viabilidade economica eucaliptos

Download viabilidade economica eucaliptos

Post on 04-Jul-2015

197 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

ABCustos Associao Brasileira de Custos - Vol. V n 1 - jan/abr 2010

ISSN 1980-4814

Viabilidade Econmica da Produo de Eucaliptos no Rio Grande do Sul __________________________________________________________Juliano Andre Pavan Mestre em Cincias Contbeis, Unisinos - Professor da Faculdade Anhanguera, RS Rua Paissandu, 1200, 99010-033 - Passo Fundo, RS juliano@grupopavan.com.br Tiago Wickstrom Alves Doutor em Economia, UFRGS Professor da Unisinos, RS Avenida Unisinos, 950, (PPGCC), 93022-000 So Leopoldo - RS wickstrom.alves@gmail.com Marcos Antonio de Souza Doutor em Controladoria e Contabilidade USP, Professor da Unisinos, RS Avenida Unisinos, 950, (PPGCC), 93022-000 So Leopoldo - RS marcosas@unisinos.br

Este estudo tem como objetivo analisar a viabilidade econmica da produo de eucaliptos no Rio Grande do Sul, atendendo a diferentes canais de comercializao. O estudo tem como base a estrutura de custos de produo da Aracruz (2005), os quais foram cotejados com os obtidos junto a EMATER/RS (2005) e complementados com dados da Empoflor. Aps a mensurao dos custos calculou-se o Valor Presente Lquido e o Valor Presente Lquido Geral para os canais de energia, celulose, serraria e laminao por distncia do produtor ao consumidor - de 50 km a 400 km. A produtividade geral foi determinada com base no software SisEucalipto, aps simular a produtividade sob diferentes densidades, desbastes e perodo das rotaes. Os resultados apontam que produzir eucaliptos para atender gerao de energia no traz viabilidade superior ao custo de oportunidade em nenhuma faixa de distncia analisada. Produzir eucaliptos para atender fabricao de celulose somente traz retorno superior ao custo de oportunidade da terra para o produtor que estiver a 50 km da fbrica. J produzir eucaliptos direcionando para serraria ou laminao vivel at a faixa de distncia de 350 km. Palavras-chave: Custo de Produo. Eucaliptos. Viabilidade Econmica.

The economic viability of the Eucalypitus production in Rio Grande do SulThis study aims to analyse the economic viability of the Eucalypitus production in Rio Grande do Sul, under different commercialization channels. The study is based (benchmark) on the cost structure of Aracruz (2005). These data were compared with Emater/RS (2005), and complemented with the ones from Empoflor. After obtaining the results for costs we computed the Net Discounted Value and the Net General Discounted Value for the energy, cellulose, sawmill, and blader channels for a range of distance that goes from 50 to 400 Km between the producer and the consumer. In order to determine the general productivity we used the SisEucalipto software for the simulation of productivity under different densities, hews, and turnover (rotation) periods. The results indicate that production of Eucalyptus aiming at power generation is not economic feasible for all distances within the defined range. The production of Eucalyptus for application in cellulose is economically feasible only to distances up to 50 km from the mill. Finally, when aimed to sawmill and blader the economic viability of Eucalyptus production is achieved up to a distance of 350 Km. Key Words: Production Cost. Eucalyptus. Economic Viability.

Viabilidade Econmica da Produo de Eucaliptos no Rio Grande do Sul Juliano Andre Pavan, Tiago Wickstrom Alves, Marcos Antonio de Souza

IntroduoO Rio Grande do Sul tem recebido investimentos significativos de empresas produtoras de celulose. Como exemplo cita-se: a expanso da fbrica da Aracruz em Guaba, regio metropolitana de Porto Alegre, com investimento estimado em R$ 4,9 bilhes; a Votorantim Celulose e Papel com a construo de uma fbrica com capacidade de 1,3 milho de toneladas por ano e investimentos estimados de US$ 1,3 bilho, para operar a partir de 2011 (INTELOG, 2008); e, ainda, a Stora Enso com investimentos de US$ 900 milhes a US$ 1 bilho na construo de uma fbrica para produzir celulose e, de aproximadamente, US$ 250 milhes na compra de terras na metade sul do Estado para plantar 100 mil hectares de rvores (Revista da Madeira, 2006). Esses investimentos tm gerado diversas discusses, entre elas a questo do retorno para os produtores que aderirem produo de eucaliptos. Assim, esse estudo objetiva colaborar com informao relativa ao retorno financeiro dessa atividade no Estado, a partir de uma anlise conjunta de custos e otimizao da produtividade - via simulao nos diferentes canais de comercializao. Ou seja, o objetivo dessa pesquisa projetar a viabilidade econmica da produo de eucaliptos no Rio Grande do Sul atendendo os canais de energia, celulose, serraria e laminao. Dado esse objetivo, o trabalho est estruturado, alm dessa introduo, nas seguintes sees. Na seo um faz-se uma anlise dos custos de produo. Toma-se como base os custos de produo obtidos junto a Aracruz Celulose, EMATER/RS e a Empoflor. A partir desses dados, elabora-se uma estrutura de custos. A seo dois trata da simulao. Para tanto, utilizou-se o software SisEucalipto para simular a produtividade sob diferentes densidades, desbastes e perodo das rotaes, para a obteno da melhor estrutura produtiva de forma a maximizar a produo. A seo trs baseia-se nos dados das sees anteriores, pois a que se destina a avaliar a rentabilidade da produo de eucaliptos. Nessa seo, calcula-se o Valor Presente Lquido (VPL) e o Valor Presente Lquido Geral (VPLG) da produo de eucaliptos no Rio Grande do Sul, dada a estrutura de custos proposta neste estudo e os resultados da simulao. Por fim, tem-se a concluso. 1. Custos de produo Para estimar a estrutura dos custos totais de produo, foram comparados os itens que compem os custos relatados pela Aracruz, EMATER/RS e Empoflor. Alm disso, e com base

