Venha pesquisar conosco_-_28-08-14

Download Venha pesquisar conosco_-_28-08-14

Post on 14-Nov-2014

152 views

Category:

Environment

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

UCs federais

TRANSCRIPT

  • 1. Ministrio do Meio AmbienteInstituto Chico Mendes de Conservao da BiodiversidadeVenha Pesquisar Conoscounidades de conservao federais eespcies ameaadas de extino

2. Coordenao Geral de Pesquisa e Monitoramento da BiodiversidadeKatia Torres RibeiroCoordenao de Apoio PesquisaAna Elisa de Faria Bacellar SchittiniINSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAO DA BIODIVERSIDADEDiretoria de Pesquisa, Avaliao e Monitoramento da BiodiversidadeCoordenao-Geral de Pesquisa e MonitoramentoEQSW 103/104 Complexo AdministrativoBloco D 2 andar70670-350 Braslia DF BrasilTelefone: + 55 61 3341-9090http://www.icmbio.gov.br 3. Ministrio do Meio AmbienteInstituto Chico Mendes de Conservao da BiodiversidadeVenha Pesquisar Conoscounidades de conservao federais eespcies ameaadas de extinoBraslia DF2014Arquivo ICMBio Cnion Itambezinho Parna Aparados da Serra Santa Catarina e Rio Grande do Sul 4. Elaborao do contedoAna Elisa de Faria Bacellar SchittiniCaren Cristina DalmolinElizabeth Maria Maia de Albuquerque MartinsIvan SalzoKatia Torres RibeiroMaria Carolina Alves de CamargosRenata do Nascimento Sauerbronn de SouzaTatiana Rezende RosaRevisoElizabeth Maria Pereira de LucenaBernardo Brito Parna dos Campos Gerais ParanProjeto grfico, capa e diagramaoDenys Mrcio de SousaMapas e grficosDouglas Alves CargaGuilherme Fraissat Mamede FerreiraIvan SalzoFoto da capaArquivo ICMBio, Cnion Itambeziho, ParnaAparados da Serra, Santa Catarina e Rio Grandedo SulV455v Venha Pesquisar Conosco: unidades de conservao federais e espcies ameaadas deextino. Braslia: ICMBio, 2014.64p.ISBN: 976-85-61842-53-61. Pesquisa. 2. Biodiversidade. 3. reas Protegidas. 4. Manejo. I. Schittini, Ana Elisade Faria Bacellar. II. Dalmolin, Caren Cristina. III. Martins, Elizabeth Maria Maia deAlbuquerque. IV. Salzo, Ivan. V. Ribeiro, Katia Torres. VI. Camargos, Maria CarolinaAlves de. VII. Souza, Renata do Nascimento Sauerbronn. VIII. Rosa, Tatiana Rezende.IX. Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade.CDU: 574Catalogao na fonte Biblioteca do ICMBio 5. ApresentaoO Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade ICMBio autarquia do governofederal, responsvel pela gesto de 313 unidades de conservao (UC) federais, que correspondem acerca de 8,8% do territrio nacional ou a 6%, se incluirmos a zona econmica exclusiva neste clculo.So reas protegidas distribudas por todo o pas, em todos os biomas e na rea marinha, em vriascategorias de gesto e graus de proteo e uso, variando de 89 a 3,8 milhes de hectares, e que totalizam750.457 km2(CNUC)1. Refletem os mais diversos contextos, histrias, conflitos, oportunidades e desafiosinerentes magnitude de nosso pas2.O ICMBio conta ainda com 15 centros nacionais de pesquisa e conservao que vm se destacandona conservao das espcies nativas, especialmente da fauna ameaada de extino. Alm da pesquisae das avaliaes do estado de conservao das espcies, os centros se empenham na construo deestratgias de conservao e no atendimento de parte da demanda por conhecimento das unidadesde conservao3.A valorizao da pesquisa uma diretriz institucional do ICMBio, pois no possvel criar eimplementar estratgias efetivas de conservao sem as contribuies do conhecimento cientfico e semuma aproximao do dilogo entre gestores e pesquisadores. Com isso, melhoramos os processos decriao e gesto das UC e aprimoramos as estratgias de manejo das espcies e dos recursos naturais nopas, ao mesmo tempo em que se levam novas questes s instituies de pesquisa.Pesquisar as unidades de conservao conhecer a imensa diversidade geolgica, biolgica, tnica,social