MINISTRIO DO PLANEJAMENTO, ORAMENTO E do planejamento, oramento e gesto secretaria de recursos humanos instruo normativa n 4, de 11 de julho de 2006 dispe sobre a unificao de ...

Download MINISTRIO DO PLANEJAMENTO, ORAMENTO E   do planejamento, oramento e gesto secretaria de recursos humanos instruo normativa n 4, de 11 de julho de 2006 dispe sobre a unificao de ...

Post on 09-Feb-2018

216 views

Category:

Documents

2 download

TRANSCRIPT

  • MINISTRIO DO PLANEJAMENTO, ORAMENTO E GESTO

    SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS

    INSTRUO NORMATIVA N 4, DE 11 DE JULHO DE 2006 Dispe sobre a unificao de procedimentos de controle e regras de acesso e segurana da base de dados do sistema SIAPE.

    O SECRETRIO DE RECURSOS HUMANOS, no uso da competncia que lhe foi

    delegada pela Portaria n 82, de 11 de abril de 2006, publicada no Dirio Oficial de 12 de abril de 2006, do Ministro do Planejamento, Oramento e Gesto,

    considerando que a Secretaria de Recursos Humanos, por meio do Departamento de Administrao de Sistemas de Informaes de Sistemas de Recursos Humanos - DASIS, o rgo responsvel pelo desenvolvimento e operao do Sistema Integrado de Administrao de Recursos Humanos - SIAPE;

    considerando a necessidade de assegurar o controle de acesso e a integridade dos dados relativos gesto de recursos humanos das Unidades do Governo Federal, usurias do sistema, cujas informaes devero ser compatibilizadas e padronizadas;

    considerando a necessidade de garantir a efetiva segurana do uso do sistema; e considerando a necessidade de descentralizar, modernizar e padronizar o processo de credenciamento de Cadastradores, de operadores da base de dados do SIAPE bem como dos servidores ativos, aposentados e beneficirios de penso que acessam o sistema, resolve:

    Art. 1 Aprovar a Norma de Execuo, em anexo, com vistas a consolidar regras de acesso e segurana da base de dados do sistema SIAPE e unificar os procedimentos de controle.

    Art. 2 Determinar o prazo de seis meses para o DASIS elaborar e divulgar a tabela de temporalidade para fins de atualizao e consulta de informaes na base de dados do SIAPE, a contar da publicao desta IN.

    Art. 3 Esta Instruo Normativa entra em vigor na data de sua publicao. SRGIO EDUARDO ARBULU MENDONA

    ANEXO

    NORMA DE EXECUO (NE) N 001, de 11 de julho de 2006

    O DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E INFORMAES DE ADMINISTRAO DE RECURSOS HUMANOS - DASIS, no uso das atribuies que lhe foram conferidas pelo Regimento Interno da Secretaria de Recursos Humanos, aprovado pela Portaria n 82, de 11 de abril de 2006, publicada no Dirio Oficial da Unio de 12 de abril de 2006 e, considerando a necessidade de complementar e regulamentar o acesso e o uso das informaes da administrao Federal, obtidas atravs da base de dados do SIAPE, prevista na IN/SRH n 01/2006, com vistas a atender adequadamente aos seus objetivos precpuos; considerando a necessidade de atualizar os procedimentos para o acesso a base de dados do SIAPE, bem como os instrumentos e procedimentos para a manuteno da segurana da base de dados em epgrafe, resolve:

    Definir as normas para acesso base de dados do SIAPE; e Definir as atribuies e os procedimentos para a manuteno da segurana DA

    BASE DE DADOS SIAPE, conforme especificado a seguir. 1. DO SIAPE

  • 1.1 SIAPE o sistema informatizado de Gesto de Recursos Humanos do Poder Executivo Federal, que controla as informaes cadastrais e processa os pagamentos dos servidores da Administrao Pblica Federal direta, das autarquias, das fundaes pblicas, dos ex

    Territrios Federais, empresas pblicas, sociedades de economia mista que recebam recursos da Unio para o custeio das respectivas folhas de pagamento e dos militares do Governo do Distrito Federal - GDF.

    1.2. Dicionrio de Dados Para o perfeito entendimento e interpretao desta Norma de Execuo, sero adotadas as definies constantes do anexo I.

    1.3. A base de dados do SIAPE constituda pelos subsistemas: a) SIAPECAD b) SIAPENET c) SICAJ d) PROCESSOS ADMINISTRATIVOS e) EXTRAO DE DADOS f) SIAPETREINA f)DATAWEREHOUSE 1.4. O horrio de utilizao da base de dados do SIAPE ser estabelecido pelo

    DASIS/SRH/MP, mediante cronograma mensal. 1.5. Por meio do acesso ao sistema, os usurios das diversas Unidades de

    Recursos Humanos integrantes da base de dados do SIAPE registram as informaes administrativas do rgo ou entidade, dados pessoais e funcionais dos servidores, e demais procedimentos administrativos e efetuam consultas on-line.

    1.6. O acesso para registro das informaes ou para consultas na base de dados do SIAPE somente ser autorizado aps o prvio cadastramento e habilitao do usurio. Para viabilizar este cadastramento, cada unidade de Recursos Humanos dever indicar, formalmente, ao DASIS/SRH/MP um servidor, e seu substituto, como responsveis pelo processo de cadastramento dos usurios do Sistema no mbito do respectivo rgo ou entidade - denominados Cadastradores Parciais, de acordo com os procedimentos estabelecidos na presente Norma de Execuo.

    1.7. Os Servidores indicados para serem os Cadastradores Parciais devem, preferencialmente, estar lotados nas Unidades de Recursos Humanos, por estarem mais familiarizados com a utilizao do sistema.

    1.8. Os Cadastradores Parciais devem ter conscincia da responsabilidade de cumprir fielmente as determinaes relativas segurana do processo de cadastramento de usurios, assim como do uso do Sistema como um todo, de forma a garantir a integridade e o controle dos dados referentes gesto de Recursos Humanos do Governo Federal.

    2 - OBJETIVOS DO SIAPE 2.1. Dotar o Sistema de Pessoal Civil da Administrao Federal (SIPEC), criado

    pelo Decreto n 67.326, de 5 de outubro de 1970, de instrumento de modernizao da administrao de recursos humanos e de viabilizao da integrao sistmica nessa rea;

    2.2. atender a Secretaria de Recursos Humanos nas atividades de planejamento, coordenao, superviso, controle e desenvolvimento de recursos humanos da Administrao Pblica Federal direta, das autarquias, das fundaes pblicas, de ex-Territrios Federais, empresas pblicas, sociedades de economia mista e os militares do Governo do Distrito Federal - GDF;

    2.3. atender s unidades de pessoal dos rgos e entidades no desenvolvimento de suas atividades, com procedimentos padronizados e aplicao uniforme das regras estabelecidas nos atos normativos;

    2.4. constituir uma base de dados com informaes cadastrais e financeiras dos servidores pblicos Federais integrantes da base de dados do SIAPE, para gerao e emisso da folha de pagamento unificada e do histrico funcional e financeiro;

  • 2.5. prover os mecanismos adequados de controle, acompanhamento e gerenciamento dirio, para os rgos integrantes do sistema;

    2.6. integrar e compatibilizar as informaes disponveis nos diversos rgos e entidades participantes do sistema com outros sistemas informatizados do servio pblico federal;

    2.7. assegurar a transparncia de nmeros, discriminando quantitativo, distribuio e custo do contingente de servidores pblicos civis integrantes do sistema, aos diversos segmentos da sociedade;

    2.8. permitir, mensalmente, o acompanhamento fsico-financeiro do oramento, a nvel analtico e sinttico, dos gastos com o pessoal dos rgos integrantes do sistema.