2ABCustos Associao Brasileira de Custos - Vol. V n 1, 78-109 jan/abr 2010

Viabilidade Econmica da Produo de Eucaliptos no Rio Grande do Sul Juliano Andre Pavan, Tiago Wickstrom Alves, Marcos Antonio de Souza

em dados da EMBRAPA, agregaram-se outras atividades relacionadas com a produo de eucaliptos e que no constavam na estrutura de custos dessas trs empresas. Para a mensurao do custo de oportunidade da terra, foram utilizados dados de valor de arrendamento obtidos junto a EMATER/RS. Na seqncia, cotou-se os valores dos bens e servios que compunham a estrutura de custos definida, com base nos dados das referidas empresas ou nos preos praticados no mercado. Essa base de mercado foi utilizada nos casos de ausncia da informao ou de excessiva disperso dos preos obtidos com as empresas citadas. Esse processo de determinao da estrutura e custeio est descrito a seguir. 1 - Roada - A EMATER/RS no considera a execuo desta atividade, partindo da premissa de que o terreno tem uma vegetao rasteira. A Aracruz relata um custo de R$ 85,00/ha, com a utilizao de uma hora de trator. A planta que disputa os nutrientes do solo com outras gramneas pode ter seu desenvolvimento prejudicado. Por esta razo e para facilitar a execuo do plantio, o custo de roada utilizado neste estudo. 2 - Escarificao e fosfato - Escarificao ou subsolagem o processo de rompimento da compactao do solo, sendo necessrio, na maioria das vezes, para a facilitao do plantio. A EMATER/RS considera a necessidade de escarificao apenas na linha, o que geraria um custo de R$ 60,00/ha, desconsiderando a aplicao de fosfato em funo de que ele necessrio apenas para solos mais arenosos, onde o nutriente fsforo (P) reduzido. A Aracruz recomenda a escarificao na rea total com a aplicao de 200kg de fosfato/ha por hectare, alcanando um custo de R$ 324,20/ha, sendo R$ 119,20 de insumos e R$ 205,00 de servios. O fosfato mantm o crescimento das razes e da inflorescncia das sementes, favorecendo o processo de lignificao, sendo importante para a atividade da microflora e microfauna do solo (AMBIENTE BRASIL, 2005). Por essa razo, a sua aplicao foi levada em considerao neste planejamento. 3 - Construo de estradas - a construo de estradas, alm de facilitar o acesso, escoa a produo e reduz o risco de perda total da floresta em situaes de incndio. Segundo a EMBRAPA, a floresta deve ser dividida em quadras de 10 ha, com uma estrada de 6m de largura entre as elas, cujo custo de R$ 75,00/ha. No custo da EMATER/RS esta atividade no levada em considerao, dado que o seu foco o pequeno produtor. Como se considera importante a questo da preveno em relao a incndios, e tendo em vista a produo no s de pequenos produtores, optou-se pela incluso desse custo.

3ABCustos Associao Brasileira de Custos - Vol. V n 1, 78-109 jan/abr 2010

Viabilidade Econmica da Produo de Eucaliptos no Rio Grande do Sul Juliano Andre Pavan, Tiago Wickstrom Alves, Marcos Antonio de Souza

4 - Gradagem - a gradagem o processo de uniformizao do terreno, necessrio quando executada a escarificao. Para esta atividade o custo da EMATER/RS de R$ 50,00/ha e o da Aracruz de R$ 60,00/ha. No sendo possvel detectar elementos que justifiquem essa diferena, coletou-se o custo desse servio com a Reflorestadora Nativa (2005), avaliado em R$ 70,00/ha. No entanto, a empresa afirmou que se for reas com mais de 10 hectares o custo se reduz para R$ 60,00. Dessa forma, optou-se por utilizar o custo de R$ 60,00/ha. 5 - Controle da formiga cortadeira - o formicida deve ser aplicado no plantio e aps o corte da madeira, para que a brotao no seja obstruda pelas formigas. Essa atividade necessita de 8kg/ha de formicida, segundo dados da EMATER/RS e Aracruz, cujo preo apresentou variao de 4,51%. Para dirimir a dvida sobre qual utilizar, cotou-se o preo do formicida com a empresa Fertibras (2005), que informou um custo de R$ 5,70 o pacote de 500g do formicida Mirex-S. Logo, o custo de 8kg de R$ 91,20 [(5,7x2) x 8]. Esse valor maior do que o fornecido pela Aracruz (R$ 88,83) e pela EMATER/RS (R$ 85,00). Assim, adotou-se o custo de R$ 88,83/ha por ser um valor intermedirio e tambm pelo fato de que na compra de uma quantidade maior o preo tende a ser meno