mensal distribuição gratuita 4000 exemplares campus ...home.utad.pt/~jdca/aautad/75.pdf ·...

Download Mensal Distribuição Gratuita 4000 Exemplares Campus ...home.utad.pt/~jdca/aautad/75.pdf · Comentários

Post on 30-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Quinta dos Prados - Apartado 1019 - 5000-998 Vila Real @ Contactos: 259330740 - Fax: 259330741 - http://home.utad.pt/~informat - Correio Electrnico: o.informativo@utad.pt

    Ano XVII - n 75

    Pg. 3 e 4

    Maio de 2005Mensal Distribuio Gratuita 4000 Exemplares

    E j dizia a minha av... Sa da frente da televiso que eu quero ver a novela...(Popular)

    Pg.11

    O Raio da Fede-lha da U.T.A.D.

    Resposta ao artigopolmico do nosso

    nmero anterior

    Nesta Edio:

    Pg.6

    Pg.8

    NEUTAD - Ncleode

    Estudantes deEng. Electrotecni-

    ca

    Entrevista ao Presi-dente Joaquim Pereira

    Pg.24

    NEPA

    Nucleo de estudos eproteco do ambien-te segundo o presi-dente Joaquim Silva

    Campus Virtual quase uma realidade.

    O Campus Virtual era necessrio para que haja acesso tecnolgico universidade. Estando inserido no projecto Universidades Electrni-cas, um projecto bastante abrangente, o Campus Virtual tem quatro

    linhas de actuao.

    Semana acadmicaO rescaldo...

    Como vai sendo habitual um pouco portodo o pas, nos meses de Abril/Maio

    realizam-se as chamadas semanasacadmicas. A U.T.A.D. no foi excepo

    e realizou a sua do dia 28 de Abril aodia 3 de Maio.O Informativo

    verso On-line

  • Nmero 75 - Maio de 2005

    por Paulo Medeiros

    2

    Editorial

    Os Nmeros desta Edio

    UTAD - A.A.UTAD - A.A.UTAD - A.A.UTAD - A.A.UTAD - A.A.Por: Joo Almeida

    Cart

    as

    do

    Leit

    or

    Este ms, e depois de passada asemana acadmica, queria deixar aqui dois pontos que me mar-caram nesta semana; o primeiro este: Fado Universitrio

    Aqui viemos pararAqui a Vila RealA cidade mais bonitaQue conheo em Portugal

    Refro:

    Vila Real ao entardecerAo Cabanelas eu fui terEra menino l de baixo sossegadoGrande bezana eu agarreiE conclui e verifiqueiSer este o cursoPra que estava destinado

    O fado universitrio tudo aquilo que sintoMas s fica bem cantadoAcompanhado com tinto

    (refro)

    Dizem que aquilo bomDizem que aquilo porreiro,Mas ao chegar cantinaMais parece um chiqueiro

    (refro)

    Depois do caldo tomadoEntrei de queixo pr arNo caf chique da terraPra minha bica tomar

    (refro)

    Se o desporto d sadeViemos para c estudarNo foi pra ir pra quintaTodo o dia a caminhar

    (refro)

    As salas abrem as oitoO Necas abre as seisDizei-me agora colegasQual dos dois preferireis?

    (refro)

    Um copo aquiUm copo aliUm copo aliUm copo aquiRico branco, rico tinto, rico vinhoE o problema geralAo chegar a Vila RealPra casa queJ ningum sabe o caminho

    Esta a letra, e cantado por estaordem.

    O segundo, tem muito para lembrar aforma como realizmos o nosso cor-tejo acadmico.Muito de vs j no se lembram, masem tempos no havia msica, nemcamies em parada, nem discotecasmveis, nem desfiles de publicidadeOs nossos finalistas nessa altura, con-seguiam alm de beber uns copos di-vertir-se e berrar pela ltima vez pe-los seus cursos.Com o tempo, essa alegria foi trans-formada numa outra, mais prximados xitos musicais de cada primave-ra. Os vila-realenses cada vez maisse desinteressam pela nossa festa,chegando mesmo a comentar que ocortejo apenas serve para cortar otrnsito na cidade, j para no falarnos comentrios menos agradveisacerca do lcool.Seria agradvel trazer de volta a fes-ta cidade, e a cidade para o feste-jo, mas isto apenas a minha opi-nioMas tudo isto so guas passadaspor agora resta-me desejar a todosum bom estudo. Boa poca de fre-quncias. Estudem muito, para as f-rias chegarem mais depressa.

