newsletter abril 2014

Download Newsletter abril 2014

Post on 20-Jul-2015

104 views

Category:

Education

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Celebrou-se, no passa-do dia 4 de abril, a segunda edio do Dia da Escola na EB 2+3 de Quinta da Lomba, um evento que

    teve como protagonistas os alunos de todos os anos de escolaridade e que contou, tambm, com a colaborao inestimvel de professores e funcion-rios desta escola do nosso agrupamento. Vivenciar a diferen-

    a, Jogos da Mate-

    mtica,Spelling

    Contest,Cincia ao

    vivo, Jogo do

    Queimado e Os

    animais vm escola foram algumas das atividades

    que preencheram a jornada.

    Este evento

    congregou

    atividades de

    vrios grupos

    disciplinares e

    o facto de no ter havido aulas possibilitou

    maior disponibilidade para os alunos parti-

    ciparem.

    No fim, a satisfao dos participantes era

    evidente e todos ficaram com a certeza de

    terem preenchido mais uma pgina a inclu-

    ir no seu lbum de recordaes.

    Vtor Godinho (coordenador de escola 2+3)

    Abril de guas mil, de manhs brumosas ou rasgadas de luz, tempo de celebrao do 25 de abril, esse dia inicial inteiro e limpo (Sophia de M.B. Andersen) em que se romperam as trevas da ditadura, fazendo nascer a claridade nos olhos antes cegos. Em abril aconteceu o primeiro dia de todas as esperanas na rota da liberdade.

    Agrupamento de Escolas de Santo Andr - Barreiro

    N 7 abril de 2014 Barreiro

    Newsletter

    Editorial

    Neste nmero de abril, no pode-ria deixar de passar em revista a evoluo que o sistema educativo portugus sofreu nos ltimos 40 anos. As questes educativas ganharam espao no debate alargado que se instalou na socie-dade portuguesa e, atualmente, ningum ignora que, sem educa-o e formao, dois pilares fundamentais para a evoluo social, nenhum pas poder ter um bom desempenho.

    Temos uma populao mais escolarizada, jovens aprendentes, mtiers diversificados, ou seja, respiramos conhecimento numa sociedade pautada pela influncia das TIC. Neste contexto, no podemos deixar de referenciar o papel que os professores tm desempenhado e o seu inesgot-vel contributo para a sociedade do conhecimento.

    O ensino ampliou-se com a intro-duo de disciplinas relacionadas com as questes da cidadania, dos valores democrticos, da formao integral dos jovens e, sobretudo, com o desenvolvimen-to do esprito crtico e do livre pensamento, o que seria impen-svel h 40 anos atrs.

    Por isso, a julgar pelos resultados dos nossos alunos, a nvel do PISA, estes revelaram um desempenho satisfatrio, no quadro europeu, no que se refere ao domnio das cincias e das matemticas, o que significa que a educao e forma-o em Portugal tm seguido um caminho pautado pela qualidade e sucesso dos alunos.

    Assim, porque entendemos que o nosso agrupamento se empenha, continuamente, no trilho da sabedoria e do trabalho, reitera-mos a importncia do papel de docentes e no docentes, pais e encarregados de educao para perpetuar os valores que abril nos trouxe.

    Concurso Pangea

    Realizou-se, no

    dia 2 de abril,

    na Faculdade

    de Letras da

    Universidade

    de Lisboa, a

    segunda eliminatria deste

    concurso. O AESA participou

    com 31 alunos do 1ciclo.

    Desporto escolar

    No dia 3 de abril, teve lugar

    um campeonato de voleibol,

    coordenado pelo professor

    Antnio Neves, que mobilizou

    inmeras equipas da ESSA.

    Associao de Estudantes

    No dia 4 de abril, a AE promo-

    veu um torneio de basquete-

    bol 3x3, para os alunos da

    ESSA. Estes aderiram iniciati-

    va com entusiasmo.

    Ida ao teatro

    No dia 4 de abril, pelas 21ho-

    ras, cerca de 120 elementos da

    comunidade escolar, designa-

    damente professores e A.

    Operacionais, deslocaram-se a

    Lisboa ao teatro Politeama.

    Assistiram representao da

    pea Grande revista portu-

    guesa com gosto e alegria.

    Concurso de escrita filosfica

    Subordinado temtica da

    Liberdade e determinao,

    decorreu, na ESSA, este con-

    curso, tendo sido atribudos

    os seguintes prmios:

    - 1 prmio: Carlos Correia

    (11 C);

    - 2 prmio: Ana Lusa Pereira

    (11 I);

    - 3 prmio: Joo Silva (11 A).

    Dia da escola E.B. 2+3

    Breves Aconteceu...

    Vieira da Silva

  • No passado dia 1 de abril, celebrou-se o Dia Mundial

    do Livro Infanto-juvenil. A sala amarela do Jardim de

    Infncia do Bairro 25 de abril contou com a colabora-

    o de dois familiares dos nossos alunos. Ambas as

    convidadas contaram histrias muito do agrado dos

    pequenitos. Assim, a av da Sofia contou a histria

    do Patinho feio e a tia da Nonocas e do Simo

    contou a histria do Gui, d r, mi. As duas conta-

    doras (a tia Dinorete e a av Joana ) foram muito

    aplaudidas e, no final, distriburam um miminho

    comestvel a cada criana. Pensamos que esta bem

    sucedida iniciativa certamente contribuir para des-

    pertar nos mais pequenos o interesse pela leitura e,

    de certa forma, alimentar a imaginao frtil desta

    faixa etria.

