Wiki - Reformas Curriculares

Download Wiki - Reformas Curriculares

Post on 13-Aug-2015

186 views

Category:

Documents

16 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Denice Barreto Gomes lia Aparecida Samuel Leite Janete Fortes Lopes Luclia Cristina BrantLuciana Toquini de Lima Silva</p> <p>ANLISE DAS REFORMAS DAS DCADAS DE 1950 A 1970O CURRCULO EM PAUTA</p> <p>Trabalho em grupo da disciplina Temas de Reforma da Educao Pblica I no curso de Mestrado Profissional do Programa de PsGraduao em Gesto e Avaliao da Educao Pblica, do Centro de Polticas Pblicas e Avaliao da Educao CAEd da Universidade Federal de Juiz de Fora UFJF. Professores: Beatriz de Basto Teixeira e Eduardo Antnio Salomo Cond Tutora: Priscila</p> <p>1</p> <p>SUMRIOCAPA...............................................................................................................01 1.INTRODUO .............................................................................................03 2.CONSIDERAES INICIAIS........................................................................04</p> <p>3.AS REFORMAS CURRICULARES DOS ANOS 50/60......................................05</p> <p>3.1. O problema apresentado e o contexto histrico vivido...........................................05</p> <p>3.2. Reforma educacional nos anos 50/60: formulao e deciso...................................07</p> <p>3.3. Implementando a reforma........................................................................................08</p> <p>3.4 Monitoramento e Avaliao......................................................................................10</p> <p>4 - O contexto econmico, poltico e social e impacto da Teoria do Capital Humano na Reforma Educacional......................................................................................................11</p> <p>4.1. Reforma curricular: Formulao e implementao..................................................14</p> <p>4.2. Avaliao e resultados..............................................................................................</p> <p>5 CONSIDERAES FINAIS.................................................................................16 6 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS..................................................................18</p> <p>2</p> <p>1-Introduo</p> <p>O trabalho em questo fundamenta-se no estudo analtico das experincias das Reformas Educacionais Curriculares ocorridas nas dcadas de 50 a 70 no Brasil e no mundo, mais especificamente nos EUA, considerando as etapas de anlise das polticas pblicas conforme abordagem do processo no contexto no qual estavam inseridas. No decorrer da histria da educao dentro de um panorama poltico e econmico mundial, as instituies se constituem como produtos da mesma e o sistema educacional contm a memria dessa herana multinacional (Brooke,2012). Sendo assim, uma vez que a conjuntura econmica, social, poltica e cultural, tem se mostrado influente frente aos movimentos de reestruturao dos sistemas educacionais, procurar-se- analisar o contexto das polticas implementadas no Brasil paralelamente ao quadro internacional apresentado na poca. A explanao das reformas consideradas se pautar sobre o ciclo de polticas propostas pelo professor do Programa de Ps-graduao em Cincias Sociais, do Mestrado Profissional em Gesto da Educao da UFJF, Eduardo Salomo Cond, em texto de sua autoria intitulado "Abrindo a Caixa - Elementos para melhor compreender a anlise das polticas pblicas". Abordaremos ento, as reformas educacionais de forma ampla destacando as fases que envolvem a formao da agenda, formulao e deciso, implementao, monitoramento e avaliao. As reformas educacionais surgem do desejo poltico, sendo pertinente relacionar Poltica Pblica com o contexto econmico e social, destacando a relao direta entre os mesmos, visto que a implantao destas deriva-se das necessidades que se apresentam no contexto de uma sociedade, propostas geralmente por instituies e agentes sociais, que requerem decises e aes dentro de uma relao de poder visando a resoluo de conflitos. Definiremos como mtodo, pesquisa bibliogrfica de referencia dos autores Nigel Brooke (2012), Eduardo Cond (2011), Clio Espindola (2012), Eduardo Magrone (2012), Theodore Schultz (apud Brooke,2012), Celina Souza ,2003), as quais</p> <p>3</p> <p>esclarecero os acontecimentos que permearam as mudanas no sistema educacional da poca em questo.