Projeto Pedagogico Mecanica - Projeto Pedagogico Mecanica

Download Projeto Pedagogico Mecanica - Projeto Pedagogico Mecanica

Post on 14-Jan-2016

4 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

fsdfdsfdsfsdfssdf

TRANSCRIPT

<ul><li><p>CURSO DE ENGENHARIA MECNICA DA FACULDADE DE ENGENHARIA DE </p><p>BAURU </p><p>PROJETO PEDAGGICO </p><p>CONSELHO DE CURSO DE ENGENHARIA MECNICA </p><p>Coordenador: Prof. Dr. Ablio Garcia dos Santos Filho Vice-coordenador: Prof. Dr. Marcos Roberto Bormio </p><p>Membros: Representantes docentes da FE: Titular: Paulo Cezar Razuk Suplente: Celso Luiz da Silva Titular: Geraldo Luiz Palma Suplente:Bento Rodrigues de Pontes Junior Titular: Joo Cndido Fernandes Suplente: Joo Eduardo Guarnetti dos Santos Titular: Ivaldo de Domenico Valarelli Suplente: Marcos Tadeu Tiburcio Gonalves </p><p>Representantes docentes da FC: Titular: Jos Luiz de Souza Suplente: Valter Locci Titular: Jos Armando Xavier Suplente: Carlos Alberto Fonzar </p><p>Representantes discentes: Titular: Joo Renato Vasques Escobar Suplente: Alyne Dmingues do Nascimento Titular: Edson Nobuo Furuta Suplente: Felipe Milcio de Souza </p><p>Bauru, maro de 2007 </p></li><li><p> 2</p><p>NDICE </p><p>1. JUSTIFICATIVA DA REESTRUTURAO CURRICULAR.......................... 3 2. AVALIAES E REFLEXES DO CURRCULO VIGENTE........................ 4 2.1 Breve histrico do Curso de Engenharia Mecnica de Bauru....................... 4 2.2 A Engenharia Mecnica na Atualidade......................................................... 6 2.2.1 Mercado de trabalho................................................................................. 6 2.2.2 Funo social.............................................................................................. 7 2.3 Organizao Didtico-Pedaggica.................................................................... 7 2.4 Caracterizao dos Ingressantes...................................................................... 9 2.5 Evaso e Progresso dos Estudantes................................................................ 10 2.6 Informaes dos Egressos.................................................................................. 10 2.7 Avaliao externa............................................................................................... 10 </p><p>3. PROJETO PEDAGGICO: PROTAGONISMO, TRANSFORMAES E COMPROMISSOS................................................................................................... </p><p>13 </p><p> 3.1 Objetivos Gerais................................................................................................. 13 3.2 Princpios Orientadores da Formao Profissional dos Egressos................. 13 3.3 Proposta da Estruturao Curricular.............................................................. 14 3.3.1 Grade Curricular...................................................................................... 14 3.3.2 Contedo Curricular................................................................................ 18 3.4 Distribuio das disciplinas por departamento............................................... 37 3.5 Seqncia aconselhada....................................................................................... 40 3.6 Diretrizes Curriculares...................................................................................... 46 3.7 Atividades Avaliadoras e Compromissos......................................................... 52 </p><p>4. CORPO DOCENTE................................................................................................. 55 5. CORPO TCNICO-ADMINISTRATIVO............................................................ 62 6. PREVISO DE DESPESAS.................................................................................... 64 7. IMPLANTAO CURRICULAR......................................................................... 66 </p></li><li><p> 3</p><p>1. JUSTIFICATIVA DA REESTRUTURAO CURRICULAR </p><p> Passado algum tempo da ltima reestruturao curricular do Curso de Graduao em Engenharia Mecnica da UNESP - Bauru, o Departamento de Engenharia Mecnica(1), responsvel pela manuteno do referido curso, vm acumulando discusses focadas na proposta de uma nova reestruturao curricular para que se possa atualizar e distribuir melhor os contedos ementrios das disciplinas e introduzir novas estratgias e polticas educacionais. </p><p> Neste nterim, precisamente em 2002, foi aprovada as Diretrizes Curriculares dos cursos de engenharia no Brasil(2). Mais do que uma atualizao de contedo curricular, essas diretrizes avanam no sentido de estabelecer linhas mestras na estruturao curricular que possibilitem aos egressos dos cursos de engenharia adquirirem competncias e habilidades </p><p>compondo um perfil com slida formao tcnico cientfica e profissional geral que o capacite a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuao crtica e criativa na identificao e resoluo de problemas, considerando seus aspectos polticos, econmicos, sociais, ambientais e culturais, com viso