    3. MODALIDADE DE USO 3.1. A base de dados do SIAPE permite aos rgos e entidades, sua utilizao, de

    acordo com as necessidades de acesso ao sistema, podendo variar de modalidade de uso parcial at total:

    a) modalidade total permite ao usurio consultar todos os rgos e entidades integrantes do sistema;

    b) a modalidade parcial permite que o usurio tenha acesso apenas a algumas funes do sistema ou mesmo que se faa apenas consultas.

    4 - SEGURANA DA BASE DE DADOS DO SIAPE 4.1. A base de dados do SIAPE tem sua segurana baseada nos seguintes

    princpios e instrumentos: I. sistema SENHA-REDE que permite a autorizao de acesso aos dados do

    SIAPE, estabelecendo diferentes nveis desse acesso s suas informaes; II. o sistema SENHA-REDE objetiva o uso autorizado dos recursos do SIAPE,

    especificando: a)quais e quantos usurios autorizados a terem acesso ao SIAPE; b)quais transaes podero ser acessadas; c)qual o nvel de acesso e de perfis especficos permitidos. III. acesso s informaes do SIAPE feito por usurios devidamente cadastrados e

    habilitados, atravs do sistema SENHAREDE de acordo com o que determina esta Norma de Execuo, podendo sua base de dados ser acessada de duas formas:

    a)por meio de consultas, via terminal ou computadores interligados em rede conectados ao SERPRO, ou acesso via WEB; e

    b)por meio da transferncia de dados da base SIAPE para equipamentos de processamento eletrnico do prprio usurio, pelo uso do mdulo Extrator de Dados ou Data Warehouse.

    IV. fidedignidade dos dados inseridos no sistema, por parte de seus usurios; V. procedimento para identificao dos operadores que efetuaram qualquer acesso

    sua base de dados, mantendo registrados o nmero do CPF do operador, a hora e a data de acesso, a Unidade de Recursos Humanos a que pertence, o nmero do terminal ou computador utilizado e as informaes inseridas, alteradas e ou consultadas.

    4.2. o sistema SENHA REDE um mecanismo de segurana, sob a responsabilidade do SERPRO, destinado a manter a integridade da base de dados do SIAPE;

    4.3. ser formalmente designado no mbito do DASIS/ SRH/MP um servidor que responder pela execuo do processo de credenciamento, sendo denominado cadastrador geral e designados nos rgos e/ou entidades o cadastrador parcial;

    4.4. todo operador da base de dados do SIAPE ou do sistema SENHA-REDE ser identificado pelo nmero do seu CPF, ao qual ser associado um cdigo individual, de conhecimento exclusivo do operador;

    4.5. os operadores sero habilitados para transaes nos nveis de acesso que lhes permitam cumprir suas atribuies funcionais perante o sistema;

  • 4.6. para que o operador tenha direito de acesso ao SIAPE, so necessrios os seguintes dados para cadastramento, informados por meio do formulrio 1, em anexo:

    a)nome; b)matrcula; c)data de nascimento; d)CPF; e)telefone de trabalho; f)cidade; g)cargo e/ou funo; h)sigla do rgo ou entidade; i)cdigo do rgo ou entidade; j)endereo eletrnico; l)nvel de acesso; 4.7. a solicitao de acesso base de dados do SIAPE poder ser feita ao titular

    da unidade de recursos humanos, a quem caber promover o seu encaminhamento para o Cadastrador parcial ao qual esteja vinculado ou ao Cadastrador Geral, quando for o caso;

    4.8. o fornecimento de senhas para acesso a base de dados do SIAPE obedecer aos critrios disciplinados por esta Norma de Execuo;

    4.9. os dados constantes do SIAPE so considerados oficiais; 4.10. para efeito de divulgao ou publicao de dados constantes na base de

    dados do SIAPE, a autorizao dever ser autenticada pelo titular da unidade responsvel ou pelo titular da Secretaria de Recursos Humanos do MP;

    4.11. os dados emitidos pelo servidor ativo, aposentado ou beneficirio de penso via SIAPEnet tem f pblica, dispensando a autenticao constante do item 4.11;

    4.12. todo operador da base de dados do SIAPE ser identificado pelo nmero do seu CPF, ao qual ser associado um cdigo individual (SENHA), de conhecimento exclusivo do operador;

    4.13. a escolha dos operadores dever recair sobre servidores ocupantes de cargos efetivos ou nomeados para cargo em comisso das unidades de recursos humanos, de ilibada reputao e idoneidade.

    Dever ser feita de forma cuidadosa, guardando-se estreita correlao entre o nvel funcional do operador e as transaes s quais lhe ser dado acesso, principalmente quanto aos cadastradores, visto que sero responsveis pelo credenciamento dos demais operadores do sistema;

    4.14. o Cadastrador Geral e o Cadastrador Parcial devero observar o disposto no item anterior, bem como utilizar adequadamente a base de dados do SIAPE e SENHA-REDE, somente cadastrando operadores e cadastradores mediante a autorizao competente;

    4.15. as transgresses s regras estabelecidas para o uso da base de dados do SIAPE sero informadas pelo agente sua chefia imediata para que sejam tomadas as providncias necessrias apurao de responsabilidade e aplicao de penalidades, se for o caso;

    4.16. uma vez includos os dados no sistema SIAPE e aps o processamento mensal, sendo constatada irregularidades nesses dados, a correo somente ser possvel por meio de registro no histrico do servidor;

    5. DA POLTICA DE SEGREGAO DE FUNES 5.1. Em observncia ao princpio da segregao de funes o dirigente de recursos

    humanos do rgo/entidade dever solicitar senhas de acesso, de acordo com a rea de atuao e o perfil estabelecido nesta NE, para os seus servidores que sero operadores da base de dados do SIAPE.

    5.2. So definidos em nveis de autoridades/responsabilidades quanto aos dados includos na base de dados do SIAPE para gerao de pagamento:

  • a)pagamentos automticos com base em informaes cadastrais, parmetros, rubricas e tabelas definidas e includas/alteradas no SIAPE pelo rgo central, cabendo aos rgos e entidades setoriais/ seccionais apenas a confirmao dos itens a serem processados na ficha dos servidores (ligao de parmetros);

    b)pagamentos descentralizados, cabendo aos rgos e entidades setoriais/seccionais o clculo e a incluso/alterao dos valores devidos nas fichas financeiras dos servidores;

    c)conformidade por servidor designado pelos dirigentes de recursos humanos nos setoriais/seccionais, na hiptese de valores lanados por seus operadores;

    d)homologao da folha de pagamento aps o seu processamento, pelo dirigente da unidade de recursos humanos dos rgos e entidades setoriais/seccionais;

    5.3. O gestor da base de dados do SIAPE o responsvel pela implantao de restries sistmicas, com o objetivo de evitar o processamento sem o devido amparo legal, segundo o conceito de controle preventivo.

