resolucao 2197

Download Resolucao 2197

Post on 01-Jul-2015

789 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. A Resoluo SEE 2.197/2012 e sua operacionalizao no contexto da construo de novos patamares de desempenho na Educao. Encontro de Professores do EF Junho de 2013 SUPERINTENDNCIA REGIONAL DE ENSINO DE LEOPOLDINA

2. A Resoluo SEE 2.197/2012 dispe sobre a organizao e o funcionamento do ensino nas Escolas Estaduais de Educao Bsica de Minas Gerais, embasada nas Legislaes vigentes: 3. Lei n 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Resoluo do Conselho Nacional de Educao n 4, de 13 de julho de 2010. Resoluo do Conselho Nacional de Educao n 7, de 14 de dezembro de 2010. Resoluo do Conselho Nacional de Educao n 2, de 30 de janeiro de 2012. Parecer do Conselho Estadual de Educao n 1132, de 12 de dezembro de 1997. Parecer do Conselho Estadual de Educao n 1158, de 11 de dezembro de 1998. 4. 1- A Resoluo 2197/2012 traz muitas ideias inovadoras que iro garantir a construo de novos patamares de educao. Cite 07 delas: 5. 01- As diferentes oportunidades de aprendizagem definidas no PIP; 02- Os princpios norteadores das aes pedaggicas; 03- O princpio da continuidade da aprendizagem dos alunos; 04- A estruturao do Ensino Fundamental em 04 ciclos de escolaridade, considerados como blocos pedaggicos sequenciais; 05- O envolvimento efetivo da comunidade escolar na concepo, consolidao e atualizao do PPP e do PIP; 06- A avaliao diagnstica, a progresso continuada e parcial dos alunos, com ampliao do n de componentes curriculares na progresso parcial; 07- A contextualizao e a interdisciplinaridade como formas de interao e articulao entre diferentes campos dos saberes especficos, permitindo aos alunos a compreenso mais ampla da realidade. 6. 2- Que procedimentos e instrumentos de avaliao da aprendizagem a escola no seu fazer pedaggico dever implementar para garantir o diagnstico de aprendizagem de seus alunos e a elaborao e implementao de seu Plano de Interveno Pedaggica? 7. Na avaliao da aprendizagem, a escola dever utilizar procedimentos, recursos de acessibilidade e instrumentos diversos, tais como: a observao, o registro descritivo e reflexivo, os trabalhos individuais e coletivos, os portiflios, os exerccios, entrevistas, provas, testes, questionrios, adequando-os faixa etria e s caractersticas dos alunos. 8. 3- O que define o Art. 72 da Resoluo 2197/12? 9. O Art. 72 dispe sobre progresso continuada, com aprendizagem e sem interrupo, nos Ciclos da Alfabetizao e Complementar vinculada avaliao contnua e processual, que permite ao professor acompanhar o desenvolvimento e detectar as dificuldades de aprendizagem apresentadas pelo aluno, no momento em que elas surgem, intervindo de imediato, com estratgias adequadas, para garantir as aprendizagens bsicas Pargrafo nico . A progresso continuada nos anos iniciais do Ensino Fundamental deve estar apoiada em intervenes pedaggicas significativas, com estratgias de atendimento diferenciado, para garantir a efetiva aprendizagem dos alunos no ano em curso . 10. 4- Como a escola e os professores podero assegurar o progresso contnuo dos alunos no que se refere ao seu desenvolvimento pleno e aquisio de aprendizagens significativas? 11. A escola e os professores devero lanar mo de todos os recursos disponveis, e ainda: I - criando, ao longo do ano letivo, novas oportunidades de aprendizagem para os alunos que apresentem baixo desempenho escolar; II - organizando agrupamento temporrio para alunos de nveis equivalentes de dificuldades, com a garantia de aprendizagem e de sua integrao nas atividades cotidianas de sua turma; III - adotando as providncias necessrias para que a operacionalizao do princpio da continuidade no seja traduzida como promoo automtica de alunos de um ano ou ciclo para o seguinte, e para que o combate repetncia no se transforme em descompromisso com o ensino-aprendizagem . 12. 5- Quais os direitos mnimos a serem assegurados pela escola ao final de cada ano do Ciclo Inicial de Alfabetizao? 13. I - 1 Ano: a) desenvolver atitudes e disposies favorveis leitura; b) conhecer os usos e funes sociais da escrita; c) compreender o princpio alfabtico do sistema da escrita; d) ler e escrever palavras e sentenas . 14. II - 2 Ano: a) ler e compreender pequenos textos; b) produzir pequenos textos escritos; c) fazer uso da leitura e da escrita nas prticas sociais . 15. III - 3 Ano: a) ler e compreender textos mais extensos; b) localizar informaes no texto; c) ler oralmente com fluncia e expressividade; d) produzir frases e pequenos textos com correo ortogrfica. 16. 1 Ao final do Ciclo da Alfabetizao, todos os alunos devem ter consolidado as capacidades referentes leitura e escrita necessrias para expressar-se, comunicar-se e participar das prticas sociais letradas, e ter desenvolvido o gosto e apreo pela leitura . 2 Ao final do Ciclo da Alfabetizao, na rea da Matemtica, todos os alunos devem compreender e utilizar o sistema de numerao, dominar os fatos fundamentais da adio e subtrao, realizar clculos mentais com nmeros pequenos, dominar conceitos bsicos 17. 