workshop formativo[1]

Click here to load reader

Post on 11-Jul-2015

104 views

Category:

Technology

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Diapositivo 1

Workshop FormativoAco de Formao: Modelo de Auto-Avaliao das Bibliotecas Escolares

M. Conceio P. GomesPblico alvo: - Conselho pedaggico- Departamentos curriculares Durao: 2 blocos de 90 min. - Professores das ACND

2009/2010 - Poderias dizer-me, por favor, que caminho hei-de tomar para sair daqui?Isso depende do stio onde queres chegar! - disse o Gato.No interessa muito para onde vou retorquiu Alice.Nesse caso, pouco importa o caminho que tomes interps o gato.

Alice no Pas das MaravilhasPorqu a necessidade da implementao da auto-avaliao nas BEs? Ao contrrio do que Alice pensa acerca do seu destino, revelando total indiferena em relao ao caminho a seguir, as BEs preocupam-se com os resultados, o valor que eles acrescentam nas atitudes e nas competncias dos utilizadores. a avaliao tem um papel determinante, permitindo-nos validar o que fazemos, como fazemos, onde estamos e at onde queremos irO Modelo de Auto-Avaliao das Bibliotecas Escolares enquadra-se na estratgia global de desenvolvimento das bibliotecas portuguesas, com o objectivo de:Facultar um instrumento pedaggico e de melhoria contnua que permita aos rgos de gesto directivos e aos coordenadores avaliam o trabalho da biblioteca escolar e o impacto desse trabalho no funcionamento global da escola e nas aprendizagens dos alunos e identificar reas de sucesso e aquelas que, por apresentarem resultados menores, requerem maior investimento, determinando, nalguns casos, uma inflexo das prticas. Conceitos implicados A noo de valor: no intrnseco s coisas, tem a ver com a experincia e benefcios que se retiram delas.A auto-avaliao um processo pedaggico e regulador , inerente gesto e procura de uma melhoria contnua.A avaliao no constitui um fim, devendo ser entendida como um processo que conduzir reflexo e originar mudanas concretas na prtica. Auto-avaliao, atravs da recolha de evidncias, possibilita a identificao dos pontos fortes e fracos traduzindo-se na (re)definio de objectivos e prioridadesCaminhos e possibilidades num contexto global de mudana, no qual as bibliotecas escolares devem evoluir:a- Conceitos relacionados com a misso da BE no contexto da escola e que a relacionam com:- as aprendizagens;- o desenvolvimento curricular;- o sucesso educativo

- Novos conceitos e contextos de aprendizagem: o aluno constri o seu prprio conhecimento (construtivismo).Novas estratgias de abordagem realidade e ao conhecimento questionamento e inquirio contnuas. introduo das TIC e de novas formas de disponibilizao da informao que conduzem ao desenvolvimento de novas literacias e a uma aprendizagem ao longo da vida.Recolha sistemtica de evidncias que permitem gerir a mudana aferindo o impacto que as BEs tm na escola

Estrutura do modelo: Domnios/subdomniosA . Apoio ao Desenvolvimento curricularB. Leitura e LiteraciaC. Projectos, parcerias e Actividades Livres e de Abertura comunidadeD. Gesto da Biblioteca EscolarA.1. Articulao curricular da BE com as Estruturas Pedaggicas e os docentesC.1. Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento CurricularD.1. Articulao da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e Servios prestados pela BEA.2 . Desenvolvimento da Literacia da InformaoC. 2. Projectos e parcerias D.2. Condies humanas e materiais para a prestao de serviosD.3. Gesto da colecoCada domnio/ subdomnio inclui:IndicadoresPermitem a aplicao de elementos de medio que iro possibilitar uma apreciao sobre a qualidade da BEFactores crticos de sucessoExemplos de situaes, ocorrncias e aces que operacionalizam o respectivo indicador . Constituem um guia orientador para a recolha de evidncias.Recolha de evidnciasPossveis instrumentos para recolha de elementos que iro suportar a avaliao.Aces para a melhoriaSugestes de aces a implementar visando melhorar o desempenho da BE em campos especficos.Recolha de evidncias Documentos que regulam a actividade da escola e/ou da BE: PEE; PCT; Plano Anual de Actividades; Regulamento; Actas/relatrios e actividades; Planificaes; Documentos produzidos; Estatsticas Trabalhos realizados pelos alunos; Etc.

