1. Ergonomia - Introduo.pdf

Download 1. Ergonomia - Introduo.pdf

Post on 29-Sep-2015

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • DESIGN INDUSTRIAL

    Disciplina:

    ERGONOMIA Aplicada ao Design Grfico

    Introduo: o que ergonomia

    Prof. Dr. Joo Gomes Filho

  • Conceituao da Ergonomia A Ergonomia objetiva a melhor adequao ou adaptao possvel do objeto* aos seres vivos

    g

    Objeto:

    possvel do objeto aos seres vivos .

    Produtos de uso em geral. Mquinas, equipamentos, etcAmbientes em Geral: Postos de trabalho e de Atividades Produtos grficos em geral. Sistemas comunicao e informao. Vesturio e complementos.Outros..

    Obj ti B iObjetivo BsicoSegurana / Conforto / Eficcia no uso / Produtividade

  • Ergonomia OrigemEtimologia. Nomos: normas regras + Ergon: trabalho (regras do trabalho / Cincia do Trabalho)Nomos: normas regras Ergon: trabalho (regras do trabalho / Cincia do Trabalho)

    Ergonomia informal sempre existiu!- Remonta aos primeiros objetos criados e construdos (homem primitivo) tendo- Remonta aos primeiros objetos criados e construdos (homem primitivo) tendo o prprio como referncia dimensional.

    S lt hi t i Id d MdiSalto na historia: Idade Mdia Marco histrico como evoluo de avanos tcnicos: engenharias, tecnologias, desenvolvimento de materiais etc. Grandes invenes, da cincia de modo geral > >>- Pr-industrializao > conceitos de produo seriada e de reprodutibilidade de objetos fabricados industrialmente.j

  • -Aparecimento de grandes cientistas e pesquisadores no desenvolvimento do h t b lh L d D Vi l i i C l b Ch Mhomem no trabalho: Leonardo Da Vince, lavoisier, Coulomb, Chaveau, Marey, Jules Amar, Patissier, Villerm. - Taylor: organizao do Trabalho (medio do trabalho etc.)

    Ergonomia Formal

    > 2a Guerra mundial: possibilidade de sistematizao da ergonomia> 1949: reunio de estudiosos e pesquisadores (psicologo, mdicos, engenheiros etc) > Nascimento Ergonomics Research Society - Oxford Inglaterraetc) > Nascimento Ergonomics Research Society - Oxford, Inglaterra.

    > Dai para frente: inumeras associaes de ergonomia:C RJ/ ESDI RJ/ USP SP/ FGV RJ/ INT/ F d t SP/ Ab Et- Coope, RJ/ ESDI, RJ/ USP, SP/ FGV, RJ/ INT/ Fundacentro, SP/ Abergo Etc.

    USA > Human Factors Engineering (Engenharia dos Fatores Humanos)

  • Abordagem SistmicaCarter multidisciplinar

    Assimilao de uma cultura ergonmicaConceituao

    Relao de uso do produto: Sistema homem-mquina-ambienteRelao de uso do produto: Sistema homem mquina ambienteExtrapolao dos exemplos colocados

    Premissas Bsicas

  • Cultura ErgonmicaCultura ErgonmicaAtualmente o campo de atuao da ergonomia j to vasto e abrangente que podemos falar de uma autentica Cultura Ergonmica.

    Cientfica > Pesquisas. Fundamentalmente experimentais.Tecnolgica > Gerao de conhecimentos tcnicos ergonmicos.Tecnolgica Gerao de conhecimentos tcnicos ergonmicos.Projetual > Aplicao no design de produtos e sistemas diversos.Acadmica > Ensino da Ergonomia nas escolas

    Utilizao ampla e de natureza variada:

    Projetos / Pesquisas / Diagnsticos e Anlises Crticas / Gesto em empresas/e, assim por diante.

    Ver site: anamaria de moraes.

  • Ergonomia Carter Multidisciplinar

    Organizao do Trabalho: Design:

    Faz uso das diversas reas do conhecimento. Por exemplo:

    Medicina, Fisiologia e Psicologia do

    Trabalho / Psicologia da Percepo Visual /

    A t l i A t t i t

    Produto / Grfico / Interiores / Sistemas de

    Som / Iluminao / Moda / e outros.

    Antropologia e Antropometria etc.

