CURSO PR -VESTIBULAR: SIMULADO GEOGRAFIA E PR-VESTIBULAR: SIMULADO GEOGRAFIA E HISTRIA C:\Documents and Settings\Coordenao 01\Meus documentos\Coordenao Ensino Mdio\Simulados do

Download CURSO PR -VESTIBULAR: SIMULADO GEOGRAFIA E   PR-VESTIBULAR: SIMULADO GEOGRAFIA E HISTRIA C:\Documents and Settings\Coordenao 01\Meus documentos\Coordenao Ensino Mdio\Simulados do

Post on 26-Feb-2018

216 views

Category:

Documents

4 download

TRANSCRIPT

CURSO PR-VESTIBULAR: S IM U L ADO G EOGRA F I A E H I S T R I A C:\Documents and Settings\Coordenao 01\Meus documentos\Coordenao Ensino Mdio\Simulados do Ensino Mdio\Pr-Vestibular\Sim_HIS-GE0_09_10.doc Nome do aluno(a) Turma 06/07/2010 Data GEOGRAFIA Prof Rubens Leal 01 - (UDESC SC) Recentemente um pas latino americano teve problemas polticos internos que chamaram a ateno mundial e por esta razo foi repreendido pela Organizao das Naes Unidas (ONU) e pela Organizao dos Estados Americanos (OEA). Assinale a alternativa que contm o nome do pas e o fato poltico, sequencialmente. a) Honduras e o golpe militar que deps o presidente Manuel Zelaya. b) Nicargua e o assassinato do presidente Daniel Ortega. c) Venezuela e o plebiscito ilegal levado a cabo pelo congresso, comandado pelo primeiro ministro Evo Morales. d) Honduras e o assassinato do chefe da casa civil Manuel Zelaya. e) El Salvador e a priso do presidente do senado Maurcio Funes. 02 - (UFPel RS) De 1962 at 2009, decorreram 47 anos de embargos dos Estados Unidos da Amrica (EUA) a Cuba. Para Cuba, isso representou I. perdas devido aos obstculos impostos ao crescimento dos servios, das exportaes, do turismo, do transporte areo, da produo de acar, da extrao de nquel, entre outros. II. ganhos registrados aps a reorientao geogrfica dos fluxos comerciais sobre custos de fretes, de armazenagem, de comercializao, na compra de mercadorias, entre outros. III. melhora e contribuio para o crescimento da produo nacional com acesso ilimitado s tecnologias, abundncia de peas de reposio e assistncia ao servio de equipamentos, reestruturaes de grandes empresas, entre outros. IV. entraves de ordem monetria e financeira, impossibilidade de negociar novamente a dvida externa, proibio de acesso ao dlar, impacto desfavorvel de variaes das taxas de cmbio sobre o comrcio, entre outros. Esto corretas apenas a) I e IV. b) II e III. c) I, II e IV. d) II, III e IV. e) I e II. 03 - (FGV) Leia com ateno o texto abaixo. Esquerdas desprevenidas (...) Depois dos ataques ocorridos em setembro, quando George W. Bush, sem especificar o inimigo nacional, declarou os Estados Unidos em guerra contra o mal, no se inaugura um novo tipo de conflito, que passa por cima de todas as convenes firmadas para afirmar a irracionalidade da prpria guerra? Isso acontece paradigmaticamente no Oriente Mdio, quando leis e tratados valem apenas como instrumentos da violncia. A guerra deixa de se processar entre Estados-nao para se converter numa luta entre naes cujos respectivos Estados, ou Estados em formao, passam a ficar sob a ameaa de um inimigo sem rosto, que pode at mesmo habitar o interior de seu prprio territrio. de notar ainda como esse tipo de conflito est longe da guerra civil, quando um grupo trata de tomar o poder para reformar o Estado, ou da guerra revolucionria, cujo objetivo final seria a abolio do prprio Estado. O Estado-nao ameaado abre mo daqueles ordenamentos jurdicos que legitimariam a violncia exercida para se transformar ele mesmo num grupo terrorista. Em vez de se legitimar, agindo segundo a lei, passa a agir em nome da moral, como se existisse a moral universal. Cada parte, ao ver-se acuada, identifica-se com o Bem em luta contra o Mal. Jos Arthur Giannotti, Folha de S. Paulo, Caderno Mais , 12/05/2002 Como se pode constatar no trecho do artigo, o terrorismo tem merecido especial ateno devido a transformaes significativas que esse tipo de ao vem apresentando, sobretudo aps os atentados de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos. Considerando esse fenmeno em seus vrios sentidos e formas de atuao, assinale a alternativa correta. a) O terrorismo do sculo XXI caracteriza-se por estar circunscrito ao mbito de um Estado Nacional, no qual um grupo luta por uma causa especfica, como o caso do IRA, o grupo separatista catlico que reivindica a independncia da Repblica da Irlanda. b) Dois fatores caracterizam mais fortemente as organizaes terroristas atuais: o uso sistemtico da violncia como forma de atuao poltica e a sua estrutura em redes cujos centros de operao encontram-se dispersos nos mais diversos Estados. c) Grupo terrorista caracterstico do sculo XXI, a Al Qaeda, comandada por Osama Bin Laden, surgiu no Afeganisto como uma organizao nacional e manteve sua atuao limitada regio do Oriente Mdio. d) Enquanto Chvez acusado pelos EUA de apoiar os rebeldes marxistas da FARC, considerados terroristas por Washington, o lder lbio Muammar Kadafi, do Hezbollah, est se tornando um dos maiores defensores das aes terroristas praticadas no Oriente Mdio. e) Uma forma de terror pouco divulgada refere-se ao terrorismo de Estado, que, embora no admitido oficialmente, adotado por organizaes totalitrias como a OLP (Palestina), que utiliza mtodos de tortura e execuo para impedir a desero de seus membros. 04 - (UFPE) O Canad teve forjadas a Geografia e a Histria, basicamente, ao longo dos 570 km do vale do rio So Loureno, onde se situam algumas das mais importantes cidades daquele pas, como Quebec, Ottawa, Toronto e Montreal. Com relao a esse pas da Amrica do Norte, correto afirmar que seu principal problema geopoltico: 2-13 a) so os conflitos tnicos verificados na parte meridional do pas. b) so os conflitos de migrantes canadenses com autoridades de fronteira dos Estados Unidos, ao sul. c) so as tentativas se separatismo, por parte de uma das mais importantes regies, a provncia de Quebec. d) a diferena de idiomas e de etnias existentes no pas. e) a ocorrncia de grandes depsitos de ferro e carvo mineral, que despertaram a cobia de grandes multinacionais dos Estados Unidos e da Europa. 05 - (UNIFOR CE) H vinte anos, o mundo vivenciou um dos mais importantes marcos da histria mundial. Em nove de novembro de 1989, a queda de um muro simbolizou o desaparecimento de um regime de rivalidade polticointernacional que deixou cicatrizes at nossos tempos. Acerca do referido momento histrico e do contexto em que se inseriu, marque a opo INCORRETA: a) Uma das consequncias advindas da Queda do Muro de Berlim foi a reunificao das duas Alemanhas antes divididas. b) O acontecimento propiciou uma maior integrao da Europa, alm de ter selado o final da Guerra Fria. c) O lder sovitico Gorbachev teve notvel influncia na derrocada do antigo regime, dando lugar a uma nova ordem poltica internacional. d) Tambm foram atores polticos da poca o exlder sindical polons Lech Walesa e o exdirigente hngaro Miklos Nemeth. e) A principal consequncia deste acontecimento foi o fortalecimento do regime comunista, especialmente na Alemanha, Rssia e Polnia. 06 - (FUVEST SP) Cartaz de 1994 da campanha de Nelson Mandela presidncia da frica do Sul. Fonte: AFP, 1994. Essa campanha representou a a) luta dos sul-africanos contra o regime do apartheid ento vigente. b) conciliao entre os segregacionistas e os partidrios da democracia racial. c) proposta de ampliao da luta anti-apartheid no continente africano. d) contemporizao diante dos atos de violncia contra os direitos humanos. e) superao dos preconceitos raciais por parte dos africnderes. 