6- Quais os direitos mnimos a serem assegurados pela escola ao final de cada ano do Ciclo Complementar? 18. I - 4 ano: a) produzir textos adequados a diferentes objetivos, destinatrios e contextos; b) utilizar princpios e regras ortogrficas e conhecer as excees; c) utilizar as diferentes fontes de leitura para obter informaes adequadas a diferentes objetivos e interesses; d) selecionar textos literrios segundo seus interesses. 19. II - 5 Ano: a) produzir, com autonomia, textos com coerncia de ideias, correo ortogrfica e gramatical; b) ler, compreendendo o contedo dos textos, sejam informativos, literrios, de comunicao ou outros . 20. 1 Ao final do Ciclo Complementar, todos os alunos devero ser capazes de ler, compreender, retirar informaes contidas no texto e redigir com coerncia, coeso, correo ortogrfica e gramatical. 2 Ao final do Ciclo Complementar, na rea da Matemtica, todos os alunos devem dominar e compreender o uso do sistema de numerao, os fatos fundamentais da adio, subtrao, multiplicao e diviso, realizar clculos mentais, resolver operaes matemticas mais complexas, ter conhecimentos bsicos relativos a grandezas e medidas, espao e forma e ao tratamento de dados em grficos e tabelas. 21. 7- O Art. 78 da Resoluo 2197/12 estabelece diferentes oportunidades de aprendizagem a serem definidas no Plano de Interveno Pedaggica da Escola. O que dispe o inciso I desse artigo? 22. O Inciso I do Art. 78 estabelece sobre os estudos contnuos de recuperao, ao longo do processo de ensino aprendizagem, constitudos de atividades especificamente programadas para o atendimento ao aluno ou grupos de alunos que no adquiriram as aprendizagens bsicas com a utilizao de estratgias diferenciadas, partindo sempre das dificuldades apresentadas e da realidade dos alunos. 23. 8- Como deve proceder a escola diante dos resultados das avaliaes da aprendizagem dos alunos? 24. A comunidade escolar deve analisar e divulgar os resultados das avaliaes internas e externas, e a partir desta anlise, elaborar o Plano de Interveno Pedaggica que atenda s dificuldades apresentadas pelos alunos, envolvendo as famlias na participao das atividades propostas. As aes do PIP precisam ser passveis de acontecer, e devem ser avaliadas sistematicamente, para que possam ser replanejadas, caso necessrio. 25. 9- O que os professores tm que ensinar para garantir os direitos de aprendizagem aos seus alunos do Ensino Fundamental? 26. Os Ciclos da Alfabetizao e Complementar tero suas atividades pedaggicas organizadas de forma gradativa e crescente em complexidade, considerando o disposto nas Matrizes Curriculares. 27. 10- Que aes a escola deve implementar para romper com a cultura da repetncia? 28. Anlise dos resultados da avaliaes internas e externas para a elaborao do PIP; Divulgao dos resultados para a comunidade escolar; Aplicao dos dispositivos definidos nos incisos I, II e III do artigo 73 da Resoluo 2197/12; Conscientizao dos professores, atravs de estudos e reflexo sobre a importncia da avaliao diagnstica no processo ensino e aprendizagem: Avaliar para planejar e intervir; Promoo de reunies pedaggicas para o estudo da resoluo 2197/12 para toda comunidade escolar. 29. EDUCARECUIDAR 30. Educar e cuidar da criana implica: Acolh-la nos momentos difceis, faz-la sentir-se confortvel e segura, Orient-la sempre que necessrio e apresentar-lhe o mundo da natureza, da sociedade e da cultura, aqui incluindo as artes e a linguagem verbal; garantir uma experincia bem-sucedida de aprendizagem a todas as crianas sem discriminar aquelas que apresentam necessidades educacionais especiais ou que pertencem a determinadas etnias ou condies sociais; 31. Trabalhar na perspectiva de que as prprias crianas aprendam a se cuidar mutuamente, busquem suas prprias perguntas e respostas sobre o mundo e respeitem suas diferenas, promovendo- lhes autonomia. Trabalhar pela eliminao de preconceitos tnico- raciais e outros, fortalecendo a auto- estima e os vnculos afetivos de todas as crianas e as ajuda a refletir sobre a forma socialmente injusta como os preconceitos foram construdos e se manifestam, a desenvolver uma viso crtica sobre a organizao das atuais prticas e valores sociais predominantes e a construir atitudes de respeito e solidariedade; 32. Promove a educao pela paz, pela liberdade, pelo respeito vida, pela formao de vnculos entre as pessoas e entre elas e os outros seres vivos. 33. Aps a Resoluo SEE 2.197/2012 revogaram-se as seguintes resolues: Resoluo SEE 159/1999; Resoluo SEE 521/2004; Resoluo SEE 820/2006; Resoluo SEE 1086/2008; 34. Bons resultados no desempenho dosBons resultados no desempenho dos alunos requerem persistncia e noalunos requerem persistncia e no podem ser obtidos sem que exista umpodem ser obtidos sem que exista um ambiente de trabalho saudvel eambiente de trabalho saudvel e otimista.otimista. Cludio de MouraCludio de Moura CastroCastro Sem coragem, as outras virtudes carecem de sentido. W