    5.4. O gestor do sistema indicar operadores, servidores em exerccio no DASIS/SRH/MP, para serem cadastrados no Sistema Senha para atuar na base de dados do SIAPE nas seguintes funes:

    a)segurana do sistema b)administrao de tabelas c)cadastro d)controle da lotao e)pagamento f)SICAJ g)processos administrativos h)extrao de dados i)SIAPEtreina j)datawerehouse l)consignaes 6. FORMA DE ACESSO 6.1. A base de dados do SIAPE permite que as unidades de recursos humanos

    obtenham acesso de forma on-line ou batch, na efetivao dos registros da execuo administrativa de gesto de recursos humanos:

    a)a forma de acesso on-line caracteriza-se pelo fato de utilizar terminais ou computadores interligados em rede e conectados na Rede-Serpro. Os rgos e entidades atualizam e consultam os arquivos do sistema em tempo real;

    b)a forma de acesso batch caracteriza-se pelo fato de enviar por meio da internet - SIAPEnet as atualizaes cadastrais e financeiras referentes aos servidores do rgo/entidade.

    6.2. a prpria unidade de recursos humanos a responsvel pela atualizao dos arquivos do sistema, mediante digitao dos dados relativos aos atos e fatos de gesto de recursos humanos atravs de terminais ou computadores interligados em rede conectados ao SERPRO;

    6.3. cabe ao DASIS/SRH/MP definir qual a forma de acesso de cada unidade de recursos humanos, ouvindo o respectivo Ministrio ou rgo/Entidade;

    6.4. a alterao da forma de acesso da unidade de recursos humanos ser efetuada pelo DASIS/SRH/MP, por solicitao do respectivo Ministrio ou rgo supervisor;

    6.5. ao ser cadastrado e habilitado, o operador receber uma senha inicial que lhe ser atribuda pelo sistema Senha-rede e que servir somente para o primeiro acesso, ocasio em que o sistema senha-rede solicitar a troca da mesma, que dever ser de seu uso e conhecimento exclusivo, quando do primeiro acesso ao sistema, sendo vedado, sob as penas da lei, a recuperao desta senha por outros Operadores ou pelos Cadastradores;

  • 6.6. a combinao Perfil / Nvel de acesso determina o conjunto de transaes de consulta ou atualizao de informaes na base de dados do Sistema, ao qual o Operador ter acesso, bem como a sua abrangncia;

    6.7. em relao aos acessos, os nveis que permitem abordagens ao Sistema, so os seguintes:

    a)GERAL: permite consultar todos os rgos e entidades integrantes do SIAPE; b)REGIONAL DA UF: Acesso a informaes a determinadas regies (UF) inclusive

    as UPAGS, UAPOS e UORGS nela contida, envolve as unidades de todos os rgos e entidades da regio.

    c)RGO E VINCULADOS: permite o acesso a consulta em determinado rgo ou entidade e demais rgos ou entidades a ele vinculados, inclusive as UPAGS, UAPOS e UORGS a eles pertencentes;

    d)RGO: permite o acesso a consulta e alteraes no sistema do rgo ou entidade ao qual est vinculado;

    e)UPAG: permite o acesso a consulta e alteraes no sistema somente aos dados de determinada Upag, inclusive as UAPOS e UORGS a ela pertencente;

    f)UNIDADE DE APOIO RH: permitem o acesso a consulta e alteraes no sistema somente de dados de determinada UAPO, inclusive a UORGS a ela pertencentes;

    g)UORG E SUBORDINADAS: permite o acesso a consulta e alteraes no sistema somente aos dados de determinada Uorg, inclusive as UORGS a ela subordinada hierarquicamente;

    h)UORG: permite o acesso a consulta e alteraes no sistema somente a uma Uorg especifica;

    6.8. para melhor visualizao, a seguir so apresentados os nveis de credenciamento dos servidores, onde ficam estabelecidas as competncias para autorizao e para credenciamento:

    Agente Competncia para Autorizao Para

    Credenciamento

    Cadastrador Geral

    Titular do DASIS/SRH/MP

    Gestor do SENHA (SERPRO)

    Cadastrador Parcial

    Titular da Unidade de Recursos Humanos

    Cadastrador Geral

    6.9. a Tabela de Credenciamento de Operadores da base de dados do SIAPE por Nvel de Acesso, exposta a seguir, estabelece a competncia para autorizao e para credenciamento de acesso:

    Nvel Competncia para Autorizao Competncia para

    Credenciamento

    A Geral

    B Regional

    C rgo e vinculados

    Cadastrador Geral

    D rgo Cadastrador Geral/Parcial

    E UPAG

    F Unidades de Apoio UAPO

    G Uorg e vinculados

    Cadastrador Parcial

  • H Uorg

    6.10. em relao ao Extrator de Dados, existem 3 nveis de Extrao disponveis que permitem a captao dos dados pelo Operador:

    Nvel Permisses Competncia para Credenciamento

    9 Acesso a

    todos os registros do sistema

    Cadastrador Geral

    8 Acesso a

    todos os registros do rgo ou entidade

    7 Acesso a

    todos os registros da UPAG

    6.11. para o credenciamento dos operadores, os titulares de rgos e/ou entidades e UPAGs procedero ao enquadramento do rol de transaes a que tero acesso, constituindo assim o Perfil do Operador. Esse Perfil delimita a atuao do operador, conforme suas atribuies. Eventuais alteraes de perfis sero divulgadas pelo DASIS/ SRH/MP;

    6.12. os diversos agentes, a seguir identificados, em instncias diversas, so responsveis pelas atividades de credenciamento, viabilizao de acesso e efetivao dos instrumentos de segurana da base de dados:

    I - no DASIS/SRH/MP a)cadastrador Geral; b)titular do rgo ou entidade; c)rgo e vinculados; d)operador. II - nos rgos e/ou entidades (Unidade de Recursos Humanos de rgos

    integrantes do SIPEC) a)cadastrador Parcial; b)operador. III - nos rgos de Controle Externo: a)titular do rgo. 6.13. os operadores dos sistemas SIAPE sero desabilitados automaticamente, ou

    seja, tero seus parmetros adicionais e habilitao excludos de todos os sistemas, nas seguintes situaes:

    a) quando for informada no sistema a data de seu falecimento ou quando o seu falecimento for identificado pelo batimento de dados do sistema SIAPE com o sistema SISOB;

    b)exonerado do cargo efetivo ou em comisso, inclusive pelos processos batch (reforma, transposio);

    c)quando for informada no SIAPE a sua aposentadoria; d)quando cedido ou colocado em outro tipo de exerccio externo; e)quando de seu retorno origem se estava cedido ou em exerccio externo; f)quando redistribudo ou removido; g)quando ocorrer reforma ou reestruturao entre rgos; h)quando ocorrer alterao do exerccio interno no rgo ou entidade; i)quando for afastado do cargo efetivo ou em comisso, por qualquer motivo, por

    perodo superior a 30 (trinta) dias; 6.14. se aps a desabilitao o usurio no estiver habilitado em nenhum outro

    sistema integrante da base de dados do SIAPE, o usurio ser excludo do sistema SENHA-REDE;

  • 6.15. o operador dever observar os seguintes critrios para que a nova senha seja considerada correta:

    a)no ter menos de 6 (seis) ou mais de 12 (doze) caracteres; b)no ser constituda somente por caracteres numricos; c)no comear com a palavra NOVA; d)no ser igual SENHA anterior. 6.16. ao acessar o sistema, nas ocasies subseqentes, responder da forma

    prevista nesta instruo, para os campos CDIGO e SENHA, respondendo, no campo SENHA, a senha que substituiu a antiga atribuda pelo sistema, e no responder ao campo NOVA SENHA;

    6.17. efetuar a troca de sua senha sempre que o sistema assim o solicitar, ou quando julgar conveniente, preenchendo o campo SENHA com aquela que vem utilizando at ento e o campo NOVA SENHA com a nova senha escolhida, a qual deve ser digitada novamente para confirmao.