07 - (FGV) A democracia sul-africana completou quinze anos em 2009. O delicado processo histrico de transio negociado desde 1990, dirigido por Nelson Mandela e o ento presidente Frederik de Klerk, resultou em um novo governo de unidade nacional. No que se refere ao processo de transio democrtica sul-africana correto afirmar: a) Foi marcado pela radicalizao poltica e pela oposio entre negros e brancos, dando incio luta armada. b) Foi marcado pela imposio de sanes da ONU e pela expulso da frica do Sul das Federaes Esportivas Internacionais. c) Foi marcado pelo aprofundamento dos conflitos com protestos de movimentos estudantis, boicotes e greves decretados pelos sindicatos negros. d) Foi marcado pela guerra civil e a vitria militar do governo do apartheid. e) Foi marcado pela tolerncia poltica e pela reconciliao entre os principais opositores durante o apartheid: o Partido Nacional e o Congresso Nacional Africano. 08 - (UFPA) Entre as alternativas a seguir, a que NO corresponde realidade do Japo no contexto dos blocos regionais : a) O Japo aparece efetivamente como competidor industrial dos EUA nos anos de 1940. b) O Japo aparece como importante centro de produo tecnolgica. c) O Japo aparece como potncia mundial e como um pas de economia j consolidada desde 1960. d) O Japo aparece exercendo influncia em grande parte do Sudeste Asitico. e) O Japo aparece como produtor potencial de armamentos. 09 - (FUVEST SP) Pela primeira vez na histria da humanidade, mais de um bilho de pessoas, concretamente 1,02 bilho, sofrero de subnutrio em todo o mundo. O aumento da insegurana alimentar que aconteceu em 2009 mostra a urgncia de encarar as causas profundas da fome com rapidez e eficcia. Relatrio da Organizao das Naes Unidas para a Agricultura e Alimentao [FAO], primeiro semestre de 2009. Tendo em vista as questes levantadas pelo texto, correto afirmar que a) a principal causa da fome e da subnutrio a falta de terra agricultvel para a produo de alimentos necessrios para toda a populao mundial. b) a proporo de subnutridos e famintos, de acordo com os dados do texto, inferior a 10% da populao mundial. c) as principais causas da fome e da subnutrio so disparidades econmicas, pobreza extrema, guerras e conflitos. d) as consequncias da subnutrio severa em crianas so revertidas com alimentao adequada na vida adulta. e) o uso de organismos geneticamente modificados na agricultura tem reduzido a subnutrio nas regies mais pobres do planeta. 10 - (FGV) Analise as pirmides etrias A e B de duas situaes demogrficas fictcias. 3-13 Fonte: adaptao do autor. Leia as afirmaes I a IV e decida quais delas esto corretas. I. A pirmide A representa um pas que dispe de uma populao economicamente ativa proporcionalmente maior que as outras faixas etrias, mas que tende a apresentar um sistema previdencirio deficitrio em algumas dcadas. II. A pirmide B pode indicar dificuldades oramentrias mais relacionadas educao bsica do que ao setor previdencirio (aposentadorias). III. Comparativamente, a pirmide A pode indicar uma populao mais instruda, e a pirmide B, uma populao mais excluda dos servios sociais. IV. A base larga da pirmide B indica maior acesso aos servios de sade, o que se reflete em menor mortalidade infantil. a) Esto corretas apenas as afirmaes I, II e III. b) Esto corretas as afirmaes I, II, III e IV. c) Esto corretas apenas as afirmaes II e III. d) Esto corretas apenas as afirmaes I e III. e) Esto corretas apenas as afirmaes II, III e IV. Questo 11) Segundo a classificao do professor Aziz N. AbSaber, existem no Brasil seis principais paisagens Naturais e, entre elas, inmeras faixas de transio. Analise as proposies sobre os domnios morfoclimticos brasileiros. I. O Domnio Amaznico contm em sua maior extenso terras baixas. A Floresta Amaznica ou latifoliada equatorial o elemento que mais marca a paisagem. II. O Domnio da Caatinga marcado por solos pouco profundos devido s poucas chuvas e ao predomnio do intemperismo fsico. III. O Domnio das Pradarias um prolongamento, pelo territrio brasileiro, dos campos ou das pradarias do Uruguai e da Argentina. IV. O Domnio do Cerrado possui vegetao semelhante s savanas africanas. Os solos do Cerrado so pobres e cidos. V. O Domnio das Araucrias possui solos diversificados. Existem manchas com terra roxa de grande fertilidade natural e solos mais cidos e pobres em minerais bsicos. A planta que marca visualmente a paisagem deste domnio a Araucria. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas III, IV e V so verdadeiras. b) Somente as afirmativas II e IV so verdadeiras. c) Somente as afirmativas I e V so verdadeiras. d) Somente as afirmativas I, II e III so verdadeiras. e) Todas as afirmativas so verdadeiras. 12 - (UDESC SC) Assinale a alternativa que contm a descrio correta do processo de conurbao: a) a reunio de cidades em torno de atividades comuns, formando redes econmicas especializadas em varejo ou atacado. b) Conurbao o movimento de trabalhadores que, diuturnamente, se deslocam para realizarem atividades de trabalho em municpios vizinhos. c) Conurbao o nome que se d para o crescimento de duas ou mais cidades vizinhas, que acabam por formar um nico aglomerado urbano. Em geral, numa conurbao existe uma cidade principal e uma (ou vrias) cidade(s)-satlite. d) Conurbao o nome que se d ao processo de xodo rural que culmina na metropolizao de reas industriais recentes, formadas por polos econmicos. e) quando cidades locais se vem polarizadas por centros regionais que exercem influncia sobre as vilas e as reas rurais e suas vizinhanas. 13 - (UFC) O processo de urbanizao um dos traos marcantes do mundo contemporneo presente em pases desenvolvidos e subdesenvolvidos, entretanto a urbanizao apresenta caractersticas distintas em cada uma dessas realidades. Analise as afirmaes abaixo sobre essas caractersticas. I. Nos pases desenvolvidos, as cidades estruturam-se gradativamente para absorver os migrantes e, por conseguinte, melhoram as condies de moradia, de servios e a oferta de emprego. II. Nos pases subdesenvolvidos, a urbanizao acelerada est associada s pssimas condies de vida no campo e estrutura fundiria concentrada, o que estimula o xodo rural. III. Nos pases subdesenvolvidos, o rpido e desordenado crescimento das cidades deu origem ao fenmeno denominado macrocefalia urbana. IV. Nos pases desenvolvidos, a urbanizao est relacionada presena da indstria na cidade e ausncia de tcnicas modernas no campo, o que acentuou a migrao rural-urbana. Assinale a alternativa correta. a) Apenas II verdadeira. b) Apenas I e II so verdadeiras. c) Apenas I, II e IV so verdadeiras. d) Apenas I, II e III so verdadeiras. e) Apenas II, III e IV so verdadeiras. 14 - (UFCG PB) Eixo Temtico: A revoluo tcnico-cientfica e a reconfigurao dos espaos As imagens abaixo sero utilizadas nas questes 29 e 30. 