visões sobre pec 241

Download Visões sobre pec 241

Post on 15-Apr-2017

44 views

Category:

Economy & Finance

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PEC 241 AMEAA O DESENVOLVIMENTO DO BRASIL

VISES SOBRE PEC 241

PEC 241 AMEAA O DESENVOLVIMENTO DO BRASIL

ASSOCIAO COMERCIAL DA BAHIASalvador, 24/11/2016

Engo. e Prof. FERNANDO ALCOFORADO

RESPONSABILIDADE DO GOVERNO NO BRASILSolucionar urgentemente de forma racional o problema das contas pblicas cronicamente deficitrias. Criar urgentemente o ambiente propcio aos investimentos privados na atividade produtiva.Promover o crescimento econmico para combater a estagnao econmica que ameaa o futuro do Pas.

Qual o problema das contas pblicas no Brasil? Crescimento explosivo dos gastos do governo alimentado pela expanso desmesurada da dvida pblica que atinge hoje R$ 3,7 trilhes que obriga o governo a destinar 44,93% do oramento da Unio ao pagamento dos juros (R$ 635 bilhes) da dvida pblica. falso atribuir o gasto com a Previdncia (22,12% do oramento da Unio), Educao (2,89% do oramento da Unio) e Sade (3,91% do oramento da Unio) como os responsveis pelo excessivo gasto pblico. O principal problema das contas pblicas reside no crescimento explosivo da dvida pblica.

EVOLUO DA DVIDA PBLICA

EVOLUO DA DVIDA PBLICA NO BRASIL

RESERVAS INTERNACIONAIS DO BRASIL

BALANO DE PAGAMENTOS

ORAMENTO GERAL DA UNIO E DESTINAO DOS GASTOS PBLICOS

DESTINAO DO ORAMENTO DA UNIO

Como resolver o problema das contas pblicas cronicamente deficitrias

O principal problema do Pas a dvida pblica que requer imediata soluo. Para reduzir o tamanho do gasto pblico preciso reduzir o pagamento dos juros.Para reduzir o pagamento dos juros preciso renegociar com os credores o alongamento do pagamento da dvida pblica a fim de que o governo federal passe a dispor dos recursos necessrios a seus investimentos.

CREDORES DA DVIDA PBLICA INTERNA

O COMBATE ESTAGNAO ECONMICAINCENTIVO AO INVESTIMENTO PRIVADO com:Promoo de programa de expanso da atividade produtiva nos setores primrio, secundrio e tercirio; Promoo de programa de investimento em infraestrutura econmica e social (R$ 2 trilhes) para reduzir sobretudo o custo da logstica de energia e transporte.Promoo de amplo programa de exportaes;Reduo drstica das taxas de juros para incentivar o consumo das famlias e o investimento pelas empresas ; Reduo da carga tributria com a queda dos encargos com o pagamento de juros e amortizao da dvida pblica;Reduo do custo de energia e transporte com a melhoria da infraestrutura econmica; e,Implantao do cmbio fixo em substituio ao cmbio flutuante para incentivar as exportaes.

O COMBATE ESTAGNAO ECONMICAO Banco Central precisa atuar sobre o sistema financeiro para reduzir drasticamente as taxas de juros por ele praticadas (150,70% ao ano em maio de 2016 para pessoa fsica e66,31% ao ano para as empresas em janeiro de 2016) para incentivar o consumo das famlias e o investimento privado.O governo federal tem de reduzir a carga tributria (33% do PIB) diminuindo seus encargos com o pagamento dos juros da dvida pblica (44,93% do oramento da Unio) renegociando com os credores o alongamento do seu pagamento.O governo federal deve atrair o setor privado para investir na infraestrutura de energia, transporte, comunicaes e saneamento bsico (R$ 1,6 trilhes) para reduzir o custo de sua logstica.

CONDIES PARA HAVER NO PAS AMBIENTE PROPCIO AOS INVESTIMENTOS PRIVADOSEvoluo favorvel da dvida pblica que tem hoje uma tendncia explosiva Evoluo favorvel das contas externas ameaadas com o dficit crescente no Balano de pagamentos Evoluo favorvel nas contas pblicas cujo dficit crescente pode levar insolvncia da Unio, Estados e MunicpiosCrescimento econmico do Pas hoje em estagnao com a queda continuada do PIB Aproveitamento das oportunidades de investimentos, sobretudo em infraestrutura e exportaes do agronegcio e do setor mineralAumento da lucratividade dos investimentos que se encontram em baixa e valores negativos Criao de facilidades de financiamento reduzindo as taxas de juros exorbitantes do sistema bancrio Reduo drstica da carga tributria que uma das maiores do mundo Adoo de polticas governamentais desenvolvimentistas com plano nacional de desenvolvimento e poltica industrial Conquista da estabilidade poltica superando os problemas de governabilidade e grande insatisfao da populao Conquista da estabilidade social superando o desemprego em massa e o crescimento da criminalidade no Pas

PROGRAMA DE INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA

Portos= R$ 42,9 bilhesFerrovias= R$ 130,8 bilhesRodovias= R$ 811,7 bilhesHidrovias e portos fluviais= R$ 10,9 bilhesAeroportos= R$ 9,3 bilhesSetor eltrico=R$ 293,9 bilhesPetrleo e gs= R$ 75,3 bilhesSaneamento bsico= R$ 270 bilhesTelecomunicaes = R$ 19,7 bilhesSetor de Sade= R$ 83 bilhes por anoSetor de educao= R$ 16,9 bilhes/anoHabitao popular= R$ 160 bilhesTOTAL = R$ 2 Trilhes