    Pessoas encontradas bbadas e cadas numa valeta: 312Carros do cortejo sem menes publicitrias: 1Comentrios ouvidos sobre os artigos de opinio: 35451351343542Visitas na nossa pgina desde Dezembro de 2004: 10802Total de downloads efectuados: 143Numero de pasteis de chaves desaparecidos: 18Visitas a outros plos da UTAD: 1Pessoas da redaco que pensam que sabem fazer esculturas com bales: 1Esculturas com bales feitas por pessoas da redaco: 80Jornais distribudos em Amarante: 600Telemveis avariados a membros da equipa: 2Entradas na semana acadmica, borlas includas: bu delas

    A AssociaoAcadmica daUTAD ainda viveno rescaldo daSemana Acad-mica 2005 que,aos olhos dumsimples espec-tador, pareceuter corrido bas-tante bem. Emtermos do car-taz, o dia maisarriscado seria ode segunda-fei-ra, com aMafalda Veiga, efoi seguramenteuma aposta ga-nha, provandoque a segunda-feira pode efec-tivamente correrbem. A tendacontratada foisuficiente, no

    se tendo cometi-do o mesmo errogrosseiro de cl-culo da Semanado Caloiro quetantos protestose problemas cau-saram. O recintomontado podeproporcionar con-forto e um ambi-ente agradvel.

    Contudo, o as-pecto que maiscuriosidade susci-ta (particular-mente pela suapertinncia actu-al), o aspecto fi-nanceiro aindano foi conclusi-vo, na medida emque ainda no foipossvel apurar,

    junto dos res-ponsveis, dadosconcretos sobreresultados. En-tretanto, mesmosem oramentoou plano de acti-vidades vistafoi recentementeagendada umaAssembleia Geral,pela Mesa daAssembleia Geral,para se discutir asituao financei-ra da AssociaoAcadmica e nes-sa reunio talvezseja possvel che-gar a algumasconcluses maisconcretas.

    No entanto, a Se-mana Acadmicano se faz ape-nas dos concer-tos e do recintode espectculos.As actividadesm a i se m b l e m t i c a scomo a Monu-mental Serenata,o Cortejo Acad-mico, a Bnodas Pastas, Im-posio de Insg-

    nias, Garraiadae outras activi-dades so o quedistinguem estafesta acadmicade um qualqueroutro festival devero. Na minhaopinio neces-srio dar maiorrelevncia a es-sas actividadespor diversos mo-tivos, o mais im-portante dosquais sendo queso estas activi-dades que nosdefinem comoUniversitrios eas nossas fes-tas como Acad-micas.

    Post Scriptum:Uma nota deapreo devida Seco de Tnisda AssociaoAcadmica daUTAD que recen-temente se con-sagrou camperegional deinterclubes. Para-bns!

    Havia uma menina muito pequeninaQue te sonhava.

    No sabia que esse sonho do realSe desenhava,

    Para depois murchar como uma frgil flor.Essa menina bem pequenina

    Um dia cresceu.Tornou-se a lua que tantas noites

    Te adormeceu,Embalando-te em sensaes de doce cor.A menina pequenina que cresceu sou eu,

    Abrindo as mos doridas de te segurarem,Para te ver partir de asas ao vento,

    Deixando-me apenas no tempo,As palavras que com medo de se perderem,

    Tornaram espinhos e lminas e dor.Vai, ento voando amor,

    Que um dia, talvez, ainda amando,Possas pousar de novo no ombro,

    Da menina pequenina que te libertou.

