viroses na infância

Download Viroses Na Infância

Post on 23-Jan-2016

231 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Tipos de viroses

TRANSCRIPT

Apresentao do PowerPoint

UNIO METROPOLITANA PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAO E CULTURAFACULDADE DE CINCIAS AGRRIAS E DA SADECURSO DE FARMCIA

Lauro de Freitas2014VIROSES NA INFNCIA Lauro de Freitas2014Disciplina: Relaes Microrganismos e HospedeirosDocente: Vera Vinhas

COMPONENTES:Aila MaiaIrismara AlmeidaJunison OliveiraThayse FigueiredoO que so viroses?

As viroses so a expresso dos fenmenos que esto ocorrendo em grupos especficos de clulas que, aps o contato com determinado grupo de vrus, mostraram-se competentes na fabricao de componentes virais, tendo ento iniciado a sua produo. Os sinais e sintomas das viroses so bastante diversificados, levando-se em conta aspectos como o tipo de vrus envolvido.VirosesObservao importante: Esses agentes infecciosos invisveis adoram temperaturas baixas e locais com grande aglomerao de pessoas e pouca renovao do ar. Um simples espirro de uma pessoa com virose pode proliferar o vrus. Uma pessoa infectada por vrus espalha no ar inmeras partculas de agentes virais.Doenas virais

RotavrusVaricelaSarampoPoliomieliteCaxumbaRubola

O que Rotavrus? a principal causa de diarreia grave em crianas com at dois anos de idade em todo mundo.Os sintomas iniciam-se cerca de 1 a 2 dias depois do contgio e duram de 3 a 8 dias, podendo variar de diarreia leve a quadros graves que necessitam de hospitalizao. Por que o Rotavrus causa preocupao?

A maioria das infeces acontece em crianas de 6 meses a 2 anos de idade.

Sinais de desidratao Boca secaChoro sem lgrimaDiminuio da produo de urinaPerda de pesoIrritabilidade

Como tratar a infeco por Rotavrus?Aleitamento maternoRepousoIngesto de lquidosReconhecimento rpido da desidrataoAvaliao mdica A ORGNIZACAO MUNDIAL DA SADE estima que, no mundo inteiro, a infeco por rotavrus seja responsvel por cerca de 2 milhes de hospitalizaes e cerca de 450 mil mortes por ano em crianas menores que 5 anos. possvel ter mais de uma infeco por Rotavrus ao longo da vida?Sim! H vrios tipos diferentes de Rotavirus e a infeco por um deles no confere proteo total contra os demais. Assim, a maioria das crianas pode ter vrios episdios de infeco, sendo que a primeira infeco tende a ser a mais grave.

At os 5 anos de idade, quase todas as crianas j foram infectadas pelo Rotavrus ao menos uma vez.Como os Rotavrus so conhecidosMais de 50 tipos de Rotavrus que variam ao longo do tempo e conforme a localizao geogrfica. Atualmente, cinco representam 95% dos Rotavrus circulantes no Brasil:

Como prevenir a infeco pelo Rotavrus?Vacinar contra o RotavrusManter o aleitamento maternoCuidar da higiene pessoal e domstica

Causado pelo vrus: Varicela zoster, famliaHerpetoviridae

Caractersticas da infeco: O vrus provoca pequenas e numerosas feridas no corpo, que geralmente no deixam cicatrizes.

Sintomas: Febre, exantemas pelo corpo com bolhas de gua quando cicatrizadas formando feridas secas e bastante prurido.

Transmisso: Saliva ou contato com objetos contaminados pelas leses da pele.

Preveno : Vacinao aos 12 meses e evitar contato direto com doentes. Varicela ou Catapora

A varicela uma infeco viral primria, aguda, altamente contagiosa, caracterizada por surgimento de exantema de aspecto mculo-papular que aps algumas horas, torna-se vesicular, evolui rapidamente para pstulas e, posteriormente, forma crostas, em 3 a 4 dias.

Perodo de incubao: Geralmente de 14 a 16 dias

Perodo de transmissibilidade: De 1 2 dias antes da eruptaco at 6 dias aps.

Em crianas, geralmente, uma doena benigna e autolimitada.VaricelaSarampoDoena caracterizada por erupo maculopapular,Agente causal: ParamixovirusSintomas: febre, tosse, olhos inchados e irritados, exantemas pelo corpo, mal estarTransmisso: Gotculas respiratrias,Epidemiologia: OMS estima-se que as mortes por Sarampo diminuram 71%Imunidade: Ocorre em indivduos que j apresentaram a doena.Diagnstico: Base clnicaTratamento: No nenhuma terapia antiviralPreveno: Vacina.

PoliomieliteDoena caracterizada pela paralisia infantil.Agente Causal: PoliovrusSintomas: O vrus afeta o sistema nervoso e a musculatura.Transmisso: Fecal-oral.Profilaxia: Vacina inativada(Salk) e atenuada (Sabin)Epidemiologia: Praticamente erradicada, ainda h casos na ndia, Afeganisto, Nigria e Paquisto.Patognese: aps multiplicar-se na parte oral faringe e no intestino delgado, dissemina-se na corrente sangunea at o sistema nervoso.Diagnstico: isolamento do vrus.Tratamento: no h terapia antiviral

POLIOMIELITE

Doena caracterizada por parotidite epidmica agudaAgente causal: ParamixovirusSintomas: Inchao das glndulas salivares Transmisso:Disseminao de gotculas infectadasEpidemiologia: 85% dos adultos sendo 1/3 assintomticosDiagnstico: Eminentemente clnicoTratamento: Antitrmico e AnalgsicoCaxumba ou Papeira

Sazonalidade:A incidncia predomina no final do Inverno e no comeo da Primavera, mas a doena endmica durante todo o ano.Profilaxia: Desinfeco de objetos contaminados com secreo nasofarngea e evitar contato direto durante o perodo da doena.Preveno: Vacina da Trplice Viral entre 12 a 15 meses de vida (1dose), 4 a 6 anos (2 dose) e 11 a 13 anos (3 dose).