FUGA DO INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO

INVESTIMENTO ESTRANGEIRO

EXPORTAES BRASILEIRAS

PARTICIPAO DAS EXPORTAES BRASILEIRAS NO COMRCIO MUNDIAL

EXPORTAES BRASILEIRAS

COMPOSIO DO PIBEm Macroeconomia, o enfrentamento de uma crise recessiva como a atual no Brasil requereria aumentar o gasto pblico e as exportaes para compensar a queda no consumo das famlias e do investimento do setor privado. O governo Temer limita o gasto pblico e no incentiva as exportaes.PIB= Produto Interno BrutoC= Consumo das famliasI= Investimento privadoG= Gasto do governoX= ExportaesM= Importaes

PIB= C + I + G + X - M

CONCLUSES

As medidas adotadas pelo governo Michel Temer so tmidas porque o Projeto de Emenda Constitucional (PEC 241) no soluciona o problema das contas pblicas ao congelar o gasto pblico por 20 anos, excluindo o pagamento dos juros da dvida pblica, alm de aprofundar a recesso. O verdadeiro ajuste fiscal que deveria ser adotado no momento contemplaria, de um lado, o aumento da arrecadao pblica com a: 1) taxao das grandes fortunas que poderia render aproximadamente 100 bilhes de reais por ano; e, 2) aumento do imposto sobre os bancos e, de outro, diminuir os gastos do governo com a: 1) reduo drstica do nmero de ministrios e dos dispndios em todos os nveis do governo; e, 2) reduo drstica da taxa de juros bsica da economia (Selic) para diminuir o tamanho da dvida pblica e os encargos com o pagamento dos juros.

CONCLUSES

Os possuidores de grandes fortunas so aqueles que tm patrimnio superior a 1 bilho de reais.A edio de agosto da revista Forbes traz a lista dos bilionrios brasileiros. O patrimnio somado dos 124 que aparecem listados de R$ 544 bilhesque corresponde a 12,36% do PIB registrado no pas em 2012. O patrimnio dos 17 principais bilionrios do Brasil so, pela ordem, os seguintes: 1) Jorge Paulo Lemann (R$ 38,24 bilhes); 2) Joseph Safra (R$ 33,90 bilhes); 3) Antnio Ermrio de Moraes e famlia (R$ 25,68 bilhes); 4) Marcel Herrmann Telles (R$ 19,50 bilhes); 5) Roberto Irineu Marinho (R$ 17,28 bilhes); 6) Joo Roberto Marinho (R$ 17,26 bilhes); 7) Jos Roberto Marinho (R$ 17,10 bilhes); 8) Carlos Alberto Sicupira (R$ 16,78 bilhes); 9) Norberto Odebrecht e famlia (R$ 10,10 bilhes); 10) Francisco Ivens de S Dias Branco (R$ 9,62 bilhes); 11) Walter Faria (R$ 9,08 bilhes); 12) Aloysio de Andrade Faria (R$ 8,25 bilhes); 13) Ablio dos Santos Diniz (R$ 7,95 bilhes); 14) Giancarlo Civita e famlia (R$ 7,68 bilhes); 15) Renata de Camargo Nascimento (R$ 7,46 bilhes); 16) Regina de Camargo Oliveira Pires (R$ 7,46 bilhes); 17) Rosana Camargo de Arruda Botelho (R$ 7,46 bilhes).

CONCLUSESNenhuma medida foi proposta pelo governo Michel Temer para combater a estagnao econmica que tende a se aprofundar nos prximos anos. Nada est sendo proposto para reduzir as taxas de juros bancrias, a carga tributria e o problema da dvida pblica. PEC 241 e o programa de concesses para participao do setor privado nos investimentos na infraestrutura logstica do Pas so insuficientes para criar o ambiente propcio aos investimentos privados no momento atual no Brasil.O investimento estrangeiro direto no aumentar no Brasil em um ambiente de estagnao econmica e de instabilidade poltica e social como o que nos defrontamos.

CONCLUSESPEC 241 no cria o ambiente propcio aos investimentos privados na atividade produtiva.PEC 241 no soluciona o problema das contas pblicas e nem combate a estagnao econmica que ameaa o futuro do Pas. Graas recesso, crescer o dficit pblico e, tambm, o tamanho da dvida pblica e dos juros a serem pagos que levaro o Brasil insolvncia e, consequentemente, moratria. PEC 241 aprofundar a recesso no Pas alm de lev-lo moratria da dvida pblica que ser inevitvel.

CONCLUSES

O governo Temer no props nenhuma medida para reduzir a vulnerabilidade externa do Brasil.O controle de capitais a pea mais importante para uma estratgia de crescimento e desenvolvimento econmico sustentado, principalmente em economias marcadas pela instabilidade macroeconmica como a do Brasil. O controle de capitais deve ser realizado com a tributao sobre a entrada de capital estrangeiro. Exigir que determinada porcentagem do investimento estrangeiro fique retida em reserva por determinado nmero de dias junto ao Banco Central para limitar a volatilidade dos fluxos de capitais. Este tipo de controle, denominado poltica lock-in, evita a sada repentina de capital.

CONCLUSESO controle de capitais permite selecionar os fluxos de capital confinando os capitais especulativos a volumes administrveis e isolando a economia, em algum grau, dos choques financeiros externos. Vrios pases da sia adotaram medidas para disciplinar a entrada e a sada de capitais os quais obtiveram grande sucesso econmico e maior estabilidade do que os que aplicam o modelo neoliberal como o Brasil. Na China e na ndia, as transaes de capitais dependem de autorizao do governo. China e ndia, que nunca abandonaram o controle sobre os capitais, so hoje sinnimos de crescimento econmico continuado. Diferent

Recommended

View more >