revista ebd - 2 trimestre - 2013

Download Revista ebd - 2 trimestre - 2013

Post on 20-Mar-2016

282 views

Category:

Documents

18 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista ebd - 2º trimestre - 2013

TRANSCRIPT

  • ~,~,..V`

    1

    na w BE'!fIL

    2 TRIMESTRE DE 2013 ANO 23 N" 87Jovensemlultos

    ,- `

    V,`,,__,,___-_,,4_-;__`. -= _l;r_ .L z _, , V, z

    \

    _._`,~;.~.-

    \

    :.

    4

    1

  • .1>'zm, z V

    - uv'-fr

    -2..;z mu

    2

    *zus~am.vm~- , um ...z. z...z. w-

    _ ' l ' ''sv ` "\

    Entre em contato conoscoEdrtora Tel - zr 3575-8900 Fax: 2r 33595888 Efmil comerc|a!@edrtorabe!eI com br Loja virtual: www.editorabetevir1 al _ . ncobook com/edrlorabelel

    BETEL Enezezo- Rua cazvalh de s

    Encontre aqui ainformao quevoc procura, to

    quanto virarpgina.

    Iornal O SemeadorOjurnal (ln povo cle Deus!Divflizlo ~m (luis Carl:-rlurs, 0 Selnearlor atmulu

    as rlucussitlutles e expeclalivis lL llvr-5 lritr0sem geral.

    Brasil em Fr:v -'- a svssr que irei*/4 notcias (lasigrejas (ln M insto de M:1lur(:ira cspallxaclu poriolln territrio nacional. Alm de lnensagens,,stuls vt=stc1m|nl1s.

    j 0 Smneanllo em Famlia a parte le.\^timuln especialnxcntc Fmnlia Crist.l\`vle voc vncntm nlatas que so(le interesse (105 pais, jnvens e ado-lescentes. E mais, uma pginaexclusiva para as crianas sc(livertrem pra valcrl

    u .com br wwwedrmrabetelcnmm wwwr_ ouza, 20 - Madurerra ~ Fho de Janerro V HJ - CEP 21350480

    Izrr/zrwr./rrlr Caixa Postal' 17050 H CEP 21312-97zm" l/tr nm

    Rua Jos 61mem,7e - Pane - Br

    O - Madureira - RJ

    s - cEPnao201o - sr=amr:sP - mr zr '_:5.9213

    Nossa cmz P `ai e lho contemplando 0 pr do sol em ' l -".| mugnu Dvus. l.km

  • Pontos

    icaLIO 2

    ,l A parbola das dez virgens e a necessidade de vigilncia ..... ..7LIO 3Os cuidados com a famlia e o ministrio Cristo ................ .. llLIO /1Precisamos combater- o pecado da avareza .......................... ..15LIO 5LIO IsLIO 7LIO sLIAO 9LIO 10LIO 11LIO 12Acontenda produz desunioLIO 13

    da sobre a ........ ..3

    As autoridades so constitudas por Deus .......................... .. 19

    Honraateu paieatua me ................... .. .......23

    O que guarda sua boca. conserva sua alma ......................... ..27

    Deus procura Os verdadeiros adoradores .... ..... .. 31

    Orientaes bblicas contra a violncia domstica ............... ..35

    A importncia da Ceia do Senhor ....................................... ..39

    A bno da boa e soberana vontade de Deus ....................... ..43

    A igreja de Cristo vencendo os desafios .... .... .. 51

    ENTES DA NOSSA FEPARA A PRTICA DE uMA

    iirw?. ` ""'E

    \, .

    .;_.ri ._

    47

    ~.w

    >~

    \

  • PALAVRA DOCOMENTARISTA

    Ao examinar as Es-crituras Sagradas. com

    dedicao e temor, pude*tz escrever as lies deste

    'r trimestre almjando que. cada homem e cada mu-_. lher possam ser abenoa-

    dos em sua plenitude. Quesuas emoes, suas mentes, suas vontades,possam expressar a vida abundante, reno-vada e revigorada que Deus sempre desejoupara todos.

