Treinamento Parametrização Fiscal

Download Treinamento Parametrização Fiscal

Post on 06-Jun-2015

3.901 views

Category:

Technology

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Treinamento DB1 Evoluir

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. Entenda mais sobre o processo de parametrizao fiscal no sistema DB1 e seu impacto na Escriturao Fiscal Digital (EFD) 14/05/2011 Jasper W. Perr</li></ul> <p> 2. Instrutores </p> <ul><li>Jasper Willian Perr EGP DB1 </li></ul> <ul><li>Marcelo Trofino EGP DB1 </li></ul> <ul><li>Stephan Hideo EGP DB1 </li></ul> <p> 3. Introduo 4. Cadastro de Tributao Trata-se da parametrizao fiscal do sistema DB1, onde seguindo uma sequncia lgica, a atendendo a alguns requisitos, ser possvel realizar a configurao fiscal de cada operao realizada na empresa. Para entendermos o conceito de parametrizao importante entender os seguintes itens, que juntos iro formar a tributao. SITUAO TRIBUTRIA OPERAO FISCAL PESSOA PRODUTO REGIO FISCAL 5. Situao Tributria 6. Situao Tributria Cadastro referente, a movimentao que a tributao deve atender, de acordo com a configurao define, situaes de iseno, tributao integral, diferimento, substituio. Onde ser possvel vincular as regras, tributrias a cada situao, para que o sistema realize as validaes necessrias no momento do cadastro. 7. 8. Pessoa 9. Para cada tipo de cliente, deve existir um grupo de pessoa no MDULO CONTBIL. Este cliente importante para diferenciar clientes sujeitos a diferentes regimes tributrios. recomendado que o nome do grupo identifique o tipo de contribuinte, facilitando na identificao posterior. 10. O nome do grupo meramente informativo. usado para diferenciar tipos de clientes, que estando situados na mesma UF, comprando o mesmo produto pela mesma operao comercial, estejam sujeitos a tributaes diferentes. A tributao deve estar cadastrada no sistema com base na UF do endereo do cliente (regio ICMS) e com base no grupo Pessoa ICMS. Portanto, um determinado cliente deve SEMPRE pertencer a um NICO grupo ICMS. 11. Produto 12. Para cada tipo de produto classificado na ST, deve existir um grupo de produto no MDULO CONTBIL. 13. O nome do grupo meramente informativo.No caso da ST, o principal parmetro que diferenciar entre produtos normais e produtos substitudos. Portanto, um determinado produto deve SEMPRE pertencer a um NICO grupo ICMS. 14. Operao Fiscal 15. A tributao finalmente definida pelo conjunto de pessoa, regio, produto mostrados acima e a operao fiscal. Para cada tipo de operao, deve existir um grupo de operao fiscal no MDULO CONTBIL. Recomenda-se usar a juno destes 4 parmetros para definir completamente a tributao, evitando o uso de grupos nomeados GERAL. 16. Para verificar a operao fiscal utilizada em uma determinada operao comercial, basta acessar o cadastro de operaes do sistema (MDULO OPERACIONAL/CADASTRO). A tributao definida com base nas operaes de faturamento: entrada e sada de NFs. Abaixo 2 exemplos de operaes para entrada e sada de produtos por compra e venda, respectivamente. Os nomes utilizados so meramente informativos. As operaes comerciais devem possuir ao TIPOOPERACAO = IF para ativar o tributador. 17. Tributao ICMS 18. Para cada operao, deve existir uma tributao cadastrada na UF origem e outra na UF destino no MDULO CONTBIL. Quando UF origem = UF destino, necessita apenas uma tributao. De acordo com a operao fiscal, pode ser necessrio cadastrar tambm as tributaes de IPI, ISS e PIS/COFINS para a operao fiscal determinada na operao. 