processo civil - conhecimento

Download Processo Civil - Conhecimento

Post on 02-Aug-2015

56 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Direito Processual Civil II Prof. Juliana Loureno de Oliveira

DO PROCESSO DE CONHECIMENTO PROCEDIMENTO ORDINRIO

O Cdigo de Processo Civil, a partir do art. 282, trata do procedimento ordinrio, que est dividido em quatro fases: Fase Postulatria: Fase em que o Autor apresenta petio inicial e o Ru a resposta. Nesta fase prevalecem os atos de requerimentos das partes. Fase Ordinatria: Fase em que o Juiz saneia o processo e aprecia os requerimentos de provas formulados pelas partes. Fase Instrutria : Fase em que so produzidas as provas. Fase Decisria: Fase em que ser prolatada a Sentena.

Essa diviso foi realizada considerando o tipo de ato predominante em cada fase. FASE POSTULATRIA

Nesta fase, prevalecem os atos de requerimento das partes. Mas isso no significa que j no sejam produzidas provas (em regra documentais, que iro instruir a petio inicial, por exemplo).

1 - PETIO INICIAL 1.1 CONCEITO A fase postulatria inicia-se com a propositura da demanda. A Petio inicial a pea por meio da qual se faz a propositura da ao. Nelson Nery Jr. e Maria de Andrade Nery (Cdigo de Processo Civil Comentado e Legislao Extravagante, 10, Ed., So Paulo, RT, 2007) conceituam: A petio inicial a pea inaugural do processo, pela qual o autor provoca a atividade jurisdicional, que inerte (art. 2 e 262 do CPC). a pea processual mais importante pelo autor, porque nela que se fixam os limites da lide (CPC 128 e 460), devendo o autor deduzir toda a pretenso, sob pena de precluso consumativa, isto , de s poder fazer outro pedido por ao distinta. A petio inicial o ato processual atravs do qual o Autor, materializando o exerccio de direito de ao, provoca a atividade do Estado- Juiz, solicitando a entrega da prestao jurisidicional.

1

Direito Processual Civil II Prof. Juliana Loureno de Oliveira

por seu intermdio que se fixam os contornos da pretenso, pois nela so indicados os pedidos do Autor e os fundamentos nos quais eles esto baseados, indicando quem ocupar os plos ativo e passivo da ao, contendo os seus elementos identificadores. pelo seu exame que se verificar quais so os limites e os contornos do pedido e de seus fundamentos. Por causa disso, o exame da inicial tem enorme repercusso sobre a distino ou identidade entre duas aes e para outras questes.

1.2 REQUISITOS DA PETIO INICIAL A petio inicial dever obedecer aos requisitos enumerados nos arts. 282 e 283 do Cdigo de Processo Civil. No art. 282, esto elencados os requisitos intrnsecos, isto , aqueles que devem ser observados na prpria pea que a veicula. J no art. 283, esto os requisitos extrnsecos, relacionados a documentos que deve, necessariamente, acompanhar a pea.

Determina o art. 282 do Cdigo Processual Civil que a inicial indique: a) O Juiz ou o Tribunal a que dirigida: A petio inicial contm um requerimento e deve indicar a quem ele dirigido. Se houver erro na indicao, e a demanda for proposta perante Juzo ou Tribunal incompetente, nem por isso a inicial dever ser indeferida, mas remetida ao competente. b) Os nomes, prenomes, estado civil, profisso, domicilio e residncia do Autor e do Ru: as partes constituem um dos elementos identificadores da ao. Por isso, a inicial deve designar os seus nomes e qualificao, que permitem a sua identificao. Em relao aos nomes e qualificao dos Autores, a exigncia no pode ser afastada, pois, sendo eles que propem a demanda, no tero como identificar-se. Mas pode haver dificuldade para nomear ou qualificar os rus. Pequenos equvocos na indicao do nome ou da qualificao das partes so considerados meros erros materiais, no implicando nulidade, desde que no tragam prejuzos. c) O fato e os fundamentos jurdicos do pedido: Esse um dos requisitos de maior importncia da petio inicial. O que efetivamente vincula o juiz a descrio dos fatos, e no os fundamentos jurdicos, pois ele conhece o direito e deve aplic-lo, ainda que tenha havido equvoco na sua indicao.

2

Direito Processual Civil II Prof. Juliana Loureno de Oliveira

A narrao dos fatos deve ser feita de foram inteligvel, e manter estreita correo lgica com a pretenso inicial. No basta ao Autor narrar a violao de seu direito, mas preciso que ele descreva tambm os fatos em que ele est fundado. d) O pedido e suas especificaes: Com a causa de pedir e a indicao das partes, o pedido forma o ncleo essencial da petio inicial. Ao formul-lo, o Autor deve indicar ao juiz o provimento jurisdicional postulado (pedido imediato) e o bem da vida que se quer obter (pedido mediato). O pedido deve ser redigido com clareza e ser especificado, pois ser ele, somado causa de pedir, que dar o contorno dos limites objetivos da lide.