tica e humanstica, em atendimento s demandas </p><p>da sociedade. </p><p> Fundamentalmente, tal estruturao curricular tem como centralidade a reduo do tempo em sala de aula, a realizao de trabalhos de sntese e integrao e o incentivo a </p><p>participao estudantil em atividades extra-curriculares de aprendizado complementar. </p><p> Posta todas essas consideraes , ento neste contexto de formao de um novo profissional de engenharia mecnica, qualificado, empreendedor e com responsabilidade social, que a proposta de reestruturao curricular do Curso de Graduao em Engenharia </p><p>Mecnica da UNESP Bauru se justifica. </p><p>(1) Departamento de Ensino pertencente Faculdade de Engenharia da Unesp do Campus de Bauru. </p><p>(2) Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia Resoluo CNE/CES 11, documento aprovado </p><p>em 11/03/2002 e publicado no DOU de 9/04/2002. </p></li><li><p> 4</p><p>2. AVALIAES E REFLEXES DO CURRCULO VIGENTE </p><p> O trmite institucional no que se refere reestruturao curricular dos cursos de graduao na UNESP solicita, entre outras providncias, a avaliao do curso e do currculo vigente. Assim, no cumprimento desta determinao sero abordados os seguintes aspectos: breve histrico do Curso de Graduao em Engenharia Mecnica da UNESP - Bauru, reflexes sobre a Engenharia Mecnica na atualidade, diagnstico da organizao didtico-pedaggica e avaliaes do corpo discente (ingressantes e egressos). </p><p>2.1 Breve histrico do Curso de Engenharia Mecnica de Bauru </p><p> No ano de 1967 o Curso de Graduao em Engenharia Mecnica da Faculdade de Engenharia, UNESP Campus de Bauru, teve seu incio de funcionamento autorizado pela Lei Estadual (SP) 47.893 e Portaria 07/67 do Conselho Estadual de Educao formando a ento denominada Faculdade de Engenharia de Bauru. No ano seguinte, foram autorizados a funcionar os cursos de em Engenharia Civil e Engenharia Eltrica. O reconhecimento do </p><p>curso de graduao em Engenharia Mecnica veio se dar somente em 1972, por meio do Decreto Lei 70.596 da Presidncia da Repblica. </p><p> Desde a autorizao de funcionamento at 1985, a Faculdade de Engenharia de Bauru, foi mantida pela Fundao Educacional de Bauru. No ano de 1985 instalou-se a Universidade de Bauru, instituio que passou a congregar a Faculdade de Engenharia de Bauru, Faculdade de Tecnologia, Faculdade de Cincias e Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicao. No caso da Faculdade de Engenharia houve continuidade ao oferecimento dos cursos de graduao em Engenharia Mecnica, Engenharia Eltrica e Engenharia Civil. </p><p> Posteriormente, em agosto de 1988, Assemblia Legislativa do Estado de So Paulo, sensvel ao anseio da regio de Bauru em ter ensino superior pblico e gratuito, principalmente nas reas de cincias exatas e humanas, aprovou a incorporao da Universidade de Bauru pela UNESP. Nesse processo, ocorreu a fuso das Faculdades de Engenharia e Tecnologia numa nica unidade universitria, a Faculdade de Engenharia e Tecnologia. </p></li><li><p> 5</p><p> Com a extino dos cursos de tecnologia no incio da dcada de 90, a unidade universitria passou a se chamar apenas Faculdade de Engenharia (FE), oferecendo as mesmas trs habilitaes em engenharia (mecnica, eltrica e civil), todas na modalidade de bacharelado profissionalizante em perodo integral. Em 2003 acrescentou-se a habilitao em Engenharia de Produo, com oferecimento do curso em perodo noturno. </p><p> Em termos da memria acadmica do curso, consta que na fase anterior incorporao pela UNESP houve mudana do sistema anual para o sistema semestral de crditos, ocorrida </p><p>em 1972, e a adequao curricular feita em 1976 para atender aos contedos mnimos exigidos pela Resoluo 48/76 do Conselho Federal de Educao. J como UNESP, a Faculdade de Engenharia passa por uma ampla reformulao curricular em 1991. </p><p> A partir da incorporao da Universidade de Bauru pela UNESP cita-se como memria acadmica do curso a ampla reformulao curricular feita em 1991, a implementao do programa de titulao docente conduzido pela Faculdade de Engenharia e, no mbito maior da universidade, o reconhecimento e a regulamentao das atividades </p><p>desempenhadas pelas coordenadorias de cursos de graduao. </p><p> Por fim, importante salientar que em ambas reestruturaes curriculares ocorridas houve a preocupao de se ajustar o perfil dos egressos as exigncias regionais das pocas. Por exemplo, a reformulao de 1976 abandonou o perfil de formao profissional voltado para as necessidades das empresas ferrovirias sediadas em Bauru(3), passando a um perfil mais adequado para atendimento agro-indstria, tendo em vista a expanso agrcola em curso na regio de Bauru nos meados da dcada de 1970. Em 1991, por sua vez, a reformulao ocorrida teve como objetivo reafirmar o perfil dos egressos para a engenharia de fabricao, acompanhando a tendncia de desenvolvimento regional da poca voltada para o aumento da capacidade industrial instalada. </p><p>(3) FEPASA (Ferrovias Paulistas S.A) e Rede Ferroviria Federal S.A (RFFSA). </p></li></ul>