manual de boas praticas

Download Manual de Boas Praticas

Post on 30-Nov-2015

231 views

Category:

Documents

21 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Manual BPF

TRANSCRIPT

  • MANUAL DE ORGANIZAO INSTRUO DE PROCEDIMENTO - IP

    PROCESSO IP N DATA VERSO FL.N. Boas Prticas de Fabricao - BPF 020 13/03/2008 01 1/222

    CONTROLE DAS REVISES

    Descrio Verso Anterior Verso Atual Data Reviso Motivos

    1 Verso 13/03/2008 -

    01

    Implantao BPF

    Manual de Boas Prticas de Fabricao

    Indstria e Comercio de Bebidas Imperial S/A

    Acadmica: Poliana Rosa Batista

  • MANUAL DE ORGANIZAO INSTRUO DE PROCEDIMENTO - IP

    PROCESSO IP N DATA VERSO FL.N. Boas Prticas de Fabricao - BPF 020 13/03/2008 01 2/222

    CONTROLE DAS REVISES

    Descrio Verso Anterior Verso Atual Data Reviso Motivos

    1 Verso 13/03/2008 -

    01

    Implantao BPF

    I OBJETIVOS:

    Definir um conjunto de princpios e regras para o correto manuseio de alimentos, abrangendo, desde as matrias-primas, at o produto final, de forma a garantir a sade e a integridade do consumidor;

    Atender a Legislao Sanitria Federal que regulamenta essas medidas em carter geral Portaria n 326, ANVISA, de 30 de julho de 1997 e Portaria n 368, MAPA;

    Assegurar que todos os envolvidos conheam, entendam, compreendam e principalmente cumpram todas as instrues de procedimentos;

    II ALCANCE:

    Presidncia;

    Diretorias;

    Todas as reas/Unidades administrativas e operacionais.

    III DIRETRIZES GERAIS:

    A BPF define os procedimentos que atendam ao padro de qualidade dos produtos e servios prestados pela Cervejaria Imperial que consiste em estabelecer os seguintes processos: Padro de Identidade e Qualidade; Condies Ambientais; Instalaes e Saneamento; Equipamentos e Utenslios; Recursos Humanos; Tecnologia aplicada; Controle de Qualidade; Garantia de Qualidade; Armazenagem; Transporte; Informaes ao Consumidor; Exposio e comercializao; Desinfeco e Desinfestao.

    1 Da Gesto de Recursos Humanos:

    1.1 - Este processo tem por finalidade de definir a administrao dos recursos humanos da empresa considerando que o pessoal que executa atividades que afetam na qualidade da produo sejam alinhados ao negcio atravs de identificao das competncias humanas, retendo e atraindo talentos, focando no desenvolvimento e manuteno;

    1.2 - Desenvolver treinamento adequado, e proporcionando, sempre que possvel, o aproveitamento interno no preenchimento das vagas existentes e oferecendo salrios, benefcios e remunerao varivel de acordo com as prticas estabelecidas pela organizao:

    RECRUTAMENTO E SELEO: O processo de recrutamento e seleo de candidatos tratado atravs da IP-008 Recrutamento e Seleo;

    GESTO DE PESSOAS: T&D / Avaliao de Desempenho / Cargos e Salrios tratada atravs da IP-023 Regras de Funcionamento da Estrutura de Cargos e Salrios.

  • MANUAL DE ORGANIZAO INSTRUO DE PROCEDIMENTO - IP

    PROCESSO IP N DATA VERSO FL.N. Boas Prticas de Fabricao - BPF 020 13/03/2008 01 3/222

    CONTROLE DAS REVISES

    Descrio Verso Anterior Verso Atual Data Reviso Motivos

    1 Verso 13/03/2008 -

    01

    Implantao BPF

    ADMINISTRAO DE PESSOAL E BENEFCIOS: Este processo est descrito na IP-018 Regimento Interno de Pessoal;

    MEDICINA E SEGURANA DO TRABALHO: Este processo est descrito na IP-018 Regimento Interno de Pessoal;

    1.3 - Os candidatos pr-selecionados passam por avaliaes psicolgicas, dinmicas de grupo e uma entrevista com a psicloga da empresa, sempre trabalhando em parceria na deciso final com o gestor da rea especfica;

    1.4 - O candidato a emprego na indstria s admitido aps exames mdicos adequados, verificando se o candidato estar apto a exercer a referida funo. Os candidatos selecionados passam por uma integrao com os tcnicos de segurana SESMT e a equipe de BPF;

    1.5 - A Empresa realiza treinamentos para higiene pessoal, higiene na manipulao de produtos e comportamento de 3 em 3 meses com recursos audiovisuais e um Dilogo Dirio de Segurana - DDS, com dinmicas de grupo.

    1.6 - Higiene Pessoal:

    1.6.1 - Todos os colaboradores que tem contato direto com o processo de fabricao envolvendo: matria prima, material de embalagem, produto em processo e produto acabado, equipamentos e utenslios. So treinados e conscientizados a praticar as medidas de higiene e segurana dos produtos, descritas a seguir para proteger os alimentos de contaminao fsica, qumica ou microbiolgica;

    1.6.2 - Os funcionrios so orientados e capacitados atravs de normas de trabalho quanto limpeza pessoal, dos uniformes e do meio que trabalham;

    1.6.3 - So proibidos atos no sanitrios dos funcionrios das reas de produo, tais como: coar a cabea, introduzir o dedo nas orelhas, nariz e boca, durante o trabalho na produo;

    1.6.4 - proibido, tambm, tocar com as mos as matrias-primas, produtos em processo e produtos terminados, exceto nos casos de necessidade operativa e sendo que as mos estejam convenientemente limpas;