    Engenharias:

    Comunicao Social: TV / jornais / revistas /

    livros etc

    Produo / Industrial / Segurana /

    Sistemas / Qualidade / etc. Tecnologias: Informtica / Ciberntica /

    Telemtica / Robtica / outras

    Arquitetura:

    Edificaes de modo geral

    Telemtica / Robtica / outras.

    Normas Nacionais e Internacionais:

    Urbanismo (equipamentos) etc ABNT / ISO / SAE / DIN / etc.

  • Sistema Homem-Mquina-Ambiente SHMASHMAHomemOrganismo Humano Capacidades, Habilidades e Limitaes:fsicas, fisiolgicas, motoras e sensoriais.(Bebes / crianas / jovens / adultos / idosos.)- Ajuda de profissionais de cada especialidadeenvolvidaenvolvida

    MquinaSo os objetos que funcionam como extenses do homem

    Pele, musculos, nervos Aparelho digestivo Sistema circulatrio Esqueleto estrutural

    So os objetos que funcionam como extenses do homem. Tendo em conta as caractersticas prprias e intrnsecas de cada objeto.

    AmbienteAbrigo / Proteo / Segurana / Conforto Mobilirio, equipamentos, objetos,Mobilirio, equipamentos, objetos, componentes em geral.

  • Diagrama do Sistema Homem-Mquina-Ambiente

    AMBIENTE Geral ExternoIluminado / Ventilado / Limpo / Sujo / Barulhento / Frio /Quente / mido / chuvoso / Nublado / Ensolarado / Etc.

    Mquina (objeto) HomemInformaes

    R t Sexo

    Caractersticas / Homem

    Sada

    Dispositivo de Informao

    ReceptoresSensoriais

    MecanismosInternos

    SistemaNervoso Central

    - Sexo- Idade- Bitipo- Instruo- TreinamentoCICLO

    Aes

    Internos Nervoso Central

    Mecanismo deAo Muscular

    Dispositivocontrole

    - Experincia- Motivao- Tarefa- Etc.

    AMBIENTE PrximoDispositivos operacionais, de controles, de recebimento ou troca de informao / Mobilirio/ Arranjo fsico-espacial / Etc.

    Este sistema funciona para a maioria dos Obj t j p Objetos.Sobretudo sistmicos.

  • MBITO DA RELAO DE USO DO PRODUTOErgonomia > Sistema: Homem Mquina Ambiente(Em Design > Dilogo: Usurio Produto Espao)(Em Design > Dilogo: Usurio Produto Espao)

    Implica refletir sobre:> Usurio

    > Produtooduto

    > Ambiente

    Exemplo / Relaes:

    Usurio: Motocicleta Solo Meio ambienteUsurio: Motocicleta Solo Meio ambiente

    Usurio: Terminal- Sistema de informaes Meio ambiente

  • USURIOUSURIO(Homem)

    Capacidade / habilidade / Limitao

  • USURIO capacidade / habilidade / LimitaoFaixa etriaQualquer projeto (de produto, de sistemas de produtos e ambientes) deve levar em conta a idade e as caractersticas e peculiaridades de cada tipo de usurio.

    Recm - nascidos:

    Contato com primeiros produtos.

    - Tais como os instrumentos ili d l di d

    Bebs:

    Contato com os primeiros produtos de uso do cotidiano:

    B h i b lh

    CrianasProdutos de uso geralDestaque para:- Vesturio

    utilizados pelo mdico durante o parto: luvas, Bisturis, tesoura,

    - Banheira, sabonetes, toalhas, fraldas, roupas, calados, chupetas

    - Brinquedos- Material escolar.

  • USURIO capacidade / habilidade / LimitaoAbrange o universo

    de uso de todos os

    Jovens

    CVCVprodutos, sistemas de

    produtos e ambientes.

    IdososEm geral.

    Adultos

    Determinados Projetos de objetos Requerem ateno

    Condio Especial- Situao transitria

    e cuidados mais especficos.- Praticidade- Conforto

    - Mudanas corporais- Adequaes e ajustesde produtos mais

    Idosos > 80

    - Segurana. pessoais.

