constituição de rondonia

Download Constituição de Rondonia

Post on 06-Feb-2016

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A Constituição do Estado de Rondônia estabelece as ações e as funções dos setores público e privado do estado. Com relação ao Poder Judiciário, assinale a opção correta, tendo como base a Constituição do Estado de Rondônia.A.Se o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia declarar que uma lei estadual é inconstitucional, a execução dessa lei estará automaticamente suspensa.B.Caso um deputado estadual de Rondônia cometa crime comum e crime de responsabilidade, ele será processado e julgado, por ambos os crimes, pelo Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia.C.Os juízes de paz integram a administração da justiça e suas atividades têm caráter jurisdicional.

TRANSCRIPT

  • Assemblia Legislativa Estado de Rondnia

    Secretaria Legislativa Diviso de Publicaes e Anais

    CONSTITUIO DO ESTADO DE RONDNIA

    TEXTO ATUALIZADO AT A EMENDA CONSTITUCIONAL N 80/2012

    PREMBULO

    Os Deputados Constituintes do Estado de Rondnia, afirmando o propsito de assegurar os princpios de liberdade e justia, de favorecer o progresso scio-econmico e cultural, estabelecer o exerccio dos direitos sociais e individuais, o imprio da lei, com fundamento nas tradies nacionais, estimulando os ideais de liberdade, de segurana, bem-estar, igualdade e fraternidade, como valores supremos de uma sociedade pluralista e sem preconceitos, promulgam, sob a proteo de Deus, a seguinte CONSTITUIO DO ESTADO DE RONDNIA.

    Ttulo I Da Organizao do Estado

    Captulo I Disposies Preliminares

    Art. 1. O Estado de Rondnia, parte integrante e autnoma da Repblica Federativa do Brasil, reger-se- por esta Constituio e pelas leis que adotar, observados os princpios estabelecidos pela Constituio Federal. Pargrafo nico. Todo o poder emana do povo, que o exerce diretamente ou por meio de representantes eleitos, nos termos da Constituio Federal e desta Constituio. Art. 2. So smbolos do Estado a bandeira, o hino e o braso, em uso na data da promulgao desta Constituio e outros que a lei venha a estabelecer. Art. 3. O territrio do Estado de Rondnia tem como limites os estabelecidos pela lei. Art. 4. A Capital do Estado a cidade de Porto Velho. Art. 5. Incluem-se entre os bens do Estado: I - os que a ele pertenciam na data da promulgao desta Constituio; II - no seu territrio, as guas superficiais ou subterrneas fluentes, emergentes e em depsito, ressalvadas, neste caso, na forma da lei, as decorrentes de obra da Unio; III - as ilhas fluviais e lacustres localizadas em seu territrio e que no se situem na zona limtrofe com outro pas e no pertencentes Unio; IV - as terras devolutas, no pertencentes Unio; V - outros bens e direitos que venha a incorporar ou adquirir, a qualquer ttulo. Pargrafo nico. Os bens do Estado no podem ser objeto de doao, venda, aforamento ou cesso de uso, seno em virtude da lei que disciplinar o seu procedimento. Art. 6. O Estado divide-se poltica e administrativamente em Municpios, autnomos nos limites constitucionais. 1. Podero ser institudas, mediante lei complementar, regies metropolitanas, aglomeraes urbanas e microrregies, constitudas por agrupamentos de Municpios limtrofes, para integrar a organizao, o planejamento e a execuo de funes pblicas de interesse comum. 2. Ser institudo, mediante lei complementar, zoneamento scio-econmico e ecolgico. 3. Podero ser criadas estncias tursticas, hidrominerais e climticas em municpios do Estado, mediante lei complementar que estabelea as condies e os requisitos mnimos a serem observados para esse fim, em consonncia com a manifestao dos rgos tcnicos do Estado. (Acrescido pela EC n 34, de 12/09/2003 D.O.E n 5327, de 06/10/2003)

  • 2

    4. O Estado manter, na forma que a lei estabelecer, um fundo de melhorias das estncias, com o objetivo de desenvolver programas de urbanizao, melhorias e preservao do meio ambiente das estncias de qualquer natureza. (Acrescido pela EC n 34, de 12/09/2003 D.O.E n 5327, de 06/10/2003) 5. O fundo de melhoria das estncias, que ser criado por lei, ter dotao oramentria anual nunca inferior a 10% (dez por cento) da totalidade da arrecadao dos impostos municipais dessas estncias, no exerccio anterior, devendo a lei fixar critrios para a transferncia e a aplicao desses recursos. (Acrescido pela EC n 34, de 12/09/2003 D.O.E n 5327, de 06/10/2003) Art. 7. So Poderes do Estado, independentes e harmnicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judicirio. Pargrafo nico. Salvo as excees previstas nesta Constituio, vedado a qualquer dos Poderes delegar atribuies, no podendo, quem for investido em cargo de um deles, exercer o de outro.

