Zoneamento costeiro e suas interfaces

Download Zoneamento costeiro e suas interfaces

Post on 28-Mar-2016

215 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

M INISTRIO DO M EIO A MBIENTE Secretaria de Qualidade Ambiental nos Assentamentos Humanos Projeto de Gesto Integrada dos Ambientes Costeiro e Marinho Junho / 2002 1

TRANSCRIPT

  • ZONEAMENTO COSTEIRO

    E SUAS INTERFACES

    MINISTRIO DO MEIO AMBIENTE Secretaria de Qualidade Ambiental nos Assentamentos Humanos Projeto de Gesto Integrada dos Ambientes Costeiro e Marinho

    Junho / 2002

    1

  • Apresentao

    O presente documento tem por objetivo reunir os conceitos e diretrizes que vm sendo

    aperfeioados no mbito do Zoneamento Ecolgico-Econmico Costeiro, a partir dos procedimentos adotados pelo Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro PNGC II.

    Fundamenta-se, assim, nas experincias acumuladas ao longo dos ltimos anos, buscando a

    simplificao e a flexibilizao dos procedimentos de elaborao do zoneamento e o rebatimento do mesmo no planejamento setorial, bem como nos nveis regional e local, constituindo-se, portanto, em orientaes possveis de aplicao diversidade de situaes encontradas ao longo da costa brasileira.

    O texto busca, tambm, elucidar os aspectos de interface e possibilidades de integrao com

    os demais instrumentos do PNGC II, alm de evidenciar as demandas de articulao com outras polticas e instrumentos de gesto, como o caso dos recursos hdricos e do licenciamento de atividades potencialmente poluidoras e degradadoras.

    As contribuies de outras unidades do Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA II

    e dos executores estaduais so elementos fundamentais para o constante aprimoramento na implementao do Zoneamento Ecolgico-Econmico Costeiro ZEEC.

    ONEIDA FREIRE Diretora de Programa

    i

  • Sumrio

    Item Pgina

    Apresentao ................................................................................................................. i Introduo..................................................................................................................... 4 O Zoneamento como instrumento tcnico, poltico e legal e sua importncia para a gesto ambiental ............................................................................ 5 Zoneamento Marinho ................................................................................................... 6

    Aspectos fsicos ......................................................................................... 8 Aspectos biolgicos................................................................................... 8

    Aspectos socioeconmicos........................................................................ 8 Bens da Unio e seus aspectos legais......................................................................... 10 Pressupostos Metodolgicos do Zoneamento ............................................................ 11

    Meio Fsico.............................................................................................. 12 Meio Biolgico........................................................................................ 12 Meio Socioeconmico ............................................................................. 12 Meio Scio-cultural ................................................................................. 13 Participao da Sociedade .......................................................................................... 16 Importncia do Zoneamento como ferramenta de articulao dos diversos instrumentos de gesto ambiental............................................................................... 16 As competncias para a interveno no territrio atravs do Zoneamento ................ 21 Consideraes Finais.................................................................................................. 22 Crditos ...................................................................................................................... 23 Anexo I Vulnerabilidades/limitaes ao uso dos recursos scio-ambientais.......... 24 Anexo II Potencial de uso dos recursos scio-ambientais ...................................... 25 Anexo III Diagnstico socioeconmico .................................................................. 26 Anexo IV Sntese final ............................................................................................ 28 Anexo V Quadro orientativo para obteno do zoneamento .................................. 30 Anexo VI Exemplos de indicadores de atividades socioeconmicas para o monitoramento......................................................................................................... 32

    3

  • Zoneamento Costeiro e suas Interfaces Introduo

    O Zoneamento Ambiental considerado na legislao ambiental brasileira como um instrumento da Poltica Nacional de Meio Ambiente, de acordo com o inciso II do art. 9o da Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981. O que se espera da aplicao desse importante instrumento da Poltica Nacional do Meio Ambiente?

    O Zoneamento Ambiental tem por objetivos principais:

    garantir o uso sustentvel e ordenado dos recursos ambientais;

    prover a proteo de habitats crticos ou representativos, bem como de ecossistemas e processos ecolgicos;

    solucionar ou minimizar as atividades humanas conflitantes;

    proteger os recursos naturais e histrico-culturais, permitindo um amplo espectro de usos a serem desenvolvidos pela atividade humana;

    reservar reas adequadas para usos mais impactantes, minimizando os efeitos destes usos em outras reas (conceito de reas de sacrifcio);

    preservar algumas reas em seu estado natural, limitando as atividades humanas aos propsitos de pesquisa cientfica ou educao (princpio da precauo e conceito de manuteno de ecossistemas).

