planejamento financeiro completo

Download Planejamento Financeiro Completo

Post on 20-Jul-2015

210 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Planejamento Financeiro

Decises Financeiras a Curto Prazo

Planejamento Financeiro um aspecto chave da gesto organizacional pois estabelece os caminhos a serem trilhados para atingir o objetivo final da empresa. Existem dois aspectos principais no planejamento financeiro: o planejamento de caixa e de lucros.

Planejamento de caixa: est relacionado a preparao do oramento de caixa. Planejamento de lucros envolve a preparao das demonstraes contbeis projetadas. Este tipo de planejamento atende a um pblico diversificado (Administrao interna, credores e investidores).

Planejamento Financeiro de Longo Prazo O 1 passo no planejamento financeiro estabelecer as estratgias de longo prazo, ou seja, planejar as aes financeiras, e seus impactos antecipados, para perodos entre 2 e 10 anos. Planejamentos so revisados a medida que surgem novas informaes (influncias do tipo de negcio e do ambiente onde opera). O planejamento de longo prazo segue um estratgia integrada com as demais reas funcionais, fornecendo subsdios para que estas possam atingir suas metas.

Planejamento Financeiro de Curto Prazo Estabelece as aes que devem ser implementadas para atingir as metas de longo prazo, antecipando-se ao impacto destas aes. O perodo varia de 1 a 2 anos. Para perceber o processo de planejamento financeiro de curto prazo observe o fluxograma a seguir:O foco a partir de agora ser nas sadas chave do planejamento financeiro de curto prazo: oramento de caixa, DRE projetado e balano projetado.

Previso de vendas.

Informao necessria Produto para anlise

Planos de produo. Balano Patrimonial do perodo corrente.

Plano de financiamento de longo prazo. Oramento de caixa. Plano de desembolso para ativos fixos.

DRE pro forma.

Balano Patrimonial pro forma.

Oramento de Caixa uma demonstrao de entradas e sadas de caixa estimadas pela empresa. utilizado para estimar necessidades ou excesso de recursos no curto prazo. A insumo principal do oramento de caixa a previso de vendas, seja ela externa, interna ou combinada.

Formato Geral do Oramento de Caixa

Exemplo base: Companhia HalleyPlanejando as receitasA companhia Halley, empresa do setor de material blico, est elaborando um oramento de caixa para o perodo de outubro, novembro e dezembro. As vendas da empresa, em agosto, foram de $ 100.000 e, em setembro, de $ 200.000. Vendas de $ 400.000, $ 300.000 e $ 200.000 foram previstas, respectivamente, para outubro, novembro e dezembro. Historicamente, 20% das vendas tm sido vista, 50% tm gerado contas a receber cobradas um ms mais tarde e os 30% restantes tm gerado contas a receber cobradas dois meses mais tarde. Em dezembro, a empresa receber um dividendo de R$ 30.000 de aes de uma subsidiria.

De posses destes dados possvel elaborar uma projeo dos recebimentos

Planejando os pagamentosEm relao a seus pagamentos a companhia Halley coletou as seguintes informaes relevantes : as compras representaro 70% das vendas 10% sero pagos vista, 70% sero pagos no ms seguinte ao da compra e os 20% restantes sero pagos dois meses aps a compra. A empresa tambm gastar dinheiro pagando R$ 5.000 de aluguel todo ms, salrios so compostos por um valor fixo de R$ 8.000 mais uma parte varivel equivalente a 10% das vendas mensais...

DEVEM SER PAGOS TAMBM: Impostos de R$ 25.000 devem ser pagos em dezembro; Uma mquina dever ser comprada e paga integralmente em novembro no valor de R$ 130.000; Juros de uma dvida devem ser pagos em dezembro no valor de R$ 10.000 bem como R$ 20.000 a ttulo de amortizao da dvidas; Sero pagos dividendos de R$ 20.000 em outubro. Segue-se o quadro resultante de pagamentos projetados:

Projeo de pagamentos

O oramento de caixa da companhia Halley pode ser obtido combinando-se o quadro de recebimentos com o quadro de pagamentos. Para elaborar o oramento de caixa admita que no final de setembro, o saldo de caixa da Halley era de $ 50.000. A Halley tambm deseja manter um saldo mnimo de caixa de $ 25.000.

De posse das entrada e sadas de recursos possvel identificar possveis sobras e faltas de recursos atravs do oramento de caixa:

Avaliando o Oramento de Caixa Para a companhia Halley manter um saldo mnimo de caixa de R$ 25.000 haver um dficit 76 mil em novembro e 41 mil em dezembro, j no ms de outubro o saldo de 22 mil pode ser investido em ttulos de curto prazo.

Planejamento de LucrosDecises Financeiras a Curto Prazo

No planejamento financeiro de curto prazo existem dois pontos principais para guiar a gesto do administrador financeiro: o oramento de caixa e o planejamento de lucro. O oramento de caixa, como visto anteriormente consiste no estabelecimento das necessidades, ou excesso de caixa, baseando-se nas entradas e sadas de recursos. O planejamento de lucro consiste na elaborao de demonstrativos projetados, balano e DRE, tomando por base demonstraes contbeis do ano precedente e projees de vendas para o ano seguinte.