    7. DAS ATRIBUIES DO GESTOR DO SISTEMA 7.1. So atribuies de competncia exclusiva do Gestor do Sistema, no que se

    refere manuteno, operao e produo da base de dados do SIAPE: a)incluso, alterao e excluso de dados das tabelas remuneratrias; b)movimentao de vagas e de servidores nos casos de aproveitamento,

    reconduo e reintegrao, nos termos da Lei n 8.112/90 e do Decreto n 1.580/95; c)criao, alterao e supresso de rubricas para utilizao nas folhas de

    pagamentos; d)definio de parmetros para os clculos automticos de remunerao, nos

    termos das leis; e)definio e implantao de procedimentos operacionais para o processamento e

    a produo das folhas de pagamentos; f)definio e implantao de rotinas e procedimentos para incluso de dados

    cadastrais em conformidade com as normas e suas vigncias; g)estabelecimento de cronogramas mensais de operaes e produo; h)liberao de pagamentos de meses e exerccios anteriores; i)solicitao de informaes e requerimento ou contratao de bens e servios

    junto ao SERPRO; j)realizao de estudos para subsidiar a celebrao de convnios, acordos,

    convenes ou contratos de prestao de servios com os bancos, no que se refere aos custos de processamento de crditos em conta dos servidores;

    l)homologao do cadastro de consignatrias e cadastramento de rubricas de consignaes.

    8. DAS ATRIBUIES DAS UNIDADES DE RECURSOS HUMANOS DOS RGOS/ENTIDADES

    8.1.So atribuies das unidades de recursos humanos dos rgos e entidades setoriais e seccionais do SIPEC, quanto manuteno da base de dados e s operaes e produo do SIAPE, as seguintes atividades:

    I - coordenao, execuo, superviso e homologao das operaes de incluso, alterao e excluso de dados de servidores no cadastro e nas folhas de pagamentos;

    II - atualizao tempestiva dos dados cadastrais dos servidores; III - ligao dos parmetros de pagamento implantada na base de dados do SIAPE

    pelo Gestor do Sistema; IV - esclarecimento ao Gestor do Sistema sobre dados informados na base de

    dados do SIAPE, sempre que solicitados; V - aplicao da legislao de pessoal vigente em estrita conformidade com a

    exegese e com as orientaes, normas e procedimentos emanados do rgo central do SIPEC;

  • VI - atendimento aos prazos e cronogramas de trabalho definidos pelo rgo central;

    VII - consultas base de dados e prestao de informaes aos demais Poderes da Repblica e s demais esferas de governo, sempre que solicitados;

    VIII - prestao de informaes aos servidores sobre os cronogramas mensais de operaes e produo do sistema;

    IX - distribuio dos produtos das folhas de pagamentos de seus servidores; X - imediata correo das ilegalidades, erros e omisses constatadas no cadastro

    e nas folhas de pagamentos da base de dados do SIAPE, por iniciativa prpria, desde que no implique aumento de despesas, ou quando solicitado pelo rgo central do SIPEC;

    XI - operao dos descontos em folhas de pagamentos referentes s restituies ao errio, nos termos da lei; e

    XIII - encaminhamento de denncias ao rgo central sobre quaisquer irregularidades processadas nas folhas de pagamentos dos servidores, quando delas tiver conhecimento, se no puderem ser sanadas por iniciativa prpria.

    9. DAS ATRIBUIES, DESIGNAES E RESPONSABILIDADES DOS SERVIDORES PARA ACESSO A BASE DE DADOS DO SIAPE:

    9.1. DO CADASTRADOR-GERAL: 9.1.2. atribuio do Cadastrador-Geral incluir e excluir, do sistema SENHA-

    REDE os Cadastradores-Gerais Titulares, Substitutos, os Cadastradores Parciais, mediante solicitao formal do titular de sua unidade administrativa, o que dever ser feito por meio do Formulrio 2 - Indicao de Cadastrador no qual devero estar determinados os perfis e nveis de acesso que os mesmo podero habilitar seus operadores e Formulrio 4 - Termo de Responsabilidade, em anexo:

    9.1.2. em carter excepcional o Cadastrador-Geral poder habilitar os cadastradores regionais e de unidades mediante solicitao formal do titular de sua unidade administrativa, o que dever ser feito por meio do Formulrio 1 - Indicao de Cadastrador, no qual devero estar determinados os perfis e nveis de acesso que os mesmo podero habilitar seus operadores e Formulrio 4 - Termo de Responsabilidade, em anexo;

    9.1.3. a funo de Cadastrador-Geral ser atribuda pelo DASIS/ SRH/MP; 9.1.4. a designao do Cadastrador-Geral se dar por portaria publicada em

    Boletim Interno, que dever ser encaminhada ao SERPRO para credenciamento; 9.1.5. o Cadastrador-Geral ser o responsvel por: a)auditar os nveis subordinados; b)incluir e/ou alterar para geral os nveis dos Titulares dos rgos e/ou Entidades

    (quando necessrio) e habilitao dos Cadastradores Parciais; c)incluir e/ou excluir do sistema SENHA-REDE os Cadastradores Parciais,

    mediante solicitao formal do Titular dos rgos/ Entidades; d)manter controle da quantidade mxima de 2 (dois) Cadastradores Parciais (1

    Titular e 1 Substituto) por rgo; e)cadastrar os usurios de Nvel Geral, mediante solicitao formal dos Titulares

    dos rgos/Entidades, conservando em arquivo as solicitaes de cadastramento atendidas, para possvel auditoria;

    f)cadastrar os operadores para utilizarem o EXTRATOR DE DADOS, mediante solicitao formal dos Titulares dos rgos e/ou Entidades e a autorizao competente, controlando permanentemente estes cadastramentos;

    g)manter controle de quais so ou foram os Cadastradores Parciais e Operadores, por ele cadastrados, inclusive com o perodo em que atuaram, conservando arquivadas as solicitaes formais de suas incluses e excluses;

    h)criar, manter atualizados e divulgar, sempre que houver alteraes, os Perfis necessrios utilizao da base de dados do SIAPE pelos Operadores;

    i)tornar disponveis aos Operadores as transaes catalogadas pelo SERPRO, por meio dos perfis.

