vest 2012 redação padrão fuvest

Download Vest 2012   redação padrão fuvest

Post on 01-Jul-2015

1.982 views

Category:

Education

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Como elaborar a redação dissertativa padrão FUVEST. Como escrever no padrão FUVEST de acordo com os critérios de correção.

TRANSCRIPT

  • 1. 02 allencar rodriguez 1. Cole no tema. Faa uma dissertao enftica sobre o tema proposto.Se fizerem uma pergunta responda a questo Se pedirem uma dicotimizao siga a proposta argumentando prs e contras entre os elementos: Exemplo.: Produo AgrcolaALIMENTO X COMBUSTVEL Argumente as vantagens e desvantagens em produzir e/ou destinar gros para a produo de biocombustvel. No haja com radicalismo. Ser totalmente contra ou em favor de uma idia. (a no ser que seja pedido um ponto de vista a favor ou contra). Se no pedirem uma discusso dialtica no o faam. ATENO: Logo no PRIMEIRO PARGRAFO deixe claro seu PONTODEVISTAque ser defendido argumentativamente ao longo do texto. Faa isso na sua LINHA DE PENSAMENTO (ltima sentena do pargrafo que inicia a redao)

2. estudo aplicado - redao 032.Relacionar argumentos e organiz-los no sentido de extrairconcluses apropriadas:EXEMPLO: FUVEST 2011O exemplo de Burle Marx mostra que tudo o que for feito parao amanh ser o hoje para a sociedade ao mesmo tempo emque responde ao seu interlocutor uma pergunta implcita: Valea pena ser um indivduo altrusta? Nunca tarde para umindivduo se tornar um ser solidrio, pois seu ato irgerar frutos no futuro tal como ele o hoje dentro de ummundo contemporneo. Longe das utopias egosticas umasociedade coletiva em suas aes d sustentabilidadeeconmica, poltica e social ao seu povo. Isso em detrimento auma sociedade individualista. Somado a isso, o aspectotecnicista e consumista que molda a sociedade capitalistaimediatista no barreira para seres altrustas.No imediatismo tudo para ontem, tudo para agora. Porm,o mundo no foi feito no ontem e nem no agora. Bilhes deanos se passaram para que a primeira vida surgisse na terra. Hmilhares de anos a Palma talipot sobrevive em nosso habitat.Com sacrifcios ela enfrentou turbulncias naturais e humanas.E a sociedade deve-se sacrificar em benefcios dosoutros? Da sociedade tambm se exige sacrifcios. Esseato fato que deve ser esperado, uma vez que derrubadaessa barreira tambm cair por terra o egocentrismoegostico que rega a semente do imediatismo. Alm dederrubar o egocentrismo do individualismo e/ou sua conduta.Atitudes que no correspondem s necessidades de umasociedade que se constri e se vive coletivamente. 3. 04 allencar rodriguez 3. Domnio da Norma Culta da Lngua Portuguesa e a Clareza na Expresso de Idias.CUIDADO.COM: A SELEO LEXICALO USO DA POLISSEMIA e O USO DA AMBIGUIDADE POLISSEMIA E AMBIGUIDADE Polissemia a propriedade que as palavras tm de possuir mais de um significado dentro de um mesmo campo semntico. Assim, em um verbete de dicionrio, uma mesma entrada lexical pode apresentar diferentes acepes (significados). A polissemia est relacionada ao uso discursivo que se faz de uma mesma palavra. Nas sentenas a seguir, o significado da palavra em destaque muda de acordo com o contexto em que ela est inserida. Meu cachorro quebrou a perna. Consertei a perna da cadeira. Ela gosta de bater perna no shopping. 