exercicio profissional

Download exercicio profissional

Post on 18-Jan-2016

27 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • CONFEA / CREA

    1

    ANEXO IV IINNFFRRAAEESS EE CCAAPPIITTUULLAAEESS

    DO EXERCCIO PROFISSIONAL

    - Engenharia Qumica - Agronomia - Agrimensura - Arquitetura - Engenharia Mecnica e Metalrgica - Engenharia Eltrica - Engenharia Civil - Geologia e Minas

  • CONFEA / CREA

    2

    ENGENHARIA QUMICA 07.03 PROCEDIMENTOS PARA FISCALIZAO

    07.03.01 Procedimentos comuns para fiscalizao de qualquer atividade relativa Engenharia Qumica COMO FISCALIZAR:

    - No ato da fiscalizao, o agente dever verificar se as Empresas ou Entidades Pblicas, que operam com sistemas referentes Engenharia Qumica, tm em seu quadro profissionais habilitados para as atividades ou se terceirizam atividades atravs de uma Empresa tambm habilitada.

    - Entende-se por Empresa habilitada aquela que possua registro e esteja em dia com suas obrigaes junto ao CREA, seus objetivos sociais estejam de acordo com o servio executado e finalmente possua um responsvel tcnico em situao regular com o Conselho e com atribuies compatveis com sua funo.

    - No caso da atividade ser desenvolvida por profissional integrante do quadro da prpria Empresa fiscalizada, este profissional dever registrar sua atividade no Conselho atravs de uma ART de cargo e funo; se o servio realizado por empresa terceirizada, o profissional executante anotar a ART de acordo com o servio realizado.

    - Todas as Empresas fiscalizadas que no possuam registro no CREA ou que estejam com o seu registro cancelado, devem ser notificadas e posteriormente autuadas por Exerccio Ilegal da Profisso da Engenharia Qumica, no que dispe a alnea a do Art. 6 da Lei Federal n. 5.194/66.

    - O profissional do sistema CONFEA/CREA que responder tecnicamente por atividades relativas Engenharia Qumica sem estar devidamente registrado no CREA, dever ser notificado e posteriormente autuado por Exerccio Ilegal da Profisso da Engenharia Qumica, no que dispe a alnea a do art. 6 da Lei Federal n. 6.496/77.

    - O profissional que exercer sua atividade sem proceder Anotao da Responsabilidade Tcnica ART, ser notificado e posteriormente autuado por Falta de ART, no que dispe o art. 1 da Lei Federal n. 6.496/77.

    07.03.02. Procedimentos Administrativos do Agente de Fiscalizao

    Por ocasio da visita empresa ou empreendimento, o Agente de Fiscalizao dever elaborar o RV RELATRIO DE VISITAS sempre que constatar a execuo de servios tcnicos na rea de atuao da Cmara Especializada de Engenharia Qumica.

    Na visita, seja empreendimento pblico ou privado, o Fiscal dever solicitar a apresentao dos projetos e respectivas ARTs (projeto e execuo), devidamente preenchidas e autenticadas, e, no caso de prestao de servios, o contrato e/ou nota fiscal, observando:

    - Se os projetos e a execuo esto de acordo com o declarado nas ARTs; - Se o profissional est devidamente habilitado para o exerccio das atividades; - Verificar se as Empresas que prestam servios tcnicos possuem registro ou visto; - No caso de prestao de servios necessrio informar dados sobre o equipamento utilizado e/ou em

    manuteno, obtendo marca, modelo, potncia, capacidade, quantidade e outros dados possveis.

  • CONFEA / CREA

    3

    Aps a entrega do RV pelo Agente de Fiscalizao, dever ser feita uma verificao interna a fim de se complementar as informaes obtidas pelo Fiscal em campo.

    07.03.03. Documentao solicitada no ato da fiscalizao:

    No ato da Fiscalizao, deve ser solicitada a documentao relativa ao projeto industrial, descrita abaixo:

    - Planta de Processos (PP) entende-se por Planta de Processos (PP) a representao grfica dos fluxos de materiais (matrias-primas, insumos, produtos intermedirios e finais, sub-produtos, emisses atmosfricas, efluentes lquidos e resduos slidos), indicando as entradas e sadas de cada etapa de processamento, inclusive recebimento, armazenagem, beneficiamento, transformao, acabamento e expedio, assinado por profissional habilitado.

    - Memorial Descritivo (MD) entende-se por Memorial Descritivo (MD) o texto explicativo detalhando cada etapa envolvida na planta de processos, contemplando a descrio dos equipamentos ou operaes unitrias envolvidas, e indicando as caractersticas e capacidades nominais de processamento e informaes relevantes sobre o fluxo de matria e energia de entrada e sada do equipamento, assinado por profissional habilitado.

    - Memorial de Clculo (MC) entende-se por Memorial de Clculo (MC) o detalhamento de todos os parmetros, dados, modelos matemticos ou conceituais, frmulas e demonstrao do procedimento usado para dimensionar cada etapa contida na planta de processo, inclusive os balanos de massa e energia em cada etapa, e no processo global, assinado pelo profissional habilitado.

