gravidez na adolescência e abortamento - portalde/artigos_cong/drneycostamortalidade.pdf ·...

Download Gravidez na Adolescência e Abortamento - portalde/artigos_cong/drneycostamortalidade.pdf · gravidez…

Post on 12-Nov-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Gravidez na Adolescncia e

    X- CONGRESSO NORTE-NORDESTE DE REPRODUO HUMANA

    XXVI- JORNADA PARAIBANA DE GINECOLOGIA E OBSTETRCIA - 2007

    Gravidez na Adolescncia e

    Abortamento

    Dr. Ney CostaDr. Ney Costa

  • GRAVIDEZ NO PLANEJADA NA ADOLESCNCIAGRAVIDEZ NO PLANEJADA NA ADOLESCNCIAFATORES DE VULNERABILIDADEFATORES DE VULNERABILIDADE

    Falta ou insuficincia de:Falta ou insuficincia de: Informao / acesso aos mtodos Informao / acesso aos mtodos

    anticoncepcionaisanticoncepcionais Educao / Educao SexualEducao / Educao Sexual

    Servios de sade amigveis para Servios de sade amigveis para Servios de sade amigveis para Servios de sade amigveis para adolescentes adolescentes

    Condies para transformar a Condies para transformar a informao em prticas preventivasinformao em prticas preventivas

    Projetos de vida alternativos Projetos de vida alternativos maternidadematernidade

  • 14

    4

    14

    2

    4

    45-8 anos

    9-11 anos

    Total

    Gravidez na adolescncia por anos de estudo

    Mulheres 15-19 anos

    6%

    18%

    18%

    29

    20

    14 4

    5

    5

    0 20 40

    0-3 anos

    4 anos

    5-8 anos

    J mes Grvidas do 1 filho

    %

    Fonte: BEMFAM, PNDS 1996

    18%

    25%

    34%

  • GRAVIDEZ NO PLANEJADA NA ADOLESCNCIAGRAVIDEZ NO PLANEJADA NA ADOLESCNCIAFATORES DE VULNERABILIDADEFATORES DE VULNERABILIDADE

    Desigualdades de gneroDesigualdades de gnero Responsabilidade sobre a preveno no Responsabilidade sobre a preveno no

    compartilhada com o parceirocompartilhada com o parceiroDependncia econmica / relacionamentos Dependncia econmica / relacionamentos Dependncia econmica / relacionamentos Dependncia econmica / relacionamentos com homens mais velhoscom homens mais velhos

    Pouco controle sobre as relaes sexuais Pouco controle sobre as relaes sexuais (uso das camisinhas, mtodos, prticas)(uso das camisinhas, mtodos, prticas)

    Violncia domstica e explorao sexualViolncia domstica e explorao sexual

  • IDADE MEDIANA NA PRIMEIRA IDADE MEDIANA NA PRIMEIRA RELAO SEXUALRELAO SEXUAL

    Homens _________ 15, 3 anosHomens _________ 15, 3 anos Homens _________ 15, 3 anosHomens _________ 15, 3 anos

    Mulheres ________ 16, 4 anosMulheres ________ 16, 4 anos

    Fonte:BEMFAM, PNDS, 1996

  • RESULTADOS DA GRAVIDEZ NO RESULTADOS DA GRAVIDEZ NO PLANEJADA NA ADOLESCNCIAPLANEJADA NA ADOLESCNCIA

    Riscos para a sade maternaRiscos para a sade materna decorrentes de:decorrentes de: Incio tardio ou no realizao do Incio tardio ou no realizao do prpr--natalnatal No seguimento das orientaes e No seguimento das orientaes e

    prescriesprescries Maior incidncia de Maior incidncia de hipertensohipertenso em primparasem primparas

    Parto obstrudoParto obstrudo, especialmente em , especialmente em Parto obstrudoParto obstrudo, especialmente em , especialmente em adolescentes com idade ginecolgica menor adolescentes com idade ginecolgica menor que 2 anosque 2 anos

    Conseqncias do Conseqncias do aborto inseguroaborto inseguro

    Riscos para a sade da criana:Riscos para a sade da criana: Prematuridade/ Baixo peso ao nascer/ Prematuridade/ Baixo peso ao nascer/ Mortalidade neonatalMortalidade neonatal

