dizcurso #17

Download dizCURSO #17

Post on 28-Mar-2016

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição do dizCURSO que saiu para as bancas no DEQ em Outubro de 2012!

TRANSCRIPT

  • //2 INCIO

    EDITORIAL Caros colegas, O ano letivo toma j o seu rumo: comearam as aulas, j passou a Festa das Latas; agora tempo da normali-dade. Como em todos os anos, soubemos acolher os novos alunos no departamento e na cidade. Aos novos alu-nos, deixo ainda uma palavra de boas-vindas ao espa-o DEQ e famlia DEQ. Esta a primeira edio do dizCURSO deste ano letivo. Aqui, ao longo deste ano, se contaro as histrias e os momentos que formos vivendo, sejam as atividades promovidas pelo NEDEQ/AAC, sejam os sentimentos que se vivem dadas as circunstncias da cidade e da Academia. Para alm de ser a primeira edio deste ano letivo, tambm a primeira edio a cargo de uma nova equi-pa do NEDEQ/AAC. Antes mesmo do dia 5 de Junho comearam os projetos e as aes. Tnhamos como tema (re)Age com o NEDEQ. O desafio no est apenas na nossa ao, mas tambm em fazer com que tu atues connosco. O nosso compro-misso agir ao longo deste ano nas questes pedag-gicas, das sadas profissionais e do apoio ao estudante. Crimos, para isso, o horrio de atendimento do NEDEQ/AAC: 2 feira das 10h s 17h e 5 feira das 14h s 17h. Visita-nos no piso 1 do DEQ e expe os teus problemas e desabafos. Periodicamente este tambm um contato entre o NEDEQ/AAC e tu. Por esta via chegar-te-o informa-es do DEQ, do universo da academia e do que se passa em Coimbra. O que desejamos para este ano , antes de mais, suces-so acadmico, mas tambm que te envolvas connosco e que participes nas atividades programadas para ti. Saudaes Acadmicas,

    Daniel Marcos (Presidente da Direco do NEDEQ/AAC)

    NDICE

    > DEPARTAMENTO pginas 3, 4 e 9.

    > FACULDADE pginas 6 a 8.

    > NCLEO pginas 5,10 e 11.

    > ACADEMIA pgina 12.

    > HUMOR E PASSATEMPOS pgina 13

    dizCURSO nmero 17 outubro de 2012

  • DEPARTAMENTO //3 dizCURSO nmero 17 outubro de 2012

    Receo aos caloiros

    Motivadora, Inesquecvel, Fantstica, Brutal, Espantosa, Boa, Fixe, Espetacular. Foram estas as palavras usadas por alguns dos nossos caloiros para descrever a Semana de Receo ao Caloiro.

    A preparao desta semana comeou com alguma antecedncia para que na chegada dos nossos novos colegas todas as visitas, convvios, praxes, estivessem altura das suas expetativas. Um dos principais objetivos era que os caloiros se sentissem bem acolhidos por todos os membros do DEQ, que se revelou ser sido um objetivo bem conseguido. Foi bastante divertido e fomos bem acolhidos por todos os membros do DEQ, Nunca pensei que fossemos ter uma receo to boa e que as praxes fossem to divertidas, foram algumas das expresses utilizadas.

    Do programa de atividades elaborado obtivemos opinies diversificadas, sendo que as mais enunciadas foram a visita Alta, as febradas, o Mega Convvio do Polo II, bem como a informao fornecida do programa do MIEQ.

    Passada esta semana cheia de emoes, os caloiros deram incio a um dos percursos mais marcantes das suas vidas.

    Joana Meneses

    O primeiro dia chegou cheio de nervosismo, timidez e medo. Ao chegarmos ao DEQ, deparmo-nos com dezenas de pessoas de capa e batina que nos diziam para nos encostarmos parede, e ns, caloi-rinhos que somos, ficmos aterrorizados! No entanto, ao longo da primeira semana fomos perceben-do que as praxes eram os momentos mais divertidos do dia e que no serviam para nada mais nada menos que nos integrar com os restantes caloiros e doutores. Aprendemos que os doutores so nossos amigos mas, h alturas em que temos que os respeitar. Logo, a partir dessa primeira semana foram-se criando laos entre as pessoas, comearam as brincadeiras, as piadas, os conselhos dos mais velhos para os mais novos E eu, como caloira que sou, fascinei-me por toda essa hospitalidade e simpatia. Chegados latada estava toda a gente em xtase, eram as madrinhas e os padrinhos preocupados com o cortejo e os caloiros sem se preocuparem com nada. E quando o derradeiro dia chegou, tenho a certeza que no podia ter corrido melhor! Tirando o frio, sei que vou olhar para o passado e relembrar esse dia como um dos mais importantes na minha vida universitria, vou relembrar as 15 penicadas que levei no batismo e a quantidade enor-me de nabos que trinquei. Tudo isso com felicidade e saudade dos tempos que estou a viver agora. Olhando para trs penso que no podia ter escolhido melhor curso, tanto pelo curso em si como pelas pessoas que fazem par-te do nosso departamento, e no me arrependo de no ter concorrido na 2 fase para outro curso! Obrigada DEQ

    Joana Lima

    O que achaste da Receo ao Caloiro feita no DEQ?

    A primeira semana como caloiro passou a correr, talvez porque a ansiedade era muita, especialmente porque comeamos uma nova etapa, totalmente diferente. Ainda assim, a semana foi tima e as pessoas so todas acolhedoras, tanto que nos sentimos logo inte-grados. H que destacar o Mega Convvio, que nos ajudou a conhecer toda a gente. Se tivesse de a descrever numa palavra, talvez entusiasmante!

