PCMSO - Programa de Controle Médico e Saúde ?· 5.0 aso - atestado de saÚde ocupacional 6.0 programas…

Download PCMSO - Programa de Controle Médico e Saúde ?· 5.0 aso - atestado de saÚde ocupacional 6.0 programas…

Post on 16-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p> PCMSO - Programa de Controle </p> <p>Mdico e Sade Ocupacional </p> <p>Empresa: ORION INDSTRIA DE PLSTICOS LTDA. Elaborado por: Dr. Jos Virglio C. de Castro Mdico do Trabalho - Mdico Coordenador CRM 604/AM </p> <p>Perodo: Outubro de 2013 a Outubro de 2014. </p> <p>P C M S O PROGRAMA DE CONTROLE MDICO DE SADE </p> <p>OCUPACIONAL </p> <p> PCMSO (Perodo de Abrangncia: Outubro/2013 Outubro/2014) </p> <p>Empresa: ORION INDSTRIA DE PLSTICO LTDA. </p> <p>PROGRAMA DE CONTROLE MDICO DE SADE OCUPACIONAL </p> <p>PCMSO </p> <p>Empresa: IDENTIFICAO </p> <p>ORION INDSTRIA DE PLSTICO LTDA.</p> <p>CNPJ/CEI: 08.211.330/0001-38 Grau de Risco: 03 </p> <p>CNAE : Endereo : Bairro : Cidade : CEP: </p> <p>U.F.: </p> <p>JORNADA DE TRABALHO: 1 Turno: 06h s 14h Segunda a sbado; 2 Turno: 14h s 22h Segunda a sbado; 3 Turno: 22h s 06h Segunda a sexta + o terceiro sbado de cada ms (este turno trabalha apenas um sbado por ms); Comercial: 07h s 17h Segunda a quinta; 07h s 16h Sextas feiras; Aprendizes: Manh das 07h s 11h de Segunda a sexta; Tarde das 13h s 17h de Segunda a sexta. </p> <p>22.29-3-02 </p> <p>Rua Juta, N. 500 Distrito Industrial</p> <p>MANAUS 69075-130 </p> <p>AM</p> <p>Atividade da Empresa: Fabricao de artefatos de material plstico para usos industriais. </p> <p>NMERO ATUAL DE FUNCIONRIOS: </p> <p>Mulheres Maiores : Mulheres Menores : Homens Maiores : Homens Menores : </p> <p>Total : </p> <p>MDICO COORDENADOR DO PCMSO </p> <p> 47 4</p> <p> 93 3</p> <p>143</p> <p>Dr. JOS VIRGLIO C. DE CASTRO CRM : 604-AMMDICO DO TRABALHO </p> <p>PERODO DE ABRANGNCIA: </p> <p>DATA DE VALIDADE:De : Outubro/2013 At : Outubro/2014</p> <p>Outubro/2014</p> <p> Sumrio 1.0 APRESENTAO2.0 RISCOS AMBIENTAIS3.0 EXAMES MDICOS OCUPACIONAIS 4.0 EXAMES COMPLEMENTARES5.0 ASO - ATESTADO DE SADE OCUPACIONAL 6.0 PROGRAMAS DE PREVENO7.0 COMUNICAO DE ACIDENTE DO TRABALHO - CAT8.0 RELATRIOS ANUAIS DO PCMSO9.0 10.0 </p> <p>MEDIDAS PREVENCIONISTAS SEREM ADOTADAS LISTA DE FUNCIONRIOS </p> <p>Pgina 1 do Sumrio dos Tpicos do Relatrio PCMSO</p> <p>1.0 - Apresentao O Programa de Controle de Sade Ocupacional - PCMSO prioriza o atendimento dos interesses da sade de todos os trabalhadores, a partir de mtodo de estudo epidemiolgico prevencionista, diantedos riscos ambientais a que se submetem, quando em atividade laborativa, a eles direta ouindiretamente expostos. O PCMSO possui extrema intimidade com o Programa de Preveno dos Riscos Ambientais - PPRA e a ele vincula a partir de interesses definidos pelas NR 07 e 09, da Portaria n. 24 de 29/12/94. parteintegrante do conjunto mais amplo de iniciativas da empresa no campo da sade dos trabalhadores,devendo estar articulado com o disposto nas demais NR's. O referido programa dever considerar as questes incidentes sobre o indivduo e a coletividade detrabalhadores, privilegiando o instrumental clnico - epidemiolgico na abordagem da relao entre sua sade e o trabalho. Este programa define regras, procedimentos, modelos de planilhas, formulrios, ou seja, uma rotinapreestabelecida adequada realidade tcnica, administrativa operacional de carter de preveno,rastreamento e diagnstico precoce dos agravos sade relacionados ao trabalho, inclusive denatureza subclnica alm da constatao da existncia de casos de doenas profissionais ou danosirreversveis sade dos trabalhadores. O programa tem periodicidade anual; os parmetros mnimos ediretrizes gerais so estabelecidos pela NR-07 adequados s necessidades da empresa, que classificam os funcionrios da empresa, a partir de suas atividades,mapeamentos de riscos, medies