Variação de patógenos e influência da uréia na seleção e sucesso da mistura de Streptomyces no controle biológico; Apresentadora: Cinthia L. T. Silva; Prof. Milton Luiz da Paz Lima

Download Variação de patógenos e influência da uréia na seleção e sucesso da mistura de Streptomyces no controle biológico; Apresentadora: Cinthia L. T. Silva; Prof. Milton Luiz da Paz Lima

Post on 14-Jun-2015

157 views

Category:

Education

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

OTTO, H, L. K.,; GRABAU, Z.,; ROSEN, C.; SALOMON, C. E.; KINKEL. L. L. Pathogen variation and urea influence selection and success of Streptomyces mixtures in biological control. Phytopathology 103:34-42. 2013.

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. OTTO, H, L. K.,; GRABAU, Z.,; ROSEN, C.; SALOMON, C. E.; KINKEL. L. L. Pathogen variation and urea influence selection and success of Streptomyces mixtures in biological control. Phytopathology 103:34-42. 2013. Instituto Federal Goiano cmpus Uruta. Curso de Agronomia Disciplina de Fitopatologia Variao de patgenos e influncia da uria na seleo e sucesso da mistura de Streptomyces no controle biolgico Apresentadora: Cinthia L.T. Silva </li></ul> <p> 2. 3 INTRODUO Em prncipio, o controle biolgico uma alternativa atraente de pesticidas para o gerenciamento de muitos fitopatgenos habitantes do solo. Em alguns sistemas, o aporte de nutrientes tem mostrado ter um grande impacto no controle biolgico. A Combinao de vrios antagonistas tem sido explorado como uma estratgia para aumentar o sucesso do controle biolgico inoculado. 3. 4 INTRODUO Batata saudvel. Batata infectada com Streptomyces scabies. Fonte: http://www.cientec.net/cientec/ InformacoesTecnicas_Irriga/Culturas_Batata_ SarnaComum.asp, 2014. Fonte: http://flores.culturamix.com /dicas/como-plantar-batatas.2014 . 4. 5 Fonte: https://extension.umass.edu/vegetable /diseases/potato-scab, 2014. Fonte: http://databank.groenkennisnet.nl/ netschurft.htm,2014. INTRODUO Batatas infectadas com Streptomyces scabies. 5. 6 Streptomyces spp. So bactrias comuns do solo e timas produtoras de antibiticos utilizados na agricultura e em medicamentos. Vrios pesquisadores tm explorado o potencial do controle biolgico da crosta da batata com Streptomyces spp. produtores de antibiticos. Fonte:www.downgardenservices.org.uk/potatosc ab.htm, 2014. INTRODUO 6. 7 OBJETIVO Fornecer conhecimentos sobre a eficcia de um nico inculo versus vrios inculos no controle biolgico e sobre o potencial do aporte de nutrientes para o sucesso do controle. 7. 8 MATERIAIS E MTODOS 1. COLEO DE ANTAGONISTAS E PATGENOS: Foram selecionados 19 antagonistas e 15 patgenos de Streptomyces scabies. Fonte: http://ecofriendlycoffee.org/the-role-of-actinomycetes-in-coffee- plantation-ecology/, 2014. 8. 9 9. 10 2. PREPARAO DE SUSPENSO DE ESPOROS: gar aveia (OA); 100 l do estoque de suspenso de esporos; Incubados a 27C durante 7 a 10 dias; Depois os esporos foram coletados e colocados em soluo de glicerol 20 % e armazenados a 4 C. 3. CARACTERIZAO DAS INTERAES PATGENO- ANTAGONISTA: Ensaios de inibio: Placas contendo 15 mL de gar de amido de casena (SCA), foram pontilhadas com 4 antagonistas (10 l/ antagonista), foram incubadas a 27 C durante 3 dias. Os antagonistas ento foram mortos com clorofrmio, posteriormente adicionou-se gar gua em cada placa e um tipo de patgeno foi espalhado, e estas foram incubadas novamente. MATERIAIS E MTODOS 10. 11 4. EFEITOS DA URIA SOBRE AS INTERAES ANTAGONISTAS DO PATGENO: O SCA foi substitudo por 3 concentraes de uria: 184 ppm N (baixo); 920 ppm N (moderado); 4600 ppm N (alto). 5. RESISTNCIA DOS ANTAGONISTAS E PATGENOS A ANTIBITICOS CLINICAMENTE IMPORTANTES: Foi realizado um ensaio de disco de difuso com 7 antibiticos: Estreptomicina (10 g); Cloranfenicol (30 g); Eritromicina (15 g); Vancomicina (30 g); Rifampicina (10 g); Amoxilina/ cido clavulnico (30 g); Tertracilina (30 g). MATERIAIS E MTODOS 11. 