  • 9.1.6. aplicam-se aos Cadastradores Gerais Substitutos designados as mesmas responsabilidades atribudas ao Cadastrador Geral;

    9.1.7. o Cadastrador-Geral dever observar os seguintes procedimentos para liberao de transaes para uso dos Operadores:

    Transao nova: a)incluir a transao em perfis, j existentes, ou criar novos, no caso de no

    existirem Perfis adequados, de acordo com os critrios estabelecidos pelo solicitante da transao; e

    b)comunicar aos Cadastradores Parciais sobre a nova transao e os perfis em que foi includa.

    Transao alterada: c)comunicar aos Cadastradores Parciais sobre as alteraes ocorridas na

    transao e em que data a mesma estar disponvel. 9.1.8. para credenciamento do Titular dos rgos/Entidades, sero obedecidos os

    seguintes procedimentos: a) cada rgo/Entidade poder ter at 2 (dois) usurios (1Titular e 1 Substituto) de

    Nvel Geral somente de Consulta para acesso ao sistema; b) preenchimento do Formulrio 3 - Indicao de Titular do rgo/Entidade e

    Formulrio 4 - Termo de Responsabilidade devidamente preenchidos e assinados pelo Titular do rgo e/ou Entidade na qual atue o indicado;

    c) liberar o elenco de Perfis e Transaes de consulta para o seu acesso; d) arquivar os formulrios de Indicao de Titular Dos rgos e/ou Entidades e o

    Termo de Responsabilidade de forma a manter asseguradas sua integridade e recuperao sempre que necessria;

    e) o no recebimento do Formulrio de Indicao de Titular do rgo/Entidade juntamente com o Termo de Responsabilidade, devidamente preenchidos e assinados, implicar em no credenciamento ou no descredenciamento, quando for o caso;

    9.1.9. para credenciamento do Cadastrador Parcial, sero obedecidos os seguintes procedimentos:

    a) cada rgo/Entidade poder ter at 2 (dois) usurios (1 Titular e 1 Substituto) como Cadastradores Parciais;

    b)verificar se o Formulrio 2 - Indicao de Cadastrador Parcial e Formulrio 4 - Termo de Responsabilidade foram devidamente preenchidos e assinados pelo Titular do rgo/Entidade;

    c)inclu-lo como Cadastrador Parcial na base de dados do SIAPE; d)atribuir-lhe Nvel de Acesso, conforme a abrangncia de suas atribuies e

    obedecendo ao que determina esta NE; e)liberar o elenco de Perfis e Transaes para o seu acesso; f)encaminhar ao Cadastrador Parcial, o Termo de Responsabilidade; g)arquivar os Formulrios Indicao de Cadastrador Parcial e Termo de

    Responsabilidade, de forma a manter asseguradas sua integridade e recuperao sempre que necessria.

    10. DO CADASTRADOR PARCIAL: 10.1. incluir e excluir operadores na base de dados do SIAPE, mediante solicitao

    formal do titular de sua unidade administrativa, o que dever ser feito por meio do Formulrio 2 - Indicao de Cadastrador no qual devero ser determinados os perfis e nveis de acesso em que os mesmo podero habilitar seus operadores e Formulrio 4 - Termo de Responsabilidade devidamente preenchidos e assinados e;

    10.2. auditar os nveis subordinados; 10.3. cadastrar, por solicitao formal do Titular do rgo/ Entidade ou Unidade

    Pagadora, os Operadores dos sistemas da base de dados do SIAPE na sua jurisdio, adotando os seguintes procedimentos:

  • a)verificar se o Formulrio 1 - Indicao de Usurio do rgo/Entidade e Formulrio 4 - Termo de Responsabilidade, foram devidamente preenchidos e assinados pelo Operador e pelo Titular do rgo/Entidade ou Unidade Pagadora;

    b)inclu-los no sistema Senha-Rede como Operador do sistema solicitado; c)atribuir-lhe o Nvel de acesso conforme a abrangncia de suas atribuies,

    obedecendo ao que determina esta NE; d)liberar o elenco de Perfis e Transaes nos quais este poder acessar o sistema

    solicitado; e)arquivar os formulrios Indicao de Usurio do rgo/Entidade e o Termo de

    Responsabilidade de forma a manter assegurada sua integridade e sua recuperao sempre que necessria;

    f)controlar o arquivo de cadastramento de Operador da base de dados do SIAPE. 11. DOS TITULARES DOS RGOS E ENTIDADES: 11.1. o Titular do rgo ou Entidade ser o representante do respectivo

    rgo/Entidade por todos os lanamentos efetuados para a UPAG, por seus operadores na base de dados do SIAPE;

    11.2. o Titular do rgo ou Entidade ser responsvel por: a)indicar o Cadastrador Parcial do rgo/Entidade; b)indicar ao Cadastrador Parcial, os Operadores do rgo/ Entidade por meio dos

    formulrios, especificando, obrigatoriamente, o Perfil e o Nvel de Acesso; c)manter permanente acompanhamento da atuao do Cadastrador Parcial e

    Operadores de seu rgo/Entidade, adotando as providncias cabveis na ocorrncia de irregularidades, incluindo o pedido de descredenciamento destes;

    d)fazer publicar em Boletim Interno a Portaria de indicao do Titular da Unidade Pagadora e do Cadastrador Parcial, de seu rgo/Entidade, bem como de seus substitutos.

    12. DO TITULAR DA UPAG: 12.1. o Titular da UPAG ser o responsvel pela UPAG perante a base de dados

    do SIAPE responder por todos os lanamentos efetuados para a UPAG e por seus Operadores;

    12.2. indicar ao Cadastrador Parcial, os operadores de sua UPAG atravs do preenchimento do Formulrio 1 - Indicao de Usurio do rgo/Entidade, especificando obrigatoriamente, o Perfil e o Nvel de Acesso dos mesmos e Formulrio 4- Termo de Responsabilidade;

    12.3. manter permanente acompanhamento da atuao dos Operadores de sua Unidade Pagadora, adotando as providncias cabveis na ocorrncia de irregularidades, incluindo o pedido de descredenciamento destes, se for necessrio.

    13. DO OPERADOR: 13.1. Para ser um Operador, o usurio dever ser servidor ocupante de cargo

    efetivo ou nomeado em cargo comisso, cadastrado no sistema Senha-rede e, em seguida, ser habilitado no sistema solicitado e nas transaes que ir utilizar por fora de suas atribuies funcionais;

    13.2. dever ser indicado pelo Titular da Unidade Pagadora no Formulrio Indicao de Usurio do rgo/Entidade, especificando obrigatoriamente, o Perfil e o Nvel de Acesso dos mesmos e Formulrio 4- Termo de Responsabilidade;

    13.3. dever recorrer ao Cadastrador Parcial ou ao Cadastrador Geral nas seguintes situaes:

    a)quando do esquecimento da senha, para solicitar uma nova senha; b)quando tiver seu acesso no autorizado; c)quando tiver dvidas na utilizao do acesso a base de dados do SIAPE. 13.4.. o Operador responder integralmente pelo uso do sistema sob a sua senha

    e obrigar-se- a:

  • no revelar, fora do mbito profissional, fato ou informao de qualquer natureza de que tenha conhecimento por fora de suas atribuies, salvo em decorrncia de deciso competente na esfera legal ou judicial, bem como de autoridade superior;

    a)manter a necessria cautela quando da exibio de dados em tela ou impressora, ou ainda na gravao em meios eletrnicos, evitando dar cincia a pessoas no autorizadas; e

    b)manter absoluta cautela quando da exibio de dados em tela ou impressora, ou ainda na gravao em meios eletrnicos, a fim de que pessoas no autorizadas deles venham tomar cincia;

    c)no se ausentar do terminal sem encerrar a sesso de uso do sistema, garantindo, assim, a impossibilidade de uso indevido por pessoas no autorizadas;

    d)responder, em todas as instncias, pelas conseqncias das aes ou omisses de sua parte que possam por em risco ou comprometer a exclusividade de conhecimento de sua senha ou das transaes a que tenha acesso, expondo-se s conseqncias das sanes penais, civis ou administrativas cabveis.