    Captulo II Da Competncia do Estado

    Art. 8. Ao Estado compete exercer, em seu territrio, todos os poderes que, implcita ou explicitamente, no lhe sejam vedados pela Constituio Federal, especialmente: I - zelar pela guarda da Constituio, das leis e das instituies democrticas e conservar o patrimnio pblico; II - legislar sobre: a) o cumprimento desta Constituio; b) a criao, organizao e administrao dos seus servios; c) os assuntos que no estejam constitucionalmente atribudos a outra esfera de poder; III - organizar seus poderes e administrao; IV - instituir e arrecadar os tributos de sua competncia, bem como aplicar suas rendas e prestar contas; V - organizar e prestar os servios pblicos estaduais; VI - firmar acordos e convnios com a Unio, os Municpios, os demais Estados e entidades, para fins de cooperao intergovernamental, execuo de leis, servios, decises, assistncia tcnica ou aplicao de recursos; VII - estabelecer e executar planos regionais de desenvolvimento; VIII - promover o bem estar social; IX - estimular e organizar atividade econmica; X - planejar a economia estadual; XI - difundir o ensino; XII - cuidar da sade pblica, assistncia social e proteo das pessoas portadoras de deficincia; XIII - proteger documentos, obras e outros bens de valor histrico, artstico e cultural, monumentos, paisagens naturais notveis e stios arqueolgicos; XIV - coibir a evaso, destruio e a descaracterizao de obras-de-arte e de outros bens de valor histrico ou cultural; XV - proteger o meio ambiente e combater a poluio em qualquer de suas formas; XVI - preservar as florestas, a fauna, a flora e a bacia hidrogrfica da regio; XVII - fomentar o abastecimento e a produo agro-silvi-pastoril, atravs de pesquisa, assistncia tcnica e extenso rural; XVIII - promover os programas de construo de moradias e melhoria das condies habitacionais e de saneamento bsico, tanto no meio urbano quanto na zona rural, diretamente ou em convnio com as Prefeituras; XIX - promover a integrao social dos setores desfavorecidos, identificando-os e combatendo as causas da pobreza e os fatores da marginalizao; XX - registrar, acompanhar e fiscalizar as concesses de direito de pesquisa e explorao de recursos hdricos e minerais em seu territrio; XXI - estabelecer e implantar poltica de educao para a segurana do trnsito e ecologia nas escolas de ensino fundamental e medio; XXII - estabelecer poltica de orientao ao planejamento familiar. Art. 9. Compete, ainda, ao Estado legislar, de forma concorrente, respeitadas as normas gerais da Unio, sobre: I - direito tributrio, financeiro, penitencirio, econmico e urbanstico; II - oramento; III - custas dos servios forenses; IV - produo e consumo; V - juntas comerciais; VI - florestas, caa, pesca, fauna e conservao da natureza, defesa do solo e dos recursos naturais, proteo ao meio ambiente e controle da poluio; VII - proteo ao patrimnio histrico, cultural, artstico, turstico e paisagstico; VIII - responsabilidade por dano ao meio ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artstico, esttico, histrico, turstico, paisagstico e cultural; IX - educao, cultura, ensino, desporto e lazer;

  • 3

    X - criao, funcionamento e processo do juizado de pequenas causas; XI - previdncia social, proteo e defesa da sade; XII - assistncia jurdica e defensoria pblica; XIII - proteo e integrao social das pessoas portadoras de deficincia; XIV - proteo criana, ao jovem e ao idoso; XV - organizao, garantias, direitos e deveres da Polcia Civil; XVI - organizao, efetivos, garantias, direitos e deveres da Polcia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar. (NR dada pela EC n 06, de 22/04/1996 D.O.E. n 3498, de 29/04/1996)

    Redao original: XVI - organizao, efetivos, garantias, direitos e deveres da Polcia Militar. Pargrafo nico - Inexistindo lei federal sobre normas gerais, a competncia do Estado plena para atender as suas peculiaridades. Art. 10. Ao Estado vedado: I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencion-los, embaraar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relaes de dependncia ou aliana, ressalvada, na forma da lei, a colaborao de interesse pblico; II - recusar f aos documentos pblicos; III - criar distines entre brasileiros. IV - interromper obras iniciadas em gesto anterior. (Acrescido pela EC n 21, de 03/07/2001 D.O.E. n 4807, de 23/08/2001)

    Captulo III Da Administrao Pblica

    Seo I Disposies Preliminares

    Art. 11. A administrao pblica direta, indireta ou fundacional de qualquer dos Poderes do Estado obedecer aos princpios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e ao disposto no art. 37 da Constituio Federal e nesta Constituio. 1. O servidor pblico estadual, quando em exerccio de mandato eletivo, receber o tratamento previsto no art. 38 da Constituio Federal. (Renumerado pela EC n 21, de 03/07/2001 - D.O.E. n 4807, de 23/08/2001) 2. No pagamento das obrigaes relativas ao fornecimento de bens, locaes, realizao de obras e prestao de servios, inclusive de servidores e empregados pblicos, a Administrao Pblica dever obedecer estrita ordem cronolgica das datas de suas exigibilidades. (Acrescido pela EC n 21, de 03/07//2001 - D.O.E. n 4807, de 23/08/2001) I - a ordem cronolgica somente poder ser desobedecida ocorrendo relevantes razes de interesse pblico e mediante prvia autorizao legislativa. (Acrescido pela EC n 21, de 03/07//2001 - D.O.E. n 4807, de 23/08/2001) 3. O disposto no 2 e inciso I, aplicam-se aos rgos da administrao direta, indireta e fundacional de qualquer dos Poderes do Estado, inclusive s empresas pblicas e s de economia mista em cujo quadro de acionistas o Estado de Rondnia tenha maioria das aes. (Acrescido pela EC n 21, de 03/07/2001 - D.O.E. n 4807, de 23/08/2001) 4. Com exceo de servidor efetivo e de agente poltico, vedada a nomeao de cnjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade

Recommended

View more >