e cultural do pas. No que diz respeito ao manejo e conservao da biodiversidade, o desafio est empropor e realizar pesquisas que auxiliem a tomada de decises ou avaliem as medidas j implementadas,por vezes questionando paradigmas.Atualmente, o conhecimento existente sobre os diversos componentes da sociobiodiversidadeno Brasil ainda pequeno e se d de forma desigual pelas diferentes regies do pas. Esta falta deconhecimento reflete, em parte, a desigualdade no grau de implantao de nossas UC. Vrias delaspossuem boas estruturas de apoio pesquisa, enquanto outras sofrem com a precariedade de estruturae dificuldades logsticas, carecendo de condies adequadas para o apoio aos pesquisadores apesar daimensa demanda e oportunidade de pesquisa.Nesta publicao, divulgamos informaes relacionadas pesquisa em nossas UC e Centros. Comela, esperamos ampliar as parcerias e tornar ainda mais atraentes aos pesquisadores estes belos edesafiantes espaos brasileiros! 6. Sumrio1 - Unidades de Conservao no Brasil breve histrico............................ 92 - Pesquisa nas Unidades de Conservao Federais................................. 113 - A Pesquisa e as Espcies Ameaadas de Extino................................124 - Grandes Temas de Pesquisa nas Unidades deConservao Federais............................................................................174.1 - Paisagens, ecossistemas e espcies..............................................174.2 - Presses ambientais......................................................................184.3 - Espcies exticas invasoras...........................................................214.4 - Visitao......................................................................................... 224.5 - Uso sustentvel dos recursos naturais......................................... 254.6 - Sociobiodiversidade....................................................................... 264.7 - Servios ecossistmicos................................................................ 295 - Os Centros Nacionais de Pesquisa e Conservao do ICMBio...............316 - Pesquisadores do ICMBio.......................................................................417 - Infraestrutura de Apoio Pesquisa nas Unidades deConservao Federais e nos Centros.................................................... 438 - Gesto da Informao e do Conhecimento.............................................519 - Instrumentos Internos de Estmulo Pesquisa nas Unidades deConservao Federais........................................................................... 5710 - Referncias Bibliogrficas..................................................................... 59Bernardo Brito - Parna da Serra dos rgos Rio de Janeiro 7. 8 Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade 8. 1 Unidades de Conservaono Brasil breve histricoA ideia da criao de reas protegidas no Brasil comeou a se consolidar em1876 quando Andr Rebouas publicou o artigo Parque Nacional, sugerindo acriao de dois parques no Brasil, aps analisar os resultados do estabelecimentodo Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos. Porm, somente em1934 o Cdigo Florestal introduziu na legislao brasileira a figura da Unidadede Conservao. Trs anos depois, foi criado o Parque Nacional do Itatiaia, oprimeiro do Brasil, na divisa entre Minas Gerais e Rio de Janeiro.A Constituio Federal de 1988, no intuito de assegurar um meio ambienteecologicamente equilibrado (art. 225), fixou como instrumento para alcancede tal meta a definio de espaos territoriais e seus componentes a seremespecialmente protegidos. Desde ento, o Brasil passou a dar maior ateno criao e regulamentao das reas protegidas. Em 1989, foi criado o InstitutoBrasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovveis (IBAMA), queconcentrou a gesto