violência urbana

Download Violência Urbana

Post on 23-Feb-2016

24 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Violncia Urbana. A violncia urbana o mal que assola as comunidades que vivem no centros urbanos . Desregrados e ilimitados pelos pais Crise Familiar Desemprego Trfico em geral Falta de influencia poltica DISCRIMINAO EM GERAL. - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

Slide 1

Violncia Urbana Desregrados e ilimitados pelos pais Crise Familiar Desemprego Trfico em geral Falta de influencia poltica DISCRIMINAO EM GERAL A violncia urbana o mal que assola as comunidades que vivem no centros urbanos ... Testemunhos e as informaes que recebemos, notadamente pela mdia, mas tambm pelas empresas de segurana quem tm tambm grande interesse a acentuar nossa percepo da violncia, j que a segurana representa um mercado consequente. Assim cria-se essa situao paradoxal nas quais poucas pessoas afirmando sentir a insegurana foram elas mesmas atacadas. o que se chama sentimentos de inseguranaYves Michaud Walter Benjamin (1892-1940) parte de uma determinada interpretao de Marx para apresentar sua tese fundamental. Atentasse que quando Marx empreendeu a anlise do modo de produo capitalista, esse modo de produo ainda estava em seus primrdios. Marx orientou suas investigaes de forma a dar-lhes valor prognstico. O cinema tem como funo social das mais importantes promover o equilbrio entre o homem e o aparelho. As imagens provocam efeitos na percepo dos atos cotidianos. Muitas das deformaes e estereotipias, transformaes e catstrofes que o mundo visual pode sofrer no filme afetam realmente esse mundo nas psicoses. A enorme quantidade de episdios grotescos atualmente consumidos no cinema constituiem um ndice impressionante dos perigos que ameaam a humanidade.

http://www.espacoacademico.com.br/066/66viana.htmPara Theodor Ludwig Wiesengrund-Adorno , a postura otimista de Walter Benjamin (1892-1940) no que diz respeito funo possivelmente revolucionria do cinema desconsidera certos elementos fundamentais, que desviam sua argumentao para concluses ingnuas. Embora devendo a maior parte de suas reflexes a Benjamin, Adorno procura mostrar a falta de sustentao de suas teses, na medida em que elas no trazem luz o antagonismo que reside no prprio interior do conceito de tcnica. Segundo Adorno, passou despercebido a Benjamin que a tcnica se define em dois nveis: primeiro enquanto qualquer coisa determinada intra-esteticamente e, segundo, enquanto desenvolvimento exterior s obras de arte. Se a tcnica passa a exercer imenso poder sobre a sociedade, tal ocorre, segundo Adorno, graas, em grande parte, ao fato de que as circunstncias que favorecem tal poder so arquitetadas pelo poder dos economicamente mais fortes sobre a prpria sociedade. http://pt.wikipedia.org/wiki/Theodor_W._Adorno

Max Horkheimer: A "razo polmica" de Horkheimer, ao se opor razo instrumental e subjetiva dos positivistas, no evidencia somente uma divergncia de ordem terica. Ao tentar superar a razo formal positivista, Horkheimer no visa suprimir a discrdia entre razo subjetiva e objetiva atravs de um processo puramente terico. Essa dissociao somente desaparecer quando as relaes entre os seres humanos, e destes com a natureza, vierem configurar-se de maneira diversa da que se instaura na dominao. A unio das duas razes exige o trabalho da totalidade social, ou seja, a prxis histrica.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Max_Horkheimer

Consumo O corao do sistema Pouco depois da segunda guerra, governo e corporaes estudavam a forma de impulsionar a economia. O analista de vendas Walter LeBolt articulou a soluo que se tornaria a norma de todo o sistema. Ele disse: A nossa enorme economia produtiva exige que faamos do consumo a nossa forma de vida, que tornemos a compra e o uso de bens, rituais. Que procuremos a nossa satisfao espiritual, satisfao de ego no consumo. Precisamos que as coisas sejam consumidas, destrudas, substitudas e descartadas a um ritmo cada vez maior.

6Como eles conseguem nos fazer investir nesse sistema?Por meio da mdia;existem duas formas:- Obsolescncia Planejada: As coisas so criadas para irem para o lixo, fazem de uma forma que se inutilizem rpido.-Obsolescncia Perceptiva: Fazem voc crer que precisa comprar algo novo por meio de novos designs e algumas mnimas modificaes, mesmo que seu aparelho ou sapato ou o produto que for ainda seja funcional. Nos Estados Unidos dos produtos que so fabricados 99% vo para o lixo em torno de seis meses. A publicidade e a mdia em geral teem um papel importante nisso. Temos mais coisas, porm menos tempo livre para as coisas que realmente interessam, (famlia, amigos e tempo livre). Analistas dizem que no temos to pouco tempo desde a sociedade feudal. Sabe qual a atividade que mais fazem as pessoas em seu tempo livre? -Ver TV e ir s compras. Passamos trabalhando e quando chegamos em casa a TV nos convence o que devemos comprar.

