vigilÂncia agropecuÁria internacional: guia para ?· conselho regional de medicina...

Download VIGILÂNCIA AGROPECUÁRIA INTERNACIONAL: GUIA PARA ?· conselho regional de medicina veterinÁria–sp…

Post on 11-Feb-2019

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINRIASP

SERVIO DE VIGILNCIA AGROPECURIA EM GUARULHOS

VIGILNCIA AGROPECURIA INTERNACIONAL:

GUIA PARA EMISSO DE ATESTADO DE SADE (CES E

GATOS)

1 Edio

So Paulo

Agosto 2017

APRESENTAO

Guia para Emisso de Atestado de Sade (Ces e Gatos) foi elaborado pelo Conselho

Regional de Medicina Veterinria (CRMVSP) em conjunto com o Servio de

Vigilncia Agropecuria em Guarulhos (SVAGRU). O SVAGRU a unidade do

Sistema de Vigilncia Agropecuria Internacional (VIGIAGRO) do Ministrio da Agricultura, Pecuria

e Abastecimento (MAPA) que mais emite Certificados Zoossanitrios Internacionais (CZI) para

animais de companhia no Brasil (5.000 por ano, em mdia). O CZI tambm chamado de CVI

(Certificado Veterinrio Internacional) acompanha o animal durante uma viagem internacional, sendo

o documento que garante sua sade e o cumprimento das exigncias sanitrias especficas do pas de

destino.

No Brasil, a certificao sanitria de ces e gatos atividade privativa do MAPA, seguindo os

padres, diretrizes e recomendaes da Organizao Mundial de Sade Animal (OIE). O CZI emitido

por um Mdico Veterinrio Auditor Fiscal Federal Agropecurio a partir de informaes atestadas,

previamente, por um Mdico Veterinrio no-oficial a ser definido pela parte interessada. Quando o

animal inspecionado pela autoridade veterinria do pas de destino, qualquer divergncia ou

inconsistncia nas informaes que constam no CZI poder implicar em medidas sanitrias

considerveis, tais como quarentena, ou mesmo a devoluo do animal ao Brasil. Sendo assim, as

informaes atestadas por esse profissional se tornam essenciais no processo, e o exame clnico dever

ser minuciosamente cumprido a partir do conhecimento das exigncias sanitrias especficas de cada

pas. O atestado de sade dever ser preenchido em parecer fidedigno e dispor de todas as informaes

necessrias de forma clara e precisa, alm de carimbo, assinatura e a data em que o exame clnico foi

realizado.

Este Guia traz os requisitos sanitrios para o ingresso de ces e gatos em todos os pases e

blocos econmicos com os quais o MAPA possui acordo: frica do Sul, Canad, Chile, China,

Cingapura, Colmbia, Emirados rabes Unidos, Equador, Estados Unidos, Hong Kong, ndia, Israel,

Japo, Mercosul, Mxico, Noruega, Om, Peru, Sua, Taiwan, Unio Europeia e Vietn. exceo de

Austrlia e Nova Zelndia que no aceitam ces e gatos procedentes do Brasil , tambm possvel

embarcar para pases que ainda no possuem acordo. Neste caso, dever do proprietrio ou exportador

apresentar ao MAPA os requisitos exigidos pela autoridade veterinria do pas de interesse.

Evidentemente, o Mdico Veterinrio responsvel pela emisso do atestado de sade dever estar

ciente de tais informaes.

O

O CZI gratuito e qualquer pessoa poder obt-lo, no sendo preciso contratar despachante. O

interessado dever contatar a unidade do VIGIAGRO mais prxima para receber informaes frente s

condies de atendimento. Em Guarulhos, por exemplo, onde a demanda excessiva, faz-se necessrio

agendar o atendimento com antecedncia e possuir a data da viagem j confirmada.

Este Guia serve de apoio a Mdicos Veterinrios que emitem atestados de sade para a

Vigilncia Agropecuria Internacional e se baseia em informaes e procedimentos referentes sua

incumbncia profissional, no incluindo obrigatoriedades e/ou documentaes que sejam de

responsabilidade exclusiva da parte interessada. No entanto, vale ressaltar a importncia em se manter

atento a possveis atualizaes das exigncias de cada pas ou bloco econmico para uma boa prestao

de servios aos clientes que pretendem embarcar seus animais para outros pases.

O CRMVSP e o SVAGRU recomendam ainda as seguintes referncias sobre o assunto:

Resoluo n 844 do Conselho Federal de Medicina Veterinria (CFMV), de 20 de setembro de 2006;

Instruo Normativa n 36 do MAPA, de 10 de novembro de 2006 (Seo I do Captulo IV, alterada

pela Instruo Normativa n 53 do MAPA, de 16 de novembro de 2009); e Cdigo Sanitrio para

Animais Terrestres da OIE.

O Guia para Emisso de Atestado de Sade (Ces e Gatos) traz instrues especficas para o

preenchimento do modelo utilizado pelo MAPA, disponvel em:

. Seu uso poder ser referencial, no

possuindo carter obrigatrio, desde que o Mdico Veterinrio responsvel garanta que todas as

informaes necessrias estejam inseridas no formato de sua escolha.