  • ABORTAMENTO INSEGURO NA ABORTAMENTO INSEGURO NA ADOLESCNCIAADOLESCNCIA

    Riscos para a sade: Riscos para a sade: Hemorragia Hemorragia pode levar a anemia aguda, pode levar a anemia aguda,

    choque echoque e mortemorte Infeco Infeco pode levar apode levar a Doena Doena Infeco Infeco pode levar apode levar a Doena Doena

    Inflamatria Plvica, peritonite, Inflamatria Plvica, peritonite, septicemia esepticemia e mortemorte

    Infeco genital alta Infeco genital alta pode levar a, pode levar a, gravidez ectpica, dor plvica crnica e gravidez ectpica, dor plvica crnica e infertilidadeinfertilidade tubriatubria

  • INTERNAES NO SUS POR ABORTAMENTO POR IDADEINTERNAES NO SUS POR ABORTAMENTO POR IDADEMULHERES 15MULHERES 15--49 ANOS, 200549 ANOS, 2005

    46.557

    73.074

    56.604

    35.81230-34

    25-29

    20-24

    15-19 19%

    30%

    23%

    14%35.812

    22.547

    10.583

    1.888

    0 40.000 80.000

    45-49

    40-44

    35-39

    30-34

    Porcentagem

    .

    14%

    9%

    4%

    1%

    Fonte: MS/SIH/SUS

  • INTERNAINTERNAES NO SUS POR ABORTAMENTO PORES NO SUS POR ABORTAMENTO PORREGIREGIESES

    MULHERES 15MULHERES 15--19 ANOS, 200519 ANOS, 2005

    46.55750.000

    38%

    5.754

    17.552 16.278

    3.662 3.311

    0

    25.000

    Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste

    .

    12%

    38% 35%

    8% 7%

    Fonte: MS/SIH/SUS

  • Porcentagem de curetagens e AMIU Porcentagem de curetagens e AMIU psps--aborto por grupo etrio, Brasil 2005aborto por grupo etrio, Brasil 2005

    19

    1

    2920 a 24

    15 a 19

    10 a 14

    Id

    1

    4

    9

    14

    22

    0 20 40

    45 a 49

    40 a 44

    35 a 39

    30 a 34

    25 a 29

    Porcentagem

    .

    dade

    Fonte: MS/SIH/SUS

  • RELATRIO DA REDE FEMINISTA DE SADE:RELATRIO DA REDE FEMINISTA DE SADE:

    ENTRE AS ADOLESCENTES DE 15ENTRE AS ADOLESCENTES DE 15--19 ANOS DE 19 ANOS DE

    IDADE:IDADE:

    -- 13% DOS BITOS OCORRERAM POR 13% DOS BITOS OCORRERAM POR CAUSAS CAUSAS

    MATERNASMATERNAS E, E,

    -- 16% DAS MORTES MATERNAS FORAM 16% DAS MORTES MATERNAS FORAM

    CONSEQNCIA DE CONSEQNCIA DE ABORTOABORTO

    Fonte: Relatrio Rede Feminista de Sade, 1995

  • PESQUISA REALIZADA PELA UNESCO EM PESQUISA REALIZADA PELA UNESCO EM ESCOLAS DE CAPITAIS BRASILEIRAS:ESCOLAS DE CAPITAIS BRASILEIRAS:ALGUNS MOTIVOS QUE AS ESTUDANTES ALGUNS MOTIVOS QUE AS ESTUDANTES

    RECORREM AO ABORTORECORREM AO ABORTO::

    -- FALTA DE ACEITAFALTA DE ACEITAO DA GRAVIDEZ PELA FAMLIA OU O DA GRAVIDEZ PELA FAMLIA OU MEDO DE COMUNICMEDO DE COMUNIC--LA;LA;MEDO DE COMUNICMEDO DE COMUNIC--LA;LA;-- DESEJO DE NO TER O FILHO; DESEJO DE NO TER O FILHO; -- IMPOSSIBILIDADE DE TER O FILHO POR IMPOSSIBILIDADE DE TER O FILHO POR QUESTQUESTES ES ECONECONMICAS.MICAS.