    Gravidez

  • USURIO capacidade / habilidade / LimitaoCaractersticas FsicasHomem / Mulher

    Indivduos: Amarelo / Branco / Negro (Mistura)g ( )

    Biotipos Endomorfo > formas arredondadas

    Antropometria: biotipo & percentis Endomorfo > formas arredondadas,

    membros curtos, muita gordura (gordo)

    Mesomorfo > formas angulosas, musculoso pouca gordura (atleta)

    biotipo & percentis

    musculoso, pouca gordura (atleta)

    Ectomorfo > corpo e membros longos e fino, mnimo de gordura (magro)

    Miscigenao > mix dos anterioresMiscigenao > mix dos anteriores

    Caractersticas Mentais Percepes sensoriais

    Outros aspectos psicolgicos

  • ANTROPOMETRIAANTROPOMETRIA

  • Antropometria Cincia que estuda as medidas do corpo humano

    USURIO capacidade / habilidade / LimitaoAntropometria Cincia que estuda as medidas do corpo humano a fim de estabelecer diferenas e propores entre indivduos .

    A t t i tti di iAntropometria esttica e dinmica

    Medidas AntropomtricasMedio de determinadas populaes porMedio de determinadas populaes por tcnica de amostragem (Dados obtidos e tratados estatistcamente).

    Medidas: Lineares e perifricasEstaturas/ Alturas/ Profundidades/ Larguras/ Comprimento/ Alcances/ Circunferncias/ C tCurvaturas. Conceito de Percentis (10 a 990).Faixa de utilizao na Industria: 50 a 950 ( medida de economia)5 a 95 ( medida de economia ).Padres Brasileiros.Padres Mundiais/ Globalizao.

  • USURIO capacidade / habilidade / LimitaoDimenses / Dados estatsticos: Manuais, Tabelas, Grficos etc.

    Dados populaoDados populao militar norte-americana

    Dados populao brasileira

  • Antropometria/ Conceituaop

    Informaes importantesb t d tisobretudo para a prtica

    projetual

    Posturas corporais /Posturas corporais / condio de conforto.

    l li dngulos, cones, amplitudes e condies e alcances visuais.

  • Antropometria / ConceituaoPosturas corporais / condio de conforto. Movimentos articulados. Alcances fsicos. Nomenclatura.

    Abduo: movimento que afasta um membro (ou segmento de um membro) do plano mdio do corpo.Aduo: ao de movimentar um membro (ou parte) dele em direo linha axial ou ao plano mediano dele prprio.

  • Antropometria / ConceituaoPosturas corporais / condio de confortoMovimentos articulados. Alcances fsicos. Nomenclatura

  • Antropometria / ConceituaoPosturas corporais / condio de confortoMovimentos articulados. Alcances fsicos. Nomenclatura

  • Antropometria / ConceituaoPosturas corporais / condio de confortoMovimentos articulados. Alcances fsicos. NomenclaturaMovimentos articulados. Alcances fsicos. Nomenclatura

  • Antropometria / ConceituaoPosturas corporais / condio de confortoMovimentos articulados. Alcances fsicos. Nomenclatura

  • Antropometria / ConceituaoPosturas corporais / condio de confortoMovimentos articulados. Alcances fsicos. Nomenclatura

  • Antropometria / ConceituaoPosturas corporais / condio de conforto. Movimentos articulados. Alcances fsicos. Nomenclatura

    Pronao: movimento de rotao que executado por mo e ante-brao, faz cada palma girar para trs ou para baixo. P: gira para dentro e para baixo.

    S i i t d ti d d d i i (d it d d t )Supinao: movimento destinado adoo de posio supina (deitado de costas).

  • P i / di d f

    Antropometria / ConceituaoPosturas corporais / condio de conforto. Movimentos articulados. Alcances fsicos. Posturas e dimenses funcionais (em funo das faixas de percentis).

  • Antropometria AplicadaDimensionamento de assento (biomecnica).PRA: Ponto de Referncia do Assento (= SRP). Interseco: pl V+Pl H+ sagital)Conceitos bsicos ergonmicos antropomtricosConceitos bsicos ergonmicos-antropomtricos. Condies de conforto.

  • Antropometria Aplicada- Subsdios e dados para projeto do assento

    DIFFRIENT, Niels; TILLEY Alvin R.: BARDAGJY Joan C.: Humanscale 1/2/3/. Massachusetts. Ed. The MIT Press. ( Designers: Henry Dreyffuss Associates ). 1974.

  • BIOMECNICA

  • USURIO capacidade / habilidade / LimitaoBiomecnica Estudo das interaes entre o trabalho e o homem, sob o ponto

    de vista dos movimentos msculos-esqueletais envolvidos, e as suas

    conseqncias.

