lista 01 - perÍodo prÉ-colonial e colonial .originárias da região do atual afeganistão, tendo

Download LISTA 01 - PERÍODO PRÉ-COLONIAL E COLONIAL .originárias da região do atual Afeganistão, tendo

Post on 10-Nov-2018

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • http://historiaonline.com.br

    LISTA 01 PERODO PR-COLONIAL E COLONIAL

    PROF.RODOLFO

    1. (Enem 2016) A linhagem dos primeiros crticos ambientais brasileiros no praticou o elogio laudatrio da beleza e da grandeza do meio natural brasileiro. O meio natural foi elogiado por sua riqueza e potencial econmico, sendo sua destruio interpretada como um signo de atraso, ignorncia e falta de cuidado.

    PADUA, J. A. Um sopro de destruio: pensamento poltico e crtica ambiental no Brasil escravista (1786-

    1888). Rio de Janeiro: Zahar, 2002 (adaptado). Descrevendo a posio dos crticos ambientais brasileiros dos sculos XVIII e XIX, o autor demonstra que, via de regra, eles viam o meio natural como a) ferramenta essencial para o avano da nao. b) ddiva divina para o desenvolvimento industrial. c) paisagem privilegiada para a valorizao fundiria. d) limitao topogrfica para a promoo da

    urbanizao. e) obstculo climtico para o estabelecimento da

    civilizao. 2. (Enem 2016) A frica Ocidental conhecida pela dinmica das suas mulheres comerciantes, caracterizadas pela percia, autonomia e mobilidade. A sua presena, que fora atestada por viajantes e por missionrios portugueses que visitaram a costa a partir do sculo XV, consta tambm na ampla documentao sobre a regio. A literatura rica em referncias s grandes mulheres como as vendedoras ambulantes, cujo jeito para o negcio, bem como a autonomia e mobilidade, to tpico da regio.

    HAVIK, P. Dinmicas e assimetrias afro-atlnticas: a agncia feminina e representaes em mudana na Guin (sculos XIX e XX). In: PANTOJA. S. (Org.).

    Identidades, memrias e histrias em terras africanas. Braslia: LGE; Luanda: Nzila, 2006.

    A abordagem realizada pelo autor sobre a vida social da frica Ocidental pode ser relacionada a uma caracterstica marcante das cidades no Brasil escravista nos sculos XVIII e XIX, que se observa pela a) restrio realizao do comrcio ambulante por

    africanos escravizados e seus descendentes. b) convivncia entre homens e mulheres livres, de

    diversas origens, no pequeno comrcio. c) presena de mulheres negras no comrcio de rua

    de diversos produtos e alimentos. d) dissoluo dos hbitos culturais trazidos do

    continente de origem dos escravizados. e) entrada de imigrantes portugueses nas atividades

    ligadas ao pequeno comrcio urbano. 3. (Fuvest 2013) Observe o mapa abaixo.

    Com base no mapa e em seus conhecimentos, assinale a alternativa correta. a) O rio So Francisco foi caminho natural para a

    expanso da cana-de-acar e do algodo da Zona da Mata, na Bahia, at a Capitania de So Paulo e Minas de Ouro.

    b) A ocupao territorial de parte significativa dessa regio foi marcada por duas caractersticas geomorfolgicas: a serra do Espinhao e o vale do rio So Francisco.

    c) Essa regio caracterizava-se, nesse perodo, por paisagens onde predominavam as minas e os currais, mas no sculo XIX a minerao sobrepujou as outras atividades econmicas dessas capitanias.

    d) O caminho pelo rio So Francisco foi estabelecido pelas bandeiras paulistas para penetrao na regio aurfera da Chapada dos Parecis e posterior pagamento do quinto na sede da capitania, em Salvador.

    e) As bandeiras que partiam da Capitania da Bahia de Todos os Santos para a Capitania de So Paulo e Minas de Ouro propiciaram o surgimento de localidades com economia baseada na agricultura monocultora de exportao.

    4. (Fuvest 2013) Admite-se que as cenouras sejam originrias da regio do atual Afeganisto, tendo sido levadas para outras partes do mundo por viajantes ou invasores. Com base em relatos escritos, pode-se dizer que as cenouras devem ter sido levadas Europa no sculo XII e, s Amricas, no incio do sculo XVII. Em escritos anteriores ao sculo XVI, h referncia apenas a cenouras de cor roxa, amarela ou vermelha.

  • http://historiaonline.com.br

    LISTA 01 PERODO PR-COLONIAL E COLONIAL

    PROF.RODOLFO

    possvel que as cenouras de cor laranja sejam originrias dos Pases Baixos, e que tenham sido desenvolvidas, inicialmente, poca do Prncipe de Orange (1533-1584). No Brasil, so comuns apenas as cenouras laranja, cuja cor se deve presena do pigmento betacaroteno, representado a seguir.

    Com base no descrito acima, e considerando corretas as hipteses ali aventadas, possvel afirmar que as cenouras de colorao laranja a) podem ter sido levadas Europa pela Companhia

    das ndias Ocidentais e contm um pigmento que um polifenol insaturado.

    b) podem ter sido levadas Europa por rotas comerciais norte-africanas e contm um pigmento cuja molcula possui apenas duplas ligaes cis.

    c) podem ter sido levadas Europa pelos chineses e contm um pigmento natural que um polister saturado.

    d) podem ter sido trazidas ao Brasil pelos primeiros degredados e contm um pigmento que um polmero natural cujo monmero o etileno.

    e) podem ter sido trazidas a Pernambuco durante a invaso holandesa e contm um pigmento natural que um hidrocarboneto insaturado.