    O Zoneamento pode se constituir, na verdade, em um instrumento metodolgico, poltico, jurdico e de gesto, pressupondo uma abordagem cuidadosa em razo da quantidade de variveis a ser levada em conta. Como instrumento poltico, se presta a apoiar uma base de negociao entre os principais atores sociais que produzem o espao geogrfico; como instrumento legal, ao se transformar em norma jurdica, passa a ser exigvel o cumprimento de suas disposies, podendo, ainda, ser acionado o Poder Judicirio para que se torne obrigatria a sua implementao, do modo como foi legalmente previsto.

    Quanto aos aspectos metodolgicos, o Zoneamento precedido de um Diagnstico Scio-ambiental, que mostra como ocorre a dinmica atuante no meio ambiente no que diz respeito aos seus aspectos fsicos, biolgicos, econmicos e scio-culturais. Para essa anlise, preciso que seja estabelecido um segmento temporal de observao dos fenmenos de interesse, de modo que possam ser identificadas as tendncias esboadas para o futuro.

    Trata-se de um trabalho com um certo grau de complexidade, na medida em que pressupe conhecimentos tcnicos especficos, ao mesmo tempo em que no pode perder a perspectiva de uma viso de conjunto de toda a realidade que se deseja conhecer. Constitui a referncia espacial para o estabelecimento de metas ambientais, bem como para a proposio de aes integradas junto a diferentes setores. Em razo de uma ampla gama de variveis, faz-se necessria a adoo de uma metodologia que leve em conta os aspectos bsicos do conhecimento e permita a constante atualizao cartogrfica, incluindo a complementao de dados e informaes.

    Em que pese a relevncia dos produtos decorrentes do processo de elaborao do zoneamento, este instrumento no deve ser visto como um resultado final a ser alcanado, mas sim como um meio para promover o ordenamento territorial e ambiental, tomando-se por base os usos e a conservao dos recursos naturais. Assim, vale destacar a importncia da integrao do zoneamento (em suas diferentes etapas de elaborao) com outros instrumentos e mecanismos de gesto, como o plano de gesto (equalizando as polticas setoriais), o programa de monitoramento, os bancos de dados, a gesto de recursos hdricos e o licenciamento ambiental.

    4

  • O Zoneamento como instrumento tcnico, poltico, legal e a sua importncia para a gesto ambiental

    De acordo com a Constituio Federal de 1988, da competncia da Unio a elaborao dos planos nacionais e regionais de ordenao do territrio e de desenvolvimento econmico e social, de acordo com o disposto no inciso IX do artigo 21. A Unio, os Estados, o Distrito Federal e os Municpios tm por atribuio a proteo do meio ambiente e o combate poluio, mediante a competncia comum para administrar o meio ambiente (art.23). Estabelece a Constituio, tambm, que a Unio, os Estados e o Distrito Federal, de modo concorrente, podem legislar sobre a proteo ambiental e o combate poluio (art. 24). Alm disso, define que da competncia municipal legislar sobre assunto de interesse local e promover, no que couber, o adequado ordenamento territorial, mediante o planejamento e o controle do uso, do parcelamento e da ocupao do solo urbano (incisos I e VIII do art. 30,). Da se constata que cumpre a todos os nveis de governo a gesto ambiental.

    Outro aspecto de relevncia constitucional a Funo Social da Propriedade, que poder ser atendida mediante o disposto no Plano Diretor ( 2o do art. 182), o que confere grande importncia ao zoneamento, especialmente no que tange modalidade de uso do solo urbano. Quanto ao uso do solo no urbano, a Carta Magna da Nao estabelece que essa funo social cumprida quando atende ao aproveitamento racional, utilizao adequada dos recursos naturais disponveis e preservao do meio ambiente, observncia das relaes de trabalho e explorao que favorea o bem estar dos proprietrios e dos trabalhadores (art. 186 da CF/88).

    Alm do Zoneamento Urbano, que atualmente deve levar em conta em especial a Lei Federal no 6.766, de 19 de dezembro de 1979, referente ao Parcelamento Urbano, e a Lei no 10.257, de 10 de julho de 2001, conhecida como o Estatuto da Cidade, existem outros tipos de zoneamentos, que visam disciplinar o uso do solo, o que, sem dvida nenhuma, ao ser atendido, viabiliza o cumprimento da funo social da propriedade.

    A Lei Federal n