    De fato, a Bblianealmente omaiormanualparaviver como lho de Deus. Nela Jesus Cristoe o Apstolo Paulo foram, sem dvida, os quemais nos ensinaram sobre as vrias maneirasde ter: conhecimento, respeito, prudncia,sabedoria e amor.

    Contudo, apesar de todo o esforo quemuitas igrejas, atravs de suas lideranas,tm feito para uma vida de excelncia, nose tem atingido o padro bblico desejado,por tentarem viver sem o seu fundamentoprincipal que Jesus Cristo. Muitos estovivendo nos alicerces humanos do dinheiro,da cultura, dos ttulos, da fama e da populari-dade. No valorizando uma vida de vigilnciae santicao, transformando-se em cristosvulnerveis e despreparados.

    Por isso, Aprenda a viver como lho deDeus", sem dvida, vem em boa hora. Solies pertinentes, pois tratam de assuntoscomuns da igreja local. Ensina a viver comolhos de Deus.

    O meu desejo que cada professor tenhaempenho e coragem para ensinar com did-tica, inteligncia, sabedoria e muita graa deDeus, as linhas que foram tecidas nas pginasdeste exemplar. E que estes estudos sirvam decrescimento e edificao para o povo de Deusaonde estas lies chegarem.

    Bons estudos!

    Pr. Valdir Alves de Oliveira

    ninos no comfrrrimsri1 -I1 vice-presidente dl Auembleh de Deus,Campo de 'lhzuatingl-DF; locretlrio exe-cutivo e 1 tesoureiro do CONEMAD/DF EENTORNO; membro do Concelho de tica daACMEB - Asaociolo Pr Capelania MilitarEvangflicn do Bruliz bocha!!! economia;pvgrldundo em odmlmltnio umceira;bacharel em tcolozlo; escritor eoonferencistnnl rea de nulo o hmil.

  • i1 ,

    A4!

    i \

    7 mz _-\mm. mt 2013

    LI

    Todo aquele, pois, que escutaestas minhas palavras e as pra-tica, assemelh-lo-ei ao homemprudente, que edificou a sua casasobre a rocha. Mt 7.24

    ` - VERDADE APL|cAoAA vida crist deve estar funda-mentada em Cristo e no nosalicerces humanos do dinheiro,da cultura, dos ttulos, da famae da popularidade.

    \.j' aimvosnntuio Mostrar que prudente edifi-car sobre a Rocha que Cristo; Explicar que edificar sobre aareia, significa no obedecer aosensinamentos de Cristo; Alertar para os resultados pr-ticos da obedincia a Cristo.

    ';.5;'f atos Amo Pzigm: era o nome dado pelosantigos cristos aos politestas; (Iaritcr: qualidade inerente aum indivduo, desde 0 nascimen-to; temperamento, ndole; Iiiwiisatez: ignorncia falta debom senso, de razo e de sabedo-ria; qualidade de nscio; tolice.

    PONTOS SALIENTES DA NOSSA FE

    H, ; Lz|1uRAscoMPLEMENiARzsSl-:m\'|.\ 'l`|:i

  • 1

    4

    v

    aR0=hB que . `

    A construao so-bre a Rocha (Mt

    o 724,25)Essa parbola tambm conheci-

    dacomo a dos Dois Construtores. Ela o nal de uma srie de discursosfeitos por Jesus, no conhecido Ser-mo da Montanha, e tanto cristos,quanto no cristos, reconhecemigualmente como uma das declara-es mais importantes, em todos ostempos, do cartermoral da raa hu-mana. E nessememorvel discurso,queencontramos as qualidades queDeus conclamaa seus lhos aporemem prtica na vida. Construir sobrea Rocha fazer exatamente comoJesus ensinou.

    1.1. prudente cons- ,truir sobre a Rocha 1Jesus comea dizendo que 1

    todo aquele que escuta essas *minhas palavras e as pratica, 1assemelh-lo-ei ao homem pru- rdente. O prudente no procura `o perigo, cauteloso, sensato eajuizado, Suas atitudes so lou-vveis. E admirado por todos, ecaminha na segurana de suasdecises. Sabe viver e ensinar demodo bom e justo. e busca sabero entendimento verdadeiro dosentido da vida. Por isso, o Se-nhor Jesus bem claro em afir-mar que todo o homem que ouvee pratica as suas palavras podeser denominado como prudente.

