universidade tiradentes - unit .2 unit - processo seletivo (vestibular) - 2010/1 - português...

Download UNIVERSIDADE TIRADENTES - UNIT .2 UNIT - Processo Seletivo (Vestibular) - 2010/1 - Português Proposta

Post on 09-Nov-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 2 UNIT - Processo Seletivo (Vestibular) - 2008/2

    A B C E

    BOAS PROVAS Novembro/2009

    UNIVERSIDADE TIRADENTES - UNIT

    PROCESSO SELETIVO (VESTIBULAR) 2010 / 1 SEMESTRE

    REDAO, PORTUGUS, INGLS

    MATEMTICA E GEOGRAFIA

    LEIA ATENTAMENTE AS SEGUINTES INSTRUES

    01 - Voc receber do fiscal o material abaixo: a) este caderno, com o tema da REDAO e o enunciado das 80 questes objetivas, sem repetio

    ou falha, sendo: PORTUGUS, de 1 a 30, INGLS, de 31 a 45, MATEMTICA, de 46 a 65 e GEOGRAFIA, de 66 a 80.

    b) 1 Caderno para o desenvolvimento da REDAO. c) 1 Carto destinado s respostas das questes objetivas formuladas nas provas.

    02 - Verifique se este material est em ordem, se o seu nome e nmero de inscrio conferem com os que aparecem no CARTO-RESPOSTA. Caso contrrio, notifique IMEDIATAMENTE o fiscal.

    03 - Aps a conferncia, o candidato dever assinar no espao prprio do Carto-Resposta, preferivelmente a caneta esferogrfica de tinta azul ou preta.

    04 - No CARTO-RESPOSTA, a marcao das letras, correspondentes s respostas certas, deve ser feita cobrindo a letra e preenchendo todo o espao na quadrcula que a envolve com caneta esferogrfica de tinta azul ou preta, com um trao contnuo e denso. A LEITORA TICA UTILIZADA NA LEITURA DO CARTO-RESPOSTA SOMENTE IDENTIFICA A MARCAO FEITA A TINTA AZUL OU PRETA. Exemplo:

    05

    -

    Tenha muito cuidado com o CARTO-RESPOSTA, para no o DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR.

    06 - Para cada uma das questes so apresentadas 5 opes classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E); s uma responde adequadamente ao quesito proposto. Voc s deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcao em mais de uma opo anula a questo, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA.

    07 - As questes so identificadas pelo nmero que se situa ao lado de seu enunciado.

    08 - SER ELIMINADO do Processo Seletivo o candidato que a) se utilizar, durante a realizao das provas, de mquinas e/ou relgios de calcular, bem como de

    rdios gravadores, "headphones", telefones celulares, "pagers" ou fontes de consulta de qualquer espcie;

    b) se ausentar da sala em que se realiza a prova levando consigo o CADERNO DE QUESTES e/ou CARTO-RESPOSTA.

    09 - Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTO-RESPOSTA. Os rascunhos e as

    marcaes assinaladas no Caderno de Questes NO SERO LEVADOS EM CONTA.

    10 - Quando terminar, entregue ao fiscal o CADERNO DE QUESTES E O CARTO-RESPOSTA.

    11 - O TEMPO DISPONVEL PARA A REDAO E ESTAS PROVAS DE QUESTES OBJETIVAS DE 5 (CINCO) HORAS.

  • 2 UNIT - Processo Seletivo (Vestibular) - 2010/1 - Portugus

    Proposta para Dissertao

    Redija um texto dissertativo, posicionando-se com argumentos pertinentes relativamente seguinte afirmao:

    O texto dever ter, no mnimo, 20 linhas e, no mximo, 30.

    PORTUGUS

    Ateno: As questes de nmeros 1 a 12 baseiam-se no texto

    apresentado abaixo.

    Nanotecnologia a nova fronteira da era global. Ela permite o domnio de partculas com dimenses extremamente pequenas que exibem propriedades mecnicas, ticas, magnticas e qumicas inditas; e aplicvel em amplas reas de pesquisa e produo, como medicina, eletrnica, computao, fsica, qumica, biologia e materiais. Sua aplicao causar enormes impactos na sociedade, gerar enormes lucros com produtos e servios revolucionrios e provocar imensos riscos.

    Os patronos dessas tcnicas garantem, para um futuro prximo, nanorrobs circulando pelo sangue humano para reparar clulas, capturar micrbios ou combater cnceres; materiais dez vezes mais resistentes e cem vezes menos pesados que o ao; e armas e aparelhos de vigilncia milimtricos e potentssimos. Anunciam a implantao de nanochips no organismo humano para substituir ou adicionar clulas com funes novas, abrindo espao para uma primeira gerao de ps-humanos. E seus orculos mais delirantes prometem a completa regenerao celular; no limite, a imortalidade.

    Mas h srios alertas: risco de poluio ambiental incontrolvel por partculas muito pequenas flutuando no ar, viajando a grandes distncias e sem controle das barreiras naturais; nanocomponentes acumulando-se na cadeia alimentar com consequncias no conhecidas; nanodispositivos modificando e controlando a mente humana; e reprodues descontroladas de nanopartculas destruindo vidas e gerando epidemias.

