gravidez na adolescência gravidez e agora!

Download Gravidez na adolescência   Gravidez e agora!

Post on 22-Dec-2014

4.788 views

Category:

Education

22 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • 1. GRAVIDEZ NA ADOLESCNCIA Educao sexual 8ano escolaridade Prof. Teresa Condeixa AGRUPAMENTO CIDADE DE CASTELO BRANCO 2010 / 2011

2. Objectivos

  • Reflectir sobre o namoro na adolescncia.
  • Aceitar de forma positiva o corpo sexuado, o prazer e a afectividade.
  • Aumentar a capacidade de tomar decises e recusar comportamentos no desejados
  • Reflectir sobre a presso dos pares.
  • Entender as implicaes de um nascimento na vida dos adolescentes.
  • Conhecer mtodos preventivos em matria de sade sexual e reprodutiva.
  • Adquirir competncias responsveis sobre a contracepo.
  • Compreender a contracepo como responsabilidade masculina e feminina.
  • Entender as repercusses da interrupo da gravidez.

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA http://apf.pt/cms/files/conteudos/file/Anexos%20EDS/secundario(1).pdf Prof. Teresa Condeixa 3. GRAVIDEZ NA ADOLESCNCIA GRAVIDEZ E AGORA? Prof. Teresa Condeixa 4. Gravidez TEXTO 1

  • Tinha 17 anos quando fiquei grvida. Quando disse ao meu namorado, ele disse que o problema era meu e que eu o podia resolver. Fiquei muito chocada com a reaco dele e isso levou-me a acabar a nossa relao. Fiquei sozinha com o meu problema. Sabia que os meus pais nunca iriam aceitar a minha situao, porque so muito religiosos. Passei duas semanas horrveis, a imaginar-me com um filho, a aguentar esse encargo sozinha, e a ver-me aceitar o primeiro emprego que me aparecesse, ficando sempre muito limitada.
  • In Educao Sexual, S para jovens. Texto Editora

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 5. Gravidez TEXTO 1

  • Por outro lado, isso ia-me levar a abandonar o meu sonho de tirar um curso e constituir uma famlia normal.
  • Acabei por me aconselhar com uma amiga, cuja me conhecia uma senhora que fazia desmanchos. Tive que arranjar o dinheiro (o que foi muito complicado) para fazer o servio. Depois, foi muito penoso e muito difcil, no tanto fisicamente, mas porque me sentia muitoculpada pelo que estava a fazer. Fiquei muito baralhada e ainda hoje tenho dvidas sobre a atitude que tomei.
  • In Educao Sexual, S para jovens. Texto Editora

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 6. Gravidez TEXTO 2

  • Eu tinha 16 anos e andava no 9 ano quando engravidei. Fiquei muito contente e o meu namorado tambm. Resolvemos casar, mas a minha me no queria, embora acabasse por aceitar quando eu lhe disse que estava grvida. Ficmos a viver l em casa e, no princpio, tudo corria bem. Depois, nasceu o beb e comearam a surgir as complicaes. A minha me trabalha fora e eu quis retomar os estudos. O meu marido teve que se empregar e, por causa disso, no podia atender ao beb durante a noite.
  • In Educao Sexual, S para jovens. Texto Editora

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 7. Gravidez TEXTO 2

  • A mim, tambm me custavam as noites, porque o beb chorava muito e no outro dia era-me difcil concentrar nas aulas. Comecei a andar cansada, irritvel e a ter discusses com a minha me e o meu marido. Acabmos por nos mudar para casa dos meus sogros, porque a minha sogra disse que tomava conta do beb, porque estava em casa. Mas depois , comeou tambm a queixar-se que andava cansada, sofria da coluna e no podia com o beb que estava cada vez mais pesado. Depois, a minha sogra comeou a criticar-me e a fazer intrigas entre mim e o meu marido.
  • In Educao Sexual, S para jovens. Texto Editora

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 8. Gravidez TEXTO 2

  • O ambiente piorava cada vez mais at que nos separmos. Nessa altura, eu tive que abandonar os estudos. Aluguei um quarto e arranjei emprego num escritrio como recepcionista. Agora, enquanto trabalho, tenho que deixar o meu filho na ama, porque no quero estar sempre a ouvir queixas e sermes da minha famlia. Somando a renda do quarto com o que pago ama pouco me fica de sobra. Acho que nestes ltimos quatro anos a vida foi dura. Muitos dos meus sonhos ficaram para trs e no sei o que pensar do futuro
  • In Educao Sexual, S para jovens. Texto Editora