ambientais, anlises ergonmicas e anlises de riscos fsicos,qumicos e biolgicos. O PCMSO dever obedecer a um planejamento em que estejam previstas as aes de sade a seremexecutadas durante o ano de 2013 / 2014. </p> <p>2.0 - Riscos AmbientaisConsideram-se riscos ambientais os existentes nos locais de trabalho, que, em funo de sua natureza,concentrao ou intensidade e tempo de exposio, so capazes de causar dano sade dotrabalhador. Classificam-se, segundo a legislao brasileira, em agentes qumicos, fsicos, biolgicos, ergonmicos, mecnicos (acidentes). Estes so fornecidos pelo PPRA. 2.1 - Trabalhadores no expostos aos riscos ocupacionais previstos nos quadros I e II da NR - 07. Enquadram-se neste grupo os trabalhadores que exercem suas atividades profissionais em ambientes de escritrio, no expostos habitualmente a riscos ou situaes de trabalho que impliquem nodesencadeamento ou agravamento de doena ocupacional. A investigao da sade desses trabalhadores se far, basicamente, atravs da avaliao clnica, abrangendo anamnese ocupacional e exame fsico e mental, de acordo com a seguinte periodicidade: a)Semestral para trabalhadores que trabalhem em setores de riscos; b)Anual, para trabalhadores menores de 18 anos e maiores de 45 anos de idade; (c) A cada 2 anos, para trabalhadores entre 18 a 45 anos de idade. 2.2 - Trabalhadores expostos aos riscos ocupacionais previstos nos quadros I e II da Nr - 07. Enquadram-se neste grupo a fatalidade dos trabalhadores que executam atividades em reas que os exponham a algum risco ambiental identificado pelo Programa de Preveno de Risco Ambientais -PPRA (NR 09). Tais riscos ou situaes de trabalho podem implicar no desencadeamento ouagravamento de doenas ocupacionais, ou ainda, aqueles que sejam portadores de doenas crnicas. A investigao da sade desses trabalhadores se far atravs de avaliao clnica realizada a cadaano, abrangendo anamnese ocupacional e exames fsicos e mentais e dos exames complementares. Obs.: I) Trabalhadores que executam suas atividades em rea onde esto instaladas fontes radioativase que pela natureza de suas atividades so dosimetrados, realizado semestralmente HemogramaCompleto; </p> <p>Pgina 1 dos Tpicos do PCMSO.</p> <p> II) Trabalhadores que executam atividade que envolve a fuso de chumbo onde, portanto, so geradosvapores de chumbo, sero submetidos semestralmente dosagem de chumbo no sangue e na urina; III) Demais trabalhadores de acordo com anlise individual. Periodicidade Anual - para todos os trabalhadores menores de 18 e maiores de 45 anos. Periodicidade Bienal - para todos os trabalhadores com idade entre 18 e 45 anos no enquadrada nascondies anteriormente estabelecida. </p> <p>3.0 - Exames Mdicos Ocupacionais 3.1- Exames Mdicos Preconizados Os Marcadores biolgicos, exames mdicos exigidos pela NR - 07 e demais exames complementares indicados pelo mdico coordenador, sero solicitados de acordo com anlise clnica, caso a caso; levando-se em conta os levantamentos ambientais realizados, suas sugestes e demaisrecomendaes pertinentes emitidas pela Associao Mdica Brasileira. O que significa dizer quepoder haver a incluso de alguns tipos de exames, bem como a exceo ou dilatao da periodicidade de outros. So esses os exames mdicos obrigatrios: Admissional; Peridico; Retorno ao Trabalho; Mudana de Funo Demissional. Complementar. 3.1.1 - Exame Admissional O exame mdico admissional ser realizado antes que o trabalhador assuma suas atividades naempresa, investigando, sobretudo, a capacidade fsica e emocional do candidato frente s tarefaspeculiares ao cargo que ir exercer, de modo a poder cumpri-las sem perigo para ele, para os demais trabalhadores e sem dano propriedade. O exame mdico admissional abrange anamnese ocupacional e exame fsico e mental, acrescido dosexames complementares. 