    Rafael Torres

  • //4 DEPARTAMENTO dizCURSO nmero 17 outubro de 2012

    Parei aqui "s cegas". Era a minha 5 opo e no conhecia ningum do curso. Estava um bocado assustada com o que ia acontecer pois, sempre ouvi relatos de caloiros serem "mal tratados" durante a praxe e, no co-nhecendo ningum, senti-me inse-gura. A receo superou as minhas expetativas. Todos se preocuparam em ajudar e em receber-nos da me-lhor forma. Rapidamente houve uma proximidade, tanto en-tre doutores e caloiros como entre os prprios caloiros. Sem-pre que precismos de algo, havia sempre algum disposto a ajudar. Em relao ao curso, inicialmente queria mudar ou ficava c um ano e depois pedia transferncia mas, bastou-me uma semana para mudar completamente de ideias. Coimbra uma cidade fantstica, tem um esprito acadmico intocvel e qualquer pessoa se apaixona por isso. A faculdade e o DEQ esto muito acima daquilo que eu pensava, o que tambm ajudou deciso de me manter por c. Acho que mesmo que quisesse j no conseguia sair daqui. Acho que importante a relao que se criou entre doutores e caloiros, pois se precisarmos de alguma coisa seremos mais facilmente ajudados por algum que j c esteja, que por uma pessoa que esteja na mesma situao que ns. Tambm ajuda a tornar momentos como a Latada e a praxe ainda mais especiais, levando a uma boa receo aos caloiros do prximo ano, visto que ns fomos muito bem tratados.

    Priscila Martins

    Sinceramente esperava que fosse muito pior. Mas foi bastante diverti-do e fomos muito bem acolhidos por todos os membros do DEQ. Foi uma semana bem organizada, com atividades diversas, tanto para conhecer o programa do MIEQ co-mo tambm as atividades que nos ajudaram a estabelecer relaes com todos os caloiros. Para mim os pontos altos dessa semana foram a visita Alta, as febradas e o Mega Convvio do Plo II. Numa palavra essa semana foi: Motivadora/Fantabulstica.

    Alexandra Pinho

    Esperava que as praxes fossem muito duras. Nunca pensei que fossemos ter uma receo to boa e que as praxes fossem to diverti-das. Foi uma semana incrvel, onde nos conhecemos todos e que irei recor-dar para o resto da minha vida. Para mim um dos pontos altos des-

    sa semana foi a praxe noturna com o jantar dos Pijamas. Numa palavra essa semana foi: Inesquecvel.

    Cladia Grilo

    Entrei em Coimbra como segunda opo. Quando fui colocado fiquei triste por no ter entrado em Lisboa e por ir sozinho para Coimbra, sem conhecer ningum do curso. Assim que cheguei ao DEQ na semana de receo ao caloiro, fomos todos introduzidos praxe pelos doutores, encostaram-nos parede do DEQ e mandaram-nos apresentar. Depois disto, deram-nos a conhecer o departamento. A semana de receo ao caloiro no DEQ foi espetacular, os doutores acompanharam-nos para todo o lado, levaram-nos a conhecer o polo I e a alguns pontos de interesse em Coimbra. Na minha opinio, graas a praxe, os caloiros ficaram a conhecer-se uns aos outros com mais facilidade. Pessoalmente no achava piada a praxe, pois achava que o nico objetivo era humilhar-nos, mas logo no primeiro dia percebi que estava completamente enganado, pois muitas das praxes eram hilariantes e o princi-

    pal objetivo era o de nos dar a conhecer uns aos outros. At ao final da latada houve jantares e eventos organizados pelo DEQ com o propsito de nos receber e integrar, por isso s posso agradecer ao ncleo e ao DEQ por nos terem recebido to bem.

    Joo Maria

  • NCLEO/ACADEMIA //5 dizCURSO nmero 17 outubro de 2012

    Balano da Latada Entre os dias 11 e 17 de Outubro decorreu mais uma edio da Festa das Latas. O evento iniciou-se com a tradicional serenata que teve lugar s portas da S Nova. Relativamente aos concertos, a primeira noite do parque foi marcada pelo j habitual Sa-rau Acadmico. Nos restantes dias, passaram pelo palco da Praa da Cano nomes como Scissor Sisters, Blasted Mechanism, Rui Veloso e Os Azeitonas que animaram centenas de estudantes. A par com a Direo Geral da Associao Acadmica de Co-imbra (DG/AAC), os ncleos de estudantes tiveram uma participao ativa neste evento, atravs das barracas. A barraca do NEDEQ/AAC, cuja bebida foi Jeropiga, teve o tema JeroPIG e usou como imagem um porco. De forma a exprimir as proble-mticas atuais que preocupam os estudantes, estiveram representadas atravs da decorao da barraca questes relacionadas com ao social direta (bolsa de estudo), regulamento de prescries e desemprego jovem.

    Como manda a tradio, na tera-feira de latada decorreu o cortejo pelas ruas de Coimbra, trazendo o convvio e a stira soci-al. A abertura do cortejo ficou marcada pela ao simblica levada a cabo pela DG/AAC na qual os dirigentes associativos transportavam uma mala de viagem, representando os estudantes que se vem obrigados a abandonar o ensino superior por carncia econmica e, por outro lado, a emigrao dos portugueses licenciados procura de emprego. Importa referir tambm que