4-13 (MAGNOLI, Demtrio; ARAJO, Regina. Geografia. A construo do mundo. So Paulo: Moderna, 2005, p. 14) Sobre revoluo tcnico-cientfica e a reconfigurao dos espaos, as imagens da cidade de Essen, na Rennia, Alemanha, identificam: I. o conjunto de transformaes econmicas e sociais, equilibrando o desenvolvimento sustentvel da sociedade, ao reintroduzir as reas verdes na cidade, conforme mostra a imagem C. II. a paisagem transformada pelo saber tcnico-cientfico, conforme mostra a imagem C, onde a marcha urbana expande- se vertical e horizontalmente. III. o descompasso entre o ritmo de funcionalidade do capitalismo, identificado nas imagens pela expanso industrial, e os ritmos da natureza. A integrao entre campo e cidade cede lugar, em muitas metrpoles, conurbao. IV. o desenvolvimento das tecnologias a partir da Revoluo Industrial, alterando a relao entre campo e cidade. Os vnculos do ncleo urbano com o entorno rural, conforme mostram as figuras A e B, entram em declnio. V. a periurbanizao, mostrando o espao das metrpoles cada vez mais dividido em subespaos, diferenciados tanto pela idade das construes quanto pelas atividades industriais que nele se localizam. Esto corretas: a) I, II e III. b) II, III e IV. c) III e IV. d) I, IV e V. e) III e V. 15 - (UFRN) A respeito do comrcio global de alimentos no contexto atual, correto afirmar: a) A Argentina apresenta uma baixa produo de cereais, constituindo-se em um dos maiores importadores de trigo. b) O Brasil assume uma posio irrelevante na produo mundial de soja. c) O Japo se destaca na produo de cereais, constituindo-se em um dos principais exportadores de trigo. d) Os Estados Unidos assumem posio de liderana na produo mundial de soja. 16 - (UFMG) Considerando-se o atual estgio da agricultura mundial, INCORRETO afirmar que a) a agricultura voltada para o mercado interno, em pases como o Brasil, ao incorporar insumos e tecnologias gerados pelo agronegcio, pode promover elevao dos preos dos alimentos para o consumidor. b) a maior disponibilidade de terras agrcolas, em escala planetria, encontrada nas zonas temperadas, onde a fragilidade dos solos constitui obstculo expanso de sua explorao. c) a produo global de alimentos, na atualidade, capaz de atender ao consumo em escala planetria, embora a ingesto de alimentos por parcela da populao mundial ainda se d de forma insuficiente em quantidade e diversidade. d) as restries geogrficas impostas, em decorrncia de determinadas condies de clima, solo e relevo, a um numeroso grupo de cultivos so, em grande parte, satisfatoriamente contornadas por prticas de manejo modernas. 17 - (FGV) Todo mundo sabe que o mundo est atravessando a pior crise econmica desde a dcada de 1930. [Na Unio Europeia] As reaes protecionistas so dolorosamente conhecidas: protestos contra trabalhadores estrangeiros, exigncias de proteo ao comrcio e um nacionalismo financeiro cujo objetivo limitar a circulao de dinheiro pelas fronteiras. (Exame Ceo. Abril de 2009) A leitura do texto e os conhecimentos sobre a dinmica econmica da atual dcada permitem afirmar que a) a oportunidade de o bloco europeu tornar-se a principal potncia econmica e financeira do mundo foi perdida. b) a sada vivel para os pases da Europa centro-oriental diminuir a ao individualista dos Estados em detrimento da integrao. c) os planos europeus de integrao devem aumentar de intensidade, sobretudo no que se refere entrada de novos membros. d) a Europa ocidental enfrenta um dilema entre avanar na integrao ou cada pas defender seus interesses nacionais. e) os planos de expanso de reas de influncia econmica europeia tornaram-se inviveis frente crise. 18 - (UECE) Sobre a organizao regional, considere as seguintes afirmaes: I. Aps a Segunda Guerra Mundial, intensificou-se a formao de blocos regionais, principalmente, de teor econmico e geopoltico. II. Em 1991, Brasil, Argentina, Mxico e Paraguai fomentaram a constituio dos blocos econmicos com a criao do Mercado Comum do Sul (Mercosul), buscando a integrao econmica e comercial. III. No ano de 1994, com a proposta da rea de Livre Comrcio das Amricas (ALCA), os Estados Unidos da Amrica (EUA) lideram e controlam o mercado, em todo o continente americano. IV. Apesar de a Unio Europia (UE) propor ambiente de paz no continente europeu, presencia-se divergncias tnicas, culturais, territoriais e econmicas que dificultam a plena integrao. Est correto o que se afirma a) somente em I. b) somente em II e III. c) somente em II e IV. d) somente em I e IV. 19 - (UECE) O Mercado Comum do Sul (Mercosul) teve seu incio em meados dos anos 1980 em discusses iniciais entre o, ento, Presidente argentino Ral Alfonsn e Jos Sarney. Com o objetivo de consolidar o bloco econmico, foi assinado o primeiro acordo, denominado de a) Tratado de Buenos Aires. b) Tratado de Santiago do Chile. c) Tratado de Braslia. d) Tratado de Assuno. 5-13 20 - (UEMG) DE VOLTA AOS TRILHOS Os chineses repetem hoje os macios investimentos que os Estados Unidos e pases europeus fizeram em ferrovias no sculo XIX e dos quais at hoje se beneficiam. Mostram, com isso, que ter perdido o trem no passado no implica ficar acomodado no atraso - uma lio para a qual o Brasil deve prestar ateno, considerando que as ferrovias, ainda, so a principal soluo para o deslocamento em massa de cargas e de pessoas em pases de grande dimenso. A ilustrao, a seguir, mostra a distribuio da malha ferroviria em alguns pases. Revista Exame 05/03/2009 Com base nas informaes obtidas no texto e nos desenhos, acima, s CORRETO afirmar que a) as ferrovias representam uma das mais eficientes opes de transporte de carga, em pases com dimenses continentais. b) a metade da malha ferroviria russa est concentrada na poro oriental do pas, nas reas de maior movimentao de cargas. c) o uso das ferrovias nos diversos pases ajuda a descongestionar as principais rodovias, liberando espao para o transporte de passageiros e de cargas mais pesadas. d) a utilizao das ferrovias promove distrbios ambientais atmosfricos, pois os trens consomem menos combustvel que os caminhes. 21 - (UDESC SC) Dentre as vantagens do transporte ferrovirio, pode-se citar, exceto: a) velocidades muito elevadas, em torno de 300 a 500km/h, atingidas pelos trens modernos. b) tempo bastante longo de utilizao do material rodante. c) custo operacional no muito elevado. d) atendimento bastante disperso em funo da natureza e da sua estrutura, que implica enorme maleabilidade. e) capacidade de transportar grandes volumes de cargas e passageiros. 22 - (UNESP SP) Estatsticas recentes do conta de que as exportaes brasileiras de produtos de alta tecnologia esto sendo prejudicadas pela expanso da participao chinesa no mercado mundial. Em 2006, a China exportou 288 bilhes de dlares para os Estados Unidos e 148 bilhes de dlares para a Unio Europia participando, respectivamente, com 34,9% e 35,3% do total importado, contra 7,7% e 5,2% de participao do Brasil. CHINA: EXPORTAES DE PRODUTOS DE ALTA TECNOLOGIA PARA VRIAS PARTES DO MUNDO CONFORME INTENSIDADE TECNOLGICA, EM 1999 E 2006, EM %. A anlise da tabela permite afirmar que, entre as duas datas, a) as exportaes chinesas de produtos de alta tecnologia para os pases de nvel tecnolgico mdio-alto apresentaram as maiores diferenas percentuais. b) a China passou a exportar mais para pases de alto nvel tecnolgico do que para aqueles com baixo nvel tecnolgico. c) as diferenas significativas nos percentuais de exportaes chinesas para os pases de baixa tecnologia deveram-se ao grande avano tecnolgico conseguido internamente por tais pases. d) o aumento de 20,8% para 34,5% das exportaes chinesas para o bloco de pases de alta tecnologia revela o grande contingente de mo-de-obra no qualificada que eles possuem. e) as exportaes chinesas de produtos de alta tecnologia para os pases de nvel tecnolgico baixo-mdio apresentaram as maiores diferenas percentuais. 23 - (PUC RJ) A Geografia do Turismo tem objetivos diferentes daqueles voltados apenas para a descrio de informaes direcionadas para quem vai viajar. De acordo com a afirmao acima, assinale a opo que NO aborda um objetivo da Geografia do Turismo. a) Estudar os impactos gerados pelo aumento do turismo em determinado local, visando analisar os efeitos da transformao e/ou degradao causados pela atividade turstica. b) Analisar o desenvolvimento local gerado pelas polticas pblicas voltadas para o turismo, nos mbitos nacional, estadual e municipal, e sua relao com a qualidade de vida da populao residente. c) Incentivar o aumento de publicaes de revistas direcionadas ao turismo, ampliando a divulgao de dados geogrficos que constituem vantagens tanto para aqueles que a realizam quanto para os locais receptores. d) Desenvolver projetos de mapeamento dos principais plos tursticos internacionais, nacionais e regionais, teis ao monitoramento da ocupao social e da transformao do espao. e) Analisar a intensidade e a dinmica dos diversos fluxos tursticos no pas, fornecendo suporte para o planejamento e ordenamento territorial. 