como reconhecer pegadas de animais

Download como reconhecer pegadas de animais

If you can't read please download the document

Post on 11-Jun-2015

11.011 views

Category:

Documents

17 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Livro 3: Srie Boas Prticas PEGADASOswaldo Carvalho Jr Nelton Cavalcante Luz

3

CRDITOS Textos Oswaldo Carvalho Jr Nelton Cavalcante Luz Equipe do Projeto Cincia e Comunicao na Amaznia - CIECz Maria Ataide Malcher - FACOM/UFPA Oriana Almeida - NAEA/UFPA Jane Marques - EACH/USP dson Leite - EACH/USP Marly Camargo Vidal Luciane Ribeiro do Vale Elissandra Batista Helaine Cavalcante Jacklene Carrra Leandro R. N. de Paula Autoria Grfica Rose Pepe Reviso Marly Camargo Vidal Jos Henrique Manhes Tiragem 3.000 exemplares

FICHA CATALOGRFICA Pegadas: Srie Boas Prticas, v.3/ Carvalho Jr, Oswaldo; Luz, Nelton Cavalcante. Belm-PA: EDUFPA, 2008. 64p.;il. ISBN: 978-85-247-0473-4 1. Animais. 2. Pegadas. 3. Identificao. 4. Desenvolvimento socioeconmico. 5. Conservao da natureza. 6. Amaznia. 7. Boas prticas.

4

SUMRIO 05 06 06 07 07 11 13 15 17 19 21 23 25 27 29 31 33 35 37 39 41 43 45 47 49 51 53 55 57 59 61 63 64 64 Apresentao Introduo Os animais e a floresta Biodiversidade - os mamferos Observando os animais Identificando as pegadas dos animais Tatu-peba Tatu-galinha Tatu-canastra Tamandu-mirim Tamandu-bandeira Macaco-prego Lobinho Lobo-guar Cachorro-vinagre Gato-mourisco Jaguatirica Ona-parda Ona-pintada Mo-pelada Quati Irara Ariranha Anta Queixada Caititu Veado-mateiro Veado-catingueiro Cutia Paca Capivara Ourio Como elaborar a lista dos animais da sua propriedade Referncias bibliogrficas

5

Agradecimentos A realizao dessa obra contou com a ajuda de diversas pessoas. Algumas trabalharam de formas mais intensa, outras menos, mas todos os envolvidos foram de grande importncia. Mais especificamente, eu gostaria de agradecer aos financiadores e a Daniel Nepstad pelo incentivo e idias na concepo e construo da Srie Boas Prticas. A todos os colegas que gentilmente cederam suas fotos, com destaque para Joares May e Patricia Medici que se empenharam intensamente na procura e seleo das melhores fotos. Gina Cardinot, Claudia Stickler, Maristela Becker, Lucimar Souza, Leandro R. N. de Paula e Marly Camargo Vidal, pela reviso e comentrios sobre o texto. equipe do projeto Cincia e Comunicao na Amaznia - CIECz, especialmente a professora Maria Ataide Malcher e Rose Pepe, responsveis por toda a produo artstica. A todos, nosso muito obrigado.

6

APRESENTAO

ara a grande maioria dos proprietrios de terras na Amaznia, a floresta vista como um obstculo a ser eliminado em busca da produtividade. Surpreendentemente, poucos proprietrios de grandes latifndios se aventuram a entrar em suas florestas durante o estgio de desenvolvimento e muitos no conseguem perceber a ligao entre o que a cincia e os meios de comunicao declaram ser de extrema importncia ecolgica em sua prpria terra. Essa situao deve-se ausncia de material que descreva, para os produtores, a vida selvagem presente em suas propriedades, assim como o habitat que controlado por ele. Alm de providenciar um meio efetivo para monitorar os nmeros e tendncias da vida selvagem nas propriedades do CCS, o manual, ora proposto, serve como um catalisador que ajudar a instruir no apenas proprietrios, mas tambm funcionrios. No posso pensar em um modo melhor para provocar nas pessoas um interesse pela natureza que no seja atravs de seus hbitos e de suas pegadas, marcas vivas deixadas no ambiente. comum as pessoas olharem para o cho e ignorarem as marcas que elas vem, devido principalmente falta de conhecimentos tcnicos para sua identificao. Entretanto, apresentandose uma ferramenta til que ilustre no apenas as pegadas, mas os hbitos do animal que as deixou, despertar interesse e, mais provavelmente, apresentar aos proprietrios um desafio e subseqente paixo que estes nunca pensaram ser possvel. Abrindo-se estas portas, um novo aliado da natureza ter sido conquistado, um feito especial, visto que este aliado tem o poder de decidir o futuro do habitat dos animais que fizeram aquelas pegadas. Obrigado aos autores por nos proporcionar meios para explorar nossas florestas!