12 6. EFEITOS DA URIA SOBRE A RESISTNCIA DO PATGENO AOS ANTIBITICOS: Foi realizado um ensaio de disco de difuso com 7 antibiticos, havendo a substituio do SCA (gar de amido de casena) por uria. 7. AVALIAO DO NICO VERSUS MULTI-TENSO DE INCULOS ANTAGONISTAS PARA CONTROLAR A CROSTA DA BATATA IN VITRO E OS IMPACTOS DA URIA NO CONTROLE DA DOENA: 3 isolados: a. 2-12; b. 15 e c. TLI 103 Coleta do solo; Preparo do inculo; O delineamento experimental; Conjunto Experimental; Avaliao de doenas; Caracterizao da eficcia do controle biolgico da combinao de cespas. MATERIAIS E MTODOS 12. 13 MATERIAIS E MTODOS 8. ANLISE DOS DADOS. Foram feitas a anlise de varincia pelo SAS 9,2 e anlises de regresso linear pelo GraphPad Prism 5.03. 13. 14 RESULTADOS Fig.1. Percentual de Streptomyces patognicos (n = 15) inibidos por a Streptomyces antagonistas (A) e tamanho mdio das zonas de inibio (B). A inibio foi determinada pela presena e tamanho de zonas claras (falta de crescimento do patgeno), em associao com um antagonista isolado em gar de casena de amido. CARACTERIZAO DAS INTERAES PATGENO- ANTAGONISTA: 14. 15 Fig. 2. Similaridade de fentipos inibitrios para 19 Streptomyces antagnicos e matriz de inibio correspondente de interaes antagonistas de patgenos. A inibio de agentes patognicos isolados foi determinada pelo tamanho das zonas claras (ausncia de crescimento do patgeno) em associao com um antagonista isolado em Agar de amido de casena. Dentro da matriz de interao inibidora, uma caixa slida indica inibio do antagonista ao patgeno. Patgenos: pista A, 82; pista B, C25-1; pista C, C25-2; pista D, C25-21; pista E, C25- 28; pista F, C25-44; pista G, NRRL B 2795; pista H, NRRL B 2798; pista I, NRRL B 2799; pista J, NRRL B 2802; pista K, NRRL B 16515; pista L, RL-39; pista M, WISN 01; pista N, NRRL B 2794; e pista , NRRL B 2800. RESULTADOS C 25-44 NRR B2798 NRRL B279582 15. 16 Fig. 3. Percentagem de antagonistas (n = 19) que resistiram por cada um dos 15 isolados Streptomyces patognicos; resistncia foi avaliada pela falta de uma clara zona produzida pelo antagonista isolado na presena do S. scabies patognico. RESULTADOS 16. 17 Fig.4. Similaridade de fentipos de resistncia por 15 isolados S. da sarna e matriz correspondente de interaes inibitrias entre todos as possveis combinaes patgeno- antagonista. A resistncia de isolados antagonistas foi avaliada pela ausncia de zonas claras produzidas pelos antagonistas isolados em SCA. O dendograma foi criado com base na similaridade de fentipos de resistncia (matriz) medido em distncia euclidiana. Dentro da matriz de interao inibidoras, uma caixa slida indica a resistncia do patgeno inibio antagonista. Antagonistas: pista A, 2-12; pista B, 4-16; pista C, 15; pista D, 93; E pista, 840 NZ; pista F, 1231-1; pista G, 1231-5; pista H, 1231-6; pista I, 5111-1; pista J, CEV 2-12; pista K, MONT 3-17; pista L, PAN FS 17; pista M, TLI 30; pista N, TLI 103; pista O, TLI 149; pista P, 807 NZ; pista Q,WZ 1-25; pista R, GS93-23; e pista S, 7E101.7. RESULTADOS CEV 2-12840 NZ 17. 18 Fig. 5. Efeitos da baixa, moderada (Mod) e alta dosagem de uria na inibio de patgenos pelos 19 antagonistas, conforme determinado pelo tamanho das zonas claras (falta de crescimento do patgeno), em associao com um antagonista isolado em Agar de casena de amido (SCA). RESULTADOS EFEITOS DA URIA NA INIBIO INVITRO DO PATGENO 18. 19 RESULTADOS RESISTNCIA DOS ANTAGONISTAS E PATGENOS A ANTIBITICOS CLINICAMENTE SIGNIFICATIVOS Fig. 6. Resistncia a antibiticos clinicamente significativos por isolados de Streptomyces sp. antagonistas (n=19) e patognicos (n=15). A resistncia foi definida como a ausncia de zonas claras de inibio de Streptomyces sp. crescimento produzidos pelo disco de antibitico em Agar de amido de casena. A ausncia de uma barra indica que nenhum (0%) dos isolados testados eram resistentes ao antibitico. 19. 20 EFEITOS DA URIA SOBRE A INIBIO ANTIBITICA DE PATGENOS INVITRO RESULTADOS Os resultados foram negativos com alta e baixa doses de nitrognio sobre o crescimento do patgeno. O efeito s foi significativo para um nico isolado (C 25-2). 20. 21 Fig.7. Porcentagem da cobertura da doena e mdia do nmero de leses por tubrculo aps a inoculao com um, dois, ou trs Streptomyces antagnicos isolados na presena e na ausncia de uria adicionada (* = diferena significativa identificada entre uria e tratamentos sem uria [teste t, P</p>

Recommended

View more >