24 - (UEL PR) Segundo Adorno e Horkheimer, a indstria cultural pode se ufanar de ter levado a cabo com energia e de ter erigido em princpio a transferncia muitas vezes desejada da arte para a esfera do consumo, de ter despido a diverso de suas ingenuidades inoportunas e de ter aperfeioado o feitio das mercadorias. (ADORNO, T. ; HORKHEIMER, M. Dialtica do esclarecimento. Traduo de Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar, 1985. p.126.) Com base nessa passagem e nos conhecimentos sobre indstria cultural em Adorno e Horkheimer, correto afirmar: a) A indstria cultural excita nossos desejos com nomes e imagens cheios de brilho a fim de que possamos, por contraste, criticar nosso cinzento cotidiano. 6-13 b) A fuso entre cultura e entretenimento uma forma de valorizar a cultura e espiritualizar espontaneamente a diverso. c) A diverso permite aos indivduos um momento de ruptura com as condies do trabalho sob o capitalismo tardio. d) Os consumidores tm suas necessidades produzidas, dirigidas e disciplinadas mais firmemente quanto mais se consolida a indstria cultural. e) A indstria cultural procura evitar que a arte sria seja absorvida pela arte leve. 25 - (MACK SP) Em termos monetrios, observa-se a relativamente pequena participao dos pases subdesenvolvidos no comrcio mundial, que se deve a vrios motivos. A partir dessa constatao, considere cada afirmativa a seguir. I. So pases que direcionam sua produo muito mais para o abastecimento do mercado interno do que para o mercado externo, por considerarem o primeiro mais rentvel. II. Tais pases apresentam atividades econmicas pouco industrializadas e, normalmente, baixa produtividade nas atividades primrias, resultando numa baixa competitividade externa. III. Para a obteno de divisas, necessrias s importaes, esses pases se vem obrigados a realizar negcios com produtos primrios, que tm, em geral, baixo valor monetrio no mercado mundial. Est correto o que se afirma em: a) I, apenas. b) II, apenas. c) III, apenas. d) I e II, apenas. e) II e III, apenas. 26 - (UNIFOR CE) A Europa passou por uma mudana significativa no que se refere ao sistema de produo, no sculo XVIII, com a introduo da Revoluo Industrial, iniciada na Inglaterra, fortalecendo o sistema capitalista e solidificando suas razes na Europa e em outras regies do mundo. A Revoluo Industrial modificou o sistema de produo, pois colocou a mquina para fazer o trabalho que antes era realizado pelos artesos. Marque a alternativa correta em relao evoluo do capitalismo por impulso da Revoluo Industrial: a) A Revoluo Industrial Inglesa foi disseminada, inicialmente, nos Estados Unidos, que nessa poca j era a maior potncia econmica do mundo. b) O princpio da Revoluo Industrial foi possvel pelos avanos tecnolgicos da inveno da mquina vapor e caracterizou-se por um trip da Indstria Txtil, da Siderurgia e da Minerao. c) O princpio fundamental para o sucesso da Revoluo Industrial foi a estatizao dos meios de produo. d) As maiores invenes da Revoluo Industrial no sculo XVIII foram o automvel, a televiso, o telefone e a geladeira. e) Com o surgimento das primeiras indstrias na Inglaterra, aconteceu uma forte migrao de trabalhadores das cidades para o campo, onde estavam instaladas essas fbricas. 27 - (FUVEST SP) A partir da redemocratizao do Brasil (1985), possvel observar mudanas econmicas significativas no pas. Entre elas, a a) excluso de produtos agrcolas do rol das principais exportaes brasileiras. b) privatizao de empresas estatais em diversos setores como os de comunicao e de minerao. c) ampliao das tarifas alfandegrias de importao, protegendo a indstria nacional. d) implementao da reforma agrria sem pagamento de indenizao aos proprietrios. e) continuidade do comrcio internacional voltado prioritariamente aos mercados africanos e asiticos. 28 - (FGV) A respeito do mercantilismo correto afirmar: a) Foi uma doutrina desenvolvida exclusivamente na Pennsula Ibrica e sustentava que o desenvolvimento econmico era obtido graas ao comrcio e produo de gneros agrcolas. b) Tratou-se de um conjunto de ideias sociais que confrontava os privilgios da nobreza e do clero em defesa dos interesses dos setores mercantis e manufatureiros. c) Tratou-se de um conjunto de prticas e ideias religiosas desenvolvido nas regies europeias de penetrao protestante e associada, sobretudo, ao calvinismo e ao luteranismo. d) Foi um conjunto de prticas e ideias econmicas que visava o enriquecimento dos Estados europeus por meio, principalmente, do metalismo, da explorao colonial, de prticas protecionistas e de uma balana comercial favorvel. e) Foi uma doutrina econmica desenvolvida na Inglaterra e que defendia o livre comrcio, o fim das barreiras alfandegrias, o desenvolvimento industrial e a abolio das relaes escravistas de produo. 29 - (UNIOESTE PR) Tomando como referncia a diviso do Brasil em regies geoeconmicas ou complexos regionais, assinale a alternativa correta. a) Trata-se de uma proposta de estudo do espao brasileiro com base em cinco grandes unidades territoriais: Amaznia, Nordeste, Centro-Sul, Sudeste e Oeste, individualizadas segundo critrios geogrficos e econmicos. b) Trata-se de proposta adotada oficialmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica IBGE, e foi estabelecida para facilitar o levantamento e a divulgao de dados estatsticos para o pas. c) Conforme essa diviso, o Norte do Estado de Minas Gerais, poro semirida e de economia deprimida, integra o complexo regional nordestino, sendo que o restante dessa Estado faz parte do complexo regional Centro-Sul. d) O complexo regional da Amaznia tem como trao marcante o quadro natural, e abrange o conjunto dos Estados das regies tradicionalmente definidas como Norte e Centro-Oeste. e) Para definir as macrorregies geoeconmicas foi utilizado como critrio exclusivo o levantamento dos elementos naturais diversificados. 30 - (UNIMONTES MG) Analise a tabela. Nmero e Porcentagem de Empregos Formais Gerados em Montes Claros, em 2006 Fonte: GOMES, 2009. 7-13 A anlise da tabela permite concluir que, no ano de 2006, a) o setor secundrio, aps o fim da Sudene, gerou menos empregos que a construo civil. b) o maior percentual de empregos gerados em Montes Claros ocorreu no setor tercirio. c) o setor primrio continua ofertando vagas para uma mo de obra mais qualificada. d) o terceiro setor gerou empregos, com um percentual superior a 2%. HISTRIA Prof Rubens Leal 31 - (UFPE) Muitas crenas e idias do passado continuam a ter adeptos no presente, mostrando que a continuidade tambm faz parte da Histria. A Astrologia, por exemplo, uma forma de ler o mundo e a vida, que tem presena marcante na contemporaneidade. Historicamente, a Astrologia: a) foi inventada pelos gregos, no auge do seu poder poltico e militar. b) conseguiu ter, no Mundo Antigo, a mesma fora poltica das religies. c) foi criada pelo zoroastrismo persa e teve destaque no Antigo Oriente. d) existe desde a Antigidade e constituiu elemento importante da cultura mesopotmica. e) foi resultado de supersties dos povos asiticos e africanos, ligados aos judeus. 