e) O valor causa: Estabelece o art. 258 do CPC, que a toda causa ser atribudo um valor certo, ainda que no tenha contedo imediato. O valor da causa deve corresponder ao do contedo econmico do pedido. Mas existem aes que no o tm, ou em que esse contedo inestimvel. Nelas, o valor da causa ser fixado por estimativa ou de acordo com os critrios estabelecidos nos regimentos ou leis estaduais de custas. Todas as demandas devem indicar o valor da causa, o que inclui a reconveno, a oposio e o embargo do devedor. Critrios para fixao do valor da causa: os arts. 259 e 260 do CPC fornecem os requisitos para fixao do valor da causa. De uma maneira geral, ele deve corresponder ao contedo econmico da pretenso, embora at as causas que no tenham valor econmico devam indic-lo por estimativa. f) As provas com que o Autor pretende provar a verdade dos fatos alegados: Tem havido tolerncia quanto ao descumprimento desta exigncia. A sua falta no enseja o indeferimento da inicial, nem torna preclusa a oportunidade de o autor, posteriormente requerer s provas que lhe paream cabveis. Isso se justifica porque o Autor no tem como saber quais as matrias fticas que se tornaro controvertidas antes da resposta. g) O requerimento da citao do Ru : Este outro requisito da inicial cuja ausncia tem sido tolerada. O pedido de citao est implcito no ajuizamento da demanda e no h razo para que o juiz a mande emendar ou indefira por falta de requerimento. h) O endereo do advogado do Autor: Dispe o CPC, art. 39, I que a inicial indicar o endereo em que ele receber as intimaes. O pargrafo nico estabelece que, em caso de omisso, o juiz conceder o prazo de 48 horas para que ela seja suprida, sob pena de indeferimento da inicial.

Alm dos requisitos intrnsecos, a inicial deve preencher outros que no propriamente formais, nem dizem respeito ao seu contedo. Por isso, so chamados extrnsecos. 3

Direito Processual Civil II Prof. Juliana Loureno de Oliveira

Estabelece ao art. 283 que a petio inicial dever vir instruda com os documentos indispensveis. Por exemplo, em uma ao reivindicatria de imveis, necessrio instruir a petio inicial com a certido do cartrio de registro de imveis que atribui propriedade ao autor; em uma reviso de contrato, o seu instrumento, em uma anulao de casamento, a respectiva certido. So documentos sem os quais o juiz no pode apreciar o pedido do autor. Na falta de documento indispensvel, o juiz conceder ao autor prazo de dez dias para traz-lo, sob pena de indeferimento da inicial. 1.3 Emenda Petio Inicial

Se a petio inicial no cumprir os requisitos do art. 282, ou no for suficientemente clara, contendo aspectos obscuros, de modo a impossibilitar o julgamento, o juiz mandar que o Autor a complemente ou esclarea, no prazo de 10 dias, sob pena de indeferimento. A essa alterao da petio inicial o art. 284 denominou Emenda. A emenda petio inicial apresente dupla funo : ao mesmo tempo em que se destina a esclarecer o juiz sobre os elementos da causa, tambm se presta a dar ao ru amplitude em sua defesa, pois somente poder o ru exerc-la totalmente caso tenha perfeita compreenso do que esta expresso na petio inicial. 1.4 Indeferimento da Inicial

O indeferimento da petio inicial ocorre nas hipteses previstas no art. 295 do Cdigo de Processo Civil, gerando uma frustrao em relao ao autor, que assistir ao desate da ao fora do seu tempo esperado. Contudo, esse desfecho abreviado da ao justifica-se pela impossibilidade do aproveitamento da petio inicial, por vir desacompanhada de uma condio da ao ou de um pressuposto processual, tambm admitindo-se o indeferimento nas hipteses relativas decadncia ou prescrio. O indeferimento ocorrer, nos termos em dispe o art. 295, nas seguintes hipteses: a) Quando a petio inicial for inepta: Inpcia da inicial a incapacidade de produzir resultados (no apta) quando: - No contiver pedido ou causa de pedir - Da narrao dos fatos no decorrer logicamente a concluso 4

Direito Processual Civil II Prof. Juliana Loureno de Oliveira

- O pedido for juridicamente impossvel - Contiver pedidos incompatveis entre si. b) Por ilegitimidade de parte. c) Quando faltar interesse processual. d) Se for verificvel, desde logo, a ocorrncia da decadncia ou prescrio. Esses institutos tm o condo de impedir que a relao processual v adiante, por retirar, de plano, a possibilidade de atuao jurisdicional sobre o caso. e) Se no for adequado o procedimento escolhido. Essa causa de indeferimento tem sido largamente abrandada pela jurisprudncia, pelo entendimento de ser lcito ao juiz determinar, via Emenda, as alteraes que se fizerem necessrias para a correta adequao do rito. f) Quando no constar o endereo do advogado (art. 39 CPC) ou quando o autor no cumprir com a determinao de emenda (art. 284 CPC). 1.5 PEDIDO

O art. 282 do CPC estabelece como requisito fundamental da inicial a indicao do pedido com suas especificaes. Dada a importncia do assunto, a lei o trata em Seo prpria, nos arts. 286 a 294. Esses dispositivos cuidam da formulao do pedido genrico, dos pedidos implcitos e da impossibilidade de cumulao. - Pedido Certo e Determinado. Art. 286 - Pedido Genrico: ART. 286 pedido certo quanto existncia, quanto ao gnero, mas no individualizado/dete