A elaborao destes demonstrativos requer uma cuidadosa fuso de valores projetados e outros simplesmente controlados. Estas projees que sero abordadas so baseadas na crena de que as relaes financeiras encontradas em demonstrativos passados no se modificaram no futuro. A primeira demonstrao que deve ser elaborada deve ser a DRE, que servir de insumo para a elaborao do balano projetado.

A projeo da DRE pode ser elaborada atravs das tcnicas de percentagem de vendas e segregao de custos fixos e variveis.

Percentagem de vendas Este mtodo utiliza a previso de vendas e ento expressa o custo dos bens vendidos, as despesas operacionais e as despesas com juros como percentagens de vendas projetadas. Para exemplificar a utilizao deste mecanismo tomaremos como exemplo a Manufatura Metclafe, que apresenta os seguintes demonstrativos do ano anterior:

Demonstrao de Resultados para a Manufatura Metcalfe Elaborada em 31/12/2006

Balano Patrimonial para a Manufatura Metcalfe Elaborada em 31/12/2006.

De posse destes demonstrativos necessrio identificar a previso de vendas para o ano seguinte, a qual est demonstrada a seguir:Vendas em unidades. Modelo X Modelo Y Modelo X (R$ 25 unid.) Modelo Y (R$ 50 unid.) TOTAL 1.500 1.950 37.500 97.500 135.000

Vendas em valor monetrio.

Essa previso baseia-se em um aumento de $ 20 para $ 25 por unidade para o Modelo X e de $ 40 para $ 50 por unidade para o Modelo Y. Esses reajustes so necessrios para cobrir aumentos esperados de diversos custos, incluindo mo-de-obra, matria-prima e gastos gerais de produo.

Utilizando o mtodo do percentual de vendas podemos identificar os custos e despesas como uma proporo das vendas da seguinte maneira: Custo do Produto Vendido = X% Vendas Despesas Operacionais = Y% Vendas Despesas com Juros = Z% Vendas

Previso da DRE para 31 de dezembro de 2007 .

ANO Venda de Produtos (-) Custo dos Produtos Vendidos Lucro bruto (-) Despesas Operacionais Lucro operacional (-) Despesas com juros (Todas Fixas) Lucro lquido antes do IR. (-) Imposto de renda (0,15 x lucro liquido antes do IR). Lucro liquido do exerccio (-) Dividendos Para Lucros Retidos

2006 100.000 (80.000) 20.000 (10.000) 10.000 (1.000) 9.000 (1.350) 7.650(4.000) 3.650

2007 135.000,00 (108.000,00) 27.000,00 (13.500,00) 13.500,00 (1.350,00) 12.150,00 (1.822,50) 10.327,50(4.000,00) 6.327,50

A tcnica do percentual de vendas demonstra que todos os custos so considerados como totalmente variveis, ou seja, variam totalmente em funo da quantidade vendida, o que acaba tornando a tcnica limitada, pois os lucros estaro sendo subestimados quando as vendas aumentarem e superestimados quando as vendas carem. A melhor maneira de gerar uma demonstrao projetada de resultado mais realista consiste em segmentar as despesas da empresa em componentes fixos e variveis.

Considerando os tipos de custos e despesas Utilizar o mecanismo de segregao dos custos evariveis bastante semelhante a tcnica anterior uma vez que pressupes imutveis as despesas fixas e somente as despesas variveis e que so calculadas em funo da previso de vendas.Custo Variveis do Produto Vendido = W% Vendas Despesas Variveis Operacionais = K% Vendas Despesas Variveis com Juros = M% Vendas

DRE para o ano que termina em 33 dezembro de 3333 de . ANO 22 22 33 33 Venda de Produtos 33 3 22 3.33 2.333 (-) Custo dos Produtos Vendidos Custo Fixo 3.33 3.33 33 33 Custo Varivel ( 33das vendas) , 3.33 3.33 33 33 Lucro bruto 3.33 3.33 33 33 (-) Despesas Operacionais Despesa Fixa 33 .33 3 3 .33 Despesa Varivel ( 222 vendas) , das 33 .33 3 3 .33 Lucro operacional 3.33 2.33 33 23 (-) Despesas com juros (Todas Fixas) 3 .333 3 .333 Lucro lquido antes do IR. 3 .333 2.22 22 (-) Imposto de renda (333lucro liquido antes do IR). , x 33 .33 3 3 .33 Lucro liquido do exerccio 33 .33 3.33 33

Preparando o Balano Patrimonial Projetado A abordagem mais popular e prtica a abordagem criteriosa. De acordo com este mtodo simples, os valores de algumas contas de balano so estimados e outras calculadas Caso ao final da projeo seja identificada alguma necessidade de financiamento ou sobra de recursos ser criada uma conta fictcia denominada de Financiamento Externo Necessrio da Empresa (ou Excesso de Financiamento) utilizado como conta de fechamento.

Para exemplificar a abordagem criteriosa do Balano Patrimonial projetado voltaremos ao exemplo da Manufatura Metcalfe, onde uma srie de hipteses so feitas: Um saldo mnimo de caixa de R$ 6 mil desejado. Presume-se que os ttulos negociveis permaneam no patamar atual de R$ 4 mil. Duplicatas a receber levam em mdia 45 dias para serem recebidas. Sendo as vendas anuais da empresa estimadas em R$ 135.000 as duplicatas a receber deveriam ser na mdia de R$ 16.875 (1/8 x R$ 135.000).

O estoque final deve permanecer no mesmo nvel aproximad