p2 o sertão vai à praia - .jovem, você já parou para pensar nesta pergunta: “quando algum...

Download P2 O Sertão vai à praia - .Jovem, você já parou para pensar nesta pergunta: “Quando algum jovem

Post on 03-Dec-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Vanderley Soares

    Herbet Souza

    ACESSO LINHA VERDEQuem o paida criana?

    Jos Olvio brinda a cultura com mais um livro

    De Olho na Notcia - Belmiro Deusdete

    Jovens, vocs devem estar cientes dos acontecimen-tos polticos em suas localidades (Municpios) em que vivem, bem como fazer um chamamento res-ponsabilidade de todos. P2

    Alagoinhas-BA, 16 de agosto de 2011Ano XIV N 295

    FALE CONOSCO: Redao: (75) 3421-2183 | (75) 9971-5405 E-mail: gazetadosmunicipios@uol.com.br

    O governador Jaques Wagner fez uma grande festa para marcar o anncio das obras que vo tirar a ci-dade de Itanagra do isolamento e fazer a ligao com o litoral norte. E agora, quem o pai da criana? Foi dada a largada. Trs j largaram na frente. P2

    O Ginsio de Esportes do Colgio Santssimo Sacra-mento foi palco da cerim-nia de diplomao de 650 alunos formados no Proerd Programa Educacional de Resistncia s Drogas e Violncia, criado pela Polcia Militar da Bahia. P16

    No dia 31 de julho o Projeto Inacabado abrigou o lanamento do livro de crnicas Conversa de Barbe-aria, do cordelista e cronista deste jornal o escritor Jos Olvio. Foi um evento como poucos. P14

    VAMOS L JUVENTUDENs somos a renovao

    Joaquim Neto est entre os 50 Melhores Prefeitos do Brasil

    O Prefeito de Stiro Dias, Jo-aquim Neto, foi escolhido a receber o prmio Os 50 Me-lhores Prefeitos do Brasil (10 edio), em um evento ocorri-do no ltimo dia 05 de agosto no Hotel Beira Mar em Forta-leza, no Cear. P12

    Rodrigo Moura

    O anncio da obra ligando os municpios de Aras e Itanagra e, posteriormente os 22 quilmetros restantes at a Linha Verde foi feito pelo governador Jaques Wagner no dia 29 de julho. A regio comemora e diz, agora o Serto vai praia. P3

    O Serto vai praia

  • Rodrigo de Moura

    Jovens, devem estar cientes dos acon-tecimentos polticos em suas localida-des (Municpios) em que vivem, bem como fazer um chamamento respon-sabilidade de todos os demais para que assumam de fato, e de direito, o seu lugar na conduo dos destinos admi-nistrativos de suas cidades.J no mais aceitvel que nossos adolescentes inteligentes, dinmicos e criativos fi quem relegados a planos se-cundrios ou totalmente ignorados nos programas e projetos administrativos dos municpios.Jovem, chegada hora de se fazer uma poltica onde a juventude seja de fato a prioridade em uma administrao.Voc jovem a alavanca necessria para dar o inicio, uma revoluo administra-tiva, onde a participao do cidado fundamental para, com a transparncia necessria de todos os atos administra-tivos, mostrar que apesar da carncia de recursos, pode muito bem, propiciar a todos os segmentos da sociedade uma perspectiva de vida superior a que ofe-receram, se que ofereceram alguma coisa.Jovem, voc j parou para pensar nesta pergunta: Quando algum jovem foi cha-mado para ser um co-autor na conduo dos destinos de seu Municpio?Veja bem, todas as lideranas emergen-tes, cidados jovens, dinmicos, compe-tentes preparados cultural e intelectu-almente, so desprezados de qualquer possibilidade de serem co-gestores de uma administrao.Os jovens precisam de espaos polti-co administrativo, com a conquista do espao ir propiciar a sociedade uma administrao inteligente e, sobretudo voltada para o progresso. Imaginamos uma empresa, uma instituio, uma so-ciedade, um municpio ou uma nao, bem sucedidos, tendo por administrado-res pessoas despreparadas e, sobretudo limitadas em termos de conhecimentos? evidente que existem as excees, mas at quando vamos fi car fazendo

    VAMOS L JUVENTUDENs somosa renovao

    experincias na busca de uma exceo que d certo? As coisas no aconte-cem por acaso, preciso ir em busca das solues para os problemas que se apresentam. No devem aceitar la-mentaes como justifi cativas para falta de recursos, isto porque felizmente, os Municpios podem contar com cidados jovens, inteligentes, competentes, pre-parados, para atravs da criatividade, da competncia, superar as difi culdades de ordem conjuntural.Jovens, no somente o jovem etrio jovem na idade, mas jovem de idias de mentalidade, jovem na criatividade, jovem no dinamismo, jovem de esprito, enfi m, que saibam valorizar as experin-cias positivas do passado e que tenham a honradez e a coragem de assumir os erros, fazendo destes motivos para a busca constante do acerto.A insero da juventude na Poltica de extrema importncia para renovar qua-dros, trazer novas idias e construir um novo caminho. Os jovens no podem fi -car omissos, tem que acreditar na fora como instrumento de transformao. O Jovem seja ele de direita ou esquerda, independente da sua ideologia, do parti-do em que esteja no pode fi car ausente das discusses que envolvem nosso futuro.No exerccio da cidadania, a participao do jovem amplia os espaos pblicos, assim acabando com o individualismo na sociedade poltica. O eleitor jovem deve compreender que a poltica faz parte do nosso dia-dia e fundamental para sobrevivncia da sociedade. Deve-mos aumentar a participao da juven-tude nos debates polticos.VOC JOVEM A ALAVANCA NECESS-RIA PARA DAR O INICIO A UMA REVOLU-O ADMINISTRATIVA.

