viewdirio eletrnico ano xiii divulgao: tera-feira 03 de outubro de 2017 pgina 12 de 63 n 1689 dirio...

Download viewDIRIO ELETRNICO ANO XIII Divulgao: tera-feira 03 de outubro de 2017 Pgina 12 de 63 N 1689 DIRIO ELETRNICO ANO XIII Divulgao: tera-feira 03 de outubro de 2017 Pgina 11 de 63 N 1689 Praa Nossa Senhora

Post on 26-May-2018

283 views

Category:

Documents

46 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

DIRIO ELETRNICO

ANO XIII

Divulgao: tera-feira

03 de outubro de 2017

Pgina 12 de 63

N 1689

DIRIO ELETRNICO

ANO XIII

Divulgao: tera-feira

03 de outubro de 2017

Pgina 11 de 63

N 1689

SUMRIO

Tribunal Pleno1

Pautas1

Atas1

Acrdos1

Primeira Cmara17

Pautas17

Atas17

Acrdos17

Segunda Cmara22

Pautas22

Atas22

Acrdos22

Atos de Relatoria37

Conselheiro NESTOR BAPTISTA37

Conselheiro ARTAGO DE MATTOS LEO46

Conselheiro FERNANDO AUGUSTO MELLO GUIMARES46

Conselheiro IVAN LELIS BONILHA46

Conselheiro JOS DURVAL MATTOS DO AMARAL48

Conselheiro FABIO DE SOUZA CAMARGO48

Conselheiro IVENS ZSCHOERPER LINHARES48

Auditor SERGIO RICARDO VALADARES FONSECA48

Auditor THIAGO BARBOSA CORDEIRO50

Auditor CLAUDIO AUGUSTO CANHA50

Auditor TIAGO ALVAREZ PEDROSO51

Corregedoria Geral51

Ouvidoria de Contas51

Ministrio Pblico junto ao Tribunal de Contas51

Resenhas de Distribuio51

Atos de Alerta Municipais51

Editais52

Despachos52

Atos Normativos61

Gabinete da Presidncia61

Despachos61

Termo de Ajuste de Gesto62

Portarias62

Informativos de Licitaes62

Composio Binio 2017/201863

Tribunal Pleno63

Primeira Cmara63

Segunda Cmara63

Corregedoria-Geral63

Ministrio Pblico junto ao Tribunal de Contas63

Diretores de Gabinete63

Inspetorias de Controle Externo63

Administrativo63

Tribunal Pleno

Pautas

Nos termos do art. 468 do Regimento Interno do Tribunal de Contas do Paran, as partes interessadas em realizar Sustentao Oral nos processos includos na presente pauta de julgamento devem apresentar Requerimento nos autos, dirigido ao Presidente do rgo Colegiado prprio, para fins de deferimento, conforme agendamento efetuado pelas respectivas Secretarias, com cincia imediata ao Relator.

Atas

Sem publicaes

Acrdos

PROCESSO N: 473241/17

ASSUNTO: REPRESENTAO DA LEI N 8.666/1993

ENTIDADE: MUNICPIO DE JUNDIA DO SUL

INTERESSADO: ECLAIR RAUEN, EMPRESA PRINCESA DO NORTE S/A, MUNICPIO DE JUNDIA DO SUL

RELATOR: CONSELHEIRO NESTOR BAPTISTA

ACRDO N 4028/17 - Tribunal Pleno

Representao da Lei n 8.666/93. Municpio de Jundiai do Sul. Concesso de cautelar mediante Despacho n 2034/17. Suspenso do processo licitatrio. HOMOLOGAO.

1. RELATRIO

Trata-se de Representao da Lei n 8.666/93, com pedido cautelar, formulada pela empresa Princesa do Norte S/A, em face do edital de Tomada de Preos n 01/2017 do Municpio de Jundia do Sul, tendo como objeto a contratao de empresa prestadora de servios de transporte coletivo.

A representante insurgiu-se contra vrios itens do edital, entre eles a utilizao de lotes, mas valor global das propostas; exigncia de nmero mnimo de atestados de capacidade tcnica; exigncia de renncia expressa ao direito de recorrer; ilegalidade na reduo do prazo recursal. Ainda, insurgiu-se contra a competncia do municpio para licitar aludido meio de transporte.

o relatrio.

2. FUNDAMENTAO E VOTO

Assim, passo anlise dos elementos que sustentam a cautela e o encaminhamento da presente Representao.

1. Da competncia estadual para prestao de servio de transporte pblico coletivo intermunicipal:

A anlise deste item requer maiores informaes a serem prestadas pelo Municpio, como a existncia ou no de transporte regular intermunicipal e quanto ao interesse pblico em se fornecer transporte a empregados de determinada empresa, sendo que a legislao trabalhista impe ao empregador este nus.

1. Escolha do tipo licitatrio por menor preo global por lote:

A representante afirma que embora o edital tenha previsto a proposta vencedora por menor preo global por lote, o item 5.1 do Edital, prev a desclassificao das propostas que consignarem preos superiores a R$ 224.320,80, que se refere ao montante total da licitao.

O edital no se fez claro. Alm disso, por se tratar de servios de transporte distintos, diviso do certame em lotes seria o mais adequado ao que dispe o pargrafo primeiro do Art. 23 da Lei 8.666/93.

1. Atestados de Capacidade tcnica:

O item 4.1 i do Edital exige que a licitante apresente 2 atestados comprovando que presta ou prestou os servios pertinentes ao objeto da licitao.

Como bem citou a representante, a exigncia desarrazoada, conforme j assentou o Tribunal de Contas da Unio, por meio do Acrdo 1052/2012-Plenrio.

d) Da exigncia de renncia expressa ao direito de recorrer:

A representante alega que o Edital 01/2017, exigiu renuncia expressa dos licitantes ao direito de recorrer, no item 3.1.