19. Exemplo 20. Exemplo de Parametrizao (ilustrativo) Cadastrartributao de compra no PRinformando CFOP decompra internoe a mensagem fisco a ser impressa na capa da NF para operaes estaduais. Ateno:o tributador usa as informaes de ST deste cadastro (destino). 21. DICA4 Perguntas Bsicas 22. Ao realizar uma tributao no sistema perguntar: 1 Qual a UF da pessoa que emitiu ou vai emitir o documento? 2 Qual o Grupo Fiscal da Pessoa? 3 Qual o Grupo Fiscal do Produto? 4 Qual a Operao Fiscal que foi ou ser realizada? 23. SPEDs 24. O que so os SPEDs?www1.receita.fazenda.gov.br/sped E http://www.sped.fazenda.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=3 Quais os SPEDs em Vigncia? Como sei se minha empresa deve entregar? 25. A tributao tambm exige cuidados em relao aos CSTs utilizados e ao tipo de escriturao do Livro de Entradas e Sadas (se isento ou outras). CST x Tributao . O usurio dever se atentar quanto correta utilizao de CST na tributao. Produtos que possurem tributao de Pis e Cofins e caso no esteja parametrizado o CST correto (no caso CST de Pis e Cofins tributado), apresentaram informao inconsistente ao SPED Fiscal. Os cadastros bsicos do sistema Pessoa e Produto deveram ser revisados por conta de informaes requeridas pelo SPED como, por exemplo, o CEP, endereo (descrio) e cdigo da cidade no IBGE (localidade). No que tange ao cadastro de Produtos h validao de NCM (captulo ou NCM completa), exceo tributria e, principalmente, no tipo de produto (se mercadoria, patrimnio, servio, etc.) para o SPED. ENDEREO DE ENTREGA? Cadastros Iniciais 26. Cadastro de Produto Acima mostramos a aba CONTBIL/FISCAL, atentar-se a Situao Tributrio, Origem do Produto e ao NCM. Alterao de descrio de produto, como tratar? Abaixo mostramos a aba INTEGRAO SPED atentar-se ao Tipo de Produto para o SPED. 27. Cuidados ao realizar operaes no sistema </p> <ul><li>ENTRADAS DE NOTAS - O usurio do ERP dever se atentar ao registro de NFs de entrada, pois caso </li></ul> <ul><li>haja NF eletrnica a chave dever ser informada no ERP para ser exportada ao SPED Fiscal. Os modelos </li></ul> <ul><li>de documentos tambm deveram estar corretamente registrados (por exemplo: NF-e modelo 55 e </li></ul> <ul><li>CT-e 57). </li></ul> <p>Fazer referenciao no caso de NFs de devoluo. 28. Quais documentos devo enviar ao SPED? </p> <ul><li>O ideal que no sejam inseridos dados manualmente nos SPEDs portanto, </li></ul> <ul><li>todos os documentos fiscais recebidos de contribuintes de ICMS e todos os </li></ul> <ul><li>documento fiscais emitidos pela empresa devem ser lanados no sistema. </li></ul> <ul><li>Notas Fiscais de Entrada; </li></ul> <ul><li>Notas Fiscais de Sada; </li></ul> <ul><li>Conhecimentos de Transporte Emitidos e Recebidos; </li></ul> <ul><li>Faturas de Energia Eltrica e Telefone; </li></ul> <ul><li>MUITO IMPORTANTE: </li></ul> <p>Verificar se, por exemplo, as faturas de energia eltrica e telefone esto gerando livro fiscal, mesmo que a empresa no tome crdito de ICMS nessas aquisies. Portanto, no correto lanar tais documentos diretamente em despesas. Ou seja, para os SPEDs estas faturas devem ser lanadas como Notas fiscais, gerando livro fiscal com seus respectivos CFOPs e registros de impostos . 