    RODRIGO DE MOURA LIMABacharel em administrao de empresas com habilitao em comrcio exterior (Comex), cursando MBA em controladoria e gesto pblica pela Faculdade Santssimo.

    sucesso, at surgir o Movimento Popular Acesso Linha Verde, que coletou 30.690 assinaturas.Mrcio Gomes, que no tem liga-o poltica com ningum, nem tem pretenses polticas futuras, apesar de suas habilidades como gestor e consultor, foi o mentor intelectual que mobilizou cidades e cidados em torno da questo.O Movimento se transformou numa verdadeira bandeira apo-ltica, mas embasada nos pleitos das prefeituras e com o aval de seus respectivos prefeitos.Bandeiras, cartazes, muita m-dia e o movimento foi ganhando notoriedade, at culminar com o anncio ofi cial da obra, feito no ltimo dia 29 nas duas cidades mais interessadas, Aras e Ita-nagra, com grande participao dos alagoinhenses, satirodien-ses, aramrienses e vrios enses.Em tese, o movimento o pai da criana, e o governador Jaques Wagner a me, pois est gestan-do essa criana em seu governo, ato que foi cobrado desde o in-cio de sua gesto.Wagner me tambm porque no seu governo que a criana foi brotada, ser gerada e vai gerar dividendos importantes para a re-gio. E um fi lho de oito meses, perodo de seu segundo governo.Mas Mrcio no estar sozinho na empreitada de registrar a pa-ternidade da criana. Figuras que nunca levantaram uma mo em defesa da obra, a exemplo do de-putado estadual Joseildo Ramos, j alardeiam aos quatro cantos que a proposio sua, encami-nhada ao governador desde quan-do era prefeito do municpio.Segundo Mrcio Gomes, que discursou em Aras e Itanagra a

    pedido do governador, em re-conhecimento sua jornada, agora vo aparecer vrios pais para registrar a criana. Vrios j expem seus nomes na m-dia, em outdoor e entrevistas.Outro que usou toda a m-dia possvel para alardear a paternidade da criana foi o deputado federal Luis Argolo. Quando seu pai era prefeito e, mesmo quando deputado estadual, Argolo nunca con-seguiu nem melhorias para as estradas ligando Entre Rios ao litoral norte. E olha que a fa-mlia Argolo gozava de muita amizade com o grupo de ACM, at que o homem morreu e eles viraram a casaca.Agora vem mais polmica pelo frente. Tanto Joseildo quan-to Argolo j posam de pais do IFET e da nova universi-dade que Alagoinhas pleiteia h mais de 30 anos. Ao longo dos seus oito anos de governo, Joseildo nunca trouxe nem escola de datilografi a para o municpio, foi completamente omisso em relao educao, a cultura foi um caos, gera-o de emprego idem. E agora posa de bom moo.Mas poucos tero a coragem de reconhecer o que os demais fi zeram. a poltica, a arte de (des)fazer aquilo que j fi ze-ram, ou ento de tentar enga-nar a opinio pblica, numa v tentativa de contabilizar divi-dendos em seu favor.Que a obra acontea indepen-dente de quem seja o seu pai. A me, o governador Wagner, assiste de camarote aos entre-veros polticos, to comuns quanto beber gua.

    ACESSO LINHA VERDEQuem o pai da criana?A estrada que d acesso ao lito-ral norte, uma extenso da BA 504, discusso que se d em Alagoinhas e regio h mais de 20 anos, livrando a cidade de Itanagra do isolamento e apro-ximando o serto e o agreste do mar, tem vrios pais.Antes mesmo do Movimento de Acesso Linha Verde, pro-tagonizado por Mrcio Gomes, a cidade de Alagoinhas j plei-teava a construo da estrada, diminuindo em quase um tero o espao e o tempo, livrando--se tambm das difi culdades de acesso pelas cidades de Espla-nada e Entre Rios, e tinha como atores os governadores Antnio Carlos Magalhes e seus suces-sores, que poca garantiram que a estrada seria construda, mas que nuca saiu do papel.E foram vrios polticos que ao longo do tempo fi zeram gestes junto aos governadores, pleite-ando a empreitada, mas sem

    P2 Alagoinhas (BA), 15 de agosto de 2011

    Editor: Waldemy Gomes DRT/BA 0595 Diretor Comercial: Vanderley Soares Fotos desta edio: Amilton Andr, Ulisses Soares e Vanderley Soares.Contatos: gazetadosmunicipios@uol.com.br; gazetadosmunicipios@gmail.com; vanderleysoares@uol.com.br. Colunistas: Vanderley Soares, Belmiro Deusdete, Paulo Dias, Jos Olvio.Impresso: Editora Grfi ca A TARDE Tiragem: 5 mil exemplares

    Redao:Rua Luis Viana, 174, Centro, Alagoinhas-BA.Telefax: (75) 3421-2183Celular: (75) 9971-5405

    Fundado em 25 de novembro de 1997Fundador: Vanderley Soares

    Vanderley Soares

  • No dia 29 de julho de 2011 o Go-vernador Jaques Wagner autorizou a ordem de servio do asfaltamento do trecho de 22 quilmetros da BA-504 que liga os municpios de Ara-s Itanagra, iniciando a segunda etapa da obra que vai ligar a cidade de Alagoinhas e regio s praias do litoral norte da Bahia. A estrada vai receber pavimentao a base de concreto betuminoso usina-do a quente, que proporciona maior durabilidade. Tambm vo