das reas protegidas federais e dos recursos naturais.Em 2000, o Sistema Nacional de Unidades de Conservao (SNUC) foi institudo(Brasil 2000). Esta lei unificou critrios e normas para a criao, implantaoe gesto das unidades de conservao. Alm de promover a conservao dabiodiversidade e dos recursos naturais, o SNUC deixa evidente a importnciada pesquisa em todas as categorias de unidades de conservao. Em 2007, foicriado o Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade (ICMBio), queassumiu a responsabilidade de administrar as unidades de conservao federais.Ao ICMBio coube ainda a elaborao e articulao da estratgia de conservaodas espcies ameaadas da fauna brasileira, gesto da pesquisa para o manejo,promoo da proteo e conservao da biodiversidade e do uso sustentvel dosrecursos naturais pelas populaes tradicionais nas unidades de conservao.Bernardo Brito Parna da Serra dos rgos Rio de JaneiroVenha Pesquisar Conosco 9 9. Como realizar o cadastro no Sisbio?O Sisbio Sistema de Autorizao e Informao em Biodiversidade umsistema de atendimento distncia que permite a pesquisadores solicitaremautorizaes para coleta de material biolgico e para a realizao de pesquisa emunidades de conservao federais e cavernas. Veja abaixo o procedimento pararealizar uma solicitao no Sisbio:Acesse o site do Sisbio(www.icmbio.gov.br/sisbio).Faa seu cadastro.Inclua uma solicitao.Preencha os formulrioseletrnicos (disponveis nomenu solicitao) e, em casode dvidas, acesse o manualdo Sisbio em www.icmbio.gov.br/sisbio/manual.html.Ao final do preenchimento,submeta a solicitao paraanlise.Acompanhe o andamento desua solicitao acessando oextrato da solicitao.Em at 45 dias teis, vocreceber sua autorizao peloe-mail cadastrado no Sisbio.Para tirar dvidas sobre osistema, o ICMBio possui um ende-reode e-mail exclusivo para con-tatocom os pesquisadores (atendi-mento.sisbio@icmbio.gov.br).10 Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade 10. 2 Pesquisas nas Unidadesde Conservao Federais dados do SisbioA pesquisa e a gesto do conhecimento esto entre os principais instrumentospara o manejo das unidades de conservao, e a gesto desta atividade tem sefortalecido com a implantao, em 2007, do Sistema de Autorizao e Informaoem Biodiversidade o Sisbio4. O sistema tem como objetivo autorizar as atividadesdesenvolvidas em unidade de conservao federais ou cavernas, que envolvam acoleta de material biolgico. Proporciona celeridade e transparncia na anlisedas solicitaes de pesquisa e no recebimento dos resultados, otimizando agesto da informao. Os dados do Sisbio tm contribudo para o planejamento deaes de gesto e de conservao, incluindo a identificao de lacunas espaciais etemticas de conhecimento.Todas as unidades de conservao federais possuem pesquisas solicitadas.Entre maro de 2007 e abril de 2013, o Parque Nacional da Serra dos rgos (RJ)foi a UC mais pesquisada, seguido pelos Parques Nacionais da Serra do Cip (MG)e do Itatiaia (RJ/MG).Dentre os principais resultados obtidos por meio do Sisbio destacamos:30.623 pesquisadores cadastrados; 10.878 autorizaes concedidas para atividadescientficas ou didticas; 5.728 autorizaes para realizao de pesquisa em 313unidades de conservao federais; 1.310 solicitaes para pesquisa envolvendoespcies ameaadas de extino; 1.186 licenas permanentes emitidas para coletade espcimes da fauna; e 2.328 comprovantes de registro para coleta de materialbotnico, fngico e microbiolgico.O mdulo que viabiliza a insero do relatrio de pesquisa est disponveldesde agosto de 2011. Os relatrios tm fortalecido o dilogo entre pesquisadorese gestores e a construo de um banco de dados com informaes dos projetos,resultados das pesquisas autorizadas e recomendaes para o manejo. Atabril de 2013, o sistema contava com 8.251 relatrios de pesquisa submetidos,com 171.678 registros de ocorrncia de txons, sendo 50.737 em unidades deconservao federais.Quer conhecer mais sobre o Sisbio?Acesse nosso sitewww.icmbio.gov.br/sisbioWilliam QuatmanVenha Pesquisar Conosco 11 11. 