    1.6.5 - Os funcionrios utilizam mascaras protetoras evitando tossir ou espirrar sobre o alimento;

    1.6.6 - As mos devem estar sempre limpas, devendo ser lavadas com gua e sabonete lquido anti-sptico e seco com papel toalha no reciclada;

    1.6.7 - As unhas so mantidas curtas, limpas e livres de qualquer tipo de esmalte;

  • MANUAL DE ORGANIZAO INSTRUO DE PROCEDIMENTO - IP

    PROCESSO IP N DATA VERSO FL.N. Boas Prticas de Fabricao - BPF 020 13/03/2008 01 4/222

    CONTROLE DAS REVISES

    Descrio Verso Anterior Verso Atual Data Reviso Motivos

    1 Verso 13/03/2008 -

    01

    Implantao BPF

    1.6.8 - Os homens mantm os cabelos sempre aparados. Homens e mulheres tm os cabelos, alm de limpos, protegidos por touca protetora.

    1.6.8 - Os homens esto sempre bem barbeados, promovendo um ambiente de limpeza, a barba longa evitada para homens que trabalham na rea de produo, no caso de possuir barbas, estas so cobertas com mscaras protetoras.

    1.6.9 So proibidos qualquer tipo de adornos, incluindo relgios de pulso (exceto alianas lisas) nas reas de processamento e embalagens.

    1.6.10 - proibido fumar na rea de produo ou nas proximidades destas, podendo fumar somente na rea reservada a fumantes;

    1.6.11 - proibido mascar chicletes ou manter na boca palitos de dentes, fsforos, doces ou similares durante o trabalho na rea de produo;

    1.6.12 - proibida a entrada de alimentos ou bebidas, para fins de consumo, dentro das reas de produo. Exceto em reas prprias para isto.

    1.7 Uniforme:

    1.7.1 - Todos os funcionrios da empresa recebem 02 (dois) conjuntos de uniformes com os devidos protetores necessrios (EPIs) de acordo com a rea de sua atuao;

    1.7.2 - O uniforme dos funcionrios das linhas de produo composto por cala de elstico e camisa de cor azul clara. Os funcionrios do Setor de controle de qualidade e xaroparia usam cala azul escura e jaleco branco. Os funcionrios do Setor de manuteno utilizam uniformes de cor escura;

    1.7.3 - O calado de couro e deve ser usado por todos ao entrarem na rea de produo. Os funcionrios mantm o calado limpo e em boa conservao, sendo trocados quando necessrio;

    1.7.4 - Todos ao entrarem nas reas de produo devem limpar bem o calado em tapetes prprios, evitando, assim, levar resduos para dentro das reas de produo, estes tapetes so colocados em locais prprios e trocados sempre que necessrio pelo SESMT;

    1.7.5 - Os funcionrios so instrudos a manterem o uniforme em bom estado de conservao, livre de rasgos, furos ou partes danificadas (sem costura). Sendo o mesmo trocado periodicamente de acordo com a necessidade junto ao SESMT;

    1.7.6 - proibido aos funcionrios da produo, sentarem ou deitarem sobre grama, cho ou outros lugares que esteja sujo;

    1.7.7 - proibido deixar uniforme, roupas ou outros pertences pessoais em

  • MANUAL DE ORGANIZAO INSTRUO DE PROCEDIMENTO - IP

    PROCESSO IP N DATA VERSO FL.N. Boas Prticas de Fabricao - BPF 020 13/03/2008 01 5/222

    CONTROLE DAS REVISES

    Descrio Verso Anterior Verso Atual Data Reviso Motivos

    1 Verso 13/03/2008 -

    01

    Implantao BPF

    locais imprprios nas reas de produo, como por exemplo, em baixo, dentro ou em cima de equipamentos.

    1.7.8 - Funcionrios e visitantes no devem circular nas reas de produo sem estar devidamente uniformizado e utilizando EPIs adequados.

    1.7.9 - No permitido funcionrios e visitantes circularem pela empresa sem o uso do crach de identificao, no caso de funcionrios das linhas de produo, os crachs no devem estar acima da linha da cintura.

    1.8 Sade do Trabalhador:

    1.8.1 - So realizados exames mdicos e laboratoriais, admissionais e peridicos de 12 em 12 meses ou de acordo com critrio mdico; E demissionais, segundo a NR-7 da Portaria 3214 da Secretaria de Segurana e Sade do Trabalho.

    a) Os exames podem ser aumentados por recomendao mdica ou dos rgos de sade.

    1.8.2 - Funcionrios que tiverem ferimentos nas mos so encaminhados ao ambulatrio para curativos adequado, de forma a no oferecer risco de contaminao do produto e para a proteo do funcionrio, caso este possuir alguma enfermidade ou algum ferimento que possa oferecer riscos ao funcionrio ou contaminar o produto, este dispensado ou direcionado a outro setor at que melhore;

    1.8.3 - A empresa dispe de um ambulatrio mdico com uma enfermeira de planto em horrio administrativo, alm de um mdico periodicamente. Este ambulatrio apto para atender funcionrios ou encaminh-los a um mdico e/ou hospital;

    1.8.4 - A empresa disponibiliza de um tcnico em segurana do trabalho para treinar e orientar todos os funcionrios a evitarem acidentes ou doenas de trabalho;

    1.8.5 - A empresa possui uma Comisso Interna de Preveno de Acidentes de Trabalho (CIPA), formada por funcionrios da empresa. Esta comisso juntamente com o tcnico de segurana auxilia os demai