    - Plano de Controle Ambiental (PCA) entende-se por Plano de Controle Ambiental (PCA) a Planta de Processos, o Memorial Descritivo e o Memorial de Clculo de todas as unidades, equipamentos e processos utilizados para captao, coleta, tratamento, lanamento e/ou disposio das emisses atmosfricas, efluentes lquidos e resduos slidos gerados no processo principal, demonstrando o atendimento dos padres ambientais e demais condies legais aplicveis a cada um deles.

    - ART do projeto industrial, para cada um dos documentos dele constituintes: Planta de Processos (PP), Memorial Descritivo (MD), Memorial de Clculo (MC) e Plano de Controle Ambiental (PCA).

    A no apresentao da documentao referente ao projeto industrial ensejar em notificao e posteriormente autuao por Exerccio Ilegal da Profisso da Engenharia Qumica, no que dispe a alnea a do art. 6 da Lei Federal n. 5.194/66.

    A no apresentao da ART ensejar na notificao e posteriormente autuao por Falta de ART, no que dispe o art. 1 da lei Federal n. 6.496/77

  • CONFEA / CREA

    4

    ATIVIDADES RELATIVAS A PRODUO DE ALIMENTOS E BEBIDAS

    ONDE FISCALIZAR O QUE FISCALIZAR COMO FISCALIZAR PROFISSIONAIS HABILITADOS

    - Indstrias de beneficiamento, moagem, torrefao, extrao, fabricao e refino de produtos alimentares de origem vegetal.

    - Indstria de fabricao e refinao de acar

    - Indstria de fabricao de derivados de beneficiamento de cacau, balas, caramelos, pastilhas, dropes e gomas de mascar.

    - Indstria de preparao de especiarias, de condimentos, de sal e fabricao de vinagres.

    - Indstria de abate de animais em matadouros, frigorficos, preparao e conservas de carne.

    - Indstria de preparao do pescado e fabricao de conservas de pescado

    - Indstria de resfriamento, preparao e fabricao de produtos do leite

    - Indstria de fabricao de massas, ps alimentcios, pes, bolos, biscoitos, tortas.

    - Indstria de produtos alimentares diversos.

    - Indstria de processamento de mandioca (farinha de mandioca, fecularia)

    - Indstrias de fabricao de bebidas no alcolicas, inclusive de refrigerantes e sucos

    - Indstria de fabricao de aguardentes, licores, vinhos, cervejas, chopes, malte, destilados e outras bebidas alcolicas

    - Empresas de consultoria e projetos nas reas de alimentos e bebidas.

    - Instituies e rgos pblicos federais, estaduais e municipais encarregados da anlise, aprovao, fiscalizao e controle de projetos e atividades nas reas de alimentos e bebidas.

    - Existncia de ART de projeto e instalao/montagem de equipamentos industriais.

    - O exerccio de atividades relativas a projeto e operao de unidades relativas a indstria de alimentos.

    Verificar os procedimentos comuns descritos no item 07.03

    Engenheiro Qumico Engenheiro Industrial Engenheiro de Alimentos

  • CONFEA / CREA

    5

    ATIVIDADES RELATIVAS A SISTEMAS DE GESTO AMBIENTAL, PROJETO E MONITORAMENTO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES INDUSTRIAIS, ESGOTOS DOMSTICOS, EMISSES ATMOSFRICAS E RESDUOS SLIDOS URBANOS E INDUSTRIAIS

    ONDE FISCALIZAR O QUE FISCALIZAR COMO FISCALIZAR

    PROFISSIONAIS HABILITADOS

    - Estabelecimentos Industriais. - Estaes e sistemas de coleta,

    tratamento e disposio de emisses atmosfricas, efluentes lquidos e resduos slidos industriais.

    - Sistemas de coleta, tratamento e disposio de resduos slidos urbanos.

    - Empresas e entidades da administrao pblica ou terceirizados que realizam a coleta e tratamento/disposio dos resduos ou efluentes industriais e urbanos.

    - Empresas de consultoria e projetos na rea de tratamento de efluentes industriais, esgotos domsticos, emisses atmosfricas, resduos slidos urbanos e industriais

    - Empresas de consultoria e projetos na rea de implementao, auditoria e certificao de sistemas de gesto ambiental, inclusive avaliao e preveno de riscos ambientais, anlise ambiental do ciclo de vida de produtos e rotulagem ambiental de produtos e processos.

    - Instituies e rgos pblicos federais, estaduais e municipais encarregados da anlise, aprovao, fiscalizao e controle de projetos e atividades na rea de sistemas de gesto ambiental, tratamento de efluentes industriais, esgotos domsticos, emisses atmosfricas, resduos slidos urbanos e industriais.

    - Existncia de ART de projeto e instalao/montagem de equipamentos industriais.

    - O exerccio de atividades relativas a projeto e monitoramento de tratamento de efluentes industriais, esgotos domsticos, emisses atmosfricas e resduos slidos urbanos e industriais.

    Verificar os procedimentos comuns descritos no item 07.03

    Engenheiro Qumico Engenheiro Industrial Engenheiro de Materiais

  • CONFEA / CREA

    6

    ATIVIDADES RELATIVAS A PROJETO E FABRICAO DE PRODUTOS QUMICOS

    ONDE FISCALIZAR O QUE FISCALIZAR COMO FISCALIZAR PROFISSIONAIS HABILITADOS

    - Indstria de produo de elementos e de produtos qumicos.

    - Indstria de fabricao de produtos qumicos derivados do processamento de petrleo de rochas olegen