Fonte:A histria das coisas com Annie Leonard

http://www.youtube.com/watch?v=lgmTfPzLl4EAnalogias da Disney a nossa sociedadeFormiguinhaZZ um membro de uma comunidade de formigas, manipuladas por um por um tirano, que tem em mente um plano de controle o qual esta encaminhando grande parte da comunidade para a destruio. Z um dos poucos que no se encontram sob controle e por caminhos bem ocasionais, gera uma revoluo influenciando imparcialmente por meio de seu carisma e energia. Z um individuo inquieto e questionador no satisfeito com a realidade imposta e com isso contraria todas as regras.Vida de insetoFlik, tambm membro de uma sociedade onde os membros teem comportamento condicionado e ordenado por tiranos, que impem uma realidade limitada ao que os expem.Flik um gnio um inventor e excludo e descriminado pelos membros de sua comunidade e tambm curiosamente acaba sendo ele que encontra a sada para os problemas de seu povo.

Voc realmente acha que escolhe o que quer?

Ele tambm...

As pessoas nos dias atuais no so mais amigas, conversam sobre o suprfluo,trocam comprimentos formais e convivem de forma inspida, ou seja, no ocorre a troca de sentimentos, a troca de saberes e sim acorre na relao alienado a tera de fofocas, de falsidade e de mentiras no existe amor ou solidariedade entra as pessoas. Hoje em dia, normal que uma pessoa seja morta na luz do dia e ningum faa nada, isso errado, pois ningum intervm para ajudar ou salvar uma vida atingindo o processo de alienao do ser humano perde o contato com seu "eu"..

Inspida: sem-graa, enfadonho, montono.A tera: parte de um todo.

TV tem um poder to grande de alienao que hoje em dia se voc for no GOOGLE e escrever: ALIENAO ela uma das primeiras imagens que aparece.

No posso acreditar num Deus que quer ser louvado o tempo todo. (Nietzsche)

O macaco um animal demasiado simptico para que o homem descenda dele. (Nietzsche)

O ciclo da ignorncia se divide em 3 etapas:- Irracional: No sabe nada. Racional: Pensa que sabe.- Alienado: Nem pensa mais.Chegamos a um ponto que assistimos TV para no pensar.

O Brasil uma nao de espertos que reunidos, formam uma multido de idiotas. (Gilberto Dimenstein)

Um povo ignorante um instrumento cego de sua prpria destruio.

Por fim, pode-se concluir que, hoje em dia o mundo j no mais o mesmo, como um dia j foi. Vivemos em um mundo onde a alienao evidente, pessoas comprando o que acham ser importante deixando os valores principais de lado, tais como, educao , carter, honestidade etc.Sendo caro e estando na moda, ns queremos.

Crianas j no brincam mais com seus amigos, e quando brincam, no so mais brincadeiras ingnuas, no entanto, brincam de polcia e ladro, de perseguio, de bandidos etc. Quando no esto brincando esto sendo alienadas, assistindo TV, ou ento jogando algum tipo de jogo que esteja na moda e que expresso violncia brutal e insensata, mas que do muitos lucros em vendas.

O que me entristece a dura realidade, ver que tudo isso realmente acontece. Sendo assim posso citar o documentrio Tiros em Columbine, dirigido por Micheal Moore, que aborda a fascinao americana por armas. Em certo momento do documentrio, a um fato que me deixou extremamente chocado, quando uma me em depoimento, responde por um processo de homicdio, que seu filho de aproximadamente 6 ANOS de idade, tenha cometido. O crime ocorreu quando seu filho foi ao colgio, e dentro de sua mochila estava a arma que seu tio, tinha em casa, o menino como uma forma brincadeira, sem saber o que estava fazendo pega a arma e dispara contra uma amiguinha, que infelizmente morre no hospital.As Mdias, j no esto nem ai para tica ou censura, elas apenas querem lucros exorbitantes e o IBOPE l em cima. Se for antitico e der lucro, publicado

Caso ELOA

Com nossa ignorante e irracional ajuda, eles fazem o que querem, tendo em mo o poder da massa para expor e impor o que julgarem certo

No feche seus olhos, e no deixe que ningum os feche.Pontos PositivosPodemos destacar como um dos pontos positivos, as transmisses de diversas noticias sobre tudo o que ocorre no mundo, tanto nas divulgaes de acidentes, crimes, poltica, esportes e muitos outros temas.Nesse ponto devemos concordar que a mdia uma fonte indispensvel de informaes sobre temas importantssimos que nos cercam a partir do momento que tomamos o conhecimento do que est acontecendo no mundo e principalmente na regio em que vivemos.

Voc tambm concorda que a mdia pode ser vista como um ponto positivo que nos ajuda a ficarmos mais ligados e cientes dos problemas que vm se agravando ao nosso redor ???

A mdia tem um papel importantssimo na nossa formao , cultural, social , poltica, entre outras. Devemos filtrar coisas boas e positivas para nossa vida, de nossas crianas e adolescentes , coisas sadias.

O fato de estar atualizado importante ... apesar de ultimamente temos tido a impresso que os tele jornais so comprados, por interesses de polticos, empresrios ... mas esse seria um dos fatores positivos importantes, no s pelo lado econmico e poltico , mas pelas noticias sobre doenas , vacinas,curas, pesquisas, leis, direitos, deveres, tecnologia

Recommended

View more >