  • Principais conceitos / Fisiologia do trabalho

    Estrutura dos msculos

    - Contrao (fora do msculo durante a contrao) rapidez / lentido / prolongamento da contrao ...- Fontes de energia (transformao de energia qumica em mecnica) glicose, gordura, protenas > oxignio ... Fornecimento de sangue ... Produo de calor ... Etc.

    Trabalho Muscular

    Trabalho muscular esttico trabalho postural: caracteriza-se por um estado de contrao prolongado da musculatura o que geralmente implicaestado de contrao prolongado da musculatura o que geralmente implica um trabalho de manuteno de postura.

    Trabalho muscular dinmico trabalho rtmico: caracteriza-se por seqncia rtmica de contrao e extenso - portanto: tensionamento e frouxido da musculatura em trabalho.

  • Principais conceitos / Fisiologia do trabalho

    Trabalho esttico. Exemplo: segurar um peso com brao esticado

    T b lh di iTrabalho dinmico. Exemplo: girar a roda de uma manivelaUma direo, digitar um texto.

    Trabalho esttico e Trabalho dinmico. Exemplo, simultneo,p , ,conduzir um veculo.

    - Via de regra o trabalho esttico mais cansativo que o trabalho dinmico

  • USURIO capacidade / habilidade / LimitaoUso do Produto

    Qualificao do Usurio / Aspectos GeraisQualificao do Usurio / Aspectos Gerais Condio socio-econmico-cultural

    Educao formal

    Instruo especfica (tcnica, profissional) - PTs

    Nvel de treinamento e nvel de experincia - PTs

    Atributos - Aes Fsicas e Sensoriais no Uso do Produto e do espao: Fora fsica > esforos despendidos

    Mental > aspectos psicolgicos, emocionais, nvel de ateno ...

    Habilidade / Sensibilidade / Velocidade / Preciso

    Compatibilidade frente tarefa ou funo de uso do produtop p

    Sincronismo em determinadas aes simultneas de uso do produto

  • USURIO capacidade / habilidade / LimitaoDiversidade Fsica e Sensorial do Usurio

    Condies de sade

    Saudveis Saudveis

    Com problemas temporrios

    C bl t ( l t i li d d i ) Com problemas permanentes ( geralmente implica dependncia )

    Normalmente as empresas s produzem para pessoas saudveis.

    - Eventualmente, requer necessidade de produtos especiais ou de

    ajustes e adaptaes (cama hospitalar em casa, por exemplo)

  • USURIO capacidade / habilidade / Limitao

    PPNEs Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais *

    Deficincias de habilidades: Perda ou anormalidade de funo corporal fisiolgica e/ou mental: constrangimentos fsicos, visuais, auditivos, olfativos, gustativos, e outros.

    Caso tpico : Cadeirantes Pessoa com Deficincia e Mobilidade Reduzida Temporrio Temporrio Permanente - exemplos: paraplgico, tetraplgico, ...

    * At l t bj t d i lid d d D i U i l* Atualmente objeto da especialidade do Design Universal

  • PRODUTOPRODUTO(Mquina)(Mquina)

    Taxionomia

  • PRODUTO TaxionomiaNatureza do Produto > Especialidades:

    Design do Produto > Objetos tridimensionais

    Design Grfico > Objetos bidimensionais (virtuais)g j ( )

    Design de Moda > Vesturio

    Design de Ambientes > Organizao dos objetos no espao

    Arquitetura > Edificaes de modo geralArquitetura > Edificaes de modo geral

    Outras especialidades > Eventualmente

    Relaes de uso > Interfaces recprocas

  • PRODUTO TaxionomiaNatureza do Design do Produto

    Sintaxe dos seus componentes

    Simples: pequeno nmero de unidades

    configuracionais

    Sistmico: de mdio a grande nmero

    de unidades configuracionais

    Nvel de Complexidade

    Configuracional e Tecnolgica:

    Baixo / Mdio / Alto

    Trabalho em equipe

    Pblico Alvo Recm nascido / Beb / Criana / Jovem / Adulto / Idoso

  • AMBIENTE(Espao)(Espao)

    Taxionomia

  • AMBIENTE TaxionomiaArquitetura da Edificao

    Tipo de Ambiente: Aberto / Semi-aberto / Fechado

    Natureza do Ambiente: Residencial / Industrial / Comercial / Cultural / Desportivo / Ar Livre / etc.