3.1.2 - Exame Peridico Os exames mdicos peridicos visam detectar, o mais precocemente possvel, os desvios de sade do trabalhador, antes mesmo do aparecimento de manifestaes clnicas, permitindo a correo dosfatores que tenham contribudo para a sua instalao. O exame mdico peridico dever ser realizado de acordo com os intervalos mnimos de tempo abaixo discriminados: a) para trabalhadores expostos a riscos ou situaes de trabalho que impliquem no desencadeamentoou agravamento de doena ocupacional, ou, ainda, para aqueles que sejam portadores de doenascrnicas, os exames devero ser repetidos: a.1) a cada ano ou a intervalos menores, a critrio do mdico encarregado, ou se notificado pelo mdicoagente da inspeo do trabalho, ou, ainda como resultado de negociao coletiva de trabalho; a.2) de acordo com a periodicidade especificada no anexo 06 da NR 15, para os trabalhadores expostoss condies hiperbricas; b) para os demais trabalhadores: b.1) anual, quando menores de dezoito anos e maiores de quarenta e cinco anos de idade; b.2) a cada dois anos, para os trabalhadores entre dezoito anos e quarenta e cinco anos de idade. 3.1.3 - Do Retorno ao Trabalho O exame mdico do retorno ao trabalho dever ser realizado obrigatoriamente no primeiro dia da voltaao trabalho de colaborador ausente por perodo igual ou superior a 30 (trinta) dias por motivo </p> <p>Pgina 2 dos Tpicos do PCMSO.</p> <p>de doena ou acidente de trabalho, de natureza ocupacional ou no, ou parto. Alm da avaliao clinicae anamnese funcional poder ser includo a realizao de procedimentos mdicos adequados a suafuno, quando indicados pelo mdico coordenador. 3.1.4 - Da Mudana de Funo O exame mdico de mudana de funo dever ser realizado obrigatoriamente antes da data damudana, entendida como toda e qualquer alterao de atividade, posto de trabalho ou de setor queimplique na exposio do trabalhador a riscos diferentes daqueles a que exposto antes da mudana. Alm da avaliao clnica, abrangendo anamnese ocupacional fsica e mental, a rotina de investigao da sade do trabalhador dever incluir a realizao dos procedimentos mdicos adequados suacapacitao para o trabalho frente aos riscos ocupacionais da nova funo. 3.1.5 - Demissional O exame mdico demissional ser realizado obrigatoriamente at a data de homologao, desde que oltimo exame mdico ocupacional tenha sido realizado h mais de: 135 (cento e trinta e cinco) dias para as empresas de grau de risco 1 e 2, segundo o Quadro 1 da NR-4; 90 (noventa) dias para empresas de grau de risco 3 e 4, segundo o Quadro 1 da NR- 4; A investigao da sade do trabalhador demitido dever incluir avaliaes clnicas, abrangendoanamnese ocupacional e exame fsico e mental. No dever ser excluda a possibilidade do mdico coordenador do PCMSO necessitar recorrer a outrosprocedimentos mdicos, incluindo ou no nestas instrues, para atestar com segurana a rigidezmental do trabalhador no momento do seu desligamento. </p> <p>4.0 - Exames Complementares Em cada uma das oportunidades mencionadas anteriormente, sero realizados os exames previstospelo mdico coordenador em tabela confeccionada por setor, exame fsico geral e exame mental, bemcomo outros complementares a seu critrio. 4.1 - Os empregados que apresentarem doenas crnicas deveram ter seus histricos clnicosinvestigados e em decorrncia sero tomados procedimentos especficos a critrio do mdicocoordenador do programa. 4.2 - Na composio dos exames realizados, devero ser considerados os critrios de nvel de ao propostos pelo Programa de Preveno de Riscos Ambientais - PPRA, que determina as aes de controle a serem implementadas quando os valores de avaliaes ambientais ultrapassarem o limite detolerncia do agente analisado. </p> <p>5.0 - ASO - Atestado de Sade OcupacionalASO - Atestado de Sade Ocupacional.Para cada exame mdico realizado, o mdico emitir o Atestado de Sade Ocupacional (ASO) em duasvias: 5.1 - A primeira via do ASO ficar arquivada no local de trabalho do trabalhador, inclusive frente detrabalho ou canteiro de obra, disposio da fiscalizao do trabalho; 5.1.1 - A segunda via do ASO ser obrigatoriamente entregue ao trabalhador, mediante recibo naprimeira via. 5.2 - O ASO dever conter no mnimo: a) nome completo do trabalhador, o nmero de registro de sua identidade, e sua funo; </p> <p>Pgina 3 dos Tpicos do PCMSO.