    Fonte: UNESCO, 2000 Juventudes e Sexualidade

  • RelevanteRelevante

    Muitas adolescentes chegam pela Muitas adolescentes chegam pela primeira vez ao sistema para primeira vez ao sistema para assistncia s complicaes do assistncia s complicaes do abortamentoabortamentoabortamentoabortamento

    Oportunidade para Oportunidade para prevenopreveno de novas de novas gestaes indesejadas: anticoncepo gestaes indesejadas: anticoncepo imediata e anticoncepo de imediata e anticoncepo de emergnciaemergncia

    Ainda: Ainda: prevenopreveno s DST/HIV e s DST/HIV e seguimento psseguimento ps--abortoaborto

  • SEQNCIA ENTRE OS SEQNCIA ENTRE OS EXTREMOS DE SADE E MORTE EXTREMOS DE SADE E MORTE

    DURANTE A GRAVIDEZDURANTE A GRAVIDEZ

    SEQNCIA ENTRE OS SEQNCIA ENTRE OS EXTREMOS DE SADE E MORTE EXTREMOS DE SADE E MORTE

    DURANTE A GRAVIDEZDURANTE A GRAVIDEZ

    AUSNCIA DE COMPLICAES

    Gravidez, Parto, Puerprio

    AUSNCIA DE COMPLICAES

    Gravidez, Parto, Puerprio

    COMPLICAOCOMPLICAO

    SADESADE

    J.A.J.A.J.A.J.A.

    COMPLICAO

    (Morbilidade)

    COMPLICAO

    (Morbilidade)

    COMPLICAO SEVERA

    (Morbilidade Severa)

    COMPLICAO SEVERA

    (Morbilidade Severa)

    COMPLICAES

    QUE AMEAAM A VIDA

    COMPLICAES

    QUE AMEAAM A VIDA

    RECUPERAORECUPERAO

    SOBREVIVNCIA

    Morbilidade Materna Extrema

    SOBREVIVNCIA

    Morbilidade Materna Extrema

    MORTEMORTE

  • Pesquisa IBOPE / Nova S/B Pesquisa IBOPE / Nova S/B ComunicaoComunicao

    1400 entrevistados por telefone1400 entrevistados por telefone 91% favor do PF91% favor do PF Entre os que tiveram filhos: 63% Entre os que tiveram filhos: 63% Entre os que tiveram filhos: 63% Entre os que tiveram filhos: 63%

    planejados, 28% no planejados, 9% planejados, 28% no planejados, 9% uns sim outros no.uns sim outros no.

    Entre 16 e 24Entre 16 e 24: 42% filhos no : 42% filhos no planejadosplanejados

  • Posio em relao ao AbortoPosio em relao ao Aborto

    Quando a vida da Quando a vida da mulher corre perigo:mulher corre perigo:59% a favor e 34% 59% a favor e 34% contracontra

    Feto com problema Feto com problema

    Quando o Quando o anticoncepcional anticoncepcional falha:falha: 11% a favor e 11% a favor e 86% contra86% contra

    Por falta de Por falta de Feto com problema Feto com problema grave:grave: 65% a favor e 65% a favor e 30% contra30% contra

    Gravidez por Gravidez por estupro:estupro: 49% a favor 49% a favor e 43% contrae 43% contra

    Por falta de Por falta de recursos recursos econmicos:econmicos: 14% a 14% a favor e 84% contrafavor e 84% contra

  • ConclusesConcluses

    Os nmeros apresentados, so suficientes Os nmeros apresentados, so suficientes para para urgentes aes preventivas e urgentes aes preventivas e regionalizadasregionalizadas para reduo da mortalidade para reduo da mortalidade materna e do aborto inseguro na materna e do aborto inseguro na adolescnciaadolescnciaadolescnciaadolescncia

    A reproduo um direito e um prazer A reproduo um direito e um prazer quando decidida livremente. quando decidida livremente.

    uma fonte de dor, estigma e intolerncia uma fonte de dor, estigma e intolerncia quando essa liberdade constrangida por quando essa liberdade constrangida por influncias religiosas, morais ou por influncias religiosas, morais ou por limitaes econmicaslimitaes econmicas

  • ConclusesConcluses

    necessrio ampliar/modificar criteriosamente necessrio ampliar/modificar crit