Mostra os aspectos positivos a realar ou aspectos menos positivos que nos obrigam a repensar formas de gesto e maneiras de funcionamento;As informaes recolhidas devem se de diferentes tipos e relevantes em funo do indicador;A recolha de dados deve ser sistemtica, ao longo do ano lectivo e incidir sobre os vrios nveis de escolaridades existentes na escola.Perfis de desempenho- o desempenho no depende da aco isolada da BE mas envolve e implica toda a Escola: Director , professores As aces para a melhoria devem constituir um compromisso de toda a escola pois um bom desempenho da BE ir beneficiar o trabalho de todos.Os perfis de desempenho so apresentados numa escala de quatro nveis. Esta escala ser a que melhor corresponde aos propsitos da auto-avaliao: fomentar a reflexo construtiva e contribuir para a procura da melhoria atravs da identificao de estratgias que permitam atingir o nvel seguinte.Perfis de DesempenhoNvel Descrio 4A BE bastante forte neste domnio. O trabalho desenvolvido de grande qualidade e com um impacto bastante positivo.3A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domnio mas ainda possvel melhorar alguns aspectos.

2A BE comeou a desenvolver trabalho neste domnio, sendo necessrio melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo.1A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domnio, o seu impacto bastante reduzido sendo necessrio intervir com urgncia.Implementao do Modelo: Metodologias a Seguir1- Perfil da BEPreencher o documento referente ao perfil da BE.2- Seleccionar o domnioSeleccionar, no mnimo, um dos domnios para realizar a auto-avaliao. Pretende-se que todos os domnios tenham sido avaliados ao fim de quatro anos.3- Recolher evidnciasAnlise baseada em elementos concretos que permitiro traar o retrato da BE num campo mais especfico.4- Identificar o perfil de desempenhoOs resultados da anlise sero confrontados com os perfis de desempenho apresentados para cada um dos domnios, no sentido de verificar em que nvel se situar a BE.Registar a auto-avaliao no relatrio finalRegisto dos resultados.Proposta de aces consideradas necessrias para a melhoria, equacionando estratgias e medidas.Os resultados obtidos devem ser:- partilhados com o director;- divulgados e discutidos nos rgos de gesto pedaggica.

Estes resultados tm impacto no processo de planificao e na gesto, obrigando a que:

Se decidam as melhorias, apostando na mobilizao e no esforo de todos;Se estabeleam linhas orientadoras dos planos de aco do modo a que estejam em consonncia com a estratgia da escolaSe identifiquem oportunidades e constrangimentos e definam fins e objectivosse proceda recolha sistemtica de informao e a metodologias de controlo.

Aplicao do Modelo BE Oportunidades ConstrangimentosLiderana do professor bibliotecrio;Valorizao da BE;Articulao com os diferentes departamentos na planificao e dinamizao de actividades;

Dificuldade em conciliar horrios para preparar actividades, quer com os elementos da equipa, quer com os departamentos;

Falta de formao dos elementos da equipa.

Gesto das mudanas: Nveis de participao da escolaO professor bibliotecrio como elemento mobilizador de saberes;O professor bibliotecrio como elo de ligao no seio da comunidade educativa e mobilizador da mesma para a implementao do processo de auto- -avaliao; Discusso do processo de auto-avaliao em conselho pedaggico.Sesses de trabalho em grupo:1- Elaborar instrumentos de recolha de evidncias;2- Como implementar a articulao entre:- BE;- Departamentos;- Professores do Apoio Educativo,- Professores das ACND3- Como vencer os constrangimentos evidenciados.Apresentao e discusso das ideias/propostas.Elaborao de um documento contendo as ideias-chave desta reflexo. Bibliografia de apoio:

Todd, Ross (2002). School librarian as teachers: learning outcomes and evidence-based practice. 68th IFLA Council and General Conference August. [09/11/2009]. Traduo

Eisenberg, Michael & Miller, Danielle (2002) This Man Wants to Change Your Job, School Library Journal - 9/1/2002. Traduo http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA240047.html

Todd, Ross (2008) The Evidence-BasedManifesto for School Librarians. SchoolLibraryJournal - 4/1/2008. Traduo http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA6545434.html.

Documentos base:Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares (Novembro 2009) Modelo de auto-avaliao das Bibliotecas Escolares, Texto da 2 sesso da Oficina de formao Prticas e Modelos de Auto-Avaliao nas Bibliotecas Escolares