32 - (UFCG PB) O cotidiano dos povos antigos foi marcado por tramas sociais e constituio de espaos em disputas nos diversos campos do saber. Cada povo imprimia suas identidades atravs de vrias artes de fazer (medicina, fsica, filosofia, caligrafia, matemtica, etc), nos rituais, nos entretenimentos e nas descobertas sobre a constituio do universo. Sobre a histria da cincia e da tcnica no Mundo Antigo, certo afirmar que: I. O saber mdico, no Egito Antigo, destacou-se pelo conhecimento sobre a oftalmologia e o funcionamento das vias respiratrias. II. A fsica chinesa antiga se concentrava no crescimento e na diminuio mtua de duas foras, Yin e Yang, identificando o universo como possuidor de contnuas mudanas em formas de ondas. III. A cincia grega, atravs da Escola de Mileto, se apropriava da linguagem e dos saberes mitolgicos para explicar a formao do Universo e a constituio fsica da natureza. IV. A caligrafia japonesa utiliza, desde a Antiguidade, o Shodo como forma de representao artstica, influenciando tanto a escrita sino-coreana quanto a construo da identidade oriental. V. A matemtica, a partir da inveno do Zero, pelos hindus, possibilitou o desenvolvimento da aritmtica e a representao de novas leituras e interpretaes sobre os numerais. Esto corretas: a) I, II e V. b) II, III e V. c) III e IV. d) IV e V. e) I, II e III. 33 - (UFG GO) Analise a figura a seguir. Disponvel em: . Acesso em: 18 mar. 2009. (Adaptado). O conceito Crescente Frtil foi criado pelo arquelogo James H. Breasted para designar a regio onde surgiram as primeiras civilizaes da humanidade. Com base nessa informao e na leitura da figura, identifica-se como elemento comum a tais civilizaes a a) prtica do nomadismo associado s condies de caa, pesca e coleta na rea demarcada. b) organizao das atividades sociais e dos trabalhos coletivos em torno dos portos martimos. c) constante tentativa de unificao poltica e territorial da regio, tomando como limite os leitos dos rios. d) atividade econmica fundada no trabalho coletivo para o aproveitamento dos cursos d'gua. e) escolha de regies tropicais para fixao, em funo do equilbrio no regime de chuvas. 34 - (UFTM MG) As civilizaes da Antiguidade Oriental, particularmente a egpcia e a mesopotmica, desenvolveram a) conquistas militares para assegurar o abastecimento de escravos, fundamentais s grandes obras pblicas, como templos e pirmides. b) a escrita, sob diferentes formas, permitindo o registro dos princpios de seu monotesmo, que se espalhou pelo Mediterrneo. c) grande integrao comercial com os povos vizinhos, devido abundncia de recursos hdricos, agrcolas e minerais. d) a arquitetura e as cincias, com carter utilitarista, que se manifestou nos anfiteatros, aquedutos e conhecimentos matemticos. e) forte ligao entre a poltica e a religio, como se observa no caso do fara egpcio, supremo soberano que era considerado um deus vivo. 35 - (UFAM) Sobre as religies da Antiguidade possvel afirmar que: a) O politesmo e o antropozoomorfismo foram caractersticas destacadas, j que quase todas as religies cultuavam mais de uma divindade, que podiam assumir formas humanas ou de animais. 8-13 b) A expanso do monotesmo pelo Egito e pela Mesopotmia, ocorrida no sculo III a.C. deveu-se a iniciativa de Amenfis IV e elevao de Aton (sol) condio de divindade nica. c) De grande difuso na ndia e na China, o Budismo sustentava que pelo caminho da retido moral os homens alcanariam o nirvana, o paraso celestial onde residia Buda, sua divindade suprema. d) Difundidas por Zoroastro no sculo VI a.C. o politesmo persa previa a existncia de duas divindades antagnicas que encarnavam o bem e o mal. e) Ancorada no Novo Testamento, a religio dos hebreus, revelada por Joo Batista Abrao, assegurava a primazia de um nico Deus como criador do mundo e dos homens. 36 - (UFC CE) Na cidade grega antiga, ser cidado no significava apenas fazer parte de uma entidade nacional, mas tambm participar numa vida comum. MOSS, Claude. O cidado na Grcia antiga. Lisboa: Edies 70, 1999, p. 51. Tomando por base a afirmativa acima, pode-se compreender corretamente que a vida na polis, para o cidado, significava: a) romper com a religio e os mitos e adotar o modo de vida proposto pelos filsofos, o de disseminar a filosofia e a democracia para todas as cidades-estado gregas. b) realizar o ideal grego de unificao poltica, militar, geogrfica, econmica, religiosa e cultural de todas as cidades-estados e assim suprimir as tiranias e as oligarquias. c) exercer obrigatoriamente uma magistratura ao longo da vida, pois o aprendizado poltico por todos representava a garantia do bem-estar social e da manuteno da democracia. d) formar um corpo de sditos cujas decises polticas se orientavam para a manuteno do poder econmico e religioso das famlias detentoras de frotas que comercializavam pelo Mediterrneo. e) integrar uma comunidade que visava ao seu bem comum por meio de decises polticas, da adoo de uma defesa militar e de prticas religiosas que buscavam benefcios e proteo dos deuses da cidade. 37 - (UEL PR) Leia o texto a seguir: Algumas medidas de Licurgo diferiram daquelas da maior parte dos povos. Em outras cidades, cada qual governa seus filhos, domsticos e bens. Licurgo, desejoso que os cidados pudessem ajudar uns aos outros, permitiu que cada um pudesse mandar, igualmente, em seus e em filhos de outros. [...] H, ainda, outros costumes contrrios aos da maioria dos gregos, estabelecidos, em Esparta, por Licurgo. Em outras cidades, sabe-se, todos tentam ganhar o mximo de dinheiro possvel. Uns so agricultores, outros armadores, comerciantes ou artesos. Em Esparta, contudo, Licurgo proibiu que os homens livres exeram qualquer atividade lucrativa e estabeleceu que as nicas atividades aceitveis fossem aquelas que se ligam liberdade da cidade. Ademais, como buscar a riqueza neste pas que, graas a Licurgo, ter estabelecido para todos a mesma contribuio alimentar e o mesmo tipo de vida, impediu-se que se ambicione a fortuna, devido aos prazeres que ela proporciona? (Xenofonte, A constituio Lacedemnica, 6-7. In: FUNARI, P. P. A. Antiguidade Clssica. A histria e a cultura a partir dos documentos.2 ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2003, p. 102.) Xenofonte contrape, nesse excerto, os costumes dos esparciatas aos de outros povos da Grcia Antiga. Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, analise as seguintes afirmaes: I. A busca do lucro no era uma caracterstica comum maioria das cidades gregas, j que se tratavam de sociedades agrrias voltadas para a auto-suficincia. II. Graas igualdade estabelecida entre os homens livres por sua constituio, Esparta se tornou, para o mundo grego, um exemplo de democracia. III. Em Esparta, a explorao do trabalho de uma comunidade dependente fez com que os homens livres no precisassem, necessariamente, se dedicar s atividades lucrativas. IV. A disciplina imposta aos esparciatas e a austeridade de seu modo de vida favoreceram o poderio militar de Esparta, mas tambm a conservao de suas instituies oligrquicas. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e II so corretas. b) Somente as afirmativas II e IV so corretas. c) Somente as afirmativas III e IV so corretas. d) Somente as afirmativas I, II e III so corretas. e) Somente as afirmativas I, III e IV so corretas. 38 - (UEL PR) Entre os sculos VIII e VI a.C. os gregos e a civilizao grega conheceram uma notvel expanso, com a criao de cidades ou colnias em torno do Mediterrneo e do Mar Negro. Sobre esse processo, correto afirmar: a) As colnias gregas eram entrepostos comerciais dependentes e administrados por membros das famlias residentes na metrpole, que asseguravam a transferncia de matrias-primas e de riquezas da periferia para o centro. b) As colnias gregas, a exemplo das colnias romanas, eram povoaes constitudas a partir da transferncia de indivduos num objetivo de controlar administrativamente uma cidade ou regio recentemente conquistada pela metrpole. c) A fundao de colnias pelos gregos, como aconteceria depois com os romanos, visava, antes de tudo, conquista de novas terras para assegurar o assentamento dos veteranos dos exrcitos metropolitanos. d) A colonizao grega insere-se no contexto da expanso imperialista de cidades-Estado como Atenas, pois assegurava a exao de tributos e o controle poltico da metrpole sobre suas antigas cidades aliadas. e) As colnias gregas, embora conservassem laos culturais e comerciais com suas metrpoles, eram povoaes completamente independentes, constitudas pelos excludos por diversos motivos que deixavam suas cidades procura de novas terras para se instalar. 