P

John Cain Carter Fazenda Esperana Xingu - Mato Grosso

7

INTRODUOvaliar os impactos das diferentes formas de uso da terra sobre a biodiversidade fundamental para entendermos e desenvolvermos as melhores formas de utilizao dos recursos naturais, conciliando assim o desenvolvimento socioeconmico com a conservao da natureza. Alguns grupos de animais podem ser usados como indicadores da qualidade ambiental, uma vez que caractersticas como presena/ausncia, abundncia e sucesso reprodutivo de algumas espcies podem indicar a sustentabilidade ambiental da propriedade. Assim, o objetivo dessa cartilha colaborar com os produtores rurais na elaborao de uma lista de alguns animais que vivem em suas propriedades e dessa forma monitorar a qualidade ambiental de suas atividades na propriedade. Com o crescente interesse dos mercados pela questo ambiental, num futuro muito prximo, as propriedades que apresentarem esse diferencial tero maior facilidade para atingirem mercados e tambm para pleitearem algum dos diversos processos de certificao da produo que esto sendo criados. Assim, esse material pretende apresentar uma maneira fcil, prtica e sem custos para voc iniciar essa atividade em sua propriedade. Embora haja diversas formas de se elaborar uma lista de animais habitantes de um determinado local, nesse volume da Srie Boas Prticas, dedicamos especial ateno para a identificao dos animais atravs do reconhecimento das suas pegadas. Para isso, apresentamos uma rpida descrio das caractersticas de 26 espcies, dando detalhes e dicas de como reconhecer a pegada de cada uma dessas espcies.

A

OS ANIMAIS E A FLORESTAOs animais desempenham papel muito importante no ambiente em que vivem. Eles so responsveis pela disperso de sementes de diversas rvores, pela predao de outras e tambm pela polinizao, ajudando ativamente nos processos que influenciam a dinmica e a manuteno desses ambientes. Assim, muitas rvores dependem desses animais para a sua reproduo. Algumas espcies tambm atuam como reguladores de outras populaes animais, controlando assim outras espcies como os insetos e os pequenos roedores. No entanto, algumas espcies esto associadas a um impacto negativo ou adverso ao ambiente. Elas podem causar danos para o homem, uma vez que muitas delas podem alimentar-se da lavoura ou at mesmo de alguns animais domsticos ou de criao. Porm, importante ressaltar que muitas dessas situaes so causadas pela alterao intensa do ambiente natural desses animais numa determinada regio.

8

BIODIVERSIDADE OS MAMFEROSO Brasil considerado um pas megadiverso, ou seja, um dos mais ricos em nmeros de espcies no mundo. Estima-se que existam, em todo o mundo, cerca de 4.250 espcies de mamferos, atualmente, no Brasil, ocorrem 652 dessas espcies. Esses nmeros indicam o Brasil como possuidor da maior riqueza de mamferos de toda a regio neotropical. Entre os animais, os mamferos so considerados os mais evoludos. Caracterizam-se, basicamente, por terem o corpo total ou parcialmente coberto de plos e possurem diversas glndulas. Entre elas, uma das mais importantes a glndula mamria, que responsvel pela produo de leite, que vai alimentar todos os filhotes no incio de sua vida e que tambm d o nome a esse grupo animal. Os mamferos, juntamente com os insetos, so os animais mais adaptados aos ambientes existentes da Terra. Entre os mamferos, h uma variao muito grande de tamanho corporal, alimentao, tipo de habitat, comportamento social e outras preferncias que possibilitam a esses animais viverem nos mais diferentes tipos de ambientes. H mamferos vivendo tanto nas reas extremamente geladas, como os plos norte e sul, bem como nas diferentes florestas, montanhas, desertos, rios, mares, debaixo da terra e at mesmo voadores que dominam os ares. Esses animais so to diversos que podemos encontrar mamferos pequeninos, de poucos centmetros de comprimento e algumas gramas de peso, como o musaranho (encontrado na Amrica do Norte, Europa, norte da frica e oeste da sia), at o maior ser vivo do planeta que a baleia-azul com mais de 30m de comprimento e cerca de 120 toneladas.

OBSERVANDO OS ANIMAISNormalmente, os mamferos no so facilmente vistos na natureza. A maioria deles apresenta hbitos noturnos, so esquivos, vivem em habitats de difcil acesso (por exemplo: tocas), esto camuflados na vegetao, vivem em reas muito extensas ou apresentam baixa densidade populacional. Tudo isso dificulta muito a observao desses animais. Assim, para confirmarmos se existem algumas dessas espcies em um determinado local, devemos utilizar alguns mtodos que podem funcionar melhor para um ou para outro grupo animal. Dependendo do grupo de animais que voc est mais interessado, um dos mtodos citados abaixo pode ser o mais adequado. De uma forma geral, podemos dividir os mtodos para confirmar a presena de mdios e grandes mamferos de duas formas: 1) Mtodo de observao direta e 2) Mtodo de observao indireta. Abaixo apresentaremos todos os mtodos, porm neste volume vamos priorizar a utilizao da observao indireta, atravs da identificao dos rastros ou pegadas desses animais.

9

Mtodos de Observao Direta Observao direta a viso em tempo real do animal. Isso pode ocorrer em qualquer momento e nas mais diversas ocasies. Caminhada ou censo um dos mtodos mais utilizados pelos especialistas quando querem monitorar alguns grupos animais em uma determinada rea. Ele possibilita a observao de muitos animais que habitam os mais diversos tipos de ambiente. No caso dos mamferos, este mtodo exige um grande investimento de tempo e deve ser realizado durante vrios dias. Por outro lado, uma das formas mais eficientes, pois alm de possibilitar a listagem de grande parte das espcies de mdio e grande porte, tambm permite uma avaliao da abundncia dessas espcies. O mtodo consiste em caminhar vagarosamente por trilhas j existentes ou pela lateral (borda) de uma floresta. Esse procedimento e