apostila tÉcnico de seguranÇa do trabalho revisada e atualizada

Download Apostila TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Revisada e Atualizada

Post on 16-Dec-2015

16 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Legislao Aplicada Segurana do Trabalho

    Prof. Cesar Augusto Cardoso

    Prof. Luiz Melchiades

    Prof. Wanisio Guimares

    Pgina 1 Supervisor e professor. Cristiano Costa dos Santos

    1. INTRODUO

    Diante das exigncias impostas pelo mercado de trabalho,

    agigantada pela necessidade de um profissional cada vez mais bem preparado para as

    mais diversas situaes que podero ocorrer no ambiente obreiro, surgiu a

    necessidade de prepararmos os futuros Tcnicos em Segurana do Trabalho no

    somente com um arcabouo de conhecimentos clssicos, mas com uma estrutura que

    lhe permitisse, atravs de conhecimentos no s tcnicos, como tambm jurdicos

    cada vez mais profundos, atuar de forma preventiva e, quando se confrontasse com

    situaes emergenciais, pudessem ter solues racionais e adequadas a luz da

    legislao vigente, de modo a no produzir condutas improdutivas. Assim nasceu o

    material ora estudado.

    Comearemos com um breve estudo de como se forma um

    Estado (Pas) seguido dos seus elementos principais. Versaremos ainda, comentrios

    breves, mas de importncia mpar a cerca da Constituio Brasileira com seus pontos

    de maior relevo para a Segurana do Trabalho. Nesse sentido analisaremos o

    comportamento que a legislao do trabalho exige de todos envolvidos nas relaes

    trabalhistas, bem como os aspectos previdencirios reconhecidos pelo ordenamento

    jurdico brasileiro. Adentraremos em singular reflexo sobre pontos que formam a

    estrutura bsica do Tcnico. Alm disso, verificaremos a hierarquia das Leis e Atos

    Normativos, suas distines e, por fim, sero expostas algumas leis comumente

    cobradas em provas.

    Advertimos o caro leitor de que este um trabalho para Tcnicos

    em Segurana do Trabalho e, portanto, desprovido de pretenses jurdicas, isto , aqui

    se trata apenas do enfoque da Segurana do Trabalho.

  • Legislao Aplicada Segurana do Trabalho

    Prof. Cesar Augusto Cardoso

    Prof. Luiz Melchiades

    Prof. Wanisio Guimares

    Pgina 2 Supervisor e professor. Cristiano Costa dos Santos

    2. CONCEITO DAS NORMAS

    Devemos entender que normas so ordens elaboradas por uma

    ou vrias autoridades que possuem o dever de zelar pela paz social. Cabe ressaltar que

    as normas aqui tratadas so normas jurdicas, as quais, uma vez descumpridas,

    sujeitam o infrator as penalidades impostas pelo Estado (governo).

    Existe em todo Pas um conjunto de normas atravs das quais o povo governado. A

    esse conjunto denominamos Ordenamento Jurdico. Estas normas esto dispostas em

    um sistema coordenado e obedece a uma hierarquia, ou seja, a de maior grau

    hierrquico se sobrepe a de menor grau.

    2.1. Constituio Federal de 1988

    a norma de maior grau que existe em nosso Pas. Como dizem

    os juristas, a nossa Lei Maior, pois versa sobre a estrutura e funcionamento do

    Estado tais como:

    2.1.1 - Normas que fixam a Organizao do Pas so

    mandamentos que dizem como o pas ir se dividir, por exemplo, o artigo 18 que tem a

    seguinte redao:

    Artigo 18 - A organizao poltico-administrativa da Repblica Federativa do Brasil compreende a Unio, os Estados, o Distrito Federal e os Municpios, todos autnomos, nos termos desta Constituio.

    2.1.2 - Normas que fixam a aquisio e manuteno do poder

    so normas de grande importncia, porque descrevem o modo atravs do qual um

    cidado poder chegar ao poder e o tempo que ele poder ficar. Isso ocorre para

    impedir que um governante, uma vez no poder, dele se apodere e fique por tempo

    indeterminado gerando a arbitrariedade e crueldade. Exemplo:

    Artigo 82 - O mandato do Presidente da Repblica de quatro anos e ter incio em primeiro de janeiro do ano seguinte ao da sua eleio.

    2.1.3 Direitos e Garantias Fundamentais estes representam uma das maiores

    conquistas dos cidados frente queles que esto no poder, logo, representam um

    limite a vontade do governante ao exercer o poder. So eles:

  • Legislao Aplicada Segurana do Trabalho

    Prof. Cesar Augusto Cardoso

    Prof. Luiz Melchiades

    Prof. Wanisio Guimares

    Pgina 3 Supervisor e professor. Cristiano Costa dos Santos

    Direitos e deveres individuais e coletivos; Direitos sociais; Direitos nacionalidade; Direitos polticos; e Direitos dos partidos polticos.

    Como exemplo temos o inciso XXII do artigo 7, que d ao

    trabalhador direito reduco dos riscos inerentes ao trabalho por meio de normas de

    higiene, sade e segurana.