Caxumba ou Papeira

Causado pelo vrus da Rubivrus

Sintomas: Febre alta, dores no corpo e nas articulaes, mal estar, erupes vermelhas na pele.

Transmisso: Espirro, tosse, contato direto ou congnita.

Diagnstico: Sorologia para Rubola IgM e IgG,

Preveno: Vacina da Trplice Viral entre 12 a 15 meses de vida (1dose), 4 a 6 anos (2 dose) e 11 a 13 anos (3 doseRubola

19RubolaConsequncias da Rubola para recm-nascidos: Deficincia intelectual, catarata, surdez, problemas cardacos, mau funcionamento dos rgos e retardo no crescimento.

20Tratamento

indispensvel No aconselhvel a vacinao durante a gravidez, devido aos riscos tericos por tratar-se de vrus atenuados.

A higiene para com a gua, alimentos, objetos pessoais, o ambiente fsico, o cuidado com o sangue e hemoderivados, o uso de seringas e perfuro-cortantes descartveis, a adequao do nmero de pessoas ao tamanho dos ambientes, a manuteno de alimentao e sono adequados, aliados pratica regular de exerccios fsicos so as melhores medidas preventivas a serem adotadas. Preveno Viroses No h procedimento especfico para as viroses. Em geral, faz-se o combate aos sintomas presentes, como febre, dor de cabea, mal estar, indisposio e falta de apetite. Recentemente os laboratrios farmacuticos tm conseguido produzir algumas drogas que interferem no mecanismo de fabricao de componentes virais, porm, muito longe de se atingir a eficcia necessria para conter este mal que corresponde a 2/3 de todas as doenas infecciosas conhecidas. importante salientar que a grande maioria das viroses evolui naturalmente para a cura. Tratamento Desde a sua criao no final do sculo XIX se tem alardeado que a apresentao de vrus atenuados capaz de estimular o organismo a produzir anticorpos especficos. Vacinao As vacinas so as armas mais eficientes na preveno de uma srie de doenas, no s na infncia, mas em todas as idades. No Brasil temos disponveis um grande nmero de vacinas que podem prevenir as doenas mais comuns e as mais graves na infncia.

Existe um calendrio oficial do governo e um calendrio recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, onde existem algumas vacinas a mais.IDADE VACINAS DOSESDOENAS EVITADAS Ao nascerBCG - IDdose nicaFormas graves de tuberculose Vacina contra hepatite B (1)1 doseHepatite B 1 msVacina contra hepatite B2 doseHepatite B 2 meses

Vacina tetravalente (DTP + Hib) (2)1 dose Difteria, ttano, coqueluche, meningite e outras infeces causadas pelo Haemophilus influenzae tipo bVOP (vacina oral contra plio)1 dosePoliomielite(paralisia infantil)VORH (Vacina Oral de Rotavrus Humano) (3)1 doseDiarria por RotavrusVacina tetravalente (DTP + Hib) 2 doseDifteria, ttano, coqueluche, meningite e outras infeces causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b4 meses VOP (vacina oral contra plio)2 dosePoliomielite (paralisia infantil)VORH (Vacina Oral de Rotavrus Humano) (4)2 doseDiarria por Rotavrus6 meses Vacina tetravalente (DTP + Hib) 3 doseDifteria, ttano, coqueluche, meningite e outras infeces causadas pelo Haemophilus influenzae tipo bVOP (vacina oral contra plio)3 dosePoliomielite (paralisia infantil)Vacina contra hepatite B 3 doseHepatite B9 meses Vacina contra febre amarela (5)dose inicialFebre amarela12 mesesSRC (trplice viral) dose nicaSarampo, rubola e caxumba15 mesesVOP (vacina oral contra plio)reforoPoliomielite (paralisia infantil)DTP (trplice bacteriana)1 reforoDifteria, ttano e coqueluche4 - 6 anosDTP (trplice bacteriana2 reforoDifteria, ttano e coquelucheSRC (trplice viral)reforoSarampo, rubola e caxumba10 anosVacina contra febre amarelareforoFebre amarela (1) A primeira dose da vacina contra a hepatite B deve ser administrada na maternidade, nas primeiras 12 horas de vida do recm-nascido. O esquema bsico se constitui de 03 (trs) doses, com intervalos de 30 dias da primeira para a segunda dose e 180 dias da primeira para a terceira dose.

(2) O esquema de vacinao atual feito aos 2, 4 e 6 meses de idade com a vacina Tetravalente e dois reforos com a Trplice Bacteriana (DTP). O primeiro reforo aos 15 meses e o segundo entre 4 e 6 anos.

(3) possvel administar a primeira dose da Vacina Oral de Rotavrus Humanoa partir de 1 ms e 15 dias a 3 meses e 7 dias de idade (6 a 14 semanas de vida). (4) possvel administrar a segunda dose da Vacina Oral de Rotavrus Humano a partir de 3 meses e 7 dias a 5 meses e 15 dias de idade (14 a 24 semanas de vida). O intervalo mnimo preconizado entre a primeira e a segunda dose de 4 semanas.

(5) A vacina contra febre amarela est indicada para crianas a partir dos 09 meses de idade, que residam ou que iro viajar para rea endmica (estados: AP, TO, MA MT, MS,