    13.5. O operador observar os seguintes procedimentos ao acessar a base de dados do SIAPE:

    responder a cada campo como se segue, caso esteja acessando o Sistema pela primeira vez:

    a)CDIGO - informar aqui sua identificao (CPF); b)SENHA - informar aqui a senha que lhe foi atribuda pelo sistema; c)NOVA SENHA - informar aqui a sua nova senha, que ser a senha vlida a partir

    de ento; d)SISTEMA - Selecionar no menu disponibilizado a palavra SIAPE, para acessar a

    base de dados do SIAPE, a palavra Extraao SIAPE para acessar o Extrator de Dados ou informar o nome de outro sistema da

    base de dados do SIAPE, no qual esteja habilitado. 14. DO SERVIDOR ATIVO, APOSENTADO OU BENEFICIRIO DE PENSO 14.1. So usurios da base de dados do SIAPE o servidor ativo, aposentado ou o

    beneficirio de penso que acessarem o SIAPEnet para consulta e atualizao de seus dados cadastrais e funcionais, constantes da base de dados SIAPE;

    14.2. o servidor ativo, aposentado ou beneficirio de penso responsvel pela alterao de seus dados funcionais ou pessoais podendo responder administrativamente ou penalmente por seus atos;

    14.3. responsvel pela solicitao de desconto consignado em sua folha de pagamento.

    15. DOS RGOS DE CONTROLE INTERNO, EXTERNO E MINISTRIO PBLICO

    15.1. Os rgos de Controle Interno e Externo e do Ministrio Pblico, em suas reas de atuao, podero consultar o sistema e obter quaisquer informaes sobre as unidades que lhes forem jurisdicionadas;

    15.2. para acesso a base de dados do SIAPE os rgos de Controle Externo e Interno e do Ministrio Pblico devero encaminhar ao DASIS/SRH/MP o Formulrio 1 - Indicao de Usurio do rgo/Entidade e Formulrio 4- Termo de Responsabilidade devidamente preenchidos e assinados;

    15.3. o nvel de acesso ser disponibilizado conforme a rea de atuao do respectivo rgo.

    16. OS RESPONSVEIS DAS CONSIGNATRIAS QUE OPERAM NA BASE DE DADOS DO SIAPE DEVERO:

    16.1. cumprir os dispositivos legais vigentes que dispem sobre as consignaes em folhas de pagamentos dos servidores pblicos federais;

    16.2. observar os cronogramas mensais das folhas de pagamentos, disponvel no SIAPEnet, no tocante ao envio dos arquivos a serem processados pelo SIAPE;

  • 16.3. manter atualizado todos os dados da consignatria no SIAPEnet; 16.4. efetuar os descontos autorizados e guardar sigilo das informaes dos seus

    consignantes sob pena de responsabilizao administrativa, penal e civil; 16.5. obedecer aos seguintes procedimentos para acessar a base de dados do

    SIAPE, por meio do SIAPEnet: a)acessar o sitio www.siapenet.gov.br; b)selecionar no menu a opo CONSIGNATRIA; c)informar o CNPJ ou o CPF do responsvel da consignatria que est cadastrado

    no SIAPEnet; d)informar a identificao do usurio e a senha para ter acesso ao mdulo. 17. DAS RESPONSABILIDADES DO PRESTADOR DE SERVIOS AO GESTOR

    DA BASE DE DADOS DO SIAPE 17.1. Efetuar e disponibilizar meios para os ajustes necessrios

    operacionalizao e cumprimento das normas vigentes quanto ao cadastro e pagamentos dos servidores da base de dados do SIAPE, para permitir a ao do Gestor do Sistema e dos respectivos usurios de forma parametrizada;

    17.2. definir e operacionalizar backup de arquivos e do sistema operacional; 17.3. executar rotinas de backup de segurana e controle lgico e fsico de

    processo; 17.4. definir e operacionalizar rotinas de guarda e manuteno de fitas backup; 17.5. executar a poltica de segurana e desenvolvimento de planos de

    contingncia para correio eletrnico e antivrus para as mensagens trafegadas. 17.6. prestar os servios de segurana de rede que sero oferecidos conforme as

    necessidades e os requisitos definidos pelos rgos participantes. A seguir listam-se alguns dos possveis servios:

    a)Gerenciamento de firewall; b)Gerenciamento de sensores de IPS (Intrusion Prevention Systems) c)IDS

    (Intrusion Detection Systems); d)Gerenciamento de filtro de contedo; e)Gerenciamento de SPAM; e f)Gerenciamento de antivrus. 17.7. responder integralmente pelo uso do sistema e obrigarse a: a)no revelar, fora do mbito profissional, fato ou informao de qualquer natureza

    de que tenha conhecimento por fora de suas atribuies; b)manter a necessria cautela quando da exibio de dados em tela ou

    impressora, ou ainda na gravao em meios eletrnicos, evitando dar cincia a pessoas no autorizadas;

    c)responder, em todas as instncias, pelas conseqncias das aes ou omisses de sua parte que possam por em risco as informaes da base dados do SIAPE, expondo-se s conseqncias das sanes penais, civis ou administrativas cabveis.

    18 - DISPOSIES FINAIS 18.1. A concesso de senha para os operadores dever observar a segmentao

    de funes, cujos perfis sejam adequados rea de atuao do mesmo; 18.2. as unidades que exercem funes de rgo ou entidade setorial tero o

    poder de consultar o sistema e obter quaisquer informaes sobre as unidades que lhes forem jurisdicionadas;

    18.3. os assuntos tcnicos e operacionais constaro de manuais e normas complementares elaborados pelas reas a que os mesmos estiverem afetos no DASIS/SRH/MP;

  • 18.4. a tabela de temporalidade para permanncia de guarda das informaes registradas na base de dados do SIAPE ser objeto de estudo e publicao pelo DASIS/SRH/MP;

    18.5. vedado ao operador/servidor, assim como aos Cadastradores revelar sob qualquer pretexto sua senha a terceiros;

    18.6. os cadastradores do SIAPE s podero divulgar a senha dos demais cadastradores e operadores atravs de formulrios prprios ou por outros meios que garantam o sigilo da informao trafegada;

    18.7. todo e qualquer ato ou fato praticado pelo usurio, servidor ativo, aposentado ou beneficirio de penso da base de dados do SIAPE que caracterize mau uso ou transgresso s normas de segurana institudas, resultar em seu imediato descredenciamento e o fato comunicado instncia superior, sem prejuzo das sanes penais, civis e administrativas cabveis;

