corpo, fenômeno e manifestação: performance

Download Corpo, Fenômeno e Manifestação: Performance

If you can't read please download the document

Post on 10-Jan-2017

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

INSTITUTO DE ARTES

PROGRAMA DE PS-GRADUAO EM ARTES VISUAIS

MESTRADO EM ARTES VISUAIS

POTICAS VISUAIS

Luciana Paludo

Corpo,

fenmeno e manifestao:

perfomance

Porto Alegre

2006

1

Luciana Paludo

Corpo,

fenmeno e manifestao:

performance

Dissertao de Mestrado apresentada ao Programa de Ps Graduao em Artes Visuais do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como requisito parcial para obteno do grau de Mestre em Artes Visuais, com rea de Concentrao em Poticas Visuais.

Orientadora: Prof. Dr.: Romanita Disconzi

Porto Alegre

2006

2

A Comisso Examinadora abaixo assinada, avaliou a Dissertao apresentada ao Programa de Ps Gradua o em

Artes Visuais do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Corpo,

fenmeno e manifestao:

performance

Elaborada por

Luciana Paludo

Como requisito parcial para obteno do grau de Mes tre em Artes Visuais, com rea de Concentrao em Poticas Visua is.

Orientadora: Prof. Dr.: Romanita Disconzi

Comisso Examinadora

Prof Dr: Maria Carolina dos Santos Rocha ________ /Dpt. Filosofia UFRGS.

Prof Dr: Maristela Salvatori ____________________ ____________/ UFRGS.

Prof Dr: Sandra Rey _____________________________ _________/ UFRGS.

Porto Alegre , 1 de junho de 2006.

3

PARA:

Minha querida famlia, que, ao longo desses anos, ajudei a constituir: Larcio, Leonardo, Carolina e Gabriela, por tornarem possvel a compreenso de conceitos como afeto, alteridade, resignao; amor. Aos meus pais, por sempre terem acreditado na arte como forma de viver, obrigado.

4

AGRADECIMENTOS

- A minha orientadora, pela generosidade da acolhida a esta pesquisa e incentivo constante. - Aos membros da banca, pelo interesse que demonstraram por minha pesquisa, ao aceitarem o convite para esta interlocuo. - Para a professora Mnica Zielinsnky, pelo carinho e amizade. - Aos queridos amigos artistas, colegas da inesquecvel turma 12, pelas longas horas coletivas de reflexo, criao, diverso e arte. - Minhas amigas Ktia, Paula, Amlia e Daggi, pela disponibilidade. - Meus alunos, pela pacincia de me esperar terminar este Mestrado, para que pudesse lhes dar mais ateno. - Ao CAPES, o qual tornou possvel, no ltimo ano deste Mestrado, uma dedicao maior a esta pesquisa. - Aos artistas que trabalharam em colaborao em algumas performances.

5

Movimento, tato, viso aplicam-se, a partir de ento, ao

outro e a eles prprios, remontam fonte e, no trabalho

paciente e silencioso do desejo, comea o paradoxo da

expresso.

Ora, essa carne que se v e se toca no toda a carne, nem

essa corporeidade macia, todo o corpo. A reversibilidade que

define a carne existe em outros campos, mesmo

incomparavelmente mais gil, e capaz de estabelecer entre os

corpos relaes que desta vez, alm de alargarem, iro

definitivamente ultrapassar o campo do visvel. (...) Esta nova

reversibilidade e a emergncia da carne como expresso

constituem o ponto de interseco do falar e do pensar no

mundo do silncio.

Maurice Merleau-Ponty, em O Visvel e o Invisvel; p. 140.

6

RESUMO

Corpo, Fenmeno e Manifestao: Performance uma pesquisa em Poticas Visuais onde convergem questes de um processo artstico de performance, respaldado por uma prtica intensa na dana, experimentaes, apresentaes, leituras filosficas e reflexes. Dessa confluncia de fatores originou-se a produo textual que investiga e traz tona as questes do corpo enquanto fenmeno e manifestao na arte da performance.