    Educadora Graa Rodrigues

    Projeto Pequeno Grande C Fundao Calouste Gulbenkian

    O Pequeno Grande um projeto da autoria da AGECOP Associao para a Gesto de Cpia Privada e da Fundao Calouste Gulbenkian, promovido pela Fundao Calouste Gulbenkian, dirigido s escolas do Ensino Bsico. Este projeto tem como principal obje-tivo a educao e sensibilizao do pblico mais jovem para a criatividade e a criao artstica. A participao no concurso concretiza-se atravs da criao de um livro de autor, assim denominado para destacar a singularidade que se pretende que expres-se. Este livro constitui um objeto nico que integra trs atividades criativas, que so a construo do livro propriamente dito, a criao de uma nica nar-rativa e a respetiva ilustrao. Aqui fica o resultado final dos trabalhos elaborados por trs turmas da nossa escola

    Pr-escolar

    O meu percurso na ESSA comeou no curso que estou a

    terminar neste momento, o Curso Profissional de Tcni-

    co de Receo. Apesar de j estar na reta final, este

    curso teve um comeo, como bvio! No foi a minha

    primeira escolha!... Embora tenha tido sempre como

    objetivo um curso profissional, devido s sadas profis-

    sionais que apresentam e, para mim, ser a opo mais

    fivel, primeiramente tive a ideia de entrar no curso

    Profissional de Informtica de Gesto. Mas, muito perto

    da entrega da matrcula, pensei melhor e acabei por

    escolher o de Tcnico de Receo, pois, aps uma boa

    anlise, pareceu-me ser o curso que mais se identificava

    comigo.

    A nvel global, este foi um curso que me surpreendeu

    pela positiva, foi um curso onde fiz novas amizades,

    onde aprendi a resolver conflitos, onde Enfim, ajudou

    -me a crescer, pois neste curso no aprendi apenas

    como estudante, mas tambm como pessoa, com todos

    os professores e colegas que me acompanharam ao

    longo destes trs anos.

    Ao longo de todo este tempo, adquiri muitos conheci-

    mentos que certamente me iro ajudar na minha carrei-

    ra profissional. Nem tudo correu bem. Houve tambm

    maus momentos no curso e coisas que no me agrada-

    ram, mas com o tempo e com a aprendizagem foram-se

    resolvendo Alis, como rececionistas, temos de estar

    preparados para estas situaes!

    A nvel da turma, e na opinio global do 12J, em relao

    ao curso, de uma forma geral, todos ficaram positiva-

    mente surpreendidos com o curso, tal como eu. Foi um

    curso interessante, mas que exige tambm um grande

    esforo, devido ao horrio apertado. Por outro lado, o

    gosto pelos conhecimentos adquiridos foi sempre uma

    mais-valia e as expetativas iniciais foram atingidas.

    Este um curso virado tambm para as lnguas e para

    a variante de hoteleira. E para quem acha que um curso

    profissional mais fcil que um curso cientfico-

    humanstico, est enganado, pois um curso profissional

    sinnimo de muito trabalho e esforo e no permitido

    haver negativas em qualquer mdulo, ou seja, ter de

    ser tudo positivo para poder haver aproveitamento no

    final do curso.

    Em suma, e falando de sadas profissionais, este curso

    tem um vasto leque de sadas, devido ao facto de, em

    quase todo os lugares, haver um balco de receo, mas

    tambm devido a este curso estar ligado ao turismo, um

    mercado em crescimento, a nvel nacional e internacio-

    nal, o que acaba por ser um fator muito benfico.

    Finalmente, no posso esquecer que, sem este grupo de

    trabalho, de alunos e professores, no tinha chegado at

    aqui. Afinal, foi para mim um grande orgulho pertencer

    ao 12 J e represent-lo!

    Leandro Camaro (aluno do 12J)

    A UNESCO elegeu o ano de 2014 como Ano Internacio-nal da Cristalografia. Mas afinal, o que a Crista-

    lografia?

    Esta

    um ramo da

    cincia que sustenta a

    maior parte dos desen-

    volvimentos tecnolgi-

    cos da sociedade moder-

    na;

    a rea da Cincia que deu origem

    atribuio de mais Prmios Nobel (29

    prmios, nas reas da Fisiologia,

    Medicina, Qumica e Fsica), pois

    todos os laureados

    usaram a Cristalo-

    grafia e os seus

    mtodos e tcnicas

    como cincia bsi-

    ca.

    Dito desta forma, parece ser impor-

    tante mas, realmente, no habitual

    ouvirmos falar de Cristalografia e

    esta acaba por permanecer um mis-

    trio para muitos de ns. Se no

    ouvimos falar dela,

    ser que assim to

    importante?