    18.8. so, ainda, atribuies dos Cadastradores-Gerais e Parciais manter controle de quais so ou foram os Operadores, inclusive, com o perodo em que atuaram; e orientar e auxiliar os Operadores quanto utilizao do SIAPE, sempre que houver necessidade;

    18.9. na ocorrncia de problemas em qualquer transao da base de dados do SIAPE, a rea competente do DASIS/SRH/MP dever

    solicitar ao SERPRO, por escrito, conforme Formulrio 5, a devida manuteno (aps anlise das implicaes desta ao e, se necessrio, consulta s reas diretamente afetadas). Avaliar a correo procedida e autorizar ao SERPRO a liberao;

    18.10. o no recebimento dos formulrios INDICAO DE CADASTRADOR PARCIAL juntamente com o TERMO DE RESPONSABILIDADE, implicar em no credenciamento, ou descredenciamento quando for o caso;

    18.11. constitui-se obrigao dos Titulares dos rgos e ou Entidades: a)a conscientizao permanentemente dos operadores sobre os aspectos de

    segurana e formas de proteo dos recursos e informaes sob sua responsabilidade; b)manter arquivado o formulrio INDICAO DE USURIO DO

    RGO/ENTIDADE e o TERMO DE RESPONSABILIDADE de acesso ao sistema, de forma a manter assegurada sua integridade e sua recuperao sempre que necessria;

    18.12. os formulrios anexos 1, 2, 3, 4 e 5 encontram-se disponibilizados no SIAPEnet.

    Esta Norma de Execuo entra em vigor na data de sua publicao. Braslia, 11 de julho de 2006. JULIO CSAR GOMES LARRATA

    Diretor do DASIS/SRH/MP ANEXO I DICIONRIO DE DADOS ACESSO - a forma de interligao do equipamento de

    um usurio base centralizada do(s) sistema(s) da base de dados do SIAPE. ACESSO IMOTIVADO - aquele realizado para fins estranhos s tarefas do

    servidor. BATCH - Quando a execuo de atualizaes e/ou consultas se d por

    Processamento em lote. CADASTRADOR GERAL - o Titular da Coordenao Geral de Desenvolvimento

    e Produo da Folha de Pagamento da SRH/MP ou pessoa por ele designada, autorizado a cadastrar os Cadastradores Parciais e os Titulares de rgos e/ou Entidades no(s) Sistema(s) da base de dados do SIAPE.

    CADASTRADOR PARCIAL - o titular da Unidade Pagadora - UPAG, ou pessoa por ele designada, responsvel pelo cadastramento e habilitao dos operadores na base de dados do SIAPE;

    CADASTRADOR: Servidor pblico designado para este fim, designado que utiliza o sistema SENHA-REDE para cadastrar e habilitar usurios na base de dados do SIAPE;

  • CADASTRAMENTO: Procedimento de incluso de sistema ou usurio no sistema SENHA;

    DATAWEREHOUSE - ferramenta para extrao de dados gerenciais da base de dados do SIAPE para a gesto de recursos humanos;

    DISPONIBILIDADE - perodo no qual a base de dados do SIAPE fica disponvel para atualizaes e/ou consultas.

    EXTRAO DE DADOS - subsistema que permite gerao de relatrios gerenciais da base de dados do SIAPE para a gesto de recursos humanos.

    GESTOR DE SISTEMA: Secretaria de Recursos Humanos do Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto - SRH/MP responsvel pela definio, implantao, manuteno e capacitao do SIAPE;

    HABILITAO: Procedimento que permite ao usurio cadastrado acessar o(s) Sistema(s) da base de dados do SIAPE.

    INTEGRIDADE - Princpio de segurana que trata da confiabilidade dos dados e das informaes;

    ON-LINE - Quando o usurio est conectado a base de dados do SIAPE por meio de terminais ou rede de computadores executando transaes em tempo real.

    RGO - os Ministrios, o Ministrio Pblico da Unio, as Entidades Supervisionadas, o Tribunal de Contas da Unio - TCU, os Tribunais do Poder Judicirio, as Casas do Poder Legislativo e as Secretarias da Presidncia da Repblica.

    PARMETROS ADICIONAIS - so parmetros informados no cadastramento das transaes na base de dados do SIAPE no sistema SENHA-REDE, destinados a controlar o acesso s transaes por parte do usurio, conforme a sua habilitao.

    PERFIL - o conjunto de transaes, agrupadas por assunto, liberados aos usurios do sistema, conforme o seu nvel de habilitao.

    PROCESSOS ADMINSTRATIVOS - subsistema da base de dados do SIAPE para registro, controle e pagamento de decises administrativas como por exemplo o pagamento dos 3,17%.

    SENHA-REDE - sistema de segurana de controle de acesso do SERPRO, no qual realizado o cadastramento e a habilitao dos usurios dos Sistemas da base de dados do SIAPE, de acordo com os diferentes nveis de acessos e habilitaes estabelecidos.

    SERPRO - Servio Federal de Processamento de Dados, empresa pblica de prestao de servios em tecnologia da informao, responsvel pelo desenvolvimento, produo e manuteno dos Sistemas da base de dados do SIAPE.

    SIAPE - o sistema informatizado de Gesto de Recursos Humanos do Poder Executivo Federal, que controla as informaes cadastrais e processa os pagamentos dos servidores pblicos Federais dos rgos integrantes do SIPEC, das empresas pblicas e sociedades de economia mista que recebem dotao oramentria para pagamento de pessoal e dos servidores da rea de segurana do Governo do Distrito Federal, em todo o Territrio Nacional.

    SIAPECad - o subsistema que registra e controla as informaes cadastrais e pessoais dos servidores da base de dados do SIAPE.

    SIAPENet - o sistema de acesso s informaes armazenadas nas bases de dados do SIAPE, Sistema Integrado de Administrao de Recursos Humanos, por intermdio da INTERNET, a rede mundial de computadores.

    SIAPETREINA - Ambiente de treinamento da base de dados do SIAPE. SICAJ - Subsistema da base de dados do SIAPE para registro e pagamento de

    decises judiciais. SIPEC - Sistema de Pessoal Civil da Administrao Federal, institudo pelo Decreto

    n 67.326, de 5 de outubro de 1970, constitudo por rgo Central, Setorial e Seccional. SISOB - Sistema de Controle de bitos do Instituto Nacional do Seguro Social -

    INSS.

  • SUBSISTEMAS DO SIAPE - SIAPE, SIAPECAD, SIAPENET, SICAJ, PROCESSOS ADMINISTRATIVOS (EXERCCIOS ANTERIORES), PASSIVOS ADMINISTRATIVOS, EXTRATOR DE DADOS, SIAPE-TREINA, e DATAWEREHOUSE-WEB.

    TERMO DE RESPONSABILIDADE: Define os compromissos do usurio da base de dados do SIAPE. O usurio, ao solicitar sua habilitao dever ter total conscincia das disposies contidas no citado Termo bem como das penalidades legais, administrativas, penais e civis no caso de infrigncia ou mau uso da base de dados.

    TITULAR DO RGO - o chefe da Unidade de Recursos Humanos de rgos e entidades integrantes do SIAPE ou pessoa por ele designada. TRANSAO - programa executvel que propicia alguma ao no sistema, tais como: consultar, incluir, excluir ou alterar dados procedidos por um operador do sistema.