29. Importao e Exportao </p> <ul><li>As operaes que envolvem importao e exportao possuem um tratamento especfico </li></ul> <ul><li>no ERP. Cada NF, dever apresentar informaes acerca dessas operaes. Essas informaes </li></ul> <ul><li>versam sobre os dados da DI (Declarao de Importao) ou DE (Declarao de Exportao). </li></ul> <p> 30. Simples Nacional </p> <ul><li>Para as empresa optantes pelo Simples Nacional, importante observar a questo do crdito de </li></ul> <ul><li>ICMS passvel de utilizao pelo adquirente. Estas empresas ao emitir NFs de venda podem </li></ul> <ul><li>informar o percentual de ICMS que seus clientes possam via a utilizar. Para tanto, esse </li></ul> <ul><li>percentual ser informado em Operacional/Cadastro/Geral/Filial/Optante pelo Simples.</li></ul> <ul><li>O percentual refere-se ao % ICMS tributado no ms anterior. </li></ul> <p> 31. Apurao Fiscal </p> <ul><li> necessria a realizao de apurao de ICMS ST e IPI mesmo que a empresa apure somente </li></ul> <ul><li>ICMS. Evidentemente o valor apurado de IPI para uma empresa que no contribuinte desse </li></ul> <ul><li>imposto ser zero, mas o SPED Fiscal exige tal apurao. </li></ul> <ul><li>Ajustes na apurao de ICMS e IPI devem ser realizados no ERP e tambm na apurao do </li></ul> <ul><li>SPED Fiscal da DB1. O ideal que o usurio concilie a apurao do ERP com a do SPED Fiscal </li></ul> <ul><li>da DB1. </li></ul> <p> 32. SPED PIS COFINS ISS </p> <ul><li>Apesar de o SPED Fiscal tratar de </li></ul> <ul><li>informaes a respeito do ICMS, ICMS </li></ul> <ul><li>Substituio Tributria e IPI, essa nova </li></ul> <ul><li>obrigao acessria (no caso o SPED Fiscal) </li></ul> <ul><li>exige informaes sobre tributao de </li></ul> <ul><li>Pis/Pasep, Cofins e ISS (se houver). Mesmo </li></ul> <ul><li>havendo um SPED especfico para o </li></ul> <ul><li>Pis/Cofins, o SPED Fiscal exige informaes </li></ul> <ul><li>acerca desses tributos. Portanto, os </li></ul> <ul><li>usurios do sistema ERP da DB1 deveram </li></ul> <ul><li>cadastrar tributao (caso na haja) para </li></ul> <ul><li>Pis,Cofins e ISS, para que o sistema possa </li></ul> <ul><li>gerar tais informaes para o SPED Fiscal. A </li></ul> <ul><li>no informao dos valores de Pis e Cofins </li></ul> <ul><li>Gerar inconsistncia de dados no SPED </li></ul> <ul><li>Fiscal. </li></ul> <p>Importante ento, atentar para Tributao de Pis e Cofins no sistema 33. Ativo Imobilizado e CIAP </p> <ul><li>Os usurios que utilizam crditos de ICMS do ativo imobilizado (CIAP) deveram cadastrar os bens no</li></ul> <ul><li>ERP (se assim no estiverem) com referenciao da Nota Fiscal (NF) de aquisio do bem. Sugerimos</li></ul> <ul><li>que todos os bens do ativo imobilizado estejam cadastrados no sistema, no somente para apurao</li></ul> <ul><li>do CIAP, mas tambm para clculo de depreciao (cujo valor ser informado no SPED Pis/Cofins, </li></ul> <ul><li>caso o usurio do sistema DB1 utilize crditos de Pis e Cofins sobre depreciao).. </li></ul> <p> 34. Ativo Imobilizado e CIAP 35. NFs x EFD x ECD x EFD PIS COFINS 36. CONCLUSO </p> <ul><li>A certeza de qualidade de envio de informaes aos SPEDs passa </li></ul> <ul><li>pela correta parametrizao e utilizao do ERP DB1. </li></ul> <ul><li>Lembre-se, analise suas operaes, classifique-as e procure </li></ul> <ul><li>validar sempre a forma correta de parametriz-la no sistema </li></ul> <ul><li>antecipadamente. </li></ul> <ul><li>Em caso de dvidas:[email_address] </li></ul> <ul><li>Muito obrigado por sua presena e ateno !!! </li></ul>