Aula 1 - Eletromagnetismo

Download Aula 1 - Eletromagnetismo

Post on 25-Dec-2015

9 views

Category:

Documents

4 download

DESCRIPTION

Eletromagnetismo Ensino mdio

TRANSCRIPT

Apresentao do PowerPoint

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e LacerdaCurso: Tcnico Integrado em Manuteno e Suporte em InformticaDisciplina: Eletrnica e EletricidadeProfessor: Andrei M. Coimbra 2 - Magnetismo

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Faraday identificou a rotao do plano de polarizao da luz quando era colocado num campo magntico. Acreditava nas linhas de campo eltrico e magntico como entidades fsicas reais e no abstraes mate-mticas. Sua descoberta mais impor-tante a induo eletromagntica, em 1831, utilizada na obteno de energia eltrica nas usinas hidroeltricas.Maxwell demonstrou em 1864 que as foras eltricas e magnticas tm sua natureza dependente do referencial: uma fora eltrica em determinado referencial pode tornar-se magntica se analisada de outro, e vice-versa. Ainda provou que os anis de Saturno tinham de ser constitudos de milha-res de meteoritos e fez importantes contribuies termodinmica.O termo magnetismo resultou do nome Magnsia, regio da sia Menor (Turquia), devido a um minrio chamado magnetita (m natural) com a propriedade de atrair objetos ferrosos distncia (sem contato fsico).

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e LacerdaCaracterstica dos ms

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

O mineral apresenta forma cristalina isomtrica, geralmente na forma octadrica. um material quebradio, fortemente magntico, de cor preta, de brilho metlico, com densidade de 5,18 g/cm3. A magnetita a pedra-m mais magntica de todos os minerais da Terra, e a existncia desta propriedade foi utilizada para a fabricao de bssolas.A Magnetita um mineral magntico formado pelos xidos de ferro II e III cuja frmula qumica Fe3O4. A magnetita apresenta na sua composio, aproximadamente, 69% de FeO e 31% de Fe2O3 ou 26,7% de ferro e 72,4% de oxignio.

1. Polaridade3. Inseparabilidade2. Atratibilidade

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e LacerdaOs ms podem ser naturais ou artificiais, e permanentes ou temporais.Um m natural um mineral com propriedades magnticas, como a Magnetita, que um xido de Ferro (Fe3O4).Um m de neodmio-ferro-boro um poderoso m feito a partir de uma combinao de neodmio, ferro e boro Nd2Fe14B. Esses manes so muito poderosos em comparao a sua massa, mas tambm so mecanicamente frgeis e perdem seu magnetismo em temperaturas acima de 120 C.Um m artificial um corpo de material ferromagntico que submetido um intenso campo magntico; por frico com um m natural ou pela ao de correntes eltricas (eletromagnetismo) adquire propriedades magnticas.

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e LacerdaUm m permanente feito de ao magnetizado (ferro com alto teor de carbono), a fim de manter permanentemente seu poder magntico. Tambm utilizado alnico ou ferrite em alguns casos. No entanto, uma forte descarga eltrica, um impacto de grande magnitude, ou uma aplicao de uma elevada quantidade de calor podem causar perda de fora magntica do m A altas temperaturas, os manes permanentes perdem seu magnetismo temporariamente, readquirindo quando so resfriados.Um m temporal temporariamente magnetizado por uma fonte de ondas eletromagnticas. Quando a emisso dessas ondas cessa o m temporal deixa de possuir seu campo magntico. Esses manes so feitos com matrias paramagnticas (normalmente ferro com baixo teor de carbono) por isso quando o campo magntico removido o movimento Browniano rompe o alinhamento magntico do m temporal.Um eletrom uma bobina (ou uma espira) por onde circula uma corrente eltrica, gerando um campo magntico. O eletrom uma espcie de m temporal, pois seu campo magntico acaba quando interrompida a passagem da corrente eltrica pela bobina.

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e LacerdaProcesso de imantaoInduo magntica: um corpo neutro imanta-se quando prximo ou em contato com um mAtrito: um corpo imanta-se ao ser atritado com um m com movimentos sempre no mesmo sentidoCorrente eltrica: um corpo neutro enrolado por um fio condutor percorrido por corrente eltrica torna-se um m enquanto existir a corrente

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e LacerdaLinhas de CampoPlo NorteLinhas de Sada

Plo SulLinhas de EntradaCampo Magntico a regio do espao em torno de um condutor percorrido por corrente eltrica ou em torno de um m. Para cada ponto do campo magntico, existe um vetor B, denominado vetor campo magntico.No SI, a unidade do vetor B o Tesla (T)

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e LacerdaMagnetismo Terrestre

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e LacerdaCampo Magntico e Corrente EltricaA descoberta da relao entre a eletricidade e o magnetismo deve-se ao fsico dinamarqus Hans Christian Oersted. Em 1819, ele observou que uma agulha magntica livre, orientada anteriormente, segundo a direo norte-sul, muda de direo quando prxima de um fio condutor pelo qual passa uma corrente eltrica.

AAO CONDUTOR ATRAI A AGULHA DA BSSOLA.AO CONDUTOR ATRAI A AGULHA DA BSSOLA.AO CONDUTOR ATRAI A AGULHA DA BSSOLA.AO CONDUTOR ATRAI A AGULHA DA BSSOLA.AO CONDUTOR ATRAI A AGULHA DA BSSOLA.AO CONDUTOR ATRAI A AGULHA DA BSSOLA.AO CONDUTOR ATRAI A AGULHA DA BSSOLA.AO SENTIDO DO CAMPO MAGNTICODEPENDE DOSENTIDO DA CORRENTE ELTRICAIO SENTIDO DO CAMPO MAGNTICODEPENDE DOSENTIDO DA CORRENTE ELTRICAAI

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda

Instituto Federal de Mato GrossoCampus Pontes e Lacerda