    UORG - UNIDADE ORGANIZACIONAL - menor unidade da estrutura organizacional de rgo ou Entidade, cadastrada no SIAPE.

    UPAG - UNIDADE PAGADORA - unidade de um rgo, com competncia para realizar atos de gesto financeira e administrativas na base de dados do SIAPE.

    USURIO - Pessoa fsica cadastrada no sistema SENHAREDE, autorizada a operar o(s) Sistema(s) da base de dados do SIAPE.

    FORMULRIO 1 Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Administrao de Sistemas de Informao de Recursos

    Humanos Coordenao-Geral de Desenvolvimento e Produo da Folha de Pagamento

    INDICAO DE USURO DO RGO / ENTIDADE

    DADOS DOS USURIOS

    1. INCLUSO/ALTERAO ()

    2. EXCLUSO ( )

    3. REATIVAO ( )

    NOME COMPLETO

    MATRCULA DATA DE NASCIMENTO CPF (DDD)

    TELEFONE

    CIDADE / UF

    CARGO / FUNO

    SIGLA DO RGO

    CDIGO DO RGO

    E-MAIL

    ASSINATURA / USURIO D ATA

    PERFIS

    AUTORIZAO PARA CREDENCIAMENTO

    NOME DO TITULAR DA UNIDADE DE RH / CADASTRADOR CPF

    PARCIAL / CHEFIA IMEDIATA

    ASSINATURA / CARIMBO DATA

    ASSINATURA DO CADASTRADOR PARCIAL

    NOME DO CADASTRADOR CPF

    ASSINATURA / CARIMBO DATA

  • ESTE FORMULRIO S TER VALIDADE QUANDO IMPRESSO NO VERSO DESTE O TERMO DE RESPONSABILIDADE, DEVIDAMENTE PREENCHIDO E ASSINADO PELO INDICADO.

    FORMULRIO 2 Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Administrao de Sistemas de Informao de Recursos

    Humanos Coordenao-Geral de Desenvolvimento e Produo da Folha de Pagamento INDICAO DE CADASTRADOR PARCIAL DO RGO / ENTIDADE DADOS DO

    SERVIDOR

    NOME COMPLETO

    MATRCULA DATA / NASCIMENTO CPF (DDD) /

    TELEFONE

    CIDADE / UF

    CDIGO LOCAL TRABALHO

    SIGLA DO RGO

    CDIGO DO RGO

    E-MAIL

    ASSINATURA USURIO DATA

    AUTORIZAO

    COORDENADOR GERAL DE RECURSOS HUMANOS / DIRETOR DE RECURSOS HUMANOS CPF

    ASSINATURA / CARIMBO DATA

    Erro! A origem da referncia no foi encontrada. ESTE FORMULRIO S TER VALIDADE QUANDO IMPRESSO NO VERSO

    DESTE TERMO DE RESPONSABILIDADE, DEVIDAMENTE PREENCHIDO E ASSINADO PELO INDICADO.

    FORMULRIO 3 Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Administrao de Sistemas de Informao de Recursos

    Humanos Coordenao-Geral de Desenvolvimento e Produo da Folha de Pagamento INDICAO DE TITULAR DO RGO / ENTIDADE DADOS DO TITULAR

    1. INCLUSO/ALTERAO ( )

    2. EXCLUSO ( ) 3. REATIVAO ( )

    NOME COMPLETO

    MATRCULA CDIGO LOCAL TRABALHO CPF (DDD)

    TELEFONE

    CIDADE / UF

    CARGO / FUNO

    SIGLA DO RGO

    CDIGO DO RGO

    E-MAIL

    ASSINATURA / USURIO D ATA

    AUTORIZAO PARA CREDENCIAMENTO

  • NOME DO TITULAR DA UNIDADE DE RH / CADASTRADOR CPF

    PARCIAL / CHEFIA IMEDIATA

    ASSINATURA / CARIMBO DATA

    CREDENCIAMENTO

    NOME DO CADASTRADOR-GERAL CPF

    ASSINATURA / CARIMBO DATA

    ESTE FORMULRIO S TER VALIDADE QUANDO IMPRESSO NO VERSO DESTE O TERMO DE RESPONSABILIDADE, DEVIDAMENTE PREENCHIDO E ASSINADO PELO INDICADO.

    FORMULRIO 4 Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Administrao de Sistemas de Informao de Recursos

    Humanos Coordenao-Geral de Desenvolvimento e Produo da Folha de Pagamento TERMO DE RESPONSABILIDADE Pelo presente termo,

    eu,________________________________________________________________________________ , DECLARO ter recebido, nesta data, uma senha (password) de acesso ao sistema Senha Rede do SERVIO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS - SERPRO, e habilitao no(s) sistema(s)_________________________________________________________________________.___ para o exerccio de minha funo.

    DECLARO-me ainda ciente de que: I) Os sistemas em questo so monitorados por meio de logs que permitem

    identificar e rastrear o uso e o mau-uso dos mesmos, em carter de segurana e sigilo do sistema.

    II)A senha personalssima e intransfervel, do que advir minha responsabilidade pessoal por todo e qualquer prejuzo decorrente de sua cesso proposital a terceiros ainda que em carter emergencial ou por necessidade de servio, incluindo-se no conceito de terceiros: secretrios, assistentes, superiores hierrquicos, subordinados ou por responsveis por atividades funcionais, sem prejuzo de outros quaisquer.

    III)Constitui mau-uso da referida senha ou das habilitaes sua utilizao para fins estranhos minha competncia funcional ou para fins de acesso a dados e informaes estranhas finalidade pblica; a utilizao, pelo mesmo modo, da senha designada para outrem, ainda que de boa f e para fins lcitos; a utilizao da senha de outrem com a finalidade de interferir na gesto do sistema auferindo ou produzindo vantagens pessoais, causando ou imputando prejuzo a outrem em qualquer monta ou proporo.

    IV)As informaes contidas nos sistemas da Administrao Pblica so protegidas por sigilo.

    As seguintes condutas constituem infraes ou ilcitos que sujeitam o usurio deste sistema responsabilizao administrativa, penal e cvel:

    a) O acesso no autorizado; b) O acesso no motivado por necessidade de servio; c) A disponibilizao voluntria ou acidental da senha de acesso; d) A disponibilizao no autorizada de informaes contidas no sistema; e e) A quebra do sigilo relativo a informaes contidas no sistema.

  • ______________________, de ________________ de _______ Nome: _____________________________________________ RG: ________________ CPF: _________________________ Assinatura: _________________________________________

    FORMULRIO 5 Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto Secretaria de Recursos

    Humanos Departamento de Administrao de Sistemas de Informao de Recursos Humanos Coordenao-Geral de Desenvolvimento e Produo da Folha de Pagamento Formalizao Simples de Requisitos

    Autor

    Descrio Data

    Requisito

    Assunto

    Transao

    Critrio de Aceite

    Problema 1

    Assunto

    Transao

    Soluo1

    Problema 2

    Assunto

    Transao

    Soluo 2

    Problema 3

    Data:

    Autorizao:

    Soluo3

    D.O.U., 12/07/2006 - Seo 1

Recommended

View more >