As unidades do MAPA que emitem CZI podero ser consultadas em:

.

http://www.agricultura.gov.br/assuntos/vigilancia-agropecuaria/animais-http://www.agricultura.gov.br/assuntos/vigilancia-agropecuaria/unidades

AUTORES

Carlos Augusto Donini, Mdico Veterinrio graduado pela Universidade Estadual Paulista Jlio

de Mesquita Filho Jaboticabal, Conselheiro Suplente do Conselho Regional de Medicina Veterinria

do Estado de So Paulo (CRMV-SP);

Sandra Kunieda de Alonso, chefe do Servio de Vigilncia Agropecuria em Guarulhos (SVA

GRU) do Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento (MAPA);

Luiz Carlos Teixeira de Souza Jr., Mdico Veterinrio graduado pela Universidade Federal

Rural do Rio de Janeiro, Auditor Fiscal Federal Agropecurio do Servio de Vigilncia Agropecuria

em Guarulhos (SVAGRU);

Valria Alhambra Rocchetti, Mdica Veterinria graduada pela Universidade Anhembi

Morumbi;

Camila Alves Barbosa, discente de graduao em Medicina Veterinria pela Universidade

Anhembi Morumbi;

Fernanda Marion Monteiro Garcia, discente de graduao em Medicina Veterinria pela

Universidade Estadual Paulista Jlio de Mesquita Filho Botucatu, e pela cole Nationale Vtrinaire

de Lyon;

Flvia Franchini, discente de graduao em Medicina Veterinria pela Universidade Guarulhos.

Figura 1: Leitura de microchip durante fiscalizao do VIGIAGRO no Terminal de Cargas do

Aeroporto Internacional de So Paulo.

Fonte: SOUZA JNIOR, L. C. T., 2017.

ATESTADO DE SADE PARA VIAGENS DE CES E GATOS

1. IDENTIFICAO DO PROPRIETRIO

Nome completo: CPF/Passaporte: Telefone: Endereo: Cidade: UF:

2. IDENTIFICAO DO ANIMAL

Nome: Data de nascimento: Espcie: Sexo: Porte: Raa: Pelagem: Microchip: Data de aplicao:

3. VACINA ANTI-RBICA

*para viagens Unio Europeia necessrio anexar laudo sorolgico conforme Regulamento (UE) 576/2013.

4. INFORMAES SANITRIAS

Atesto para os devidos fins que o animal acima identificado foi por mim examinado, est clinicamente sadio, no apresenta sinais de doenas infectocontagiosas e parasitrias e, at onde alcana meu conhecimento, no foi diagnosticado positivamente para leishmaniose, portanto, est apto para o transporte.

5. TRATAMENTO ANTIPARASITRIO

ANTIPARASITRIO INTERNO

ANTIPARASITRIO EXTERNO

*aplicados dentro dos 15 (quinze) dias anteriores emisso do CVI, no caso de viagens ao Mercosul.

6. INFORMAES ADICIONAIS

Municpio/UF: ____________________________________________ Data: ___ / ___/ ___

Nome:________________________

CRMV n. _____________________

Mdico Veterinrio

Informaes sobre o trnsito internacional de ces e gatos:

http://www.agricultura.gov.br/animal/animais-de-companhia/transporte-internacional

Laboratrio Nome comercial Data da aplicao Validade da vacinao N do lote

Data de aplicao Laboratrio Nome comercial Princpio(s) ativo(s)

Data de aplicao Laboratrio Nome comercial Princpio(s) ativo(s)

http://www.agricultura.gov.br/animal/animais-de-companhia/transporte-internacional

INFORMAES SOBRE O TRNSITO DE CES E GATOS PARA A

FRICA DO SUL

1. O atestado de sade deve ser preenchido, datado, carimbado e assinado por Mdico Veterinrio

com registro vlido junto ao Conselho Regional de Medicina Veterinria (CRMV/UF) dentro dos

10 dias que antecedem o embarque para a frica do Sul.

1.1. Os ces devero ser testados, dentro dos 30 dias que antecedem a viagem, para:

1.1.1. Brucella canis (soroaglutinao), Trypanosoma evansi (teste de aglutinao e esfregao

sanguneo), Babesia gibsoni (teste de imunofluorescncia e esfregao sanguneo),

Dirofilaria immitis (teste de filtrao de microfilria) e Leishmaniosis (fluorescncia

indireta, ELISA, teste de aglutinao direta ou Western blot);

ATENO: Os exames devem ser realizados em laboratrio sul-africano.

1.1.2. Os resultados de todos os testes devero ser negativos;

1.1.3. A partir da emisso dos resultados negativos, faz-se necessrio tratar, at a data de

embarque e de acordo com as instrues do(s) fabricante(s) , contra T. evansi com

Aceturato de Diminazine, e contra Dirofilaria immitis com Dietilcarbamazina (5-6 mg/kg

de peso vivo), Ivermectina (6 g/kg de peso vivo), Milbemicina Oxima (0,5 mg/kg de

peso vivo), Moxidectina (3 g/kg de peso vivo) ou Selamectina (6 mg/kg de peso vivo);

1.1.3.1. O tratamento contra Dirofilaria immitis em ces dever continuar por 6 meses aps o desembarque na frica do Sul. No h drogas contra D. immitis disponveis naquele

pas e, portanto, o proprietrio ou exportador dever providenci-las no Brasil e garantir

que possuir a quantidade suficiente para o tratamento exigido.

1.1.4. Informar os tratamentos contra T. evansi e Dirofilaria