    Artigo 7 - So direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, alm de outros que visem melhoria de sua condio social: (...) XXII - reduo dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de sade, higiene e segurana;

    2.2. Lei

    uma prescrio elaborada, em regra, pelo Poder Legislativo e

    segundo a Constituio federal, a uma das formas que o governante tem de obrigar o

    cidado a fazer ou deixar de fazer determinada coisa. Existem leis que possuem

    importncia maior para o Tcnico em segurana do trabalho. So elas:

    2.2.1 - Lei 7.410/85 trata da formao e registro necessrios ao

    exerccio da profisso de tcnico em segurana do trabalho.

    Artigo 2 - O exerccio da profisso de Tcnico de Segurana do Trabalho ser permitido, exclusivamente: I - ao portador de certificado de concluso de curso de Tcnico de Segurana do Trabalho, a ser ministrado no Pas em estabelecimentos de ensino de 2 grau; (...) Artigo 3 - O exerccio da atividade de Engenheiros e Arquitetos na especializao de Engenharia de Segurana do Trabalho depender de registro em Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, aps a regulamentao desta Lei, e o de Tcnico de Segurana do Trabalho, aps o registro no Ministrio do Trabalho.

    2.2.2 - Lei 8.213/91 trata dos benefcios previdencirios que

    podero ser recebidos pelo trabalhador em decorrncia do acidente de trabalho;

    estabelece o conceito de acidente do trabalho bem como o prazo para sua

    comunicao. So benefcios decorrentes do acidente de trabalho:

  • Legislao Aplicada Segurana do Trabalho

    Prof. Cesar Augusto Cardoso

    Prof. Luiz Melchiades

    Prof. Wanisio Guimares

    Pgina 4 Supervisor e professor. Cristiano Costa dos Santos

    Auxlio doena acidentrio Auxlio acidente Reabilitao Aposentadoria por invalidez Penso por morte, etc.

    2.3. Decreto

    Decretos so atos administrativos de competncia exclusiva do Chefe do

    Poder Executivo, destinados a prover situaes gerais ou individuais, abstratamente

    previstas, de modo expresso ou implcito, na lei. Esta a definio clssica, a qual, no

    entanto, inaplicvel aos decretos autnomos, tratados adiante.

    2.3.1 - Decretos Autnomos - Com a Emenda Constitucional n

    32, de 11 de setembro de 2001, introduziu-se no ordenamento ptrio, ato normativo

    conhecido doutrinariamente como decreto autnomo, decreto que decorre

    diretamente da Constituio, possuindo efeitos anlogos ao de uma lei ordinria. Tal

    espcie normativa, contudo, limita-se s hipteses de organizao e funcionamento da

    administrao federal, quando no implicar aumento de despesa nem criao ou

    extino de rgos pblicos e de extino de unes ou cargos pblicos, quando vago

    (art. 84, VI, da Constituio Federal).

    Artigo. 84 - Compete privativamente ao Presidente da Repblica: (...) VI - dispor, mediante decreto, sobre: a) organizao e funcionamento da administrao federal, quando no implicar aumento de despesa nem criao ou extino de rgos pblicos; b) extino de funes ou cargos pblicos, quando vagos;

    2.3.2 - Decretos Singulares - Os decretos podem conter regras

    singulares ou concretas (v. g., decretos de nomeao, de aposentadoria, de abertura

    de crdito, de desapropriao, de cesso de uso de imvel, de indulto de perda de

    nacionalidade etc.).

    2.3.3 - Decretos Regulamentares - Os decretos regulamentares

    so atos normativos subordinados ou secundrios. A diferena entre a lei e o

    regulamento, no Direito brasileiro, no se limita origem ou supremacia daquela

    sobre este. A distino substancial reside no fato de que a lei inova originariamente o

    ordenamento jurdico, enquanto o regulamento no o altera, mas fixa, to-somente,

    as regras orgnicas e processuais destinadas a pr em execuo os princpios

  • Legislao Aplicada Segurana do Trabalho

    Prof. Cesar Augusto Cardoso

    Prof. Luiz Melchiades

    Prof. Wanisio Guimares

    Pgina 5 Supervisor e professor. Cristiano Costa dos Santos

    institucionais estabelecidos por lei, ou para desenvolver os preceitos constantes da

    lei, expressos ou implcitos, dentro da rbita por ela circunscrita, isto , as diretrizes,

    em pormenor, por ela determinadas.

    2.4. Portaria

    o instrumento pelo qual Ministros ou outras autoridades

    expedem instrues sobre a organizao e funcionamento de servio e praticam

    outros atos de sua competncia.

    atravs das portarias que o Ministrio do Trabalho e Emprego

    (MTE) realiza as mudanas nas suas normas regulamentadoras. Temos como destaque

    a Portaria 3.214/78 que introduziu 28 normas regulamentadoras para fiel

    cumprimento por parte das empresas.

    2.5. Conveno Internacional

    So acordos realizados entre Pases ou entre estes e

    Organizaes Internacionais sobre assuntos que tenham interesse. Vale lembrar que

    pelo princpio da soberania, as convenes s tm aplicabilidade no territrio

    brasileiro aps sua aprovao pelo Congresso Nacional que ir internaliz-la atravs de

    Decreto Legisla

Recommended

View more >