    Caractersticas do Ambiente: Limpo / Arejado / Saudvel / Claro / Confortvel / Condies seguras / Sujo / Escuro / Contaminado / Poludo / Condies inseguras ...j g

    Mais especificamentePosto de Trabalho:IndividualIndividualCompartilhado > Linhas de Produo

    Posto de AtividadeConceito diferenciador de posto de trabalho tradicional: atividades domsticas, culturais, esportivas, ...

  • AMBIENTE TaxionomiaResidencial- Casa- Apartamentop

    Sistemas de Produo: - Industria - Comercio- Servios- Etc

    Adequao de Ambientes- Postos Trabalho, Linhas de produo/p

    - Mobilirio / Mquinas / Equipamentos/

    - Instrumentos/ veculos

    Ferramentas / Aparelhos /Acessrios/- Ferramentas / Aparelhos /Acessrios/

    - Insumos gerais

  • P t d T b lhPostos de TrabalhoPostos de AtividadesPostos de Atividades

    Conceituao

  • Posto de Trabalho & Posto de Atividade

    Posto de Trabalho um lugar onde um ou mais indivduos realizam um determinado trabalho ou

    t f d l ti t uma tarefa, de qualquer tipo ou natureza .

    Postos de Trabalho:Si t t di i i d d - Sistemas tradicionais de produo > empresas

    - Trabalho Individual ou compartilhado.

    - Componentes do sistema de produo.

    - Envolve: os operadores, os elementos fsicos que o configura

    e o ambiente em que se localiza.

    P t d Ati id dPostos de Atividade:- So os postos que no se enquadram nos sistemas tradicionais referidos em relao ao sistema de produo.

    - So os postos que abrangem determinadas prticas como as domsticas, culturais, de lazer, esportivas e outras similares.

  • SISTEMA DE COMUNICAO / INFORMAO

    Dados bsicosDados bsicos

  • Noes / Sistemas de ComunicaoPercepo da Informao / rgosdos sentidos do individuo:

    Viso: informao e mensagens visuais

    A dio informaes / sinais sonorosAudio: informaes / sinais sonoros

    Paladar: informao gustativa/ sabor

    Olfato: cheiro (odores/ fragrnciaOlfato: cheiro (odores/ fragrncia

    Fedor / fetidez)

    Tato: sensao presso e temperatura

    pela pele

    Cinestsico: movimento e posio do

    Corpo, membros ou partes do corpo)

  • Sistema de Comunicao / Informao Caracteriza-se pelo envio, o recebimento e a troca de informaes

    num ponto ou lugar pr-determinado .p g p

    Percepo humana / Nveis-Cdigos.

    Verbal / Gestual / Gestual-Mmico

    Indireta Verbal (meios tcnicos : equipamentos eletro-eletrnicos e outros )

    Dispositivos de Informaes

    Recepo da informao

    Transmisso e processamento da informao

    Canais Receptores

    Tomada de Deciso Tomada de Deciso.

  • Sistema de Comunicao / InformaoRecepo da Informao / Individuo

    Sistema nervoso central > decodificaoSistema nervoso central > decodificaoTransmisso e processamento da informao

    F R

    Diagrama: Emissor- Fonte (ou meio) - Receptor.

    E i Fonte(Meio)

    ReceptorEmissor

    Quando aparecem rudos no sistema (interferncias, distorses, contaminaes) utilizam-

    RudoRudo

    Quando aparecem rudos no sistema (interferncias, distorses, contaminaes) utilizam

    se meios para sua eliminao ou atenuao (telefone, radio, tv, computador etc)

  • ADENDO FINAL /TRABALHADOR EM ATIVIDADE

  • Constrangimentos / Doenas Profissionais

    Algo perverso: na grande maioria das vezes o trabalhadors se d conta quando o problema j est em fase adiantada

    Perda progressiva de viso e audio.

    Perda progressiva do olfato/ paladar

    Males da coluna: Lordose, cifoses, escoliose ...

    Problemas cardacos, intestinais, pulmonares ...

    Cefalias Stress Cefalias, Stress

    Transtornos de ordem psicolgicas

    Perda da capacidade e eficcia produtivap p

    Problemas familiares (leva para casa).

    DORT Distrbios Osteosmusculares Relacionado ao Trabalho (LER Leses por Esforos Repetitivos)

  • BIBLIOGRAFIA

    Joo Gomes FilhojogoX@terra.com.br

    Escrituras Editora.

    www.escrituras.com.br

    So Paulo.SP. 2004

    255 pginas255 pginas