</p> <p>2- Consideraes iniciais</p> <p>O perodo histrico em questo foi marcado por grandes transformaes educacionais promovidas por acontecimentos sociais e polticos no Brasil e no mundo movidos pela necessidade de desenvolvimento tecnolgico e econmico. Em decorrncia das presses polticas, sociais e educativas ocorreram implementaes que direcionaram os sistemas na busca do aperfeioamento de seus currculos e estruturas de ensino como forma de se atingir os objetivos propostos em nome da garantia de melhoria educacional que promovesse o desenvolvimento dos pases. A relao entre poltica, poder e educao se mostra bastante presente nos movimentos de reformas ocorridos nos EUA e no Brasil. Uma vez que o Mundo da Poltica um dilogo com o poder, e este por sua vez segundo Steven Lukes a capacidade para produzir resultados e de fazer diferente no mundo, conclui-se que os diversos acontecimentos histricos-polticos, das dcadas de 1950/1960, influenciaram a construo do Sistema Educacional Brasileiro, configurando o contexto histrico em questo. A reforma curricular dos EUA voltada ao avano tcnico cientifico que os levassem a reconquistar sua superioridade como potencia mundial, o processo de industrializao que requeria mo de obra especializada, o Manifesto dos Educadores Democratas, a implantao da LDB 4024/61 e 5692/71, movimentos em prol da alfabetizao, a influencia das agencias e bancos multinacionais na divulgao de prticas e teorias, os ideais do Governo de JK, a ideologia da Teoria do Capital Humano entre outros, tiveram como objetivo ajustar o Sistema de Ensino as demandas postas para o avano cientfico tecnolgico, de crescimento urbano e industrializao. Segundo Brooke, cada perodo de reforma educacional tem sua razo, sendo a mesma uma ao planejada, cujo contedo depende das circunstancias histricas e locais. No Brasil, o Manifesto Dos Educadores Democratas, defendia uma reestruturao da educao pblica que contribuiria para o progresso tcnico e cientifico, para o trabalho produtivo e o desenvolvimento econmico que a modernidade demandava, buscava-se assim a modernizao da instituio escolar em conjunto com a modernizao do pas. Assim sendo a sociedade industrial da poca precisava de uma4</p> <p>escola voltada para questes profissionais de aprendizagem tcnica cientifica conduzindo o Brasil a apropriao das ideias norte americanas. nesse panorama que se desenvolveram as reformas educacionais em nosso pas, em meio s mudanas econmicas mundiais, alavancadas pelos avanos tecnolgicos balizados pelo incio da corrida espacial inaugurada pelos russos, paralelo a necessidade de controle interno das manifestaes populares. Mudanas estas que delinearam significativamente os currculos escolares influenciando em toda a educao nacional, desestabilizando algumas das experincias j consagradas e abrindo para novas discusses dos tericos da economia e da sociologia, que trouxeram contribuio significativa s teorias educacionais.</p> <p>3 - AS REFORMAS CURRICULARES DOS ANOS 50/60</p> <p>3.1. O problema apresentado e o contexto histrico vivido</p> <p>Para que se possa fazer uma anlise de reformas educacionais, bem como outras ocorridas na sociedade, no podemos deixar de fora o conceito de poltica e, no caso em questo, o conceito de polticas pblicas. De acordo com Cond, 2012, "a poltica inseparvel da ideia de poder" sendo "uma articuladora de interesses e da soluo de conflitos dela decorrentes". Este poder deve ser preferencialmente legtimo, ou seja, consentido pelos governados e derivado da soberania popular, sendo ilegtimo um poder no consentido, tomado fora. No campo poltico no h neutralidade, ou seja, existe um jogo de interesses por parte de instituies, grupos, classes sociais, organizaes, enfim, diversos atores que iro disputar o espao tentando aprovar projetos de polticas que acreditam serem necessrios. nesse cenrio que as reformas acontecem. Quanto as polticas pblicas, estas so caractersticas da esfera pblica da sociedade, referindo-se a problemas coletivos que devido sua intensidade e relevncia precisam ser resolvidos pelo governo. O processo de elaborao e implementao de uma poltica pblica, passa por algumas fases cclicas a saber: agenda, formulao e deciso, implementao, monitoramento e avaliao. Assim, a anlise e compreenso de uma poltica pblica pressupe a anlise e compreenso dos contextos social, econmico, cultural e poltico na qual foi inserida. A dcada de 1950 foi marcada por grandes mudanas e transformaes tanto na rea econmica, quanto social e poltica no Brasil e no mundo. Em plena Guerra Fria, o5</p> <p>lanamento bem sucedido do Satlite Sputnik "sacudiu a crena dos americanos na sua superioridade cientfica e deixou patente a vantagem dos russos na corrida espacial" (BROOKE, 2012, p.21). Diante desse acontecimento, a reao governamental foi a promulgao da Lei Nacional de Aeronutica e Espao, a criao da NASA e a Lei de Educao e Defesa Nacional. Quando o problema se apresentou aos americanos, tanto a populao quanto os congressistas culpavam o sistema educacional pela perda de superioridade tecnolgica e se viram forados a reformar o mesmo com vista ao fortalecimento do pas, buscando o desenvolvimento de novas tecnologias e produo de novos conhecimentos cientficos. Acreditava-se que, para reformar a escola precisariam fazer uma reforma no currculo, e partiram desse pressuposto para implementarem a poltica educacional da poca. Paralelamente a isso, no Brasil, os anos 50 foram marcados pela introduo do governo democrtico de Juscelino Kubstichek que lanou um ousado Plano de Metas com vista a modernizao do pas, seu lema era "50 anos em 5". Apesar da implementao de um plano to ousado, a educao teve um lugar pouco significativo na elaborao do mesmo, sendo contemplada com apenas 3,4% dos investimentos. Para a educao havia