4. estudo aplicado - redao05Contudo, em certos enunciados, o contexto permite quecompreendamos a mesma sentena com mais de um sentido.Quando isso acontece, temos uma sentena ambgua.A ambiguidade pode ser gerada por uma palavra polissmicaque esteja presente na sentena.Veja o exemplo:Em propaganda de uma escola de ingls e espanhol estavaescrito: Duas lnguas do mais prazer do que uma.Se eu ignorar que se trata de uma propaganda de escola deidiomas, posso entender que a palavra lngua na sentena temo sentido de rgo da boca.Agora se eu souber que se trata de uma propaganda de escolade ingls e espanhol, ento compreenderei que a palavralngua na sentena tem o sentido de idioma.PARONIMOS E HOMONIMOSHOMNIMOS E PARNIMOS QUE CAUSAMCONFUSOMal / MauDica: Troque Mal (com L) por BEM, e Mau (com U) porBOM.Exemplos:O menino est mal de sade, pois sua febre apenasaumenta a cada instante.A equipe contratou um mau zagueiro para sua equipe.Simplesmente ns estamos boquiabertos com seu mauprocedimento.No se deu mal nas provas, conforme todos esperavam 5. 06 allencar rodriguez Mas/ Ms/ Mais Dica: Lembre-se que Mas deve ser usado no sentido de oposio de idia, enquanto Mais quantidade. J Ms (dessa forma, com acento), ser sempre o plural de M (sinnimo de ruim. Exemplos: Todos estavam contentes, mas no puderam comemorar. Gostei da idia, mas no poderei aproveit-la. Sempre irei querer mais dinheiro do que tenho. Aumente ainda mais seu tempo de estudo. Jamais vi mulheres to ms como Glaumiranda e Espevegilda. Ms so as mes daquelas crianas. Onde / Aonde Dica: Apenas lembre que Aonde ser usado sempre que houver verbo que indique movimento ou ao. J Onde aplicado nos demais casos. Verifiquemos: Aonde que voc vai to eufrica, Estelinha? Sei muito bem aonde ns iremos. No necessrio explicao. Quero apenas que me diga onde voc est. Onde estar o pente? No consigo ach-lo! Observao: Se por acaso a preposio para aparecer antes de onde, no use nunca aonde. Exemplo: Para onde que voc vai to eufrica, Estelinha? 6. estudo aplicado - redao07Estada/ EstadiaExemplos:Sua estada em minha casa ser tranqila e aconchegante.Gostei do servio de estadia oferecido pelo hotel ao meucarro.Dica: Entenderam? Estada serve para pessoas, e Estadiapara veculos, apesar de constar em alguns dicionrios queEstada equivale a Estadia.Cesso/ Sesso/ SeoExemplos:Minha irm Roseli fez cesso de suas terras para uma tia.Entrei na loja e visitei a seo de brinquedos.Fui ontem a uma sesso de cinema.Dicas: Cesso representa o ato de ceder; Seo significadepartamento, enquanto Sesso diz respeito a algumespao de tempo onde algo acontece ou se realiza. 7. 08 allencar rodriguez MODALIDADE HORTOGRFICAVazoVazanteVazarEsvaziarVazioVASO Extravasar Gs Gasoso Gaseificar Gasolina - Querosene GachoChimarro Chuchu FramboesaPicheGroselha Chapu Anis GuloseimaGengibre Gergelim Gengiva - GeringonaVagemMEU PORTIGELA GeloJegueSarjeta 8. estudo aplicado - redao09Paj Pajem Laje - Jerico MONGE HEREGE Flecha Broche ChvenaEsplndido Esplendor Espontneo Estender Estrutura Extremoso Expender - Extenso Textual Contexto - Pretexto Misto - Mistura HerbboroBALIZA BUZINA - BRONZEHesitarHaurirHulharvapedra -me midoPOLENTA POLEIRO POLIA POLIR -ABSCISSA ABSCESSO CONSCINCIA DISCENTE DISCERNIMENTO FASCINANTE INACESCVEL INTUMESCER OSCILAO RESSUSCITAR 9. 