39 - (UEG GO) O filme 300, que fez grande sucesso nos cinemas de todo o mundo em 2007, tematiza uma das batalhas mais importantes das Guerras Mdicas. Tal evento pode ser caracterizado como um conflito que a) foi causado pelo processo de expanso territorial do imprio persa, que ambicionava expandir seus domnios sobre os gregos. b) enfraqueceu as cidades-Estado gregas e persas, facilitando o domnio macednico sobre a regio. c) culminou no domnio dos gregos sobre os persas e no florescimento cultural de Esparta. d) marcou o processo de unificao entre medas e persas, garantindo a sua supremacia econmica na regio da Mesopotmia. 9-13 40 - (UFRR) O CRU E O COZIDO: OS MITOS SOBRE A ORIGEM DO FOGO. O antroplogo Claude Lvi-Strauss props certa vez que o conhecimento e uso do fogo constitussem o divisor de guas entre a natureza e a cultura. Isto , por meio do fogo, o homem afasta-se da natureza, desenvolve tcnicas mais avanadas e, mais importante ainda, distingue-se em relao natureza e aos animais. Neste sentido, haveria uma oposio bsica entre os alimentos crus e os alimentos cozidos, sendo estes ltimos tomados tambm, como ndice de identificao entre as comunidades tribais atuais. Sobre o conhecimento do fogo, marque a alternativa correta: a) O domnio do fogo possibilitou ao homem do Paleoltico melhorar a alimentao com mais variedade de carne assada e verduras cozidas. c) A conquista e domnio do fogo provocaram uma revoluo na vida dos homens e mulheres do Neoltico. c) A conquista e domesticao do fogo significaram um processo de humanizao, aquecimento do corpo contra o frio, espantar os animais perigosos e cozinhar os alimentos. d) O domnio do fogo elevou o homem ao estgio de civilizao. e) O fogo foi a grande descoberta do homem do paleoltico, mas isto no o tornou diferente dos outros animais deste perodo e nem mudo a alimentao. 41 - (UECE) No Paleoltico, praticava-se o nomadismo em larga escala, enquanto que no Mesoltico, o nomadismo reduzido, pois os grupos permanecem circunscritos a uma determinada regio respeitando os ciclos da natureza, a mudana das estaes climticas e as migraes dos animais. Assim, o Neoltico assinala o fim do nomadismo. Assinale o correto. a) A sedentarizao dos primeiros grupos humanos impulsionou a organizao das primeiras vilas com habitaes fixas, o desenvolvimento da organizao social e a diviso do trabalho. b) O processo de sedentarizao dos primeiros grupos humanos, no contribuiu para nem alterou significativamente o desenvolvimento da agricultura, pois eles eram, essencialmente, pastores e nmades. c) Os primeiros grupos humanos, nas trs fases da Idade da Pedra, praticaram o nomadismo e o sedentarismo, assim como as atividades de caa e coleta. d) A sedentarizao no contribuiu para o desenvolvimento da agricultura, assim como no foi importante para o nascimento das primeiras vilas. 42 - (UFCG PB) Eixo temtico: Alm da f, o po: permanncias, continuidades e o projeto de felicidade na Modernidade Os mitos dos soberanos da Idade Mdia e do Renascimento fundavam-se consideravelmente numa viso de mundo ou mentalidade tradicional. Se um soberano desta poca era representado como (digamos) Hrcules, isso era muito mais que uma metfora para dizer que ele era forte, ou mesmo que resolveria os problemas de seu reino com a mesma facilidade com que Hrcules realizara seus vrios trabalhos (Peter Burke A fabricao do Rei: a construo da Imagem pblica de Lus XIV; RJ; Jorge Zahar Editor; 1994 p.139). Com base no fragmento textual acima correto afirmar que, durante o Antigo Regime, os soberanos: a) Eram institudos, pensados e proclamados como um ser humano comum, com qualidades e defeitos prprios aos homens. b) No podiam ser contrariados em suas determinaes sob pena de os agressores serem acusados do crime de lesa-majestade. c) Eram representados pela Igreja Catlica como sujeitos indispensveis sociedade, dando-lhes uma proeminncia muito grande sobre os assuntos eclesisticos; d) Eram considerados um igual por seus sditos, devendo trat-los, portanto, com fraternidade e respeito. e) Eram procurados constantemente pelos representantes do povo, pois estes tinham acesso ilimitado para expressar suas opinies, mesmo que nem sempre fossem atendidos. 43 - (FUVEST SP) A instituio das corveias variava de acordo com os domnios senhoriais, e, no interior de cada um, de acordo com o estatuto jurdico dos camponeses, ou de seus mansos [parcelas de terra]. Marc Bloch. Os caracteres originais da Frana rural, 1952. Esta frase sobre o feudalismo trata a) da vassalagem. b) do colonato. c) do comitatus. d) da servido. e) da guilda. 44 - (UFG GO) Na Baixa Idade Mdia (sc. XI-XV), o juramento de fidelidade e reciprocidade compunha um ritual que estabelecia uma relao de dependncia pessoal. Esse ritual remete a uma associao central para a constituio do Feudalismo, que se caracteriza a) pelo estabelecimento de uma autoridade equnime sobre o feudo, por parte do senhor e do servo. b) pela defesa do cristianismo por parte do senhor feudal, ameaado pelas guerras religiosas. c) pelo acordo entre os membros da nobreza senhorial, que assegurava um pacto hierrquico. d) pela manuteno dos princpios do Direito Romano, que reforavam os laos de parentesco nos feudos. e) pela proteo do senhor feudal aos desvalidos, que estavam expostos s epidemias recorrentes. 45 - (UFRN) As imagens e o fragmento textual a seguir abordam elementos essenciais do feudalismo medieval. Figura 1 Campons arando a terra MONTELLATO, Andra; CABRINI, Conceio; CATELLI Jr., Roberto. Histria temtica: terra e propriedade. 2. ed. So Paulo: Scipione, 2005, p. 57. Figura 2 Relaes de suserania e de vassalagem 10-13 Disponvel em: . Acesso em: 28 ago. 2009. O feudalismo foi constitudo pela articulao entre dois eixos de relaes: as relaes feudo-vasslicas e as relaes servis de produo. As relaes feudo-vasslicas estabeleciam-se entre membros da aristocracia militar e territorial e baseavam-se no feudo, na fidelidade e na reciprocidade. As relaes servis de produo estabeleciam-se entre o senhor da terra e o trabalhador e estavam baseadas na desigualdade de condies e na explorao do trabalho. PEDRO, Antonio; LIMA, Liznias de Souza; CARVALHO, Yvone de. Histria do mundo ocidental: ensino mdio. So Paulo: FTD, 2005. p. 97. A partir da anlise das imagens e do fragmento textual, sobre a sociedade medieval na Europa Ocidental correto afirmar: a) A reciprocidade tpica das relaes entre suseranos e vassalos tambm estava presente nas relaes servis de produo, devido s desigualdades sociais existentes entre nobres e servos. b) As relaes de produo predominantes no mundo feudal estavam assentadas na explorao do trabalho dos viles, que viviam nas comunas, base poltica e econmica de suseranos e vassalos. c) As relaes servis de produo adquiriram importncia e serviram de sustentculo para a manuteno da aristocracia feudal, no interior da qual se estabeleceram relaes de suserania e de vassalagem. d) O desenvolvimento das relaes servis de produo, graas a sua alta produtividade no final do perodo medieval, reforou, ainda mais, os vnculos entre suseranos e vassalos em toda a Europa. 