As performances feitas, no decorrer do processo de pesquisa, bem como a observao de performances de outros artistas e estudos sobre teorias da arte, propiciaram o embasamento para a escrita. Puderam ser observados procedimentos operatrios similares, que me levaram a diferentes configuraes, em distintas circunstncias. Por exemplo, a toda performance apresentada foi fundamental o trabalho perceptivo corporal envolvendo todas as articulaes de meu corpo, bem como sua musculatura; nesse sentido podia me assegurar que um ser sensvel e responsivo surgisse para a atuao, que estivesse ali o ser -, em pleno domnio de seu estado de presena. A tal procedimento deu-se o nome de corpo percepcionado.

A preparao do ambiente, onde a ao performtica seria realizada, isto , o ambiente que receberia o meu corpo, tambm passou a fazer parte de um regramento para atuar. A esse procedimento chamei espao preparado. Ao espao preparado se trouxe a luz, elemento que passou a gerar influncia sobre minha potica e sobre a esttica que se fazia surgir. O corpo vivo, na performance, elemento plstico; sua presena interfere no espao.

Percebi que a luz intensificava o lugar do espao e o lugar do corpo que se pretendia em evidncia; era um desencadeador perceptivo. Uma via dupla se estabelecia, entre a ao do corpo e o olho do receptor, atravs dos recortes de luz no espao e no corpo, durante as aes realizadas. O corpo, no que lhe cabia, operava o procedimento de reunir as informaes colhidas e os elementos trazidos, a cada performance realizada. Nessa questo se estabeleceu a proposta de uma dialtica entre corpo e espao; enquanto isso, no corpo, snteses se pronunciavam e determinavam a configurao apresentada.

Cheguei concluso que justamente assim em plena percepo de suas possibilidades de ao sensorial e motora, e na preparao e apropriao do ambiente imediato que o circunda - que meu corpo, em sua temporalidade, assume o espao e, juntamente com suas memrias e grande parcela de intencionalidade configura uma aparncia. Mais do que na aparncia, centra-se o objeto do presente estudo na questo do fenmeno; do que permite o corpo fenomenal engendrar uma manifestao.

Palavras-chave: percepo, corpo, espao, ao, configurao, performance.

7

ABSTRACT

Body, Phenomenon and Manifestation: performance is a research in Visual Poetics in which questions of an artistic process of performance converge, supported by an intense practice in dance, experimentations, presentations, philosophical readings and reflections. From this confluence of factors it was originated this textual production that investigates and raises questions about the body as phenomenon and manifestation in performance art.

The performances done during the research process, as well as observation of other artists performances and studies of art theory, were the ground in which the text was based upon. Those activities made possible the observation of similar operative procedures, which have guided me to different configurations, at different circumstances. By instance, in each performance that was presented, it was essential the perceptive effort of the body involving all the articulations of my body, as well as its muscles; thus it was possible to assure that a sensitive and responsive being would emerge to the action. This procedure was called perceptional body.

The preparation of the place where the performance would take place also began to be part of a regiment to act. This procedure was called prepared space. To the prepared space light was brought and light generated shadows; both elements have determined influence over my poetics and the aesthetics that was taking place. I perceived that the living body, in performance, is a plastic element; its presence interferes in space. Light and shadow intensify the place of space and the place of the body that is intended to be evident; they are perception unleashing elements. A double way is established, between the bodys action and the receptor eye. The body operates the procedure of bringing together the collected information and the brought elements, at each performance. On this matter, it was established the proposition of a dialectics among body, light and space. The body, prime material of constitution of a performance, is an element which generates synthesis; it perceives the other elements in the surrounding and determinates the configuration to be presented.

Practical and theoretical investigation have lead me to the conclusion that, precisely at the full perception of its sensorial and motor action, and at the preparation and appropriation of the immediate surroundings that the body, in its temporality takes charge of space, and, along with its memories and a great amount of intention figures an appearance. More than the appearance, the object of the present study is the phenomenon; of what allows the phenomenal body to engender a manifestation.

Key-words: perception, body, space, action, configuration, performance

8

SUMRIO

RESUMO ................................................................................................................ 6

ABSTRACT .......................................... ................................................................. 7

INTRODUO ...................................................................................................... 11

Primeira Parte: Performance Corpo e Histria: Contextos .................... ...... 19

1 PARA REFLETIR SOBRE A PERFORMANCE E O