    1.2. ouvinte e prati-cante quem constri

    sobre a RochaOuvir e praticar. Sem dvida

    o maior desafio dos discpulos deJesus em todos os tempos. Tiago1.22-25 diz: E sede cumpridoresda palavra e no somente ouvintes,enganando-vos com falsos discur-sos. Porque, se algum ouvinteda palavra e no cumpridor seme-lhante ao varo que contempla aoespelho o seu rosto natural; porquese contempla a si mesmo, e foi-se, elogo se esqueceu de como era.Aque-le, porm, que atenta bem para a leiperfeita da liberdade e nisso persevera, no sendo ouvinte esquecido,mas fazedor da obra, este tal serbem-aventurado no seu feito. En-to, aqueleque edica sobre aRocha(Jesus), comparado a algum qued a devida ateno mensagem doSenhor e a vive na prtica, e nela serma sem ser mero ouvinte.

    1.3. Est preparado parao dia da angstiaJesus continuou dizendo que

    Desceu a chuva, e correram rios, eassopraram ventos, e combateramaquelacasa,enocaiu,porqueestavaedicada sobre a rocha. Quemouvee pratica os ensinos maravilhosos deJesusnodermtadopelasangsasdessa vida. As palavras de Cristo setomam alicerces, sendo a base daprpria vida. So verdadeiros cons-trutores competentes, que edicamsuas casas sobre a solidez da Rocha

    2 A edrficaao sobreo a arera (Mt 7.26)

    Esse texto foi descrito em parale-lismoclssico: revelando a sabedoriade quem constri sobre a rocha (Je-sus) e a insensatez de quem constrisobre a areia (alicerces humanos).E aquele que ouve estas minhaspalavras e as no cmnpre, compar-lo-ei ao homem insensato, que edi-cou a sua casa sobre a areia. Um

    IOVENS E IIIIILTOS DOMINIGIL ALUNO

  • homem insensato tem seu sentidoprincipal de algum que embota-do, pesado e estpido. E para efeitode comparao, pode ser aplicado aalma e a mente do ser humano queouve a mensagem do evangelho,mas no consegue praticar os ensi-nos da Palavra de Deus.

    2.1. Edificar sobre aareia desobedecer PalavraEm Mateus 7.21-23 esta escrito

    que nem todo que diz: SenhorSenhor entrar no Reino de Deus,porque pregou a Palavra, expulsoudemnios, orou pelos enfermos, masno provou a f salvadoia que leva obedincia a Deus. Fazer uso da Pa-lavrapara ediuare orientara outrose no pratica-la uma grande insen-satez. Em lCornt.ios 9.27, Paulo diz:*Antes subjugo o meu corpo e o re-duzo servido, para que, pregandoaos outros, eu mesmo no venha dealguma maneira a car reprovado".

    2.2. Oportunistas deBllantao

    uitos homens e mulheres estofazendo uso da Palavra de Deus.masvisando o seu prpriobeneficio,iludindo os is e se aproveitandodos incautos. Esses so oportunistasde planto que usam o Evangelhocomo trampolim para galgar po-sies de destaque na sociedade,dizendo-se preocupados com as ove-lhas, mas so os seus nomes e bensque crescem a cada dia. Mas nadacarencoberto. No se devebrincarcom a verdade. pois o nosso Deus um fogo consumidor (Hb 12.29).Muitos ignoraram o que o ApstoloPaulo ensinou em Glatas 6.7: Noerreis: Deus no se deixa escarnecer;porque tudo o que o homem semear,isso tambm ceifar.

    2.3. A iluso de cons-

    vomos siiinnss oi uossi F

    truir sobre a areiaA vida de um cristo deve estar

    pautada nas palavras de Jesus.Cristo o seu maior mestre, poisEle abalou os alicerces da histriahumana atravs de sua prpriahistria. Seu viver e pensamentosatravessaram