46 - (FGV) () Deus tinha distribudo tarefas especficas a cada homem; uns deviam orar pela salvao de todos, outros deviam lutar para proteger o povo; cabia aos membros do terceiro estado, de longe o mais numeroso, alimentar, com seu trabalho, os homens de religio e da guerra. Este padro, que rapidamente marcou a conscincia coletiva, apresentava uma forma simples e em conformidade com o plano divino e assim sancionava a desigualdade social e todas as formas de explorao econmica () (Georges Duby, As trs ordens ou o imaginrio do feudalismo apud Patrcia Ramos Braick e Myrian Becho Mota, Histria: das cavernas ao Terceiro Milnio) A partir do texto, correto concluir que a) a Igreja no reconhecia importncia nas atividades que estivessem desligadas da religio, assim a condio de no nobre revelava um sujeito vtima do castigo divino. b) a rigidez da estrutura da sociedade feudal no foi regra durante a Idade Mdia, pois a partir do sculo X, estabeleceu-se uma dinmica sociedade de classes. c) as posies sociais menos importantes derivavam menos da vontade divina e mais da ausncia de empenho dos homens, segundo a teologia crist medieval. d) a sociedade feudal estruturava-se de forma rgida, determinada pelo nascimento e com pequenas possibilidades de movimentao entre as camadas sociais. e) a suposta imobilidade da sociedade medieval tem fundamento nas teses teolgicas de santo Agostinho, que defendiam a supremacia da razo em detrimento da f. 47 - (UFJF MG) Acerca do incio da Idade Moderna, leia a afirmao abaixo. Em seguida, com base na citao e em seus conhecimentos, responda ao que se pede. Atividades econmicas, estruturas e relaes sociais, formas polticas, ideologias, manifestaes culturais, tudo afinal se modificou em maior ou menor grau, embora em ritmos e propores bastante diferenciados entre si. Tal conjunto permite-nos considerar essa poca o comeo de um perodo distinto do medieval, quaisquer que tenham sido as permanncias e continuidades ento verificadas. Explica-se assim o hbito h muito difundido entre os historiadores de procurar sintetizar todas as transformaes do perodo que ento se iniciava utilizando a noo de moderno. Fonte: FALCON, Francisco;RODRIGUES, Antonio E. A formao do mundo moderno: a construo do Ocidente dos sculos XIV ao XVIII. 2ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006. P.2. Sobre as diversas modificaes ocorridas no perodo, marque a alternativa INCORRETA. a) O movimento conhecido como Renascimento Cultural tinha como uma de suas caractersticas centrais o antropocentrismo. b) O desenvolvimento dos Estados Modernos foi caracterizado pela crescente descentralizao dos poderes, que enfraqueceu o poder dos monarcas. c) O movimento da Reforma Protestante criticou as prticas da Igreja Catlica e dividiu a Cristandade Ocidental. d) Ocorreu a propagao de importantes correntes de pensamento tais como as teorias de direito divino dos Reis. e) O surgimento de avanos tecnolgicos como a bssola e o astrolbio colaborou para a realizao das grandes navegaes. 48 - (UEG GO) Nos sculos XVII e XVIII, ganharam fora as teorias contratualistas, cujo principal questionamento o fundamento racional do poder soberano. Filsofos como Thomas Hobbes, John Locke, Jean-Jacques Rousseau tinham igual propsito de investigar a origem do Estado. Esses pensadores partem da hiptese do estado de natureza e imaginam as pessoas vivendo antes de qualquer sociabilidade. Thomas Hobbes, advertindo que a guerra era inevitvel no estado natural, conclui que a nica maneira de 11-13 garantir a paz seria a delegao de um poder ilimitado ao soberano. Por defender tais princpios, Hobbes ficou conhecido como o terico do a) neoliberalismo. b) absolutismo. c) liberalismo. d) socialismo. 49 - (UNIR RO) O Estado sou eu. A clebre frase atribuda ao rei francs Lus XIV, tambm conhecido como Rei-Sol, sintetiza o perodo absolutista na Europa moderna. Em relao ao Estado absolutista, assinale a afirmativa correta. a) A poltica econmica do absolutismo estava baseada no livre comrcio que era controlado pela burguesia. b) A nobreza havia perdido seus privilgios polticos e sociais devido s constantes guerras entre os Estados absolutistas. c) Os poderes de governos e a autoridade poltica encontravam-se centralizados nas mos do soberano. d) A burocracia foi reduzida em decorrncia da atuao burguesa que defendia a diminuio da presena estatal na vida dos sditos. e) As diversas revoltas camponesas, ocorridas naquele momento, conquistaram melhorias nas condies de trabalho no meio rural. 50 - (UEPB) difcil imaginar sociedades sem Estado. Hoje, como ontem, os Estados podem se fundar em princpios jurdicos, ideolgicos ou religiosos e culturais, com governos eleitos ou ditatoriais. Analise as questes abaixo e aponte, com F ou V, as falsas e as verdadeiras. ( ) A ideia de Estado vem do Renascimento, quando se refletia sobre a relao entre governantes e governados. Aqui surge a lgica que diz que o Estado no tem que necessariamente recorrer ao uso da fora para ser respeitado, e que ele legitimase quando autorizado pelo povo para comandar. ( ) O Estado apenas um dos elementos da natureza. Ele um instrumento que os homens herdam naturalmente para que possam resolver seus conflitos e organizar a vida em comunidade. ( ) No existe qualquer diferena entre os conceitos de Estado, administrao e governo. O Estado apenas uma criao filosfica, j o governo a nica face visvel do poder pblico. ( ) Uma das principais caractersticas do Estado moderno possuir o monoplio da violncia e ter a autoridade necessria para fazer cumprir a lei que garante os direitos e deveres do cidado. Assinale a alternativa correta: a) V, V, F, V b) V, F, V, F c) F, F, V, V d) V, F, F, V e) V, F, V, V 51 - (PUC RJ) Para o progresso do armamento martimo e da navegao, que sob a boa providncia e proteo divina interessam tanto prosperidade, segurana e ao poderio deste reino [...], nenhuma mercadoria ser importada ou exportada dos pases, ilhas, plantaes ou territrios pertencentes Sua Majestade, ou em possesso de Sua Majestade, na sia, Amrica e frica, noutros navios seno nos que [...] pertencem a sditos ingleses [...] e que so comandados por um capito ingls e tripulados por uma equipagem com trs quartos de ingleses [...], nenhum estrangeiro [...] poder exercer o ofcio de mercador ou corretor num dos lugares supracitados, sob pena de confisco de todos os seus bens e mercadorias [...]. Segundo Ato de Navegao de 1660. In: Pierre Deyon. O mercantilismo. So Paulo: Perspectiva, 1973, p. 94-95. Por meio do Ato de Navegao de 1660, o governo ingls: a) estabelecia que todas as mercadorias comercializadas por qualquer pas europeu fossem transportadas por navios ingleses. b) monopolizava seu prprio comrcio e impulsionava a indstria naval inglesa, aumentando ainda mais a presena da Inglaterra nos mares do mundo. c) enfrentava a poderosa Frana retirando-lhe a posio privilegiada de intermediria comercial em nvel mundial. d) desenvolvia a sua marinha, incentivava a indstria, expandia o Imprio, abrindo novos mercados internacionais ao seu excedente agrcola. e) protegia os produtos ingleses, matrias-primas e manufaturados, que deveriam ter sua sada dificultada, de modo a gerar acmulo de metais preciosos no Reino ingls. 52 - (UEL PR) Leia o texto a seguir: Ao empreender a anlise da estrutura e dos limites do conhecimento, Kant tomou a fsica e a mecnica celeste elaboradas por Newton como sendo a prpria cincia. Entretanto, era preciso salv-la do ceticismo de Hume quanto impossibilidade de fundamentar as inferncias indutivas e de alcanar um conhecimento necessrio da natureza. Com base no pensamento de David Hume acerca do entendimento humano, correto afirmar: a) Dentre os objetos da razo humana, as relaes de ideias se originam das impresses associadas aos conceitos inatos dos quais obtm-se dedutivamente o entendimento dos fatos. b) As concluses acerca dos fatos obtidas pelo sujeito do conhecimento realizam-se sem auxlio da experincia, recorrendo apenas aos raciocnios abstratos a priori. c) O postulado que afirma a inexistncia de conhecimento para alm daquele que possa vir a resultar do hbito funda-se na ideia metafsica de relao causal como conexo necessria entre os fatos. d) O sujeito do conhecimento opera associaes de suas percepes, sensaes e impresses semelhantes ou sucessivas recebidas pelos rgos dos sentidos e retidas na memria. e) Pelo raciocnio o sujeito induzido a inferir as relaes de causa e efeito entre percepes e impresses acerca da regularidade de fenmenos semelhantes que se repetem na sucesso do tempo. 