para homenagear os calouros aprovados no

    vestibular da Universidade Federal do Acre (Ufac).

    A T U A L I D A D E

    Pgina 6

    Colgio Vitria realiza reunio de pais dia 26

    Livraria Betel atende listas das escolas particulares

    Pgina 2

    F A C U L D A D E

    Pgina 3

    iesacre ter vestibular para curso em

    Produo audiovisual

  • V A R I E D A D ERio Branco-acre, 14 a 21 de fevereiro de 2011Gabarito

    2- JORNAL DA EDUCAO

    Livraria Betel cria seo para atender listas das escolasLivraria dispe de livros indicados por todas as escolas particulares

    Um espao exclusivo para o atendimento dos pais na volta s aulas para adquirir os livros que faro parte das listas das escolas particulares do ano letivo de 2011 foi criado na Livraria Betel.

    As colees das grandes edi-toras que fazem parte do Grupo IBEP, como a Companhia Editora Nacional e Conrad, alm do Gru-

    po Saraiva, que a Livraria Betel representa com exclusividade no Acre, esto sendo atendidas.

    Os pais podero encontrar na Livraria Betel os livros indicados pelas escolas Max, AME, SESC, ABC, SESI, Primeiro Passo, Cata Vento, Colgios Alternativo e Padro e do Instituto Imaculada Conceio.

    A Livraria Betel dispe de livros de todas as sries, tanto

    do Ensino Fundamental quanto do Ensino Mdio. Na Editora Saraiva esto como destaques li-vros didticos como a coleo Eu Gosto, que foi desenvolvida para atender plenamente s necessi-dades de alunos e professores na prtica pedaggica diria, como tambm outros livros que aten-dero s escolas, como a coleo Doki, da Editora Fundamento.

    Outra coleo em destaque em 2011 Batuque Batuta, volta-da para o ensino de msica, uma exigncia da nova legislao. A Livraria Betel est localizada na Rua Guiomard Santos, 348, Bosque e os pais podem entrar em contato atravs dos telefones 3223-8909 e 3223-8945. Um e-mail est sendo disponibilizado para os clientes: betel.livro@hotmail.com.

    Espao na Livraria Betel exclusivo para o atendimento de pais na compra de livros didticos

    GabaritoPublicao dirigida para

    a rea da Educao

    Jornalista Responsvel:Evaldo Pereira Ribeiro

    (164 DRT/AM)

    n A linguagem comea com a juno das slabas, acompanhadas com o sopro dos pulmes. O ar modelado diversas vezes pela possibi-lidade da abertura da boca e movimento dos lbios e da ln-gua. A cada movimentao da boca so formadas as vogais, consoantes, slabas, palavras e as frases.

    Se no vivssemos em sociedade provavelmente no teramos desenvolvido a fala e a escrita, s emitiramos alguns rudos. No se sabe ao certo quando os idiomas surgi-ram, porm uma coisa certa, a lngua necessita de falantes para existir; a lngua viva e acompanha a sociedade ao longo do tempo, expressando atravs de estruturas lingus-ticas que vo adaptando-se e

    Lngua: um instrumento vivo

    ARTIGO

    Ana Paula Diniz

    reinventando-se medida que as pessoas vo organizando o mundo em que vivem.

    Geralmente as mudanas acontecem primeiro na maneira de falar, e s depois no modo de escrever, pois a escrita ne-cessita de alteraes que so determinadas mediante leis, como o caso do Acordo de Unificao elaborado nos anos 90 e ratificado recentemente, que consiste em criar uma lngua unificada para os pases que usarem a lngua portuguesa como oficial.

    A internet mudou algumas relaes sociais, adicionando uma nova linguagem caracte-rstica dos formatos e gneros discursivos em que apresenta nesse contexto, como blog, chat, Messenger, e-mail, entre outros, porm o impacto da internet puramente tecno-lgico: uma revoluo dos modos sociais de interagir no meio. O que permite uma rdua tarefa para os falantes, que instigar e identificar as variedades scias- lingusticas e os adventos da tecnologia e a difuso da internet e no deixar que a lngua que est sendo criada para a comunicao num veculo restrito venha interferir na nossa lngua oficial.

    ACESSO UNIVERSIDADE n O nvel de acesso educao universitria na Amrica Latina de 32%, bem abaixo dos 87% da Europa, 67% da sia e 62% dos Estados Unidos. Chile, Bra-sil e Colmbia so os pases da Amrica Latina com os maiores percentuais de estudantes que podem cursar estudos supe-riores. O assunto foi analisado no frum reforma e poltica educativa na Amrica Latina: inovao, incluso e alianas pblico-privadas, organizado pelo Conselho das Amricas e o Miami Dade College.