Da leitura do edital, percebo que houve um equvoco de interpretao da licitante, uma vez que o item apenas afirma que a abertura das propostas ocorrer em seguida da habilitao desde que haja renuncia expressa dos licitantes ao direito de recorrer fase de habilitao. Caso contrrio a sesso ocorreria em data a ser informada. No acolho a representao quanto a este item.

e) Da reduo do prazo recursal:

O Captulo V da Lei Federal 8.666/93, trata dos prazos recursais, e em seu Art. 109, dispe:

Art.109. Dos atos da Administrao decorrentes da aplicao desta Lei cabem:

I-recurso, no prazo de 5 (cinco)dias teis a contar da intimao do ato ou da lavratura da ata, nos casos de: [...]

Assim, clara a determinao legal de que o prazo recursal de 5 (cinco) e no de 3(trs) dias teis, como especifica o item 13.2 do Edital 01/2017. Razo pela qual deve ser admitida a representao quanto a este item.

Quanto medida cautelar pleiteada, verifico o preenchimento dos requisitos autorizadores da sua concesso.

O fumus boni iuris resta demonstrado na plausibilidade das alegaes do representante, conforme consideraes tecidas anteriormente.

O periculum in mora est evidenciado, j que a licitao est em andamento e eventual celebrao de contrato poder resultar em prejuzos aos cofres pblicos. Ademais, a continuidade do processo licitatrio nessas circunstncias poder afrontar princpios da legalidade, competitividade, isonomia.

Ante o exposto, VOTO pela HOMOLOGAO da deciso proferida no Despacho n 2034/17 - GCNB (pea 4), nos termos do artigo 32, VII do Regimento Interno deste TCE/PR.

Tendo em vista que j foram expedidas citaes dos representados (peas 8 e 9), aps disponibilizados nos autos digitais o presente acrdo e decorridos os prazos para respostas dos representados, encaminhe-se Coordenadoria de Fiscalizao Municipal e ao Ministrio Pblico de Contas (MPTC), para as respectivas manifestaes, nos termos do artigo 35, inciso III, da Lei Orgnica e do artigo 278, inciso III, do Regimento Interno.

VISTOS, relatados e discutidos,

ACORDAM

OS MEMBROS DO TRIBUNAL PLENO do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PARAN, nos termos do voto do Relator, Conselheiro NESTOR BAPTISTA, por unanimidade, em:

I HOMOLOGAR a deciso proferida no Despacho n 2034/17 - GCNB (pea 4), nos termos do artigo 32, VII do Regimento Interno deste TCE/PR.

II Encaminhar os autos Coordenadoria de Fiscalizao Municipal e ao Ministrio Pblico de Contas (MPTC), para as respectivas manifestaes, nos termos do artigo 35, inciso III, da Lei Orgnica e do artigo 278, inciso III, do Regimento Interno, tendo em vista que j foram expedidas citaes dos representados (peas 8 e 9), aps disponibilizados nos autos digitais o presente acrdo e decorridos os prazos para respostas dos representados,.

Votaram, nos termos acima, os Conselheiros NESTOR BAPTISTA, ARTAGO DE MATTOS LEO, FERNANDO AUGUSTO MELLO GUIMARES, IVAN LELIS BONILHA e IVENS ZSCHOERPER LINHARES e o Auditor TIAGO ALVAREZ PEDROSO.

Presente o Procurador-Geral do Ministrio Pblico junto ao Tribunal de Contas, FLVIO DE AZAMBUJA BERTI.

Sala das Sesses, 14 de setembro de 2017 Sesso n 30.

NESTOR BAPTISTA

Conselheiro Relator

JOSE DURVAL MATTOS DO AMARAL

Presidente

PROCESSO N: 812662/16

ASSUNTO: PEDIDO DE RESCISO

ENTIDADE: CMARA MUNICIPAL DE BARBOSA FERRAZ

INTERESSADO: ALICEU RONQUI, GILSON ANDREI CASSOL

RELATOR: CONSELHEIRO IVENS ZSCHOERPER LINHARES

ACRDO N 4131/17 - Tribunal Pleno

Pedido de resciso. Violao literal a dispositivo de lei. Reviso Geral anual mesmo ndice, com percentuais distintos em razo do perodo. Inexistncia de violao ao art. 37, X e art. 2, ambos da CF. Consulta n 5537/15 Pleno. Conhecimento e Procedncia, conforme instruo.

1. Tendo-se em conta a designao em sesso para a relatoria do acrdo, nos termos do art. 458 do Regimento Interno, adoto, por brevidade, o relatrio apresentado pelo Ilustre Conselheiro Fernando Augusto Mello Guimares, relator originrio do processo:

1.1 Decises que originaram o pedido de resciso

Acrdo 4182/14-S1C (exarado no Processo de Prestao de Contas Anual 19688-0/13):

EMENTA: Prestao de Contas Anual. Exerccio Financeiro de 2012. Remunerao dos Agentes Polticos. Recomposio anual ilegal. Irregularidade das contas. Multa. Recomposio do errio.

(...)

(...) alm de a Constituio Federal ser expressa no sentido de que a reviso geral anual deve ser operar na mesma data e sem distino de ndices, a jurisprudncia desta Corte - com fora normativa (Acrdos n. 4246/12-STP e 237/08-STP), dando interpretao a tal dispositivo constitucional, fixou o entendimento pela impossibilidade de o Legislativo aprovar a reviso geral independentemente da votao da reviso geral dos servidores do Executivo e pela obrigatoriedade de que a reviso geral anual de ambos os Poderes seja concomitante e

Recommended

View more >