53 - (UFRN) Thomas Mun, pensador ingls do sculo XVII, analisando o conjunto de prticas e idias econmicas adotadas pelos Estados Modernos, afirmou: O recurso comum [...] para aumentar nossa riqueza e tesouro pelo comrcio externo, no qual devemos observar algumas regras rgidas. A primeira vender mais aos estrangeiros, anualmente, do que consumimos de seus artigos. A parte de nosso stock que no nos for devolvida em mercadorias dever necessariamente ser paga em dinheiro [...]. MUN, Thomas. In: FREITAS, Gustavo de. 900 textos e documentos de histria. Lisboa: Pltano, 1976, v. 2. p. 223. O conjunto das prticas e idias econmicas a que o texto faz referncia constitui o 12-13 a) liberalismo econmico, que propunha a consolidao da aliana poltica e econmica dos reis absolutistas com as burguesias nacionais. b) mercantilismo, cujos princpios incluam a manuteno de uma balana comercial favorvel e o acmulo de metais preciosos. c) mercantilismo, que defendia a completa eliminao do metalismo, mediante a criao de uma balana comercial superavitria . d) liberalismo ingls, para o qual a interveno do Estado era a nica forma de uma nao superar a pobreza. 54 - (UFV MG) Assinale a alternativa que apresenta INCORRETAMENTE uma das caractersticas da Contra-Reforma: a) Estabelecimento de tribunais inquisitoriais para julgamento de prticas religiosas consideradas herticas. b) Criao de ordens religiosas no sculo XVI, que atuaram em misses catlicas na Europa e fora do continente europeu. c) Confirmao do papel da arte religiosa como instrumento utilizado no ensino das doutrinas catlicas e no estmulo devoo. d) Reformulao da teologia com base na doutrina da salvao pela f e no pensamento de Santo Agostinho. 55 - (UFCG PB) Em uma sociedade basicamente iletrada que ainda perdurava entre os sculos XIII e XV na Europa, o papel dos telogos da Reforma foi extremamente importante para o letramento das pessoas comuns e para o aumento das possibilidades de cidadania. Sobre as conquistas intelectuais advindas com a Reforma INCORRETO afirmar que: a) A Reforma nasceu no prprio seio da Igreja e procurou dar visibilidade ao conjunto de valores que preconizavam o retorno s origens do cristianismo. b) Os clrigos reformistas renovaram a abordagem da teologia pastoral a fim de responder s angstias dos crentes, elaborando obras curtas sobre a moral e a prtica da f. c) As tradues da Bblia (como a de Gutenberg, 1456) difundiram-se na Europa, permitindo aos leigos acesso mais fcil s escrituras. d) A nova relao mais direta, mas ntima entre os fiis e Deus, intermediada pelos textos sagrados, incomodava a Igreja, porque diminua fortemente a autoridade do Papa e do clero e quebrava a ordem social do mundo medieval. e) As tradues mais livres da Bblia permitiram a liberalidade dos costumes, fazendo com que alguns protestantes no seguissem mais os valores morais pregados pelo Cristianismo. 56 - (UFC CE) A anlise histrica do Renascimento italiano, caso das obras de Leonardo da Vinci e de Brunelleschi, permite identificar uma convergncia entre as artes plsticas e as concepes burguesas sobre a natureza e o mundo naquele perodo. Acerca da relao entre artistas e burgueses, correto afirmar que ambos: a) convergiram em ideias, pois valorizavam a pesquisa cientfica e a inveno tecnolgica. b) retomaram o conceito medieval de antropocentrismo ao valorizar o indivduo e suas obras pessoais. c) adotaram os valores da cultura medieval para se contrapor ao avano poltico e econmico dos pases protestantes. d) discordaram quanto aos assuntos a serem abordados nas pinturas, pois os burgueses no financiavam obras com temas religiosos. e) defenderam a adoo de uma postura menos opulenta em acordo com os ideais do capitalismo emergente e das tcnicas mais simples das artes. 57 - (UEG GO) O movimento de ideias, conhecido como Renascena, foi caracterizado na literatura e na arte por um esmerado cultivo da forma e por uma admirao entusiasta da antiguidade pag. Mudanas foram experimentadas em todas as reas de atuao humana. Dentre os pensadores que marcaram este perodo, destacam-se os seguintes: a) Kant, Hegel e Marx b) Descartes, Bacon e Comte c) Scrates, Plato e Aristteles d) Giordano Bruno, Maquiavel e Jean Bodin 58 - (UFPB) Observe a imagem ao lado. David Escultura de Michelangelo 1501 e 1504. Disponvel em: . Acesso em: 22 set. 2009. A Escultura do Rei David, esculpida por Michelangelo entre 1501 e 1504, simboliza um perodo de transformaes na histria europeia, conhecido como Renascimento ou Renascena. Sobre esse perodo histrico e as transformaes dele decorrentes, correto afirmar que, no campo a) ideolgico, houve o fortalecimento das universidades religiosas tradicionais, que reforaram a difuso do iderio teocentrista. b) artstico da pintura, ganharam destaque as obras em duas dimenses, em contraposio s obras medievais, que trabalhavam com a noo de perspectiva. c) mdico, proibiu-se a dissecao de cadveres, a qual era medida necessria ao combate contra a propagao de velhas e novas doenas. d) poltico, ocorreu a aliana entre os novos pensadores e o alto clero, o que possibilitou o aparecimento do Estado moderno. e) do conhecimento, ocorreu a abertura de escolas e universidades laicas, que passaram a colocar o ser humano como foco de seus estudos. 13-13 59 - (UEPB) Os sculos XVI e XVII viram paradigmas, tidos como imutveis, serem transgredidos. A migrao do geocentrismo para o heliocentrismo possibilitou rompimentos com o senso comum e o fundamentalismo religioso. Relacione a coluna da direita de acordo com a da esquerda: (1) Nicolau Coprnico (2) Johannes Kepler (3) Galileu Galilei (4) Francis Bacon (5) Isaac Newton ( ) Inventou a bomba que faz subir gua, o compasso geomtrico e a bssola. Sua tese sobre a queda dos corpos o ponto, sem regresso, a partir do qual a fsica inicia. ( ) Para ele a mquina do universo no como um ser divino animado, e sim como um relgio, onde os movimentos dependem de uma fora ativa material. ( ) Trs de suas descobertas so o mtodo das fluxes ou clculo diferencial, a lei da composio da luz e a lei da gravitao universal. ( ) Reformou o sistema monetrio e o cdigo cannico de sua poca. Defendeu o heliocentrismo, a tese dos corpos celestes e o movimento das diferentes esferas. ( ) Autor de A Grande restaurao, props que, para se conhecer a natureza, devem-se observar os fatos, classificando-os, para determinar suas causas. Assinale a alternativa correta: a) 1, 3, 2, 5, 4 b) 4, 1, 3, 2, 5 c) 5, 3, 1, 4, 2 d) 3, 2, 5, 1, 4 e) 2, 4, 5, 3, 1 60 - (UEG GO) O filsofo Thomas Hobbes entendia que a natureza humana inteiramente voltada para o auto-interesse. Portanto, CORRETO afirmar que, segundo este filsofo, a) h necessidade de contnua vigilncia de cada um sobre sua prpria natureza, a fim de evitar que o auto-interesse prevalea sobre o altrusmo. b) esta natureza m , na verdade, uma degenerao, pela convivncia em sociedade, de uma natureza originalmente boa. c) o nico controle que pode ser exercido sobre esta natureza o da moralizao do Estado. d) o governante deve ser forte e repressor o bastante para manter os homens sob controle.

Recommended

View more >