    Mais uma vez a lgica do capital e da acumulao tem sido implacvel. As empresas esto fascinadas com as novas possibilidades de inovao e lucros em praticamente todos os setores. Comeam a produzir em massa toneladas de nanomateriais comerciais para catalisadores, cosmticos, tintas, revestimentos, tecidos, corantes sintticos, embalagens antimicrbios.

    Em suma, a nanotecnologia cujos vetores e direes esto, mais uma vez, exclusivamente controlados pelas grandes corporaes e pelos interesses do capital radicaliza dramaticamente os instrumentos do homem para intervir na natureza, criando potencialidades e riscos imensos: da "ps-natureza" ao "ps-humano", de produtos fantsticos ao definitivo colapso ambiental. A sociedade civil est de novo margem dessa nova revoluo, a ela assistindo, em geral, como espectador maravilhado sob efeito da imensa propaganda global positiva que j se iniciou. Mas que avaliao retrospectiva nossa civilizao far, em algum momento do futuro, sobre a nanotecnologia regulada apenas pelo lucro e

    pelas leis do mercado? Ter sido um progresso ou uma aventura trgica? Infelizmente, consideraes de ordem tica que poderiam iluminar e controlar melhor esses caminhos so quase inexistentes. H os que afirmam ser esse o preo do "progresso". Afinal, apesar de tudo, a expectativa de vida mdia da humanidade continua aumentando e os mesmos avanos tecnolgicos que causam doenas curam vrias outras. (Gilberto Dupas. O Estado de S. Paulo, A2, 16 de agosto de 2008, com adaptaes)

    1. A afirmativa que resume corretamente o assunto do texto

    :

    (A) Apesar de seus incontestveis benefcios, a nanotecnologia encontra obstculos de ordem prtica para sua aplicao, tendo em vista ausncia de interesses de grandes corporaes para acelerar as pesquisas.

    (B) O homem conseguiu superar os limites do tempo de

    vida humana, a considerar-se o desenvolvimento tecnolgico que torna possveis interferncias na rea da sade antes impensveis em toda a histria da humanidade.

    (C) A nanotecnologia permite a interveno do homem

    em toda a natureza e nos prprios limites da condio humana, porm h perigos inimaginveis e ainda incontrolveis embutidos em sua aplicao indiscriminada.

    (D) A medicina, entre todas as outras reas do

    conhecimento, a que mais pode beneficiar-se dos avanos da nova tecnologia, ao utilizar nanocomponentes no diagnstico de doenas e na sua possvel cura.

    (E) As nanopartculas so, na atualidade, os elementos

    mais notveis das ltimas pesquisas, e atestam o enorme progresso da cincia, em geral, garantindo uma sobrevida ao homem com a regenerao celular.

    2. No 1 pargrafo, o autor

    (A) critica a exagerada importncia que se d

    atualmente nanotecnologia. (B) assinala os efeitos ainda no previstos do uso

    indiscriminado da nanotecnologia. (C) aponta a influncia do poder econmico numa rea

    essencialmente cientfica. (D) conceitua o termo que lhe vai servir de assunto em

    todo o texto. (E) identifica vrios problemas que esto surgindo com

    o desenvolvimento tecnolgico.

    preciso buscar meios inovadores e eficazes para o desenvolvimento do turismo no Brasil, pois ele no apenas fonte de divisas para o pas, como tambm grande gerador de empregos e de renda para a populao.

  • UNIT - Processo Seletivo (Vestibular) - 2010/1 - Portugus 3

    3. ...criando potencialidades e riscos imensos: da "ps-natureza" ao "ps-humano", de produtos fantsticos ao definitivo colapso ambiental. (ltimo pargrafo)

    correto inferir da afirmativa acima que

    (A) o homem, ao buscar na cincia as explicaes cada

    vez mais relevantes para os fatos da natureza e da prpria vida, poder tornar-se um ser superior, potencializando os meios de interferir nas contingncias de seu ambiente.

    (B) a procura da condio de quase imortalidade

    transforma o homem em um ser muito alm da condio humana, para quem deixaro de ter importncia as atuais contingncias ambientais que o limitam.

    (C) a ausncia da tica na conduo de pesquisas

    cientficas pode levar o homem a considerar-se "ps-humano", quer dizer, acima de quaisquer limitaes, at mesmo as impostas por sua natureza mortal.

    (D) o desconhecimento das inmeras possibilidades

    contidas nos resultados das ltimas novidades cientficas compromete especificamente a garantia de uma natureza realmente imortal para o homem.

    (E) o homem pode ultrapassar limites ticos, pondo em

    risco o prprio equilbrio do planeta, na busca por tecnologias que permitam prorrogao indefinida da vida humana e das condies em que isso ocorra.

    4. Mas que avaliao retrospectiva nossa civilizao far, em

    algum momento do futuro, sobre a nanotecnologia regulada apenas pelo lucro e pelas leis do mercado? Ter sido um progresso ou uma aventura trgica?

    (ltimo pargrafo)

    Como resposta s questes colocadas no texto, correto afirmar que o autor

    (A) induz o leitor a concluses pessimistas, a

    considerar-se a inexistncia de controles de carter tico na manipulao da nanotecnologia.

    (B) aceita a participao do poder econmico e do

    mercado como garantia para a efetiva aplicao dos resultados das pesquisas.

    (C) apresenta uma concluso favorvel

    comercializao dos benefcios trazidos pela nanotecnolo

Recommended

View more >