3 A Pesquisa eas EspciesAmeaadas deExtinoO Brasil abriga cerca de 9,5% do total deespcies descritas no mundo. Estima-se a biotaconhecida no pas entre 170 e 210 mil espcies(Lewinsohn & Prado 2005)5. Os dados revelam que opas responsvel pela gesto do maior patrimniode biodiversidade do mundo: so mais de 100 milespcies de invertebrados, aproximadamente 8.200espcies de vertebrados (713 mamferos, 1.826 aves,721 rpteis, 875 anfbios, 2.800 peixes continentais e1.300 peixes marinhos)6 e cerca de 46 mil espciesde plantas.Esto classificadas como ameaadas deextino no territrio nacional 472 espcies de plantase 627 espcies da fauna, alm das 36 espcies depeixes classificadas como sobreexplotadas. Dentreelas esto smbolos do pas como o pau-brasil, aaraucria, o lobo-guar, as tartarugas marinhas, opeixe-boi-marinho, o mico-leo-dourado, tamandu-bandeira,entre outros (MMA 2003, MMA 2004, MMA2005, MMA 2008).12 Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade 12. O ICMBio atua para a melhoria do estadode conservao das espcies da fauna brasileirautilizando, alm da criao e gesto de reasprotegidas, trs ferramentas integradas: 1 aavaliao cientfica do risco de extino das espcies7;2 a identificao de cenrios de perda e deoportunidade de conservao da biodiversidade, quepermite identificar as reas de maior vulnerabilidadepara a perda de espcies ou suas populaes; 3 a definio e implementao de Planos de AoNacionais8 (PANs), em que se busca identificar asaes com mais importncia para a conservaodas espcies ameaadas de extino, em frunsmulti-institucionais, onde as aes de pesquisa sopensadas e priorizadas junto com outras aes dediversas naturezas.Atualmente, das espcies que integram aLista das Espcies da Fauna Brasileira Ameaadasde Extino, cerca de 50% esto presentes em UCfederais e 45% esto contempladas por polticas deEstado organizadas em Planos de Ao Nacionais9(Nascimento & Campos 2011).Em uma anlise de 36 destes planos, observou-seque 694 ou quase 30% das aes referiam-sea demandas de pesquisa distribudas por temasconforme a Tabela 1. Entre as aes de pesquisa,ao menos 25 envolvem busca de inovao, comopor exemplo, alternativas aos conflitos entre asprticas econmicas humanas e a sobrevivncia dasespcies.Neste desafio o ICMBio conta com os CentrosNacionais de Pesquisa e Conservao, que realizama mobilizao e coordenao dos diversos atores einstituies envolvidos em cada PAN, na forma deredes, realizando desde pesquisas a aes diretasde manejo e gesto.Edson Souza Lima Cachorro-Vinagre gua Boa Mato GrossoVenha Pesquisar Conosco 13 13. PLANO DE AO NACIONALPARA CONSERVAODAS TARTARUGAS MARINHASSSrriiee EEssppcciieess Ameeaaaaddaass nn 2255PLANO DE AO NACIONAL PARAA CONSERVAO DOS CERVDEOSAMEAADOS DE EXTINOSrie Espcies Ameaadas n 22PLANO DE AO NACIONAL PARA ACONSERVAO DOS LEPIDPTEROSAMEAADOS DE EXTINOSrie Espcies Ameaadas n 13PLANO DE AO NACIONAL PARA A CONSERVAODO PATRIMNIO ESPELEOLGICO NAS REASCRSTICAS DA BACIA DO RIO SO FRANCISCOSrie Espcies Ameaadas n 2714 Instituto Chico Mendes de Conservao da BiodiversidadePLANO DE AO NACIONAL PARAA CONSERVAO DAS CACTCEASSrie Espcies Ameaadas n 24 14. Tabela 1: Linhas de pesquisa identificadas e priorizadas em 36 planos de ao paraespcies ameaadas da faunaLinhas de pesquisa Nmero de aesEstudos populacionais monitoramento, estudos especficos 208Distribuio geogrfica ampliao dos inventrios 114Conflitos com prticas humanas 83Ecologia das espcies alvo 66Gentica e taxonomia 45Estudos de paisagem lato sensu 43Poluio 35Mapas temticos 34Medicina da conservao 27Conservao ex situ, reintroduo 19Estudos sociais e econmicos 17Turismo em relao a espcies...