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 9. Gravidez TEXTO 3

  • Ando com a S. h um ano. Agora ela est grvida e quer abortar, mas eu no quero.
  • Acho que ela no pode fazer isso por vrias razes: primeiro, acho que ela no tem o direito de o fazer e, depois, eu tambm tenho direito a esse filho, que no s dela!.
  • Eu acho imoral e ilegal o que ela vai fazer. Ela diz que o faz porque pensa que a famlia dela nunca vai aceitar e porque a vinda de um filho nos ia obrigar a deixar os estudos. Ela da opinio que sem independncia econmica no se devem ter filhos.
  • In Educao Sexual, S para jovens. Texto Editora

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 10. Gravidez TEXTO 3

  • Mas eu estou disposto a ir trabalhar, seja no que for, s no aceito o que ela vai fazer. Penso que ela est a ser muito egosta. Se ela abortar, eu deixo de andar com ela. Acho indecente o que ela vai fazer.
  • In Educao Sexual, S para jovens. Texto Editora

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 11. Gravidez TEXTO 4

  • Tenho 21 anos e ando com a R. Ela tem 18 anos e est no 12 ano. Este ano, mais uma vez, no consegui entrar na Universidade e estou a trabalhar na loja do meu tio.
  • No outro dia, a R., disse-me que tinha um atraso de 15 dias e achava que estava grvida. Ela estava muito satisfeita, mas eu no achei graa nenhuma. Disse-lhe para ver bem, porque eu no quero chatices e muito menos um filho nesta altura da vida.
  • In Educao Sexual, S para jovens. Texto Editora

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 12. Gravidez TEXTO 4

  • Esta semana meti um vale ao meu tio para lhe pagar o aborto, mas a cabra no quer faz-lo. J lhe disse que no conte comigo para nada. Pago-lhe o aborto e ponto final, no se fala mais nisso! Se ela insistir em ter o filho, fica tudo por conta dela.
  • Eu at gostava dela, mas se quiser ter o filho, eu deixo-a, eu nem a conheo!
  • In Educao Sexual, S para jovens. Texto Editora

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 13. Na adolescncia

  • O corpo ainda no atingiu o seu completo desenvolvimento e maturidade.
  • A personalidade ainda est em formao, ainda no foi atingida a maturidade.
  • Os jovens ainda no esto autnomos em relao famlia.

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 14. O mundo da adolescente grvida

  • Famlias desestruturadas;
  • Famlias com problemas socioeconmicos;
  • Adolescentes com ausncia de educao sexual adequada;
  • Adolescentes em abandono escolar;
  • Reduzido nmero de amigos e uma baixa qualidade das relaes de amizade;
  • Adolescentes sem projecto de vida definido;

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 15. A adolescente grvida em termos psicolgicos / emocionais

  • Desequilbrio emocional, por um lado a crise da adolescncia por outro lado a gravidez/maternidade.
  • O medo, insegurana, o desespero e a desorientao so sentimentos experimentados pela adolescente.
  • A precariedade das relaes afectivas, nesta fase, no contribui para que se construa uma famlia. Muitos casamentos, motivados por uma gravidez precoce, rapidamente se desfazem.

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 16. A adolescente grvida em termos psicolgicos / emocionais

  • A famlia tem dificuldade em aceitar a gravidez, o que provoca descontrolo emocional e gera na jovem sentimentos de abandono.

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 17. A adolescente grvida em termos sociais

  • O nosso sistema de ensino no possui condies mnimas que permitam a frequncia/continuidade dos estudos a adolescentes grvidas ou com filhos.
  • Abandono escolar, com interrupo de uma eventual carreira acadmica ou profissional que lhes permite viver o futuro com melhores condies.
  • Sair com os amigos, passa a ser difcil.

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 18. A adolescente grvida em termos sociais

  • Ingressam demasiado cedo no mundo do trabalho, para fazer face a novas necessidades financeiras. Sem completar a sua formao escolar e profissional, sero, frequentemente, pessoas mal remuneradas e com empregos precrios, o que se reflectir na sua realizao como pessoas.

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 19. urgente

  • Intervir em diferentes contextos :
    • individual;
    • escolar;
    • familiar,
  • para que factores que tornam as jovens mais vulnerveis sejam reduzidos ao mnimo e o seu bem-estar possa ser elevado ao mximo.

GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 20. GRAVIDEZNA ADOLESCNCIA Prof. Teresa Condeixa 21. FIM Prof. Teresa Condeixa