    5. (Unicamp 2017) O documento abaixo foi redigido pelo governador de Pernambuco, Caetano de Melo e Castro, em 18 de agosto de 1694, para comunicar ao Rei de Portugal a tomada da Serra da Barriga. (...) No me parece dilatar a Vossa Majestade da gloriosa restaurao dos Palmares, cuja feliz vitria seno avalia por menos que a expulso dos holandeses, e assim foi festejada por todos estes povos com seis dias de luminrias. (...) Os negros se achando de modo poderosos que esperavam o nosso exrcito metidos na serra (...), fiando-se na aspereza do stio, na multido dos defensores. (...) Temeu-se muito a runa destas Capitanias quando vista de tamanho exrcito e repetidos socorros como haviam ido para aquela campanha deixassem de ser vencidos aqueles rebeldes pois imbativelmente se lhes unir-se os escravos todos destes moradores (....).

    Dcio Freitas, Repblica de Palmares pesquisa e comentrios em documentos histricos do sculo XVII.

    Macei: UFAL, 2004, p. 129. Sobre o documento acima e seus significados atuais, correto afirmar que

    a) foi escrito por uma autoridade da Coroa na colnia e tem como principal contedo a comemorao da morte de Zumbi dos Palmares. A data de 20 de novembro, como referncia ao lder do quilombo, tem uma conotao simblica para a populao negra em contraponto viso oficial do 13 de maio de 1888.

    b) o feito da tomada de Palmares, em 1694, pelos exrcitos da Coroa, entendido como menos glorioso quando comparado expulso dos holandeses de Pernambuco, em 1654. Os dois eventos histricos no tm o mesmo apelo para a formao da sociedade brasileira na atualidade.

    c) o texto de Caetano de Melo e Castro indica que Palmares no gerou temor s estruturas coloniais da Capitania de Pernambuco. A comemorao oficial do Dia da Conscincia Negra uma inveno poltica do perodo recente.

    d) o Quilombo de Palmares representou uma ameaa aos poderes coloniais, j que muitos eram os rebeldes que se organizavam ou se aliavam ao quilombo. A data celebrada, na atualidade, como smbolo da resistncia pelos movimentos negros.

    6. (Fgv 2017) Leia o excerto de uma pea teatral, de 1973.

    Nassau

    Como Governador-Geral do Pernambuco, a minha maior preocupao fazer felizes os seus moradores. Mesmo porque eles so mais da metade da populao do Brasil, e esta regio, com a concentrao dos seus quase 350 engenhos de acar, domina a produo mundial de acar. Alm do mais, nessa disputa entre a Holanda, Portugal e Espanha, quero provar que a colonizao holandesa a mais benfica. Minha inteno faz-los felizes sejam portugueses, holandeses ou os da terra, ricos ou pobres, protestantes ou catlicos romanos e at mesmo judeus.

    Senhores, a Companhia das ndias Ocidentais, que financiou a campanha das Amricas, fecha agora o balano dos ltimos quinze anos com um saldo devedor aos seus acionistas da ordem de dezoito milhes de florins.

    Moradores

    Viva! J ganhou! (...) Viva ele! Viva!

    Chico Buarque de Holanda e Ruy Guerra. Calabar: o elogio da traio, 1976. Adaptado.

    Sobre o fato histrico ao qual a obra teatral faz referncia, correto afirmar que a) as bases religiosas da colonizao holandesa no

    nordeste brasileiro produziram uma organizao

  • http://historiaonline.com.br

    LISTA 01 PERODO PR-COLONIAL E COLONIAL

    PROF.RODOLFO

    administrativa que privilegiava a elite luso-brasileira, ao oferecer financiamento com juros subsidiados e parcelas importantes do poder poltico aos grandes proprietrios catlicos.

    b) a grande distncia entre as promessas de tolerncia religiosa e a realidade presente no cotidiano dos moradores da capitania de Pernambuco deu-se porque os dirigentes da companhia holandesa impuseram o calvinismo como religio oficial e perseguiram as demais religies.

    c) a presena da Companhia das ndias Ocidentais no nordeste da Amrica portuguesa trouxe benefcios aos proprietrios luso-brasileiros, como o financiamento da produo, mas reproduziu a lgica do colonialismo, ao concentrar a riqueza no setor mercantil e no no produtivo.

    d) a felicidade prometida pelos invasores holandeses no pde ser efetivada em funo da lgica diplomtica presente na relao entre Portugal e Holanda, pois se tratava de naes inimigas desde o sculo XV, em virtude da disputa pelo comrcio oriental.

    e) as promessas dos invasores holandeses se confirmaram, e a elite ligada produo aucareira e ao comrcio colonial foi amplamente beneficiada, principalmente pelo livre comrcio, o que explica a resistncia desses setores sociais ao interesse portugus em retomar a regio invadida pela Holanda.

    7. (Unesp 2017) A Inconfidncia Mineira (1789) e a Conjurao Baiana (1798) tiveram semelhanas e diferenas significativas. correto afirmar que a) as du