    Menina Pequenina

    por Vnia Silva

    Ficha Tcnica

    Propriedade: AA UTAD (Associao Acadmica da Universidadede Trs-os-Montes e Alto Douro)Director: Joo Diniz AlmeidaDirectores Adjuntos: Paulo Medeiros ; Ricardo FreitasChefe de Redaco: Conceio AleixoReportagem: Ian Chiang ; Ins Fonseca ; Nanci Torres ; CristinaFidalgoComposio e Grafismo: Vitor Morais ; Artur AlvesPs-Produo: Marinho GonalvesDistribuio: Ricardo Sousa ; Vitor SalvadorFotografia: Ana MarauCartonista e Ilustrao: Jos J. Lameiro ; Carlos CorreiaPublicidade: Filipa Lobo ; Diana Pinto

    Colaboradores Permanentes: Jos Antnio Pinto ; CtiaMarques ; Lazarus LongColaborao: RPI - UTAD ; FAIReEdio On-line: Ricardo FreitasReviso: Paula LopesTiragem: 4000 ExemplaresRedaco: Associao Acadmica da UTAD, Quinta de Prados,5000 Vila Real, Tlf: 259 330 740, Fax: 259 330741,o.informativo@utad.pt, www.utad.pt/~informatImpresso: CIC - Centro de Impresso Coraze, Oliveira deAzemis, grafica@coraze.com

    Os Artigos assinadosso da inteira respon-sabilidade dos seus au-tores, no vinculando,a opinio da Direco.

  • Nmero 75 - Maio 2005

    3

    Destaque

    BrevesIV Jornadas Recreativaspara Populaes Especi-ais

    Nos dias 27 e 28 de Maio o Plo de Chavesrealizar as IV Jornadas para PopulaesEspeciais. Com o objectivo de sensibilizaras populaes e de divulgar o curso em Re-creao, Lazer e Turismo, em funcionamentono mesmo Plo, esta Jornada contar comactividades como jogos tradicionais, danade salo, hipoterapia, futebol para cegose basquetebol em cadeira de rodas. Ospreos por dia so de 5, incluindo dormi-da, certificado, participao nas actividadese refeies, com desconto de 50 a gruposcom mais de 10 elementos. As inscriespodem ser feitas atravs do sitewww.utad.pt.

    Espelho de gua noFrum do InformativoUma das discusses do nosso frum(www.utad.pt/~informat) o espelho degua na entrada do campus. Ficou asugesto que iremos desenvolver numareportagem para o prximo nmero.Participa tambm. O nosso frum tem umaseco onde podes dizer a tua opinio,mesmo sem a necessidade de te registares.

    Mitologia, Tradio eInovao

    Nos passados dias 19, 20 e 21 decorreram,na Aula Magna da nossa universidade, o IICongresso Internacional de LiteraturaInfantil. Debaixo do tema Mitologia,Tradio e Inovao, a sesso iniciava s14h.

    O Campus Virtual invadiu anossa univer-sidade h relativa-mente pouco tempo.Porm, desde en-to, tornou-se es-sencial para o funci-onamento da mes-ma. Actualmente, vi-

    ver sem acesso r-pido s informaes quase impensvel.Os professores en-contraram um meioeficaz de colocarem disposio dosalunos apontamen-tos e outros materi-ais, e os alunos, en-contram na net di-versas informaesteis para a suavida acadmica.Contudo, alguns cur-sos ainda no tmacesso a todas asvertentes do Cam-pus Virtual.Segundo Bulas Cruz,director do projecto,

    o Campus Virtual eranecessrio paraque haja acesso tec-nolgico universi-dade. Estando inse-rido no projecto Uni-versidades Electr-nicas, um projectobastante abrangen-te, o Campus Virtual

    tem quatro linhas deactuao. A primeiraest relacionadacom o reforo dein f ra -es t ru tu ras .Neste campo, o pro-cesso est avana-do, e, dentro em bre-ve, teremos, entreoutras coisas, a uni-versidade toda co-berta por sistemahi-fi, para poder