</p> <p>b) os riscos ocupacionais especficos existentes, ou a ausncia delas, na atividade do empregado, conforme instrues tcnicas expedidas pela Secretaria de Segurana e Sade no Trabalho - SSST; c) indicao dos procedimentos mdicos a que foi submetido o trabalhador, incluindo os examescomplementares e a data em que forem realizados; d) o nome do mdico coordenador, quando houver, com respectivo CRM; e) definio de apto ou inapto para a funo especfica que o colaborador vai exercer, exerce ouexerceu; f) nome do mdico encarregado do exame e endereo ou forma de contato; g) data e assinatura do mdico encarregado do exame e carimbo contendo seu nmero de inscrio noConselho Regional de Medicina. 5.3 - Os dados obtidos nos exames mdicos, incluindo avaliao clnica e exames complementares, asconcluses e as medidas aplicadas devero ser registrados em pronturio clnico individual, que ficarsob a responsabilidade do mdico coordenador do PCMSO. 5.4 - Os registros a que se refere o item 1.4.5 devero ser mantidos por perodo mnimo de 20 (vinte)anos aps o desligamento do trabalhador. 5.5 - Modelo do ASO ATESTADO DE SADE OCUPACIONAL Em cumprimento ao dispositivo no artigo 168 da CLT e na Norma regulamentada (NR) n 07, aprovadapela portaria n 24/12/94 e alterada pela portaria n 08 de 08/05/96, da Secretria da Sade e Segurana do trabalho: O Sr Registro RG Funo Foi Submetido ao exame: ( ) Admissional ( ) Peridico ( ) demissional ( ) retorno ao Trabalho ( ) Mudana de setor Sendo Considerado: ( ) APTO ( ) INAPTO ( ) PARA FUNO______________ FORAM REALIZADOS OS SEGUINTES EXAMES MDICOS/ LABORATRIAIS COMPLEMENTARES RISCO DATA EXAME OBSERVAES: _______________________________________________________________________ MDICO COORDENADOR DO PCMSO NOME_______________________________C.R.M____________________MTE______ MDICO ENCARREGADO NOME ASSINATURA /TELEFONE COLABORADOR. RECEBI ASEGUNDA VIA CPIA DO ASO Manaus, de 2013. </p> <p>Pgina 4 dos Tpicos do PCMSO.</p> <p>6.0 - Programas de Preveno 6.1 - Programa de Conservao Auditiva - PCAUm Programa de Conservao Auditiva (PCA) tem como principal objetivo proteger a sade auditiva dotrabalhador exposto ao nvel de presso sonora igual ou superiores a 80 dB (A). No esforo de alcanareste objetivo, muitas aes devem ser organizadas e adequadamente planejadas e coordenadas. Comoco-produtos deste objetivo, outras metas so alcanadas quando o PCA eficiente e eficaz: satisfao e moral elevada dos trabalhadores; baixo risco de processos trabalhistas e cvis; melhoria da qualidadedos produtos e servios; reduo dos acidentes do trabalho; aumento da produtividade; harmoniatrabalhista e sindical; etc. O PCA tem a sua estrutura baseada na identificao, na qualificao dasperdas auditivas, visando sua preveno e evitando o agravamento das j existentes, permitindo aindao estabelecimento do nexo causal que leva identificao dos mtodos de controle. 6.1.1 - So elementos do PCA: o reconhecimento do risco, a avaliao dos trabalhadores, o controle daexposio e seu acompanhamento. 6.2 - Controle das colaboradoras grvidas: Considerando a peculiaridade de riscos decorrentes de exposies ocupacionais de mulheres grvidas ou dos conceptos dessas empregadas a certas substncias, compostos ou produtos qumicos alm deoutros riscos fsicos, biolgicos e ergonmicos, o controle ser individual analisando-se caso a caso e tomando-se medidas necessrias na valorizao do concepto e tambm na sade da me. 6.3 - Gerenci...</p>