apenas uma meta: formao do pessoal tcnico para atender a meta 30, que orientava a educao para o desenvolvimento da cincia e tecnologia. Em relao ao Ensino superior, o governo JK apresentou uma proposta de criao da Universidade de Braslia que tinha como objetivo preparar a elite educacional e estender a educao ao restante da populao. Em relao ao ensino bsico, torna-se necessrio destacar a publicao, em 1959, de um manifesto dos educadores intitulado "Mais uma vez convocados". Este reivindicava a definio do papel do Estado na Educao e a proposta apresentada ao Congresso em 1948, para a criao da Lei das Diretrizes e Bases da Educao Nacional, que acabou sendo promulgada em 1961, sob o n 4.024, j no governo de Joo Goulard. Apesar da demora para aprovao da LDB 4024/1961 ela no atendeu aos anseios da populao j que no criou seu prprio modelo de educao sistemtica, a LDB previa financiamento para as escolas das diversas redes de ensino, municipal, estadual e particular, justificando no ter recurso suficiente para estender uma rede oficial de ensino, permanecendo s margens do processo educacional metade da populao em idade escolar. Brasil e Estados Unidos viviam contextos histricos diferentes, apesar de ambos os pases buscarem a formao de um currculo que contemplasse a formao tcnica,6</p> <p>cientfica e tecnolgica, os Estados Unidos buscava a soberania tecnolgica frente aos soviticos e o Brasil vivia o momento do Estado Nacional Desenvolvimentista, onde a modernizao da escola deveria caracterizar a modernizao do pas.</p> <p>3.2. Reforma educacional nos anos 50/60: formulao e deciso</p> <p>De acordo com Souza 2003, p. 13, "O processo de formulao de poltica pblica aquele atravs do qual os governos traduzem seus propsitos em programas e aes, que produziro resultados ou as mudanas desejadas no mundo real." A partir do momento em que um problema se consagra como pblico, necessrio considerar as alternativas que se tem para resolv-lo, e ento, propor solues. Na reforma curricular americana, o programa de aperfeioamento do contedo tinha como objetivo em longo prazo, "contribuir para uma maior modernizao dos materiais utilizados no ensino de matemtica, cincias e engenharia nas escolas de nvel elementar, mdio e superior." (BROOKE,2012, p.29). Nesse sentido, o currculo foi pensado com vista a sequenciar programas de Cincias em todos os nveis educacionais, oferecer aos professores acesso a maior qualidade de instrumentos possveis, buscar uma colaborao entre os maiores estudiosos das reas de ensino e de pesquisa, investir o que fosse necessrio para implantao de cursos de maior qualidade e finalmente, incorporar o conhecimento explosivo experincia dos jovens do pas. Para tal, iniciaram-se projetos financiados pela National Science</p> <p>Foundation (NSF) que utilizaram materiais de fsica (PSSC), biologia (BSS), qumica (CHEMS) e matemtica (SMSG) que possuam as seguintes caractersticas: cientistas de renome, projetos orientados pelo contedo, contedos definidos pelos cientistas, projetos pautados em disciplinas com subdivises normais, nfase em prticas experimentais, apresentao de temas abertos investigao e questionamentos, desenvolvimento de novos materiais de ensino e de laboratrio e treinamento de professores para atendimento a alunos do segundo grau. Os educadores brasileiros, em processo de revoluo industrial, compartilhavam do mesmo pensamento americano e aliados aos mesmos, introduziram tambm uma reforma educacional curricular no pas. Nesse sentido, um grande influenciador desta reforma, foi um manifesto publicado pelos educadores democratas, que saram em defesa do ensino pblico. Tais educadores defendiam a educao pblica para o progresso cientfico e tcnico, para o trabalho produtivo e o desenvolvimento7</p> <p>econmico. Para estes, a educao em todos os nveis deveria "tornar a mocidade consciente de que o trabalho a fonte de todas as conquistas materiais e culturais de toda sociedade humana; incutir-lhe o respeito e a estima para com o trabalho e o trabalhador e ensin-la a utilizar de maneira ativa, para o bem-estar do povo, as realizaes da cincia e da tcnica". (Trecho do Manifesto dos Educadores Democratas apud in BROOKE, 2012). O Estado deveria instituir, manter e ampliar o sistema de ensino pblico e estimular, por todos os meios, as iniciativas de entidades particulares. Com a publicao da LDB 4024/1961, cria-se a possibilidade de</p> <p>descentralizao do currculo tornando possvel ao IBECC/SP (Instituto Brasileiro de Educao Cincia e Cultura), adaptar os projetos da NSF com suporte da Fundao Ford, que trouxe cientistas americanos como apoio. O IBECC/SP ficou responsvel pela produo de material didtico e treinamento de professores na lgica da renovao do ensino de cincias e nfase na experimentao. At a UNESCO estabelece relao direta com o desenvolvimento econmico dos pases, difundindo mtodos modernos no ensino de Cincias e estimulando a fabricao e uso de material cientfico no nvel mdio e elementar. Deste modo, podemos concluir que o efeitos dos projetos de reforma dos EUA influenciaram vrios pases, inclusive o Brasil. " O pressupost...</p>