10 allencar rodriguez CRNIO CABRIVA - CASIMIRABUEIRO ENTUPIR - EMBUTIR JABUTI JABUTICABA F CINHO DISENTERIA DESTILAR 10. estudo aplicado - redao 11TOMAE COMA O- ORIGEM * POSIO SOCIAL * NATURALIDADE(francs, marqus)- ESA * ISA (framboesa)- ASE * ISE * OSE (osmose)- derivado de AR verbos [avisar (aviso + ar)] [analisar (anlise + ar)]- PR * QUERER * USAR (quis pus usado)- depois de um DITONTO, usamos S e no Z(Sousa Coisa Lousa)- IZAR [canalizar (canal + izar) VEJA (canal + ar = canalar)- nos derivados em (ZAL * ZEIRO * ZINHO * ZITO)cafezal cafezinho- palavras de origem ARBICA * ORIENTAL * ITALIZANA (bizantino azeite) 11. 12 allencar rodriguez - palavras de origem INDGENA * AFRICANA * POPULAR(paj jibia jeca canjinha) - depois de DITONGO (trouxa ameixa faixa caixa) - vocbulos de origem INDGENA * AFRICANA (abacaxi xavante caxambu) - depois da slaba EN (ENXADA ENXOVAL) NOTA: VERY IMPORTANTENCHER ENCHARCAR CHOURIO ENCHOURIAR ENCHOVA 12. estudo aplicado - redao13 USO DA SINTAXE DE COLOCAOColocao dos pronomes oblquos tonos (me, te, se, o,a, lhe, nos, vos, os, as, lhes) em relao ao verbo.PRCLISEUSO DE MAIOR FREQNCIA PRONOME COLOCADO ANTES DO VERBO COM O QUAL SE RELACIONAOCORRNCIA: NAS ORAES DE SENTIDO NEGATIVONO NEM NUNCA JAMAIS NINGUM - NADA- Ningum me diga o que fazer.- Nada se aproveitou de suas palavras.- De modo algum me afastarei daqui.- Ela nem se importou com meus problemas.- No se descobriu o autor dos disparos contra o caixa dobanco.OCORRNCIA:NAS ORAES INTERROGATIVAS (INICIADAS POR PALAVRAS INTERROGATIVAS).- Porque te preocupaste tanto com to pequeno problema?- Quem o fez chorar?- Quando o viu pela ltima vez?- Como lhe deste a triste notcia? 13. 14 allencar rodriguez OCORRNCIA:COM VERBOS NO GERNDIO REGIDO PELAPREPOSIO (EM) - Em se falando a verdade, tudo fica mais fcil. - Em se tratando de futebol, prefiro o Corinthians. - Em me vendo triste, consolou-me com palavras carinhosas. OCORRNCIA: NAS ORAES EXCLAMATIVAS (INICIADAS PORPALAVRAS EXCLAMATIVAS) E NAS ORAESOPTATIVAS (EXPRESSAM DESEJO) - Como te iludiste com as falsas promessas! - Quanto me custou dizer a verdade mulher do morto. - Que a terra lhe seja breve! OCORRNCIA: OUTRASPronomes relativos, demonstrativos e indefinidos. - Algum me ligou? (indefinido) - A pessoa que me ligou era minha amiga. (relativo) - Isso me traz muita felicidade. (demonstrativo) No, Nunca, Nem pensar, Nada se aproveita do que elefalaIh! Quem o fez desse jeito? Generalizando. Em se falando a verdade, Joo umcastigo.Exclamei ento. Quanto me custou suas falsas promessas! 14. estudo aplicado - redao 15NCLISEPRONOME COLOCADODEPOIS DO VERBOCOM O QUAL SE RELACIONAOCORRNCIA: QUANDO O VERBO INICIA O PERODO- Vi-me, naquele instante, perdido entre os animais.- Encostou- se porta e acendeu o charuto.- Enviamos-lhes nossos cumprimentos pela vitria.OCORRNCIA: QUANDO O EXIGIR A EUFONIA, PODE OCORRERA DESLOCAO DO PRONOME- Ele se esquece.E no: Ele esquece-se.- Eu a vi triste.E no: Eu via-a triste.OCORRNCIA:COM O VERBO NO GERNDIO NO REGIDO DE PREPOSIO- Saiu, deixando-me, porta da escola.- Entregando- se aos vcios, logo sua personalidadeenfraqueceu.- Dizendo-lhes a verdade, sentir-se melhor.OCORRNCIA: COM SUJEITO REPRESENTADO POR SUBSTANTIVO OU PRONOME (QUE NO TENHASENTIDO NEGATIVO) IMEDIATAMENTE ANTES DOVERBO- O cientista queixou-se, da falta de auxlio oficial.- Os mdicos puseram- me contra o projeto.- Naquela situao difcil, ele afastou-se de todos. 15. 16 allencar rodriguezVi-me feliz pensando nele quandoEu vi-o tristeGirando-se ao vcio da bebidaSujeito burro. Naquela situao eleafastou-se de mim.USO DO PRONOME DEMONSTATIVO Localizao no espao ESTE/ESTA:ESSE/ESSA:Prximo de que