    ENEM SUBSTITUIR ENADE n A partir deste ano, alunos in-gressantes de cursos superiores avaliados pelo Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) no tero que fazer a prova caso tenham participado do Exame Nacional do Ensino Mdio (Enem). Essa uma de-manda antiga do setor privado que passa a valer a partir deste

    EDUCAO EM FOCOano. O Enade aplicado a alunos ingressantes e concluintes de cursos superiores para medir a qualidade do ensino oferecido. Comparando o desempenho daqueles que esto entrando e dos que esto se formando, o Ministrio da Educao (MEC) calcula o Indicador de Diferena entre os Desempenhos Observa-do e Esperado (IDD), que mede o quanto o aluno aprendeu du-rante o curso.

    BAIXA ADESO AO FIESn O Ministrio da Educao est descontente com adeso das instituies privadas de ensino ao fundo garantidor do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) e com a baixa procura dos estu-dantes pelo programa. Menos de 20% das mantenedoras que participam do Fies aderiram ao projeto do Fundo de Garantia de Operaes de Crdito Educativo (Fgeduc), que elimina a necessi-dade de o estudante ter um fiador para participar do programa.

    3224-0726

    VIVA COM PAIX

    O QUE

    O SUCESSO CORR

    E

    ATRS DE VOC

  • F A C U L D A D E

    Rio Branco-acre, 14 a 21 de fevereiro de 2011 Gabarito3

    JORNAL DA EDUCAO -

    Primeiro vestibular para o novo curso ser realizado em maiolismo do Iesacre, professor MSc. Evaldo Pereira Ribeiro, diz que os Cursos Superiores Tecnolgicos (CST) tm como objetivo formar profissionais aptos a desenvolver de forma plena e inovadora as ati-vidades de um determinado eixo tecnolgico e com capacidade de utilizar, desenvolver ou adaptar tecnologias com a compreenso crtica.

    No caso do Curso Superior de Tecnologia em Produo Au-diovisual do Iesacre, o objetivo formar profissionais com com-petncia para atuar no mbito das atividades essenciais para a

    MEC autoriza CST em Produo Audiovisual

    realizao de obras audiovisuais, a partir dos suportes televisivos, ci-nematogrficos e videogrficos.

    Segundo o professor Evaldo Ribeiro, o profissional formado no CST em Produo Audiovisu-al pode trabalhar em produtoras independentes, que desenvolvem contedo para internet e celu-lar, emissoras de TV e Rdio, emissoras de TV por assinatura. Estes profissionais podem atuar na criao de roteiros, produo, ps-produo, direo e edio de produtos de udio e vdeo e na manuteno da programao de emissoras de rdio e TV.

    A Secretaria de Educao Profissional e Tecno-lgica do Ministrio da Educao (MEC) autorizou atravs da Portaria n 295, de 15 de dezembro de 2010 a oferta do Curso Superior Tecno-lgico em Produo Audiovisual pelo Instituto de Ensino Superior do Acre (Iesacre).

    Sero oferecidas vagas para os turnos vespertino e noturno e o primeiro vestibular para o novo curso ser realizado em maio deste ano, com incio das aulas no segundo semestre de 2011. O coordenador do curso de Jorna-

    n Os cursos superiores de tecnologia popularmente conhecidos como tecnlogos, esto em sintonia com o que h de mais atual no mercado de trabalho. Com durao mdia de dois anos, essa modalidade de educao universitria tem validade oficial, como os demais cursos superiores (bacharelado ou licenciatura). Por exemplo, com um diploma de tecnlogo possvel fazer ps-graduao em nvel de especializao, MBA ou mestrado.

    Segundo o Ministrio da Educao, o curso superior de tec-nologia aberto a candidatos que tenham concludo o ensino mdio, ou equivalente, e que tenham sido classificados em processo seletivo. Os graduados nos CST (Cursos Superiores de Tecnologia) denominam-se tecnlogos e so profissionais de nvel superior com formao para a produo, inovao cientfico-tecnolgica e para a gesto de processos de produo de bens e servios.

    Os cursos superiores de tecnologia so fundamentados em leis e diretrizes estabelecidas pelo Ministrio da Educao (MEC). A Legislao Bsica de Graduao Tecnolgica encontra-se no site do MEC (http://portal.mec.gov.br/setec). importante notar que o MEC tambm determina quais cursos de tecnlogos so reconhecidos no Catlogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia.

    Comparando os cursos superiores tecnolgicos com os cur-sos de graduao, o professor Evaldo Ribeiro destaca que os Cursos Superiores Tecnolgicos desenvolvem profissionais de perfis amplos, com capacidade de pensar em forma reflexiva, com autonomia intelectual e sensibilidade ao relacionamento interdisciplinar, que permita aos seus egressos prosseguirem seus estudos em nvel de ps-graduao. Em outras palavras o CST alia o conhecimento s necessidades do mercado, destaca o coordenador.

    Ele enfatiza que a grande vantagem do CST em Produo Audiovisual o tempo de durao do curso, que de dois anos, o que pode significar economia de tempo para aqueles que qu